Aø Gø Dø Gø Aø Dø Uø

Supremo Conselho para Portugal

Dos Soberanos Grandes Inspectores-gerais do 33º e Último Grau do Rito Escocês Antigo e Aceite GRAUS INEFÁVEIS

RITUAL DO GRAU 4 MESTRE SECRETO

Janeiro 94

Este exemplar, cuja autenticidade garantimos, e propriedade do Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Escocês e Antigo e Aceite da Maçonaria para Portugal.

SOBERANO GRANDE COMENDADOR

GRANDE SECRETARIO GERAL

Para uso e guarda de: _________________________________________ _______________________________________________________________ _______________________________________________________________

2

RITUAL DO GRAU 4 MESTRE SECRETO 1ª PARTE

Considerações Gerais Os Rituais aprovados pelo Supremo Conselho do Grau 33 do R i t o Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria para Portugal, são os únicos a serem usados pelos Corpos Filosóficos Subordinados da Jurisdição. Todos os exemplares, para que tenham a devida e indispensável garantia oficial serão autenticados pelas chancelas (sinetes, timbres) e assinaturas do Soberano Grande Comendador e do Grande Secretário do Interior. A LOJA DE PERFEIÇÃO e o Corpo Subordinado que rege a Primeira Série, denominado Graus Inefáveis são o governo dos Graus 4 ao 14 inclusive, do Rito Escocês Antigo e Aceito. Só poderá ser eleito Presidente de um a Loja de Perfeição o Irmão que possua, no mínimo, o Grau 14. Se na hora fixada para a abertura da Sessão o Presidente não estiver presente e houver número legal, o seu substituto presidirá os trabalhos, caso não esteja presente um Membro Efectivo do Supremo Conselho ou Inspector Litúrgico da Região, a quem competirá a Presidência.

3

PRINCÍ PIOS REGULAMENTARES É dever de todas as Lojas de Perfeição visitarem-se constantemente, pelas respectivas administrações, por comissões e quando em Orientes distantes, por assídua correspondência. Quando solicitadas a prestarem informações sobre qualquer Irmão, di-las-ão francas, precisas e sem protelação. O Mestre Secreto tem por dever e estrita obrigação assistir a todas as reuniões da sua Loja de Perfeição e quando, por doença ou por impedimento não possa comparecer, comunicará por escrito, ao Presidente, enviando-lhe, ao mesmo tempo, o seu óbolo para o Tronco de Solidariedade, pois nunca se esquecerá que a colecta em auxilio dos necessitados é obrigatória, cabendolhes sempre, o dever de visitar os Irmãos enfermos ou sofredores e, em caso de falecimento, comparecerem aos funerais, realizando se possível as cerimónias maçónicas fúnebres, apropriadas ao acto. A Loja de Perfeição, por sua vez, não homenagens a serem prestadas a sua memória. descurará das

O Titular de qualquer cargo, excepto o Presidente, ao penetrar no Templo, se a Sessão já tiver começado fará as saudações usuais e irá sentar-se no ultimo lugar do lado Sul, até receber o convite para ocupar o posto que lhe compete. O Processo a ser observado nas Iniciações, Filiações e Regularizações é prescrito nos Estatutos e Regulamentos Gerais deste Supremo Conselho. Nas reuniões, só poderão tomar parte nas discussões e votações os Irmãos regulares e que estejam revestidos das respectivas insígnias e paramentos dos cargos que exercerem.

4

Os postos de Guarda da Torre e de Cobridor serão sempre ocupados por Mestres Secretos mais novos. Todos os Membros de uma Loja de Perfeição são quotizantes. Antes de abertos os trabalhos o Presidente dará reservadamente ao Gø da Torre uma Pø de Pø (Senha do Dia), o qual em seguida a levará sigilosamente ao Irø designado pelo Presidente, para falar no encerramento sobre a palavra escolhida (Senha do Dia). O Irø que desejar retirar-se do Templo, após obtida a permissão para cobrir, o Irø irá ao Trono receber a Senha do Dia e ao retirar-se, depositará na Bolsa do Tronco de Solidariedade em poder do 2°Vigø, o seu óbolo e dará no ouvido direito do Gø da Torre a Pø de Pø (Senha do Dia), sem a qual nenhum dos Obreiros poderá retirar-se do Templo, em seguida prestará o seu Juramento de guardar o mais profundo Sigilo sobre tudo quanto se passou nessa Sessão. O Grau 4 é consagrado ao silêncio e à discrição do bom Obreiro, cuja sinceridade, justiça e vigilância no fiel cumprimento do dever, são as Leis Supremas dos Maçons.

REUNIÃO PRELIMINAR Uma Sessão antes da INICIAÇÃO no Grau 4 e depois dos Candidatos terem preenchido os modelos RøSø, observadas as formalidades quanto a interstícios, recolhimentos à Tesouraria e outras, na forma da Lei concernente, o Presidente da Loja de Perfeição reunirá os Candidatos para lembrar-lhes os deveres pertinentes aos Graus anteriores, induzi-los a estudos mais amplos da História da Maçonaria.

5

antes da abertura ritualista. se desejar ampliar as suas explicações. indicará aos Candidatos os vários livros em que poderão estudar. A principal observação a fazer é que o Rito não é mais do que um sistema destinado a coordenar os ensinamentos maçónicos e que assim sendo o Rito Escocês Antigo e Aceito é o melhor repertório de doutrinas e tradições dos Estudos dos Mistérios da Arte Real. Câmara dos Mestres Secretos no Grau 4. Toques. conforme o assunto. RECAPITULAÇÃO dos Sinais. pelo TøVøPøMø designando desde logo o Irmão que deverá falar sobre a SENHA escolhida. votação e assinatura da Coluna Gravada da última Sessão. 6 . 1 – Abertura Ritualista – com acedimento das luzes do Cerimonial. será preciso ensinamento. de acordo com o Cobridor do Grau. 3 – Leitura do Balaústre – Discussão. ORDEM DOS TRABALHOS A ordem regular dos trabalhos nas Lojas de Perfeição. SIGILOSAMENTE DA SENHA DO DIA. é a seguinte. estando a Loja composta: I – COMUNICAÇÃO AO Gø DA TORRE. questões que podem versar sobre assuntos profanos de utilidade social. pois todos eles deverão ser encadernados em volumes. Palavras. O Presidente orientará os Candidatos na explanação das questões escolhidas para as respectivas teses. 2 – Entrada de Visitantes. Se. porém não o fizer.Com base na sua orientação. o Presidente seguirá as seguintes instruções. etc.. Para a confecção desses trabalhos será fixado o formato do papel.

submetendo-se à discussão as informações sobre Candidatos à INICIAÇÃO. VISITANTES E HONRARIAS Todos os Corpos Subordinados devem ter. devendo ficar para a próxima Sessão os demais assuntos. II – ORDEM DO DIA 1 – Discussão e votação dos Projectos de Admissão. cuja colecta será verificada. e providências concernentes. cumpra este dever. Actos e Resoluções dos Poderes Superiores. 5 – Bolsa de Proposições e informações. em Geral e do Rito Escocês Antigo e Aceito em particular. para falar a Senha do Dia. o u relativa ao Rito. correspondência recebida e expedida. cujos Processos estejam em andamento. etc. na antecâmara. residência. dispensado o escrutínio secreto e aprovação por maioria de votos. 3 – Bolsa do Tronco de Solidariedade. 4 – Palavra a bem da Ordem – Palavra a bem da Maçonaria. 7 . um livro de presença em que os IIrø e Visitantes lançarão os seus nomes. III – DIGNIDADES. Facultada a exigência de apresentação de trabalhos. quadro a que pertencem. procede-se à INSTRUÇÃO do Grau o u palestra filosófica concernente a aumento de salário. 6 – Encerramento Ritualista da Sessão. FILIAÇÃO OU REGULARIZAÇÃO. cargos. cadastros. graus. 2 – N ã o havendo INICIAÇÃO. 7 – Pareceres das Comissões – que serão submetidos a discussão e votação para providências.4 – Expediente – Constando de leitura de Decretos. reconhecido como Maçom regular. 5 – Palavra ao Irødesignado. Nenhum Irmão ou Visitante será recebido no Templo. 6 – Relatório do Irmão Hospitaleiro. sem que.

como Presidente dos Trabalhos. 8 . ou na sua ausência o seu representante legal. acompanhado pelo M? de CCerø e mais 9 (nove) IIrø com espadas na mão esquerda e estrelas na mão direita. Secø e mais 11 (onze) IIrø com espadas na mão esquerda e estrelas na mão direita. Os VVigø baterão incessantemente os seus Malhetes acompanhados por todos os IIrø até o Soberano Grande Comendador assumir a Presidência e a Direcção dos Trabalhos. bem como Soberanos Grandes Comendadores de Honra. formando uma abobada de aço. b) Lugar-tenente Comendador desta ou de outra Jurisdição Regular será recebido pelo Presidente do Corpo. será sempre recebido após a formação da abobada de aço. Quando então. Os VVigø baterão alternadamente os seus Malhetes acompanhados por todos os IIrø. ao Presidente do Corpo Subordinado. Os VVigø baterão incessantemente os seus Malhetes acompanhados por todos os IIrø. formando uma abobada de aço. até o Membro Efectivo assumir a Presidência dos Trabalhos. As honras a serem prestadas aos IIrø ou Visitantes são as seguintes: a) Soberano Grande Comendador desta ou de outra Jurisdição Regular. serão recebidos pelo Presidente do Corpo.O Soberano Grande Comendador. como Chefe Supremo do Rito Escocês Antigo e Aceite e conduzido ao Oriente. até o Lugar-tenente Comendador assumir a Presidência e a Direcção dos Trabalhos. honras iguais prestar-se-ão aos GGrø Inspectores Litúrgicos quando Membros Efectivos. facultar a direcção dos mesmos. formando abobada de aço. c) Membro Efectivo e Emérito deste ou de outro Supremo Conselho Regular serão recebidos pelo Presidente do Corpo. acompanhado pelo Mø de CCerø e mais 10 (dez) IIrø com espadas na mão esquerda e estrelas na mão direita. Oradø. acompanhado pelo Mø de CCerø. poderá se assim o desejar.

