Comunicae maio

Editoria: Cultural e Recreativo Tipo de artigo: artigo

Título: Melhores sítios para estudar no Porto
Muitos estudantes procuram um refúgio para os momentos de estudo. A biblioteca Almeida Garrett, o Café Vera Cruz e a Casa do Ló são alguns desses locais. As próprias casas são o local mais habitual utilizado pelos estudantes para se prepararem para trabalhos ou exames. Contudo, existem outros locais também calmos e acolhedores utilizados por vários alunos nestas horas. Localizada no Palácio de Cristal, a Biblioteca Almeida Garrett é dos sítios preferidos por muitos jovens para estudar. O espaço que pode ser utilizado para estudo e lazer é frequentado por indivíduos de todas as idades que aproveitam o ambiente calmo e sossegado e os vários recursos disponíveis.

No entanto, segundo Albina Pacheco, são os estudantes que ocupam uma parte considerável do espaço. "Principalmente a partir do período da tarde temos vários jovens que vêm várias vezes para a biblioteca para estudar", afirma a funcionária da biblioteca. Por sua vez, o café Vera Cruz, situado na Rua de Cedofeita, é um dos locais escolhidos pelos estudantes em época de exames. O ambiente acolhedor e tranquilo do espaço chama várias pessoas ao local e, em alturas de stress e trabalho, é lá que os jovens procuram concentração.

Segundo o proprietário, Eládio Ferreira, o espaço é frequentado por pessoas de todas as idades que aproveitam a serenidade do local para ler um livro. Porém, na época de exames, os estudantes escolhem o café para estudar, onde passam grande parte do dia.

O Vera Cruz tem a atmosfera ideal para os jovens se concentrarem e poderem tirar o máximo partido do estudo. A antiga fábrica da Margaridense, localizada na Travessa de Cedofeita, deu agora lugar a um novo conceito. A Casa do Ló surge como um espaço multifacetado, combinando loja tradicional e café. Famosa pelos seus produtos nacionais, esta casa de chá continua a servir o pão de ló confecionado no espaço desde 1880. Com um ambiente calmo e descontraído é o sítio ideal para estudar ou fazer trabalhos para a faculdade. Apesar da maior afluência por parte de estudantes, esta casa é visitada por pessoas de todas as idades que recordam a velha Margaridense. Autores: Ana Mota, Filipa Barbosa e Filipa Sousa

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful