Você está na página 1de 19

VALE A PENA LER ATÉ AO FIM, E

SE CHORAR,
AINDA MELHOR!!!

É para ler, ok? Leia atentamente...


Palavras, para quê?...
Tenho a certeza de que a história a(o) vai
fazer reflectir, tal como a mim...
E sensibilizá-la(o) muito...
VOCÊ COSTUMA DIZER
AMO-TE?
Dois irmãos estavam a jogar futebol no quintal, quando Júlio,
o mais novo, disse ao Ricardo:
- Meu querido irmão, amo-te muito e não quero separar-me
nunca de ti !
Ricardo, sem dar muita importância ao que Júlio tinha dito,
perguntou-lhe:
- Mas que conversa é essa de amar, pá? Cala mas é a boca e
continua a jogar…

E os dois continuaram a jogar à bola a tarde inteira.


À noite, Jacó, o pai dos miúdos,
chegou do escritório exausto e muito mal disposto,
pois não tinha conseguido fechar um bom
negócio...
Ao entrar, Jacó olhou para Júlio que, sorridente,
lhe disse:

- Olá Pai, amo-te muito e não quero separar-me


nunca de ti!

Jacó, no auge do mau humor e stress, disse-lhe:

- Júlio, estou exausto e nervoso. Fazes favor de


não me vires com parvoíces!
Júlio ficou magoado com as palavras ásperas do pai,
e foi chorar para um cantinho do seu quarto. Joana,
a mãe dos miudos, sentiu a falta do filho e foi
procurá-lo, até que o encontrou no cantinho do
quarto, com os olhinhos cheios de lágrimas…
Admirada, começou a secar as
lágrimas ao filho, ao mesmo tempo que lhe
perguntava:
- O que foi, Júlio? Por que é que está a chorar?
Júlio olhou para a mãe com uma carinha triste e
disse-lhe:
- Mãe, eu amo-te muito e não quero separar-me
nunca de ti!
Joana sorriu para o filho e afirmou:
- Meu filho querido, ficaremos sempre juntos!
Júlio sorriu, deu um beijo à mãe e foi deitar-se...
No quarto do casal, quando ambos se estavam a
preparar para se deitarem, Joana comenta a Jacó:
- Não achaste o Júlio muito estranho hoje?
Jacó, muito stressado pelo trabalho, disse:
- Esse miudo está é a querer chamar a atenção...
Deita-te e dorme!

Finalmente, todos se deitaram e adormeceram,


sossegados.
Às duas da manhã, Júlio levantou-se, foi
ao quarto do seu irmão Ricardo e ficou a
vê-lo dormir... Ricardo, incomodado com
a claridade, acordou e gritou para o Júlio:
- Estás doido?! Apaga já a luz e deixa-me dormir!
Em silêncio, Júlio obedeceu ao irmão. Apagou
a luz e dirigiu-se ao quarto dos pais...
Quando lá chegou, acendeu a luz e ficou a ver os pais
a dormir. Jacó acordou e perguntou ao filho:
-O que foi, Júlio?
Em silêncio, Júlio apenas acenou negativamente com a
cabeça. Nessa altura Jacó, irritado, interregou-o:
-Então, o que é que queres?
Júlio continuou em silêncio. Jacó, já muito irritado,
berrou, dizendo:
- Então vai dormir, miudo doente!...
Júlio apagou a luz, dirigiu-se ao seu
quarto e deitou-se. Na manhã seguinte
todos se levantaram cedo. Jacó ia
trabalhar e Joana ia levar as crianças à
escola. Ricardo já estava acordado...

Mas Júlio não se tinha levantado...


Então, Jacó, que já estava muito irritado com o
Júlio, entrou a bufar no quarto do miudo e gritou:
-Levanta-te preguiçoso!!!

Júlio, nem se mexeu…


Então, Jacó avançou para a cama do miudo e puxou
para trás o lençol, destapando a criança, quando se
apercebeu de que Júlio estava com os olhos
fechados e muito pálido.
Assustado, pôs a mão sobre o rosto do filho e
notou que ele estava gelado. Desesperado,
gritou, chamando a mulher e o Ricardo, para
verem o que tinha acontecido ao Júlio...
Infelizmente, o pior!...
Estava morto e aparentemente sem
motivo. Joana, desesperada, abraçou o
filho morto e quase não conseguia
respirar de tanto chorar. Ricardo,
desconsolado, segurou com força na mão
do irmão e também só chorava…
Jacó, desesperado, soluçava, e ao olhar para o
seu querido menino, apercebeu-se de que ele
tinha um papelinho dobrado entre as suas
pequenas mãos. Jacó agarrou no pequeno
papel e leu o que Júlio tinha escrito:
-“Numa destas noites, Deus veio falar comigo
durante um sonho. Disse–me que, apesar de eu
amar a minha família e de ela também me amar,
íamos ter de nos separar. Eu não queria, mas Deus
explicou-me que era preciso. Não sei o que vai
acontecer, mas estou com muito medo. Mas
gostava de dizer uma coisa:
- Ricardo, não te envergonhes de me amar.
-Mãe, és a melhor mãe do mundo.
- Pai, de tanto trabalhares, esqueceste-te de viver.
- Eu amo-vos aos três!!!!
Quantas vezes não temos tempo para
parar, amar, e receber o amor que nos é
oferecido? Talvez quando acordarmos seja
tarde demais... Mas ainda há tempo!

DEVOLVE ESTA MENSAGEM A QUEM


TA MANDOU E ENVIA-A TAMBÉM A
TODOS OS OUTROS DE QUEM
TAMBÉM GOSTAS.
Muita gente vai entrar e sair da tua vida, mas só os
verdadeiros amigos vão deixar marca no teu coração!
Para te segurares, usa a cabeça; Para segurares os
outros, usa o coração. O ódio é apenas uma curta
mensagem de perigo. Quem perde um amigo, perde
muito mais. Quem perde a fé, perde tudo. Amigos,
somos eu e tu... Trouxeste outro amigo… E
começámos um grupo... Um círculo de amigos... E
como um círculo não tem começo nem fim, mostra aos
teus amigos como são importantes para ti...
Manda esta mensagem para quem
julgas ser teu amigo. Se voltar,
saberás qual é o teu círculo de
amizades…

AINDA HÁ TEMPO!!!