P. 1
As Faces da Intolerância Humana

As Faces da Intolerância Humana

|Views: 992|Likes:
Publicado porFábio Oliveira

More info:

Published by: Fábio Oliveira on May 29, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/08/2012

pdf

text

original

COLÉGIO SESI LONDRINA – ENSINO MÉDIO PROFESSOR FÁBIO OLIVEIRA

As Faces da Intolerância Humana - Discriminação, Egoísmo, Preconceito e Xenofobia
Bruno Soares de Souza* *Acadêmico do 5º período de Direitos das Faculdades Integradas do Oeste de Minas - FADOM - Divinópolis (MG) Segundo Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, a intolerância, ou aversão a pessoas e coisas estrangeiras significa "xenofobia". A xenofobia, entretanto, ocorre com muita freqüência em locais onde a presença de estrangeiros é pequena, o que leva a crer que tal aversão está mais associada a um preconceito da própria pessoa do que por convivência com o estrangeiro. Aquele que desenvolve a xenofobia pode admitir que uma outra raça represente uma ameaça à cultura e ao emprego de seu país. Por isso, grupos de diferentes nacionalidades são constantemente insultados e humilhados, sem contar as outras formas já definidas de preconceito como, por exemplo, quando são impedidas de entrar em estabelecimentos comerciais (mesmo estabelecimentos irregulares), bares e restaurantes, inclusive de serem servidas ou atendidas (arts. 5º e 8º da Lei 7.716, de 5 de janeiro de 1989). Infelizmente, poucas vítimas desses atos sutis de preconceito racial e de cor procuram o Judiciário em busca de justiça. É verdade que hoje, principalmente, as pessoas são, por natureza, um pouco egoístas com relação ao seu país, sua cultura, língua, povo etc. Não podemos generalizar, é verdade, mas, certas atitudes tornam-

se tão degradantes que sequer podem ser consideradas como aceitáveis ou inerentes à natureza humana de qualquer indivíduo. E o egoísmo, sem o devido controle, associado ao racismo, pode acabar se transformando em ódio. Sentimentos e práticas egoístas que atentam para a dignidade do ser humano de raça, cor ou origem diferente, instigados pela ignorância e pelo preconceito, desencadeiam a revolta e causam enormes sofrimentos. Algumas vítimas convivem com o preconceito em silêncio, outras revidam as agressões com mais preconceito ainda, fomentando a violência. Estudiosos dos grupos étnicos já pesquisaram o passado da humanidade tentando descobrir quando e onde o preconceito racial tem se manifestado. Acabaram, assim, descobrindo que "esse tipo de intolerância não emerge sempre, nem se manifesta no mesmo grau em cada país. A revista alemã de ciências naturais, GEO, diz que a fricção racial aflora em tempos de crise, quando as pessoas têm um profundo sentimento de incerteza e a impressão de que a sua identidade está ameaçada. É comum hoje um profundo sentimento de incerteza. Como nunca antes, somos cercados por uma crise atrás da outra. O desemprego, o galopante custo de vida, a superpopulação, a destruição da camada de ozônio, o crime nas cidades, a poluição da água potável, o aquecimento global - um temor persistente de qualquer uma dessas coisas aumenta a ansiedade. As crises geram ansiedade, e a indevida ansiedade abre a porta para a intolerância".3 As idéias disseminadas com fundo racista na Alemanha nazista fazem parte de um cruel exemplo da gravidade a que pode chegar a intolerância. "Embora Adolf Hitler exaltasse a raça ariana, biologicamente não existe tal coisa. Nunca existiu, nem tampouco existirá. Existem judeus

Para outros. conformação do crânio e do rosto. assim como raça. esta pode causar ressentimento e promover a violência por induzir a vítima a revidar uma injusta agressão.7 Etnia.4 Indiscutivelmente um dos mais tristes capítulos da história humana. sentimentos persistentes de superioridade. judeus negros na Etiópia e judeus mongolóides na China. são semelhantes e se transferem. que a palavra "raça". Embora a discriminação racial não necessariamente induza as pessoas à violência. Racismo é "a teoria que estabelece que certos povos ou nações são dotados de qualidades psíquicas e biológicas que os tornam superiores a outros seres humanos". agindo como se. 5 É apropriado. na definição de Aurélio. entendido como segregação racial. acaba por assumir um ar de condescendência. A pessoa que a pratica. estivesse fazendo-lhes um enorme favor. o ódio e as indignidades e os sofrimentos pessoais . Relembrando os distúrbios raciais já ocorridos. separação. Tamanha brutalidade não se limitou à Europa. Os judeus e outros foram vítimas duma política racista. segregação. em vez de tratá-lo de forma bondosa. A forma mais comum de discriminação racial está associada a piadas e insinuações desferidas a alguém por causa da sua cor da pele. Também apresenta outros significados. encontramos o apartheid na África do Sul. Os cidadãos brancos achavam que a raça negra não tinha a capacidade intelectual de participar em deveres cívicos e no governo". conquanto variem de pessoa para pessoa. Ou pode ocorrer que talvez teste a paciência de seus amigos por insinuações e comentários de mau gosto. Pode ocorrer ainda que. cujos caracteres somáticos. por hereditariedade. faz lembrar ódio e assassinato. cor e etnia têm significado próprio e determinado. Tal política [racista] levou aos campos de concentração. mas revela. apartação. Aurélio Buarque de Holanda Ferreira define a discriminação como o ato ou efeito de discriminar. Nas Américas. lingüística ou social comum". a mesma idéia infundada trouxe indizível sofrimento a gerações de pessoas inocentes. o tipo de cabelo e outros traços. em muitos estados promulgaram-se leis que proibiam os negros de terem muitos dos privilégios que outros cidadãos tinham. às câmaras de gás.COLÉGIO SESI LONDRINA – ENSINO MÉDIO PROFESSOR FÁBIO OLIVEIRA loiros e de olhos azuis na Suécia. por permitir que eles sejam seu amigo. entre os quais. a angústia. para alguns.6 Raça é o"conjunto de indivíduos. o conjunto de indivíduos com origem étnica. signifique discriminação e opressão. não é de se estranhar que entre as origens do preconceito racial. é um grupo biológico e culturalmente homogêneo. de conotações raciais. Lembranças da destruição de vidas e de propriedades. nutrindo o pensamento de que. a discriminação ou segregação racial. às vezes pode até ter amigos de outras raças. o preconceito e o racismo são conceitos distintos. por serem de determinada cor. então. Então. Referir-se a raça tornou-se o ponto focal de incalculável sofrimento humano. e ao assassinato de seis milhões de judeus e muitos outros". está o histórico sofrido pela vítima de injustiças. de forma muito sutil. A discriminação. tais como a cor da pele. são incapazes de executar tal tarefa de maneira eficaz. "Embora já houvesse a libertação dos escravos nos Estados Unidos.

forçosamente.não são indicativos de inteligência.716. todas as pessoas. cor. o dono ou o empregado do estabelecimento. Características tais como cor da pele. cor. possuem o mesmo potencial no que tange a habilidades e inteligência. raça. contribuindo para alimentar o rancor. tem como um de seus fundamentos a dignidade da pessoa humana e objetivos fundamentais. atual mente. este impedimento deve calcar-se em motivos de preconceito ou discriminação. Biologicamente. Ainda mais. promover o bem de todos. causar embaraço. sem preconceitos de origem.º 7. impura ao ponto de ter que ser exterminada. dentre eles. O art. Assim. Assim como na afirmação da UNESCO. também é crime. independentemente de onde vivemos. o cliente ou comprador não for atendido. atender ou receber cliente ou comprador". habilidade ou superioridade da pessoa. Permitir que a pessoa ingresse mas não a atender. se não for atendido. constitui crime. recebido ou servido. baseado em preconceito ou discriminação. de todas as tribos. etnia e religião constituem crime. Se se tratar de obstrução ou impedimento de alguém não habilitado. mas será impossível entender diferentemente. não existe base para se crer que qualquer raça seja superior ou tenha o direito de dominar outra. como exposto. uma vez que. No Brasil. negando-se a servir. ou seja. ou receber. Obstar é opor-se. se.COLÉGIO SESI LONDRINA – ENSINO MÉDIO PROFESSOR FÁBIO OLIVEIRA são remoídos indelevelmente na memória. O atendente que disser a uma pessoa qualquer (independentemente da questão da cor da pele. porque de nada adiantará o dispositivo. 5º da nossa Constituição. 5º da mesma lei: "Recusar ou impedir acesso a estabelecimento comercial. não existe raça superior ou inferior. Cometerá o crime o preposto. preconceito e discriminação em nosso país. o art. "Todos são iguais perante a lei. do cabelo ou dos olhos . também estará sendo vítima desse crime. Ambos os verbos são sinônimos. todos nós viemos de um tronco comum. o preconceito de raça. idade e quaisquer outras formas de discriminação. servir. embora permitido o acesso. Os povos do mundo. línguas e povos. Esta é a figura penal do crime. de 5 de janeiro de 1989. 4º assim diz: "Negar ou obstar emprego em empresa privada". sexo. Em termos infraconstitucionais. a Lei Federal n. . basta a negativa ou o impedimento para que o crime ocorra. de que características físicas possuímos ou de onde nascemos. Esta lei é a principal arma do cidadão na luta pela punição dos crimes decorrentes do racismo. Se o cliente ou comprador adentrar o estabelecimento apenas para olhar. A lei não o diz. apesar de todas as diferenças observáveis. não se há de configurar o crime. Evidentemente. define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor. As diferenças de consecuções dos diferentes povos devem ser e xclusivamente atribuídas à sua História cultural. O atual conhecimento biológico não nos permite imputar conse cuções culturais a dife-renças nopotencial genético.coisas que alguns talvez considerem racialmente importantes . Como exemplo. Ou seja. como que representando uma ameaça a toda humanidade. diz o art. uma raça pura ou outra contaminada. parecem possuir iguais potencialidades biológicas para alcançar qua lquer nível de civilização. sem distinção de qualquer natureza".

A solução para tais mazelas da sociedade dependerá definitivamente da educação e. se tentar forçosamente ser servida pode ser agredida fisicamente. Certamente não seria a melhor coisa a fazer. entretanto. A vítima. além do mais. porém. com menos desigualdades. que propiciem ao aluno uma visão nítida de um futuro promissor. a agressão só serviria para nutrir a animosidade contra o agressor e alimentar a idéia de que o "estranho" era realmente uma pessoa "perigosa". por sua vez. Métodos inovadores de ensino. contribuirão para erradicar a idéia de superioridade de certas raças. de uma grande mudança de atitude. enquadra-se perfeitamente neste tipo de crime do art. que valorizem o respeito mútuo independentemente de quaisquer diferenças. E a atitude correta para com a maneira que encaramos o outro será de grande ajuda para se viver numa sociedade que ainda nutre a idéia de constrangimento desumano por puro preconceito. podemos controlar.COLÉGIO SESI LONDRINA – ENSINO MÉDIO PROFESSOR FÁBIO OLIVEIRA o preconceito está associado. também. pouco pode fazer para desenvolver uma forma inovadora de ensino. fruto da mais absurda ignorância. conseqüentemente. 5º da referida lei. A maioria de nós. a fatores étnicos ou religiosos): "Aqui não servimos gente como você". . Mas a nossa atitude.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->