c e d. Chegando ao Oriente o Presidente do Corpo. oferece-lhe o Malhete e a Direcção dos Trabalhos. O Inspector Litúrgico poderá declinar a Direcção dos Trabalhos e agradecendo. desce as espadas do Trono.d) Inspector Litúrgico quando não for Membro Efectivo é recebido pelo Presidente do Corpo acompanhado pelo Mø de CCerø e mais 8 (oito) IIrø com espadas na mão esquerda e estrelas na mão direita. Chegando ao Trono. com espadas na mão esquerda e estrelas na mão direita. Presidentes dos Consistórios de Príncipes do Real Segredo e Membros Honorários do Supremo Conselho têm o direito de serem recebidos por 7 (sete) IIrø com espadas na mão esquerda e estrelas na mão direita. neste caso. agradecendo e a seguir sentar-se à direita do Presidente. e) Delegados Litúrgicos Regionais. O Irø Visitante poderá declinar. formando uma abobada de aço. formando abobada de aço. 9 . h) Presidentes das EExcø Lojas de Perfeição e os Cavaleiros Rosa-Cruz serão recebidos por 4 (quatro) IIrø com espadas na mão esquerda e estrelas na mão direita. salvo não estiver presente nenhum dos IIrø compreendidos nas letras a. depois do fazê-lo aplaudir pela Bateria do Grau. b. formando uma abobada de aço. o Presidente entregará o Malhete à Presidência e a Direcção dos Trabalhos. formando uma abobada de aço. formando uma abobada de aço. Os VVigø baterão os seus Malhetes à Bateria do Grau. o Ir? sentarse-á no Oriente. g) Presidentas dos Sublimes Capítulos Rosa-Cruz e os Cavaleiros Kadosch serão recebidos por 5 (cinco) IIrø com espadas na mão esquerda e estrelas na mão direita. f) Presidentes dos Conselhos de Cavaleiros Kadosch e Príncipes do RøSø serão recebidos por 6 (seis) IIrø. ficará a Presidir os mesmos.

c e d. f} Presidente do Corpo. ou quando já estiver presente o Delegado Litúrgico ou o Presidente do Consistório de PPrincø do RøSø Regional. b) Visitantes. Pente ou Tau. e neste caso mediante a sua autorização. como também o de permanecer coberto em todos as Reuniões dos Corpos Subordinados e o privilégio de falar sentado.Nenhuma hora poderá ser prestada ao Ir? ou Visitante que tenha graduação inferior à do Presidente da Excø Lojø de Perfø. b. 10 . c) Irmãos portadores de Graus superiores ao do Corpo. A seguir a palavra será concedida no Oriente. g) Delegados Litúrgicos. O Membro Efectivo tem o direito de Presidir e Dirigir os Trabalhos. na Seguinte ordem: a) Convidados. i) Membros Eméritos. após reinar silêncio no Ocidente. sem ónus de qualquer espécie. salvo se o Irø ou Visitante for um dos compreendidos nas letras a. d) Membros Honorários (Grau 33). devendo a mesa ter. h) Inspectores Litúrgicos. O Membro Efectivo é membro nato de todos os Corpos Subordinados da Jurisdição do Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Escocês Antigo e Aceite da Maçonaria para Portugal. salvo se um dos IIrø compreendidos nas letras a e b estiver presente. j) Membros Efectivos e k) Soberano Grande Comendador ou seu representante legal. IV – REFEIÇÕES E BANQUETES As refeições e banquetes dos Corpos Subordinados denominam-se por Ágapes. geralmente. e) Presidentes de Corpos Visitantes. No encerramento dos trabalhos dos Corpos Subordinados. a palavra será concedida ao Orador para as conclusões. a forma de Ferradura.

e o Guarda da Torre ao lado do Secretário. indistintamente. pelo seu nome.O Presidente sentar-se-á no centro e os Vigilantes nas pontas. não poderão ser omitidos. por ser preito de homenagem póstuma a memória dos Irmãos falecidos. O Orador e o Hospitaleiro. Se houver um brinde especial este deve ser feito depois do 4°. no Ágape Fraternal anual. findo este brinde o Ágape será encerrado. ou ao Governo. São os seguintes: 1° – Ao Chefe da Nação. o brinde a ser-lhe levantado deverá ser feito antes do 7°. Havendo visitantes de honra. pelo lado interno. O Oitavo brinde. cujos trabalhos terrenos tiveram termo durante o ano. Os demais IIrø ocuparão. sentar-se-ão entre o Presidente e o Orador. pelo seu nome. Os demais IIrø ocuparão. O Secretário à direita do 1° Vigilante e o Tesoureiro à esquerda do 2° Vigilante. 4° – Ao Consistório Regional o Grande Priorado. retirando-se todos em profundo silêncio. indistintamente. O Mestre-de-cerimónias defronte ao Presidente. 3° – Ao Soberano Grande Comendador. pelo seu nome. respectivamente à direita e à esquerda do Presidente. os lugares vagos. pelo mais novo dos IIrø do Quadro. 8° – À Memória dos Maçons do Grau. 5° – À Grande Loja da Jurisdição Simbólica e seu Serø GrãoMestre. 11 . Se houver Visitantes de Honra. V – SAUDAÇÕES Nos Ágapes há brindes que são obrigatórios e. os outros lugares. 6° – A todos os Corpos Subordinados da Jurisdição. por isso. 2° – Ao Supremo Conselho. 7° – A todos os Maçons e Corpos Maçónicos espalhados pela superfície do planeta. só será feito.

Em frente ao Altø do Tesø fica um Altø quadrado (17) tendo sobre o mesmo uma bandeja contendo doze Pães Propiciais (Pão Ázimo). o Templo do Rei Salomão. A ARCA DA ALIANÇA. (Fig. tendo sobre o mesmo uma Naveta contendo incenso e ao lado o Turíbulo. sendo o Oriente separado do resto da Câmara por uma balaustrada central. e tem sobre o mesmo. O Altø Triangular (15) fica à direita do Trono. tendo a sua frente o CANDELABRO MISTICO DE SETE LUZES. 12 . VI-O TEMPLO – PREPARAÇÃO – ENTRADA E ILUMINAÇÃO A Loja de Perfeição representa no Grau 4. 18) – emblema do Grau. (Fig. com lágrimas de prata. O Altø dos PPerfø (16) é quadrado e fica à esquerda do Trono. tendo no interior do Triângulo.Pág. um Malhete com laço de crepe preto e uma coroa de Louro e Oliveira na cor verde. 18) coberta de carmesim (vermelho) fica no canto do lado direito do Trono do Oriente.Pág. não sendo permitidos os de caracter político ou religioso. 18). uma Estrela de cinco pontas e no centro a letra hebraica IOD. n°8 . n°7 .Todos os brindes são feitos e agradecidos de pé. (Fig. as paredes são pintadas ou forradas de preto. o Triângulo inscrito num círculo. n°9 – Pág.21). como também todos os Altares (Pág. Será suspenso na frente do Dossel do Trono.

sem a marcha do Grau. convida o Guarda da Torre para ocupar o seu posto e logo após o Mø de CCerø dá uma batida na porta do Templo. um Estatuto do Supø Consø. próximo aos AAItø dos VVigø há uma coluna branca de cada lado. porém quem vai do Ocidente para o Oriente passará 13 .21). (12) ENTRADA DO TEMPLO Á hora prevista. um exemplar das GGrø Constituições. Chancela) da Loja de Perfeição. Para os trabalhos de Iniciação deverá existir um órgão ou aparelho HIFI.O Altø dos JJurø (18) é triangular e fica no corpo do Templo. uma Chave de marfim. obedecendo-se ao seguinte: entrada normal. 18) tendo na extremidade gravada na cor preta a letra Z e sobre o Lø da Lø o esquadro e o compasso para o cerimonial. o Guarda da Torre ouvindo a batida. franqueará o ingresso. Na entrada do Templo. fica o Altø dos SSacrifø (19) tendo sobre esse Altø o Selo (Sinete. (21) PREPARAÇÃO DO TEMPLO O Templo deverá ser preparado pelo Mø de CCerø e Mø Arqø com antecedência necessária para que no início do cerimonial não falte nenhum dos objectos indispensáveis. Sobre esse Altø ficam: o Lø da Lø. Os irmãos instruídos nos Graus respectivos deverão auxiliar o Mø de CCerø e o Mø Arqø previamente designados pelo Presidente (Pág. n°6 Pág. (Fig. para execução de músicas apropriadas previstas pelo Mø de Harmø no decorrer das cerimónias. no Átrio o Mø de CCerø faz-lhes uma breve oração. estando os Irmãos reunidos e paramentados. próximo à grade. Entre o Altø dos JJurø e a entrada do Templo. hierarquicamente. sem impedir a circulação. A seguir.

