Sumario de situação 25/04/12 (13h00min

)

M. S. S., 53 anos, do sexo Feminino, de cor Parda, casada, tem 2 filhos, Roberta (20 anos) e Felipe (18 anos). Natural da cidade de Maceió reside no Bairro do tabuleiro do Martins, Rua jenipapo N-49. Mora em casa de Alvenaria, com água tratada (Casal) e rede de esgoto adequada, tem coleta de lixo diariamente. Afirma história de doença na família de DM, HAS (pai), não

pratica exercício físico regularmente, Refere esta com o cartão de imunização de vacinas em dia, encaminhada pelo posto de saúde Denilma bulhões, a mesma relata fraqueza, apresentando tosse no momento sem secreção. Não faz uso de nenhuma medicação. Tabagismo, é G 2, P 2 e A 0. (2 Cesarianas). Ultima visita ao Ginecologista no dia 03/11/2010. Refere alimentar-se bem, dormir bem durante a noite e eliminações fisiologias presentes. No momento da visita, encontra-se lúcida, comunicativa, orientada no tempo e espaço, respondendo as solicitações verbais, em repouso, sentada, normotensa, normocorada, acianotica, anicterica, Ao exame físico, cabelos- com boa implantação e distribuição, sem pintura e com alisamento, ressecados, quebradiços, com boa higienização. Couro cabeludo- integro, sem presença de cicatriz, ausência de pediculose, dermatite seborreica e com boa higienização. Calota craniana – simétrica, Circunferência cefálica 55cm, . Face- com discreta assimetria. Pele- integra, hidratada, normocorada. Sobrancelhas- com boa

implantação e distribuição. Conjuntiva do globo ocular- normocorada. Pupilas isocoricas, com reação direta e consensual a luz, campos visuais sem alterações, fundo de olho sem alteração, houve uma discreta divergência em globo ocular direito. Seios da face- frontal e maxilar-transiluminados e indolores a palpação, Suspeita de desvio de septo a E. Mucosa nasal- integra, com moderada quantidade de vibrissas e bem higienizadas. Pavilhão auricular externo acima da fenda palpebral, conduto auditivo interno D e E com moderada quantidade de cerúmen, tímpano integro. Boca - sem desvio de comissura labial, lábios normocorados, íntegros, hidratados, mucosa oral integra, normocorada, hidratada, ostio da parótida, palato duro e mole, úvula, tonsilas e orofaringe sem alteração. Arcada dentária superior e inferior completa, sem presença de caries e halitose. Palpação das glândulas

Peso = 69. 2 e 3) e sensibilidade térmica. eliminações vesical ausente até o momento. PA= 130/80mmhg em MSD e 150/90mmhg em MIE. AP: MVU+ em AHT. realizado troca de roupa de cama. monetarização cardíaca e oximetro de pulso.auriculares.com bom fluxo.400kg. Abdômen plano. MMII perfundidos e aquecidos sem presença de edema. Circunferência Torácica= 96 cm. Pele integra normocorada. claritromicina + soro . tonsilares. Gânglios préauriculares. Altura Vértice (PV + PP) = 82 + 83= 1. sra. pós.acianótica. hidratada. flácido.Pulso 105. presença de uma cicatriz na região supra púbica (Cesariana). tátil e dolorosa preservados. Abdome globoso flácido e indolor á palpação.Respiração 22.150x100. frêmito toraco . sem presença de massa palpável e viceromegalias. Temperatura 37°c. com diagnóstico clinico de EAP.afebril. respiração toraco-abdominal.62cm.2°C. pele integra. ACV: RCR em 2t C/ BNF. cadeia cervical anterior e posterior e supra clavicular impalpável.em estado geral regular. IMC = 29. Altura de Envergadura (MSD + MSE)= 81 + 81 = 1. sem sinais de infecção. extremidades aquecidas perfundidas. Quadril= 108 . submentoniano.sem sinais logísticos. fibular (anterior e posterior) e pediosa palpáveis). pele integra.eupneico. Altura (BA)= 1. normocorada. com presença de gases em quadrante superior esquerdo. Tórax posterior.65cm. MMSS íntegros s/edemas.54cm. P= 74bpm.saturação 98%. T= 36. eupneica. Normoperistaltismo com RHA +.submandibulares e salivares indolores. Cintura= 84 cm. radial e ulnar) presentes e pulsantes sem alterações. indolor a palpação. Expansão pulmonar sem alterações.lúcida e orientada no tempo no espaço. ao percutir. Pés com ausência de fissuras. MMSS perfundidos e aquecidos sem presença de edema.262945 (Pré obesidade). tibial. artérias (braquial. Membros aquecidos e bem perfundidos. submandibulares. portando acesso venoso periférico por MSD. retirada da SVD conforme prescrição. encaminhada ao banho de aspersão aonde apresentou tontura. respirando em ar ambiente. artérias presentes e pulsantes sem alteração.PA. Refere boa aceitação da dieta ofertada. sem presença de cicatriz.colaborativa. Circunferência Abdominal= 94 cm. Paciente no seu 6 DIH. em uso de medicação cefeprina 2g. e sem alterações. Pulso (poplíteo. rachaduras e sem nenhuma deformidade visual (ver anexo 1. no momento encontra se no leito em repouso . Tórax anterior com discreta assimetria. Panturrilha D = 39 cm e E = 40 cm. aceitou bem a dieta oferecida. glândula tireóide impalpável. normocorada.vocal +. R= 20ipm. abdômen timpânico.

