Você está na página 1de 4

Cópia não autorizada

JUN 1993 NBR 7225


M ateriais de pedra e agregados naturais
ABNT-Associação
Brasileira de
Normas Técnicas

Sede:
Rio de Janeiro
Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar
CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680
Rio de Janeiro - RJ
Tel.: PABX (021) 210 -3122
Telex: (021) 34333 ABNT - BR
EndereçoTelegráfico:
NORMATÉCNICA
Terminologia

Origem: Projeto NBR 7225/1982


CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados
CE-18:201.04 - Comissão de Estudo de Terminologia de Agregados
NBR 7225 - Stone materials and natural aggregates - Terminology
Descriptors: Stone. Aggregate
Esta Norma substitui a NBR 7225/1982
Copyright © 1990,
ABNT–Associação Brasileira Válida a partir de 30.07.1993
de Normas Técnicas
Printed in Brazil/
Impresso no Brasil Palavras-chave: Pedra. Agregado 4 páginas
Todos os direitos reservados

1 Objetivo 2.3.2 Largura (símbolo “l”)

Esta Norma fixa os termos que designam os materiais de Diâmetro da menor abertura circular através da qual o
construção originários de pedra e os agregados naturais, agregado possa passar.
para fins de engenharia civil.
2.3.3 Espessura (símbolo “e”)
2 Convenções
Distância mínima de dois planos paralelos que possam
Para os efeitos desta Norma são considerados: conter o agregado.

2.1 Composição granulométrica de agregados 2.4 Dimensões nominais de agregados

Expressão das porcentagens das várias frações dimensio- Aberturas nominais das peneiras de malhas quadradas,
nais em relação à massa total da amostra. correspondentes às dimensões reais do agregado.

2.2 Diâmetro máximo de agregados 2.5 Distribuição granulométrica (graduação) de


agregados

Abertura nominal, em mm, da malha da peneira da série


Expressão, em porcentagem da massa total, das quanti-
normal, à qual corresponde uma porcentagem acumu-
dades de seus grãos ou fragmentos menores que os vá-
lada igual ou imediatamente inferior a 5%.
rios tamanhos considerados.

2.3 Dimensões de agregados


2.6 Forma de grão ou fragmento de agregados

Comprimento, largura e espessura reais do agregado.


Feição exterior que o grão ou fragmento apresenta quan-
to à relação de dimensões, às arestas, cantos e faces.
2.3.1 Comprimento (símbolo “c”)
2.6.1 Quanto à relação de dimensões, os grãos ou frag-
Distância de dois planos paralelos que possam conter o mentos devem ser classificados conforme as relações
agregado, em sua maior dimensão. das Tabelas 1 e 2.
Cópia não autorizada

2 NBR 7225/1993

Tabela 1 - Pedregulho e areia 2.9 Pedra

P edregulho - A reia R elação Rocha que, apresentando alta resistência mecânica e a


intempéries, pode ser empregada em obras e serviços de
c l engenharia civil.
A longado(a) > 1,5 - - 1,5
l c
2.10 Porcentagem acumulada de agregados
c l
E sférico(a) (eqüiaxial) - 1,5 - - 1,5
l c Para cada peneira da série adotada, a soma das por-
c l centagens, em relação à massa total, das frações do
Lam elar > 1,5 - > 1,5
l c material retido nas peneiras que têm abertura de malha
c maior que a sua.
l
D iscóide (quadrático) - 1,5 - > 1,5
l c
2.11 Porcentagem passada de agregados

Tabela 2 - Pedra britada, pedrisco e pó-de-pedra Para cada peneira da série adotada, a porcentagem, em
relação à massa total, de fração do material que passa
por ela.
P edra britada - P edrisco- R elação
P ó -d e -p e d ra 2.12 Porcentagem retida de agregados
c l
A longado(a) > 2 - -2 Expressão em porcentagem de massa total da amostra,
l c
da fração de material retido na peneira.
c l
Cúbico(a) - 2 - -2
l c 2.13 Rocha
c l
Lamelar > 2 - >2 Material natural consolidado da crosta terrestre, forma-
l c
do essencialmente de minerais.
c l
Quadrático (a) - 2 - >2
l c 2.14 Série normal de peneiras