a electricidade. na forma ritualista. Norte e Oriente. pela forma prevista no Cobridor do Grau. dispostos em forma de um triângulo rectângulo (Teorema de Pitágoras). observando-se que a movimentação em Templo deve obedecer ao sentido dos ponteiros do relógio. ou seja. e c). No encerramento dos trabalhos a saída do Templo será em sentido contrário ao da estrada. Os Grandes Dignitários. etc. devendo ser recebidos obrigatoriamente com honrarias. Sul e Ocidente. até onde não houver impedimento à passagem (mesa. espontaneamente. deverá ser obedecida e concernente ao cerimonial. aguardando o Presidente do Corpo entrar e ocupar o Trono.12cm de altura com uma luz eléctrica cada um. Grandes Oficiais. Membros Efectivos e Eméritos do Supremo Conselho. serão introduzidos de acordo com o Ritual e somente a eles. iluminando-o estão três castiçais de 1. cabe.) e nesse caso. seguirá pelo lado Ocidente. altar. Oriente. Sobre o Trono do Presø e AAltø dos VVigø há um Candelabro de três luzes em cada um. Os IIrø após ingressarem no Templo ficam de pé nos seus lugares. conforme figura a). andar-se-á sempre à Ordem. além das luzes decorrentes da ordem técnica da sua construção. ILUMINAÇÃO DO TEMPLO Na iluminação do Templo. Abertos os trabalhos. dispensá-las. b). 14 .pelo centro do Templo. o qual manda os IIrø se sentarem. (22) Em torno do Altø dos JJurø.

1º e 2° EExpø. no cruzamento dos ramos. contém dois ramos.Pág. é branco (4). esta Jóia é um triângulo equilátero dourado. (Mø de Harmø e Cobø). AVENTAL – do Grau 4. 15 .O Candelabro Místico de sete luzes deverá ser aceso pelo Secretário. Na parte inferior do Avental. em intervalo suficiente. no encerramento dos trabalhos.hé ou . com a letra Z em preto. INDUMENTÁRIA – PARAMENTOS E TRAJE O Presidente usa o Avental do Grau 14 (1) e um Colar na cor carmesim (vermelho) tendo bordado do lado esquerdo um ramo de louro na cor verde e no lado direito uma estrela de cinco pontas na cor dourada (2).19). Na abeta tem um olho aberto bordado ou pintado. O 2°Expø no momento oportuno acende ritualisticamente as luzes nos AAItø dos VVigø e os Castiçais ao redor do Altø dos JJurø. Fitas e Jóias referentes ao seu Grau. em intervalo suficiente. de onze Irmãos. pouco antes da abertura do Lø da Lø e apagado pelo mesmo na ocasião do compromisso de Sigilo. na ocasião do compromisso de Sigilo. cruzados pelos caules. a palavra IVAH (outro nome da palavra Iod – hé – vau . os demais Irmãos usam Aventais. (14). no encerramento dos trabalhos. no mínimo. Mø de CCerø. Hospø. um de oliveira e outro de louro. Tesø. Oradø. os quais são apagados pelo mesmo. Gø da Torre. os outros Oficiais também usam Aventais e Colares do Grau 14. na ponta do colar está suspensa a Jóia do cargo (3). (Fig. O Presidente tem o tratamento de TøVøPøMø e os demais Oficiais simplesmente Irmãos 1° e 2° VVigø. OFICIAIS E TÍ TULOS A Câmara compõe-se. sendo Orlando de preto com cordões pretos. 4 . Secø. com a letra IOD de um lado e do outro.

é confeccionado em tecido de veludo ou cetim na cor bordeou (cor de vinho). na parte superior tem bordado em semi-circulo escrito em dourado EXCø LOJø DE PERFø e sobre a frase. TRAJE – Escuro. em preto. (Fig. No centro do Estandarte tem bordado na cor dourada. 5 . Numa ponta do compasso. Este Estandarte é todo orlado com franjas douradas. sendo inscrita sobre um triângulo a letra IOD . Bordada no centro do compasso uma estrela de cinco pontas em azul e abaixo da estrela a seguinte frase em dourado: "ORDO AB CHAO".FITA – A Fita do Grau 4 é azul.Pág. tendo nas pontas. entre uma ponta e a outra do compasso fica o Titulo Distintivo da Excø Lojø de Perfø. e acima da circunferência do compasso tem bordada uma coroa na cor dourada. acima do Título a data de fundação. um ramo de louro e outro de oliveira cruzado. um compasso sobre o esquadro na posição de Mø Mø. JÓ IA – A Jóia do Grau 4 é uma chave de marfim com a letra Z. 19). bordada em letras douradas.Pág. gravada na extremidade (Fig. Na lateral por fora do compasso há uma chave na cor marfim (creme) e na lateral. 19). No topo do compasso. um pingente de cada lado.10 a 1. 20). orlada de preto. Maçónico completo. ESTANDARTE DO CORPO O Estandarte do Corpo (EXCø LOJA DE PERFø) mede de 80 a 90cm de largura e 1. Abaixo do esquadro. tendo na ponta a Jóia. na cor verde e no centro sobre os ramos um laço com a letra Z em preto sobre o mesmo. tem bordada na cor azul uma estrela de sete pontas e na outra ponta uma estrela de nove pontas. tem bordada uma circunferência em dourado.20m de altura. um punhal na cor dourada. 6 . 16 . (Pág.

20). Letras a. 24 – P o r t ø Espadas 25 – Portø Estrelas 26 – VaIes 27 – Cobø 28 – Pavø Nacional 29 – Estandø do Corpo 30 – Estandø do Supø Consø 31 – Autoridades Civis. 17 .12m) (Ver Figura na Pág. b e c (Castiçais de 1.POSICIONAMENTO – COLOCAÇÃO E OUTROS SÍ MBOLOS 1 – TøVøPøMø 2 – 10Vigø 3 – 20Vigø 4 – Secø 5 – Tesø 6 – Oradø 7 – Hospø 8 – Mø de CCerø 9 – Gø da Torre 10 – 1º Expø 11 – 2º Expø 12 – Mø de Harmø (SOM) 13 – Arca da Aliança. Militares e Visitantes 32 – Membros Efectivos e Eméritos. 14 – Candelø Místø de sete luzes 15 – Altø Triangular 16 – Altø dos PPerfø 17 – Altø dos Pães Propø (Ázimo) 18 – Altø dos JJurø 19 – Altø dos SSacrifø 20 – Triângø inscrito (Emblema do Grau) 21 – Colunas brancas 22 – Candelø de três luzes 23 – Portø Painel ou cavalete.

Arca da Aliança e Candelabro Místico Fig. 8 – Emblema Fig.Emblema do Grau. 7 – Arca da Aliança Fig. 9 – Candelabro Místico de 7 Luzes 18 .

Indumentária – Paramentos e Jóias Fig. 5 – Fita Fig. 4 – Avental Fig. 6 – Jóia 19 .

Estandarte do Corpo 20 .

Câmara dos Mestres Secretos Plano do Templo do Grau 4 21 .

diz: Gø da Tø – Irø 1°Vigø. estamos a coberto. cumpri o vosso dever. meu Irø? 22 . TøVøPøMø. (Pausa) Irø Guarda da Torre. 1°Vigø – De que modo.R I T UA L D O G R A U 4 MESTRE SECRETO 2ª PARTE ABERTURA DOS TRABALHOS (Havendo número legal e preenchidos os lugares) TøVøPøMø – (!) – 1rø 1° Vigø todos os presentes são Mestres Secretos? 1ºVigø – Sim. O Guarda da Torre sai para cumprir a ordem e voltando para o seu lugar. TøVøPøMø – Qual o primeiro dever do Mestre Secreto na abertura dos trabalhos duma Loja de Perfeição? 1°Vigø – Verificar se a entrada do Sanctus Sanctorum está bem guardada e prevenir ao Irø Cobridor que os trabalhos vão ser abertos.

à direita e à frente do Irø 1°Vigø.Gø da Tø – Por um Mestre Secreto armado de espada. à direita e abaixo do 23 . derramei lágrimas. estamos devidamente a coberto e em segurança. TøVøPøMø – Irø 2°Vigø. vi o túmulo de Hiram. qual o vosso lugar em Loja? 2°Expø – (Levantando-se) No Ocidente. TøVøPøMø – Onde foste recebido Mestre Secreto? 2°Vigø – Debaixo do Loureiro e da Oliveira. em companhia dos meus Irmãos. TøVøPøMø – Que lições recebestes? 2°Vig? – A da discrição e da fidelidade. sois Mestre Secreto? 2°Vigø – Passei do Esquadro ao Compasso. onde. 1°Vigø – TøVøPøMø. TøVøPøMø – Qual o vosso dever? 2°Expø – Guardar inviolávelmente os segredos que me forem confiados. TøVøPøMø – Irø 2° Experto. (Senta-se) TøVøPøMø – Irø 1°Expø. qual o vosso lugar em Loja? 1°Expø – (Levantando-se) No Oriente. 1°Vigø – Qual o seu dever? Gø da Tø – Conservar afastados todos os que não tiverem direito de entrar no Templo e só franquear a estrada àqueles a quem permitirdes.

dentro em pouco. 24 . entre as luzes. onde ficam os IIrø VVigø? 1°Vigø – No Ocidente. Preparai-vos. pois. a todos os Obreiros. TøVøPøMø – Quais os respectivos deveres? 1°Vigø – Velar pelo bem-estar da Ordem e ensinar aos Obreiros a obrigação de cada um. aguardando que o TøVøPøMø mande ficar de Pé e à Ordem. somos iguais a todos dentro da Maçonaria. TøVøPøMø – Qual o vosso dever? 1°Expø – Obedecer aos Estatutos e Regulamentos Gerais da Ordem e cumprir as Instruções do TøVøPøMø. anunciai. que vou abrir os trabalhos dos Mestres Secretos pelos números e sinais misteriosos. TøVøPøMø – Irø 1°Vigø.Trono. (Pausa) Irø 2°Vigø que idade tendes? 2°Vigø – T? X 27 ou Oitent? e u? anos. TøVøPøMø – Reconheço este dever e esta verdade. lembrando-lhes que. (Senta-se) TøVøPøMø – Irø 1°Vigø. embora sejamos seus Mestres. TøVøPøMø – Que horas são? 2°Vigø – As trevas desapareceram diante da aurora e. o TøVøPøMø vai abrir os trabalhos. então. Todos ficam atentos. 1°Vigø – IIrø do Norte e do Sul. a Grande Luz resplandecerá sobre a Loja.

meus Irmãos. (Faz-se o sinal de Mø Sø). o Tesoureiro abre o Painel do Grau e o Secretário. TøVøPøMø – Irmãos 1° e 2° Vigilantes. devida e regularmente.TøVøPøMø – (!!!!!! – !) – De pé e à Ordem. que tomam força e vigor no Grau 4.. TøVøPøMø – EM NOME E SOB OS AUSPÍ CIOS DO SUPREMO CONSELHO DO GRAU 33. Todos se levantam e ficam à Ordem. Os que foram abrir o Lø da Lø voltam aos seus lugares.. TøVøPøMø – Concedo a Palø ao Irø Secø para a leitura da coluna gravada da última reunião. como o faço no Orø que se quiserem fazer observações sobre a coluna gravada que acaba de ser lida.... meus Irmãos. O Orador. acompanhado do Mø de CCerø vai abrir o Lø da Lø e lê em REIS I – Cap. declaro abertos... DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITE. Terminada a leitura do BALAÚSTRE – Coluna Gravada. DA MAÇONARIA PARA PORTUGAL e em virtude dos poderes de que me acho investido. repousando no mesmo o compasso em ângulo do 45° sobre o Esquadro na posição do Grau de Mø Mø – Enquanto o Orador vai abrir o Lø da Lø. o Orador estará de pé.. segurando o Lø da Lø com ambas as mãos.... antes da leitura. Pela bateria (!!!!!! – !). voltado estes aos seus lugares....... os trabalhos da Loja de Perfeição. pelo sinal. anunciai aos Irmãos dos vossos Vales. A mim.. após o que. Feito o anúncio.. . 1 a 6. 8 vers. se houver observações serão dirimidas. inclusive. a palavra lhes será concedida. o colocará aberto em cima do Altar dos Juramentos... acende o Candelabro Místico. Durante a leitura. Sentemo-nos. pelo 25 .

(Leitura de eventual correspondência) TøVøPøMø – Anúncio directamente que o Irø Mø de CCerø percorrerá a Oficina com a Bolsa das Propostas e Informações. Reinando silêncio. (Pausa até assinatura do Balaústre) TøVøPøMø – Irmão Secretário. procede à decifração das Colunas Gravadas colhidas. (O Mø de CCerø sai de entre colunas e. assistido pelos Secretário e Orador. (Mø de CCerø vai colocar-se entre Colunas . Os trabalhos continuam em sessão ordinária. 26 . declaro aprovado o Balaústre que acaba de ser lido. vem proceder à colecta partindo do Oriente). como também o Oriente. decifrai a correspondência.Pausa) IrøMø de CCerø. sem anunciar.Presidente. O Mø de CCerø após a colecta. o qual. cumpri o vosso dever. TøVøPøMø – Estando silenciosos os Vales. conduz a Bolsa ao Trono do Presidente.

tendo visto o túmulo de Hiram... (Pausa) IrøMø de CCerø. ide verificar se os Candidatos se encontram na antecâmara. TøVøPøMø – Meus Irmãos.. a Ordem do Dia de hoje é a INICIAÇÃO dos Irmãos Mestres Maçons que desejam aperfeiçoar os seus conhecimentos. e cumpri o vosso dever. à qual está preso um Esquadro... retirando as suas insígnias...... trolha os Candidatos nos Graus Simbólicos.. Gø da Tø – (Entreabrindo a porta do Templo) – Quem bate? Quem quer entrar nesta Loja consagrada à dor e à tristeza? Mø de CCerø – São MMø MMø que.. O Mø de CCerø indo à antecâmara.. cujos nomes são. Gø da Tø – Estão preparados para isso? 27 .. e no braço esquerdo. são levados à porta do Templo... Depois. desejam ser recebidos entre os Mestres Secretos.. à direita do TøVøPøMø sendo a sua cadeira no Ocidente coberta com um pano preto. onde o Mø de CCerø bate como MøMø...R I T UA L D O G R A U 4 MESTRE SECRETO 3ª PARTE INICIAÇÃO O 1 ° Vigilante vai sentar-se no Oriente... coloca-lhes uma venda. Os Candidatos assim preparados e segurando com a mão direita uma tocha. prende-lhes uma corda...

TøVøPøMø – Sejam introduzidos. 2°Vigø – (Saindo do seu Altar e interceptando-lhe os Passos). entrastes aqui por vossa livre e espontânea vontade? Candidatos – SIM. o 1 ° Experto aproxima-se dos Neófitos vendados e. Estão para isso. O Mø de CCerø segurando a corda. Gø da Tø – TøVøPøMø é o IrøMø de CCerø. pois cumpriram as obrigações de MMø MMø e o nosso Irø Mø de CCerø garante a sua fidelidade. (Fecha a porta do Templo). conforme os nossos antigos usos.Mø de CCerø – Foram preparados segundo as determinações legais. que prende o braço do primeiro Neófito. conduzindo à porta do Templo Irmãos que viram o túmulo de Hiram e que desejam ser admitidos entre os MMø Secretos. entra.Então. O Gø da Tø abre a porta do Templo. Chegados ao Altar dos Sacrifícios. – Neles confio porque como Irmãos os Gø da Tø – Aguardai em silêncio. Gø da Tø – Cumpriram os deveres de MMø MMø? Mø de CCerø – Afianço-vos. Irø Mø de CCerø conduzi os Neófitos ao Altar dos Sacrifícios. diz: 28 . aplicando-lhes o selo da Loja sobre os lábios. 2°Vigø – (Após a resposta) . preparados. seguido por todos os Candidatos. IIrø. Gø da Tø – Garantis a sua fidelidade? Møde CCerø reconheço.

porém. – ou então viestes buscar a felicidade. outrora radiante. a luz. ou obedecestes a um sentimento bem humano – a satisfação de algum desejo. Que a vossa honra seja a perfeita garantia. se escondem para que eu não possa ler o que se passa na vossa alma? (Pausa) – O vosso silêncio induz-me a crer que. enquanto os outros se sentam na primeira fila do Vale do Sul. quando mais de um. e hoje mergulhado nas trevas e no luto. (Pausa) Irø Mø de CCerø deixai junto a vós o primeiro Neófito cativo e desolado e fazei sentar os que o acompanham. selo os vossos lábios com o sinete de sigilo e de fidelidade. O Mø de CCerø faz o primeiro Neófito sentar-se entre o Altar dos Juramentos e o dos Sacrifícios. voltando de seguida ao seu lugar). acreditardes que a felicidade consiste na Caridade. Que todos sejam discretos e silenciosos. errante nas trevas e na desolação. (Pausa) 29 . TøVøPøMø – (Aos Neófitos) – Meus Irmãos. então podeis ficar. no fundo do vosso ser. causais-me pena. em vão. (Repetir para todos os Candidatos.1°Expø – Ao entrardes nesta Loja. os vossos olhos. acabais de entrar num Templo. na exaltação da Virtude e no estudo. por obra dos perversos. Se. impedindo-vos da serenidade do sábio. TøVøPøMø – (Ao primeiro Iniciando) Que vos trouxe aqui Irø que estais cativo e cujos olhos vendados buscam. vindo a este recinto. (Pausa) Conservareis acaso. Se pensais encontrar aqui qualquer satisfação para vaidades. porventura. ambições e grandezas. a sagrada centelha que poderá transformar-se na chama que vos guiará no caminho da Verdade? Não respondeis? Os vossos lábios ficam mudos. Ficai connosco e esforçaivos para despir o vosso espírito das paixões que vos aviltam. podeis retirar-vos para não terdes novas desilusões. e o vosso braço preso não pode servir para vossa defesa? Assim fraco e triste.

