P. 1
PIEZÔMETRO E MEDIDOR DE NÍVEL D’ÁGUA

PIEZÔMETRO E MEDIDOR DE NÍVEL D’ÁGUA

|Views: 486|Likes:
Publicado porDejair F Júnior

More info:

Published by: Dejair F Júnior on May 01, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/27/2015

pdf

text

original

XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica

PIEZÔMETRO E MEDIDOR DE NÍVEL D’ÁGUA EM PISTAS EXPERIMENTAIS DA UFRGS
Daniel R.Victorino, Prof a. Dra. Wai Y. Y. Gehling, Msc. Mirtes C. P. Ramires Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS Departamento de Engenharia Civil Av. Osvaldo Aranha 99 – Bairro Centro – CEP 90035-190 – Porto Alegre dvictorino@terra.com.br, gehling@vortex.ufrgs.br, mirtes@via-rs.net

Resumo. Este trabalho apresenta a instalação de um piezômetro e de um medidor de nível d’água construídos para o monitoramento da profundidade do nível do lençol freático em pistas experimentais localizadas na Área de Pesquisas e Testes de Pavimento DAER/UFRGS. Estes equipamentos são amplamente utilizados na engenharia geotécnica e possuem como principal vantagem a sua fácil construção. Ambos apresentam semelhanças em relação à sua execução, porém há diferenças determinantes que influenciam inclusive em sua utilização. Concluída a instalação do piezômetro e do medidor, iniciou-se o monitoramento do nível freático, verificando a sua posição e acompanhando a sua variação ao longo do tempo. Palavras-chave: piezômetro, medidor de nível d’água, monitoramento

1. INTRODUÇÃO Em toda obra de engenharia civil é de vital importância a localização do nível do lençol freático e o conhecimento da sua variação devido às precipitações e outros agentes naturais. Seja para a execução da obra, quanto para a utilização da mesma, o posicionamento do nível d’água em relação à superfície é determinante para que a construção atinja o objetivo visado com
Engenharia Civil

eficiência. Dunnicliff [1] destaca a importância do monitoramento do lençol freático em obras geotécnicas. Na pavimentação, em particular, a localização do nível do lençol freático influencia incisivamente na drenagem subterrânea da rodovia a ser construída. A drenagem subterrânea deve ser realizada de modo a evitar que a água atinja o pavimento e prejudique a funcionalidade da estrada ou até mesmo as propriedades mecânicas do pavimento. Inclusive as dimensões e a profundidade dos drenos a serem construídos podem acabar sendo determinadas pelo posicionamento do lençol freático. A drenagem na pavimentação é um ramo bastante complexo e cabe ao engenheiro ter bem definido a sua importância, sendo necessário, no caso de drenagem subterrânea, a determinação da localização do nível d’água subterrânea. Muitos são os instrumentos existentes no mercado para determinar a posição da linha freática em maciços de solo ou rocha. Cruz [2] apresenta os diferentes equipamentos existentes destacando as suas particularidades. A escolha será determinada conforme os objetivos em estudo. Os instrumentos mais simples e conhecidos na área da geotecnia para o monitoramento do lençol d’água são os piezômetros e os medidores de nível d’água, ambos apresentando diversas semelhanças. Os piezômetros são utilizados também para medir a poro-pressão e a condutividade hidráulica do solo.
CRICTE 2003
1 /1

trado para a execução dos furos de sondagem. o piezômetro marcará o nível d’água de acordo com o aqüífero em que a sua ponteira (parte ranhurada) for posicionada. conforme Oliveira e Brito [3]. tem como principal vantagem o fato de ser de fácil montagem e de rápida execução. necessitando de materiais simples e de baixo custo. geotêxtil para impedir a passagem de detritos pelas ranhuras. garantindo que em torno das ranhuras haja o filtro de areia. na Fig. Primeiro. executa-se um furo de sondagem até alcançar a profundidade desejada num diâmetro que possibilite a instalação do tubo. Para isso. sendo essa uma das diferenças. Com o tubo instalado dentro do furo. O piezômetro instalado está ilustrado. OBJETIVOS Os objetivos da pesquisa visam a instalação de um piezômetro e de um medidor de nível d’água para posterior monitoramento da profundidade do lençol freático em pistas experimentais construídas na Área de Pesquisas e Testes de Pavimentos DAER/UFRGS. por meio desses instrumentos. Essas ranhuras devem ser realizadas somente na parte inferior do cano. INSTALAÇÃO A determinação do nível do lençol freático. Completa-se o furo com material de preenchimento. de maneira representativa. bentonita para a realização do selo. inicia-se o preenchimento entre o cano e a parede do furo. apoiando sobre essa camada o tubo já montado. há diferenças a entre piezômetros e medidores que necessitam ser evidenciadas. O preenchimento do furo prossegue com a execução do selo de bentonita. CRICTE 2003 2 /2 . 3. Apesar de terem muitas semelhanças em relação às suas instal ções. Com as ranhuras apenas na parte inferior. incluindo conexões roscáveis e coladas (nessa pesquisa foram utilizados canos com diâmetro de 32 mm. realiza-se sobre o cano PVC — já com seu comprimento estabelecido por prévios estudos da posição da linha freática — ranhuras para a passagem de água. Em torno das ranhuras realizadas. permitindo a passagem de água e impedindo a passagem de partículas de solo ou de areia do filtro.1 Equipamentos A confecção e a instalação de piezômetros e medidores de nível d’água requer basicamente: • canos PVC. utilizando. em relação ao medidor. na existência de mais de um aqüífero subterrâneo separados por solo impermeável. coloca-se de duas a três camadas de geotêxtil. coloca-se uma camada de areia — média lavada — que servirá como filtro. localizada no Campus do Vale da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. nessa etapa. coloca-se na parte inferior do furo uma pequena camada de areia média lavada. Também se coloca.XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica 2. 3. Essa camada terá espessura um pouco além da extensão da parte ranhurada do cano. as conexões no cano PVC. como será visto. permitindo o futuro monitoramento). mas outras dimensões podem ser adotadas).2 Piezômetro Antes de iniciar a instalação do piezômetro. 1. areia média lavada para a execução do filtro. que terá espessura suficiente para estabilizar o cano instalado. o solo escavado. Após a preparação do cano PVC. para isso. Atingida a profundidade. • • • • 3. como as tampas na parte inferior (colada) e superior (roscável. é necessário preparar o cano Engenharia Civil PVC utilizado para a confecção do instrumento. possibilitando o isolamento do tubo.

em seguida. As ranhuras. não havendo a necessidade de completar com material de preenchimento. para finalizar. as ranhuras e as colocações das conexões e do geotêxtil. Da mesma maneira que se procedeu para o piezômetro. Devido à extensa camada de areia. Após. No medidor também realiza-se. uma extensa camada de areia como filtro — repare que essa camada terá que acompanhar as ranhuras. 2. A leitura do nível é efetuada através de um aparelho eletrônico CRICTE 2003 3 /3 . entretanto. Figura 1. A representação do medidor está ilustrada na Fig. executa-se o selo de bentonita. no caso de existência de mais de um aqüífero. devem ser realizadas ao longo de quase toda a extensão do cano PVC. realiza-se um furo de sondagem com profundidade e diâmetro adequados. antes de partir para a instalação. sendo no medidor mais extensa do que a realizada no piezômetro — e. MONITORAMENTO Com o piezômetro e o medidor de nível d’água instalados. Engenharia Civil Figura 2. instal -se o aparelho no a furo sobre uma pequena camada de areia. após o tubo do medidor estar confeccionado. Essa diferença fará com que o medidor identifique. inicia-se o monitoramento do nível do lençol freático. deixando apenas a parte superior sem ranhuras.XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica colocando-se. Esquema de um medidor de nível d’água 4. o selo acabará finalizando o preenchimento do furo. Esquema de um piezômetro 3.3 Medidor de nível d’água A instalação do medidor de nível d’água se assemelha bastante com a instalação do piezômetro. o nível d’água localizado mais acima (mais próximo à superfície).

Os dados referentes à precipitação pluviométrica foram obtidos através de uma estação meteorológica situada na Área de Pesquisas e Testes de Pavimentos. 4 também evidencia essa relação. Representação do aparelho eletrônico utilizado para o monitoramento do lençol freático Com o resultado do monitoramento. N. produzindo um sinal sonoro e determinando a profundidade do lençol d’água. S. 0 0. 610. 5. Geologia de Engenharia. ABGE. 4.Interscience Publication: 1988.5 0 50 100 150 0 20 Tempo (dias) Figura 4. A. 195. Confirmou-se essa intuitiva afirmação comparando a profundidade do lençol freático com a precipitação pluviométrica ocorrida no intervalo de tempo referente ao monitoramento. [3] A. Esse cabo é introduzido no tubo e ao atingir o nível freático.5 60 Profundidade do lençol freático (m) 1 1. [2] P. Geothecnical instrumentation for monitoring field performance. da Cruz. Engenharia Civil CRICTE 2003 4 /4 Precipitação pluviométrica (mm) Precipitação pluviométrica Piezômetro Medidor 50 . Oficina de Textos. Ed Wiley . 100 Barragens Brasileiras. M. pois a leitura tanto do piezômetro como do medidor foi praticamente a mesma (ambos leram o mesmo nível). Os autores agradecem ao CNPq pelo apoio financeiro e à equipe do Laboratório de Pavimentação (LAPAV – UFRGS) pelo auxílio na realização dessa pesquisa. Dunnicliff. 3).5 10 4 4. a água (condutora de corrente elétrica) fecha o circuito. Medidas da profundidade do lençol freático e a sua relação com a precipitação pluviométrica Agradecimentos Figura 3. T.5 3 3. pode-se definir a profundidade média do lençol freático. 577 p. A Fig. p.XVIII Congresso Regional De Iniciação Científica e Tecnológica com um cabo graduado de metro em metro em que na ponta desse cabo há dois eletrodos isolados eletricamente (Fig. Oliveira e S. O levantamento do monitoramento no período de janeiro a julho de 2003 pode ser observado no gráfico da Fig. de Brito. REFERÊNCIAS [1] J. a existência de mais de um aqüífero separados por solo impermeável. A variação existente da profundidade do nível d’água deve-se às chuvas. São Paulo: 1996. São Paulo: 1998 p.5 2 40 30 2. Também se concluiu que no local não há. pelo menos até a profundidade atingida pelo furo.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->