P. 1
A Cidadania Na Antiguidade

A Cidadania Na Antiguidade

|Views: 2.168|Likes:
Publicado porAndreson Dos Santos

More info:

Published by: Andreson Dos Santos on May 26, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/18/2013

pdf

text

original

A Cidadania na Antiguidade A palavra cidadania foi usada na Roma antiga para indicar a situação política de uma pessoa e os direitos

que essa pessoa tinha ou podia exercer. A sociedade romana fazia discriminações e separava as pessoas por classes sociais. Havia, em primeiro lugar, os romanos e os estrangeiros, mas os romanos não eram considerados todos iguais, existindo várias categorias. Em relação à liberdade das pessoas era feita a diferenciação entre livres e escravos, mas entre os que eram livres também havia igualdade, fazendo-se distinção entre os patrícios – membros das famílias, nobres – e os plebeus – pessoas comuns. Com o tempo foram sendo criadas categorias intermediárias, para que alguns tivessem alguns cargos. Quanto à possibilidade de participar das atividades políticas e administrativas haviam uma distinção importante entre os próprios romanos. Os romanos livres tinham cidadania: eram, portanto, cidadãos, mas nem todos podiam ocupar os cargos políticos. Fazia-se uma distinção entre cidadania e cidadania ativa. Só os cidadãos ativos tinham o direito de participar das atividades políticas e de ocupar os altos postos da Públicos. Observava-se que as mulheres não tinham a cidadania ativa e por esse motivo nunca houve mulheres na Senado nem nas magistraturas romanas.

As Revoluções Burguesas e Cidadania Nos séculos XVII e XVIII, quando na Europa já estavam começando os tempos modernos, havia também a divisão da sociedade em classes.Ao lado dos nobres, que gozavam de muitos privilégios, existiam as pessoas chamadas comuns, entre eles havia grande diferença entre os ricos e os não ricos, estes viviam de seu trabalho, no campo ou na cidade. Nessa fase da história da humanidade vamos encontrar os reis que governam sem

Essa revolução influenciou outras nas colônias. aprovaram a primeira Constituição francesa e aí já estabeleceram regras que deformavam completamente a idéia de cidadania. falando-se nos “direitos da cidadania” para indicar os direitos que permitem participar do governo ou influir sobre ele. Em 1789. A revolução na Inglaterra(1688) o rei perdeu todos os seus poderes e os burgueses passaram a dominar o Parlamento. ocorreu na França a Revolução Francesa. A partir daí a cidadania continuou a indicar o conjunto de pessoas com direito de participação política. Uma das inovações importantes. ocasionando a criação do novo Estado conhecido como Estados Unidos da América(1787). unindo-se todos contra os nobres. com poderes absolutos.nenhuma limitação. Vários escritores políticos vinham defendendo a idéia de que todos os seres vivos nascem livres e são iguais. Foi nesse momento e nesse ambiente que nasceu a moderna concepção de cidadania. conhecidas como revoluções burguesas. para simbolizar a igualdade de todos. o direito de votar e ser votado. Houve um momento em que os burgueses e os trabalhadores já não suportavam as arbitrariedades e as injustiças praticadas pelos reis absolutistas e pela nobreza e por esse motivo. que surgiu para afirmar a eliminação de privilégios que antes existiam. . fizeram uma série de revoluções. e por isso o período é conhecido como do absolutismo. ocorrida algumas décadas antes. foi justamente o uso das palavras cidadão e cidadã. reunidos numa assembléia. Esse movimento foi muito importante porque influiu para que grande parte do mundo adotasse o novo modelo de sociedade. devendo ter os mesmos direitos Injustiça Legalizada: Discriminação pela Cidadania No ano de 1791 os líderes da Revolução Francesa.

As mulheres. A Constituição Brasileira de 1988 é conhecida como constituição Cidadã. Além disso. Dada a monarquia. os trabalhadores. E para ser cidadão ativo era preciso ser francês. estabelecendo que apenas os cidadões ativos podiam ser eleitos para a Assembleia Nacional. feita pouco depois da Declaração de Direitos de 1789. ser proprietário de bens imóveis e ter um renda mínima anual elevada. . A Constituição francesa de 1791. o que já significava um privilégio para uma família. todos esses grupos sociais foram excluídos da cidadania ativa e tiveram que iniciar uma novas lutas. do sexo masculino. manteve a monarquia. Ficou sendo também um privilégio dos cidadãos ativos o direito de votar para escolher os membros da Assembleia. direitos de 3º geração. as camadas mais pobres da sociedade. estabeleceu que somente os cidadãos ativos poderiam ser eleitos para a Assembleia Nacional.bem como o direito de ocupar os cargos públicos considerados mais importantes. Hoje as constituições abrangem bem mais direitos sociais. Mas a cidadania deixou de ser um símbolo de igualdade de todos e a derrubada dos privilégios da nobreza deu lugar ao aparecimento de uma nova classe de privilegiados. para obterem os direitos da cidadania. contrariando a afirmação de igualdade de todos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->