pela Ciência e pela prudente Tolerância. jovens experimentados e espíritos amadurecidos e resolutos a fim de dar à humanidade condutores hábeis pelo estudo e implacáveis no cumprimento do Dever. que nos cerca mostra essa situação. dispondo-os a lutar pela verdade contra a mentira e contra o mal. proporciona mais animação. bem o sabeis. Esse ardor juvenil não é. Essa libertação. inflamados pelo desejo de fazer o bem. A Maçonaria. Chorastes. dentro da precisa disciplina. 30 . a que a liberdade de pensamento. Os combates devem ser dirigidos pela Verdade. guiados pelo ardor da mocidade. o espírito gemeu encarcerado e. E nesse meio que o nosso Rito escolhe os operários de que necessita. os seus carrascos ainda estão vivos. Companheiro e Mestre. Perdeu-se a Palavra de Amor! Durante séculos. entretanto. contudo. não será obtida à custa de ataques irreflectidos. A Maçonaria procura. O luto. encontrais-vos no seio de numerosos IIrø entusiastas. porém foi criada para preparar a libertação do espírito humano. a inteligência potente e única directora nos trabalhos esmagada pela ignorância e pela tirania. com os vossos IIrø. bastante para o sucesso nos combates da vida. porque os assassinos de Hiram são terríveis.(Aos Iniciandos) Nas vossas Lojas de Aprendiz. dentro da Lei. sobre o túmulo de Hiram. portanto.

entretanto. como o trabalho do solitário.. Aceitais este género de trabalho? Neófitos – . Além disso... que não vos humilhará.... entretanto... à vossa sinceridade que me dirijo.. Estais dispostos a contrair essas obrigações? Neófitos – . que pesquisa os seus próprios pensamentos.. 31 .. e assim....... as vossas possibilidades.. aos caprichos..... A sinceridade é a Lei única.. Não tereis.. pois de vós exigiremos o cumprimento de obediência.... liberdade à indiferença.. interpelando-vos: Não sendo os trabalhos de uma Loja de Perfeição compatíveis com o ardor dos trabalhos simbólicos... à covardia.. suprema e universal dos Maçons.. TøVøPøMø – Disse-vos.... É isso que de vós exigirá o compromisso que vos pedimos e ao qual só podereis fugir por felonia. porque bem o sabeis. não podereis.... sob pretexto de liberdade de consciência.... São deveres relativos a trabalhos pessoais ao alcance das vossas forças e dentro do tempo de que dispuserdes. tenazes... jamais.. podereis livremente obedecer aos nobres ditames da vossa consciência.... pois. furtar-vos de falar com sinceridade. contraís obrigações mais severas que as que tendes na vossa Loja Simbólica. É...... Os sacrifícios que exigimos não ultrapassam.. quando expuserdes os vossos pensamentos ou exprimirdes os vossos sentimentos. são. assíduos..Começando a cursar os Graus de Aperfeiçoamento. aos Candidatos.. também.... que impúnhamos deveres rigorosos............ a Maçonaria consagra o máximo respeito à razão de todos e a de cada um. por perjúrio ou por vos tornardes desprezíveis para todos nós....

.. porque o Dever é a fonte de todas as energias e a única arma cuja Tempera não falha. morto..TøVøPøMø – Hiram. Reconheceis o Dever como uma necessidade absoluta......... em primeiro lugar... TøVøPøMø – A primeira obrigação é o sentimento profundo do DEVER... Nunca vos esqueçais de que o não cumprimento do Dever custar-vos-á mais lágrimas do que as que poderiam produzir os mais cruéis tormentos físicos.. diante da qual é culpável toda a fraqueza? Neófitos – .. Para a Maçonaria basta o desprezo para punir o perjúrio.. Compreendeis? Estais dispostos? Neófitos – ... sempre...... inflexível como o destino! Oradø – São ou doente....... libertar o vosso espírito... 2°Vigø – Desgraça sobre aquele que afirma obediência ao Dever sem o compreender! Oradø – Desgraça para o covarde que promete e esquece o seu compromisso! Hospø – Desgraça sobre aquele que aceita um fardo que não pode carregar! TøVøPøMø – (Depois de pequena pausa) Houve tempo em que a Humanidade admitia que só o sangue poderia punir o esquecimento do Dever..... é o espírito humano escravizado. rico ou pobre. A Maçonaria é tarefa de libertação............. o sentimento do Dever acompanha-nos inevitável como uma hora que sucede a outra hora! 32 ..... É preciso............... 2°Vigø – O sentimento do Dever acompanha-nos........

perto do Oriente) Jamais farás imagens talhadas na pedra. (Pausa) Irø Mø de CCerø. a Lua e as Estrelas. fazei os NEÓ FITOS praticarem a viagem prescrita. para adorá-las. diz: 2°Vigø – Irø Mø de CCerø. Quando ergueres os teus olhos para a abóbada celeste e nela vires o Sol. não lhes dirijas nenhum culto. o sentimento do Dever nos acompanha. viaja nas trevas e na escravidão? Mø de CCerø – Um Maçon que busca a Palavra de Amor. quem é esse desolado que. à semelhança das coisas que estão no céu. na 1° volta. precedidos pelo Mø de CCerø. implacável como a morte! TøVøPøMø – O Dever é a inevitável necessidade do homem que vive em sociedade. (Pausa) Que deseja esse Maçon? Mø de CCerø – Ser admitido entre os MMø Secretos. Oradø – (Na 2ª volta. como o trabalho é a necessidade do corpo! Violada essa Lei sobrevirá a desordem e a morte. a encontrou. 2°Vigø – Por que motivo? 33 . ainda. Os Neófitos param defronte do Altar do 2°Vigø que batendo com o punho da espada.Hospø – Ele está connosco na vigília e no leito toda a noite! No tumulto das grandes cidades. fazem por três voltas. quando se dirigem para o Ocidente) Não faças teus deuses de metal. como fazia gente de antanho. durante a qual ouvirão: 2°Vigø – (Pausadamente. no silêncio dos desertos. Os Neófitos. convosco e outros Irmãos. a viagem. 2°Vigø – (Desolado) Ai de nós! Ninguém.

o GøAøDøUø. TøVøPøMø – Quem é esse cativo que defronta a Arca da Aliança? 34 . com ele. os Neófitos vão parar à entrada do Oriente. Os Neófitos fazem a 3° volta. até defronte da Arca da Aliança para que possa ser admitido ao Altø dos Pães Propiciais. durante a qual ouvem: Hospø – (Pausadamente. quando passarem pelo Ocidente) Não atribuas a DEUS. paixões e vícios. voltados para a Arca da Aliança. 2°Vigø – Pois. ide. porque viu o túmulo de Hiram e aspira à Liberdade. Nunca dês o seu nome aos fantasmas que a tua imaginação engendrar! Ao terminar a volta.Mø de CCerø – Porque deseja passar do Esquadro ao Compasso.

criamos concepções da forma que podemos. A Maçonaria procura. TøVøPøMø – (Para os Neófitos) Bem compreendeis. Ouvistes como que evocações dos tempos que já se foram. 35 . fortificai-o por meio do trabalho. não conserva no seu espírito uma parcela de preconceitos. Por nossa vez. lede a antiga fórmula do compromisso dos Mestres Secretos (!) – De pé e á ordem. de modo empolgante. surgiram idolatrias. Toda a concepção humana é progressista e por consequência. relativa. Em torno dessa ideia nasceram superstições. daqueles arredados tempos em que a principal preocupação da inteligência estava na luta contra a adoração dos astros e o culto de ídolos materiais. satisfazei essas necessidades. entre nós.Mø de CCerø – Um fiel Maçon. (Pausa) Irø Orador. que o culto único deve ser o da Verdade. a suprema e perpétua preocupação da Maçonaria. Como serão elas julgadas daqui. de ídolos que o futuro derrubará? Meus IIrø. sempre combater pacificamente. jamais. clarividente e justo era a mais alta concepção de que o homem fosse capaz. Essas ingénuas sentenças traduzem. que respeitamos e cultuamos. sempre. Conheceu a nossa Ordem épocas em que a ideia de um Deus único. desde a Antiguidade. a indagação da Verdade. a dois ou três mil anos? O mais hábil e mais esclarecido. meus IIrø. isto é. impondo. Os nossos antepassados assim sempre o praticaram. Os Maçons da Idade Media receberam-nos dos da antiguidade. a derribada de todos os ídolos políticos. Se o vosso espírito é demasiado fraco. como um Dever. É uma espécie de retrospecção arqueológica. Se as necessidades da vida absorvem o vosso tempo. o ideal da Maçonaria é a Verdade. mas sem esquecerdes. meus Irmãos que este Ritual é uma tradição litúrgica.

