P. 1
[2011] Administração Pública para ESAF - Aula 09

[2011] Administração Pública para ESAF - Aula 09

|Views: 955|Likes:
Publicado porThalles Vfm

More info:

Published by: Thalles Vfm on May 08, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/09/2013

pdf

text

original

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS

Aula 09
Olá, Pessoal! Esta é a nona e penúltima aula do curso. Falta bem pouco. Aula 09 – 08/06: Teorias das organizações aplicadas à Administração Pública. Caracterização cultura). Veremos conteúdos dos concursos do MPOG, mas que ajudam a entender melhor muito do restante conteúdo do curso. Por exemplo, a estrutura organizacional é importante na evolução dos modelos de gestão, na gestão de redes (estruturas em rede), etc. Boa aula! SUMÁRIO
1 TEORIAS DAS ORGANIZAÇÕES............................................................................................................................2 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 2 PERSPECTIVA CLÁSSICA .................................................................................................................................................. 3 PERSPECTIVA HUMANÍSTICA ......................................................................................................................................... 12 TEORIA ESTRUTURALISTA ............................................................................................................................................. 16 PERSPECTIVA MODERNA DA ADMINISTRAÇÃO .................................................................................................................. 17 NOVOS MODELOS DE ORGANIZAÇÕES ............................................................................................................................ 22

das

organizações:

tipos

de

estruturas

organizacionais, aspectos comportamentais (motivação, clima e

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ........................................................................................................................ 26 2.1 2.2 2.3 2.4 TIPOS DE DEPARTAMENTALIZAÇÃO: ................................................................................................................................ 32 TIPOS DE ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ......................................................................................................................... 38 CLASSIFICAÇÃO DE MINTZBERG ..................................................................................................................................... 43 ESTRUTURAS INOVADORAS ........................................................................................................................................... 49

3

ASPECTOS COMPORTAMENTAIS ...................................................................................................................... 52 3.1 3.2 3.3 MOTIVAÇÃO .............................................................................................................................................................. 53 CULTURA ORGANIZACIONAL ......................................................................................................................................... 60 CLIMA ORGANIZACIONAL ............................................................................................................................................. 63

4

QUESTÕES ....................................................................................................................................................... 65 4.1 4.2 GABARITO ................................................................................................................................................................. 91 LISTA DAS QUESTÕES .................................................................................................................................................. 91

5 6

LEITURA SUGERIDA........................................................................................................................................ 104 BIBLIOGRAFIA................................................................................................................................................ 105

www.pontodosconcursos.com.br

1

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS

1 Teorias das Organizações
Ao longo de toda a história, podemos observar que o desenvolvimento da Administração ocorreu de forma muito lenta. Foi somente no Século XX que recebeu maior atenção dos pensadores e apresentou uma evolução acentuada. No Século XIX, a sociedade ainda era composta por poucas organizações, que eram na maioria das vezes pequenas, como oficinas, escolas, artesãos independentes, os armazéns, etc. Os profissionais autônomos, como médicos e advogados, trabalhavam de forma muito independente. Atualmente, a realidade é totalmente diferente. As sociedades são compostas por uma série de organizações, onde “a maior parte das obrigações sociais (como a produção de bens ou serviços em geral) é confiada a organizações (como indústrias, universidades e escolas, hospitais, comércio, comunicações, serviços públicos, etc.), que são administradas por dirigentes para se tornar mais eficientes e eficazes”. Apesar do desenvolvimento das organizações serem um fenômeno bastante recente, elas estavam presentes anteriormente e, inclusive, tiveram uma grande influência na formação das organizações atuais. É o caso da Organização da Igreja Católica e da Organização Militar. A Igreja Católica se estruturou como uma hierarquia de autoridade, um estado-maior (assessoria) e a coordenação funcional para assegurar a integração. É uma estrutura bastante simples, mas eficiente; proporciona uma enorme organização mundial sob o comando de uma só pessoa: o Papa. Já a Organização Militar, desde os temos da Roma Antiga, também influenciou fortemente as teorias da Administração. A estrutura linear, que estudaremos mais a frente nesta aula, surgiu dentro dela. Além da influência da Igreja e das Forças Armadas, as organizações também foram influenciadas por forças sociais, políticas e econômicas: Forças Sociais: referem-se aos aspectos de uma cultura que direcionam e influenciam os relacionamentos entre as pessoas. Compreende aquilo que as pessoas valorizam, que elas precisam, os padrões de comportamento. Essas forças modelam o que é conhecido como contrato social, que se refere às regras e percepções não escritas e comuns sobre os relacionamentos entre as pessoas; Forças Políticas: referem-se à influência das instituições legais e políticas sobre as pessoas e as organizações. Incluem as suposições básicas

www.pontodosconcursos.com.br

2

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS subjacentes ao sistema político, como a necessidade de autonomia, direitos de propriedade, direitos contratuais, a definição de justiça, etc; Forças Econômicas: pertencem à disponibilidade, produção e distribuição dos recursos em uma sociedade. Os governos, agências militares, igrejas, escolas e organizações comerciais em toda sociedade exigem recursos para alcançar suas metas, e as forças econômicas influenciam a alocação dos recursos escassos. As práticas administrativas e perspectivas variam em resposta a estas forças sociais, políticas e econômicas na sociedade como um todo. Abaixo, temos uma figura que mostra a evolução das teorias administrativas ao longo dos anos.

Tecnologia Qual. Total Aprendizagem

Contingenciais Sistemas

Pesquisa Operacional

Humanista Clássica

1890

1900

1910

1920

1930

1940

1950

1960

1970

1980

1990

2000

2010

Fonte: Daft (2005)

Vamos estudar as diversas perspectivas pelas quais a administração tem evoluído.

1.1 Perspectiva Clássica
A abordagem clássica da administração emergiu durante o Século XIX e início do Século XX, motivada pelo sistema de fábrica, que começou a aparecer nos anos de 1800 e que apresentava novos desafios que as primeiras organizações não haviam encontrado. www.pontodosconcursos.com.br 3

fundada em 1880. no treinamento dos funcionários. do todo – a organização – para suas partes – os departamentos. Já Daft afirma que a abordagem clássica tem três subcampos.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Começaram a surgir problemas na escolha dos equipamentos das fábricas. da direção para a execução. de cima para baixo. Enquanto a Administração Científica seria uma abordagem de baixo para cima. Do outro estaria a Teoria Clássica. que teve como base os trabalhos de Fayol. Enquanto a Administração Científica focava as tarefas. estudando a dificuldade das organizações em alcançarem melhorias na produtividade. Para Chiavenato.com. na programação das operações de manufatura e na insatisfação trabalhista e greves daí decorrentes. A preocupação era aumentar a eficiência da empresa por meio da forma e disposição dos órgãos componentes da organização e de suas inter-relações estruturais. para os movimentos necessários a execução de uma tarefa. www. alegou que o problema estava mais nas práticas administrativas do que na mão-de-obra. 1. corrente dos anatomistas e fisiologistas. Ele insistia que a gerência em si teria que mudar e que o modo da mudança deveria ser determinado apenas pelo estudo científico – daí porque o nome administração científica. organizações burocráticas e princípios administrativos. A perspectiva clássica foi a primeira a elaborar uma teoria formal para as modernas organizações industriais. a Teoria Clássica seria o inverso. predominando a atenção para o método do trabalho. Suas principais características: se preocuparia com a eficiência no nível operacional. da qual Frederick Winslow Taylor era sócio e chegou a presidente. por isso dava muita atenção para a divisão do trabalho dos operários.pontodosconcursos.1.1 Administração Científica O berço da administração científica foi a Sociedade Americana dos Engenheiros Mecânicos. mas que se complementam com relativa coerência: De uma lado estaria a Administração Científica. sendo que cada um apresenta uma ênfase diferente: administração científica. a Teoria Clássica olhava para a estrutura. Taylor. Nasceu uma nova figura nas organizações: o gerente. do operário para o gerente. na estruturação administrativa.br 4 . opostas entre si. ela se desdobra em duas orientações diferentes e. até certo ponto. que teve como base os trabalhos de Taylor. Vamos estudar agora segundo a divisão proposta por Daft.

Os métodos de trabalho empíricos vinham passando de uma geração para outra de trabalhadores.pontodosconcursos.br 5 . O primeiro período corresponde à época de publicação de seu livro “Administração de Oficinas”. o que de modo algum pode ser confundido com os próprios princípios. faziam com que um grande número de outros trabalhadores perdesse o emprego. Taylor culpou a administração. decompondo seus movimentos e processos de trabalho. em 1903. e não os operários. a qual denominou de Administração Científica. que. Taylor chegou à conclusão de que a racionalização do trabalho do operário não é suficiente. Taylor estimou que a produção de cada operário era somente um terço do que poderia ser e afirmava que a causa disso era a “vadiagem sistemática”. Nesse período que foram desenvolvidos os estudos sobre a Administração Geral. uma vez que era função dos gerentes projetar as atividades de maneira adequada e oferecer incentivos adequados para estimular a produção dos operários. uma certa filosofia. que pode ser aplicada de muitos modos. para proteger seus interesses. de 1911.com. trabalhando mais depressa. era consequência de: Os operários acreditavam que. ela deve estar acompanhada de uma estruturação geral da empresa para tornar coerente a aplicação de seus princípios. Podemos dizer que os estudos de Taylor se dividem em duas fases.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Esta escola enfatiza as mudanças cientificamente determinadas nas práticas administrativas como a solução para melhorar a produtividade da mão-de-obra. em que analisava as tarefas de cada empregado. Contudo. Já o segundo período corresponde à época de publicação do livro Princípios de Administração Científica. por meio do Estudo de Tempos e Movimentos. Já Maximiano afirma que a Administração Científica desenvolveu-se em três momentos: www. segundo Taylor. que abordava técnicas de racionalização do trabalho do operário. Os sistemas administrativos “defeituosos da época forçavam os operários a trabalhar mais lentamente. aperfeiçoando-os e racionalizando-os gradativamente. e uma descrição do que qualquer homem ou homens podem acreditar ser o melhor mecanismo para aplicação destes princípios gerais. Segundo Taylor: Administração científica consiste fundamentalmente de certos princípios gerais amplos.

que consistia em dividir cada tarefa em seus elementos básicos e com a colaboração dos trabalhadores cronometrá-las e registra-las. o homem de primeira classe é altamente motivado e realiza seu trabalho sem www. A principal razão para o estudo dos tempos foi à busca da precisão para definir o valor dos salários. Na segunda fase do movimento da administração científica. tornando está um sistema mais abrangente de administração. Posteriormente percebeu-se que o estudo de tempos (e em seguida.com. Em seguida eram definidos tempos-padrão para os elementos básicos.pontodosconcursos. ou seja. completasse uma tarefa. Nesta segunda fase Taylor desenvolve uma teoria que compreendia o aumento do escopo da administração. tempos e movimentos) era um processo que tinha o valor intrínseco de permitir o aprimoramento do trabalho operacional. a ênfase deslocou-se da produtividade do trabalhador. qual a velocidade máxima em que o trabalho poderia ser feito.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS PRIMEIRA FASE SEGUNDA FASE TERCEIRA FASE Ataque ao problema dos salários Estudo sistemático do tempo Definição de tempos-padrão Sistema de administração de tarefas Ampliação de escopo. Neste estudo (Administração de operações fabris) Taylor fez o que tornaria a característica distinção entre o homem médio e o homem de primeira classe. De acordo com Taylor o caminho para resolver o problema dos salários era descobrir de maneira científica e exata. para o aprimoramento dos métodos de trabalho. Sua resposta para esse problema foi o que ele chamou de “estudo sistemático e científico do tempo”. Segundo ele. criando-se assim a base do estudo de tempos e movimentos. por meio da racionalização dos movimentos.br 6 . da tarefa para a administração Definição de princípios de administração do trabalho Consolidação dos princípios Proposição de divisão de autoridade e responsabilidades dentro da empresa Distinção entre técnicas e princípios O sistema de pagamento da época (pagamento por dia de trabalho e pagamento por peça produzida) tinham o efeito de fazer o trabalhador acreditar que seu esforço beneficiava apenas o patrão. Esse procedimento era a base para o sistema de administração de tarefas que compreendia ainda a seleção de trabalhadores e o pagamento de incentivos. O sistema de administração de tarefas permitia que a administração controlasse todos os aspectos da produção e dispusesse do trabalho padronizado que era essencial para a eficiência. quanto tempo levaria para que um homem dando o melhor de si.

em que os empregados transmitiam o conhecimento de uma geração a outra sem nenhuma base científica. 4) Princípio da Execução: divisão do trabalho dos operários em função da sua especialização para a implementação da cooperação no processo de produção. Desenvolvimento de cada homem para a sua máxima eficiência e prosperidade. assim como também sua concepção dos princípios da administração de uma empresa. Cooperação. Na terceira obra (Princípios da administração científica) Taylor sintetiza os objetivos e princípios da administração científica. não-individualismo. padronização de ferramentas e equipamentos. Idealmente tal pessoa deveria ser selecionada para a tarefa que lhe fosse mais apropriada e incentivada financeiramente. 3) Princípio do Controle: cooperação entre as gerências e os operários. mesmo um homem de primeira classe pode-se tornar altamente ineficiente se lhe faltassem incentivos ou se houvesse pressão do grupo de trabalho para diminuir a produção.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS desperdiçar tempo nem restringir sua produção. www. Harmonia em vez de discórdia.br 7 . Preparar também as máquinas e equipamentos através do arranjo físico e disposição racional das ferramentas e materiais. Nesta fase Taylor ainda tratou de outros aspectos entre outros.com. Como resultado de seus estudos. Taylor identificou as seguintes características da administração: Ciência em lugar do empirismo. sequenciamento e programação de operações e estudo de movimentos.pontodosconcursos. Taylor definiu quatro princípios da administração científica: 1) Princípio do Planejamento: desenvolvimento de um método científico para o trabalho dos operários. para evitar a escolha do trabalho sem critério e o autotreinamento. 2) Princípio do Preparo: estabelecimento de uma método científico de seleção e treinamento do funcionário. Máxima produção e não-restrição de produção. Segundo ele. o que substituiria empirismo. de modo a garantir que o trabalho fosse feito de acordo com os princípios científicos desenvolvidos.

com.br 8 . uma dos mais importantes era o Princípio da Exceção. enquanto a administração científica enfatizava a tarefa. não considerando os seus aspectos psico-sociais. As ideias da administração científica aumentaram significativamente a produtividade em todas as indústrias. II. e de algum modo o relacionamento interpessoal. Segundo Chiavenato. Esgotamento físico: resultado frequente da ânsia do operário em realizar mais do que o previsto. a teoria administrativa focava a estrutura. Especializar demasiadamente a produção do operário.Atomizar o trabalho em demasia. para aumentar o seu pagamento. Administrativa. este sistema tende a: I. enquanto outros denominam de Teoria Científica. principalmente com Henry Fayol. enquanto ela estava mais interessada no aspecto humano do trabalho. deixando as tarefas padronizadas e de rotina para o pessoal operacional. Ainda podemos citar o casal Frank B. 1. III. www.pontodosconcursos. e Lilian M.2 Teoria Administrativa Esta vertente é chamada por alguns autores de Teoria Clássica. Destruir a iniciativa própria. Gilbreth. as críticas ao sistema de Taylor podem ser agrupadas em dois grupos: Mecanização: que desestimula a iniciativa pessoal do operário. Segundo Silva (2002). sendo importantes até hoje. que mede o trabalho planejado e concluído ao longo de cada estágio de produção por tempo decorrido. a abordagem dos princípios administrativos foca na organização total. Ele foi pioneiro no estudo de tempos e movimentos. minimizando as aptidões dos operários. na França Enquanto ganhava nos força EUA a era desenvolvida a Administração Teoria Administrativa. uma associado de Taylor.1. segundo o qual a administração deveria se concentrar nas tarefas estratégicas e de grande importância. Enquanto a administração científica foca na produtividade do trabalhador individual. Taylor não foi o único autor da Administração Científica. ao ignorar o contexto social e as necessidades dos trabalhadores . ela levava a um aumento nos conflitos e choques entre operários e administradores. Tudo o que ocorrer na “área da normalidade” não deve ser objeto de preocupação da alta administração. desenvolveu o Gráfico de Gantt. Como consequência. tornando-o parte da máquina.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Além desses princípios. Henry Gantt. o fundador da Teoria Administrativa. Contudo.

comissões e funções de administração. Coordenação: obtenção da unificação e harmonia de todas as atividades e esforços. Os elementos da Teoria Administrativa incluem: Princípios. resultando na 8.com. Fayol estabeleceu que todas as atividades de uma organização poderiam ser divididas em seis grupos: Funções Administrativas Funções Técnicas Funções Comerciais Funções Financeiras Funções de Segurança Funções Contábeis Para Fayol. aos 75 anos. Organização: mobilização dos recursos humanos e materiais para transformar o plano em ação. que. especialização das CENTRALIZAÇÃO funções e separação dos poderes www.pontodosconcursos. Equilíbrio entre a concentração de poderes de decisão no chefe.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Parece que os elementos da Teoria Administrativa foram projetados para organizar coisas. conceitos de linha e staff. as funções administrativas seriam as mais importantes. sua capacidade de enfrentar suas responsabilidades e a iniciativa dos subordinados. segundo Fayol.br 9 . São elas: Previsão: tentativa de se avaliar o futuro por meio de um plano e fazer provisões para realizar este plano (esta função deu origem a função de planejamento). Em 1916. Comando: estabelecimento de orientações para os empregados e obtenção das coisas feitas. 1. DIVISÃO DO TRABALHO Designação de tarefas específicas para cada indivíduo. principalmente com o objetivo de se obter vantagens com a especialização e de se evitar o caos. poderiam ser aplicados em qualquer ambiente organizacional. Fayol publicou os 14 Princípios Gerais da Administração. Controle: verificação de que as coisas aconteçam em conformidade com as regras estabelecidas e expressas pelo comando.

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Hierarquia. EQUIDADE 5. A primeira é o direito de mandar e o poder de se fazer obedecer. CADEIA 2. a sanção ESXCALAR (LINHA RESPONSÁBILIDADE recompensa ou DE UTORIDADE) penalidade que acompanha o exercício do poder. 14. Em suas palavras: Não há nenhum mérito em criar intriga entre os funcionários. Manutenção das equipes como forma de promover seu desenvolvimento. ESPÍRITO DE EQUIPE Fonte: Maximiano (2008) Entre os seguidores de Fayol. INTERESSE GERAL 13. podemos citar Luther Gullick.com. e com base tanto em fatores externos quanto internos. Lyndall F. dando-se aos subordinados de chefes diferentes a autonomia para estabelecer relações diretas (a ponte de Fayol). Tratamento das pessoas com benevolência e justiça. Subordinação do interesse individual ao interesse geral. AUTORIDADE E segunda. Luther Gullik ampliou os elementos da administração elencados por Fayol e criou o POSDCORB. Desenvolvimento e manutenção da harmonia dentro da força de trabalho. www. UNIDADE DE DIREÇÃO 12. Organizing – organização.pontodosconcursos. que é formado pelas palavras: Planning – planejamento. Urwick. Mooney e Alan Reiley. REMUNERAÇÃO DO PESSOAL De forma equitativa. DISCIPLINA 10. ESTBILIDADE DO PESSOAL 6. A 9. Um só chefe e um só programa para um conjunto de operações que visam ao mesmo objetivo.br 10 . Faz aumentar o zelo e a atividade dos agentes. De forma que cada indivíduo tenha apenas um superior. a série dos chefes do primeiro ao último escalão. James D. UNIDADE DE COMANDO 11. INICIATIVA 7. Fayol condenou o estilo de administração que se baseia na política para governar. Respeito aos acordos estabelecidos entre a empresa e seus agentes. ORDEM 4. Um lugar para cada pessoa e cada pessoa em seu lugar. 3. não excluindo a energia e o rigor quando necessários.

br 11 . Budgeting – orçamento. como se acreditava que os princípios gerais poderiam ser aplicados em qualquer situação. complexidade do trabalho e preparo dos subordinados.pontodosconcursos. Já Urwick propõe quatro princípios de Administração: 1. em que o abstracionismo e o formalismo são criticados por tornarem a análise superficial. 4. principalmente pela Teoria Contingencial.1. Princípio da Especialização: cada pessoa deve preencher uma só função. Reporting – informação. o que determina uma divisão especializada do trabalho.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Staffing – assessoria. conhecida e reconhecida por todos. O que importa é apenas a estrutura formal. Além disso. Princípio da Amplitude Administrativa: cada superior deve ter certo número de subordinados. autoridade e responsabilidade de cada cargo e suas relações com os outros cargos devem ser definidos por escrito e comunicados a todos. Esta escola se originou na Europa. Princípio da Autoridade: deve haver uma linha de autoridade claramente definida. se considerar o seu conteúdo psicológico e social. a Teoria Clássica recebeu o nome também de Escola Universalista.3 Teoria da Burocracia Além da Administração Científica e da Teoria Administrativa. 1. vai depender das variáveis ambientais. no início do Século XX e Max Weber foi seu maior expoente.com. Directing – direção. que vem defender que não existem princípios que sejam aplicados em qualquer situação. Coordinating – coordenação. www. Esta posição seria muito criticada. Entre as críticas à Teoria Clássica podemos citar o fato dela conceber a organização em termos lógicos. O número ótimo de subordinados varia segundo o nível e a natureza dos cargos. 2. 3. Havia uma excessiva valorização do racionalismo. Princípio da Definição: os deveres. desde o topo da organização até cada indivíduo de base. ainda pertence a abordagem clássica a Teoria da Burocracia.

No início dos anos 1800.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS A escola da burocracia abriu uma nova visão na perspectiva administrativa. As concepções da burocracia tiveram influência principalmente no estudo da Administração Pública. de forma pessoal. Segundo Daft. pelos movimentos que e de “enfoque no (psicologia) 1. estava sendo deslocada www. introduzindo o estudo do seu aspecto institucional. ao invés de metas organizacionais. que enfatizava o entendimento do comportamento. do direito e da sociologia. A ênfase.com. a perspectiva dos recursos humanos e a abordagem das ciências comportamentais. as empresas ainda eram administradas pelas famílias. Partia-se do pressuposto de que as teorias clássicas enfatizavam exageradamente o9s princípios e métodos formais da administração. com raízes nos anos de 1920.br 12 . o trabalho baseado em papeis e documentos movimentados em sequência contínua entre as várias unidades componentes da estrutura organizacional.2. que passou da tarefa (Taylor) para a estrutura (Fayol) e para a autoridade (Weber). Segundo Daft (2005).2 Perspectiva Humanística Esta perspectiva da administração teve seu início na década de 1930. isto é. mas com um indivíduo. esta é: Uma perspectiva administrativa que emergiu por volta do Século XIX. partindo da ciência política. Podemos observar diversos tipos de atividades administrativas se utilizando da burocracia.pontodosconcursos. Weber estudou o movimento de racionalização que começou a ocorrer nas organizações no Século XIX e ganhou força no início do século XX. mas não é só nas repartições públicas que o fenômeno burocrático se manifesta. a perspectiva humanística teria três subcampos: o movimento das relações humanas. sem levar em consideração a importância do indivíduo. Os recursos eram utilizados para satisfazer desejos pessoais. Os estudiosos que caracterizam esta fase intitulam de “enfoque no elemento humano” comportamento coletivo” (sociologia). A lealdade dos funcionários não era com a organização.1 Escola das Relações Humanas Esta escola foi construída com base na Teoria Clássica. já que este era considerado apenas mais um elemento necessário para o alcance da eficiência. das necessidades e das atitudes dos seres humanos no local de trabalho. 1.