2.6.2 Quanto às arestas e cantos, os grãos ou fragmentos Coleção de peneiras de malhas quadradas, com as
devem ser qualificados como: seguintes aberturas nominais, em mm: 76 - 50 - 38 - 25 -
19 - 9,5 - 4,8 - 2,4 - 1,2 - 0,6 - 0,30 - 0,15.
a) angulosos,
3 Definições
- grãos ou fragmentos que apresentam arestas
Para os efeitos desta Norma são adotadas as definições
vivas e cantos angulosos;
de 3.1 a 3.34.
b) arredondados, 3.1 Agregado

- grãos ou fragmentos que não apresentam ares- Material natural de propriedades adequadas ou obtido
tas e têm cantos arredondados. por fragmentação artificial de pedra, de dimensão nomi-
nal máxima inferior a 100 mm e de dimensão nominal
2.6.3 Quanto às fases, os grãos ou fragmentos devem mínima igual ou superior a 0,075 mm.
ser qualificados como:
3.1.1 Agregado graúdo
a) conchoidal,
Pedra britada ou brita ou pedregulho muito grosso,
- grão ou fragmento que apresenta uma ou mais grosso e médio, de dimensões nominais entre 100,0 mm
faces côncavas; e 4,8 mm.

b) defeituoso, 3.1.2 Agregado miúdo

Pedregulho fino, pedrisco grosso, médio e fino, areia


- grão ou fragmento que apresenta partes com
seções delgadas ou enfraquecidas em relação à grossa, média e fina, de dimensões nominais entre
4,8 mm e 0,075 mm.
forma geral do agregado.
3.2 Areia
2.7 Graduação de agregados
Material natural, de propriedades adequadas, de dimen-
Ver “Distribuição granulométrica de agregados”. são nominal máxima inferior a 2,0 mm e de dimensão
nominal mínima igual ou superior a 0,075 mm.
2.8 Módulo de finura de agregados
3.2.1 Areia grossa
Soma das porcentagens nas peneiras da série normal,
dividida por 100. Aquela compreendida entre 0,2 mm e 1,20 mm.
Cópia não autorizada

NBR 7225/1993 3

3.2.2 Areia média 3.14 Material de enchimento de macadame

Aquela compreendida entre 1,20 mm e 0,42 mm. Material constituído por pedra britada e pedrisco gradua-
dos (macadame hidráulico) ou por solo (tipo macadame),
3.2.3 Areia fina destinado à colmatagem de pedra britada.

Aquela compreendida entre 0,42 mm e 0,075 mm. 3.15 Meio-fio de pedra

3.3 Areia bruta Ver “Guia de pedra”.

Areia que não foi beneficiada. 3.16 Paralelepípedo de pedra

3.4 Areia graduada Paralelepípedo de pedra afeiçoada, aparelhada ou não, de


dimensões especificadas.
Areia que obedece a uma distribuição granulométrica
especificada. 3.17 Pedra afeiçoada

3.5 Areia lavada Pedra trabalhada para determinada finalidade.

Areia que foi sujeita ao processo de limpeza. 3.18 Pedra amarroada (de mão)

3.6 Bloco de pedra Pedra bruta, obtida por meio de marrão, de dimensão tal
que possa ser manuseada.
Pedra angulosa, em geral obtida por fragmentação artifi-
cial, com dimensão mínima superior a 10 cm. 3.19 Pedra aparelhada

3.7 Brita Pedra afeiçoada, com uma ou mais faces acabadas de


modo especial.
Ver “Pedra britada”.
3.20 Pedra britada (brita)
3.8 Brita corrida
Material proveniente do britamento de pedra, de dimen-
Conjunto de pedra britada, pedrisco e pó-de-pedra, sem
são nominal máxima inferior a 100 mm e de dimensão no-
graduação definida, obtido diretamente do britador, sem
minal mínima igual ou superior a 4,8 mm.
separação por peneiração.
3.21 Pedra britada graduada
3.9 Fíler
Pedra que obedece a uma distribuição granulométrica
Material constituído de pó-de-pedra ou outros materiais
especificada.
minerais inertes, de dimensão nominal máxima inferior a
0,075 mm, destinado a ser empregado como enchimento
em pavimentações betuminosas. 3.22 Pedra britada numerada

