P. 1
seminário psicossomatica das doenças de pele

seminário psicossomatica das doenças de pele

|Views: 88|Likes:
Publicado porJoão Carlos

More info:

Published by: João Carlos on May 06, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/06/2012

pdf

text

original

Universidade do Estado do Rio de Janeiro Centro Biomédico Faculdade de Enfermagem Disciplina Saúde Mental IV

Psicossomática dos Problemas de Pele
Professor: Alexandre Equipe: Ágatha Ingridt Gama Bauer Bruna Maria dos Santos Siqueira João Carlos Fialho de Oliveira Natasha Barbosa de Lima Thuany de Oliveira Abreu

DERMATITE SEBORRÉICA
Caspa
• Trata-se inflamação crônica da pele que surge em indivíduos geneticamente predispostos. • A causa da Dermatite Seborreica é desconhecida, mas a oleosidade excessiva da pele, juntamente com um fungo, o Pityrosporum ovale, estão envolvidos na causa da doença. • A maior atividade das glândulas sebáceas ocorre sob a ação dos hormônios masculinos (androgênios).

DERMATITE SEBORRÉICA
Caspa
Manifestações clínicas • A Dermatite Seborreica tem caráter crônico, com tendência a períodos de melhora e de piora. • As manifestações mais freqüentes ocorrem no couro cabeludo e são caracterizadas por intensa produção de oleosidade, descamação e prurido. • Quando a Dermatite Seborreica se instala na pele, as lesões costumam ser avermelhadas com descamação gordurosa. • Uma outra apresentação da Dermatite Seborreica é a chamada Blefarite Seborreica, que atinge as pálpebras (caspas nas pálpebras).

• Evitar a ingestão de alimentos gordurosos • Evitar bebidas alcoólicas • Evitar banho muito quente • O tratamento geralmente é feito com medicações de uso local na forma de xampus. • Em alguns casos. loções capilares ou cremes. • A exposição solar moderada é de grande ajuda. • Evitar o estresse. Caspa .DERMATITE SEBORRÉICA Tratamento Não existe medicação que acabe definitivamente com a Dermatite Seborreica porém seus sintomas podem ser controlados. medicações via oral podem ser utilizadas.

.

• Implica em mecanismos patogênicos: – hereditários.PSORÍASE • Dermatose de causas multifatoriais. – emocionais e. . – ambientais.

.PSORÍASE • Manifesta-se de muitas maneiras e graus. • Características clínicas: –Pode apresentar o corpo todo com lesões descamativas e avermelhadas ou apresentar placas com esta característica.

• Psoríase Pustulosa. • Psoríase Eritrodérmica. .PSORÍASE • Psoríase Ungueal . • Psoríase Familial.

• O alcoolismo e o fumo e. • O estresse. .PSORÍASE • Infecções: Fatores – estreptocócicas e virais. outros fatores emocionais. • A genética.

. • Quando há melhora? Identificando o componente emocional.PSORÍASE • Possível oscilação do curso da doença com o componente emocional.

. • apresenta lesões com: .ressecamento. • Episódios agudos (tempo e intensidade variáveis). .prurido intenso e.vermelhidão. . alternando com períodos sadios de duração também variável.DERMATITE ATÓPICA • Transtorno crônico e recorrente da pele.

ou necessitando de medicamentos (maioria das vezes). • Episódios desaparecerem sem medicamentos.CARACTERÍSTICAS • A característica principal e distintiva é o prurido (intenso -> difícil controle). .

• As pessoas acometidas são. portadoras de pele muito delicada ou sensível. aos fungos ou ao estafilococo. em resumo.• Manifesta-se por uma reatividade muito alta da pele a estímulos físicos e irritantes diretos. . e uma maior suscetibilidade a certo tipo de infecções cutâneas.

tais como Asma Brônquica e Rinite Alérgica. dependendo da causa e da severidade e extensão das zonas afetados em cada caso. que respondem mal aos tratamentos convencionais. .• Tendência genética. Nos casos mais severos. • Participação de reações alérgicas como a causa da grande maioria dos casos. são poucas as probabilidades de que se cure totalmente com qualquer tipo de tratamento. • As recaídas podem durar poucos dias ou manter-se por tempo prolongado. frequentemente ligada a outras doenças de forte componente imunológico.

• Quanto aos fatores alérgicos. e certos metais. . antibióticos. os alimentos são os mais relacionados com a sensibilização cutânea. Além dos sensibilizantes cutâneos diretos: cremes. o roce com roupas ásperas. • Outros fatores que influem neste transtorno são: o excesso de suor. lubrificantes. alguns sabões. de frio. de sol. combustíveis.ESTRESSE E DERMATITE • Pode aguçar ou produzir um novo brote de Dermatite Atópica. materiais plásticos e alguns metais. sabões. o contato direto com substâncias irritantes como os solventes. detergentes.

Pose ser perfeitamente considerado uma psicose crônica. .IV como Transtorno Delirante. mais bem descrita no DSM.DELÍRIOS PARASITÁRIOS É um quadro psiquiátrico no qual o paciente tem a convicção delirante de estar infectado por parasitas. do tipo Somático ou mais pobremente descrito como Transtorno Delirante Persistente na CID.10.

Termos: dermatofobia. Do ponto de vista psicopatológico rigoroso. parasitofobia.. nem as condutas de evitação secundária. estes termos não são adequados. já que não existe a fobia como tal. 1938 – Ekbom descreve o quadro psicopatológico como Delírio Dermatozóico. acarofobia. ..HISTÓRIA Em diante.

CLASSIFICAÇÃO DELÍRIO PARASITÁRIO Ectoparasitário Endoparasitário A invasão se circunscreve à pele Abarca a orifícios ou órgãos internos. . geralmente o tubo digestivo.

• Na literatura dermatológica estes casos se designam como Parasitofobias ou Delírio Parasitário. .CARACTERÍSTICAS • Os pacientes têm a crença convicta de estar infectadas por parasitas.

• Um grande número de casos não chega ao psiquiatra -> recusa do paciente à sugestão para procurar um tratamento especializado.mais casos entre os 50 e 55 anos. .incidência > em mulheres. . • Distribuição pelo gênero: .INCIDÊNCIA • Suspeita-se que existem muito mais pacientes não detectados.

. 1983). • Possível em qualquer personalidade.• Não se relaciona com fatores socioeconômicos (Lyell. mas é mais comum naquelas com traços obsessivos e paranóicos. • Muitas vezes trata-se de um delírio com caráter de paranóia -> pode gerar problemas no tratamento e manejo do paciente.

Depois desenvolveria alucinações visuais e tácteis. .ETIOLOGIA • Academicamente. podemos considerar: Causa Primária Os casos Aparecem isolados Sintoma Ideia delirante primária.

afetivos ideia de parasitose é secundária . Transtornos visuais. cenestésicas.Causa Outros transtornos psíquicos Os casos Sintoma Aparecem Alucinações com táteis e esquizofrenia.

hipotiroidismo. Sintoma Sem afetação cognitiva importante e dentro do que poderia considerar-se psicoses orgânicas. . cocaína. B12 ou ác.Causa Processos orgânicos de afetação geral Os casos Com lúpus eritematoso sistêmico. fólico. álcool. avitaminoses vit. linfomas.

tumores em áreas do sistema límbico .Causa Com traumatismo anterior Os casos Sintoma Acometem o Comprometi SNC. por mento das processos funções vasculares e cognitivas demências ou superiores.

de causa desconhecida. Patologia de despigmentação. .VITILIGO Definição: descoloração da pele em certas áreas.

devido ser muito comum a associação entre acontecimentos importantes na vida do paciente e o aparecimento ou o agravamento da doença. • Estudos revelam possibilidades de relação a problemas endócrinos. • Há hipóteses de ter relação com problemas emocionais. assim como sua oscilação em função do estresse. imunológicos ou do tipo auto-imune.CAUSAS • Origem desconhecida. .

ou também pode estar associado a ausência de melanina (substância secretada pelos melanócitos). Pode ocorrer tanto evolução quanto regressão das lesões. inclusive ambas. As manchas se formam devido à diminuição ou ausência das células responsáveis pela pigmentação da pele (melanócitos) nos locais afetados.CLÍNICA O vitiligo possui curso crônico. . com tendência ao aumento progressivo das lesões.

isoladas ou disseminadas.As manchas típicas do vitiligo são branco leitosas na pele. mas também se apresentam únicas. Quando atinge áreas pilosas os pelos também perdem a coloração e ficam brancos. . órgãos genitais e face. Normalmente são bilaterais. mãos. especialmente nos pés.

• Tratamento Dermatológico: varia de paciente a paciente. as alterações estéticas muitas vezes causam distúrbios psicológicos que podem prejudicar o convívio social e o agravamento da própria doença. . o resultado esperado vai de acordo com cada caso.TRATAMENTO Tratamento Emocional: apesar do vitiligo não causar nenhum prejuízo à saúde física. ou seja.

Por se tratar de um grande distúrbio estético. pois apresenta melhores respostas aos tratamentos. . o grande diferencial no tratamento é o paciente bem amado ou bem tocado no ponto de vista emocional. Qualquer que seja o tratamento idealizado para o vitiligo.CURA A cura do vitiligo vem sendo uma busca incansável no mundo todo. este será sempre demorado e exigirá paciência.

Estes pontos aumentam progressivamente juntando-se uns com outros para fechar a lesão.CURA O sucesso dos tratamentos se dá pela repigmentação das lesões a partir dos folículos pilosos. . formando-se pontilhados de cor normal dentro das manchas.

.

Amor. Carinho e Atenção são os melhores medicamentos do mais eficaz tratamento!!! .

lesão cutânea (pode ser pelo detergente. • Queixas por anos até chegar na psquiatria. • Paciente relata aos mais íntimos. CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS . • Prurido. • Localização do parasita: superficial ou subcutâneo.• Muitas idas aos médicos (dermatologistas). • Difícil localizar e combater o parasita. inseticidas).

com ferimentos abertos e manchas escuras.ENTREVISTA COM PACIENTE • Nome: Sidney dos Santos Bento • Idade: 40 anos • Internado há 6 dias na enfermaria de dermatologia do HUPE. . • Diagnóstico: Hanseníase Virchowniana • Manifestações dermatológicas: apresenta ulcerações na pele.

ir à praia. mas atribuía as dores nas articulações à baixa temperatura do local de trabalho e achava que os cravos que apareciam eram pelos inflamados. Trabalhava numa peixaria quando os sinais e os sintomas surgiram. tem baixa de imunidade e limitações musculares.• Quais as principais mudanças sentidas na sua vida após o aparecimento da doença? Antes podia trabalhar. as sequelas permanecem. beber e se divertir normalmente. demorou a tratar e descobrir a doença. após 5 anos de tratamento. Por isso. . possui alta dependência de corticóide. não pode ir à praia devido aos ferimentos abertos. Hoje em dia. que o deixam prostrado e desanimado quando tem recaídas.

pois para ele. brinca com os sinais o tempo todo não perde o bom humor e a vontade de viver. luta constantemente para ficar com a “cabeça boa”. . No ônibus. o corpo é só uma carcaça. por isso fica atento e corre atrás dos tratamentos quando percebe qualquer alteração. tem medo de ficar com a mão de “porta-copo”. quando as ulcerações estão expostas nos braços. as pessoas que sentam ao lado dele logo mudam de lugar. pois era muito vaidoso e todos os conhecidos apostavam que ele ia “pirar” com as sequelas. quem manda é a mente. faz de tudo para não cair em depressão e no desespero.• Como lida com a doença e suas limitações? Sofre muito preconceito.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->