Dificuldades em participar e em se relacionar com o grupo provocam elevação da rotatividade de pessoal (turnover).pontodosconcursos. autoritariamente. abaixamento da moral.br . fadiga psicológica. etc. De uma perspectiva histórica. Os níveis de produção são controlados 13 www. desejos e temores. dotados de sentimentos. O comportamento no trabalho é uma consequência de muitos fatores motivacionais. conhecidos como Estudos de Hawthorne.com. análises posteriores demonstraram que um fator muito importante foi o dinheiro. Foi somente como uma série de experimentos sobre a produtividade. principalmente em função do destaque dado à administração científica. redução do nível de desempenho. As normas sociais do grupo funcionam como mecanismos reguladores do comportamento dos membros. as análises concluíram que o aumento na produtividade ocorria também em função das “relações humanas”. Segundo Chiavenato (2001). que as pessoas começaram a prestar mais atenção ao enfoque humanístico.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS agora para as pessoas. a Escola das Relações Humanas “inaugura uma nova concepção sobre a natureza do homem: o homem social. os funcionários tinham um desempenho melhor quando os gerentes os tratavam de forma positiva. padrões elevados de desempenho e alto compromisso com os objetivos da organização. não é tão importante se os estudos foram academicamente seguros. que se baseia nos seguintes aspectos: Os trabalhadores são criaturas sociais complexas. do próprio trabalhador. já que ficou caracterizado que os participantes dos experimentos tiveram uma aumento na renda. Contudo. mas sim o fato de ter se dado maior atenção para o aspecto humano. As pessoas são motivadas por necessidades humanas e alcançam suas satisfações por meio dos grupos sociais com os quais interagem. Os trabalhos iniciais sobre a psicologia industrial e a seleção de pessoal não recebeu atenção no início. A preocupação deixa de estar sobre os aspectos técnicos e racionais para se voltar para os aspectos psicológicos e sociológicos. A Escola das Relações Humanas acredita que o controle realmente eficaz não é o que vem de cima. O comportamento dos grupos sociais é influenciado pelo estilo de supervisão e liderança. O supervisor eficaz é aquele que possui habilidades para influenciar seus subordinados. que começaram em 1924. mas sim aquele que vem de dentro. obtendo lealdade. Num primeiro momento.

Com o tempo. Este controle social adota tanto sanções positivas (estímulos. etc. se possível. “toda decisão administrativa tem consequências sobre o comportamento dos indivíduos. Veremos nesta aula a Teoria da Hierarquia das Necessidades de Maslow. aceitação social. 1. as suposições da perspectiva clássica. permitindo que os trabalhadores usem seu potencial total. uma teoria tradicional. O trabalho deve ser projetado para que as tarefas não sejam vistas como desumanas ou humilhantes e para permitir que os trabalhadores use o máximo de seu potencial. trabalhadores satisfeitos renderão mais trabalho.). A administração bemsucedida depende – não só. A perspectiva das relações humanas manteve um interesse na participação do trabalhador e considerou a liderança.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS informalmente pelas normas do grupo.br 14 . mas bastante – da capacidade para predizer e controlar o comportamento humano”. Segundo McGregor. controlada. www. Por causa da característica humana de desgosto pelo trabalho. assim como as ideias iniciais sobre as relações humanas. etc. segundo a qual: O ser humano médio tem um desgaste inerente pelo trabalho e o evitará. A perspectiva dos recursos humanos combina as teorias da motivação com as prescrições para o projeto de tarefas de trabalho. as teorias começaram a ficar mais profundas.) como negativas (gozações.2 Escola dos Recursos Humanos O movimento das relações humanas inicialmente adotou uma visão chamada de “laticínio da administração”: vacas felizes dão mais leite. Segundo o autor. Já McGregor formulou sua Teoria X e sua Teoria Y.2. dirigida ou ameaçada com punição para que se esforcem para o alcance dos objetivos organizacionais. esta nova visão é: Um uma perspectiva administrativa que sugere serem os empregos projetados para satisfazer as necessidades do mais alto nível. Dois dos maiores teóricos da perspectiva dos recursos humanos foram Abraham Maslow e Douglas McGregor. portanto. Segundo Richard Daft (2005). a maioria das pessoas precisa ser coagida. se enquadravam na Teoria X. mecanicista e pragmática. sanções simbólicas. mas deslocou a ênfase para considerar as tarefas diárias que as pessoas desempenham.pontodosconcursos.com. esfriamento por parte do grupo.

O ser humano médio aprende. 1. McGregor propôs a Teoria Y como uma nova visão mais realista dos trabalhadores para direcionar o pensamento administrativo. não apenas a aceitar. engenhosidade e criatividade na solução de problemas organizacionais é largamente. A capacidade de exercitar um grau relativamente alto de imaginação. Uma pessoa exercerá autodireção e autocontrole a serviço dos objetivos com os quais ela está comprometida. participação e administração consultiva. são defendidas medidas como: descentralização e delegação. psicologia. O controle externo e a ameaça de punição não são os únicos meios de realizar os esforços para atingir os objetivos organizacionais. mas a buscar responsabilidade. encorajando a inovação e a aceitação de responsabilidades. a partir da economia. O desgosto pelo trabalho não é uma coisa inerente do ser humano médio. acima de tudo. ampliação do cargo e maior significação do trabalho. Segundo Daft (2005): É um subcampo da perspectiva administrativa humanista que aplica a ciência social em um contexto organizacional. deseja evitar a responsabilidade.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS O ser humano médio prefere ser controlado. segurança. diminuindo o controle excessivo e transferindo responsabilidades. permitindo maior participação nas decisões. Segundo esta teoria: O desgaste de esforço físico e mental é tão natural quanto brinca ou descansar. distribuída na população. sociologia e outras disciplinas.pontodosconcursos. as potencialidades intelectuais do ser humano médio são apenas parcialmente usadas. www.com. Ela se utiliza de outras disciplinas para entender o comportamento e a interação em um ambiente organizacional.br 15 . sob condições adequadas.3 Abordagem das Ciências Comportamentais Esta escola desenvolveu teorias sobre o comportamento humano com base em métodos científicos e estudos. não estreitamente.2. em que os funcionários estabelecem seus “alvos” e “objetivos” e controlam seu desempenho. Com base nestas suposições. auto-avaliação de desempenho. Sob condições da vida industrial moderna. tem relativamente pouca ambição e quer.

formulou uma síntese do que considerava válido. sem considerar uma escola de recursos humanos. A preocupação era com as razões pelas quais as pessoas respondem nas organizações mais do que confiam nos conceitos de direito de propriedade. pode ser colocado aqui.br 16 .com. inspirando-se na abordagem de Max Weber.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Podemos identificar duas linhas dentro do comportamentalismo: ênfase no aspecto sociológico e ênfase no aspecto psicológico. tanto interno como externos. levando em conta todos os fatos que influem. onde interagem grupos sociais que compartilham alguns dos objetivos da organização (como a viabilidade econômica da organização). Alguns autores colocam aqui as teorias de Maslow e McGregor. julgando-as insatisfatórias. www. que busca analisar as razões pelas quais as pessoas se comportam de certo modo. Podemos defini-lo como uma doutrina psico-sócio-filosófica. o estudo da motivação. e submetendo-os a uma análise comparativa e global. que fez um estudo das escolas anteriores e. Frente à oposição entre a Teoria Tradicional e das Relações Humanas. o estruturalismo representa uma nova visão. e as pesquisas de Hawthorne representaram a passagem da Escola Clássica para a Escola das Relações Humanas. Assim. tornou-se necessária uma posição mais ampla e compreensiva que abrangesse os aspectos que eram considerados por uma e omitidos pela outra e vice-versa. e até certo ponto nos trabalhos de Karl Marx. mas que pode incompatibilizar com outros (como a maneira de distribuir lucros da organização). O estruturalismo veio enfatizar o estudo das organizações num sentido mais amplo e integral. A Teoria Estruturalista pretende ser uma síntese da Teoria Clássica (formal) e da Teoria das Relações Humanas (informal). comportamento comportamento.pontodosconcursos. Etzioni desenvolveu uma tipologia de organização e examinou como o envolvimento individual com uma organização e o tipo de poder nela predominante interagem para explicar o consentimento ao poder. dos que visa explicar e o os fenômeno das sociais que por meio do tal indivíduos estudo causas influenciam 1. Partiu-se da necessidade de visualizar a organização com uma unidade social: uma unidade grande e complexa. com o surgimento de uma Escola chamada Sistêmica. ao que denominou de estruturalismo.3 Teoria Estruturalista Enquanto a administração científica representou o ponto de transição dos precursores da administração para a Escola Clássica. O nome mais proeminente do estruturalismo é Amitai Etzioni.

sem esperar por recompensas. Não é possível utilizar qualquer tipo de força.4 Perspectiva Moderna da Administração A administração é bastante complexa e dinâmica. contribuições. e muitas vezes não necessidade nem de remuneração. universidades e organizações de voluntários. geração de frustração. De forma geral. que não detêm o poder. benefícios. comissões. dependem muito do comprometimento de seus participantes operacionais do que de recompensas. Campos de concentração e prisões são os principais exemplos de organizações desse tipo. como satisfação intrínseca no cargo. Temos como exemplos as organizações religiosas. imposição de dor. a remuneração é o principal meio de controle. controle da satisfação das necessidades fisiológicas. tais como alocação de liderança. ninguém permaneceria na organização. Nessas organizações.pontodosconcursos. Outros fatores. de prestígio. a abordagem contingencial e a gestão da qualidade total. Além da remuneração. de forma geral. organizações políticas de forte programa ideológico. No entanto. A mais predominante é a perspectiva humanista. hospitais gerais. as organizações utilitaristas recorrem a recompensas como promoções. etc. pois os participantes trabalham espontaneamente. no conjunto. de estima.com. Organizações Normativas: baseadas na manipulação de recompensas simbólicas.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS O autor agrupou os tipos de poder nas organizações em três tipos: Organizações Coercitivas: a coerção ou força física é o principal meio de controle sobre os participantes operacionais.br 17 . Três tendências recentes se originaram da perspectiva humanista: teoria dos sistemas. tais como ameaças. o envolvimento calculista caracteriza a orientação da grande maioria dos participantes operacionais e mesmo dos membros das elites. a remuneração pesa mais. que também tem passado por mudanças nos últimos anos. benefícios e incentivos para obter o comportamento desejado. 1. prestígio e estima podem determinar o desempenho. Se as restrições fossem suspensas e a coerção deixasse de ser usada. O poder é baseado em sanções físicas. tais como salários. Organizações Utilitárias: baseada no controle dos recursos econômicos. A tarefa principal nas organizações coercitivas é manter as pessoas do lado de dentro. impedindo-as de sair. A segunda tarefa é manter a disciplina ou padrão esperado de comportamento. Para empregados de fábrica. www. Os elementos dessas perspectivas que vimos até agora ainda estão presentes nas empresas.

ele provavelmente deixará de existir. coordenação e produção que não existiam antes. podemos chegar ao fracasso Outro conceito importante é o de entropia. entropia significa: “medida da variação ou desordem em um sistema”. Se um sistema deixa de receber novas entradas e energia de seu ambiente. A organização precisa ser administrada como um todo coordenado. algo novo surge no mundo.1 Teoria dos Sistemas Segundo Daft (2005): Um sistema é um conjunto de partes inter-relacionadas que funcionam como um todo para alcançar um propósito comum.4. como também a interação entre eles. As mudanças em uma parte da organização afetam as outras partes. Nenhuma parte da organização pode ser compreendida se não olharmos para a relação desta parte com as outras. Contudo. As organizações precisam monitorar o ambiente. todas as organizações são sistemas abertos. Quando uma organização é formada.pontodosconcursos. www. Segundo o Dicionário Houaiss. os últimos não. agora estão presentes. Sinergia significa que o todo é maior do que a soma de suas partes.com. As unidades organizacionais trabalhando juntas podem realizar mais do que essas unidades trabalhando sozinhas. Os sistemas funcionam a partir da aquisição de entradas no ambiente externo. devemos dar atenção não somente aos seus elementos. Alguns conceitos dessa teoria foram importantes para o pensamento administrativo. Quando analisamos a organização sob o ponto de vista da Teoria dos Sistemas. Após transformá-las de alguma maneira. desenvolver mudanças e continuamente trazer novas entradas. Um deles é a diferença entre os sistemas abertos e os fechados. Enquanto os primeiros precisam do ambiente para sobreviverem. A Teoria dos Sistemas é uma extensão da perspectiva humanística. Ao ignorar o ambiente. Trata-se de uma propriedade universal dos sistemas e que se refere à sua tendência para exaurir-se e morrer. Subsistemas são partes de um sistema que dependem de outras partes. Na perspectiva clássica. Os gerentes que entendem a interdependência dos subsistemas relutam em fazer as mudanças que não reconhecem o impacto dos subsistemas na organização como um todo.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 1.br 18 . elas são liberadas novamente para o ambiente externo. as organizações eram vistas como sistemas fechados. Administração.

O estilo persuasivo envolve proporcionar orientação. ou seja. mas demonstram um nível alto de confiança. já que os seguidores têm pouca habilidade. As contingências podem ser entendidas como variáveis. www. Na literatura administrativa. Os autores sugerem que não existe um melhor estilo de liderança.2 Teoria das Contingências A perspectiva clássica tinha como uma de suas características mais fortes o universalismo. No nível baixo de prontidão. Um estilo persuasivo funciona melhor para os seguidores com nível moderado de prontidão. defendem que não haveria um tipo de estrutura organizacional adequado para todas as situações. experiência. das variações importantes em cada caso. então certas variáveis na estrutura da organização e certos sistemas de gerenciamento são mais apropriados”. A abordagem contingencial é outra extensão da teoria humanística.pontodosconcursos. A estrutura mecanicista seria adequada para ambientes estáveis.4. a orgânica seria mais apropriada para ambientes instáveis. pelo administrador. tentando entender como as organizações operam em condições variáveis e em circunstâncias específicas. de Hersey e Blanchard. A estrutura linear seria a mais adequada em qualquer tipo de organização.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 1. A essência da teoria situacional é selecionar um estilo de líder que seja apropriado para o nível de prontidão dos subordinados – seus graus de educação e habilidades. como fazer e quando fazer. Veremos mais a frente nesta aula que Burns & Stalker. em qualquer momento. funcionariam em qualquer situação. autoconfiança e atitudes trabalhistas. em vez de simplesmente instruir que elas sejam realizadas. A Teoria das Contingências estabelece que situações diferentes exigem práticas diferentes. experiência. Os conceitos administrativos eram vistos como universais. Ela pode ser vista como uma matriz de relações se-então: “se certos fatores situacionais existem. Nela. mas também inclui buscar opiniões dos outros e esclarecer as tarefas. Esta abordagem procura definir padrões de relações ou configurações de variáveis. Outro exemplo Teoria da Contingência é a liderança situacional. o termo contingência implica que uma coisa está relacionada à outra. o estilo determinador é apropriado. a resolução bem-sucedida dos problemas organizacionais é vista como dependente da identificação. representantes da Teoria das Contingências. necessitando então de um líder que diga exatamente o que fazer. nem um estilo permanente. e sim o mais eficaz para uma dada situação. habilidade. interesse e disposição para aprender. Esses subordinados têm pouca educação e experiência para o trabalho. são inseguros ou indispostos para assumir responsabilidades.br 19 .com.

O controle deve ser feito de forma descentralizada e por equipes.com. um estilo compartilhador é eficaz.pontodosconcursos.br 20 . Quem determina o que tem qualidade é o cliente. não restavam muitas alternativas.3 Gestão da Qualidade Total (TQM) O movimento da qualidade foi muito forte no Japão. Juran e outros autores ela passou a ser considerada como a adequação ao uso. considerado o “pai do movimento da qualidade”. foi inicialmente ridicularizado nos EUA. experiência e prontidão para aceitar responsabilidade pelo seu próprio comportamento com a tarefa. O líder proporciona uma meta geral e autoridade suficiente para realizar as tarefas como os seguidores acharem adequado. o estilo delegador pode ser eficazmente utilizado. mas os japoneses abraçaram suas teorias e as modificaram para ajudar na reconstrução de suas indústrias em potências mundiais. Aqui podemos identificar as principais características da TQM: Quem define qualidade é o cliente. passando a constituir uma ameaça para as suas economias. 1. com Deming.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Quando os subordinados apresentam um nível alto de prontidão. www. Edwards Deming. A partir desse momento. Para as principais empresas norte-americanas e europeias. o mundo voltava sua atenção para o elevado grau de competitividade alcançado pelas principais indústrias japonesas. verificou-se o início de um grande movimento mundial relacionado à TQM. a experiência e talentos. Esses subordinados poderão ter a educação necessária. W. A qualidade deve ser buscada continuamente. A principal mudança teórica ocorreu no conceito de qualidade. A qualidade deve ser um compromisso de toda a organização. exceto a da identificação das razões para o sucesso competitivo japonês e sua “importação” para suas “bases”. cujos produtos chegavam com excelente qualidade e preços relativamente baixos nos principais mercados consumidores do mundo ocidental. mas podem se sentir inseguros nas suas habilidades e precisar de algumas diretrizes do líder. Quando os seguidores têm níveis muito altos de educação. Enquanto anteriormente a qualidade era considerada a conformidade como o projeto. No início da década de 1980.4. resultado da influência americana depois da Segunda Guerra Mundial. Deve-se buscar custos menores e eliminação de desperdício.

A qualidade deve ser buscada em todo o processo. mas define metas e objetivos claros e cobra resultados. 3. como era feito antes da TQM. Em muitos casos.com. 1. Druker defendia a descentralização da autoridade para as unidades de negócio das empresas. Participação atuante da chefia na estimulação de envolvimento dos subordinados. desde fornecedores até distribuidores. todavia. estas metas são. 6. Defendia-se que todos deveriam estar comprometidos com a qualidade. de fato. fazendo com que os gerentes e subordinados tenham mal entendidos sobre o que. Elaboração dos planos operacionais. AS ideias principais da APO são: 1. revisão e reciclagem dos planos. é necessário definir objetivos e metas precisos e estabelecer diretrizes claras que orientem os administradores no atingimento dos objetivos.4. as metas não são estabelecidas de modo claro. 5. com ênfase no controle. A APO se aproxima muito da gestão por resultados que a administração gerencial vem trazer para a administração pública. Estabelecimento conjunto de objetivos entre gerente e seus subordinados. 2. 4. Ele é conhecido por alguns como o pai da Qualidade Total. Contínua avaliação. Estabelecimento de objetivos para cada departamento ou setor.4 Administração por Objetivos (APO) A expressão Administração por Objetivos foi desenvolvida por Peter Druker em 1954. e não apenas um departamento centralizado de controla da qualidade que ficaria verificando se os produtos que saíam da linha de produção possuíam defeitos.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS O primeiro a propor o conceito de "Controle Total da Qualidade" foi Armand Feigenbaum. www.br 21 . em 1956.pontodosconcursos. Todas as organizações têm metas e objetivos a alcançar. Para isso. Parte da mesma ideia: dá maior autonomia na gestão. Duas tendências no pensamento administrativo são: a mudança para uma organização de aprendizagem e a administração do local de trabalho orientado pela tecnologia. Interligação dos objetivos organizacionais. conferindo maior autonomia de gestão às unidades descentralizadas.

ou então um empreendedor que a fundou e a dirige.pontodosconcursos. Controle das pessoas por meio de crenças e símbolos. como as de Mintzberg e as de Morgan. Controle exercido por especialistas independentes. Sua principal característica é a forte centralização na figura do executivo principal. Mais a frente na aula veremos as partes da organização segundo Mintzberg. Energia produzida por técnicos especializados e gerentes.com. Por isso que a cúpula estratégia é a parte mais importante. Tipo de Organização Empresarial Máquina Profissional Diversificada Inovadora Missionária Política Parte mais importante Cúpula Estratégica Tecnoestrutura Núcleo Operacional Linha Média Pessoal de pesquisa e desenvolvimento Ideologia Não há Características Centralização das decisões na figura de um executivo ou empreendedor.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 1. Veremos aqui as teorias que se utilizam de metáforas para explicar as organizações.5. Ênfase na busca de conhecimentos para lidar com ambiente dinâmico. Fonte: Maximiano (2008) Organização Empresarial: É o tipo mais simples de organização. como financeiro e marketing. Gerentes de gerentes administram unidades de negócios. 1. A organização empresarial configura geralmente os primeiros anos www. Praticamente não existem especialistas funcionais. Conflito e mudança.br 22 .5 Novos Modelos de Organizações A partir da segunda metade do Século XX até hoje. Dentre as formas de coordenação elencadas por Mintzberg. surgiram novos modelos para explicar as organizações. este tipo de organização se utiliza da supervisão direta. Cada uma delas é caracterizada pela parte da organização que é mais importante para suas operações. Na tabela abaixo temos os tipos de organizações e as partes mais importantes.1 Organizações segundo Mintzberg Henry Mintzberg enumerou sete tipos de organizações. Praticamente não há planejamento e treinamento formal.

pesquisa. que privilegiam a pesquisa e precisam inovar constantemente. A parte mais importante passa a ser o núcleo operacional. já que o poder é dividido entre a cúpula estratégica e a tecnoestrutura. empresas do ramo petroquímico. os médicos. Podemos chamá-la também de adhocracia. Estes técnicos estabelecem a padronização. e a parte mais importante é a equipe de pesquisa e desenvolvimento. escritórios de advogados. Organização Inovadora: são organizações jovens. ou seja. que. hospitais. ou que trabalham com o conhecimento. já que aqueles que não possuem o seu conhecimento não podem interferir em seu trabalho. São exemplos as agências espaciais.pontodosconcursos. Organização Diversificada: trata-se de grandes corporações empresariais. agências de publicidade. na medida em que vão crescendo. treinamento. São singularmente orgânicas e descentralizadas.br 23 . compras. como os professores. A estrutura da organização profissional tende a ser democrática. www. por outro lado. que se situam entre a cúpula estratégica e o núcleo operacional. A organização diversificada pode apresentar certa tendência ao “feudalismo”. Apesar de não depender de uma única pessoa como a organização empresarial. Os profissionais são independentes. existem problemas de coordenação e incertezas quanto à definição de responsabilidades. os advogados. finanças. produtoras de filmes de arte. que compreende as pessoas diretamente envolvidas no fornecimento de produtos e serviços. etc. ou seja. contadores e arquitetos. o que favorece a uniformidade dos procedimentos e a padronização das práticas administrativas.com. a finanças – possuem decide auto-suficiência. Organização Máquina: grandes empresas industriais. permitindo um maior controle por regulamentos. as unidades de negócio – como marketing.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS de vida de muitas empresas. sobre Apesar e desta autoo administração central investimentos controla desempenho por meio de indicadores. Quem possui o conhecimento são os especialistas. já que a sua principal característica é a presença de atividades de caráter repetitivo. também é altamente centralizada. com muitas unidades de negócios. São exemplos as universidades que possuem vários campi e os ministérios governamentais que dirigem empresas estatais. A parte mais importante da organização é a tecnoestrutura. e de quem a inovação depende. mas menos que a anterior. passam a adotar outros tipos. Aqui a linha média é a parte mais importante. já que trabalham em ambientes dinâmicos. compreende os gerentes de gerentes. Organização Profissional: baseia-se na gestão do conhecimento. como ocorre em escolas. suficiência. companhias aéreas e usinas siderúrgicas são exemplos deste tipo de organização. etc. os especialistas das áreas como planejamento.

Distribuição uniforme da inteligência e do conhecimento Interpretação de situações com base em valores similares.2 As organizações segundo Morgan Gareth Morgan afirma que nossas teorias e explicações da vida organizacional são baseadas em metáforas que nos levam a ver e compreender as organizações de formas específicas. todas as organizações apresentam certo grau de conflito. 1. e ele até que é positivo. Com base nisso. Fonte: Maximiano (2008). www.br 24 . embora incompletas. Mcdonalds. Contudo. A coordenação é exercida por meio de normas e reforçada por mecanismos de seleção e doutrinação de pessoas. Intercâmbio dinâmico com o ambiente. Alienação das pessoas. Imagem Máquina Organismo Vivo Cérebro Cultura Sistema Político Prisão Psíquica Sistema em fluxo e transformação Instrumento de dominação Característica Ênfase no sistema mecanicista. o autor associou os tipos de organizações a algumas metáforas. Conciliação de interesses conflitantes. Poder opressivo sobre as pessoas. nem mecanismos de coordenação geral. empresas japonesas.com. liderança do tipo carismático e respeito às tradições. Isso acontece frequentemente na administração pública e empresas privadas que passam por processos de fusão e incorporação. Semelhança com o modelo orgânico de Burns e Stalker. neste tipo de organização ele é generalizado.pontodosconcursos. Apresenta um sentido de missão. o que compromete o funcionamento da organização. Organização Política: não há uma parte mais importante. mas a ideologia.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Organização Missionária: a parte mais importante não é uma unidade ou grupo de pessoas. Para Mintzberg. A sua principal característica é o conflito. pois incentiva a mudança. no que ele chamou de “Imagens da Organização”. São exemplos organizações religiosas.5.