3.10 Guia de pedra (meio-fio) Pedra de tamanho definido, obtida por peneiração, tendo
por limites as aberturas nominais de duas peneiras con-
Pedra afeiçoada, aparelhada ou não, de forma prismática secutivas, entre as quais se consideram calibrados os
(guia reta) ou de segmento de anel (guia curva), de seção seus fragmentos (ver Tabela 3).
retangular ou trapezoidal. A sua face lateral, quando ex-
posta, é designada por espelho e a face superior, por pi- 3.23 Pedra bruta
so.
Porção de pedra não afeiçoada.
3.11 Lajota de pedra
3.24 Pedra de mão
Pedra afeiçoada, aparelhada ou não, de forma achatada e
de dimensões especificadas. Ver “Pedra amarroada”.

3.12 Lasca de pedra 3.25 Pedra Telford

Pedra bruta, de forma lamelar e de dimensões especifi- Pedra afeiçoada, de dimensões especificadas, de forma
cadas. aproximadamente troncoidal e seção retangular.

3.13 Matação 3.26 Pedregulho

Pedra arredondada, encontrada isolada na superfície ou Material natural inerte, de forma arredondada, de dimen-
no seio de massas de solos ou de rochas alteradas, com são nominal máxima inferior a 100 mm e de dimensão no-
dimensão nominal mínima superior a 10 cm. minal mínima igual ou superior a 2,0 mm.
Cópia não autorizada

4 NBR 7225/1993

Tabela 3 - Classificação de acordo com as dimensões nominais


Pedra britada numerada Tamanho nominal
Aberturas de peneiras de malhas quadradas (mm)
Número
Mínima Máxima
1 4,8 12,5
2 12,5 25
3 25 50
4 50 76
5 76 100

3.26.1 Pedregulho muito grosso 3.30.2 Pedrisco médio

Aquele compreendido entre 100 mm e 50 mm. Aquele compreendido entre 2,0 mm e 0,42 mm.

3.26.2 Pedregulho grosso 3.30.3 Pedrisco fino

Aquele compreendido entre 50 mm e 25 mm. Aquele compreendido entre 0,42 mm e 0,075 mm.

2.26.3 Pedregulho médio 3.31 Pedrisco graduado

Aquele compreendido entre 25 mm e 4,8 mm. Pedrisco que obedece a uma distribuição granulométrica
especificada.
2.26.4 Pedregulho fino
3.32 Pó-de-pedra
Aquele compreendido entre 4,8 mm e 2,0 mm.
Material proveniente do britamento de pedra, de dimen-
3.27 Pedregulho bruto são nominal máxima inferior a 0,075 mm.

Pedregulho extraído de cavas. 3.33 Pó-de-pedra graduado

3.28 Pedregulho graduado Pó-de-pedra que obedece a uma distribuição granulo-


métrica especificada.
Pedregulho que obedece a uma distribuição granulomé-
trica especificada. 3.34 Textura superficial do grão ou fragmento

3.29 Pedregulho lavado Aspecto apresentado pela superfície natural do grão ou


fragmento de pedra britada.
Pedregulho extraído de rios atuais.
3.34.1 Quanto à textura superficial, o grão ou fragmento
3.30 Pedrisco pode ser:

Material proveniente do britamento de pedra, de dimen- a) liso,


são nominal máxima inferior a 4,8 mm e de dimensão
nominal mínima igual ou superior a 0,075 mm. - superfície sem estrias, rugas, pontos salientes;

3.30.1 Pedrisco grosso b) áspero,

Aquele compreendido entre 4,8 mm e 2,0 mm. - superfície com estrias, rugas, pontos salientes.