P. 1
Alfredo Antonio Lumbo Aestructural II

Alfredo Antonio Lumbo Aestructural II

|Views: 102|Likes:
Publicado porHilda Gonzalez

More info:

Published by: Hilda Gonzalez on Apr 26, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/09/2013

pdf

text

original

CÁLCULO DO GRAU DE HIPERESTATICIDADE

Cálculo do grau de hiperestáticidade em pórticos planos.
Exercício 1: No pórtico plano que se segue determine: a) Grau de hiperestáticidade.

b) Grau de hiperestáticidade.

1

Tem onze vínculos a mais, logo a estrutura é hiperestática. Exercício 2:

a) Determinar grau de hiperestaticidade da treliça.

A treliça tem duas barras a mais, logo é uma estrutura hiperestática. 2

Exercício 2: Dada a treliça determine: a) Construir o diagrama do corpo livre. b) Determinar o grau de hiperestaticidade.

a) Construir diagrama do corpo livre.

3

b) Determinar o grau de hiperestaticidade.

A treliça tem uma barra a mais por eliminar é também uma estrutura hiperestática.

CAPÍTULO III: CÁLCULO DE DESLOCAMENTOS EM ESTRUTURAS ISOSTÁTICAS.
3.1 Cálculo de deslocamento em vigas simples isostáticas.
Exercício 1: Na seguinte viga biapoiada, calcule o deslocamento máximo no ponto médio da viga aplicando: a) Fórmulas simplificadas b) Método de VERESHAGUÍN

4

2: 4: 3: Módulo de elasticidade do aço. 5 . Momento de inércia com respeito ao eixo centroidal x – x. Peso específico do aço. Determina-se o deslocamento máximo no ponto médio para a carga permanente (CP) de 50 kN. concentrada no meio da viga.Dados 2: Área da secção transversal da viga. a) Fórmulas simplificadas.

( Procedimentos de cálculo: Cálculo da carga do peso próprio da viga ( ). ). Cálculo do deslocamento máximo no ponto médio da viga com a carga total distribuída. Cálculo da carga total da viga ( ). a) Fórmula simplificada 6 .Cálculo do deslocamento para a carga total distribuída.

Aplicação do princípio de superposição para o cálculo do deslocamento máximo total. b) Cálculo de deslocamento utilizando o método de VERESHAGUIN 7 .

Cálculo da ordenada: Cálculo do deslocamento total da viga com a carga permanente ( ). 8 . [∑ ] [ ] Método de VERESHAGUÍN para a carga distribuída.

Cálculo da ordenada 9 .Gráfico do momento da carga unitário.

[∑ ] [ ] [ ] Exercício 2: Na seguinte viga encastrada calcule o deslocamento no ponto K. O deslocamento no ponto K séra: Multiplica-se por 2 porque formam-se dois triangulos iguais. 10 . Utilizando o método de VERESHAGUÍN.Cálculo da área do triangulo formado desde o ponto de aplicação da carga unitária. tanto do lado esquerdo como do lado direito.

Dados Cálculo da carga do peso próprio da viga ( ). 11 . Cálculo da carga total da viga ( ).Secção transversal da viga.

Exercício 2.Fórmula simplificada O mesmo exercício será resolvido utilizando o método de VERESHAGUÍN. 12 . Utilizando o método de VERESHAGUÍN.1: Na seguinte viga encastrada calcule o deslocamento no ponto K.

Cálculo da ordenada: Cálculo do deslocamento no ponto K. [∑ ] 13 .Cálculo da área da parábola.

Exercício 1: No seguinte pórtico calcule o deslocamento horizontal no ponto K. 14 .3.2 Cálculo de deslocamento em pórticos planos isostáticos.

∑ ∑ – ∑ 15 .Cálculo das reacções de apoio.

Gráficos 16 .

∑ ∑ – ∑ Devemos calcular por troços. porque a secção da viga não é a mesma que a do pilar. Troço do pilar 17 .

Troço da viga: Cálculo da área e da ordenada do triângulo. m Princípio de superposição de efeitos. 18 .

19 .1 Cálculo de forças interiores em vigas hiperestáticas. obter os gráficos de forças interiores (momento flector M e força cortante V). D Secção transversal da viga Dados : Peso específico do betão. aplicando o método das forças. Exercício 1: Na seguinte viga hiperestática.[ ] [ ] [ ] CAPÍTULO IV: MÉTODO DAS FORÇAS 4.

1º Determinação do grau de hiperestaticidade: 20 . Cálculo da carga total actuante na viga: Carga do peso próprio da viga. Área da viga.: Resistência a compressão do betão.