Para Morgan. a organização apresenta diversos interesses. Sistema Político: nesta metáfora. Assim. como ponto fraco. qualquer parte da organização pode reproduzir e fazer o papel do todo. Cultura: as pessoas que compartilham uma cultura interpretam situações e eventos da mesma maneira. a autoridade. pela flexibilidade. temos o conflito interno. Quando uma empresa de transportes vê seus passageiros como clientes. É o que acontece nas organizações religiosas e nas que têm missões filantrópicas. e não como carga. As pessoas ficam presas a papeis limitados e passam a pensar apenas na forma que acreditam que a organização deseja. Privilegia-se a aprendizagem. que foi o defendido por Taylor e Fayol. e vários tipos intermediários entre elas.pontodosconcursos.br 25 . Esta www. que são dois extremos. Disciplina. Assim. um pequeno pedaço de um holograma terá informações sobre toda a imagem do mesmo holograma completo. ou seja. se relacionando com o ambiente em que atuam. departamentais ou outros. a formalização. pela informalidade. sejam pessoais. Morgan compara este tipo de organização a um holograma. É responsabilidade dos gerentes derrubar barreiras mentais e interpretar de maneira diferente suas tarefas e a organização em que trabalham. estabilidade e tratamento uniforme das pessoas são características deste tipo de organização. Cérebro: a inteligência e o conhecimento estão distribuídos em todos os lugares.com. adota como princípios a hierarquia. Temos as organizações democráticas e autocráticas. o “aprender a aprender”. essa ilusão ocorre apenas na cabeça das pessoas e pode ser rompida. as organizações estão em constante processo de mudança. A ênfase está na capacidade de adaptação ao ambiente. Cyert e March enfatizaram as organizações como coalizões políticas com múltiplos interesses que precisam ser compatibilizados.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Máquina: se utiliza da estrutura mecanicista. a mudança de perspectiva tem impacto positivo sobre a estratégia de competitividade. Organismo Vivo: corresponde a estrutura orgânica. Entre seus pontos fortes temos a flexibilidade dos sistemas abertos e a ênfase no desenvolvimento de competências. é caracterizada pela descentralização. grupais. como acontece em universidades e instituições de pesquisa. Seu ponto forte é o funcionamento regular. Os hologramas possuem uma característica única: cada parte deles possui a informação do todo. Sistema em fluxo e transformação: nesta imagem. o fraco é a desumanização do trabalho. Prisão Psíquica: esta imagem mostra as organizações com muito mais poder sobre as pessoas do que elas realmente têm. ou seja.

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS imagem permite exagerar a necessidade de adaptação para a sobrevivência, em que a influência é recíproca, entre a organização e o ambiente. Instrumento de dominação: nesta imagem, as organizações têm poder e o utilizam para se beneficiar, muitas vezes causando danos aos empregados, ao ambiente e à sociedade. Como exemplos, a muralha da China, ou as pirâmides do Egito, demonstram que ocorre o sacrifício de muitos para a glória de poucos.

2 Estrutura organizacional
Segundo Michael Jucius, a estrutura organizacional é: Arcabouço invisível que, formal ou informalmente, estabelece o status e o desempenho de cada pessoa em relação a todas as demais pessoas do grupo. Ela especifica que indivíduos e que trabalho estão subordinados a que superiores. Ou sob o ponto de vista do superior, a estrutura organizacional especifica quem tem jurisdição sobre quem e para quê. Ela também define as relações interpessoais que existiriam entre os indivíduos e o trabalho nos vários níveis jurisdicionais e nas várias divisões Vamos tentar entender este conceito. Arcabouço é definido pelo Dicionário Houaiss como “esqueleto, armação dos ossos do corpo humano ou de qualquer animal; estrutura (de madeira, ferro etc.) de uma construção; armação de uma máquina; carcaça”. Assim, podemos entender que arcabouço é o que dá sustentação, é a estrutura que dá suporte a um corpo humano ou a uma casa. Também podemos dizer que a estrutura organizacional é um arcabouço, mas aqui será algo abstrato. Diferentemente dos ossos, não conseguimos ver nem pegar a estrutura de uma organização, trata-se de algo abstrato, por isso Jucius fala em arcabouço invisível. O autor se refere a “formal ou informalmente” porque toda organização possui uma estrutura formal e uma informal. A formal é aquela deliberadamente planejada e colocada no papel. É o organograma da empresa, com seus cargos de chefia e direção, funções definidas. Já a informal consiste numa rede de relações sociais e pessoais que não é estabelecida formalmente, ou seja, a estrutura surge da interação entre as pessoas. Veremos estes dois tipos de estrutura mais detalhadamente adiante. A definição fala ainda em “estabelece status e o desempenho de cada pessoa em relação a todas as demais pessoas do grupo”. Veremos que a estrutura organizacional estabelece a hierarquia e o agrupamento das atividades, ou seja, quem manda em quem e quem é responsável por fazer o quê. www.pontodosconcursos.com.br 26

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Por fim, Juscius afirma que a estrutura organizacional “também define as relações interpessoais que existiriam entre os indivíduos e o trabalho nos vários níveis jurisdicionais e nas várias divisões”. Podemos entender aqui que é a estrutura organizacional que também estabelece como deve ser feita a coordenação entre os diversos setores da organização, como é seu relacionamento. Assim, a estrutura não só divide tarefas, como também as coordena. Vamos ver outras definições acerca da estrutura organizacional: MINTZBERG: A soma total das maneiras pelas quais o trabalho é dividido em tarefas distintas e como é feita coordenação entre essas tarefas. HALL: distribuição das pessoas entre posições sociais que influenciam os relacionamentos de papeis desempenhados pelas mesmas. Esta distribuição possui duas implicações: a divisão de trabalho (distribuição das tarefas entre as pessoas) e a hierarquia (distribuição das pessoas em posições). VASCONCELOS: o resultado de um processo no qual a autoridade é distribuída, as atividades são especificadas (desde os níveis mais baixos até a alta administração) e um sistema de comunicação é delineado, permitindo que as pessoas realizem as atividades e exerçam a autoridade que lhes compete para o alcance dos objetivos da organização. Podemos notar nas definições que elas falam em divisão e coordenação. A estrutura organizacional tem estas duas funções: ela divide o trabalho na organização, distribuindo as responsabilidades; ela coordena as pessoas, estabelecendo a hierarquia e o sistema de comunicação. Veremos isso melhor mais a frente. O CESPE ainda fala em outra definição possível de estrutura organizacional: 1. (CESPE/CPC/2007) A estrutura organizacional pode ser definida como o conjunto ordenado de responsabilidades, autoridades, comunicações e decisões das unidades organizacionais de uma empresa.

Esta questão é CERTA, pois traz os chamamos quatro componentes-chave da estrutura organizacional: Sistema de Autoridade www.pontodosconcursos.com.br 27

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Sistema de Responsabilidade Sistema de Comunicação Sistema de Decisão O Sistema de Autoridade constitui a distribuição do poder dentro da organização. A autoridade é conceituada como o direito de dar ordens conferido ao ocupante de cargo administrativo. O Sistema de Comunicação estabelece a forma como será feita a integração entre as diversas unidades da organização. É a rede por meio da qual fluem as informações, que permitem o funcionamento da estrutura de forma integrada e eficaz. O Sistema de Decisão é o esquema que delineia a natureza das decisões, os responsáveis por elas e a metodologia para tomá-las. É definido também como o resultado da ação sobre as informações. O Sistema de Responsabilidade faz a distribuição das atividades na organização. Define que unidades vão ser responsáveis por que tarefas.

Estrutura Formal X Informal A estrutura formal é a colocada no papel, é a estabelecida no estatuto da empresa. Ela é a representada pelo organograma da empresa, que é a representação gráfica da estrutura organizacional. A estrutura informal é a rede de relações sociais e pessoais que não é formalmente estabelecida pela empresa, as quais surgem e se desenvolvem espontaneamente, e, portanto, apresenta situações que não aparecem no organograma. O organograma é um gráfico que representa a organização, mas ele só irá refletir a estrutura formal, já que a informal não foi colocada no papel, no estatuto, nas normas da empresa. Normalmente, os executivos gostariam de ter um controle maior sobre a estrutura informal, pois isso tornaria seu trabalho mais simples e envolveria menos preocupação; isto porque, do ponto de vista deles, a estrutura informal é um empecilho que, normalmente, oferece resistência às ordens formais, ou as altera, ou ainda as cumpre por um procedimento diferente do desejado. Independentemente de quão útil ou prejudicial ela é, o executivo logo percebe que a primeira característica da estrutura informal é não poder ser extinta, ou seja, enquanto houver pessoas nas empresas, existirão equipes informais. Segundo Djalma de Oliveira, as principais vantagens da estrutura informal são: www.pontodosconcursos.com.br 28

que é o processo que os gerentes usam para transferir autoridade e responsabilidade para as posições abaixo deles na hierarquia. É o dever de realizar a tarefa ou atividade que um funcionário recebeu. Reduz a carga de comunicação dos chefes. Assim. Complementa a estrutura formal. ditar ordens. Reduz distorções existentes na estrutura formal. Tipicamente. Ocasiona maior dificuldade de controle.br 29 . Eles correspondem às duas faces de qualquer processo de organizar. Os mecanismos envolvidos na definição das características estruturais da organização. Já a responsabilidade é o reverso da moeda da autoridade. uma espécie de autoridade adquirida que é desenvolvida por meio das relações informais entre as pessoas da empresa. de forma geral. No entanto. Outro conceito relacionado à autoridade é a delegação. os gerentes recebem autoridade em proporção a responsabilidade. a autoridade também pode ser informal. Motiva e integra as pessoas da empresa.pontodosconcursos. Já suas principais desvantagens são: Provoca o desconhecimento da realidade empresarial pelas chefias. Quando dizemos que a estrutura organizacional estabelece o sistema de autoridade. quem tem poder de decisão. Vamos ver agora dois daqueles componentes-chave da estrutura organizacional de forma mais aprofundada: o sistema de autoridade e de responsabilidades: Sistema de Autoridade Autoridade é o direito formal e legítimo de tomar decisões.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Proporciona maior rapidez no processo decisório. se por um lado temos uma coordenação entre os níveis www. estamos dizendo que a estrutura determina quem tem o poder de mandar em quem. requerer obediência e alocar recursos. podem ser agrupados em mecanismos de divisão e de coordenação. Veremos no sistema de responsabilidades que um mecanismo de divisão é a departamentalização. A hierarquia é definida como um mecanismo de coordenação que define as relações de supervisão existentes em uma organização ou que define a quem cada indivíduo deve se reportar. Possibilita atritos entre as pessoas.com.

aumentando a amplitude de controle. ou seja. já o princípio escalar se refere a uma linha claramente definida de autoridade na organização que inclui todos os funcionários. menor será o controle. Outro conceito importante no sistema de autoridade é a amplitude de controle. A linha ininterrupta de autoridade que coordena todas as pessoas em uma organização e mostra quem se reporta a quem é a cadeia de comando. já nas organizações pós-burocráticas. somente os níveis hierárquicos mais altos tomam decisões. Ela está associada a dois conceitos básicos: a unidade de comando enfatiza que cada subordinado deve prestar contas a um superior e somente a um superior.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS hierárquicos por meio da hierarquia. por outro temos também uma divisão horizontal do trabalho. do poder de decisão. achatadas. dentro do mesmo nível hierárquico.pontodosconcursos. ou seja. Quanto maior a amplitude de controle. maior será o número de pessoas para supervisionar e menor será o número de supervisores. Vejamos como são estes dois tipos de estruturas: Outra diferença entre as organizações burocráticas e as pós-burocráticas é a localização da autoridade. que significa o número de empregados que devem se reportar a um administrador. a amplitude de controle nas organizações burocráticas é baixa.com. Refere-se ao nível hierárquico no qual se devem concentrar as decisões a serem tomadas. Por isso. na cadeia de comando: a centralizaçãodescentralização.br 30 . Determina quanto um administrador deve monitorar estreitamente seus subordinados. é que nas organizações burocráticas a estrutura será vertical. menos gente um chefe tem sob sua supervisão. ou seja. enquanto nas organizações pós-burocráticas teremos estruturas horizontais. O modelo racional-legal de Max Weber tinha como característica o alto controle dentro da organização. ou seja. em que o poder decisório se encontra nos níveis organizacionais mais baixos. a autoridade de decisão é pressionada para baixo. Uma vantagem é que o custo é menor. já que teremos muitos níveis hierárquicos. temos estruturas descentralizadas. www. Já a administração gerencial muda o foco do controle do processo para o resultado. As organizações tradicionais são altamente centralizadas. O resultado.

Define que unidades vão ser responsáveis por que tarefas. cada operário passou a ser especializado na execução de uma única tarefa ou de tarefas simples e elementares. conselhos. A especialização do www. O sistema de responsabilidades é composto por departamentalização. A especialização do trabalho é o grau em que as tarefas organizacionais são divididas em trabalhos separados. pois apenas aconselham as unidades de linha no desempenho de suas atividades. Aqui. Os órgãos de assessoria são também chamados de staff. Assim. O Sistema de Responsabilidades faz a distribuição das atividades na organização. atividades de linha e assessoria e especialização do trabalho. enquanto as unidades organizacionais de assessoria como ligadas às atividades-meio ou de apoio da empresa. o que possibilitou uma grande redução de custos na época. Este conceito surgiu com a administração científica de Taylor.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Sistema de Responsabilidades Já vimos que a responsabilidade é o dever de realizar a tarefa ou atividade que um funcionário recebeu. Por exemplo. o departamento de finanças de uma empresa de manufatura teria autoridade de assessoria para coordenar com os departamentos de linha sobre quais formulários contábeis usar para facilitar as compras de materiais e padronizar os serviços da folha de pagamentos. Pode-se classificar as atividades em dois grupos principais: atividades de linha e atividades de assessoria. autoridade de staff ou autoridade de assessoria. recomendações.br 31 .com. é mais estreita e inclui o direito de advertir. podemos classificar a autoridade em dois tipos: de linha e de assessoria. em que se entendia que o operário deveria se especializar com o objetivo de aumentar a produtividade. Eles fornecem aos órgãos de linha serviços.pontodosconcursos. recomendar e aconselhar na área de conhecimento dos especialistas no quadro de funcionários. considera-se que as unidades organizacionais de linha têm ação de comando. assessoria e consultoria. Na primeira forma. enquanto as unidades de assessoria não têm ação de comando. Já a autoridade funcional. A outra forma de apresentar a diferenciação entre linha e assessoria é considerar as unidades organizacionais de linha como ligadas às atividades-fim da empresa. A primeira significa que as pessoas nas posições administrativas têm autoridade formal para dirigir e controlar os subordinados imediatos. A especialização foi adotada por Ford. Já a departamentalização é uma divisão horizontal do trabalho. Existem duas formas de diferenciar estas atividades nas empresas. Vimos que a hierarquia é uma coordenação vertical da organização. Neste ponto de vista. podemos dizer que os órgãos de staff possuem autoridade funcional.

Por exemplo.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS trabalho é prontamente visível em uma linha de montagem automotiva. www.com. é o critério que usamos para definir as responsabilidades. temos a departamentalização.br 32 . Apesar das vantagens aparentes da especialização.1 Tipos de departamentalização: a) Departamentalização Funcional: Segundo Chiavenato. A departamentalização é a forma como dividimos as tarefas em departamentos. setor financeiro. muitas organizações estão se afastando deste princípio. Daí o princípio da homogeneidade: as funções devem ser designadas a unidades organizacionais na base da homogeneidade de conteúdo. Cada departamento exerce uma função típica dos elementos que o compõe. setor de compras. os funcionários são isolados e fazem um único serviço entediante.pontodosconcursos. Este é o critério mais utilizado para organizar atividades empresariais. a organização passa a agrupar diferentes atividades em unidades maiores para garantir uma adequada coordenação e integração. Vejamos um exemplo. onde cada funcionário desempenha a mesma tarefa repetidamente. Com muita especialização. As funções são homogêneas na medida em que seu conteúdo apresenta certas semelhanças entre si. Por fim. Departamentalização pode ser definida também como o processo através do qual as unidades são agrupadas em unidades maiores e assim sucessivamente até o topo da organização. As unidades são formadas por especialistas de um mesmo assunto. ou função. Na medida em que ocorre a especialização do trabalho. consiste no agrupamento das atividades e tarefas de acordo com as funções principais desenvolvidas dentro da empresa. com o objetivo de alcançar operações mais eficientes e econômicas. Muitas empresas estão aumentando os serviços para proporcionar maiores desafios ou atribuindo equipes às tarefas para que os funcionários possam circular entre os vários serviços desempenhados pela equipe. que é a base para agrupar as posições em departamentos e os departamentos em uma organização completa. 2. setor de vendas.

máquinas e produção em massa. Contudo. ela não é adequada para ambientes instáveis. É pouco flexível. Este tipo de estrutura é adequado para ambientes estáveis. isto porque se baseia no princípio da especialização ocupacional. As vantagens da departamentalização funcional são: Permite agrupar os especialistas sob uma chefia comum.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Diretoria Geral Gerência de Produção Gerência de Marketing Gerência Financeira Gerência de RH Este tipo de departamentalização também pode ser feito considerando as funções de administração. pois este tipo de departamentalização não cria condições para uma perfeita interligação das várias atividades da empresa.). concentrando sua competência de maneira eficaz e simplifica o treinamento de pessoal. pois possui pouca flexibilidade. Orienta as pessoas para uma específica atividade.br 33 . a empresa irá ter unidades responsáveis pelo planejamento. de poucas mudanças e que requeiram desempenho continuado de tarefas rotineiras. havendo diversos tipos de funções dentro da mesma unidade. b) Departamentalização por Produtos ou Serviços Envolve diferenciação e agrupamento das atividades de acordo com o resultado da organização. Faz com que as pessoas focalizem seus esforços sobre suas próprias especialidades em detrimento do objetivo global da empresa. do marketing. As desvantagens da departamentalização funcional são: Reduz a cooperação interdepartamental. pois exige forte concentração intradepartamental e cria barreiras entre os departamentos devido à ênfase nas especialidades (criam-se panelinhas.com. Permite economia de escala pela utilização integrada de pessoas. Nesse caso. pela execução e pelo controle e avaliação. Divide a empresa em unidades de produção. etc. da contabilidade.pontodosconcursos. Pior cumprimento de prazos e orçamentos. Todas www. por isso é inadequada quando as circunstâncias externas são mutáveis ou imprevisíveis. Garante o máximo de utilização das habilidades técnicas das pessoas. Cada unidade é responsável por um produto.

uma vez que a preocupação básica é o produto e as diversas atividades departamentais tornam-se secundárias. cujo agrupamento é feito conforme localização geográfica ou territorial. Desvantagens: Enquanto a departamentalização funcional concentra especialistas em um grupo sob uma só chefia.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS as atividades necessárias para produzir um produto ou serviço deverão ser agrupadas no mesmo departamento. conforme as condições mudem. provocando duplicação de recursos e de órgãos. resultou na departamentalização por área geográfica. A ênfase é na cobertura geográfica e a orientação para o mercado. Facilita a inovação. Enfatiza a coordenação em detrimento da especialização. pois as unidades de produção podem ser maiores ou menores. É contra-indicada para circunstâncias externas estáveis. Permite flexibilidade. por trazer elevado custo operacional nestas situações. a departamentalização por produtos os dispersa em subgrupos orientados para diferentes produtos. Vejamos um exemplo: Diretoria Geral Roupas Infantis Roupas Masculinas Roupas Femininas Roupas Profissionais Vantagens: Fixa a responsabilidade dos departamentos para um produto ou uma linha de produto. Indicada para circunstâncias externas instáveis e mutáveis.br 34 .com. que requer cooperação e comunicação de vários grupos contribuintes para o produto. O departamento é avaliado pelo sucesso do produto ou serviço.pontodosconcursos. Facilita a coordenação interdepartamental. c) Departamentalização Geográfica O surgimento de organizações cada vez maiores. pois induz a cooperação entre especialistas e à coordenação de seus esforços para um melhor desempenho. para empresas com poucos produtos ou linhas reduzidas de produtos. sem interferir na estrutura organizacional como um todo. com atuações em diversos pontos do globo. com evidente aumento dos custos operacionais. www.

e quase não requer especialização. melhor que em sucesso de um departamento especializado. A presunção implícita nesta estratégia é que. execução ou controle da organização como um todo.com. Possibilidade de ações mais rápidas em determinada região Maior facilidade de conhecer fatores de influência e os problemas locais por ocasião das decisões tomadas pela empresa. Permite fixar a responsabilidade de lucro e desempenho. d) Departamentalização por Clientes www. É mais indicada para a área de produção (operações) e de vendas. a eficiência poderá ser melhorada se todas as atividades relacionadas com um produto forem agrupadas em uma área geográfica específica.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Requer diferenciação e agrupamento das atividades de acordo com a localização onde o trabalho será desempenhado ou uma área de mercado a ser servida pela empresa. As outras áreas da empresa tornam-se secundárias. Possibilidade de duplicação de instalações e de pessoas. O desenho organizacional pode acompanhar variações regionais e locais sem grandes problemas.br 35 . onde os mercados estão dispersos. da mesma forma que a departamentalização por produto.pontodosconcursos. Encoraja os executivos a pensar em termos de sucesso do território. Vejamos um exemplo: Diretoria de Operações Região Sul Região Norte Região Nordeste Região Sudeste Vantagens: Quando as circunstâncias externas indicam que o sucesso da organização depende particularmente do seu ajustamento às condições e necessidades locais ou regionais. sendo pouco utilizada para área financeira. Desvantagens: Deixa em segundo plano a coordenação tanto dos aspectos de planejamento. a estratégia territorial torna-se imprescindível. em face do grau de autonomia colocado nas regiões ou filiais. Ocorre principalmente nas áreas de marketing e produção.

nível socioeconômico. A diferenciação e o agrupamento se fazem por meio de sequência do processo produtivo ou operacional. Permite à organização concentrar seus conhecimentos sobre as distintas necessidades e exigências dos canais mercadológicos. pro meio do arranjo e disposição racional do equipamento utilizado. – constituem a base deste tipo de departamentalização. Vamos ver um exemplo: Banco A Pessoa Jurídica Pessoa Física Alta Renda Pessoa Física Média Renda Governos Vantagens: Importante quando a satisfação do cliente é o aspecto mais crítico da organização e quando os grupos de clientes apresentam grandes diferenças. Cada departamento vai estar organizado de modo a atender determinado cliente.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS As atividades são agrupadas de acordo com o tipo de cliente. www.br 36 . O foco passa a ser o mercado.com.pontodosconcursos. Cada departamento será responsável por uma etapa do ciclo de produção. Predispõe os executivos e todos os participantes da organização para a tarefa de satisfazer às necessidades dos clientes. É um critério importante quando a organização lida com diferentes classes de clientes e usuários com diferentes características e necessidades. É frequentemente utilizada nas empresas industriais nos níveis mais baixos da estrutura organizacional das áreas produtivas ou de operações. sexo. por isso dizemos que o foco está na tecnologia utilizada. podem ser deixados de lado ou sacrificados em função da satisfação do cliente. As características dos clientes – como idade. Os demais objetivos da organização. ou ainda. Desvantagens: Pode tornar secundárias ou acessórias as demais atividades da organização devido à preocupação compulsiva com o cliente. Não é adequada para organizações com pouca diferenciação entre os clientes. como lucratividade e eficiência. e) Departamentalização por Processo A divisão das atividades segue a ordem do processo produtivo. etc. pois eleva os custos operacionais em virtude da duplicação de trabalhos.

É adequada para organizações que trabalhem por encomenda com produtos de grande magnitude.com. www.pontodosconcursos. Como o produto é de grande porte e exige planejamento individual e detalhado e um extenso período de tempo para a execução. Desvantagens: Quando a tecnologia utilizada sofre mudanças devido ao intenso desenvolvimento que altera o processo produtivo. como estaleiros. ou seja. já que todo projeto tem um fim.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Montadora de Automóveis Chassi Lataria Pintura Acabamento Vantagens: Procura extrair vantagens econômicas oferecidas pela própria natureza do equipamento ou da tecnologia. Concentra diferentes recursos em uma atividade complexa e que exige pontos definidos de início e término. uma vez que é alterada a cada novo projeto. etc. Diretoria de Projetos Projeto A Navio 1 Projeto B Iate Projeto C Veleiro Projeto D Navio 2 Vantagens: Permite uma maior flexibilidade. É o tipo de departamentalização orientado para resultados. Os departamentos são criados para desenvolver determinado projeto. uma vez que a estrutura é alterada a cada novo projeto. f) Departamentalização por Projetos As atividades são agrupadas de acordo com as saídas e resultados (outputs) relativos a um ou vários projetos da empresa.br 37 . são agrupamentos temporários. obras. com datas e prazos determinados. cada produto é tratado como um projeto especial e sob encomenda. a departamentalização por processo peca pela absoluta falta de flexibilidade e de adaptação. A estrutura terá que ser muito mais flexível.

