P. 1
Outro Mundo- jéssica silvestre

Outro Mundo- jéssica silvestre

|Views: 150|Likes:
Publicado porJessica Silvestre
e um romance em andamento ....este e o primeiro caitulo.
e a historia de uma jovem de 18 anos que se descobre presa em mundo totalmente estranho mas ao mesmo tempo em que se sente perto de tudo ,nisto um soldado a encontra e cuida de sus ferimentos ...e acontece a historia de um romance de outro mundo façam uma boa leitura e se gostarem por favo deixem comenttarios par que eu possa escrever outros capitulos.
e um romance em andamento ....este e o primeiro caitulo.
e a historia de uma jovem de 18 anos que se descobre presa em mundo totalmente estranho mas ao mesmo tempo em que se sente perto de tudo ,nisto um soldado a encontra e cuida de sus ferimentos ...e acontece a historia de um romance de outro mundo façam uma boa leitura e se gostarem por favo deixem comenttarios par que eu possa escrever outros capitulos.

More info:

Published by: Jessica Silvestre on May 28, 2012
Direitos Autorais:Traditional Copyright: All rights reserved

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/06/2013

pdf

text

original

Outro mundo

Jessica silvestre de Sousa

Esta historia e a historia de uma jovem que vai parar em um mundo completamente diferente do seu, este Mundo é repleto de magia e ,é onde ela descobre que é mais parecida com ele do que com o próprio mundo de onde ela veio, descobrindo assim uma amizade ,um amor que mudara sua vida , mas a pergunta que não se cala em seu coração é , quem sou eu ? , mas ao longo deste tempo ela descobrira e terá que escolher entre o amor e sua real vingança. Qual será a escolha de Estefani. O que você faria no seu lugar? Qual seria sua escolha? Leia esta historia e decida. Outro mundo- romance Capitulo um ~’~

Revelações ~’~

No dia 10 de agosto de 1995, é encontrada uma criança nos braços de uma mulher morta declarada indigente; ela foi encontrada na estrada que levava ao morro do Taió em Santa Catarina. Seus longos cabelos negros encobriam sua face. A pericia que examinou o corpo respondeu que a mulher em questão teria na faixa etária uns 150 anos; alguns trabalhadores da região disseram ter ouvido um grito ha meia noite, mas esse grito não vinha da estrada e sim do morro Taió, era um mistério para muitos, como aconteceu naquele ano um desastre misterioso que assustou os moradores de santa Catarina e a estrada ficou conhecida como ’’luz’’ pois em meio a uma vasta escuridão sobreviveu a menina de pele branquinha e cabelos negros como a noite. Após aquele episodio a menina foi adotada por uma professora de historia da arte, essa mulher se tornou mais que mãe e amiga, foi para ela um estimulo de vida, e deu a ela o nome de Estefani . 18 anos se passaram, e essa menina se tornou uma jovem batalhadora e que buscava sua identidade, ela não aceitava o “não” como resposta sempre buscava as respostas, mas o que mais achava eram perguntas e mais perguntas, como se a resposta estivesse fugindo pra bem longe, no seu aniversário no mês de agosto Estefani recebe uma bilhete estranho, não somente no formato, mas pela sua aparência, pois dava a impressão que o bilhete havia sido guardado há anos e que por um milagre sobreviveu à umidade. Estefani desconfiada abre o envelope como se ao

menor toque fosse rasga ou se quebrar, e uma revelação surpreendente é feita.