... enfim ser fiel. tomando este compromisso com sinceridade.. a todo o dever...Oradø – (Lendo) Em presença dos IIrø. dizei.. Prometo. estendendo a direita para a frente. a todo depósito que me for confiado... e guiados pelo Mø de CCerø.. da minha Família e da Humanidade.. a Soberania do Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Escocês Antigo e Aceite da Maçonaria para Portugal. Jamais abandonarei a minha Família. Aceito. colocai a vossa mão esquerda sobre o coração e.... aqui reunidos. quando chamados: EU O JURO! Chamados nominalmente pelo Secretário......... a toda obrigação que me seja legalmente imposta.. meus IIrø e os meus amigos na necessidade. Prometo jamais revelar os sigilos deste Grau.. no perigo. declaro que com eles faço aliança. este JURAMENTO resume-se para nós na seguinte máxima: "FIDELIDADE AO DEVER QUE A VOSSA CONSCIÊNCIA VOS IMPÕE". JURAMENTO TøVøPøMø – (Aos Neófitos) Vinde até à Arca da Aliança. na aflição ou na perseguição... com lealdade. libertai os NEÓ FITOS dos laços da escravidão e das vendas que lhes cobrem os olhos.... todos prestam individualmente o seu Juramento e em 36 . TøVøPøMø – (Depois da resposta) Irø Mø de CCerø. Estais dispostos a Jurar esta fidelidade? Neófitos – .. (Pausa até ao final da execução da ordem). TøVøPøMø – (Aos Neófitos) Meus Irmãos. e todas as suas Leis e decisões.. até à morte... cujo cumprimento seja reclamado pela felicidade da minha Pátria. solenemente...

juntos digamos: EU O JURO! 37 . Em seguida. lede a fórmula do Juramento pelo qual nós nos unimos aos nossos novos Irmãos. meus Irmãos. Neófitos – (Ao serem chamado respondem) EU O JURO! TøVøPøMø – (Descendo do Trono) Irmãos 2°Vigø e Oradø aproximai-vos de mini! O TøVøPøMø vai para a frente do ALTAR DOS JURAMENTOS. ajudados pelo M? de CCer? que estará sempre presente durante o cerimonial) “EM NOME DO SUPREMO CONSELHO DO GRAU 33 DO RITO ESCOCÊS ANTIGO E ACEITE DA MAÇONARIA PARA PORTUGAL. mais. mão direita sobre o Lø da Lø. auxiliá-los. (!!!!!! – !). CONSAGRAÇÃO – INVESTIDURA TøVøPøMø – (Depois de ajoelhados os Candidatos.” TøVøPøMø – E todos nós. jamais abandoná-los na necessidade. EU VOS CONSAGRO COMO MESTRES SECRETOS. dá no ombro direito dos mesmos a bateria do Grau). INVESTINDO-VOS DE TODAS AS PRERROGATIVAS DO GRAU 4.” (Manda os Candidatos levantarem-se. no perigo. os 3 armados de Espadas que serão desembainhadas sobre as cabeças dos Neófitos que se ajoelham. a bem cumprir os seus deveres. na aflição ou na perseguição e. ladeado pelo 2°Vigø e Oradø. sempre.seguida vão para o ALTAR DOS JURAMENTOS. num impulso unânime de amizade e de fidelidade. 2°Vigø – (Lendo) “Juramos ser fiéis aos ao nossos Irmãos. com o joelho direito (no chão). E EM VIRTUDE DOS PODERES DE QUE ME ACHO INVESTIDO. TøVøPøMø – Irø 2°Vigø.

também. (Pausa. conquistastes. pela sua ornamentação. traduz a nossa tristeza pela morte do nosso Mestre Hiram. no Universo. existe. substituídas pelas trevas e pelos erros. e na Maçonaria. As cores: branca e preta. pelo eclipse da Luz e da Verdade. onde ficam voltados para o Oriente. (Ver Pág. meus IIrø. louro. oliveira. O Mø de CCerø depois de lhes ensinar as palavras. Todos voltam aos seus lugares) Irø Mø de CCerø conduzi os novos Mestres Secretos ao centro do Templo e transmiti-lhes as instruções do Grau 4. (Entregando-lhes o Avental) Este avental é o símbolo dos vossos trabalhos actuais. doravante. pois recordam o luto dos Iniciados ao sentirem a perda do Mestre e da sua Palavra de Amor. se 38 . 45) Os Neófitos são conduzidos pelo Mø de CCerø ao centro do Templo. agora. luta que é imanente. entre o Corpo e a Alma. o eterno contraste que. das esperanças e da fruição dos sucessos. dos ângulos agudos passastes às grandes curvas e círculos. são emblemáticas. que há pouco. que servem para calcular o movimento dos astros. A nossa Loja. estudar a Terra. marcháveis em terreno incerto e inseguro e nós vos mostramos a estrada recta. emblema da vitória e do triunfo. toques e sinais. (Colocando a coroa em cada um dos Neófitos) Eu vos coroo com esta grinalda de louro e oliveira. símbolo da Paz. etc… diz: Mø de CCerø – Meus IIrø. Simbolizam. Passastes do Esquadro ao Compasso e. entre a Verdade e a Mentira. a nossa habitação comum. dedicando-vos à Verdade e à busca da Palavra do Amor. estáveis nas trevas e nós vos restituímos a Luz. entre o Bem e o Mal.Todos – (Estendendo para a frente o braço direito) EU O JURO! TøVøPøMø – (!) Sentemo-nos. iluminada pela Grande Luz. (Colocando o Colar) É este Colar. entre a Luz e as Trevas. Podeis.

o detalhemos. TøVøPøMø – (Aos Neófitos) Meus llrø quando. pela primeira vez nos encontramos diante de um momento célebre.corporifica na ansiedade e nos esforços do aspirante para atingir a Luz. desperta em nós o sentimento da sua beleza e da sua grandiosidade real. É preciso que. as vossas puras intenções poderão. Tendes convosco a Chave. Apresento-vos. 39 . simboliza o Sol. entre os antigos. diante do antigo monumento da Maçonaria. esta Chave de Marfim. que vedes na abeta do vosso Avental. as vossas ordens foram cumpridas e os IIr? Neófitos receberam as primeiras Instruções do Grau. comparando-o com outros que já conhecemos. era emblema da Divindade. Só. no azul do céu. contudo. (Ao TøVøPøMø) TøVøPøMø. preconceitos. símbolo do Grau e emblema do sigilo. a vossa energia. geram obstáculos entre vós e a Verdade. (Apontando para o Orø) O Orø da Loja representa o SANCTUM SANCTORUM do Templo de Salomão e o mais secreto mistério. as suas proporções. ela vos permitirá transpor essa barreira. agora. Haveis. A vossa perseverança. do Grande Arquitecto da Luz. Paixões. O olho. olho do Universo. algum dia. A letra que nela existe é a inicial da Palavra de Passe (ZøZø). erros. então. talvez. De certo. enfim. experimentastes uma desilusão semelhante. sem. com o tempo. ele parece-nos inferior ao que a nossa imaginação concebera. vencêlos. e que. TøVøPøMø – Irø Mø de CCerø. do qual estais separados por um a barreira. Lançadas as assinaturas no Livro de presença. entretanto. agora. imaginado maravilhas quiméricas que não encontrastes. fazei os Neófitos assinarem o Livro de presença e designai-lhes lugares entre vós. intransponível para vós. estudando os seus planos. os Neófitos são conduzidos aos seus lugares nos vales.

opinastes que as formulas são pueris. Não vêem que a Humanidade tem as suas leis naturais.perceberdes as maravilhas reais que se ostentam aos vossos olhos. como o germe que se abre. é este. A Maçonaria. não concebem a Humanidade saindo da noite dos tempos. o talento ou a fraqueza dos seus agentes. os espíritos desatentos encaram as Instituições como expedientes imaginados pelo interesse ou pelo capricho de um homem ou de um grupo de homens e que outro capricho poderá destruir. talvez. impérios. Não reconhecem que essas religiões são apenas. 2°Vigø – Se. pois os impenetráveis mistérios? E. como as famosas escolas filosóficas da Antiguidade. resultante das inteligências individuais. então o famoso Templo? São estes. só vêem a usurpação. E. não distinguem as que constituem fenómenos necessários de cada época. não avaliastes as proporções gigantescas do edifício e nem reflectistes sobre o poder formidável da tarefa. assim pensastes. para mostrar a plenitude da sua grandeza. etapas do caminho que conduz à noção de Deus. Oradø – Nas religiões. Dissestes. não compreendeste o alcance das fórmulas. com a sua parte de ciência e a sua quantidade de inevitável ignorância. e que possui a inteligência comum solidária. assim. Aos espíritos apressados escapa tudo o que é grandioso porque estes só vêem na História indivíduos. esses espíritos desatentos só vêem sistemas de superstições e de mentiras. 40 . crime ou virtudes. sem perceberem que os governos são os naturais produtos das virtudes ou dos erros e vícios de cada época. age sobre os seus adeptos por uma série de iniciações sucessivas. Nos governos. entre as instituições. costumes ou fórmulas de leis. sem verem que estas superstições traduzem o estado real de inteligência comum e que os sacerdotes idólatras são dirigentes inconscientes. da sua clarividência ou da sua corrupção. no entanto. Por isso. elementares à ciência.

