Você está na página 1de 1

DIRIGENTE DE GRUPO

(autor: Leopoldo Hofmann)

Procure conhecer a personalidade e a maneira de reagir dos componentes do


grupo, para poder dispensar-lhes um tratamento adaptado �s caracter�sticas
psicol�gicas de cada um.
Estimule os t�midos, contenha os faladores e anule a agressividade dos
briguentos. Reduza a pretens�o dos sabich�es. N�o permita que qualquer dos
presentes se aposse da discuss�o, pois as opini�es devem ser de grupos.

USO DO TEMPO
1. Exponha os objetivos da reuni�o,
2. Exponha os fatos e colha opini�es,
3. Examine com o grupo os pr�s e os contras das solu��es apresentadas,
4. Procure obter unanimidade de pontos-de-vista,
5. Chegue a uma conclus�o, resumindo as diversas solu��es,
6. Solicite colabora��o para as a��es,
7. Seja breve, SEMPRE.

L�DER
� aquele que dirige um grupo social com a ades�o livre, espont�nea e
consciente dos elementos que o comp�em.
SER L�DER � sintonizar com o grupo, � saber colher, interpretar e sintetizar
a vontade, as id�ias e o pensamento dominante do grupo. � saber QUANDO e at�
conhecer a ocasi�o de agir ou de cruzar os bra�os, de intervir ou de permanecer
calado.
A verdadeira LIDERAN�A d� liberdade. Ditadura � ant�nimo de Lideran�a. O
l�der � aquele que se imp�e (n�o � aquele que imp�e).
A arte do L�DER: fazer com que os outros queiram realizar aquilo que ele
quer que seja feito. Conquistando emocionalmente o grupo, o l�der inflama,
entusiasma, transmite senso de responsabilidade, inspira confian�a, harmonia e
participa��o.

NORMAS DE OURO

a) Planeje seu trabalho,


b) Obede�a ao hor�rio estabelecido,
c) Proporcione bem estar aos membros,
d) Defina os objetivos da reuni�o,
e) Siga um ESQUEMA l�gico,
f) Fale pouco,
g) Proceda democraticamente,
h) Estimule a participa��o de todos,
i) Individualize o tratamento,
j) Mantenha a serenidade,
l) Assegure a disciplina,
m) Evite a fuga do assunto central,
n) Chegue a uma conclus�o,
o) N�o namore durante as reuni�es.