Desvantagens: Há descontinuidade no trabalho das equipes. mas da sua organização em conjunto com as outras características da estrutura organizacional. cada gerente recebe e transmite tudo o que se passa na sua área de competência. Provoca ansiedade e angústia da equipe com o fim do projeto. pode haver desperdício de tempo.br 38 . pois as linhas de comunicação são rigidamente estabelecidas.2 Tipos de Estrutura Organizacional No estudo das organizações. Além destas.com.pontodosconcursos. funcional e linha-staff são os tipos tradicionais de organização. matricial. funcional. 2. como a hierarquia. a) Estrutura linear Constitui a forma estrutural mais simples e antiga. A questão é CERTA. Se não há um planejamento que já coloque os trabalhadores e equipamentos em outros projetos. não ficando restritos a uma pequena parte do todo. Além disso. já que com o fim do projeto acabam os trabalhos. veremos também a organização em rede.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Os técnicos ficam mais motivados porque passam a ter visão do conjunto. (CESPE/ANCINE/2006) Os tipos de estruturas organizacionais mais usuais são: clássica ou linear. Vejamos os tipos de organização nesta questão do CESPE. tendo sua origem na hierarquia militar. O nome linear significa que existem linhas diretas e únicas de autoridade e responsabilidade. e não só os departamentos. foram identificadas formas diferentes de se organizar a organização como um todo. que é verticalizada. É uma organização simples e de formato piramidal. aqui não estamos mais falando de departamentalização. 2. Sua base é a hierarquia do poder de autoridade. A autoridade linear é uma decorrência do princípio da unidade de comando: significa que cada superior tem autoridade única e absoluta sobre seus subordinados e que não a reparte com ninguém. entre superior e subordinado. Há uma grande centralização na estrutura. As estruturas linear. comissional ou colegiada. www. linha e assessoria. Portanto.

a autoridade linear que comanda toda a organização centraliza-se no topo. Na medida em que a empresa cresce. Exagera a função de chefia e de comando. Centralização das decisões: como cada linha de comunicação liga cada órgão ou cargo ao seu superior e sucessivamente até a cúpula da organização.pontodosconcursos. tornando-se autocrática. As suas características são: Autoridade linear ou única: unidade de comando. www.com. Cada administrador centraliza as comunicações. pois as funções básicas das organizações aparecem em primeiro lugar e passam a constituir o fundamento da organização.br 39 . Vantagens: Estrutura simples e de fácil compreensão. Linhas formais de comunicação: as comunicações entre os órgãos ou cargos da organização são feitas unicamente através das linhas existentes no organograma. cada subordinado só se reporta a um chefe. Aspecto piramidal: em decorrência da centralização da autoridade e da autoridade linear. As comunicações tornam-se demoradas. provoca congestionamentos nas linhas formais de comunicação.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS É uma forma de organização típica de pequenas empresas ou de estágios iniciais das organizações. É estável. à medida que se sobe na escala hierárquica. por isso dizemos que apresenta linhas de cadeia de comando. Autoridade linear baseada no comando único e direto. Clara delimitação das responsabilidades. diminui o número de cargos ou órgãos. Facilidade de implantação. pressupondo que os chefes são capazes de fazer tudo e saber tudo. Desvantagens: Estabilidade e constância das relações formais. É o tipo de organização indicado para pequenas empresas. A unidade de comando torna o chefe um generalista. sujeitas a intermediários e distorções. levando à rigidez e inflexibilidade.

É o tipo mais empregado atualmente. em que ele dividiu o processo de produção em dois níveis: estudos ou planos e execução ou contramestre. Desvantagens: Dilui e perde autoridade de comando. linear ou de comando. separou o planejamento da execução.br 40 . Separa as funções de planejamento e de controle das funções de execução. Desenvolve comunicações diretas e sem intermediações. Cada órgão ou cargo contribui com sua especialidade e as responsabilidades são delimitadas de acordo com as especializações. já que há subordinação múltipla. Ênfase na especialização. c) Estrutura Linha-staff (linha e assessoria): Representa a combinação da linear com a funcional. É uma autoridade do conhecimento. Subordinação múltipla. Segundo Chiavenato. que são delegadas aos órgãos ou cargos especializados. Permite melhor supervisão técnica. cada um relacionado a uma especialidade. Assim.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS b) Estrutura Funcional: É o tipo de estrutura organizacional que aplica o princípio funcional ou princípio da especialização por funções. sem necessidade de intermediação. Nada tem de hierárquica. Vantagens: Proporciona o máximo de especialização. Confusão quanto aos objetivos. A autoridade é funcional ou dividida. Este tipo de estrutura é fundamentado no trabalho de Taylor sobre supervisão funcional. Descentralização das decisões. Ou seja. Os órgãos de linha www. cada operário da linha de produção se reporta a diversos supervisores. que é relativa e baseada na especialização. Tendência à concorrência entre os especialistas.pontodosconcursos.com. em todos os níveis da organização. as suas características são: Há linhas diretas de comunicação. Na organização linha-staff existem órgãos de linha (execução) e de assessoria (apoio e de consultoria) mantendo relações entre si.

sem abrir mão da especialização. mantendo o princípio da autoridade única. Hierarquia versus especialização. As primeiras se dão entre superiores e subordinados. relatórios etc. As unidades e posições de linha se concentram no alcance dos objetivos principais da empresa e as demais unidades e posições da empresa que receberam aqueles encargos passaram a denominar assessoria (staff). Coexistência entre linhas formais de comunicação com linhas diretas. levantamentos. influenciando indiretamente o trabalho dos órgãos de linha por meio de sugestões.br 41 . representando as relações de hierarquia. com predomínio da primeira. mas cada órgão recebe também assessoria e serviços especializados de diversos órgãos de staff. d) Estrutura Comissional ou Colegiada: Comissão é um grupo de pessoas a quem se dá um assunto para estudar ou um projeto para ser desenvolvido. prestação de serviços como planejamento. recomendações. Cada órgão se reporta a um e apenas um órgão superior.com. Vantagens: Assegura assessoria especializada e inovadora. já os de staff prestam assessoria e serviços especializados. havendo predomínio dos aspectos lineares na organização. controle. Este tipo de estrutura é encontrado nas grandes organizações nos níveis de alta administração e no setor público quando da formulação de políticas e orientações como conselhos de assessoramento. consultoria. www.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS utilizam-se de autoridade linear e pelo princípio escalar.pontodosconcursos. Atividade conjunta e coordenada de órgãos de linha e de staff. Separações entre órgãos operacionais e órgãos de apoio. cabendo-lhes a prestação de serviços especializados e de consultoria técnica. Dificuldade na obtenção e manutenção do equilíbrio entre linha e staff. Desvantagens: Possibilidade de conflito entre órgãos de linha e de staff. As suas características são: Fusão da estrutura linear com a funcional. Mantém o princípio da hierarquia. Já as diretas ligam os órgãos com o staff.

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS A autoridade dada às comissões é tão variada que reina bastante confusão acerca de sua natureza. já que envolve consenso. Vantagens: Tomadas de decisões e julgamentos grupais. relativamente permanentes. Para Chiavenato. Enquanto cada órgão tem seu pessoal próprio. Custo em tempo e em dinheiro. evitando a delegação a uma só pessoa. a comissão pode ter autoridade de tomada de decisão sobre os subordinados na forma de administração múltipla. uma comissão administrativa.br 42 . suas características são: Não é um órgão da estrutura organizacional. Podem assumir tipos bastante diferentes: formais. informais. temporárias.com. Para alguns. Pode ter autoridade de aconselhamento. Consolidação de autoridade. juntando vários administradores juntos. é um tipo distinto de organização de assessoria. Exigem um coordenador excepcionalmente eficiente. Absorção de tempo útil de diversos participantes. como comissão de assessoria ou ainda pode ser utilizada como meio de coleta e estudo de informações.pontodosconcursos. e) Estrutura matricial: www. Outros conceituam comissão como um grupo designado de pessoas para desempenhar um ato administrativo. Restrições à delegação de autoridade. não possuindo características de linha. Transmissão de informações. a comissão é formada por participantes que pertencem a vários e diferentes órgãos. Divisão de responsabilidades. Dependendo da autoridade de que é revestida. Desvantagens: Possível perda de tempo na tomada de decisões. Coordenação. pode ser criada para analisar problemas que ultrapassam os limites ou a competência de um ou mais órgãos da empresa.

A departamentalização é a especialização horizontal decorrente da divisão do trabalho. temos a convivência da departamentalização funcional com a departamentalização por projetos ou por produtos. Na estrutura matricial. www. Normalmente. resposta à complexidade dos negócios. A organização matricial combina dois critérios de departamentalização nas mesmas pessoas simultaneamente. enfraquece a coordenação vertical. Também é muito utilizada em organizações que estão começando a implantar a gestão por projetos e ainda não têm condições de abandonar a lógica funcional de divisão do trabalho. 2.com. e adhocracia. a divisão funcional continua existindo. foco no lucro e nos recursos. É preciso que a mesma unidade possua os dois critérios. Segundo Eduardo Vasconcellos e Hemsley: Quando duas ou mais formas de estrutura são utilizadas simultaneamente sobre os mesmos membros de uma organização. burocracia profissional. composta de: estrutura simples. Vantagens da estrutura matricial: aglutinação de vantagens e neutralização de desvantagens das estruturas funcionais e por projeto/produto. combinação de esforços de especialização e coordenação. depende da colaboração dos participantes.3 Classificação de Mintzberg Henry Mintzberg propôs outra classificação das estruturas organizacionais. na estrutura matricial. o gerente funcional e o gerente do projeto). a estrutura resultante chama-se matricial.br 43 . Desvantagens da estrutura matricial: viola a unidade de comando. não basta que um nível organizacional seja agrupado de acordo com um critério e o nível seguinte ser agrupado por outro. Esta forma de estrutura favorece a cooperação interdepartamental e amplia a autonomia das equipes.pontodosconcursos. O grande problema desse tipo de estrutura é o duplo comando (o funcionário possui dois superiores. Portanto. burocracia mecanizada.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS A estrutura matricial é caracterizada pela coexistência de dois ou mais tipos de departamentalização. manutenção de grandes equipamentos e informática. mas são criadas equipes específicas para os projetos. De acordo com a estrutura matricial tem se tornado muito popular no ambiente de múltiplos projetos. resposta à turbulência ambiental. forma divisionalizada. fonte potencial de diversos conflitos. tais como desenvolvimento de produtos. formadas por pessoas dos diversos departamentos funcionais e com um gerente de projeto próprio.

O gerente de nível médio também deve formular as estratégias de sua unidade. como assessores e secretárias. ele propõe também cinco partes básicas da organização: Núcleo operacional – composto por um grupo de pessoas que executam o trabalho básico de fabricar produtos e prestar serviços. é composta pelo principal administrador executivo – o presidente. A estrutura de uma organização pode ser definida como a soma total das diversas formas que o trabalho pode ser dividido em tarefas e como é feita a coordenação entre essas tarefas. Como essas pessoas também têm a função da supervisão direta. o mecanismo de coordenação mais comum é o ajustamento mútuo. www. Desenvolvem o planejamento estratégico. dentre as cinco partes da organização.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Toda atividade humana organizada demanda uma divisão do trabalho em diversas tarefas e uma coordenação dessas tarefas de modo a obter resultados. a cúpula estratégica está em constante contato com o ambiente no qual a organização se insere. Mintzberg propõe cinco configurações organizacionais básicas que explicam muitas das tendências que levam as organizações a se estruturarem por si mesmas. bem como conhecem o que ocorre no ambiente – as oportunidades e ameaças. A cúpula estratégica é encarregada de garantir que a organização cumpra sua missão de forma eficaz. Desenvolve o chamado planejamento tático. Nas organizações mais simples. Além de cinco formas organizacionais.br 44 . Utiliza como forma de coordenação a supervisão direta. Linha intermediária – composta por gerentes com autoridade formal que ligam a cúpula estratégica ao núcleo operacional. Dentro da cúpula estratégica. Não são as únicas pessoas a formular estratégias. é a cúpula estratégica quem caracteristicamente representa o papel mais importante na formulação de estratégia. os operadores são basicamente auto-suficientes e se coordenam pelo ajustamento mútuo. transformar entradas em saídas.composta por pessoas com total responsabilidade pela organização. Para tanto. Cúpula estratégica . tornando-se mais detalhadas e menos abstratas e mais operacionais. Em geral. que é a setorização do planejamento estratégico. As atividades administrativas mudam de orientação à proporção que descem na cadeia de autoridade. devendo estas estar em linha com as diretrizes globais da organização. É o coração de todas as organizações por produzir os resultados essenciais e vitais. elas têm a visão mais global da situação da organização – suas forças e fraquezas. que demanda contatos pessoais entre chefe e executor. superintendente ou CEO – e por aqueles que lhe dão suporte direto. distribuir essas saídas e dar suporte para as entradas. satisfazendo as exigências daqueles que controlam ou que exercem poder sobre a organização. o que limita o número de subordinados por chefe.com. Inclui tarefas como: assegurar as entradas para produção. para as transformações e para as funções de saídas.pontodosconcursos. Porém.

br 45 . lhe fornecem serviços específicos. Supervisão direta – coordenação por intermédio de uma pessoa tendo a responsabilidade pelo trabalho dos outros.pontodosconcursos. Assessoria de apoio – composta pelas pessoas que prestam diversos serviços distintos das atividades-fim da organização. planejando e alterando as tarefas dos outros. São eles: Ajustamento mútuo – coordenação do trabalho pelo simples processo da comunicação informal. Padronização dos processos de trabalho – especificação e programação das execuções de trabalho. até a padronização de sistemas de planejamento estratégico e de informações financeiras e gerenciais que possam atender à cúpula estratégica. Muitas unidades de apoio são autosuficientes e se configuram como mini-organizações que recebem recursos da grande organização e. Como existem várias unidades de apoio.com. Podemos observar estas cinco partes nesse diagrama: Cúpula Estratégica Tecnoestrut Linha Assessoria Núcleo Operacional Mintzberg também caracteriza como cinco os mecanismos de coordenação das tarefas de uma organização. Os analistas de controle são incumbidos de efetuar algumas formas de padronização da organização que diminuem a necessidade da supervisão direta. os analistas da tecnoestrutura se comunicam informalmente e adotam a coordenação por ajustamento mútuo. passando pela padronização das habilidades gerenciais. www. lhes dando instruções e monitorando suas ações. Entre si. Os analistas de controle podem atuar em todos os níveis da hierarquia: desde a produção (com a padronização dos processos). a forma de coordenação depende das suas funções e do que é mais apropriado para cada unidade. de modo a torná-las mais eficazes. em troca.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Tecnoestrutura – composta pelos analistas que prestam serviços à organização delineando.

Por essas características. com um mínimo de treinamento exigido e estreitamente www. Sua coordenação é feita principalmente pela supervisão direta e o poder sobre todas as decisões importantes tende a ser centralizado nas mãos do principal executivo. é considerada uma estrutura orgânica. mínima diferenciação entre suas unidades e pequena hierarquia administrativa. os meios para coordenação do trabalho parecem mudar do ajuste mútuo para a supervisão direta. padronizáveis por meio de uma grande proliferação de normas. poucos assessores de apoio. a) Estrutura Simples A estrutura simples possui pequena ou nenhuma tecnoestrutura. É por isso que a cúpula estratégica se destaca como a parte central da estrutura. e depois para a padronização. rotineiras. finalmente revertendo para o ajustamento mútuo inicial. dos resultados. o poder é relativamente centralizado verticalmente (para a tomada de decisão) e existe uma descentralização horizontal limitada. reduzida divisão do trabalho. existe pouco planejamento e treinamento e os instrumentos de interligação são escassos. As tarefas executadas pelo núcleo operacional de uma burocracia mecanizada são repetitivas.com. regulamentos e comunicações que formalizam o comportamento. com nítida distinção entre linha e assessoria. b) Burocracia Mecanizada A burocracia mecanizada é a estrutura mais próxima da burocracia descrita por Weber. irrelevante linha intermediária e uma cúpula estratégica poderosa. uma vez que o poder de decisão é concentrado na figura de quem tem visão geral e de quem centraliza as informações. simples. de qualificações e de canais de comunicação. À medida que o grau de complexidade do processo de trabalho aumenta. como por exemplo.pontodosconcursos. o trabalho é comumente agrupado por função. O logotipo usado para caracterizar essa estrutura não apresenta nem tecnoestrutura nem assessoria de apoio. Pouco de seu comportamento é formalizado. Não é raro que todos se reportem a este executivo e que a coordenação entre as unidades seja feita por ele. contando com unidades operacionais com grande dimensão. tarefas operacionais rotinizadas e. Os principais parâmetros para delinear esse tipo de estrutura são: especialização do trabalho vertical e horizontal. assim como normas para o trabalho e uma clara hierarquia de autoridade. as dimensões do produto ou o desempenho. uma base ampla composta por um núcleo operacional orgânico. com padronização de responsabilidades. A tomada de decisão é rápida. Padronização das habilidades dos trabalhadores – especificação do tipo de treinamento necessário para execução do trabalho.br 46 .CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Padronização dos resultados – especificação das saídas. portanto.

tornando a formalização do comportamento um parâmetro chave para o planejamento. O controle sobre seu próprio trabalho significa que o profissional atua relativamente independente de seus colegas. A linha intermediária é estreitada porque existe pequena necessidade de supervisão direta dos operadores e o ajustamento mútuo entre eles favorece a existência de unidades operacionais muito www. quanto horizontalmente. pelo poder da perícia. a última enfatiza a autoridade de natureza profissional. aqui denominados profissionais. mas próximo aos clientes aos quais serve. Como é na tecnoestrutura que encontramos os analistas responsáveis pela padronização. Enquanto que a primeira se apoia na autoridade de natureza hierárquica (poder e status do cargo).CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS definidas e especializadas. A tecnoestrutura não é altamente elaborada porque há baixa necessidade de planejamento e formalização do trabalho dos profissionais. O grande poder existente no núcleo operacional faz com que essa seja a parte-chave da organização. uma vez que a coordenação é exercida mais pela padronização do que pela supervisão direta. Existe uma ênfase na coordenação pela padronização do processo de trabalho.br 47 . via tecnoestrutura. nas associações profissionais. essa parte da estrutura é considerada principal na configuração da burocracia mecanizada. Enquanto que a burocracia mecanizada gera seus próprios padrões. A única outra parte também completamente elaborada é a assessoria de apoio. tanto vertical. A padronização das habilidades permite que os profissionais consigam se coordenar por saber exatamente o que esperar de seus colegas de trabalho. A linha intermediária é altamente desenvolvida e diferenciada basicamente por unidades funcionais. A tecnoestrutura tende a ser grande devido à elevada padronização de processos. A padronização dos processos diminui a autonomia no núcleo operacional e reduz o poder dos gerentes de primeira linha. uma vez que a padronização inibe a comunicação entre as unidades altamente especializadas. uma vez que o trabalho é altamente especializado na dimensão horizontal. Os profissionais atuam no núcleo operacional da estrutura com grande autonomia. Uma das principais funções dos gerentes da linha intermediária é tratar dos problemas entre os trabalhadores que não podem ser tratados pelo ajustamento mútuo.pontodosconcursos. apesar de o seu foco ser o de bem servir o núcleo operacional.com. a burocracia profissional tem seus padrões originados fora de sua estrutura. c) Burocracia Profissional A burocracia profissional se apoia na padronização das habilidades dos peritos e especialistas.

e) Adhocracia É uma configuração capaz de agregar especialistas de diversas áreas em equipes de projeto ad-hoc. tais como nítida divisão do trabalho. com baixa formalização do comportamento. flexível e orgânica. Tais entidades são unidades na linha intermediária. por esse motivo. d) Forma Divisionalizada A forma divisionalizada consiste num conjunto de entidades praticamente autônomas. O relacionamento entre a divisão e o escritório central remete à relação entre a cúpula estratégica e a linha intermediária. com poucos gerentes na primeira linha de supervisão e. grande formalização dos comportamentos. a qual www. ainda que o poder esteja descentralizado com uma limitação vertical. O fluxo do poder é de cima para baixo. alta diferenciação de unidades. também acima deles. Trata-se de uma configuração fluida. permitindo-lhes atuar de forma praticamente autônoma. Portanto. Assim. Os conhecimentos e habilidades dos peritos devem servir como base para construir mais conhecimento.br 48 . grande especialização horizontal do trabalho (baseada em treinamento formal). denominadas divisões. que respondem ao escritório central.com.pontodosconcursos. que busca promover sofisticadas inovações. decorrente da interdisciplinaridade intrínseca à Adhocracia. Possui uma estrutura basicamente orgânica. sem que haja necessidade de coordenação entre si. isto é. Mesmo diante da grande autonomia de cada divisão.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS grandes. dinâmica. o primeiro mecanismo de coordenação na forma divisionalizada é a padronização de resultados e o parâmetro-chave para delinear é o sistema de controle de desempenho. acopladas a uma estrutura administrativa central. o escritório central consegue controlar cada uma delas por meio do sistema de controle de desempenho. Para tanto. As unidades são agrupadas pelo topo da linha intermediária com base no mercado. foge de padrões préestabelecidos e das armadilhas de uma estrutura burocrática. as decisões são tomadas pelas divisões. o que minimiza a interdependência entre as divisões. Essa estrutura permite que um escritório central tenha grande amplitude de controle sobre diversas divisões. ênfases nos sistemas de planejamento e controle. tendência para agrupar os peritos em unidades funcionais ou em pequenas equipes de projeto baseadas no mercado. mas os resultados dessas decisões são monitorados pelo escritório central. para determinado fim específico. Cada divisão possui suas próprias funções operacionais. uma vez que os poucos gerentes do escritório central delegam poder aos gerentes que administram as divisões. utilizando como instrumento de interligação o ajustamento mútuo intra e entre equipes.