Se estiver lendo este bilhete e sinal que estou morta há muito tempo, tenho motivos pra pensar que você deve estar se perguntando, quem sou eu? Ou que sou? E umas infinidades de questionamentos não podem dizer quem você é, mas posso guia-la para onde deve ir. Neste pequeno embrulho está a chave para você desvendar seu passado, e escolher seu futuro. Feliz aniversário. PS: quem te amou muito.
Estefani se assustou, com aquele bilhete, mas no momento em que ia abrir o embrulho; sua amiga bate na porta e entra cantarolando “parabéns pra você...”. _ Venha sua festa já vai começar e você esta ainda aqui! _ Obriga patrícia nem sei o que dizer; você planejou uma festa de aniversario pra mim, que presente maravilhoso. _ Vamos tenho muitas surpresas pra você hoje. _ Pati deixa disso, você sabe que não gosto de surpresas e, além disso, tenho que estudar este final de semana, pois esta chegando à semana de prova. _ Tudo bem, mas antes você precisa se diverti um pouco, agora pegue sua bolsa e vamos logo. Pati era sua amiga desde 1° semestre da faculdade historia da arte, mas as duas só foram mesmo ter uma intimidade maior a parti do dia em que patrícia tinha recebido a noticia de que seu a pais sofrera um acidente de carro, deste dia em diante elas passaram a compartilhar a dor da solidão. _ Mas Pati, eu não posso ir assim. Seus cabelos negros e encaracolados estavam abaixo dos ombros, dando um contraste mais afeminado seu rosto com o queixo forte e lábios rubros se destacavam com sua pela clara, seu corpo era delgado e com formas sensuais; ela estava usando um vestido de ceda azul marinha. _ Olha se você disser que estar vestida com maltrapilhos eu sou uma mendiga, por favor, vamos logo preciso te apresentar uns amigos. _ Que amigos são esses? Você sabe que eu não gosto disso, eu não sou sociável com homens sejam eles de qualquer etnia, ou região.

Estefani pegou sua bolça e calçou seus sapatos, e desligou todas as luzes de sua quitinete, mas o embrulho permanecia em sua cama sem ter sido desembalado. Juntamente com o bilhete que havia perturbado tanto ela, quando a porta se fecha algo brilha intensamente ,como se estivesse preste a desaparecer. _ Esta gostando da festa? _ Sim! Neste instante aparece uma jovem estranha de cabelos com uma cor indecifrável, no meio da multidão ouvindo um som altíssimo ela grita o nome de alguém, mas muitos não conseguem entender, a jovem impaciente, profere uma palavra que faz com que a musica pare, e todos ficam procurando o motivo da musica ter parado. Pati e Estefani se preocupam e vão ate o gabinete pra saber o que aconteceu. _ Sebastian o que aconteceu o som? _ Não sei! Der repente o som parou, não tem nada de errado com a parte elétrica. A jovem ainda chamando por alguém e gritando desta vez um nome desconhecido que não existia naquele século , muitos estavam olhando-a com expressão de assombro outro com desprezo pois esta jovem estava usando umas vestes estranhas como se tivesse se fantasiado para uma festa de horrores , de repente Estefani senti que seu mundo mudou e que seu corpo respondia aquele nome cada vez que era proferido. _ Lalbendi! Lalbendi! Seu coração bateu mais forte, ela sentiu o sangue pulsar em suas veias e aquela sensação que conhecia bem, pois sabia que não podia se controlar ali no meio daquela multidão então resolveu correr para a saída antes que aquela maluca a encontrasse, pois ela tinha um pressentimento de que não aconteceria uma coisa boa caso ela a visse, mas não adiantou, pois ela a viu. _ te encontrei. _ Quem é você? Neste momento todo o salão perdeu a cor e as pessoas pararam de se mexer e de falar, ate a Pati que estava do seu lado ficou imóvel. _ sou uma diterx, mas preciso da sua ajuda o tempo e curto, venha comigo, precisa pegar o colar antes que eles peguem. _ Quem? _Não posso pronunciar este nome, mas você precisa vir comigo já, antes que seja tarde demais eu não tenho muito tempo, por favor, não dei o colar a miguem...

Aconteceu que ao seu ultimo pedido, ela se tornou pó e desapareceu, e tudo a sua volta voltou ao normal . _não! Neste momento ,quando ela gritou ocorreu que todos os vidros da janela se quebraram ,e ela sem saber o porquê ficou espantada com sigo mesma. Pati acabou de voltar ao normal ,quando viu os vidros de todas as janelas quebrados ,e percebeu que Estefani já não estava mais na festa, ela de inicio se preocupou, mas entendia a sua amiga para deixa-la só. Enquanto Estefani caminhava, ate a sua casa ela sentia um verdadeiro vazio dentro de si, como se não existisse espaço para ela no seu próprio mundo; ela sabia que era uma pessoa diferente das outras , e ate se questionava dizendo que ela era muito especial e por causa disso tinha uma força descomunal ,sua vida se resumia em estudar e trabalhar ,desde que seus pais adotivos faleceram ,mesmo assim ela não estava totalmente realizada consigo mesma . Quando ela chega em casa , sobe os degraus que eram escorregadios por causa do frio que sentia em santa Catarina, Ela tinha pegado a chaves , e abriu o portão, logo depois subiu alguns degraus e abriu a porta de sua quitinete ,ela olha em volta e suspira de desgosto e frustação ,pois sabia que se ela não estudasse ela não conseguiria ter uma vida de conforto . Acabando de entra tira; seus sapatos, seu cachecol, mas prefere continuar com seu casaco e deita na cama ,fecha os olhos e novamente suspira ,mas agora de frustação ,pois tem em sua mente uma única pergunta ao qual ela não encontrar resposta “quem sou eu? ”,eram agora cerca de 23;50 minutos ,ela vira para um lado e para o outro pois sentia que algo a incomodava , e de repente ela se lembra O COLAR! ,toma o em suas mãos e observa cada linha cada pedra encravada e pensa consigo mesma “por que eu deveria proteger este colar”, ela coloca o na palma das mãos e novamente vem a ela uma pergunta que ninguém soube responder, “quem sou eu”, ela adormece com o colar nas mãos ,eram agora 00;00 noite . No mesmo instante em que o relógio da sua cabeceira apontou meia noite ,uma luz surgiu do colar em suas mãos ,e envolveu todo o corpo de Estefani e tudo que restou foram suas roupas que viraram pó em cima de sua cama . Quando estela estava acordando ela se viu desnuda, sem casaco, sem sapatos a, ela se desesperou e agora o que fazer ,não sabia que ela era e nem onde estava .

_socorro! Socorro! Por favor, alguém me ajude. De repente ela para abruptamente, pois um animal enorme com dentes afiados esta olhando pra ela, ela se encolhe toda e cai de joelhos, pois os olhos da aquele animal feroz mas ao mesmo tempo lindo a fizeram se desnortear ,ela desmaia na relva cheia de flores brancas ,e rosas resplandecentes em suas cores , as arvores estavam vivas, as folhas caiam com uma leveza o sol era de uma luz tênue sobre eles ,pois o animal ao qual ela viu era simplesmente um homem com dons incríveis, príncipe de um império sombrio conhecidos como olhos de sangue. Ele sem saber como falar ou se comunicar, esqueceu que seu olhar podia matar, mas como em estado de metamorfose em uma dianatal, ela somente desmaio. Ele sentiu uma vibração em todo seu corpo só de vela, ele não podia deixar ninguém vela ou sentir seu cheiro que era delicioso, pois sabia que seus súditos iriam mata-la antes mesmo de perguntar seu nome. _quem é você? Pequena flor, e como conseguiu fazer com que flores nascessem neste mundo sombrio. Ela abriu os olhos e o que viu não era mais o corpo de um lobo e sim o de um homem, mas como se houvesse sido mordida por alguém que estivesse lhe dando sedativo ela voltou a dormi, mas desta vez sabia que não estava mais sozinha. Quando ele percebeu que ela estava a ponto de acorda, resolveu lhe colocar para dormi com uma mordida de leve assim o veneno não a mataria, ele estava terrivelmente eufórico, pois seu corpo após a metamorfose não possuía vestimenta alguma ele teria que leva-la até a um de seus palácios para cuidar dela de preferencia o mais distante, mas como aguentaria mais um pouco ao lado dela, ele estava louco de vontade de mordê-la de tortura-la, pois esta era a natureza de sua espécie controladora. “Eu me sentia um pouco zonza, não conseguia ver o rosto da pessoa ao qual me carregava, numa rapidez como se eu não pesasse 57 quilos, mas sim 57 gramas ,era estranho pois mesmo sem conhecelo eu já sentia um medo terrível , seu corpo emanava brutalidade , era como se eu conseguisse sentir sua aura ,que lugar é este ?E o que fez comigo?”. Chegando a hora crepuscular, o céu estava escuro, muito antes do crepúsculo, Nicholas que esta em estado de abstinência, procurou controlar um de seus instintos mais ferozes que possuía, que por sinal estava funcionando em parte; logo quando chegou ao palácio Nicholas estava sem roupas e por motivos de conduta ele achou melhor entrar

pelos fundos do palácio, assim evitaria que alguns de seus vassalos o vissem carregando uma jovem nua, de longos cabelos negros, que por sinal cobriam seu seio, dando ao Nicholas uma trégua a seu corpo e olhos, ela era uma beleza diferente da qual ele era acostumado a presenciar, e ele, somente ele sabia da existência de uma espécie totalmente nova; que o intrigava e o fascinava. O palácio era sombrio cheio de homes e mulheres de idade avançada trabalhando, mas o palácio continha em si um grau de requinte e charme, que foi dado por sua mãe antes de falecer na batalha épica que houve alguns séculos antes, Nicholas era um homem destemido honrado, mas que tinha suas fraquezas, muitas vezes suas emoções oscilavam de tal forma que nenhum de seus vassalos conseguia permanecer ao seu lado, nem seu próprio pai aguentava as explosões do filho, mas como todo o príncipe ele era um cavalheiro, porem somente quando lhe convinha, ele tinha os ombros largos o quadril fino, e sua estrutura era de 1;95 , seus cabelos eram de negro esplendoroso, as mulheres imploravam para ir para a cama com ele , mesmo sabendo que ele não teria compromisso com nenhuma delas .

Capitulo dois

~’~ confrontos ~’~
A porta de repente se abriu, mas aconteceu tão devagar, era um dos soldados do rei, o mais bem treinado em guerra e estratégia, seu nome era Roney, ele estava procurando um cheiro diferente que havia sentido logo que chegou ao castelo depois da luta contra os sobrados. Ele vasculhou o castelo inteiro, mas só não ousou entrar nos quartos de hospede, mas no instante em que estava passando ele sentiu um cheiro diferente e resolveu averiguar, porem quando abriu a porta deu se de cara com uma ninfa, sua graça e delicadeza era algo inebriante de ver, esse era o cheiro que o perseguia durante a noite, mas que haveria de ter trago uma ninfa para o castelo, e onde ela foi encontrada esta espécie não existia a muitos anos, pois tinha sido exterminada por seu exercito ,anos atrás por ordem do rei Rinaldi VII. _quem e você? Perguntou com voz sonolenta. Ele a olhava espantado, pois ate sua voz era doce, passou por seus pensamentos “será que seus lábios teriam o mesmo gosto”. Ela o olhou assustado, pois sabia que aquele olhar de luxuria só significava uma coisa, desejo. No mesmo instante em que à face da

aquele homem se transfigurou , em olhos vermelhos , não de um vermelho vivo e sim de vermelho fosco sem vida como se faltasse algo ,ela sentiu um arrepio na espinha como se soubesse do perigo que estava a sua frente. _como conseguiu escapar? Quem te ajudou a fugir ?Não é possível que sua espécie tenha sobrevivido ao... Neste momento ele foi interrompido por um estrondo , pois a pessoa que abria a porta era simplesmente seu salvador que mais uma vez a protegia , mas pensou Estefani , do que exatamente ele a protegia pois cada segundo que passava perto dele sentia no intimo que era dele que ela deveria se proteger. _o que esta acontecendo ? Perguntou com voz autoritária . No momento seguinte Estefani resolveu se levantar, mas mesmo sabendo que precisaria do lençol de seda ela o enrolou mais firme em seu corpo ,só não contava que ao se colocar de pé teria uma forte tontura . _Estefani! No outro instante já estava a seu lado , ela o olhou meia que desnorteada ,seus olhos perderam o foco somente por alguns segundos . _Roney, o que faz aqui? _alteza me perdoe pela invasão mas , eu precisava averiguar; se me permite dizer? _diga, pois estou curioso. No mesmo momento ele a colocou novamente na cama para que descansasse ,após acomoda-la ele fechou a porta do aposento . _senhor estava sentindo um cheiro muito forte e doce ao mesmo tempo , vasculhei o castelo todo mas não achei nada , por isso vim para área reservada , e quando passava por aqui senti novamente esse cheiro e dei de cara com uma ninfa dormindo e achei ... _pare! Como sabe que ela e uma ninfa? Eu não havia lhe dito qual espécie ela pertencia. Neste momento eles se entre olharam os dois sabiam o que aconteceria a seguir, uma ninfa era um espirito que só existia por uma razão, a razão pelo qual o rei mandou exterminar toda espécie; inclusive a mãe de todas elas, Hermes._ não vou deixa, que a entregue ao o rei !_o rei precisa saber que uma dessas coisas conseguiu escapar! No mesmo instante os dois desembainharam as espadas e surgiu uma luta travada no corredor do castelo, Nicholas sabia que se o pai soubesse na mesma hora o mandaria mata-la ,antes mesmo de Nicholas conhecer a verdade sobre ao qual o pai lhe falava, desde jovem.

Nicholas desferi um golpe letal na cocha de Roney ,que caiu com um gemido de derrota pronto para o golpe final ,Roney era um dos melhores do rei porem ninguém superava Nicholas em força e agilidade, sua destreza com a espada era nítida para todos os reinos .Porem neste instante a porta foi aberta , a pessoa o qual abriu a porta era Estefani que ficou chocada com a cena de hum homem prostrado no chão sangrando muito ,ela ficou pálida e olhou para Nicholas , que transferiu o seu olhar para o chão subitamente arrependido por estar prestes a matar um soldado de seu pai por uma mulher ,que mal conhecia Nicholas apontou a espada para o soldado. _Roney pode ir embora, mas, não volte por que se voltar, irei mata-lo agradeça a... Não conseguiu terminar a frase no mesmo instante seus olhares se encontram, mas como tão rapidamente se encontram, ele os desviou novamente para o soldado que o olhava com ódio mortal. Eu vou, mas prometo que, me verá novamente... Disse com voz quase inaudível. Quando o soldado estava se arrastando pelos corredores, para sair pelo lado inferior do castelo, ela fecha porta e volta para a cama desta vez lucida e consciente de que o homem no corredor era perigoso e precisava urgentemente, sair daquele lugar. _Abra esta porta ou não terei opção a não ser tira-la do lugar! Ela teria que pensar rápido, pois a pessoa que havia lhe salvado a vida estava prestes derrubar a porta e entra, ela não sabia o que fazer, pois ao mesmo tempo em que sentia desejo por ele; ele a assustava, pois há alguns instantes atrás estava a ponto de matar um homem por algo que ela nem se quer sabia. Enquanto seus pensamentos se divagaram para a situação ela ouviu. _por favor, sei que ficou assustada e, pode estar com medo de min, mas lhe garanto o que quero, é protegê-la... Neste instante a porta se abriu, ela estava deslumbrante, ele mal acreditou no que estava diante dele, se sentiu como um jovem que não é capaz de controlar seus instintos e não um homem treinado e experiente que ele era. Ele limpou na garganta e prosseguiu. _espero que possa confiar em mim, sei que estar confusa, mas preciso que confie em mim. Acredite se eu quisesse lhe fazer mal já teria feito. Ela o olhou de cima abaixo como se estivesse sondando-o observou a curva dos ombros ,os braços ,sua mão, enfim quando olhou diretamente em seus olhos foi como se tivesse sido aberta uma fresta de uma porta ,ao qual do outro lado estava uma luz que não se apagava, ela se sentiu totalmente presa a ele como se seu mundo não

tivesse mais chão ,como se tudo em acreditava fosse mentira e que, a verdade era ele. Ele sentiu como se todo seu ser fosse ligado diretamente a ela sua visão era ela , sua vida era ela, seu ar era ela , tudo passou a ser ela . o destino dos dois estava traçado , de uma forma que nenhum reino ou nação poderia separar ,a parti daquele momento ele entendeu que não podia mais deixa-la ,ele entrou no quarto completamente absolvido pelo êxtase de simplesmente observa-la, ela estava completamente envolvida por um laço que a havia conectado a ele ,eles permaneceram assim durante muito empo , ate que a visão do lobo passou por sua memoria e ela percebeu que o lobo era ele , no mesmo instante ela caio de joelhos tonta pelo impacto de constatar que sua vida havia mudado para sempre. Seu destino, seu coração estava nas daquele homem ao qual se chamava Nicholas.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->