P. 1
1

1

|Views: 665|Likes:

More info:

Published by: Tiago A. Valsecchi Gregório on May 19, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/04/2013

pdf

text

original

92

Direito Civil Esquematizado

Eficácia da lei no Em razão da soberania estatal, a norma tem aplicação dentro do território delimitado pelas espaço fronteiras do Estado. Esse princípio da territorialidade, entretanto, não é absoluto. A necessidade de regular relações entre nacionais e estrangeiros levou o Estado a permitir que a lei estrangeira tenha eficácia em seu território sem comprometer a soberania nacional, admitindo, assim, o sistema da extraterritorialidade. O Brasil segue o sistema da territorialidade moderada, sujeita a regras especiais, que determinam quando e em que casos pode ser invocado o direito alienígena (LICC, arts. 7º. e s.).

3.12. QUESTÕES
1. (TJSP/Juiz de Direito/2006 — 179º Concurso/VUNESP) Considere as seguintes afirmações: I. As leis, atos e sentenças de outro país terão eficácia no Brasil, quando não ofenderem a soberania nacional e a ordem pública, ainda que atentem contra os bons costumes; II. A lei nova, que estabeleça disposições gerais e especiais a par das já existentes, não revoga nem modifica a lei anterior; III. A lei destinada à vigência temporária terá vigor até que outra a revogue; IV. As correções a texto de lei já em vigor consideram-se lei nova. Pode-se afirmar que são CORRETAS apenas: a) I, II e III. b) II e IV. c) II. d) I, II e IV. Resposta: “b”. 2. (TRT/2ª Reg./Juiz do Trabalho/2007) É correto dizer que: I. Na aplicação da lei, o Juiz atenderá aos fins sociais a que ela se dirige e às exigências do bem comum. II. Quando a lei for omissa, o Juiz decidirá o caso de acordo com a analogia, a doutrina, a jurisprudência, os princípios gerais de direito, podendo também fundamentar suas razões de decidir nos usos e costumes locais. III. Não se destinando a vigência temporária, a lei terá vigor até que a outra a modifique ou a revogue. IV. A lei nova, que estabeleça disposições gerais ou especiais a par das já existentes, não revoga nem modifica lei anterior, salvo se expressamente o declare. V. A lei em vigor terá efeito imediato e geral, respeitados o ato jurídico perfeito, o direito adquirido, a coisa julgada e o fim social a que se destina. Assinale a alternativa CORRETA: a) As alternativas II, IV estão incorretas e as alternativas I, III, IV estão corretas. b) As alternativas II, IV e V estão incorretas e as alternativas I e III estão corretas. c) As alternativas III e V são incorretas e as alternativas I, II e IV são corretas. d) Todas as alternativas estão incorretas. e) Todas as alternativas estão corretas. Resposta: “b”. 3. (TRT/2ª Reg./Juiz do Trabalho/2007) No que pertine à eficácia da lei no tempo e no espaço, prevê o nosso ordenamento jurídico que: I. Salvo disposição contrária, a lei começa a vigorar em todo o país 45 dias depois de oficialmente publicada. II. Em se tratando de sentença arbitral estrangeira, tem sua eficácia plena assegurada após a sua homologação pelo Supremo Tribunal Federal ou conclusão de processo legislativo e promulgação pelo Presidente do Senado Federal. III. Nos estados estrangeiros, a obrigatoriedade da lei brasileira, quando admitida, se inicia três meses após oficialmente publicada.

Parte Geral

93

IV. A lei nova, que estabeleça disposições gerais ou especiais a par das existentes, não revoga nem modifica a lei anterior. V. Aplicar-se-á a lei do país em que for domiciliado o proprietário, quanto aos bens móveis que ele trouxer ou se destinarem a transportes para outros lugares. Assinale a alternativa CORRETA: a) As alternativas II e V estão incorretas e as alternativas I, III e IV estão corretas. b) Apenas a alternativa V está incorreta e as alternativas I, II, III e IV estão corretas. c) Apenas a alternativa II está incorreta e as alternativas I, III, IV e V estão corretas. d) Todas as alternativas estão incorretas. e) Todas as alternativas estão corretas. Resposta: “c”. 4. (Procurador do Trabalho/2007) Complete com a opção CORRETA. Nos Estados estrangeiros, a obrigatoriedade da lei brasileira, quando admitida, se inicia ___________ depois de oficialmente publicada. a) 2 meses; b) 3 meses; c) 4 meses; d) 5 meses; e) não respondida. Resposta: “b”. 5. (MP/SP/Promotor de Justiça/2006) A Lei A, de vigência temporária, revoga expressamente a Lei B. Tendo a lei revogadora perdido a vigência, é certo que: a) A lei revogada é automaticamente restaurada, já que a lei revogadora é temporária e os seus efeitos estavam apenas suspensos. b) A lei revogada é automaticamente restaurada, já que não se pode ficar sem lei. c) A lei revogada não se restaura por ter a lei revogadora perdido a vigência, porque não é admitido o princípio da comoriência. d) A lei revogada não se restaura por ter a lei revogadora perdido a vigência, salvo disposição expressa neste sentido. e) Como não existe lei de vigência temporária, a revogação da anterior nunca teria acontecido. Resposta: “d”. 6. (TRT/15ª Reg./Juiz do Trabalho/Campinas/2008) Assinale a alternativa CORRETA. A lei revogada não se restaura por ter a lei revogadora perdido a vigência, salvo disposição em contrário (LICC). Havendo disposição em contrário, ocorre: a) revogação; b) derrogação; c) ab-rogação; d) repristinação; e) anulação. Resposta: “d”. 7. (TRF/3ª Reg.-SP/MS/Juiz de Direito/2007) Assinale a alternativa CORRETA: a) A eficácia de uma norma é condição de sua validade, mas não de sua vigência. b) A condição de validade de uma norma é a sua vigência imediata. c) Princípios jurídicos distinguem-se de normas por não implicarem em sanção na hipótese de seu descumprimento. d) Nenhuma das anteriores. Resposta: “d”.

94

Direito Civil Esquematizado

8. (MP/SP/Promotor de Justiça/2005, 84º Concurso) Quando o conflito normativo for passível de solução mediante os critérios hierárquico, cronológico e da especialidade, estaremos diante de um caso de: a) conflito normativo intertemporal. b) conflito jurídico-positivo de normas. c) conflito jurídico-negativo de normas. d) antinomia real. e) antinomia aparente. Resposta: “e”. 9. (TJSP/Juiz de Direito/2008/181º Concurso/VUNESP) O magistrado se encontra em situação de decisão da lide, mas as normas de direito positivo que lhe parecem aplicáveis à matéria se mostram obscuras. Por outro lado, as regras seguidas pelo povo aparentariam contrariedade ao sistema positivo. Assinale a alternativa correta. a) O juiz de direito deve aplicar, no julgamento da causa, as regras seguidas pelo povo, no caso. b) O juiz de direito deve extinguir o processo, sem decisão sobre o mérito, ante obscuridade manifesta da lei. c) A sentença, na dúvida, deverá se mostrar contrária à pretensão deduzida pelo autor em juízo, de modo a não se verem feridas as regras seguidas pelo povo. d) A sentença deve ser dada mediante extensão da interpretação, buscando-se nela alguma norma aplicável a uma situação jurídica semelhante, ainda que diferente, ou princípio jurídico não positivado. Resposta: “d”. 10. (TJSP/Juiz de Direito/2004/176º Concurso) Analise as assertivas abaixo: I. Quando houver conflito entre o critério hierárquico e o critério cronológico para a solução de uma antinomia jurídica, estaremos diante de uma antinomia de segundo grau, que se resolve através da meta-regra de prevalência do critério temporal. II. Toda interpretação jurídica pressupõe a valoração objetivada na proposição normativa. III. Os conflitos de leis no espaço relativos aos direitos reais regem-se pelo princípio da extraterritorialidade. IV. Deparando com lacuna jurídica, o juiz, para seu preenchimento, deverá se valer da analogia, do costume e dos princípios gerais do direito. São CORRETAS apenas as assertivas: a) I e II. b) I e III. c) II e III. d) II e IV. Resposta: “d”. 11. (TRT/2ª Reg./Juiz do Trabalho/2005) À luz do ordenamento vigente, pode-se afirmar que: I. A lei em vigor terá efeito imediato e geral, respeitados o ato jurídico perfeito, o direito adquirido e a coisa julgada. II. Reputa-se ato jurídico perfeito o já consumado segundo a lei vigente ao tempo em que se efetuou. III. Consideram-se adquiridos assim o direito que o seu titular ou alguém por ele, possa exercer, como aqueles cujo começo do exercício tenha termo pré-fixo, ou condição preestabelecida inalterável, a árbitrio de outrem. IV. Chama-se coisa julgada ou caso julgado a decisão judicial de que já não caiba mais recurso. V. A lei nova, que estabeleça disposições gerais a par das já existentes, revoga a lei anterior, salvo disposição em contrário.

Parte Geral

95

Assinale a alternativa CORRETA: a) As alternativas I, II, III e IV estão corretas e a alternativa V está incorreta. b) Apenas a alternativa III é incorreta. c) As alternativas III e V estão incorretas e as alternativas I, II e IV estão corretas. d) Todas as alternativas estão corretas. e) Todas as alternativas estão incorretas. Resposta: “a”. 12. (Procurador/Faz. Nac./2007/ESAF) Assinale a opção correta: a) Os meios probatórios regular-se-ão pela lex fori por pertencerem à ordem processual e o modo de produção dessas provas reger-se-á pela norma vigente no Estado onde ocorreu o fato; b) A nossa Lei de Introdução ao Código Civil não contém qualquer proibição expressa e categórica do retorno; assim, o juiz poderá ater-se às normas de direito internacional privado do país em que ocorreu o fato interjurisdicional sub judice; c) A interpretação teleológica é também axiológica e conduz o intérprete-aplicador à configuração do sentido normativo em dado caso concreto, já que tem como critério o fim prático da norma de satisfazer as exigências sociais e a realização dos ideais de justiça vigentes na sociedade atual; d) Às coisas in transitu aplicar-se-á a lex rei sitae; e) A locus regit actum é uma norma de direito internacional privado para indicar a lei aplicável à forma intrínseca do ato. Resposta: “c”. 13. (Procurador/Faz. Nac./2007/ESAF) As obrigações convencionais e as decorrentes de atos unilaterais, se interjurisdicionais, desde que efetuadas entre presentes, reger-se-ão: a) Quanto à forma intríseca pela ius loci actus e quanto à capacidade das partes pela lei da nacionalidade; b) Quanto à forma intrínseca e extrínseca pela locus regit actum e quanto à capacidade das partes pela lex fori; c) Pela lex fori; d) Quanto à forma ad probationem tantum e ad solemnitatem pela lei do local de sua constituição e quanto à capacidade pela lei domiciliar das partes; e) Quanto à forma extrínseca pela lex fori e quanto à capacidade das partes pela locus regit actum. Resposta: “d”. 14. (PGE/SP/2009/Fundação Carlos Chagas) No que diz respeito à vigência da norma jurídica, a) a ab-rogação é a supressão parcial da norma anterior, enquanto a derrogação vem a ser a supressão total da norma anterior. b) os efeitos da lei revogada poderão ser restaurados se houver previsão expressa na lei revogadora. c) a revogação de uma lei opera efeito repristinatório automático em caso de lacuna normativa. d) a lei não pode ter vigência temporária. e) a lei começa a vigorar em todo país, salvo disposição contrária, 40 (quarenta) dias depois de oficialmente publicada, denominando-se período de vacatio legis. Resposta: “b”. 15. (TJSP/Juiz de Direito/2009/182º Concurso/VUNESP) O denominado efeito represtinatório da lei a) Segundo entendimento majoritário, foi adotado como regra geral no direito brasileiro e implica restauração da lei revogada, se extinta a causa determinante da revogação.

96

Direito Civil Esquematizado

b) Segundo entendimento majoritário, não foi adotado como regra geral no direito brasileiro e implica restauração da lei revogada, se extinta a causa determinante da revogação. c) Foi adotado como regra geral no direito brasileiro, não comporta exceção e implica restauração da lei revogada, se extinta a causa determinante da revogação. d) Foi adotado no direito brasileiro como regra geral e implica incidência imediata da lei revogadora. Resposta: “b”. 16. (Procurador/BACEN/2009/12º Concurso/CESPE/UnB) Considerando o âmbito do direito civil, assinale a opção correta quanto a vigência, aplicação, integração e interpretação da lei. a) Entende-se por retroatividade mínima a aplicação de uma norma revogada à relação jurídica consolidada durante a sua vigência. b) A lei nova não pode reger efeitos futuros gerados por contratos a ela anteriormente celebrados. c) Analogia juris consiste em processo de aplicação de disposição relativa a caso idêntico a uma hipótese não prevista em lei. d) Admite-se a aplicação da lei nova aos fatos pretéritos quando esta for mais benéfica que a anterior. e) Caso falte texto em algum dispositivo de lei publicada e em vigor, poderá o juiz corrigir a falta por processo interpretativo. Resposta: “b”.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->