Enquanto as formas tradicionais de organização são lentas. a Adhocracia tende a utilizar. Muitas vezes são focadas em processos de trabalho específicos. nesse tipo de organização. a redução de barreiras entre os departamentos.Equipes funcionais cruzadas: são equipes que abrangem pessoas de diferentes funções da organização. que agrupa os peritos em unidades funcionais para fins de administração interna (admissões. 2. preliminarmente. Já a organização por equipes é uma forma inovadora. pouco flexíveis e favorecem a estabilidade. Chiavenato nos ensina que. que estas três formas de organização são pósburocráticas e podem ser ditas inovadoras (ou inovativas). do mercado e da sociedade. é uma forma tradicional de administração. Destacamos.br 49 . que vimos anteriormente. Muitas vezes as equipes são autônomas e não requerem supervisores diretos. Por isso. comunicações. etc.com. a organização por equipes é uma construção recente. tal como a Escola Clássica. Chiavenato destaca. como vantagens da organização por equipe. ligada principalmente às teorias da contingência. elas estão também nas equipes multidisciplinares e buscam resolver os problemas de diferentes áreas. há dois tipos de equipes: . ligada aos paradigmas mais antigos. concomitantemente.4 Estruturas Inovadoras Vamos estudar agora a organização por equipes.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS reúne profissionais de diversas áreas de conhecimento ao redor de um determinado projeto ou inovação específica. burocratizadas. capaz de responder aos desafios e contingências do ambiente externo. as bases funcionais e por mercado em uma estrutura matricial. o aproveitamento das vantagens da estrutura funcional. a www. a adhocracia e a organização em redes. Esses profissionais devem manter laços com seu campo de origem ao mesmo tempo em que devem se desprender de suas raízes para poderem estar abertos às ideias de peritos de outras áreas. Este tipo de estrutura favorece a descentralização e o empoderamento (empowerment) das equipes. . que busca tornar a organização ágil.) e são efetivamente destacados para equipes de projeto coordenadas por ajustamento mútuo. mutável.pontodosconcursos. A organização linear. podendo adotar a figura do gerente integrador para coordenar os esforços entre as unidades funcionais e as equipes de projeto (forças-tarefa). Apesar de ainda estarem em uma função da organização.Equipes permanentes: são aquelas perenes no tempo e que funcionam tais como se fossem unidades organizacionais.

geralmente equipes multifuncionais. formas organizacionais flexíveis e livres. em seus diversos níveis e aplicações. As redes também são chamadas de estruturas reticulares ou policêntricas. é criada uma malha de múltiplos fios. Características: equipes e grupos cooperativos.pontodosconcursos. “para isto”. Com a necessidade de flexibilização das organizações. temos autonomia das equipes.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS rapidez para mudar e atender a demandas dos clientes e do ambiente externo. rapidez nas comunicações. pode significar “aqui e agora”. Policêntrica porque a rede não possui um centro único.. tem sido considerada.. traduzida do latim. A organização em rede é um tipo bastante inovador de estrutura organizacional. o aumento do gasto de recursos com reuniões e excesso de descentralização. em que todos os fios de conectam numa malha. como o fato de ela ter elevada horizontalidade.] Nas redes.. capaz www.com. tanto na prática quanto na teoria. que. ênfase na missão a cumprir.. Já sabemos alguma coisa a respeito da organização em rede. “especificamente”. a formação de redes. nova forma de administração caracterizada por estruturas voltadas para problemas mutáveis. [A organização em rede]. a maior participação trabalho). não há uma hierarquia estabelecida. comunidades de interesses. [. Reticulado se refere a qualquer coisa que tenha o formato de rede. Segundo Eni Aparecida: De modo geral. diferente da forma piramidal que caracteriza os modelos burocráticos de organização. se estrutura horizontalmente. que pode crescer para todos os lados.br 50 das pessoas na tomada de decisão e a diminuição de custos administrativos (em razão da não necessidade de gerentes para supervisionar o . tarefas efêmeras. surgiu a estrutura ad hoc. que é substantivamente diferente do que se convenciona chamar de estrutura. Mas o que quer dizer uma rede? “O fundamento de uma rede é sua arquitetura social. um mecanismo de flexibilização das relações entre as pessoas. Além disso. através de fios horizontais. Por outro lado. O termo Adhocracia deriva da expressão ad hoc. O que mantém esta rede unida são os vínculos de confiança entre seus elementos”. a dificuldade de resolução de conflitos. Pensem na ideia de uma rede de pesca. podem ser desvantagens da existência de equipes a duplicidade na cadeia de comando.

porque é preciso assegurar uma hierarquia formal de autoridades. A centralização é muito evidente. stratocacia. Nas estruturas mecanicistas. suas personalidades. sem necessidade de intermediários. horizontalidade. Na orgânica. mutabilidade. a variabilidade humana. coordenação própria. encontrada com denominações diferentes (horizontalizada. regulamentos e controle. seus julgamentos e suas dúvidas são vistos como produtores de ineficiências e inconsistências. representantes da Teoria de Contingência. o aprendizado é www. a estrutura em rede. Estrutura Mecanicista X Orgânica Os primeiros que alertam para a emergência dessa nova forma organizacional. rede interna etc. Trata-se. Veremos mais um pouco da estrutura em rede a seguir. a supervisão direta é menor. ao diferenciarmos as estruturas mecanicistas das orgânicas. são Burns & Stalker. de uma organização essencialmente descentralizada. com muitas regras. Os procedimentos exigem que a organização se torne uma máquina eficiente. sem necessidade de seguir linhas formais de comando ou organogramas.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS de potencializar o compartilhamento de informação entre organizações e indivíduos e de contribuir para a geração de conhecimento e inovação tecnológica Em uma organização em rede. mobilidade.com. São vantagens deste tipo de organização: permite a visualização do negócio. portanto. as atividades da organização são divididas em tarefas separadas. Na estrutura orgânica a variabilidade humana e toda a sua complexidade são aproveitadas para estimular as decisões. Por causa disso. capacidade de responder rapidamente a desafios externos. qualquer equipe pode se comunicar com outra. especializadas. autonomia. conectividade. autosuficiência de recursos e competências.pontodosconcursos. Eles apresentaram duas formas extremas de organização: a mecanicista e a orgânica.br 51 .). Chiavenato destaca como características da organização em rede: elevada flexibilidade. recebem menos ordens dos chefes. Na mecanicista. orgânica. os indivíduos trabalham em grupos. permite integrar unidades de negócio. Os membros se comunicam através de todos os níveis da organização. baixíssimo custo operacional. A principal característica das organizações em rede é a flexibilidade.

grupos informais. que são os temas explícitos nos últimos editais. O termo orgânico aqui pode ser relacionado com os “vegetais orgânicos”. ou seja. cultura e clima organizacional. atitudes e motivação”. 3 Aspectos comportamentais As organizações. Estas duas formas de sistemas representam um “continnum”. A estratégia. agora. os temas motivação. Para eles as organizações que operavam em ambientes em transformação utilizariam um misto de mecanicista e orgânico. cultura. não é preciso que haja uma intervenção de cima determinando como as coisas devem acontecer. O desenvolvimento da organização é mais natural. Estudaremos. entre os quais existem estágios intermediários. liderança.com. a estrutura.br 52 . A estrutura orgânica funciona da mesma forma. formuladores. Essa é a principal ideia da Teoria da Contingência. podemos identificar elementos que influenciam tal comportamento. englobam sistemas sociais. a liderança. e seus comportamentos são influenciados por uma infinidade de variáveis. dessa forma. porém. desejam estabelecer políticas que fomentem comportamentos desejáveis e evitem comportamentos indesejáveis.pontodosconcursos. clima e cultura organizacional. Entre as principais variáveis estudadas neste campo da gestão. Burns e Stalker. Com o estudo sistemático do comportamento humano nas organizações.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS contínuo e a quantidade de regras formais é menor. trabalho em equipe. crescem por meio de um desenvolvimento natural. podemos citar temas como motivação. pouco previsíveis. concluíram que o sistema mecanicista era o mais apropriado para o ambiente estável. executores e avaliadores de ações governamentais devem ser capazes de considerar esse fenômeno social. “O sistema social é formado por todas as manifestações do comportamento dos indivíduos e dos grupos: relações sociais. entendidas enquanto sistemas. mas que devem ser continuamente adaptados às características ambientais. Estes são cultivados sem uma intervenção do homem. a de que tudo depende. Toda ação no âmbito organizacional envolve pessoas. clima. Segundo os autores. As pessoas são complexas. Desta forma. É este o objeto de estudo do comportamento organizacional: a dinâmica da organização e suas influências sobre o comportamento humano. enquanto o orgânico mais indicado para ambientes turbulentos. tudo dentro da organização depende do ambiente em que ela se encontra. não existe um tipo ideal de sistema gerencial que é aplicado em qualquer caso. é fundamental entender estas manifestações e atuar de forma a promover um comportamento facilitador do resultado esperado. www. As organizações.

De acordo com a hierarquia das necessidades de Maslow. a) Teoria da Hierarquia das Necessidades de Maslow: Esta é a mais famosa das teorias da motivação. e tem que buscá-la todos os dias para estudar para o concurso. Para Maslow. existe uma hierarquia entre estas necessidades. Existem muitos autores e teorias a respeito do assunto. infinito e complexo encontrado em todos os seres humanos”. precisamos simplificar isso. segundo Maslow. Somente após ter a fome saciada ela irá tomar ações que contemplem necessidades de nível mais alto na hierarquia. Necessidades fisiológicas: são aquelas de menor valor na pirâmide. sede. necessidades de segurança. nas décadas de 40-50. inclui a necessidade biológica de reprodução (sexo) etc. e referem-se às necessidades imediatas do organismo. Uma pessoa que está passando fome estará motivada para procurar comida ou para ter amigos e compor uma ópera? Obviamente. necessidade de respirar. estas categorias que vimos são dadas de forma crescente. esta pessoa irá procurar comida. formulou uma teoria que organiza nossos desejos em cinco grandes categorias: necessidades fisiológicas. Para efeitos de concurso. Existem centenas de definições a respeito de o que é a motivação. porém.br 53 . Incluem fome. Abraham Maslow foi um psicólogo dos EUA que. O indivíduo só terá necessidades de segurança após suprir suas necessidades fisiológicas. necessidades de auto-estima e necessidades de autorealização. Veremos agora cada uma delas. www.1 Motivação Certamente você sabe o que é motivação.com. necessidades sociais e de amor. Existem algumas teorias consagradas que já foram cobradas em concursos públicos anteriores.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 3.pontodosconcursos. em linhas gerais. podemos entender motivação como aquilo que impulsiona o indivíduo à ação. cada uma com seus méritos. Vamos ver quais são as cinco categorias de necessidades humanas. É fácil entender isto. Ou seja. e o indivíduo só sente as necessidades mais altas na hierarquia após satisfazer aquelas que ocupam uma posição mais baixa na hierarquia. Ele só terá necessidades sociais se suprir as necessidades de segurança. mas. Os estudos da motivação são bem antigos e complexos. “a motivação é algo constante. Ele só terá necessidades de auto-estima se suprir as necessidades sociais e só terá necessidades de auto-realização se suprir as necessidades de auto-estima.

Necessid do dades de auto-rea alização: são aque elas relacionadas à expressão plena d potencial do indiv víduo. apontou diversas limitaçõ ões desta teoria. que não e sa Também está relac cionada a ter um s salário e uma cert e viver de maneira segura. o do e ro cupar-se c com a sua seguranç Irá qu a ça. principalm imas a ele uelas próxi mente aqu e. A pirâmid abaixo representa esta teoria: a de da ão Em relaçã a esta teoria. esteja ame eaçado po perigos imediatos não seja perseguid enfim. Necessid ssidades que o indiv víduo tem de ter um ma dades de estima e de ego: são neces imagem positiva e estável de si mesmo (au uto-estima e perante outras pessoas a) s. e sim de forma dedutiva por seu autor O própri f r. T ta ade na vida estabilida a. a pe essoa irá buscar int terações significativ s vas com outras pess soas. ondições básicas d b de Necessid dades so a ociais e de amor: com a garantia das co sobrevivê as ência. quando ficou mais velho. que poss or s. Par a expr ra esta necessidade. família e outra relaçõe as sociais. hos.CURSO ON-LIN – ADMI O NE INISTRAÇ ÇÃO PÚBLICA PAR ESAF RA PROFESSO EL OR: RAFAE ENCIN NAS Necessid dades de seguran nça: após suprir as necess sidades d primeir nível. filh es as or. uerer um abrigo. aind que ela foi criad não por expressã de testes e experim s mentos em mpíricos.com. um local em m indivíduo irá preoc m a . e s www. Esta interações podem ser forma de amo de am mizade. io Maslow. tem ão mos que s da.b osconcurs br 54 . do.pontodo sos. todas as anteriore es ressão de precisam estar satisfeitas. r saber.

CURSO ON-LIN – ADMI O NE INISTRAÇ ÇÃO PÚBLICA PAR ESAF RA PROFESSO EL OR: RAFAE ENCIN NAS apresento alguma ideias p ou para aperf feiçoá-la. Alguns tes perimentos científico as A os s stes e exp uco potencial para prever o comporta de sta teoria tem pou amento d mostraram que es s. erfer divid Relacioname ento: Alde diu a nec cessidade de quart nível de Maslow to w partes: o compone (es stima) em duas p m estima (social) e o ente externo da e da mponente interno d estima (auto-est sim. que são a a cas nec cessidades fisiológic e de se s egurança. as cinco necessidades da hierarquia de Maslow: o as Exi istência: abrange as necessid dades de primeira ordem de Maslow. dua outras d diferenças fundamentais entre as duas teorias. Existem. m oria é conhecida como ERG c Relaciona amento e Crescimento. Em inglês. dentro d as da categorias ERC. ta as O quadro abaixo represent a adap o ptação qu Cleyton Alderfer fez na teoria da ue n r aslow para criar a te a eoria ERC: : necessida ades de Ma Percebam que o quarto níve da hierarquia de Maslow é divido e dois na teoria d el a m em de as s Alderfer. Ass ível Relacionamento o. ainda. ma o.b osconcurs br 55 . Clayt ton Alder rfer enqu uadrou. esta teo ce. a ma Cre escimento: Alderfer incluiu a auto-estim e a nec cessidade de auto-re ealização. indivíduos Mesmo assim. esta teoria c so onhecê-la. ele incluiu as necessidades socia e o com da e s ais mponente externo d estima.pontodo sos. acim de tudo s to da.com. continua sendo muit estudad e. (Existenc Relate nd edness an Growt th). no ní com tima). uito nos co oncursos b brasileiros! É por iss que tem que co mos continua caindo mu ria r b) A Teor ERC de Alderfer ERC refe ere-se aos três nív s veis de motivação previstos por esta teoria: Existência m a a. e a www.

realizadas com entrevistas para investigar desejos e motivações. eles podem causar a insatisfação e desmotivação se não atendidos. Percebam que a principal sutileza desta teoria refere-se ao fato de que ações organizacionais que contemplem apenas os fatores de higiene não irão causar motivação.com. o reconhecimento e a realização”. no tópico anterior. mas não irá criar uma satisfação. Para Alderfer. política e administração da empresa”.pontodosconcursos. se a organização der um salário enorme. possibilidades de ascensão na carreira. se atendidos. c) A Teoria dos Dois Fatores de Herzberg Ao contrário de Maslow. Veja que salário está entre os fatores de higiene. Para Alderfer. relações de poder. Os fatores motivadores. para Maslow.br 56 . de sentimento de desenvolvimento. as necessidades não podem ser simultâneas. mas. são os fatores intrínsecos. supervisão. salário. condições de trabalho. estão os seguintes: “crescimento. são fatores extrínsecos. Para Herzberg. Estes fatores podem causar a satisfação e a motivação. não necessariamente causarão a motivação. estão os seguintes: “segurança. Tânia Casado nos mostra uma comparação entre as três teorias que vimos até agora: Maslow Auto-realização Alderfer Crescimento Herzberg Fatores motivacionais www.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS A primeira diferença refere-se à simultaneidade nas necessidades. vida pessoal. também chamados insatisfacientes. Vimos. responsabilidade. A segunda diferença refere-se a um componente de regressão das necessidades. progresso. a organização precisa atribuir ao indivíduo trabalhos estimulantes. que. Então. porém. Para criar a satisfação e motivação. quando uma necessidade de nível mais alto não é atendida. Entre estes fatores. Frederick Herzberg elaborou sua teoria por meio de pesquisas científicas. as necessidades de todos os níveis podem existir de maneira simultânea e complexa. ou exteriores ao trabalho. Entre eles. também chamados satisfacientes. de responsabilidade etc. o próprio trabalho. Herzberg descobriu que há dois grandes blocos de necessidade humanas: os fatores de higiene (extrínsecos) e os fatores motivacionais (intrínsecos). isto irá criar uma não-insatisfação. Os fatores de higiene. o indivíduo aumenta a necessidade dos níveis mais baixos. status. internos ao trabalho.

ou à motivação decorrente da interação entre o indivíduo e seu ambiente externo. precisamos de objetivos concretos. diretrizes e metas. e assim são orientados para o passado ou para o presente”. o que os fará empregar determinado esforço na sua consecução”. “O papel do gestor. de metas.br 57 . elas não podem ser muito fáceis.pontodosconcursos. mas seu alcance tem que ser possível. portanto. porque observam apenas um (ou poucos) ponto(s) no tempo. o gerente tem que dar ao profissional um feedback.com. e não conteúdos dados a priori. As metas devem também ter como requisito a clareza. pois envolvem um caminho mental a ser seguido. por sua vez.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Estima Sociais Segurança Fisiológicas Relacionamento Fatores higiênicos Existência Quanto à classificação das teorias da motivação. ser impostas: devem ser construídas conjuntamente. Além disso. O trabalhador irá ficar mais motivado para alcançar metas que ele ajudou a definir. para agir de forma a alcançá-las. será o de definir e clarificar metas para seus liderados. nem muito difíceis. Além disso. ao determinar uma meta. d) Teoria da Determinação de Metas de Edwin Locke Para nos motivarmos. sozinha. em relação ao alcance ou não das metas. Estas três teorias que vimos até agora podem ser ditas teorias da motivação de conteúdo estático. é necessário que a pessoa possa fazer. Um terceiro grupo de teorias seriam as relativas ao ambiente. Outro princípio importante desta teoria é a participação do trabalhador na definição das metas. um acompanhamento de como está www. são consideradas teorias do processo motivacional. Metas muito fáceis ou impossíveis não irão gerar motivação. um retorno. Estes modelos também são chamados de estáticos. Elas precisam ser compreendidas pelo trabalhador para que ele possa agir no sentido de alcançá-las. o sistema classificatório mais famoso agrupa teorias de conteúdo estático e teorias do processo motivacional. Elas não podem. Estas teorias “tratam do conteúdo do que efetivamente motiva as pessoas. O trabalhador precisa conhecer objetivos. Isso se aplica também à realidade organizacional. Elas têm que ser desafiadoras. portanto. Em relação à dificuldade das metas. As teorias que veremos a seguir. entre o líder e os liderados.

ou não.com. a determinados objetivos.pontodosconcursos. e) Teoria da equidade Trata-se de teoria relativamente nova. valência zero é indiferente e valência negativa é algo que o indivíduo prefere não buscar”. de forma que possa adaptar comportamentos no rumo desejado.br 58 . ele poderá ficar desmotivado ou insatisfeito. e. recebe recompensas. a valência tem a ver www. forma de organizar o trabalho na qual líder e liderado acordam os objetivos em função dos quais o liderado irá trabalhar. Entre os autores que colaboraram para a elaboração desta teoria. por exemplo) e a recompensa. É também conhecida como teoria da comparação social.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS indo. pedir demissão. “O grau de equidade é definido em termos da razão entre a entrega individual (o esforço. podemos citar Adams. “O tema central [desta] teoria motivacional é que o maior determinante do desempenho e da satisfação no trabalho é o grau de equidade ou iniquidade percebido na situação profissional”. f) Teoria da expectativa (ou expectância) de Victor Vroom Esta teoria é construída em função da relação entre três variáveis: Valência. O mesmo vale para outros trabalhadores. inclusive. referentes a um determinado objetivo. Caso o indivíduo tenha uma percepção de que não há equidade. Esta teoria tem aplicações na chamada Administração por Objetivos (APO). o trabalhador faz entregas para a organização. Valência positiva atrai o comportamento em sua direção. segundo a qual a motivação está diretamente relacionada à percepção que o indivíduo tem a respeito da justiça de sua situação profissional. Assim. e isto terá reflexos em sua forma de se relacionar com a organização e com ela contribuir. Em última instância. comparada a uma relação similar para outra pessoa que seja relevante em termos de comparação”. força (instrumentalidade) e expectativa. de quais metas está conseguindo alcançar. ele poderia. em troca. Festinger e Lawler. Em outras palavras. A equidade será maior se os empregados acharem que estão sendo recompensados de maneira justa. Ou seja. Valência é a “orientação afetiva em direção a resultados particulares. É normal que eles se comparem com seus pares. Pode-se traduzi-la como a preferência em direção. em relação à forma com que seus pares estão sendo recompensados.

Vamos ver um exemplo pra esclarecer esta teoria. Mesmo que um fator seja muito elevado a motivação não irá existir se algum dos outros fatores for inexistente (zero).CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS com o desejo do indivíduo em relação a determinado resultado. A teoria da expectativa procura explicar a cadeia de causas e efeitos que liga o esforço inicial ao resultado ou recompensa final. Ao tomar a decisão de se dedicar a isto ou não. www. Valência negativa é um evento que o indivíduo não quer que ocorra. vai ter que abrir mão de uma série de coisas da sua vida. por sua vez. o resultado pode ser uma recompensa ou algo que o indivíduo deseja. mas a verdade é que há as duas fórmulas. Para conseguir esta promoção. O próprio Antonio Maximiano apresenta a fórmula utilizada pelo Cespe neste item do STF. em função da relação entre o esforço que vai ser despendido no evento e o resultado que se busca alcançar. ele vai ter que trabalhar mais. i é instrumentalidade e v é valência. Ou seja. a motivação é uma função desses três fatores. pode-se dizer que esta promoção tem alta valência. na teoria da expectativa.com. Porém. de onde o item foi copiado. Os componentes principais da teoria da expectativa são os seguintes: o valor dos resultados. Se o indivíduo quer muito alguma coisa (uma promoção. a motivação é dada em função da fórmula M = E x I x V. ele vai levar em consideração a probabilidade (expectativa) de alcançar a promoção (alta valência). ou instrumentalidade. Força.br 59 . Isso confundiu muitos candidatos. e é expectativa. a associação entre o desempenho e a recompensa e a associação entre o esforço e o desempenho”. por exemplo). Vejam o que diz o Maximiano. Acabamos de estudar que. que apenas expressa uma relação de tomada de decisão em um contexto de trabalho. vai ter que colocar energia nestas ações (força). é o grau de energia que o indivíduo irá ter que gastar em sua ação para alcançar o objetivo. a motivação é função da crença de que é possível alcançar um resultado. Esta relação pode ser expressa pela fórmula matemática M = E x I x V. Expectativa é o grau de probabilidade que o indivíduo atribui a determinado evento. onde M é motivação. No caso de valência positiva.pontodosconcursos. houve um item que disse que a fórmula é M = E x V e o gabarito foi dado como “certo”. multiplicada pelo valor atribuído ao resultado: Motivação = Expectativa (crença de que o esforço produz o resultado) x valor atribuído ao resultado. a respeito deste assunto: “De acordo com a teoria da expectativa. em um item recente de um concurso do Cespe (STF 2008).

Segundo Edgard Shein: É um modelo de pressupostos básicos. sagas. d) Orientação para as pessoas: o grau em que as decisões dos dirigentes levam em consideração o efeito dos resultados sobre as pessoas dentro da organização. que capturam sua essência. e) Orientação para a equipe: o grau em que as atividades de trabalho são mais organizadas em termos de equipes do que de indivíduos. rituais. A ação praticada por um determinado grupo terá. b) Atenção aos detalhes: o grau em que se espera que os funcionários demonstrem precisão.pontodosconcursos.br 60 uma organização das outras.2 Cultura Organizacional Shrivastava conceitua cultura organizacional como Um conjunto de produtos concretos através dos quais o sistema é estabilizado e perpetuado. Uma vez que os pressupostos tenham funcionado bem o suficiente para serem considerados válidos. descoberto ou desenvolvido no processo de aprendizagem para lidar com problemas de adaptação externa e integração interna. Estes produtos incluem: mitos. símbolos. em www.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 3. Uma definição consensual é a de que a cultura organizacional diz respeito a um sistema de significados comuns aos membros de uma organização. que determinado grupo tem inventado. análise e atenção aos detalhes. distinguindo chave que a organização valoriza. f) Agressividade: o grau em que as pessoas são competitivas e agressivas. Tal sistema seria formado por um conjunto de características- . cerimônias. c) Orientação para os resultados: o grau em que os dirigentes focam mais nos resultados do que as técnicas e os processos empregados para o seu alcance. se pensar e sentir-se em relação àqueles problemas. metáforas. a saber: a) Inovação e assunção de riscos: o grau em que os funcionários são estimulados a inovar e a assumir riscos. necessariamente. a mesma representação simbólica para seus membros. são ensinados aos demais membros como maneira correta para se proceder. sistemas de valores e normas de comportamento. sistemas de linguagem.com. Há nesta definição a ideia do entendimento partilhado com relação às formas de lidar com situações-problema determinadas.

ouve e sente quando se depara com uma organização. São compostos por produtos. por meio de pressuposições não-escritas e nem sequer faladas. o mais superficial.pontodosconcursos. já que corresponde aos valores que as pessoas entendem como corretos.br 61 . São todas aquelas coisas que. mas que ainda pode ser identificado. temos os artefatos. no seu conjunto. pensamentos e sentimentos. b) Valores Compartilhados: São também chamados de valores casados. É a parte visível da cultura. estratégias e objetivos (justificativas aceitas por todos os membros). Por fim. Funcionam como justificativas aceitas por todos os membros. profundo e oculto. percepções. É tudo aquilo que cada pessoa vê. Já os valores casados são um nível não tão facilmente perceptível.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS vez de dóceis e acomodadas. Filosofias. g) Estabilidade: o grau em que as atividades organizacionais enfatizam a manutenção do status quo em contraste com o crescimento. Toda cultura apresenta-se em três diferentes níveis: a) Artefatos: Estruturas e processos organizacionais visíveis. Focaliza a maneira como as situações são tratadas e os problemas são enfrentados na organização. Podemos comparar estes três níveis a um iceberg: No nível mais superficial. O conhecimento tácito é aquele que o indivíduo adquiriu ao longo da vida. São os valores relevantes que se tornam importantes para as pessoas e que definem as razões pelas quais elas fazem o que fazem. c) Pressuposições Básicas: São também chamadas de certezas tácitas compartilhadas. Fazem parte do primeiro nível da cultura. o mais íntimo. Crenças inconscientes. mais fáceis de decifrar e de mudar (arquitetura da organização). visível e perceptível. muitas vezes.com. as pressuposições básicas são o nível mais profundo. A cultura prescreve a maneira certa de fazer as coisas na organização. pois é subjetivo e inerente as habilidades de uma pessoa. serviços e padrões de comportamento dos membros de uma organização. que está na cabeça das pessoas e que geralmente é difícil de ser formalizado ou explicado a outra pessoa. A palavra tácito vem do latim tacitus que significa "não expresso por palavras". São chamadas também de certezas tácitas compartilhadas. definem uma cultura e revelam como a cultura dá atenção a elas. Constituem o terceiro nível. Cultura Forte X Cultura Fraca www. aquela que podemos observar quando temos o primeiro contato com a organização.

As subculturas tendem a desenvolver-se em grandes organizações para contemplar problemas e situações comuns ou experiências vividas pelos seus membros. que não possa haver subculturas.pontodosconcursos. por exemplo. pode ter uma subcultura partilhada exclusivamente pelos compradores. porém. Em uma cultura forte. Dessa interação decorre um processo de reciprocidade: a organização oferece incentivos para o participante e. esforçando-se e desempenhando suas tarefas conforme solicitado. A maioria das grandes organizações possui uma cultura dominante e diversos conjuntos de subculturas. O departamento de compras. Uma das funções da cultura organizacional é regular as relações entre os membros da organização.br 62 . O departamento de marketing terá uma subcultura diferente do departamento de contabilidade. Reconhecer que a cultura organizacional possui características comuns não significa. os valores centrais da organização são intensamente assumidos e compartilhados.com. A partir dessa capacidade de a organização influenciar o comprometimento dos funcionários. remunera-o. que www. Uma cultura dominante expressa os valores centrais compartilhados pela maioria dos membros da organização. Em conformidade com essa definição. o que diminui a necessidade de a organização estabelecer regras escritas e formais. Quanto mais membros aceitarem os valores centrais e quanto maior seu comprometimento com tais valores. uma cultura forte terá uma grande influência no comportamento de seus membros. Ambas as partes estão orientadas por expectativas que definem o que é correto e equitativo e o que não é. A subcultura incluirá os valores centrais da cultura dominante além de outros exclusivos aos membros do departamento. dando assim estabilidade ao sistema social: como devem interagir. mais forte é a cultura. Existe uma interação psicológica entre cada pessoa e a organização na qual participa e trabalha. porque o alto grau de comunhão de valores cria um ambiente interno de elevado controle comportamental. além disso. A justificativa para isso é que as culturas fortes possuem um impacto maior sobre o comportamento do funcionário e produzem um efeito mais positivo sobre o desempenho da organização. a importância da cultura organizacional seria consideravelmente reduzida. tem sido cada vez mais comum diferenciar culturas fortes de culturas fracas. oferece segurança e status e cria condições para que ele trabalhe adequadamente. o participante responde com contribuições.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Um ponto importante e bastante cobrado pelo CESPE é o fato da cultura organizacional ajudar na geração de comprometimento organizacional. seja trabalhando. Se as organizações não possuíssem nenhuma cultura dominante e fossem constituídas apenas de diversas subculturas.

Em ambientes desse tipo as pessoas não se sentem acolhidas nem confortáveis e as relações interpessoais carecem de confiança. O clima organizacional tem a ver com a sensação das pessoas no ambiente de trabalho. A palavra “clima” nos remete a algumas ideias do senso comum.br 63 .pontodosconcursos. os novos funcionários ainda não estão totalmente doutrinados na cultura organizacional quando começam a trabalhar na empresa. organizacional.3 Clima Organizacional Vamos agora abordar um tema bastante interessante no estudo das organizações. “O clima organizacional pode ser entendido como a expressão dos sentimentos dos empregados diante dos valores.com. Pensamos em clima frio ou quente. e. e tem implicações na satisfação com o trabalho e a está ligada à maneira como as pessoas avaliam o ambiente www. “o clima é uma percepção resumida da atmosfera e do ambiente da organização. Por não estarem familiarizados com a cultura. Segundo Robbins.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS tratamento devem se dar. há a possibilidade de que eles criem problemas em relação às convicções e costumes vigentes na empresa. como resolver conflitos. O clima é. gera em nós algumas reações. das práticas de gestão de recursos humanos. da postura da empresa ao estabelecer metas. independentemente da qualidade do processo de recrutamento e seleção. Proporciona um senso de identidade aos membros da organização e facilita o comprometimento com algo maior do que os interesses individuais. assim como define o comportamento em relação à autoridade (formalidade x informalidade) e a tendência em relação ao associativismo ou ao individualismo. A cultura define os critérios para avaliação de resultados e do desempenho dos indivíduos. como consequência. assim. clima agradável ou desagradável. das políticas. 3. Trata-se do clima organizacional. além da situação econômica”. Uma ferramenta importante para a criação de uma cultura organizacional forte é a socialização. Para Bowditch e Buono. Vocês certamente já ouviram a expressão “o clima aqui é pesado”. A organização precisa ajudá-los a se adaptar à nova cultura por meio de um processo de adaptação denominado socialização organizacional. um aspecto cognitivo relacionado à percepção do ambiente organizacional. da forma de relacionamento com os colegas. O clima é algo proveniente do ambiente que nos causa uma sensação.

“O clima organizacional. tais quais: desafios. autonomia. A diferença pode ser explicada da seguinte maneira: “A cultura organizacional se ocupa da natureza das crenças e expectativas sobre a vida organizacional. a cultura já tem um caráter mais descritivo (crenças. calor humano. Enquanto o clima é uma medida de percepção avaliativa (a qualidade do clima é dada pela avaliação das pessoas). recompensas. capaz de influenciar o comportamento profissional e afetar o desempenho da organização”. bolsas de estudo. também. na produtividade e na satisfação do indivíduo no trabalho. É correto. visto como resultado das emoções. Apesar de serem conceitos diferentes. O clima interfere na motivação. equidade. em geral. ambiente de aprendizagem. temporário.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS organização. o que não é verdade. oportunidades de carreira (crescimento profissional). pois grande parte dos funcionários não se sente bem na organização e procura outras opções de trabalho que lhe dêem maior satisfação pessoal e crescimento profissional. Muitos outros fatores interferem no clima. o clima organizacional. processos de trabalho. isto poderá afetar o clima. Também afetam o clima fatores individuais e fatores externos à organização. rotatividade)”. não é prioritariamente definido por fatores mais óbvios como salário e condições físicas de trabalho. realização. costumes e normas que regem a empresa). reconhecimento. se houver uma crise econômica (fator externo).pontodosconcursos. Algumas pessoas tendem a pensar que clima e cultura organizacional são conceitos iguais. dos valores da companhia ou dos grupos profissionais”. participação em programas de treinamento e desenvolvimento. que abrange um conjunto maior de fenômenos. Por exemplo. políticas de gestão de pessoas. certamente é muito influenciado pela cultura. clima organizacional é considerado como a “percepção global das pessoas a respeito do seu ambiente de trabalho. no desempenho. www. No TCU.com. o clima é mais superficial. Ao contrário do que muitos pensam. Ele pode ser afetado por diferentes aspectos decorrentes do país ou região onde se localiza a empresa. nos padrões de interação em grupos e nos comportamentos de afastamento (absenteísmo. afirmar que o clima faz parte da cultura. estilo de liderança. Além disso. órgão em que nós (Flávio e Rafael) trabalhamos. da natureza do negócios. é bastante claro que o clima é fortemente influenciado pela cultura. estrutura. A questão do clima é tão importante que muitas organizações que pagam excelentes salários possuem níveis de rotatividade altíssimos.br 64 . enquanto a cultura tem um horizonte temporal maior. Um exemplo de definição de clima em órgão público é a definição do TCU. ao passo que o clima é um indicador de se essas crenças e expectativas estão sendo concretizadas”.

(ESAF/CVM/2010) Na Coluna I estão arroladas vantagens de estruturas organizacionais distintas. Na Coluna II tem-se a identificação das organizações-tipo. 1.com. É estável. Correlacione as colunas indicando as vantagens de cada organização-tipo e. 1. Facilidade de implantação.br 65 . 2. 2. entre superior e subordinado. 1 d) 1. Clara delimitação das responsabilidades. Suas vantagens: Estrutura simples e de fácil compreensão. 1. 2 e) 1. 2. a) 1. 1.pontodosconcursos. É o tipo de organização indicado para pequenas empresas. 2. 1 Vimos que a estrutura linear constitui a forma estrutural mais simples e antiga. 1. 1.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 4 Questões 1. 1. A autoridade linear é uma decorrência do princípio da unidade de comando: significa que cada superior tem autoridade única e absoluta sobre seus subordinados e que não a reparte com ninguém. 2. www. 2. ao final. O nome linear significa que existem linhas diretas e únicas de autoridade e responsabilidade. selecione a opção que expresse a sequência correta para a Coluna I. 1. 2. 1 c) 2. 2 b) 2.

por isso esse tem sim especialização. temos os dois tipos de estruturas. 3. cada operário da linha de produção se reporta a diversos supervisores. Gabarito: D. 2.br 66 . Assim. É uma autoridade do conhecimento. a organização como um sistema aberto apresenta a seguinte característica: www. como a por projetos ou por produtos. horizontal. o outro. linear ou de comando. pois a estrutura matricial coloca sobre as pessoas dupla subordinação. não possui. (ESAF/CVM/2010) Podem ser consideradas características da organização matricial. que é relativa e baseada na especialização. A letra “D” é a resposta. d) utilização de alta tecnologia. exceto: a) direcionamento para objetivos. ou seja. Nada tem de hierárquica. no caso de produtos ou projetos. c) especialização como critério determinante para a escolha das chefias. Normalmente um deles está ligado à departamentalização funcional. cada um relacionado a uma especialidade. A letra “E” é certa. A estrutura matricial utiliza dois tipos de departamentalização sobre as mesmas pessoas. pois a tecnologia é característica da departamentalização por processos. e) existência de uma estrutura hierárquica vertical que conviva com uma estrutura superposta.com.pontodosconcursos. O foco é nos objetivos. b) alocação de equipes de unidades distintas para a execução de um mesmo projeto.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Já a estrutura funcional aplica o princípio funcional ou princípio da especialização por funções. de coordenadores de projetos. sendo menor a formalidade. Porém. pois busca conciliar a departamentalização por funções com uma voltado para resultados. Gabarito: A. Discordo da letra “C” ser considerada correta. (ESAF/CVM/2010) Para Kats e Kahn. A autoridade é funcional ou dividida. dois chefes.

importando. a) A cultura representa o ambiente de crenças e valores. o desempenho humano e a satisfação no trabalho. A letra “A” é certa. b) O clima pode ser tocado e visualizado. Gabarito: E. costumes. assinale a única opção falsa. b) inexistência de limites ou fronteiras. tradições. forças motivacionais. processos de interação/influência. Pode também ser percebido psicologicamente. segundo Chiavenato. Os sistemas abertos são aqueles que estão em constante interação com o ambiente. transformando e exportando energia. formulação de objetivos e controles. traz dentro da cultura os valores e crenças. 4. c) entropia positiva.br 67 . e) O clima organizacional influencia a motivação. tomada de decisões. c) A cultura organizacional condiciona e determina as normas de comportamento das pessoas dentro de cada empresa. os valores e crenças servem como um direcionamento do comportamento das pessoas. são elementos do clima organizacional: Processos de liderança www.pontodosconcursos. conhecimentos e práticas de convívio social e relacionamento entre as pessoas. A letra “C” é certa. A letra “B” é errada. comunicações. d) São elementos de avaliação do clima organizacional: processos de liderança. e) importação-transformação-exportação de energia.com. (ESAF/CVM/2010) Sobre a cultura e o clima organizacional. o clima é algo abstrato. d) homogeneização. A letra “D” é certa.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS a) finalidades diferenciadas.

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS

Forças motivacionais Comunicação Processo de interação/influência Tomada de decisões Formulação de objetivos Controles A letra “E” é certa, o clima está diretamente ligado a forma como a pessoa vê a organização e quais seus sentimentos em relação a ela. Gabarito: B.

5. (ESAF/APO-MPOG/2010) O estudo da evolução do pensamento administrativo permite concluir, acertadamente, que: a) as Teorias Científica e das Relações Humanas são abordagens de sistemas abertos. b) a Teoria das Relações Humanas despreza os objetivos organizacionais. c) a Teoria da Contingência enfatiza a importância da tecnologia e do ambiente. d) as Teorias Estruturalista e dos Sistemas refletem uma abordagem prescritiva e normativa. e) a Teoria Comportamental concebe o funcionário como um ‘homem social’.

A letra “A” é errada. A ideia de que as organizações são sistemas abertos começa a aparecer apenas com a teoria estruturalista e vai se desenvolver com a teoria dos sistemas. A letra “B” é errada, ela não desconsidera. A letra “C” é certa, o foco está no ambiente e na tecnologia e que a organização deve se adaptar. A letra “D” é errada, são teorias descritivas, que analisam como é, e não como deve ser. A letra “E” é errada, a Teoria Comportamental traz a figura do “homem administrativo”, aquele que não procura a melhor alternativa, o máximo absoluto, mas sim, aquela

www.pontodosconcursos.com.br

68

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS alternativa mais satisfatória, que se mostra suficiente frente às possibilidades da situação. Gabarito: C.

6. (ESAF/APO-MPOG/2010) Sobre o tema ‘departamentalização e divisão do trabalho’, é correto afirmar: a) por ser contemporânea, a abordagem matricial é preferível à funcional. b) em ambientes que privilegiam resultados, inexiste espaço para a adoção de estruturas colegiadas ou de assessoramento. c) a abordagem de organização virtual é mais aplicável à estruturação de indústrias navais. d) em organizações matricialmente estruturadas, a preocupação com a hierarquia é abolida. e) em grandes organizações, é possível a coexistência de dois ou mais tipos de departamentalização.

A letra “A” foi dada como errada. Considero sim a estrutura matricial preferível à funcional, pois utiliza as vantagens dela, corrigindo suas desvantagens. Porém, eles podem ter considerado pela teoria contingencial, que diz que depende da situação. Assim, em ambientes estáveis, ainda seria preferível a funcional. Ou então eles não consideram a matricial contemporânea, mas aí depende da noção deles do que seja contemporâneo. A letra “B” é errada, é possível sim. A letra “C” é errada, não faço ideia de onde tiraram isso. A letra “D” é errada, ainda há hierarquia, tanto que há dupla subordinação. A letra “E” é certa, não fala especificamente se é no mesmo nível ou não, mas é possível em ambos os casos. Gabarito: E.

7. (ESAF/ANA/2009) A escola das Relações Humanas diferencia-se por ideias centrais das quais originaram-se críticas implacáveis contra o homo econômicus, modelo www.pontodosconcursos.com.br 69

CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS elaborado pela Escola Clássica. Analise as afirmações abaixo e selecione a opção que representa o resultado de sua análise. ( ) Na Escola das Relações Humanas, o homem é apresentado como um ser que não pode ser reduzido a esquemas simples e mecanicistas. ( ) Na Escola das Relações Humanas, o homem não é condicionado pelo sistema social, e sim pelas demandas biológicas. ( ) O modelo da Escola das Relações Humanas é o homo complexus, devido à complexidade das suas necessidades. a) C, C, C b) C, C, E c) C, E, E d) E, E, E e) E, C, C

Ao fazer a critica implacável do homo economicus como modelo de natureza humana, a Escola de Relações Humanas sugeriu para substituí-lo o modelo de homo social. Três são as principais características desse modelo: o homem é apresentado como um ser cujo comportamento não pode ser reduzido a esquemas simples e mecanicistas; o homem é, a um só tempo, condicionado pelo sistema social e pelas demandas de ordem biológica; em que pesem as diferenças individuais, todo homem possui necessidade de

segurança, afeto, aprovação social, prestígio e auto-realização. A primeira afirmação é correta. Já a segunda é errada, pois o homem é condicionado tanto pelo sistema social quanto pelas demandas de ordem biológica. O homem complexus é característico da teoria estruturalista. Gabarito: C.

8. (ESAF/ANA/2009) Pode-se conceituar cultura organizacional como o modelo dos pressupostos básicos que um dado grupo inventou, descobriu ou desenvolveu no processo de aprendizagem, para lidar com os problemas de adaptação externa e

www.pontodosconcursos.com.br

70

com ênfase no não permitido.São geralmente utilizados como sinônimos para expressar aquilo que é tido como verdade na organização.São definições do que é importante para atingir o sucesso. Crenças e pressupostos . como por exemplo: logomarca da empresa. Não vêm escrito nos manuais. As empresas definem alguns valores que resistem ao teste do tempo. Antonio Ermírio de Moraes. etc. Símbolos . Tabus .CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS integração interna (Shein..com. Implicam em alguma visão de mundo.br 71 . b) Ritos. automóveis de luxo. 1985). etc. c) Símbolos – objetos e ações ou eventos dotados de significados especiais e que permitem aos membros da organização trocarem ideias complexas e mensagens emocionais. que informam sobre os mitos das organizações. Referências . etc.objetos e ações ou eventos dotados de significados especiais e mensagens emocionais. podemos ter: importância do consumidor. tamanho ou mobília de um escritório. natos ou criados. e) Processo de comunicação – tem a função de transmitir e administrar a cultura e inclui a rede de relações. Bill Gates. às vezes sem sustentações nos fatos. que condensam a força da organização Ex. Por exemplo: namoro entre funcionários é proibido. papeis informais. instalações especiais para chefes. bandeiras. www. qualidade e inovação.São os personagens. Assinale abaixo a opção que não apresenta um elemento relacionado à cultura organizacional de uma empresa. que passa a ser considerada válida. Olavo Setúbal etc. padrões de desempenho. Seriam os processos de integração.São narrações e eventos. admissão. rituais e cerimônias – são atividades planejadas para tornar a cultura mais visível e coesa. titulação (títulos oficiais).: Henry Ford.São proibições. a) Valores – são definições do que é importante para atingir o sucesso. As empresas definem alguns valores que resistem ao teste do tempo. São elementos da Cultura Organizacional: Valores .pontodosconcursos. Estórias e mitos . Como exemplo. etc. d) Preços – valores definidos para a comercialização de produtos e que definem um segmento do mercado.

a abordagem burocrática enrijece a organização. antagônicas. à primeira vista. que deve ser tratado em nível de estratégico.pontodosconcursos.). em uma organização. acertadamente. Gabarito: B. c) Funcional. www. num processo dinâmico e evolutivo. devendo agrupar-se por centros de competências ou de produtos bem identificados. com planos e sistemas estruturados. visando assegurar a constituição de equipes multidisciplinares com base na mobilidade funcional. b) como ciência. 10. rituais e eventos .br 72 . e) Em Rede. permite concluir. Temos a departamentalização por projetos e funcional juntas. é melhor que se adote a estrutura: a) Linear.São atividades planejadas para tornar a cultura mais visível e coesa (processos de integração. Preço não faz parte da cultura organizacional. 9. admissão etc. c) ao enfatizar as tarefas. (ESAF/ANA/2009) Nos casos em que. é a estrutura matricial. Gabarito: D. d) Holográfica. (ESAF/EPPGG-MPOG/2009) Conhecer a evolução do pensamento administrativo. afastando-a de seus objetivos. ainda que suas abordagens sejam.com. que: a) a resolução de problemas organizacionais pode ser tentada pela aplicação conjunta de várias Teorias Administrativas. bem como de suas teorias e abordagens.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Ritos. b) Matricial. É um tema de tamanha relevância. A comunicação interna (formal ou informal) se encarrega de difundir e alimentar a cultura da empresa. a Administração independe de outras ciências. as áreas operativas do serviço possam se desenvolver essencialmente por projetos.

Em muitos casos a teoria clássica é vantajosa. a comunicação vertical. é plenamente viável. A letra “E” é errada. é inviável a adoção de estruturas inovativas. A letra “C” foi dada como errada.com. sendo pouco afetada pelos valores e crenças das pessoas que a integram. A letra “A” é errada. a estrutura matricial normalmente utiliza a departamentalização por projetos. a sociologia. como na eficiência do processo produtivo por meio da especialização. d) no âmbito da administração pública.pontodosconcursos. www. A letra “C” é errada. A letra “B” é errada.br 73 . c) formas tradicionais de departamentalização estimulam a comunicação horizontal. A letra “D” é errada. ou seja. apesar de que na prática é isso que ocorro: o foco nos procedimentos faz as pessoas esquecerem dos objetivos. (ESAF/EPPGG-MPOG/2009) Ao lidar com o tema “departamentalização”. ela é determinada pelos valores e crenças. as formas tradicionais privilegiam a hierarquia. não sendo aplicável em nossos dias. A letra “D” é errada. e) a cultura de uma organização é determinada por sua estrutura. ela possui sim utilidade atualmente. e) estruturas matriciais não se caracterizam pelo prestígio à unicidade de comando. 11. b) cada nível hierárquico comporta não mais que um tipo de departamentalização. Gabarito: A. A letra “B” é errada.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS d) a Teoria Clássica da Administração possui apenas valor histórico e referencial. é correto pressupor que: a) o gerenciamento de projetos é inviável em um ambiente matricialmente estruturado. ela utiliza dois tipos de departamentalização no mesmo nível. etc. Isso pode ser agregado com uma visão mais voltada para o indivíduo da perspectiva humanística. A letra “A” é certa. a ciência política. a administração é constantemente influenciada por ciências como a psicologia.

d) em organizações que operam em ambientes estáveis. b) organizações que adotam um desenho organizacional burocrático-mecanicista refletem uma estratégia mutante. A letra “B” é errada. exceto: a) em organizações que operam em ambientes instáveis. a estrutura mecanicista é rígida. Gabarito: B. mais flexível e capaz de se reprogramar.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS A letra “E” é certa. a estratégia deve balizar a estrutura e demais componentes da organização. em nome da eficácia.br 74 . um desenho organizacional burocrático-mecanicista. c) uma arquitetura organizacional adequada é aquela que permite alinhar a estratégia a seus elementos essenciais: estrutura. processos. e) organizações que adotam um desenho organizacional burocrático-mecanicista preservam uma estrutura rígida e verticalizada. A letra “E” é certa. se impõe. formais e mecanicistas. estável. há duplicidade de comando. 12. hierárquicos. a estrutura orgânica é mais adequada para ambientes instáveis. se impõe. mais rígido e programável. Uma possibilidade é agrupar os chamados “modelos fechados” de organização. um desenho organizacional orgânico. também conhecidos como modelos burocráticos. (ESAF/EPPGG-MPOG/2009) Pensar em estrutura organizacional importa saber que as seguintes afirmativas são corretas. recomendam a especialização e a divisão de trabalho.pontodosconcursos.com. A letra “D” é certa. Gabarito: E. Esses modelos preconizam que as rotinas da organização ocorrem em condições estáveis. a estrutura mecanicista é mais adequada a ambientes estáveis. A letra “C” é certa. 13. A letra “A” é certa. (ESAF/EPPGG-MPOG/2008) As teorias das organizações podem ser classificadas de diferentes formas. em nome da eficiência. a mecanicista é rígida. percebem www. recursos humanos sistemas informacionais. emergente e proativa.

(ESAF/EPPGG/2008) Sobre a Teoria Institucional. Prêmio Nobel de Economia. II. as contribuições sobre comportamento organizacional propostas por Herbert Simon. Estão corretas: a) As afirmativas I. III e IV. Nesse grupo de teorias poderíamos classificar: I.pontodosconcursos. e) Apenas as afirmativas I. que trazem autores desta escola. a perspectiva burocrática de Max Weber. Por isso podemos enquadrar nela os três primeiros itens. Paul Di Maggio e Walter Powell. II e IV. ( ) Entre suas contribuições principais. suas teorias são contrárias ao que está no enunciado. o “pai da sociologia”. os princípios da escola clássica. O enunciado da questão traz a estrutura linear. II. na qual substituiria a exploração do homem pelo homem para uma administração coletiva. A teoria comportamental vem defender justamente o contrário do que está no enunciado. www. os estudos sobre organizações do filósofo francês Saint-Simon e de seu protegido Auguste Comte. b) Apenas as afirmativas I. os Princípios de Administração Científica de Frederik Taylor. os 7 princípios da gestão administrativa (POSDCORD) cunhados nos trabalhos de Luther Gulick e Lyndall Urwick. Saint-Simon é um dos pais do socialismo utópico.com. c) Apenas as afirmativas I. Auguste Comte foi discípulo de Saint-Simon e é considerado o pai do Positivismo Gabarito: C. Quando Saint-Simon falou sobre a nova sociedade. Portanto.br 75 . III e V. Ele viveu no século XVIII e previu que a sociedade seria formada por organizações. II e III. IV. IV e V. Johan Olsen. d) Apenas as afirmativas II. 14. III. destacam-se os trabalhos desenvolvidos por James March. julgue as questões abaixo como Verdadeiras V ou Falsas F. III. imaginou uma imensa fábrica. V.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS que os conflitos internos podem ser controlados e reconhecem as virtudes das hierarquias.

A Teoria Institucional trabalha estudando as preferências dos atores e como as instituições limitam estas preferências. V c) V. ( ) Considera as preferências do grupo como sendo inconsistentes. F. V. Ela é verdadeira. V d) V. O indivíduo é concebido como uma entidade profundamente envolvida num mundo de instituições composto de símbolos. A Teoria Institucional tem como grande característica o entendimento de que as instituições condicionam a atuação dos indivíduos. F. Ela analisa como atores tomam decisões com base em interesses pessoais e como as instituições criam “dependências de trajetória”. F. ( ) É fundada na existência de um modelo de gestão pública universal proposto pelo engenheiro francês Henri Fayol. já que as instituições limitam a aplicação destes princípios. www.br 76 . ( ) Preconiza a existência de um modelo de intervenção estatal baseado em técnicas de planejamento estratégico capazes de estabelecer cenários e mitigar incertezas. F. publicado na França em.pontodosconcursos. Ela não defende este planejamento estratégico com o objetivo de reduzir incertezas. a partir das quais se define uma linha de ação. Ela não é fundada no modelo universal de Fayol. defende que não existem princípios que serão sempre adequados. F. V. V. V. F Na primeira afirmação. como delimitam até que ponto estas decisões podem ir. As instituições fornecem modelos morais e cognitivos que permitem a interpretação e a ação. V. F. temos os principais autores do neo-institucionalismo na perspectiva organizacional. F. pelo contrário. de cenários e de protocolos que fornecem filtros de interpretação. aplicáveis à situação ou a si próprio. F e) V. A segunda e a terceira afirmações também são verdadeiras. em seu livro Administration Industrielle et Generale.com. Indique a opção correta. F b) F. a) F.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS ( ) Percebe a organização como um sistema social restrito por regras e normas que condicionam as escolhas e o comportamento de indivíduos e grupos. V. ou seja. V. dinâmicas e influenciadas pelas instituições políticas. F.

www. e os administradores com grande poder usam esses poderes mais em benefícios de si próprios que da organização. respectivamente: a) as necessidades humanas podem ser colocadas em uma hierarquia de importância. neste caso. uma necessidade satisfeita em um determinado patamar da hierarquia não motiva o comportamento. os fatores mencionados na letra D são ditos higiênicos ou insatisfacientes. 15.pontodosconcursos. e há uma alta correlação entre a necessidade de realização e o desenvolvimento eficaz da organização. é incorreto afirmar: a) a essência da estrutura matricial é a de combinar as características das estruturas verticais (funções) e das horizontais (processos). E. possibilitando-as. resolvendo em parte o problema da centralização/descentralização. c) as necessidades obedecem a uma hierarquia que pode ser influenciada pela cultura. b) as necessidades mais básicas do homem são as fisiológicas e as de segurança. traz pontos das duas teorias. e um homem motivado deixa de se importar com as pequenas dificuldades do dia-a-dia. 16. Segundo Maslow. mas que contribuem para a insatisfação se não estão presentes. ainda que sejam perenes.br 77 . e) a motivação gera grande necessidade de feedback para a organização. assim. e existem fatores que não motivam. o indivíduo irá buscar a realização de necessidades em um patamar superior da hierarquia das necessidades.com. Gabarito: D. (ESAF/STN/2008) São características das teorias motivacionais de Maslow e Herzberg. os fatores motivadores relacionam-se com o contexto do trabalho. (ESAF/STN/2008) Acerca da estrutura matricial. de reagirem rapidamente às mudanças ambientais a que normalmente estão submetidas. segundo Herzberg.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Gabarito: D. b) esse tipo de estrutura foi projetado para proporcionar às organizações as condições de flexibilidade e de funcionalidade. d) uma necessidade satisfeita não motiva mais o comportamento. A letra “D”é correta.

apesar de ser mais complexo que o tradicional. A estrutura matricial combina dois tipos de departamentalização. A letra “A” é correta. de tal forma que o negócio da empresa esteja claro para todas as pessoas que integram a organização. Considerando C – certas e E – erradas. Nesse contexto.pontodosconcursos. Em muitos casos a estrutura matricial é representada da seguinte forma: A opção “D” está para errada todos os porque níveis tático as da e interfaces entre os diferentes fluxos devem estar claras organização operacional). A letra “C” é correta. d) considerando que a característica morfológica desse tipo de estrutura implica numa mudança radical das responsabilidades. apresenta-se como uma opção de estrutura que possibilita às pessoas obterem uma visão global das operações e do negócio da organização. (estratégico. pode haver conflito de responsabilidades ou duplo comando. existe uma complexidade inerente à sua própria constituição que dificulta sua operacionalização. e) embora o modelo matricial busque a apropriação das vantagens de cada uma das estruturas. o organograma hierárquico vertical deve ser substituído por algo que represente um mapa organizacional. A letra “E” é correta. A principal restrição que é feita a esse tipo de estrutura é que. vertical e horizontal. assinale a opção correta. as interfaces entre o fluxo horizontal e vertical devem estar muito bem definidas e claras apenas para o nível estratégico/gerencial da organização. 17. A principal desvantagem da estrutura matricial é a duplicidade de comando. Geralmente citam a funcional com a por projetos e a por produtos. dependendo de como é concebida.br 78 .com. São estruturas flexíveis. www.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS c) o arranjo matricial. (ESAF/STN/2008) Analise as afirmações que se seguem. por isso a “B” também é correta. Gabarito: D.

C b) C . Tal item faz uma interpretação correta da possibilidade de dividirmos a cultura em um conjunto informal e outro formal. www. 18. Indique a opção que explica porque as organizações têm sua própria identidade.C . Considerando a cultura organizacional como uma variável organizacional. no entanto. sim.C . O subsistema humano cultural das organizações interage com outros subsistemas organizacionais como o gerencial. O item II é errado. conforme estudamos.E . têm características estruturais e tecnologias iguais e práticas semelhantes. pois a cultura organizacional se relaciona. a cultura é influenciada também por normas e regulamentos.C .E c) C .pontodosconcursos.C . A cultura organizacional é influenciada pela visão de mundo de cada um dos indivíduos que compõem uma organização e contribuem para a formação dos valores oficiais institucionais. o homem.E – C O item I classifica a cultura organizacional como um subsistema organizacional. O item III é correto e aborda a influência do indivíduo na cultura. mas dificilmente se relaciona com o subsistema estrutural. Gabarito: C. a) Cultura organizacional.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS I.br 79 . III. com o subsistema estrutural e com aspectos institucionalmente definidos.E d) E . o técnico e o estratégico. II. O item IV está errado. e pelo elemento formal.C e) E . uma se diferencia da outra assumindo uma identidade própria. A cultura organizacional está em constante mudança e reflete as relações informais dos atores sociais que não são influenciados por regras e normas perpetradas pela administração.C . IV.com. a) C .C . pode-se afirmar que a cultura pode ser interpretada como um subsistema organizacional composto pelo elemento informal. (ESAF/CGU/2008) Suponhamos duas organizações que atuam no mesmo negócio.E . a cultura oficial da empresa.E . pois.

(ESAF/CGU/2006) Indique a que critério de departamentalização se refere cada I. II. e) II – departamentalização por período. Gabarito: C. b) III – departamentalização por processo. Privilegia a especialização e o máximo de utilização das habilidades técnicas das pessoas. Escolha a opção correta. das máquinas e equipamentos. do conhecimento e da mão-de-obra. Desta vez. e) Contexto organizacional. Adapta-se as peculiaridades de cada mercado consumidor. d) Clima organizacional. na segunda a por processos e a terceira a territorial. Na primeira afirmação temos a departamentalização funcional. Facilita o emprego de tecnologia.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS b) Desenvolvimento organizacional. frase. Gabarito: A.com. www. temos uma questão que retoma a ideia de que a cultura organizacional tem forte relação com a noção de identidade. 19. c) Mapeamento da estrutura organizacional. III. c) I – departamentalização funcional. d) II e III – departamentalização por produto.br 80 .pontodosconcursos. a) I e III – departamentalização por cliente.

já que estão formalmente definidos. a) Ambiente externo estável e permanente é próprio de estruturas orgânicas. pelo auto-desenvolvimento dos funcionários. As estruturas mecanicistas são caracterizadas pela especialização. d) As organizações sujeitas à diferenciação necessitam de um esforço maior de integração. b) Ambiente externo instável e dinâmico é próprio de estruturas mecanistas. Normas de conduta. b) Clima organizacional. d) Clima organizacional. As orgânicas são caracterizadas pela flexibilidade. e) Normas de conduta. cargos. (ESAF/ANEEL/2006) Segundo o enfoque comportamental.pontodosconcursos. hierarquia e normas de conduta. cultura organizacional e comunicação. Assinale a resposta correta. a organização deve ser vista como um sistema social. pelo formalismo. onde a organização informal é maior que a formal. aprendizagem organizacional. clima organizacional e cultura organizacional. Gabarito: E. 21. Assinale a opção que apresenta somente componentes da organização informal. e são adequadas para ambientes estáveis. pela hierarquia. grupos formais. c) Cultura organizacional. c) As organizações que produzem em massa tendem a adotar estruturas orgânicas. e) Ambiente externo diferenciado exige produção contínua. pela inovação. depende de alguns condicionantes. grupos informais. padronização e automação. cargos e tarefas são componentes da organização formal. normas de conduta e aprendizagem organizacional. Gabarito: D.com. www. necessitam da orgânica e de uma maior integração.br 81 . (ESAF/CGU/2006) O tipo de estrutura organizacional a ser adotada por uma organização para ser mais bem-sucedida. hierarquia. tarefas e grupos informais. As organizações que produzem em massa tendem a adotar estruturas mecanicistas em virtude da sua maior simplicidade. a) Grupos informais.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 20. Já aquelas que têm maior diferenciação. grupos formais.

A cultura organizacional é o elo entre o nível individual e o nível organizacional no sentido de expressar a compatibilidade das expectativas. II.com.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 22. 23. Gabarito: B. www. ser ensinado aos novos membros de uma organização como o modo correto de perceber. I. valores e diretrizes formais. Classifique as alternativas em Verdadeiras (V) ou Falsas (F). pensar e sentir estes problemas é chamado de _____ . descobriu ou conjunto desenvolveu aprendendo a resolver seus problemas de adaptação externa e de integração interna e que funcionou suficientemente bem para ser considerado válido e. (ESAF/ANEEL/2006) As frases a seguir referem-se aos temas cultura e clima organizacional. e que funciona bem a ponto de ser considerado válido e desejável para ser transmitido aos novos membros como a maneira correta de perceber. (ESAF/ANEEL/2006) Complete a frase a seguir.pontodosconcursos. então. pensar e sentir em relação aos seus problemas. conforme a influência que sofre de algumas variáveis ao longo do tempo. indicando a resposta correta: O de suposições fundamentais que um grupo inventou. a) clima organizacional b) cultura organizacional c) comportamento organizacional d) liderança organizacional e) aprendizagem organizacional Segundo Shein: A cultura organizacional é um padrão de assuntos básicos compartilhados que um grupo aprendeu como maneira de resolver seus problemas de adaptação externa e integração interna. que predomina numa organização em um determinado período. O conceito apresentado na questão é praticamente idêntico a este. valores e interesses individuais com as necessidades. O clima organizacional é o reflexo do estado de espírito ou do ânimo das pessoas. sendo instável.br 82 .

estabelecer padrões de desempenho e motivar os empregados. O quarto item está certo ao elencar os valores como elementos constitutivos da cultura organizacional. e não do clima. www. mas. A cultura organizacional é formada por valores que definem questões que são prioritárias para a organização e estabelecem padrões a serem seguidos que fornecem um senso de direção comum para todos e um guia para o comportamento diário. IV. Aponte a resposta que contém apenas as opções corretas. na vida particular dos funcionários. A definição de heroi apresentada foi muito boa. no contexto sócio-econômico e político da organização como. fornecer modelos. III e IV e) II e IV O item I é correto. O clima organizacional refere-se a percepções e opiniões das pessoas. IV e V b) I. sendo considerado instável. O clima organizacional é caracterizado pela presença de herois que personificam os valores e condensam a força da organização com a função de tornar o sucesso atingível. III e V d) I. O clima organizacional é afetado por conflitos e por fatores positivos e negativos que ocorrem no ambiente de trabalho. a) II. O quinto item é errado.br 83 . parecida com a que vimos em aula. III e V c) II. diferentes fatores que podem influenciar o clima organizacional. V. Vejam que este é um tema recorrente em questões da Esaf! O item III elenca. e possui como característica o fato de que pode mudar rapidamente.com. também. O item II é errado porque a cultura não se refere apenas a aspectos formais. Gabarito: D. de maneira correta. os herois são elementos da cultura organizacional.pontodosconcursos.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS III. ao contrário do afirmado no item.

25.a organização é concebida como sistema fechado.seu objetivo é encontrar a melhor maneira de organizar. formulou uma síntese do que considerava válido. AIII – estruturalismo BIII . de caráter normativo e prescritivo. www. BII . julgando-as insatisfatórias.sua maior preocupação é com o relacionamento informal e social dos participantes em grupos sociais.escola clássica AII – escola humanista Coluna B BI . e) síntese da teoria comportamentalista e uma aproximação da teoria burocrática.com.a organização é concebida como uma unidade social complexa onde seus membros compartilham alguns objetivos da organização. BVI . Gabarito: B. BIV . (ESAF/STN/2005) Na coluna A.pontodosconcursos. c) desdobramento da teoria de sistemas. Solicita-se relacionar a coluna A com a coluna B e assinalar a opção que indica as relações corretas.sua abordagem é voltada para o interior da organização. d) desdobramento da teoria das relações humanas. BV . que fez um estudo das escolas anteriores e. (ESAF/STN/2005) A teoria estruturalista é uma (um) a) síntese da teoria da burocracia e uma aproximação da teoria clássica. Etzioni.cada organização deve ser estudada no seu contexto ambiental. identificam-se teorias administrativas e na coluna B.br 84 . à esquerda. a Teoria Estruturalista veio depois da perspectiva clássica e da escola de relações humanas. b) síntese da teoria clássica e da teoria de relações humanas. rígido e mecânico. Coluna A AI . à direita.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 24. ao que denominou de estruturalismo. Como vimos. válida para todo e qualquer tipo de organização. citam-se características de cada uma dessas teorias.

AII . entre as opções abaixo. do mercado e dos clientes. BIII e BV. Na Teoria Estruturalista. AII . conhecimento da organização. partiu-se da necessidade de visualizar a organização com uma unidade social: uma unidade grande e complexa.BII. atitudes do chefe. e) AI .BVI. que processo de gestão resulta da percepção e de sentimentos em relação aos seguintes aspectos: clareza dos objetivos da organização e do trabalho.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS a) AI . b) AI . Por fim.BV. mas que pode incompatibilizar com outros (como a maneira de distribuir lucros da organização).br 85 . (ESAF/EPPGG-MPOG/2005) Indique. AII .BVI. AII . Temos a relação entre AIII e BII. AII . qualidade da comunicação e do relacionamento entre colaboradores. as proposições da escola clássica têm caráter prescritivo e normativo já que estipulam como o administrador deve conduzir-se em todas as situações através do processo administrativo e quais os princípios gerais que deve seguir para obter a máxima eficiência. AIII .BII. O item BIV corresponde à teoria das contingências. www.com.BIII.BI.BII. e. rígido e mecânico. Gabarito: B.BV.BVI.BV.BIV.BI.BIII. AIII . a) Trabalho em equipe.BIII. Portanto.pontodosconcursos. b) Aprendizagem organizacional. podemos associar o AI com BI. equilíbrio na dedicação ao trabalho. d) AI . Vimos que a escola clássica buscava princípios universais. c) AI . Além disso. c) Clima organizacional. AIII . Associamos AII com BVI. que se aplicassem a qualquer tipo de organização. ambiente integrado e amigável. via a organização como um sistema fechado. AIII . AIII . A escola das relações humanas criticou o enfoque excessivo da escola clássica na estrutura formal e deu atenção à estrutura informal. 26. onde interagem grupos sociais que compartilham alguns dos objetivos da organização (como a viabilidade econômica da organização).

AV – BIII b) AI – BV AII – BII. o: 27. AIII – BI. e) Gestão de competências. AV – BI d) AI – BV AII – BIII. BII. Com base ne esse mod que a op pção que relacion corretame u ão a o ente cada tipo de estrutura com seu primeiro mecanis smo de co oordenaçã correspon ndente. AIV – BV. AIII – BIV. e Na estrut tura simple a coord denação é feita princ www. a) AI – BI AII – B IV.com. AV – BI V. AV – BV es cipalmente pela supervisão direta.CURSO ON-LIN – ADMI O NE INISTRAÇ ÇÃO PÚBLICA PAR ESAF RA PROFESSO EL OR: RAFAE ENCIN NAS d) Cultura organiza a acional. AV – BIII V. AIV – BIV. AII – B BII. AIV – BV. BIII. Gabarito C. e) AI – BI AII – B IV. AIII – BI. AIV – BI. AIII – BII. AIII – BII.b osconcurs br 86 . c) AI – BI III. de 1995. em seu livr m ro “Criando Organizaç 1 ssifica as estruturas organiza m ções Eficazes”.pontodo sos. AIV – BIV. o O clima organizac range per rcepções e sentime entos qua anto aos fatores d do cional abr s e ambiente de trabalho citados na quest tão. clas acionais em s cinco tip pos básico delo. (ES SAF/EPPGG G-MPOG/2 2005) A tipologia ap presentada por Minztberg. indiq e na os.

enfatizando a coordenação pela padronização do processo de trabalho. Gabarito: D.br 87 . o primeiro mecanismo de coordenação na forma divisionalizada é a padronização de resultados e o parâmetro-chave para delinear é o sistema de controle de desempenho. grande especialização horizontal do trabalho (baseada em treinamento formal).CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS A burocracia mecanizada é a estrutura mais próxima da burocracia descrita por Weber. As decisões são tomadas pelas divisões. A Adhocracia possui uma estrutura basicamente orgânica. tendência para agrupar os peritos em unidades funcionais ou em pequenas equipes de projeto baseadas no mercado. www.com. 28. A padronização das habilidades permite que os profissionais consigam se coordenar por saber exatamente o que esperar de seus colegas de trabalho. utilizando como instrumento de interligação o ajustamento mútuo intra e entre equipes.pontodosconcursos. A burocracia profissional se apoia na padronização das habilidades dos peritos e especialistas. A forma divisionalizada consiste num conjunto de entidades praticamente autônomas. aqui denominados profissionais. com baixa formalização do comportamento. tornando a formalização do comportamento um parâmetro chave para o planejamento. mas os resultados dessas decisões são monitorados pelo escritório central. Portanto. A coluna A diz respeito às principais áreas de interesse das teorias motivacionais e a coluna B às descrições dessas teorias. (ESAF/EPPGG-MPOG/2005) As teorias motivacionais podem ser classificadas em três grandes áreas de interesse. acopladas a uma estrutura administrativa central.

AII-BIII. os rias basea www. A . c) AI-BIII AII-BII. AII-BI. AIII-BI I. a) AI-BII. A questão citada. Estas necessida ades são traduzid das em conteúdos s. izados organi m em categorias.b osconcurs br 88 . AII-BIII. d) AI-BIII AII-BI. AIII-BII e) AI-BI. as biente (AII conside II) da As teorias baseada no amb s eram que a motivaç ção é depe endente d relação entre o ind divíduo e s ente extern (BIII). AIII-BI . AIII-BII A As teorias de cont ático (AI) explicam a motivaç ção a par rtir das ne ecessidade es teúdo está humanas.pontodo sos.CURSO ON-LIN – ADMI O NE INISTRAÇ ÇÃO PÚBLICA PAR ESAF RA PROFESSO EL OR: RAFAE ENCIN NAS nar a colu as Solicita-se relacion una A com a coluna B e ass m a sinalar a o opção que indica a e relações c corretas. A I.com. extraída do e seu ambie no o d concurso do MPOG de 2005 cita dois exemplo de teor G adas no ambiente: a 5. São exe emplificadas pelas teorias de Maslow e Herzberg (BIII) As teorias de proce s esso (AII) enfocam processos mentais q que influenciam a motivação e m o compor rtamento h humano (B BI). AIII-BIII b) AI-BII.

ou negativas. para prevê-lo. F. F. realizamos observações em outras pessoas (comparação social). produzir mais com menos. V. que corresponde justamente à relação entre custos e produtos.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS teoria do condicionamento e reforço operantes e a teoria da comparação social. buscamos prever a chance de um acontecimento. buscando reduzir os desperdícios. F. o ser humano é fortemente influenciado pelo ambiente. Por isso a primeira afirmação é verdadeira. assim. ( ) Fayol estudou a organização de cima para baixo. aprenderiam a agir de acordo com tais estímulos. Gabarito: B. F c) F. ( ) Fayol empreendeu o estudo de tempos e movimentos de modo a evitar desperdício e fadiga dos operários. A primeira refere-se ao chamado comportamentalismo (behaviorismo). e. tendo como principais representantes Taylor e Fayol. Já a teoria da comparação social enuncia que. V. As pessoas identificariam estímulos do ambiente com determinadas consequências. e. Assinale a seguir se as afirmativas são (V) verdadeiras ou (F) falsas. V. F. V.com.pontodosconcursos. F Vimos que a preocupação da administração científica era a eficiência. ou seja. para termos base para agir. F. ( ) A principal preocupação de Taylor era produzir mais com menos recursos. F. V d) F. dando ênfase à estrutura organizacional.br 89 . F b) V. ( ) Taylor definiu as funções da organização identificando a administração como função comum às demais. V e) V. a) V. Segundo esta teoria. por (ESAF/EPPGG-MPOG/2002) A Teoria das Organizações clássica caracterizava-se possuir uma visão mecanicista das organizações. www. 29. construída com base em experimentos científicos e de base relativamente mecânica. positivas.

ou seja. Este modelo está sujeito aos impactos causados pelo ambiente e pela tecnologia. a Teoria Clássica olhava para a estrutura.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS Enquanto a Administração Científica seria uma abordagem de baixo para cima. do todo – a organização – para suas partes – os departamentos. b) A palavra contingência significa incerteza. portanto a eficácia não poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional. do operário para o gerente. o contrário de certeza. A terceira afirmação é falsa. A palavra contingência significa “variáveis”. Gabarito: A. A última afirmação também é falsa. a) A palavra contingência significa certeza. d) A palavra contingência significa incerteza.com. de cima para baixo. da direção para a execução. e não Taylor. A letra “A” é incorreta. Foi Fayol. (ESAF/EPPGG-MPOG/2002) A Teoria Contingencial da administração mostra as organizações como um todo complexo. quem definiu as funções da administração. o www. Este modelo está sujeito aos impactos causados pela organização formal e pela tecnologia. constituído por um conjunto de pessoas e de recursos que buscam alcançar um objetivo que atenda às expectativas da sociedade. portanto a eficiência não poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional. Enquanto a Administração Científica focava as tarefas.br 90 . portanto a eficiência não poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional. Este modelo está sujeito aos impactos causados pela estrutura informal e pela tecnologia. a Teoria Clássica seria o inverso.pontodosconcursos. Este modelo está sujeito aos impactos da estrutura formal da organização e da motivação dos seus membros. A segunda afirmação é verdadeira. e) A palavra contingência significa incerteza. portanto a eficiência poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional. Foi Taylor quem empreendeu o estudo dos tempos e movimentos. estando sujeito a inúmeras variáveis. Assinale a seguir a opção que expressa corretamente as premissas da teoria contingencial. Este modelo está sujeito aos impactos causados pelo ambiente e pela tecnologia. portanto a eficácia poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional. 30. c) A palavra contingência significa incerteza. As variáveis que condicionam o modelo organizacional são externas.

1 c) 2. Gabarito: D. E 4. 4. 2. E 7. C 14. B 23. C 18. 2 www. a) 1. B 29. D 9. C 27. 1. B 26. A 11. 1. D 21.2 Lista das Questões 1. B 25. A 30. 1. 2. C 8. D 4. D 16. mas o mais eficaz em uma dada situação. A 2.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS ambiente e a tecnologia. D 3. E 12. D 17. 1. 2. 1. (ESAF/CVM/2010) Na Coluna I estão arroladas vantagens de estruturas organizacionais distintas. B 10. E 22. D 24. 1 d) 1. 1.com.br 91 . 1. Correlacione as colunas indicando as vantagens de cada organização-tipo e. D 15. A 19. 2. C 6. Esta teoria defende que não existe um modelo ideal. 2. 2 b) 2. C 20.1 Gabarito 1. D 28. ao final. selecione a opção que expresse a sequência correta para a Coluna I. B 5.pontodosconcursos. B 13. Na Coluna II tem-se a identificação das organizações-tipo.

(ESAF/CVM/2010) Podem ser consideradas características da organização matricial.pontodosconcursos. c) entropia positiva. tomada de decisões. (ESAF/CVM/2010) Para Kats e Kahn. costumes.com. tradições.br 92 . b) inexistência de limites ou fronteiras. 4. de coordenadores de projetos. d) utilização de alta tecnologia. e) importação-transformação-exportação de energia. c) A cultura organizacional condiciona e determina as normas de comportamento das pessoas dentro de cada empresa. c) especialização como critério determinante para a escolha das chefias. e) O clima organizacional influencia a motivação. (ESAF/CVM/2010) Sobre a cultura e o clima organizacional. 1. 1 2. www. processos de interação/influência. a) A cultura representa o ambiente de crenças e valores. exceto: a) direcionamento para objetivos. d) homogeneização. 2. conhecimentos e práticas de convívio social e relacionamento entre as pessoas. forças motivacionais. 3. o desempenho humano e a satisfação no trabalho. formulação de objetivos e controles. a organização como um sistema aberto apresenta a seguinte característica: a) finalidades diferenciadas. assinale a única opção falsa. b) alocação de equipes de unidades distintas para a execução de um mesmo projeto. 2. b) O clima pode ser tocado e visualizado.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS e) 1. Pode também ser percebido psicologicamente. e) existência de uma estrutura hierárquica vertical que conviva com uma estrutura superposta. horizontal. comunicações. d) São elementos de avaliação do clima organizacional: processos de liderança.

(ESAF/APO-MPOG/2010) O estudo da evolução do pensamento administrativo permite concluir. 6. E. e sim pelas demandas biológicas. C. E www. E d) E.pontodosconcursos. d) em organizações matricialmente estruturadas. acertadamente. que: a) as Teorias Científica e das Relações Humanas são abordagens de sistemas abertos. ( ) Na Escola das Relações Humanas. E. ( ) Na Escola das Relações Humanas. e) a Teoria Comportamental concebe o funcionário como um ‘homem social’. C. (ESAF/ANA/2009) A escola das Relações Humanas diferencia-se por ideias centrais das quais originaram-se críticas implacáveis contra o homo econômicus. o homem é apresentado como um ser que não pode ser reduzido a esquemas simples e mecanicistas.com. o homem não é condicionado pelo sistema social.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 5. c) a Teoria da Contingência enfatiza a importância da tecnologia e do ambiente.br 93 . 7. c) a abordagem de organização virtual é mais aplicável à estruturação de indústrias navais. b) em ambientes que privilegiam resultados. inexiste espaço para a adoção de estruturas colegiadas ou de assessoramento. E c) C. devido à complexidade das suas necessidades. C b) C. b) a Teoria das Relações Humanas despreza os objetivos organizacionais. é possível a coexistência de dois ou mais tipos de departamentalização. é correto afirmar: a) por ser contemporânea. d) as Teorias Estruturalista e dos Sistemas refletem uma abordagem prescritiva e normativa. a preocupação com a hierarquia é abolida. modelo elaborado pela Escola Clássica. (ESAF/APO-MPOG/2010) Sobre o tema ‘departamentalização e divisão do trabalho’. ( ) O modelo da Escola das Relações Humanas é o homo complexus. Analise as afirmações abaixo e selecione a opção que representa o resultado de sua análise. e) em grandes organizações. a abordagem matricial é preferível à funcional. a) C.

c) Símbolos – objetos e ações ou eventos dotados de significados especiais e que permitem aos membros da organização trocarem ideias complexas e mensagens emocionais. que: a) a resolução de problemas organizacionais pode ser tentada pela aplicação conjunta de várias Teorias Administrativas. C 8. papeis informais. (ESAF/ANA/2009) Pode-se conceituar cultura organizacional como o modelo dos pressupostos básicos que um dado grupo inventou.pontodosconcursos. Assinale abaixo a opção que não apresenta um elemento relacionado à cultura organizacional de uma empresa. 9. admissão. www. d) Preços – valores definidos para a comercialização de produtos e que definem um segmento do mercado. descobriu ou desenvolveu no processo de aprendizagem. (ESAF/ANA/2009) Nos casos em que. ainda que suas abordagens sejam. em uma organização. para lidar com os problemas de adaptação externa e integração interna (Shein. As empresas definem alguns valores que resistem ao teste do tempo. as áreas operativas do serviço possam se desenvolver essencialmente por projetos. e) Processo de comunicação – tem a função de transmitir e administrar a cultura e inclui a rede de relações. antagônicas. à primeira vista. etc. acertadamente.com. é melhor que se adote a estrutura: a) Linear. permite concluir.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS e) E. rituais e cerimônias – são atividades planejadas para tornar a cultura mais visível e coesa. d) Holográfica. etc. 1985). 10. C. visando assegurar a constituição de equipes multidisciplinares com base na mobilidade funcional. b) Matricial. bem como de suas teorias e abordagens. e) Em Rede.br 94 . etc. Seriam os processos de integração. b) Ritos. c) Funcional. devendo agrupar-se por centros de competências ou de produtos bem identificados. a) Valores – são definições do que é importante para atingir o sucesso. (ESAF/EPPGG-MPOG/2009) Conhecer a evolução do pensamento administrativo.

hierárquicos.com. um desenho organizacional orgânico. afastando-a de seus objetivos. a abordagem burocrática enrijece a organização. não sendo aplicável em nossos dias. (ESAF/EPPGG-MPOG/2009) Pensar em estrutura organizacional importa saber que as seguintes afirmativas são corretas. c) uma arquitetura organizacional adequada é aquela que permite alinhar a estratégia a seus elementos essenciais: estrutura. emergente e proativa. a Administração independe de outras ciências. d) a Teoria Clássica da Administração possui apenas valor histórico e referencial.br 95 . é inviável a adoção de estruturas inovativas. (ESAF/EPPGG-MPOG/2009) Ao lidar com o tema “departamentalização”.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS b) como ciência. processos. mais rígido e programável. exceto: a) em organizações que operam em ambientes instáveis. sendo pouco afetada pelos valores e crenças das pessoas que a integram. recursos humanos sistemas informacionais. se impõe. b) cada nível hierárquico comporta não mais que um tipo de departamentalização. b) organizações que adotam um desenho organizacional burocrático-mecanicista refletem uma estratégia mutante. e) organizações que adotam um desenho organizacional burocrático-mecanicista preservam uma estrutura rígida e verticalizada. Esses modelos preconizam que as rotinas da organização ocorrem em www. em nome da eficácia. em nome da eficiência. se impõe. mais flexível e capaz de se reprogramar. 11.pontodosconcursos. c) formas tradicionais de departamentalização estimulam a comunicação horizontal. d) no âmbito da administração pública. Uma possibilidade é agrupar os chamados “modelos fechados” de organização. 13. e) a cultura de uma organização é determinada por sua estrutura. formais e mecanicistas. também conhecidos como modelos burocráticos. é correto pressupor que: a) o gerenciamento de projetos é inviável em um ambiente matricialmente estruturado. d) em organizações que operam em ambientes estáveis. 12. e) estruturas matriciais não se caracterizam pelo prestígio à unicidade de comando. um desenho organizacional burocrático-mecanicista. (ESAF/EPPGG-MPOG/2008) As teorias das organizações podem ser classificadas de diferentes formas. c) ao enfatizar as tarefas.

pontodosconcursos. III e IV. a perspectiva burocrática de Max Weber. II e III. III. V. c) Apenas as afirmativas I. os 7 princípios da gestão administrativa (POSDCORD) cunhados nos trabalhos de Luther Gulick e Lyndall Urwick. II. Johan Olsen. julgue as questões abaixo como Verdadeiras V ou Falsas F. recomendam a especialização e a divisão de trabalho. e) Apenas as afirmativas I. Prêmio Nobel de Economia.br 96 . a) F. as contribuições sobre comportamento organizacional propostas por Herbert Simon. F b) F. F. 14. o “pai da sociologia”. (ESAF/EPPGG/2008) Sobre a Teoria Institucional. Nesse grupo de teorias poderíamos classificar: I. percebem que os conflitos internos podem ser controlados e reconhecem as virtudes das hierarquias. ( ) Preconiza a existência de um modelo de intervenção estatal baseado em técnicas de planejamento estratégico capazes de estabelecer cenários e mitigar incertezas.com. IV e V. V. d) Apenas as afirmativas II. III e V. em seu livro Administration Industrielle et Generale. Estão corretas: a) As afirmativas I. III. V c) V. V. ( ) Entre suas contribuições principais. V. os Princípios de Administração Científica de Frederik Taylor. Indique a opção correta. F. os estudos sobre organizações do filósofo francês Saint-Simon e de seu protegido Auguste Comte. dinâmicas e influenciadas pelas instituições políticas.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS condições estáveis. II e IV. F. F. b) Apenas as afirmativas I. IV. ( ) É fundada na existência de um modelo de gestão pública universal proposto pelo engenheiro francês Henri Fayol. Paul Di Maggio e Walter Powell. destacam-se os trabalhos desenvolvidos por James March. publicado na França em. F. ( ) Percebe a organização como um sistema social restrito por regras e normas que condicionam as escolhas e o comportamento de indivíduos e grupos. II. ( ) Considera as preferências do grupo como sendo inconsistentes. V www. V.

o organograma hierárquico vertical deve ser substituído por algo que represente um mapa organizacional. e) a motivação gera grande necessidade de feedback para a organização. apesar de ser mais complexo que o tradicional. e existem fatores que não motivam. F. e há uma alta correlação entre a necessidade de realização e o desenvolvimento eficaz da organização. e os administradores com grande poder usam esses poderes mais em benefícios de si próprios que da organização. ainda que sejam perenes.com. resolvendo em parte o problema da centralização/descentralização. de tal forma que o negócio da empresa esteja claro para todas as pessoas que integram a organização. www. assim. c) as necessidades obedecem a uma hierarquia que pode ser influenciada pela cultura. possibilitando-as. F e) V. b) esse tipo de estrutura foi projetado para proporcionar às organizações as condições de flexibilidade e de funcionalidade. F. as interfaces entre o fluxo horizontal e vertical devem estar muito bem definidas e claras apenas para o nível estratégico/gerencial da organização. é incorreto afirmar: a) a essência da estrutura matricial é a de combinar as características das estruturas verticais (funções) e das horizontais (processos). 16. b) as necessidades mais básicas do homem são as fisiológicas e as de segurança. d) considerando que a característica morfológica desse tipo de estrutura implica numa mudança radical das responsabilidades. (ESAF/STN/2008) Acerca da estrutura matricial. F 15.pontodosconcursos. e um homem motivado deixa de se importar com as pequenas dificuldades do dia-a-dia. mas que contribuem para a insatisfação se não estão presentes. V. V. os fatores motivadores relacionam-se com o contexto do trabalho.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS d) V. apresenta-se como uma opção de estrutura que possibilita às pessoas obterem uma visão global das operações e do negócio da organização. d) uma necessidade satisfeita não motiva mais o comportamento. V. respectivamente: a) as necessidades humanas podem ser colocadas em uma hierarquia de importância. (ESAF/STN/2008) São características das teorias motivacionais de Maslow e Herzberg. c) o arranjo matricial.br 97 . de reagirem rapidamente às mudanças ambientais a que normalmente estão submetidas. Nesse contexto. F.

a) Cultura organizacional. a) C . I.br 98 .C .E . assinale a opção correta. Indique a opção que explica porque as organizações têm sua própria identidade. pode-se afirmar que a cultura pode ser interpretada como um subsistema organizacional composto pelo elemento informal. (ESAF/CGU/2008) Suponhamos duas organizações que atuam no mesmo negócio. pode haver conflito de responsabilidades ou duplo comando.C b) C . III. a cultura oficial da empresa. A cultura organizacional está em constante mudança e reflete as relações informais dos atores sociais que não são influenciados por regras e normas perpetradas pela administração.C .C .pontodosconcursos.E . dependendo de como é concebida. uma se diferencia da outra assumindo uma identidade própria. 17. A principal restrição que é feita a esse tipo de estrutura é que. o técnico e o estratégico.E d) E . d) Clima organizacional. o homem. Considerando C – certas e E – erradas. no entanto. e) Contexto organizacional.E – C 18. O subsistema humano cultural das organizações interage com outros subsistemas organizacionais como o gerencial.C . A cultura organizacional é influenciada pela visão de mundo de cada um dos indivíduos que compõem uma organização e contribuem para a formação dos valores oficiais institucionais. vertical e horizontal. c) Mapeamento da estrutura organizacional.E c) C . mas dificilmente se relaciona com o subsistema estrutural. IV. existe uma complexidade inerente à sua própria constituição que dificulta sua operacionalização. www.com. (ESAF/STN/2008) Analise as afirmações que se seguem. Considerando a cultura organizacional como uma variável organizacional.C .CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS e) embora o modelo matricial busque a apropriação das vantagens de cada uma das estruturas.C e) E . b) Desenvolvimento organizacional. e pelo elemento formal.C . II. têm características estruturais e tecnologias iguais e práticas semelhantes.E .

grupos informais. 20. cargos. Adapta-se as peculiaridades de cada mercado consumidor. e) Ambiente externo diferenciado exige produção contínua. a) I e III – departamentalização por cliente. hierarquia e normas de conduta. (ESAF/CGU/2006) Indique a que critério de departamentalização se refere cada frase. d) As organizações sujeitas à diferenciação necessitam de um esforço maior de integração. b) III – departamentalização por processo. I.br 99 .CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 19. d) Clima organizacional. e) II – departamentalização por período. www. Assinale a resposta correta. e) Normas de conduta. grupos formais.pontodosconcursos. c) As organizações que produzem em massa tendem a adotar estruturas orgânicas. padronização e automação. Escolha a opção correta. normas de conduta e aprendizagem organizacional. b) Clima organizacional. d) II e III – departamentalização por produto. onde a organização informal é maior que a formal. c) Cultura organizacional. c) I – departamentalização funcional. III. b) Ambiente externo instável e dinâmico é próprio de estruturas mecanistas. do conhecimento e da mão-de-obra. a) Ambiente externo estável e permanente é próprio de estruturas orgânicas. a organização deve ser vista como um sistema social. (ESAF/CGU/2006) O tipo de estrutura organizacional a ser adotada por uma organização para ser mais bem-sucedida. II. clima organizacional e cultura organizacional. tarefas e grupos informais. (ESAF/ANEEL/2006) Segundo o enfoque comportamental.com. 21. cultura organizacional e comunicação. aprendizagem organizacional. a) Grupos informais. das máquinas e equipamentos. Privilegia a especialização e o máximo de utilização das habilidades técnicas das pessoas. depende de alguns condicionantes. Facilita o emprego de tecnologia. Assinale a opção que apresenta somente componentes da organização informal. hierarquia.

a) clima organizacional b) cultura organizacional c) comportamento organizacional d) liderança organizacional e) aprendizagem organizacional 23. A cultura organizacional é o elo entre o nível individual e o nível organizacional no sentido de expressar a compatibilidade das expectativas. indicando a resposta correta: O conjunto de suposições fundamentais que um grupo inventou. valores e diretrizes formais. III e V c) II.br 100 . (ESAF/ANEEL/2006) As frases a seguir referem-se aos temas cultura e clima organizacional. Classifique as alternativas em Verdadeiras (V) ou Falsas (F).CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 22. a) II. conforme a influência que sofre de algumas variáveis ao longo do tempo. I. que predomina numa organização em um determinado período. na vida particular dos funcionários. IV e V b) I. O clima organizacional é o reflexo do estado de espírito ou do ânimo das pessoas. (ESAF/ANEEL/2006) Complete a frase a seguir. então. III e V d) I. pensar e sentir estes problemas é chamado de _____ .com. V. O clima organizacional é afetado por conflitos e por fatores positivos e negativos que ocorrem no ambiente de trabalho. fornecer modelos. também. O clima organizacional é caracterizado pela presença de herois que personificam os valores e condensam a força da organização com a função de tornar o sucesso atingível. IV. III e IV e) II e IV www. valores e interesses individuais com as necessidades. no contexto sócio-econômico e político da organização como. II. estabelecer padrões de desempenho e motivar os empregados. ser ensinado aos novos membros de uma organização como o modo correto de perceber. sendo instável. Aponte a resposta que contém apenas as opções corretas. descobriu ou desenvolveu aprendendo a resolver seus problemas de adaptação externa e de integração interna e que funcionou suficientemente bem para ser considerado válido e.pontodosconcursos. A cultura organizacional é formada por valores que definem questões que são prioritárias para a organização e estabelecem padrões a serem seguidos que fornecem um senso de direção comum para todos e um guia para o comportamento diário. III.

à esquerda. AII .a organização é concebida como sistema fechado.BIII. c) desdobramento da teoria de sistemas.BII. BIV . 26.pontodosconcursos. Solicita-se relacionar a coluna A com a coluna B e assinalar a opção que indica as relações corretas.sua abordagem é voltada para o interior da organização.BV.sua maior preocupação é com o relacionamento informal e social dos participantes em grupos sociais. que processo de gestão resulta da percepção e de sentimentos em relação aos seguintes aspectos: clareza dos objetivos da organização e do trabalho. 25.BIII. AII . BV . www.BII. à direita. AII .BVI. conhecimento da organização. e) síntese da teoria comportamentalista e uma aproximação da teoria burocrática. AIII .BI.BVI.BI. c) AI . e) AI . atitudes do chefe.a organização é concebida como uma unidade social complexa onde seus membros compartilham alguns objetivos da organização.cada organização deve ser estudada no seu contexto ambiental.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 24.BII.seu objetivo é encontrar a melhor maneira de organizar.BVI. a) AI .br 101 . válida para todo e qualquer tipo de organização. BII . identificam-se teorias administrativas e na coluna B. (ESAF/STN/2005) Na coluna A. entre as opções abaixo. AIII . qualidade da comunicação e do relacionamento entre colaboradores. (ESAF/STN/2005) A teoria estruturalista é uma (um) a) síntese da teoria da burocracia e uma aproximação da teoria clássica.com. AIII . Coluna A AI .escola clássica AII – escola humanista Coluna B BI . AIII . rígido e mecânico. (ESAF/EPPGG-MPOG/2005) Indique.BIV.BV.BV. de caráter normativo e prescritivo. AII .BIII. d) AI . b) AI . AIII – estruturalismo BIII . BVI . AII . AIII . citam-se características de cada uma dessas teorias. d) desdobramento da teoria das relações humanas. b) síntese da teoria clássica e da teoria de relações humanas.

AV – BIII b) AI – BV AII – BII. AIV – BI. www. (ESAF 05) As teo tivacionais podem s F/EPPGG-M MPOG/200 orias mot s ser classif ficadas em se três grandes áreas de interes ais sse. AIII – BII. c) AI – BI III. AIII – BI. a) Trabalho em equ dizagem organizacio o onal. AV – BV m 28. BIII. AV – BI V. Com base ne esse mod que a op pção que relacion pos básico e delo. AII – B BII. AV – BI d) AI – BV AII – BIII. a ambiente integrado e i amigável. BII.com. AIII – BI. AIII – BII. de 1 1995. em seu livr m ro m ções Eficazes”. AIV – BIV. as . e. AV – BIII V. a d) Cultura organiza o e) Gestão de competências.CURSO ON-LIN – ADMI O NE INISTRAÇ ÇÃO PÚBLICA PAR ESAF RA PROFESSO EL OR: RAFAE ENCIN NAS do mercado e dos c clientes. AIV – BIV. AIV – BV. indiq corretame ão a o u ente cada tipo de estrutura com seu primeiro mecanis smo de co oordenaçã correspon ndente. AIV – BV. (ESAF F/EPPGG-M MPOG/200 ologia apr resentada por Minz ztberg. clas s acionais em “Criando Organizaç ssifica as estruturas organiza na cinco tip os. e equilíbrio n dedicaç na ção ao trab balho. b) Aprend organizacional. A colu una A diz respeito às principa áreas de interess à d das teoria motivac as cionais e a coluna B às descriç ções dessa teorias. e) AI – BI AII – B IV.b osconcurs br 102 .pontodo sos. uipe. 05) A tipo 27. AIII – BIV. a) AI – BI AII – B IV. c) Clima o acional.

d) AI-BIII AII-BI. as do ( ) A principal preo ocupação d Taylor e produzir mais com menos recursos buscand s. (ESAF es possuir uma visão mecanicis das org sta ganizações tendo como princ s. a) AI-BII. reduzir os desperdí s ( ) Fayo estudou a organ u ra ol nização de cima para baixo dando ênfase à estrutur p o. AIII-BIII b) AI-BII. www. A I. AIII-BII e) AI-BI.O NE INISTRAÇ ÇÃO PÚBLICA PAR ESAF RA CURSO ON-LIN – ADMI PROFESSO EL OR: RAFAE ENCIN NAS nar a colu Solicita-se relacion una A com a coluna B e ass m a sinalar a o opção que indica as e a relações c corretas. c cipais repr resentante ) Taylor e F Fayol.com. AIII-BI I. AIII-BII A ria or F/EPPGG-M MPOG/200 A Teor das Org 02) ganizações clássica caracteriz zava-se po 29. AII-BI. AII-BIII. c) AI-BIII AII-BII. de era s ícios. ão ( ) Taylor definiu as funções da organização ide omo funçã entificando a administração co r o comum às demais. organizac cional. AIII-BI . A . AII-BIII.pontodo sos.b osconcurs br 103 . Assinale a seg guir se as afirmativa são (V) verdadeiras ou (F) falsas.

Disponível em: www. V. Este modelo está sujeito aos impactos causados pela organização formal e pela tecnologia. 5 Leitura Sugerida “Cultura organizacional do setor público brasileiro”. F 30. b) A palavra contingência significa incerteza. F b) V.com. portanto a eficácia poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional. portanto a eficiência não poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional. Este modelo está sujeito aos impactos causados pelo ambiente e pela tecnologia. portanto a eficiência não poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional. constituído por um conjunto de pessoas e de recursos que buscam alcançar um objetivo que atenda às expectativas da sociedade. estando sujeito a inúmeras variáveis. d) A palavra contingência significa incerteza. c) A palavra contingência significa incerteza. portanto a eficácia não poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional. Assinale a seguir a opção que expressa corretamente as premissas da teoria contingencial. V. e) A palavra contingência significa incerteza. F. a) A palavra contingência significa certeza. a) V. V. V e) V. F. Este modelo está sujeito aos impactos da estrutura formal da organização e da motivação dos seus membros. V. Pedro Paulo Carbone. F. F c) F. Este modelo está sujeito aos impactos causados pela estrutura informal e pela tecnologia.pontodosconcursos. F. F. (ESAF/EPPGG-MPOG/2002) A Teoria Contingencial da administração mostra as organizações como um todo complexo.br 104 . V d) F. F. portanto a eficiência poderá ser atingida utilizando-se um único modelo organizacional.CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS ( ) Fayol empreendeu o estudo de tempos e movimentos de modo a evitar desperdício e fadiga dos operários. Este modelo está sujeito aos impactos causados pelo ambiente e pela tecnologia.

São Paulo: Atlas. São Paulo: Pioneira Thompson Learning.enap. Ana Paula. Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial. São Paulo: Atlas. MARTINS. www.com. Teoria Geral da Administração. Teoria Geral da Administração. 2005. Henry. PEREIRA. 2003. A. Cadernos ENAP. Reforma da Administração Pública e cultura política no Brasil: uma visão geral. DAFT.php/1/moddata/glossary/1/14/013CARBONECultOrgSetorPubBr2000.pontodosconcursos.admead.pdf 6 Bibliografia CHIAVENATO. Humberto Falcão Martins. Introdução à Organização Burocrática. 2006. Criando Organizações Eficazes.pdf “Uma metodologia de modelagem da estrutura organizacional”. Luis Carlos Bresser. MAXIMIANO. MINTZBERG. PAES DE PAULA. Rio de Janeiro: FGV. no. 2002. 2007. São Paulo: Brasiliense. Por uma nova gestão pública: limites e potencialidades da experiência contemporânea. Richard L. A. C. Rio de Janeiro: Elsevier. 2001. PEREIRA.gov. Políticas de gestão pública e ampliação do controle. São Paulo: Pioneira Thompson Learning. Administração.ufla. Gareth. MORGAN.br/moodle/file. Reinaldo Oliveira da. Idalberto. Disponível em: http://www. 2001. Humberto Falcão. 2008. MARTINS. PRESTES MOTTA. Teorias da Administração. Imagens da Organização. 2005.br/downloads/ec43ea4fuma_metodologia. F.br 105 .CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PARA ESAF PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS www. Rio de Janeiro: FGV. São Paulo: Atlas. Luis Carlos Bresser. C.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->