P. 1
VW 137 50 - Proteção superficial - Tipos e códigos (Português)

VW 137 50 - Proteção superficial - Tipos e códigos (Português)

|Views: 1.949|Likes:
Publicado porNatan1912

More info:

Published by: Natan1912 on Jun 01, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/22/2015

pdf

text

original

Junho de 2008

VOLKSWAGEN

Proteção de Superfícies para Peças Metálicas Tipos de Proteção, Códigos de Identificação

VW 137 50
50200; 02642 Documentação

Para dirimir eventuais controvérsias entre a tradução e o texto original, prevalecerá o disposto neste último! Palavras-chave: corrosão, proteção contra ferrugem, proteção de superfícies, metal, tipo de proteção, abreviações, proteção contra corrosão

Edições anteriores VW 13750: 1953-06; 1954-07; 1956-10; 1958-04; 1959-03; 1959-06; 1963-03; 1963-05; 1966-06; 1966-10; 1967-05; 1967-11; 1969-10; 1970-11; 1971-12; 1972-02; 1974-08; 1975-06; 1976-07; 1980-09; 1983-10; 1986-10; 1989-12; 1991-11; 1994-10; 1999-04; 2005-02; 2008-01

Alterações Em relação à VW 13750: 2008-01 foram realizadas as seguintes alterações: - Corrigida a Tabela 2, Tipo de proteção b 140 corrigido

Indice 1. 2. 2.1 2.2 3 3.1 3.2 3.3 3.4 3.5 3.6 3.7 3.8 3.9 3.9.1 3.9.2 3.10. 4. A.1. A.2. A.3. Página Campo de aplicação ............................................................................................................2 Denominação ... 2 Composição das abreviaçôes..............................................................................................2 Exemplo de denominação ...................................................................................................2 Requisitos ............................................................................................................................2 Requisitos básicos ...............................................................................................................2 Indicações em desenhos .....................................................................................................3 Soldabilidade .......................................................................................................................4 Agentes que interferem na umectação ................................................................................4 Comportamento de fricção...................................................................................................4 Revestimentos de zinco e de ligas de zinco ........................................................................4 Parafusos,porcas,peças com rosca e peças moldadas.......................................................4 Tipos de proteção comerciais convencionais ......................................................................5 Peças sem proteção de superfície.......................................................................................5 Elementos de ligação com roscas métricas ISO..................................................................5 Demas peças(por exemplo,chapas) ....................................................................................5 Atribuição dos tipos de proteção e as respectivas abreviações ..........................................5 Documentos válidos...........................................................................................................12 Comparação ¨não para nova construção"/"para nova construção" ...................................14 Tipos de proteção de superfície sem abreviação ..............................................................15 Tipos de proteção de superfícies segundo Folha de Teste VDA 235-104 e VW 13750....16

Página 1 de 16
Elaboração do original: Tradução: Distribuição desta tradução:

Central de Normas Volkswagen AG

All Tasks Traduções Técnicas

Infotec / NORMAS Volkswagen do Brasil Ltda.

Confidencial. Todos os direitos reservados. Proibida a distribuição ou reprodução sem prévia autorização da Volkswagen do Brasil Ltda. Parceiros comerciais recebem cópias das normas exclusivamente por meio do respectivo setor de Compras.

© VOLKSWAGEN DO BRASIL LTDA.