21 .∑ ∑ ∑ 2º Sistema principal: Estrutura isostática 3º Estabelecer sistema de equações de compatibilidade de deslocamentos: – Cálculo do coeficiente de incógnita ) e do termo independente ( Neste caso é necessário aplicar o método de VERESHAGUÍN.

VERESHAUÍN: ∑ 22 .

VERESHAGUÍN: Cálculo da área e da ordenada do triângulo. ∑ Resolução do sistema de equações de compatibilidade de deslocamentos: 23 .

( ) Construção do gráfico do momento flector. aplicando o principio de superposição: ̅̅̅̅ Soma dos dois (2) gráficos: Para encastramento: 24 .

Para extremo da viga: ( ) [ ] 25 .

( ) ( ) 26 .

∑ ( ) Exercício 2: Na seguinte viga calcular a reacção no apoio B aplicando o método das forças. 27 .

Secção transversal da viga.

a) Determinação da carga total da viga.

b) Carga do peso próprio da viga.

Cálculo do grau de hiperestaticidade

28

, Um vínculo a mais; Estrutura hiperestatica. Sistema principal

Cálculo da ordenada e da área do triângulo.

29

30

Sistema de equações de compatibilidade

; Deu um valor negativo quer dizer o sinal que arbitramos é contrario, para cima e não para baixo como prevíamos.

4.2 Cálculo de forças interiores em pórticos planos hiperestáticos.
Exercício 2: No seguinte pórtico hiperestatico plano, construir o gráfico do momento flector (M), força cortante (V) e força axial (N).

31

√ Carga total do pórtico. 32 .

Cálculo dos momentos de inércia da viga e do pilar . Relação entre os dois momentos: Determinação do grau de hiperestaticidade. 33 .

Um vínculo a mais. ∑ 34 . Estrutura hiperestatica. Equação de compatibilidade dos deslocamentos..

∑ ∑ ∑ 35 .

∑ ∑ – R 150kN 36 .

37 .

∑ Área do triângulo. 38 .

∑ Sistema de equações de compatibilidade 39 .Ordenada. Área do rectângulo.

̅ Barras Pilar Esq.6 4.Princípio de superposição de efeitos de deslocamentos. Viga Pilar Dire. Pontos A 1 1´ 2´ 2 B 6 6 6 0 0 0 0 0 0 ̅ ̅ 450 450 450 0 0 0 ̅ 4.6 4.6 0 0 0 40 .

41 .

234 kN 42 .[ ] [ ] [ ] [ ] 74.

– ( ) ( ) ∑ Ok ∑ ∑ 43 .

Compressão ∑ ∑ ∑ Compressão Gráfico da carga axial 44 .

3 Cálculo de forças interiores em treliças planas hiperestáticas. Exercício 1: Na seguinte treliça calcular os esforços axiais nas suas barras aplicando o método das forças. 45 .4.

Dados 1º Calculo do grau de hiperestaticidad 46 .

tem uma barra a mais. 2º Sistema principal Cálculo das barras Barras 1 e 3 (IPN200) 47 .A treliça é hiperestática.

Barras 2 e 4 IPN200 Barras 5 e 6 UPN200 48 .

logo: 49 . fazendo os cálculos.√ Em todos nós a carga. será a mesma.

50 .3º Cálculo de gráficos de esforços axiais para cargas externas e unitária.

Cálculo das reacções de apoio. ∑ ∑ – – – 4º Cálculo de esforços axiais nas barras da treliça. 51 .

∑ ∑ – Nó C 52 .

∑ – ∑ Carga unitária 53 .

∑ ∑ ∑ 54 .

∑ ∑ 55 .

( ) 56 .Aplicação do Método de VERSHAGUÍN ∑ [ ] [ ] ∑ 5º Resolução da equação de compatibilidade dos deslocamentos.

T C T C C 57 .Barras 1 2 3 4 5 1 1.41 0 0 1.88 0 1.88 1.88 1.88 Obs.41 1.

Barra biencastrada.CAPÍTULO V – MÉTODO DOS DESLOCAMENTOS. 5.articulada 58 . Rigidez ao giro.1 Valores de Rigidez ao giro e deslocamento para barras de secção transversal constante com diferentes condições de apoio. Barra encastrada . Rigidez ao giro.

Barra biencastrada. Rigidez ao deslocamento. Barra encastrada – articulada 59 .Rigidez ao deslocamento.

2 Momentos Flectores de Extremos Fixos. Barra biencastrada com carga concentrada no ponto médio.5. Barra encastrada – articulada com carga concentrada no ponto médio. 60 .

Barra biencastrada com carga uniformemente distribuída no comprimento da barra. Barra encastrada – articulada com carga uniformemente distribuída no comprimento da barra. 61 .

Exercício 1: Dada a seguinte viga. Dados Momento de inércia da secção transversal da viga com respeito ao eixo centroidal. determine as forças interiores. Cálculo das cargas de peso próprio da viga 62 .5.3 Cálculo de forças interiores em vigas hiperestáticas.

Cálculo da carga total ∑ 63 .

∑ 64 .

Secção da viga AB BA BC CB ̅ ̅ ̅ 0 0 0 0 65 .

( ) ( ) ( ) ( ) [ ] 66 .

[ ] ∑ 67 .

Exercício 1: No seguinte pórtico plano hiperestático de betão armado. determinar os gráficos de momento flector (Mf). força cortante (V) e força axial (N).4 Cálculo de forças interiores em vigas hiperestáticas. 68 .5.

Relação entre o momento de inércia da viga e do pilar. 69 .Dados Material: betão armado Momento de inércia da secção transversal da viga com respeito ao eixo centroidal. Momento de inércia da secção transversal do pilar com respeito ao eixo centroidal.

70 .

71 .

72 .

73 .

74 .

[ ] ( )( ) ( ) 75 .

[ ] ( ) [( ) ] ( ) ( ) [ ]( ) 76 .

1 1 .312 292.4625 0 0 0 0 0 0 292.A Art .Art 1-B B-2 0 0 0 176. ̅ A .925 ̅ 0 0 0 88.312 ̅ ̅ 0 0 0 0 0 M Gráfico do momento flector 77 .Resumo dos cálculos.Art Art .

Gráfico da força cortante Corte das articulações 78 .

Gráfico da força axial 79 .

CAPÍTULO VI: CONCLUSÕES Conseguiu-se elaborar uma guia de estudo que contribuirá à formação estrutural geral dos estudantes e ao desenvolvimento de habilidades na aplicação dos métodos de cálculos mais gerais utilizados. para o cálculo de esforços interiores em estruturas hiperestáticas. 80 .

incluir no programa analítico da disciplina Estruturas II do plano de estudo da especialidade de Construção Civil esta guia metodológica como um documento de obrigatória consulta para os estudantes desta especialidade. 81 .CAPÍTULO VII: RECOMENDAÇÕES: Submeter a consideração dos directores da Escola Superior de Ciência e Tecnologia da Lunda Sul.

1982 http/www. Escola Superior de Ciência e Tecnologia da Lunda – Sul Estruturas Isostáticas.com. 6ª edição. B.CAPÍTULO VIII: REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS. 3ª Ed. 1992.br 82 .br http/www. Campos do Amaral.M. Livros Técnicos e Científicos Editora. Edições Engenharia e Arquitectura. Belo Horizonte. Rio de Janeiro. Gorfin.lami.: Estruturas Isostáticas.abcem. M. e Oliveira.pucpr.com.

..................... ...................... 4 3... 1 2.................................................. ...... ...................................45 CAPÍTULO V – MÉTODO DOS DESLOCAMENTOS.19 4......... ..................... .. Error! Bookmark not defined........................................................................... ...................... 1 2...............................................2 Cálculo de forças interiores em pórticos planos hiperestáticos............................... .. CAPÍTULO II: CÁLCULO DO GRAU DE HIPERESTATICIDADE ........................1 Cálculo de deslocamento em vigas simples isostáticas.......... ..............19 4............................................................ .................................60 5...................... CAPÍTULO III: CÁLCULO DE DESLOCAMENTOS EM ESTRUTURAS ISOSTÁTICAS........ ........58 5...........2 Cálculo do grau de hiperestáticidade em pórticos planos............................1 Cálculo do grau de hiperestaticidade de uma viga........1 Cálculo de forças interiores em vigas hiperestáticas...... ................3 Cálculo do grau de hiperestáticidade em treliças.... ..14 CAPÍTULO VI: MÉTODO DAS FORÇAS.............................3 Cálculo de forças interiores em vigas hiperestáticas..................................................................................3 Cálculo de forças interiores em treliças planas hiperestáticas..................... 4 3.................... 2...62 5.........81 CAPÍTULO VIII: REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS................................................68 CAPÍTULO VI: CONCLUSÕES...........................ÍNDICE CAPÍTULO I: INTRODUÇÃO ...2 Momentos Flectores de Extremos Fixos.....31 4.......... ..... Error! Bookmark not defined........................................58 5. .........82 ..... Error! Bookmark not defined..................1 Valores de Rigidez ao giro e deslocamento para barras de secção transversal constante com diferentes condições de apoio.............80 CAPÍTULO VII: RECOMENDAÇÕES: ............2 Cálculo de deslocamento em pórticos planos isostáticos..................4 Cálculo de forças interiores em pórticos planos hiperestáticos..................

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->