P. 1
A importância do método científico

A importância do método científico

2.0

|Views: 14.783|Likes:
Publicado porAna

More info:

Published by: Ana on May 04, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/19/2013

pdf

text

original

A importância do método científico

Um método é um instrumento, um guia ou o caminho que se segue para alcançar um objecto. O método científico é, pois, o caminho que o cientista percorre para descobrir, investigar e alcançar os seus objectivos. Abrange os procedimentos ordenados e sistematizados que as diversas ciências seguem para descobrir verdades e leis científicas. Não há um método único que possa ser mecanicamente aplicado às diferentes áreas de investigação. Cada ciência, ao determinar o seu campo de investigação, define uma perspectiva própria e um conjunto de objectos e de procedimentos (métodos e técnicas) que lhe permitirão construir uma visão específica da realidade. Qual é a importância do método?    É responsável pela eficácia da investigação; Dá credibilidade aos resultados da investigação; É um dos critérios que permite distinguir os conhecimentos verdadeiramente científicos dos que o não são.

Quando surgiu o método científico? O método científico surgiu quando da criação da ciência moderna, no século XVII, graças às contribuições de personalidades como Bacon, Galileu, Newton e Descartes. Com estes autores começou a desenhar-se a combinação de dois objectivos que vão marcar a Ciência até hoje, a saber:  O conhecimento da Natureza, isto, é, conhecer e descrever os seus mecanismos de funcionamento (dimensão teórica da Ciência);  O controlo desses mecanismos de funcionamento e dos recursos naturais (dimensão prática ou técnica); Ciência e método científico são duas realidades interdependentes e a própria evolução da Ciência e o alargamento dos seus objectos de investigação exigem a reformulação e o ajustamento desses procedimentos às exigências da natureza do assunto a investigar. Assim sendo, podemos dizer que há um método científico único? Sim e não. Sim, se entendermos por método científico o conjunto de procedimentos ordenados e sistematizados a ser adoptado pelo cientista na sua investigação. Não, se considerarmos concretamente os procedimentos a adoptar em cada ciência em particular. Parece óbvio que os procedimentos usados na investigação psicológica serão diferentes dos da investigação nos domínios da Química, por exemplo.

O método verdadeiramente científico foi criado por Galileu, que associa a observação metódica e sistemática (direccionada e intencionada) ao raciocínio, nomeadamente ao raciocínio matemático. Galileu propõe hipóteses e submete-as a uma verificação experimental. É ele o criador do método científico moderno, embora não enuncie os seus passos ou faça a sua propaganda.

Método hipotético - dedutivo Mais uma vez, a resposta não pode ser simplesmente um sim ou um não, nem o problema é só de agora. Há ciências, situações e domínios de investigação em que se pode partir da observação dos factos, mas há outros em que a investigação é desencadeada por um problema teórico ou por uma mera especulação. Por isso, o método científico inclui também procedimentos dedutivos e hipotéticos – dedutivos. A investigação científica visa a resolução de problemas e, como tal, o primeiro momento do processo consistirá na formulação de um problema. A observação, enquanto momento ou etapa do método científico, não pode ser ocasional nem acidental. Tem de ser metódica e sistematicamente preparada, utilizar instrumentos e uma sofisticada tecnologia para prolongar e precisar o alcance dos nossos sentidos, ou seja, construindo um facto científico, a observação científica tem sempre implícita uma teoria prévia que a guia e que determina o que deve ser observado. A hipótese é o momento criativo e inovador da pesquisa, o momento em que o cientista inventa uma suposta solução, isto é, em que constrói um cenário que desencadeará o processo de confirmação ou objecção. A criação de uma hipótese é uma tentativa de explicação e, como tal, tem um carácter provisório, exigindo ser verificável e controlável pela experimentação. As hipóteses têm de ser adequadas ao facto - problema em análise. Uma hipótese é considerada adequada quando:  Se revela compatível com esse facto;  É coerente com outras hipóteses já anteriormente aprovadas;  Existe a possibilidade de fazer observações ou experimentações que a confirmem ou contrariem;  Serve para prever e explicar os acontecimentos com ela relacionados. As consequências deduzidas duma hipótese têm de ser testadas a fim de serem confirmadas ou desaprovadas. A observação/ experimentação implica:  A definição das grandezas a utilizar e a delimitação das condições do seu uso;  A criação e aperfeiçoamento dos diversos aparelhos ou instrumentos de investigação que reproduzam, mais ou menos artificialmente, as circunstâncias desejadas. A verificação experimental, isto é, o confronto das consequências deduzidas da hipótese com a experimentação determinará a confirmação ou a objecção da hipótese. Deste procedimento resulta a formulação de uma lei explicativa dos fenómenos.

Os diferentes momentos do método científico

Método Científico

Factos/ situações/ teorias

Formulação de um problema

Procura de soluções  Formulação de uma hipótese

Dedução de consequências a partir da hipótese

Verificação das consequências a partir da hipótese (momento de experimentação)

Não confirmação

Confirmação

A hipótese é rejeitada

A hipótese é confirmada

Formulação de uma nova hipótese

Lei/ teoria confirmada

Toda a pesquisa se propõe resolver um conjunto de problemas. Mas se o investigador não possuir uma boa preparação teórica não poderá ter uma ideia clara dos problemas a pesquisar; se não possuir os conhecimentos necessários para os abordar, para propor hipóteses adequadas e deduzir consequências preditivas, nem para as submeter a controlo experimental, não se poderá considerar um cientista, nem o resultado do seu trabalho se poderá considerar um cientista, nem o resultado do seu trabalho se poderá chamar de ciência. A Ciência é, pois, constituída por leis gerais que relacionam matematicamente, sempre que possível, enunciados factuais e expressam relações constantes de forma mais ou menos operacional. Combinando e interligando conjuntos de leis e hipóteses coerentes, formando explicações mais vastas a que se chama de teorias científicas. Enquanto as leis têm um carácter descritivo das regularidades e variações ocorridas entre fenómenos, as teorias procuram interpretar essas regularidades a partir de um quadro mais vasto, visando deduzir novas leis ou formular hipóteses com vista à explicação de novos factos. Assim, a teoria mecânica de Newton foi elaborada a partir das leis de Galileu. É por isso que em cada ciência já constituída, um conjunto de leis e teorias convergentes formam um pequeno número de princípios dos quais se deduzem de outras leis (exemplo: o princípio da inércia é, o pressuposto fundamental de toda a mecânica).

Contudo, este método é importante na ciência, pois é um conjunto de procedimentos ou regras onde os cientistas o utilizam descobrir as explicações para os problemas. É um método onde envolve vários procedimentos adaptados ao objecto de estudo específico de cada ciência, embora siga algumas linhas gerais. Essas linhas gerais do método científico podem sintetizar-se na perspectiva hipotético-dedutiva. O método científico divide-se em diferentes momentos que são: a formulação de um problema, a invenção de hipóteses, a dedução de consequências e a formulação de leis gerais. Este método junta a observação/experimentação e teoria com vista à explicação dos fenómenos e à resolução de problemas. As leis gerais podem combinar-se para formar explicações mais amplas, a que chamamos teorias científicas, e, estas por sua vez são agrupadas em princípios.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->