As propriedades funcionais das porcas. proteção elevada. Porcas com aplicação não-metálica devem ser lubrificadas para se obter propriedades funcionais especificadas. Composição das abreviações O símbolo relativo à proteção da superfície (Ofl-) é acrescido de uma abreviação composta de 4 dígitos de acordo com a tabela 2. VW 11625 e VW 11627.r 645 Execução. O agente lubrificante não pode ser prejudicial à saúde e não deve exalar odores desagradáveis no aparafusamento e deve ser apropriado para aparafusamento automático. Campo de aplicação Esta norma se aplica à caracterização de todos os tipos de proteção de superfícies de peças automotivas e agregados em desenhos e documentação técnica. Prevenção contra poluentes conforme a VW 91101. transparente.2.classifica as peças automotivas e agregados de acordo com o seu nível de sujeição à corrosão e estes são. aspecto e pós-tratamento Classe de durabilidade Tipo de processo Símbolo para proteção da superfície 2. A temperatura de armazenamento deve estar entre -5 ºC e +40 ºC. então. Porcas autofrenantes integralmente metálicas devem em princípio ser tratadas com agente de deslizamento adicional ou integrado.1.2). que são fornecidas junto com um revestimento de proteção e/ou com um agente lubrificante. VW 11624.VW 137 50. VW 11614. Ofl. Com relação às dimensões das roscas após o tratamento das superfícies valem VW 11611 e VW 11615. Requisitos 3. tratada com agente de deslizamento.em acordo com o laboratório (GQL-LM) da Volkswagen AG e/ou com o laboratório (I/GQ-32) da Audi AG . No caso de elementos mecânicos de ligação. passivada. Denominação 2. isenta de Cr(VI). Requisitos básicos O departamento de desenvolvimento responsável . Com relação às dimensões das roscas antes de um tratamento de superfície valem VW 11610. Para os tipos especiais de proteção de superfícies (Ofl) valem condições técnicas de fornecimento específicas sem a caracterização por meio da abreviação Ofl (consulte o Anexo A. segundo TL 244. . 2.1. não devem se alterar quando armazenadas por 6 meses em ambiente fechado. devem ser observadas as restrições contidas na VW 60361. agrupados em classes de durabilidade caracterizadas por um índice (de acordo com a Tabela 1). VW 13750 – Ofl-r645 3. Exemplo de denominação Para uma proteção de superfície composta de revestimento eletrolítico de liga de zinco.Página 2 de 16 1. edição Junho de 2008 .

Neste caso deverá ser inserido “observe o desenho” no campo “Proteção das Superfícies”. e peças (por exemplo. deverão ser indicadas as abreviações de todos os tratamentos admissíveis. chassi. Peças para as quais a proteção contra corrosão é necessária de modo a garantir o seu perfeito funcionamento. Componentes no compartimento interno e na área externa em pontos de montagem protegidos.Página 3 de 16 Elementos de ligação de materiais inoxidáveis ou resistente ou ao calor requerem. Peças que estejam diretamente expostas às intempéries externas (por exemplo. Não para elementos de ligação (exceções. um tratamento adicional com agente deslizante para satisfazer os requisitos da VW 01129. A respectiva parte da peça deverá ser marcada por uma linha tracejada larga (figura 1). Ofl-t650 (consulte também a VW 01058). transmissão). a abreviação deverá ser indicada no campo “Proteção das Superfícies”. elementos de ligação) que por motivos de redução de tipos possam ser empregadas no compartimento interno ou na área externa. edição Junho de 2008 . consulte a VW 011 10-1). Nos casos em que seja possível o emprego de diversos tipos de proteção. Peças que podem ser vistas no estado montado (inclusive pelo lado inferior do veículo). motor. Ofl-r645 Sem proteção Ofl Figura 1 Figura 2 . e a abreviação deverá ser indicada junto com uma seta indicativa. por exemplo. se necessário.VW 137 50. á área sem proteção deverá ser indicada (figura 2). cuja proteção contra corrosão se presta apenas como proteção de transporte e cujo perfeito funcionamento não necessita de uma proteção contra corrosão. Nos casos em que a peça receba apenas uma proteção parcial. Nos casos em que apenas uma pequena área do componente permaneça sem proteção de superfície. por exemplo: Ofl-r673 / x630.2. Tabela 1 – Classificação das peças automotivas Grupos de peças Peças que não são visíveis no estado montado. a informação “observe o desenho” deverá ser inserida no campo “Proteção das Superfícies”. Indicações em desenhos Caso uma determinada proteção de superfície seja exigida para toda a peça ou para os diversos componentes de um conjunto. Sujeição à corrosão Sujeição reduzida Classe de durabilidade Proteção leve Índice 1 Sujeição média Proteção média Índice 3 Proteção elevada Índice 6 Sujeição elevada 3.

3. Soldabilidade Nos casos em que as peças possuindo proteção de superfície devam ser soldadas entre si ou com outras peças metálicas. As passivações amarelas. Deve ser dada a preferência pela utilização de revestimentos de lamelas de zinco.6. Revestimentos de liga zinco/níquel devem ter o seu aspecto adaptado às áreas adjacentes. então. que correspondem a um aspecto de cromatização amarela contendo Cr(VI). O emprego destes revestimentos se limita às resistências à tração de até 1200 MPa para parafusos com roscas métricas ISO (consulte a VW 602 50). Com essas peças. com parafusos conforme a VW 60277 e VW 60358 e porcas ≤ FK 10 (porcas combinadas somente até ≤ FK 8). 3. a informação "observe o desenho" deverá ser inserida no campo “Proteção das Superfícies”. deve ser determinada por meio de ensaios e deve ser adaptada de acordo com as propriedades de uso (consulte a VDA 235-203). não são permitidas. é prescrito um tratamento térmico conforme a DIN EN ISO 4042. relacionados separadamente somado a cada uma das peças nos respectivos desenhos. envernizamentos ou selagens) adicionais. . Como proteção de superfície-padrão na montagem da carroceria. Revestimentos de zinco e de ligas de zinco Para peças de aço e peças normatizadas de alta resistência .e peças com rosca da classe de resistência ≥ 10. edição Junho de 2008 .5. deve ser estipulada a Ofl-c340 (por exemplo. no desenho do conjunto deverá ser inserido “observe o desenho” no campo “Proteção das Superfícies”.000 MPa .VW 137 50.com resistência à tração Rm > 1. as peças eletroliticamente zincadas ou revestidas com liga de zinco devem ser submetidas a um pós-tratamento em soluções de passivação. Sistemas de zinco galvânicos sem revestimentos (por exemplo.4.9 não são admissíveis revestimentos eletrolítica ou galvanicamente segregados. Para melhorar a resistência contra corrosão. 3. Nos casos em que as peças de um conjunto sejam revestidas individualmente (um ou mais diferentes tratamentos de superfície).Página 4 de 16 Nos casos em que sejam prescritos diversos tratamentos de superfície em uma mesma peça. estes revestimentos poderão ser empregados com tratamento térmico integrado ao processo de acordo com DIN 50969 (preferencialmente revestimento com liga de zinco). 3. caracterizados pela letra t. Comportamento de fricção A influência da proteção da superfície sobre o comportamento de fricção. por exemplo. em que seja inevitável um revestimento de zinco ou de liga de zinco eletroliticamente segregado por motivos funcionais. são admissíveis apenas para o compartimento interno. 3. As exceções possíveis se referem às peças submetidas unicamente aos esforços de pressão. Para ligações condutoras de eletricidade só é admissível a passivação transparente. As respectivas áreas da peça deverão ser inequivocamente limitadas. Agentes que interferem na umectação Os agentes de deslizamento e os óleos de proteção contra corrosão devem ser isentos de óleos de silicone e outros agentes que interfiram de forma significativa na umectação. Somente nos casos excepcionais. principalmente em peças com rosca métrica ISO. para porcas de solda). Os tratamentos de superfície deverão ser. a soldabilidade deverá ser verificada.

este fato deverá ser indicado nos desenhos.2. 3. Parafusos. assim como indicado em DIN ISO 8992.9. porcas e peças com rosca ou moldadas similares. um envernizamento comercial convencional seria: Ofl-x010. devem ser adotados os tipos de proteção da superfície a seguir: Ofl-a100: Ofl-a101: corresponde a “não-oleado” corresponde a “em branco”. Para isso. Ofl-c010 “galvanização comercial convencional” e Ofl-r010 “revestimento eletrolítico de liga de zinco comercial convencional” não podem conter ligações Cr(VI). 3.9. porcas.7. para as áreas sem rosca valem os requisitos de teste de acordo com a tabela 2. para uma estanhagem a quente comercial convencional: Ofl-g020. Os tipos de proteção indicados em itálico e negrito devem ser preferencialmente utilizados em elementos de ligação.1. a posição h não pode ter seu limite superior ultrapassado no caso de roscas externas. por exemplo. Nos casos em que esta proteção for suficiente para uma determinada peça.VW 137 50. Para os tipos de proteção comerciais convencionais também vale a prevenção contra poluentes conforme a VW 91101. Atribuição dos tipos de proteção e as respectivas abreviações Valem as informações contidas na tabela 2. “-“ ou sem qualquer designação em termos de “nãooleado” conforme a DIN ISO 8992. Também é possível realizar a diferenciação de acordo com o processo e execução. Em casos excepcionais. edição Junho de 2008 . chapas) Para peças sem proteção de superfície com a caracterização proteção de superfície “sem” ou “em branco. A aplicação dos tipos de proteção de superfície adotados para elementos de ligação é permitida. . 3. Elementos de ligação com roscas métricas ISO Peças com a caracterização "em branco". Demais peças (por exemplo. para o perfil da rosca e o corpo deve ser empregada a classe de durabilidade imediatamente inferior. Tipos de proteção comerciais convencionais Os tipos de proteção comerciais convencionais podem ser empregados em finalidades de importância secundária (por exemplo. proteção de superfície “sem”.8. Peças sem proteção de superfície 3. quando as peças devam ser fornecidas sem estarem oleadas. devem ser fornecidas ligeiramente oleadas. Sendo assim. os tipos de proteção com quadro em negrito equivalem à proteção de superfície-padrão para componentes sem rosca. 3. basta indicar a letra de caracterização do processo e os dígitos 010. peças com rosca e peças moldadas No caso de parafusos. por exemplo. estes não estarão sujeitos ao teste com relação à resistência contra corrosão. oleada” vale a QP A-001. Por meio da aplicação das camadas protetoras. este fato deverá ser indicado nos desenhos por meio da informação “sem óleo”. “sem”.Página 5 de 16 3. e a posição H não pode ter o seu limite inferior ultrapassado no caso de roscas internas. Em casos excepcionais. “-“ ou sem qualquer denominação. quando as peças devam ser fornecidas sem estarem oleadas. por exemplo. a denominação para.9. No entanto. Os tipos de proteção comerciais convencionais.10. fio de aço).

VW 137 50.consulte a página 11 oleado Não-oleado b140 b149 2) - - . b110 3) encerado prata acinzentado b111 fosfatado 1) (para aplicações consulte a nota internas) de rodapé 4 fosfatado com b130 5). Na VW 13750 Suplemento 1 se encontram listados todos os tipos de proteção inválidos. que estavam contidos em edições anteriores da VW 13750. Na Tabela A. engraxado. 6) manganês e oleado fosfatado com zinco. Letra de Caracterização a b Tabela 2 – Abreviações para tipos de proteção Tipo de proteção Abreviação para classe de durabilidade Processo de revestimento Execução/Sistema.1 se encontram indicados quais tipos de proteção para novas construções não são permitidas e quais tipos de proteção devem ser utilizadas para substituição.3 se encontram quais tipos de proteção segundo a VW 13750 correspondem aos tipos de proteção segundo a VDA 235-104. camada fina. Pós-tratamento 1 3 6 Requisitos e Aspecto leve médio elevado sem Não-oleado a100 Não-tratado consulte a nota levemente oleado a101 de rodapé 1 Não-oleado b100 2) passivado b101 oleado. TL 240 Notas de rodapé.Página 6 de 16 Os tipos de proteção colocados entre parênteses contêm Cr(VI) e não estão disponíveis para novas construções. edição Junho de 2008 . Na Tabela A.

9) (c360) 5) (c385) 5). cromado amarelo. tratado com TL 217 agente deslizante cromado oliva 11) galvanizado galvanizado brilho cromado oliva 11) eletroliticamen. passivado camada grossa e para selado 8) peças de alta passivado camada grossa e 8) resistência. eletrolítico de TL 243 q liga de alumínio Notas de rodapé. tratado com agente deslizante sem pós-tratamento sem pós-tratamento k revestimento Revestimento AL. consulte a página 11 cores prateadas opacas sem pós-tratamento cores prateadas opacas. para contato com Mg.ácido. 9) c696 c697 9) e610 14) e620 14) f620 f650 g600 g605 9) g620 q600 q605 9) cromado amarelo pálido.passivado camada grossa 8) vo. 9) (c686) 5) (c687) 5).Página 7 de 16 Tabela 2 (continuação) Letra de Caracterização c Tipo de proteção Processo de revestimento Execução/Sistema. TL 203 estanhado brilhante passivado e selado 8). tratado com agente deslizante 8). Pós-tratamento e Aspecto Requisitos sem pós-tratamento galvanizado a TL 217 quente sem pós-tratamento 7) passivado 8) passivado e selado 8) Processo facultati. selado. 9) e310 13) e320 13) f350 g300 g320 k310 5). tratado com agente deslizante limitado de cromado amarelo acordo com o cromado amarelo e selado item 3. tratado com te10) TL 217 agente deslizante 12) ácido fraco.17) c610 c640 2) c641 c642 c643 c647 9) (c650) 5) (c651) 5) (c660) 5) (c683) 5) (c685) 5).6. No entanto. TL 194 12) Abreviação para classe de durabilidade 1 3 6 leve médio elevado c330 c630 c310 c340 2) c341 c342 c343 c347 9) (c350) 5) (c351) 5) (c355) 5). edição Junho de 2008 . cromado oliva 11). 12) tratado com agente deslizante g100 g120 k11017) - e niquelado eletroliticamente cromado eletroliticamente estanhado eletroliticamente15) estanhado a quente 15) cobreado eletroliticamente f g niquelado semibrilhante niquelado brilhante cromado brilhante. 12) sem pós-tratamento sem pós-tratamento alto brilho. selado cromado amarelo pálido.VW 137 50. microfissuras alto brilho sem pós-tratamento 16) sem pós-tratamento 16). tratado com agente de deslizamento . 12) passivado e selado.

passivado preto TL 244 passivado preto. r TL 153 revestimento liga baixa com Co. passivado transparente 8) alcalina. tratado com agente deslizante Notas de rodapé. cromado preto 11) alcalina e isenta de cianida. passivado cores prateadas8) TL 153 passivado preto. tratado com agente deslizante 8) liga com Ni. selado tipo de liga e eletró. passivado transparente. 9) (r670) 5) r672 2) r673 18) (r675) 5). Pós-tratamento Requisitos e Aspecto tipo de liga e eletró. de TL 153 liga de zinco passivado transparente. edição Junho de 2008 .Página 8 de 16 Tabela 2 (continuação) Tipo de proteção Processo de revestimento Execução/Sistema. 10) selado 8) liga com Ni. consulte a página 11 Letra de Caracterização Abreviação para classe de durabilidade 1 3 6 leve médio elevado (r600) 5) r301 r302 (r605)5). 9) (r610) 5) (r620) 5) - - (r630) 5) r640 5) r642 2) r643 18) r645 9) - - r649 (r650) 5) (r660) 5) (r665) 5). cromado preto 11) eletrolítico alcalina ou ácida. TL 153 deslizante liga baixa com Fe e cromado preto 11) Co. selado cromado preto. TL 153 liga baixa com Fe. cromado preto alcalina. apenas para peças de fundição 8) TL 244 cromado amarelo cromado amarelo cromado amarelo. tratado com agente deslizante passivado preto.cromado preto. ligeiramente ácida. passivado transparente. TL 244 selado 8) passivado transparente. tratado com agente deslizante liga com Ni. tratado com agente lito facultativo. selado. 9) r677 9) .cromado preto 11) lito facultativo.VW 137 50. TL 153 liga com Fe.