correspondendo ás necessidades sociais. na indispensável condição do sistema iniciático. transformando-os numa força única. a Liberdade de 41 . TøVøPøMø – Para representar esse trabalho permanente de inteligência. sempre como base dos seus ensinamentos. que vos será revelado inteiramente. todos os esforços individuais. no desejo de aprender. mesmo a uma escola filosófica. a Maçonaria tem mantido. para o triunfo de ideias novas. mesmo porque sentireis o imperioso dever de conhecer a corporação de que fazeis parte. apenas. Religião. satisfazendo as aspirações do estado espiritual. se nela desejardes conduzir-vos conscientemente e não como simples autómato. Jamais se constituiu uma associação que. na acção desse progresso. Nunca vos esqueçais de que na História da Humanidade. Sem nunca se identificar ou se opor a Governos e Religiões. Governo.A Maçonaria impressiona a atenção dos homens pela ideia do segredo. no seu seio. quando. ou. Governo e Religião delimitam as verdades descobertas. pois a Maçonaria quer reunir. sentirdes a necessidade do vosso aperfeiçoamento e de vos confortar com a amizade. Assim. uma única Instituição foi imaginada entre os homens – a Maçonaria. desde logo. pois foram concebidos para corresponderem ao estado social de uma época porque são frutos de uma força permanente – o trabalho da inteligência. como a nossa. porém consiste. seja independente de toda a doutrina particular. O segredo da Maçonaria. encontrareis factos que despertarão a vossa atenção. dois fenómenos lhes são inerentes: Governo e Religião. o constante progresso emana da sucessiva concepção das verdades de todas as ordens e que.

2°Vigø – Meus IIrø. NÃO OFENDEREIS A NINGUÉM E NINGUÉM VOS OFENDERÁ". o seu preceito constitucional: "A MAÇONARIA. Nada. uma extraordinária admiração deve a todos empolgar. maometanos. para fazer brilhar. com absoluto respeito aos credos e ás crenças de todos os homens. Nada de partidos políticos nem seitas religiosas particulares. daí o ser proscrita por uns. pois. como únicos guias. no seio de uma Loja.Pensamento. cristãos. israelitas e budistas. NÃO SE ENVOLVE EM POLÍ TICA". pois é sublime reunir. e ainda acima de todas as Religiões. Oradø – Deveis. porque a Maçonaria coloca. COMO INSTITUIÇÃO. a Maçonaria não poderia escapar à atenção dos partidos e das seitas religiosas e. de uma vida melhor. a indagação da Verdade e a busca. a sua máxima: "A MAÇONARIA PROCLAMA A EXISTÊNCIA DE UM SER SUPREMO A QUEM DENOMINA GRANDE ARQUITECTO DO UNIVERSO". sempre. mostrar-vos-ão todas as faces do monumento. todos os sentimentos de Amor e Tolerância. esses princípios superiores. protestantes. Por isso. da Justiça e da Tolerância. por que tereis de passar. constante e pacífica. todas essas coisas. católicos. conseguirão. sucessivamente. sem nenhum atributo milagroso. cujos umbrais acabais de 42 . estudar. AQUI. AS VOSSAS DISPUTAS NÃO ENCONTRARÃO ECO. diante deles. perseguida e falseada por outros. As Iniciações. dentro da Moral. e assim procedendo submetê-los-ão ao regime desta filosofia excelsa. como monarquistas e republicanos e a todos dizer: "AQUI. com essa força de tamanha potencialidade. espíritas. pela política e pelas religiões. em que dominam. acima de todos os credos políticos. quando se vê esta regra proclamada durante séculos e se pensa na enorme influência exercida em todos os tempos. porém. mas. Tal o traço essencial da Maçonaria – a sua permanência e a sua universalidade.

Finda a oração ou reinando silencio – O Irø 1°Vigø retorna ao seu Altø. Não partilhareis da ideia pueril de que a Maçonaria possui um SEGREDO. no seu ascendente moral. nos campos de batalha da civilização. numa determinada coisa. 43 . (Pausa) Se um dos Neófitos desejar. das Cruzadas. das Ordens Monásticas. hoje. recordações de todas as grandes Instituições que tiveram dias de glórias. sentireis a eterna. Que este Templo e os seus velhos Rituais vos inspirem respeito. A Maçonaria coleccionou. da Cavalaria. acima de tudo. assim. cedo vos habituareis ao formalismo dos nossos trabalhos. encontrareis traços vivos das grandes religiões. Aqui. no impulso que traduz em factos a sua doutrina. não considera concluída a sua tarefa. A Maçonaria observa a História para dela tirar os ensinamentos. enquanto restar à razão humana qualquer Verdade a descobrir. TøVøPøMø – Neste recinto tão simples. porque o seu segredo reside na sua organização. Na estrada que ides percorrer encontrareis muitos vestígios do passado. e uma revelação momentânea. sem que neles vejais mais do que a ideia moral e a influência dessa ideia. encerrado numa Palavra. Pairando no alto. a palavra ser-lhe-á concedida. falar. no círculo daqueles que conservam a tradição e que conhecem como devem trabalhar para conseguir a realização daquilo que os jovens MMø deixariam como simples aspirações. Entrastes. como na casa paterna respeitamos o mobiliário vetusto. a imutável Lei que representa a Maçonaria: a Lei do Trabalho. por assim dizer. das Escolas Filosóficas. a Lei da Transformação e a Lei do Movimento.transpor. respeitemo-las. onde nos reunimos usando de processos que lhe são peculiares e que atravessam e atravessarão os séculos sobre todos os quadrantes da Terra.

conferida pelo Oradø é anunciada. cumpri o vosso dever a fim de que. TøVøPøMø. TøVøPøMø – Algum Irø do Orø deseja fazer use da palavra? 44 . 1°Vigø – (Se nada tiver a dizer) Nada. TøVøPøMø – Irø Oradø. Em seguida. que. desejais usar da palavra? O Oradø f a z a s considerações gerais sobre a Iniciação e finda a oração dá as conclusões. cada um deposite o que lhe ditar o vosso coração. Feito o anúncio e terminadas as orações ou reinando silencio: TøVøPøMø – IIrø VVigø tendes alguma considerações a fazer a bem da Maçonaria em geral e do RøEøAøAø em particular? 2°Vigø – (Se nada tiver a dizer) Nada. que e repetida pelos VVigø: TøVøPøMø – IIrø VVigø. Finda as orações dos VVigø ou reinando o silêncio: 1°Vigø – O silêncio é profundo em ambos os Vales. TøVøPøMø. eu lhes facultarei a palavra.TøVøPøMø – Meus IIrø anuncio directamente que o Irø Hospø vai circular a Bolsa do Tronco da Solidariedade. o TøVøPøMø dá a bateria. TøVøPøMø. Feito o anúncio o Irø Hospø f a z a colecta. anunciai aos IIrø dos vossos Vales que se tiverem alguma comunicação a fazer a bem da Maçonaria em geral e do RøEøAøAø em particular.

Finda as orações ou reinando silêncio da palavra com os IIrø que se sentam no Trono: TøVøPøMø – Meus IIrø. não vos esquecendo que esses símbolos contribuem para ocultar e não para revelar a sua doutrina.Nos seus Símbolos. a luta contra toda a tirania. 1° . pois Jurastes Fidelidade ao DEVER seja ele qual for.Na sua História. por isso é que a tirania é a negação da Lei.Na sua Moral. 45 . por consequência. O Dever compreende a obediência à Lei e. 3° . (Pausa) Fim da cerimónia de iniciação. 2° . como conclusão dos nossos ensinamentos lembrai-vos que contraístes a obrigação de estudar a Maçonaria.

Pø – Que lições recebestes? Rø – As da Discrição e da Fidelidade. 46 . derramei lágrimas. vi o Túmulo de Hiram. Candelabro Místico de 7 luzes. Altø dos Pães Propiciais. QUESTIONARIO: COMO SE DENOMINA A LOJA DE MESTRE SECRETO? – Sanctum Sanctorum. Altar dos Perfumes. Altø Triangular ou Túmulo. onde em companhia dos meus irmãos. QUAIS SÃO OS SÍ MBOLOS QUE A COMPÕEM? – A ARCA DA ALIANÇA. Altø dos Juramentos e Altar dos Sacrifícios.R I T UA L D O G R A U 4 MESTRE SECRETO INSTRUÇÃO DO GRAU 4 TROLHAMENTO Pø – Sois Mestre Secreto? Rø – Passei do Esqø ao Compø. Pø – Onde fostes recebido Mestre Secreto? Rø – Debaixo do Loureiro e da Oliveira.