captopril 25 mg. comunico ao medico sobre a falta de controle de glicemia. no entanto de acordo com a prescrição médica a mesma não faz controle de glicemia. conforme exames laborativos. lasix 1 ampola ev de 8/8 horas. . Após toda evolução de enfermagem pudemos observar quer a paciente diabética. isordil 10mg. sua dieta normal. dipirona de 2 ml. diazepan 5 mg. hipertensa.fisiológico 100 12/12 horas.

desempenho Risco para stress Stress em Estimular atividade auto diminuído desempenho de socialização nível DIAGNOSTICO ENFERMAGEM DE INTERVENÇÃO ENFERMAGEM DE RESULTADOS ESPERADOS Risco de sinal de Monitorar sinal vital 3x Sinal de pressão arterial pressão arterial em nível ao dia normal continuo aumentado Orientar alimentar-se bem .PLANO DE CUIDADOS DIAGNOSTICO ENFERMAGEM Potencialidade obesidade DE INTERVENÇÃO DE RESULTADOS ENFERMAGEM ESPERADOS Estimular exercício de para músculos e articulações Obesidade em nível diminuído em 1 mês Motivar regime dietético DE INTERVENÇÃO ENFERMAGEM DE RESULTADOS ESPERADOS débito Freqüência cardíaca normal contínua terapia DIAGNOSTICO ENFERMAGEM Risco de freqüência Monitorar cardíaca anormal cardíaco Avaliar nutricional DIAGNOSTICO ENFERMAGEM DE INTERVENÇÃO ENFERMAGEM DE RESULTADOS ESPERADOS Estimular atividade de auto.

Nutrição prejudicada 1. Orientar para o autocuidado. Avaliar ruídos hidroaéreos. Inspecionar escoriações da pele prejudicada. 5. 2. 3. Esclarecer dúvidas do paciente e família. 4. 2. Promover higiene corporal. diariamente. 2. Pesar paciente diariamente. Risco para infecção 1. Avaliar a aceitação da dieta. 4. Orientar dieta com fibras. 3. 3. Constipação (atual) 1. 4. Monitorar sinais de infecção. 5. Orientar repouso no leito. 3. . Monitorar sinais e sintomas de constipação. Orientar paciente/família sobre o a predisposição à infecção. Orientar sobre a patologia. 3. Avaliar padrão respiratório. Monitorar sinais de angústia respiratória Risco para integridade de pele 1. Orientar e incentivar adesão à dieta prescrita. Assegurar segurança do paciente durante procedimentos invasivos. Estimular deambulação Conhecimento deficiente 1. Orientar hidratação da pele. 4. Monitorar e avaliar hábito intestinal. Monitorar e avaliar deficiências nutricionais. 3. Estimular mudança de decúbito. 2.Diagnósticos e intervenções de enfermagem para portadores de hipertensão utilizando a nomenclatura CIPE® DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM INTERVÊNÇÕES 1. 2. 2. Administrar oxigenoterapia. Posicionar paciente em decúbito DISPNÉIA elevado.

através da garganta e esôfago para o estômago. Código: Tosse Termo: Tosse Definição: Processo de sistema respiratório comprometido: Expulsão súbita do ar dos pulmões para vias aéreas. .Processo de sistema circulatório com características especifica.Processo de sistema regulador comprometido.Foco: Diabete/ Hipertensão Código: 1000994 Termo: Hipertenso Definição. Código: 10005876 Termo: Diabetes Definição. Código: 10019347 Termo: Deglutir Definição: Comer ou beber: Passagem de fluídos e alimentos decompostos da boca. pelo movimento da língua e músculos. bombeamento de sangue através dos vasos com pressão maior que a normal.

bem como sua evolução patológica nem sempre são compreendidas pelo paciente e seus familiares. As complicações de hipertensão arterial. associado à insuficiência de oxigênio no sangue circulante. estimulando mudança de hábito alimentar e a necessidade de acompanhamento médico. estimulando o mesmo a tirar suas dúvidas relacionadas á doença.JUSTIFICATIVA Cliente em processo de sistema respiratório com características específicas: expulsão súbita do ar dos pulmões após inspiração profunda e fechamento da glote. encurtamento da respiração. Sendo assim podemos identificar que o paciente precisa ser mais bem esclarecido. Apresentando um desconforto respiratório. . ruídos respiratórios. alterações na profundidade respiratória. batimento de asa nasal. oferecendo orientações. Em todo processo patológico é necessário que o paciente seja esclarecido acerca da sua doença.

Foi enfatizada a importância da atuação da equipe na busca por melhores Condições de vida a esses pacientes. fazendo com que ela se sinta útil e capaz de cuidar de si.RESULTADOS E DISCUSSÃO O estudo foi realizado com a paciente que no momento estava acompanhada de familiares. . orientando quanto à importância do autocuidado na reabilitação do paciente. Buscamos incentivar a paciente e a família. mas só conseguimos isso através da humanização do cuidado. atuando os profissionais na reabilitação e na reintegração social dos mesmos.

CONSIDERAÇÕES DE ENFERMAGEM Os resultados encontrados neste estudo possibilitaram identificar a importância do enfermeiro diante do paciente é como são feita a assistência prestada pela equipe de enfermagem. a fim de possibilitar uma maior compreensão dos problemas vivenciados pelos pacientes incapacitados pela patologia e desenvolver ações de forma a minimizá-los. atuando os profissionais na reabilitação e na reintegração social dos mesmos diante de tanta dificuldade encontrada. que atua de forma preventiva. Enfermagem. Podemos observar a importância da atuação da equipe na busca por melhores condições de vida a esses pacientes. educativa e na abordagem ao paciente e seu familiar buscando a prevenção são com isso evitando futuras complicações. .

SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR DE ALAGOAS – SESAL FACULDADE DE ALAGOAS – FAL CURSO DE ENFERMAGEM ELIANE JATOBÁ DE MACÊDO SOARES LIVIA DIAS MARIA CLAUDEVANIA DE ALMEIDA MARIA DE FATIMA DA SILVA THALINE ROBERTA AMORIN Visita Técnica ao Hospital Geral de Alagoas Maceió 2012 .

Faculdade Estácio de Alagoas – FAL. sob a orientação do Docente: Socorro Alécio Maceió 2012 .ELIANE JATOBÁ DE MACÊDO SOARES LIVIA DIAS MARIA CLAUDEVANIA DE ALMEIDA MARIA DE FATIMA DA SILVA THALINE ROBERTA AMORIN Visita Técnica ao Hospital Geral de Alagoas Resumo apresentando a Sociedade de Ensino Superior de Alagoas – SESAL. como parte de requisito para obtenção de nota parcial da disciplina de Saúde do Adulto.

através da garganta e esôfago para o estômago. Código: 10019347 Termo: Deglutir Definição: Comer ou beber: Passagem de fluídos e alimentos decompostos da boca. bombeamento de sangue através dos vasos com pressão maior que a normal. . Código: 10005876 Termo: Diabetes Definição.Processo de sistema regulador comprometido. pelo movimento da língua e músculos.DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM CONFORME A CIPE Foco: Diabete/ Hipertensão Código: 1000994 Termo: Hipertenso Definição. Código: Tosse Termo: Tosse Definição: Processo de sistema respiratório comprometido: Expulsão súbita do ar dos pulmões para vias aéreas.Processo de sistema circulatório com características especifica.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful