FACULDADE INTERAMERICANA DE PORTO VELHO

CURSO: Sistema da Informação TURMA/período 2º

Disciplina: Ética, Política e Sociedade

PROFESSORA: Cleonete Aguiar

Mateus Almeida tavares

Porto Velho – RO, 25 de março de 2012

portanto. o que acarreta o individualismo exacerbado e a anarquia dos valores. usando os seguintes conceitos: consciência moral. Embora sejam usadas muitas vezes com sinônimos. È a responsabilidade que pode ser julgada pela consciência moral do próprio indivíduo e pelo seu grupo social. Sintetize: a) em que são semelhantes às normas morais e as normas jurídicas? R: Então. discutir se as questões morais interferem na formação do Direito. 4. sendo assim a nossa classe social que visualiza a vida do nosso cotidiano e através disse vamos ver ser ou não culpado por nossas ações. A valorização da autonomia do sujeito moral leva à busca de valores subjetivos e ao reconhecimento do valor das paixões. que significados específicos possuem as palavras mora e ética? R: A moral é algo pessoal e individual (costumes). A moral exerce influência no processo de elaboração das normas jurídicas. b) o que a distingue? R: O direito jurídico distingue-se do dever moral por ser exigível. Em sua Opinião qual a grandes questões que a ética procura responder no munido de hoje? R: o Direito a vida. 2. Só faz sentido julgar moralmente a ação de uma pessoa se essa ação foi praticada em liberdade. de feministas. de grupos religiosos.1. impulsos sustentando a tese de que o indivíduo possui uma liberdade moral acima de tais . o direito mantém uma relação estreita com o Estado. sociais e outras de caráter interno tais como desejos. enquanto o cumprimento do dever jurídico pode ser a condição para a aplicação de uma sanção jurídica. têm-se os objetivos específicos que consistiram em analisar a compatibilidade do Direito e da Moral nas relações jurídicas. O dever moral não pode ser exigido. 3. liberdade. na criação dos futuros deveres jurídicos. Procure expressar o que você entendeu da relação entre moral e liberdade. observar como os grandes preceitos morais são também preceitos jurídicos. Resulta ainda na descoberta de várias situações particulares com suas respectivas morais: dos jovens. enquanto a ética é algo que deve ser verdade para a maioria da sociedade (modo de seu comportamento). c) A que campo de estudo pertence cada uma? R: A moral não se traduz em um 'código formal. Embora seus defensores admitam certas determinações e influências de origem externa. de homossexuais. R: Somente quando somos livres tornamo-nos responsáveis pelo que praticamos. quando o legislador se baseia nos valores básicos consagrados pela sociedade. a moral participa. Comente essa afirmação e dê exemplos. 5. de movimentos ecológicos. enquanto a moral não apresenta essa vinculação. analisar o conteúdo Moral presente nas leis. e por fim ressaltar a relevância da interdisciplinaridade em trabalhos científicos. R: a liberdade absoluta que pontifica que o homem é sempre livre. caso seja cobrado judicialmente. e assim por diante. juízo. escolha. enquanto o direito sim.

ou seja. revela mais do que uma simples potencialidade ou uma aptidão para uma determinada ação boa: trata-se de uma verdadeira inclinação. analise e compare as seguintes escolhas morais: a) a ação correta coma a ação incorreta. c) o niilismo ético com o permissivismo ético. R: Outra possibilidade ocorre quando o indivíduo recusa conscientemente uma norma moral por entendê-la inadequada ou ilegítima. Por outro lado. 7. no entanto. seria uma versão deteriorada e individualista do niilismo ético. Já o vicio é uma coisa mais em excesso como posso dizer o prazer. nesse caso existem meios que reações com que a liberdade e exercida pelo individuo. podem contestá-los ou interferir em sua formulação. Essa situação caracteriza-se como um conflito ético. È o vício pela irresponsabilidade perante si mesmo. não a fazem sob circunstancias de sua escolha e sim sob aquelas com que se defrontam diretamente. Analise-os. mas mesmo assim no meu ponto de vista não somos capaz de julgar uma pessoa. como escreveu Karl Marx. legadas e transmitidas pelo passado”. por sua vez. que aponta para uma ruptura com a moral vigente. R: Virtude é uma disposição estável em ordem a praticar o bem. se escondem interesses particulares. contestá-la como norma universal. os indivíduos. Com base nas distinções feitas nos capítulos estudados. de acordo com as novas condições histórico-sociais. a relação dialética entre o indivíduo e a sociedade? Quando ocorrem transformações nas normas morais? R: valores são adquiridos pelos indivíduos como uma herança cultural. e também do que é ruim desaconselhável ou repugnante. R: é a da ação moralmente má ou incorreta. Como se expressa no âmbito da moral. b) a ação incorreta coma a que expressa conflito ético. por trás da negação dos valores vigentes.determinações. Cada indivíduo assimila. compare-os e dê exemplos para cada um baseados em seu cotidiano. desde a infância noções do que é bom e desejável. Discorra sobre a virtude e o vício. 8. O permissivismo moral. e acabar por transformar as normas e costumes morais. EX: A virtude consiste em assumir a responsabilidade por sua própria existência. R: Diferente do conflito ético é a situação de niilismo ético. Pois. 9) Por que a ética do período Grego é considerada nacionalistas? Justifique com exemplos das concepções éticas dos filósofos desse período. sem. na qual. “os homens fazem suas própria historia. . não assimilando passivamente esses princípios. 6. mas não a fazem como querem. a ação que contraria uma determinada norma moral. que se caracteriza pela negação radical de todo e qualquer valor moral.

embora estas condições isoladas não bastassem para fazer alguém feliz. Aristóteles explicava a virtude como o meio--termo entre dois vícios. a razão é a principal característica do ser humano. transcendental para moralidade. Com base nessa afirmação. Por que a ética do período medieval é chamada de cristã? Quais são os aspectos que a caracterizam como cristã e que a diferenciam da ética grega? R: O abandono do racionalismo – a ética cristão abandonou a idéia de que é pela razão que se alcança a perfeição moral e centrou a busca dessa perfeição do amor de Deus e na boa vontade. R: Em nossas concepções distintas sobre o que seja moral e sua fundamentação que se recusam em sua grande parte a ter base exterior. essencialmente. O indivíduo que age conforme a razão age corretamente. R: É algo que nos demonstra uma expressão bastante livre para expressar o se aproximar de |Deus e vejo que também através desse conceito a que surgem varias seitas. explique a ética agostiniana. Mas a ética agostiniana destaca-se por outro conceito. Por que a ética da Idade Moderna pode ser considerada uma ética antropocêntrica? Vincule sua resposta a uma interpretação da seguinte frase de um filósofo desse período. dizemos que a ética socrática é racionalista. foi retrabalhada por Agostinho na perspectiva cristã. E é na razão que se devem. explique a ética aristotélica. bens materiais. 11. Ex: algumas condições necessárias: maturidade. A pessoa humana tem uma tendência que gira em torno da sociedade onde vive seja ela qual for ele constrói seu caráter a parti daquilo q ele vive. presente em Platão. Por isso. Talvez seja esse o maior freio que a natureza tenha posto nas injustiças dos homens". Também a idéia da imortalidade da alma. fundamentar as normas e costumes morais.R: Porque sua alma é racional. E sua principal atividade deve consistir em viver conforme a razão. A ética do livre arbítrio de Santo Agostinho Santo Agostinho transformou a idéia de purificação da alma da filosofia de Platão na idéia da necessidade de elevação ascética para se compreender os desígnios de Deus. 10. O ser humano é. com suas fragilidades. Portanto. razão. . Com base nessa afirmação. a virtude é o bom uso da liberdade de escolha. que centrada no próprio homem situa a origem dos valores e das normas morais. Para Santo Agostinho. 12. Liberdade pessoal e saúde. portanto. 13. ou seja. do livre-arbítrio. Também seja um meio para ver a irresponsabilidade do ser humano com o cuidado do nosso planeta. Voltaire: "Ser desprezado por aqueles com quem se vive é coisa que ninguém pôde e jamais poderá suportar.