ALIANÇA (PACTO). da Solar e da Humana. de ADÃO ao Dilúvio. O candelabro de 7 luzes tem todos os significados do número 7 (sete): é a harmonia septenária. O Alt? Triangular ou Túmulo e o símbolo da ressurreição Cósmica.QUAL É A TRADUÇÃO E O SIGNIFICADO DAS INSCRIÇÕES ENCONTRADAS AO LADO DA ARCA DA ALIANÇA? – É a letra A. O número três mil significa o ano que marcou a data do Dilúvio Universal. isto é. a sua dimensão universal e evidente. Os querubins simbolizam a proximidade interior com o princípio Criador. Os Pães Propiciais são as 12 tribos de Israel. O Altar dos Perfumes é a invocação das forças da natureza. – A letra A: significa ADÃO. hieróglifo do alfabeto maçónico inglês. A Arca é de Acácia. lhe tocou com as mãos morrendo instantaneamente. hieróglifo também do alfabeto inglês. ARCO-Í RIS e a PRÓ PRIA ARCA DA ALIANÇA. – 3. significa. segundo o PENTATEUCO dos SAMARITANOS. de que não haveria mais exterminação no MUNDO pelas águas. Os quatro pontos cardiais significam que sendo a ARCA DA ALIANÇA simbolicamente o OVO CÓ SMICO. QUAL É O SEU SIMBOLISMO? – A Arca da Aliança é o Ovo Cósmico ou Matriz Universal encerrando os germes da Mónada. querendo ampará-la. também USA que foi fulminado pela ARCA DA ALIANÇA quando. porque esta madeira é o símbolo da incorruptibilidade e ornada de ouro. 47 . data de 3. Pois foi após o Dilúvio que apareceu o ARCO-Í RIS como sinal de aliança (ou PACTO) de Deus com. – São os quatro pontos cardiais. Noé.OOO anos de criação do MUNDO. símbolo da Fé.OOO é o número três mil em algarismos arábicos. – A letra U. – É a letra U.

A chave é a inteligência. no cruzamento dos ramos a letra Z em preto.O Altar dos Juramentos é o centro de onde emana a luz e a vida e onde Juramos imolar a vida pelo cumprimento do Dever. tendo na ponta a chave de marfim com a letra Z na extremidade e em preto. Bordado no centro estão dois ramos. as trevas que a rodeiam. e dentro do Circulo um Triângulo Equilátero. orlado de preto e com cordões pretos. QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS SÍ MBOLOS DO PAINEL DE Mø Sø? – Um circulo. Na abeta há um olho aberto. orlada de preto. QUAIS SÃO OS SEUS SIMBOLISMOS? – O Circulo representa o Universo Maçónico. um de Oliveira e outro de Loureiro. O Triângulo recorda-nos a tríade Superior. COMO ESTÁ CONSTITUIDO O AVENTAL? – O Avental é branco. a quinta raça. Dentro do Triângulo uma Estrela de Cinco Pontas e dentro desta. criadora e reguladora. – A letra Z é a razão. a letra IOD. QUAL É O SEU SIMBOLISMO? – A cor azul é a essência espiritual. cruzados pelos caules. A Estrela de Cinco Pontas representa a nossa Raça e Sub-Raça. COMO É O COLAR DO MESTRE SECRETO? – Uma faixa azul. O Altar dos Sacrifícios é onde sacrificamos simbolicamente as paixões para conseguirmos a liberdade espiritual. 48 . isto é. A cor negra é a materialidade. A Letra IOD é a consciência Universal.

QUAL É O SEU SIMBOLISMO? – O branco significa pureza de intenções e de trabalho. O olho é a vigilância da consciência universal. Pø – QUAL É A Pø DE Pø? Rø – ZøZø. vai dominando a matéria. A tocha prova que a luz material não é suficiente para espargir as trevas da ignorância e a corda é o emblema da fraqueza moral do homem que vive escravizado ao vício e ás ambições. A letra Z é a inicial Pø de Pø – razão. pela preparação espiritual. O preto da orla é a ignorância que nos rodeia. o emblema da paz alcançada após as lutas sobre as paixões. O Esquadro é a Luz da razão que penetra através das trevas. uma tocha acesa na mão direita. ADONAI. Pø – QUAL É A VOSSA IDADE? Rø – Tø X 27 ou Oitø e uø anos. Pø – QNAIS AS PPø SSø? Rø – Iø Aø Iø. e o ramo de Oliveira. COMO DEVE ESTAR PREPARADO O CANDIDATO E QUAL O SIMBOLISMO DOS OBJECTOS QUE CONDUZ? – O Candidato deve estar vendado. tendo uma corda amarrada no braço esquerdo. O ramo de Loureiro é o triunfo do espírito sobre a matéria. A venda é o emblema da cegueira e das trevas da ignorância. A abeta é a tríade mortal que. a venda tem preso na extremidade acima dos lábios um esquadro pequeno. (IOD. IHOVA) 49 . luz e fartura.

a sua verdadeira pronuncia. por ordem. 23 . que continham. TøVøPøMø – É certo que a verdadeira pronuncia se perdeu. estava proibido a Moisés. O Mestre Secreto que investiga os assuntos da nossa Sublime Instituição certamente. as iniciais de um nome Divino.Pø – EM SECRETO? QUE LUGAR FOSTES RECEBIDO MESTRE Rø – No Sanctum Sanctorum. Inspectores dos trabalhos.Pág. emblema dos atributos do GøAøDøUø. Pø – QUEM VOS RECEBEU? Rø – Salomão e Adoniram. por Lei. 50 . fica o PORTA PAINEL DO GRAU. Pø – QUE VISTES AO ENTRAR NO SANCTUM SANCTORUM? Rø – Um Delta brilhante que continha certos caracteres hebraicos do qual pendiam nove vigas de Shekinah. de acordo com o Ritual. o qual. pronunciar. A sua abertura será feita pelo Tesoureiro. perdendo-se por tal motivo. 51). (cavalete) em altura visível por todos. DESCRIÇÃO DO PAINEL DO GRAU 4 No ângulo esquerdo do Oriente (Fig. como recompensa das suas virtudes e cumprimento das suas obrigações. que um dia compreenderá esse segredo. Pø – QUE SIGNIFICAM OS CARACTERES HEBRÁICOS DO DELTA? Rø – O nome verdadeiro e inefável do Grande Arquitecto do Universo.

1 (uma) gota de sangue. de bordos azul-escuro e centro amarelo. Na parte superior do PAINEL. Na parte inferior. No ângulo inferior esquerdo tem desenhado as Tábuas Sagradas e no ângulo inferior direito um Candelabro Místico de 7 (sete) luzes. 1 (uma) outra gota. com bordos azul-escuro. reunidos na parte inferior por um laço de fita azul-escuro e por entre os ramos. por sobre os ramos de Louro e Oliveira tem uma gota de sangue em cada ramo e no centro entre as 2 (duas). ao lado esquerdo da chave. Acima da citada chave. contendo no seu centro um triângulo equilátero de cor escura. um CÍ RCULO de bordos roxos. dois ramos: um de Loureiro e outro de Oliveira. característica da JÓ IA do GRAU. e dentro da ESTRELA a letra IOD. tendo no seu interior uma ESTRELA FLAMEJANTE. Fim da Instrução do Grau 4 51 .Tem o formato de escudo. o mesmo acontecendo no seu lado direito. uma chave de marfim. tendo (uma) gota de sangue sobre as Tábuas Sagradas e outra sobre o Candelabro Místico. Por baixo.

Painel do Grau 4 Fig. 23 .Painel Alegórico do Grau 4 (Ver Moral e Dogma. 26) 52 . Pág.

2°Vigø – IIrø. Irø 1°Vigø? 1°Vigø – Quando a Grande Luz desaparece da Loja. Irø 2°Vigø? 2°Vigø – As trevas invadem o Santuário. TøVøPøMø – Que horas são. TøVøPøMø – A que horas se fecha o Santuário. Tø VøPøMø – Porquê essa idade? 1°Vigø – Pelo tempo transcorrido desde a morte de Hiram às exéquias que acabam de se celebrar. que ornamentais o meu Vale. 1°Vigø – IIrø que decorais o meu Vale. TøVøPøMø – Ilrø VVigø convidai os demais irmãos para que nos ajudem a fechar o Santuário pelos golpes e sinais misteriosos. em nome do nosso TøVøPøMø vos convido a que nos ajudeis a encerrar os trabalhos do Santuário pelos golpes e sinais misteriosos. Tø VøPøMø – Que idade tendes Irø 1°Vigø? 1°Vigø – Tø X 27 ou Oitø e uø anos. em nome do 53 .R I T UA L D O G R A U 4 MESTRE SECRETO ENCERRAMENTO DOS TRABALHOS O TøVøPøMø dá um golpe com o cabo da Espada que é repetido pelos VVigø.

Irø 1°Vigø.nosso TøVøPøMø vos convido a que nos ajudeis a encerrar os trabalhos do Santuário pelos golpes e sinais Misteriosos.Os que abriram o L? da L? vão fechá-lo e voltam aos seus lugares. (Desembainha a Espada e estende a tiara para a frente). meus IIrø. (Depois de executada a ordem) Antes do nos retirarmos Juremos. TøVøPøMø. meus IIrø (Pausa . (Pausa) Está anunciado no meu Vale. depois aos seus lugares) Silêncio e Fidelidade! A mim pelo Sinal (… ) e pela Bateria. TøVøPøMø – (!) De pé e a ordem. O Secretário apaga o Candelabro Místico e o Tesoureiro fecha o Painel do Grau. antes do Juramento. guardar o mais profundo sigilo sobre tudo quanto se passou nesta Sessão. Todos – (Voltando-se para o Orø e estendendo o braço direito) EU O JURO! TøVøPøMø – Está fechada a nossa Loja do Perfeição TøVøPøMø – Retiremo-nos em Paz. Todos – ASSIM SEJA! Fim do Ritual do Grau Quatro 54 . 1°Vigø – Está anunciado em ambos os Vales. voltando.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful