Você está na página 1de 1

O vazio existencial um fenmeno muito difundido no sculo XXI.

. Isto compreensvel; pode ser atribudo a uma dupla perda sofrida pelo ser humano desde que se tornou um ser verdadeiramente humano. No incio da histria, o homem foi perdendo alguns dos instintos animais bsicos que regulam o comportamento do animal e asseguram sua existncia. Tal segurana, assim como o paraso, est cerrada ao ser humano para todo o sempre. Ele precisa fazer opes. Acresce-se ainda que o ser humano sofreu mais outra perda em seu desenvolvimento mais recente. As tradies, que serviam de apoio para seu comportamento, atualmente vm diminuindo com grande rapidez. Nenhum instinto lhe diz o que deve fazer e no h tradio que lhe diga o que ele deveria fazer; s vezes ele no sabe sequer o que deseja fazer. Em vez disso, ele deseja fazer o que os outros fazem (conformismo), ou ele faz o que outras pessoas querem que ele faa (totalitarismo). O vcuo existencial se manifesta principalmente num estado de tdio. Agora podemos entender por que Schopenhauer disse que, aparentemente, a humanidade estava fadada a oscilar eternamente entre os dois extremos de angstia e tdio. concreto que atualmente o tdio est causando e certamente trazendo aos psiquiatras mais problemas de que o faz a angstia. E estes problemas esto se tornando cada vez mais agudos, uma vez que o crescente processo de automao provavelmente conduzir a um aumento enorme nas horas de lazer do trabalhador mdio. Lastimvel que muitos deles no sabero o que fazer com seu tempo livre. Pensemos, por exemplo, na "neurose dominical", aquela espcie de depresso que acomete pessoas que se do conta da falta de contedo de suas vidas quando passa o corre-corre da semana atarefada e o vazio dentro delas se torna manifesto. No so poucos os casos de suicdio que podem ser atribudos a este vazio existencial. Fenmenos to difundidos como depresso, agresso e vcio no podem ser entendidos se no reconhecermos o vazio existencial subjacente a eles. O mesmo vlido tambm para crises de aposentados e idosos. Existem ainda diversas mscaras e disfarces sob os quais transparece o vazio existencial. s vezes a vontade de sentido frustrada vicariamente compensada por uma vontade de poder, incluindo a sua mais primitiva forma, que a vontade de dinheiro. Em outros casos, o lugar da vontade de sentido frustrada tomado pela vontade de prazer. por isso que muitas vezes a frustrao existencial acaba em compensao sexual. Podemos observar nestes casos que a libido sexual assume propores descabidas no vcuo existencial. Viktor Frankl.

Você também pode gostar