TL 245 TL 245 com camada de proteção contendo agente de deslizamento. TL 245 cinza prateado. TL 245 cinza prateado. TL 233 Notas de rodapé. TL 196 ou zinco/níquel mais KTL) t Revestimento de lamelas de zinco TL 245 cinza prateado.VW 137 50. 21) t350 t615 19) (t620) 5) t630 (t645) 5). proteção de superfície-padrão para peças com rosca métrica ISO. preferencialmente preto 20). no entanto não para peças com rosca métrica ISO. proteção de superfície-padrão para porcas com porção autofrenante não-metálica. preto passivado segundo TL 244 mais KTL.Página 9 de 16 Tabela 2 (continuação) Letra de Caracterização Tipo de proteção Processo de revestimento Execução/Sistema. Requisitos Pós-tratamento e Aspecto passivado segundo TL 217 mais KTL. 19) cinza prateado. tratado com agente deslizante Abreviação para classe de durabilidade 6 1 3 leve médio elevado s611 s621 s627 9) s revestimento duplex (zinco Zn/Ni. TL 233 TL 245 - (t300) 5) - (t600) 5) t601 - - t602 - t310 5) t610 2) - - t611 - (t320) 5) t330 (t345)5). não para peças com rosca métrica ISO. para componentes que são empregados na construção bruta antes do envernizamento ou para os quais é exigida uma compatibilidade adesiva especial (microencapsulamento). preferencialmente preto 20). chassi). elementos de mola). preto. TL 245 cinza prateado. edição Junho de 2008 . emprego em pontos de montagem expostos (motor. para componentes que não devem ser expostos a altas temperaturas (por exemplo. preto passivado segundo TL 244 mais KTL. TL 245 com camada de proteção contendo agente de deslizamento. TL 245 cinza prateado. emprego em pontos de montagem expostos (motor). consulte a página 11 t647 t650 .

TL 260 fosfatado com zinco. camada grossa KTL ou KTL + verniz de imersão. brilhante transparente. TL 184 cinza prateado. galvanização TL 218 eletrolítica e enver. TL 214 passivado Execução/Sistema.VW 137 50. TL 260 construção multicamadas. consulte a página 11 . 26) TL 227 fosfatado com zinco (em casos excepcionais. TL 260 formador de camada. passivado. envernizamento a úmido de camada única ou KTL. fosfatado com TL 218 zinco e construção verniz de piano.24). transparente. passivado. tratado com agente de deslizamento. nizado TL 218 fosfatado com Zn. TL 260 fosfatado com zinco. opaco colorido. opaco brilhanTL 212 te. opaco aplicação transparente. brilhante anodizado transparente. galvanização eletrolítica (galvanização individual) e envernizado. galvanizado a quente (produto semiacabado) e envernizado.Página 10 de 16 Tabela 2 (continuação) Letra de Caracterização Tipo de proteção Processo de revestimento brunido camada Zn-ThD cromado passivado transparente.construção verniz de piano. 24). brilhante decorativa. TL 182 colorido. envernizamento a úmido de camada única ou KTL24). passivado). 24). 24) TL 256 formador de camada e com camada de base. Pós-tratamento Requisitos e Aspecto oleado DIN 50938 cinza prateado. TL 260 fosfatado com zinco. TL 184 u Abreviação para classe de durabilidade 1 3 6 leve médio elevado u110 u610 u615 9) (v110)5). envernizamento a úmido de camada única ou KTL24). 22) v - w610 w620 w625 w630 w640 w660 5) w670 5) w680 w690 w695 x600 x610 x611 x612 x613 x630 25) x631 x632 x633 v11123) - w anodizado w180 x100 x130 - x300 x330 - x envernizado - z300 27) x634 x650 x651 y600 y650 - x verniz em pó y envernizado com tinta de pó de zinco z revestimento galvânico estanho/zinco Notas de rodapé. envernizado TL 218 construção multicamadas. TL 212 anodizado rígido. opaco colorido. TL 212 pré-tratamento não prescrito 24). envernizamento de camada intermediária. TL 214 tinta de pó de zinco resistente a altas temperaturas. por exemplo para molas laminadas. 26) TL 256 revestimento de base. TL 212 anodizado rígido e impregnado. Fe ou Mn. 26) TL 227 fosfatado com zinco. edição Junho de 2008 .

Espessura da camada > 10 μm. Requisitos também valem para peças de carroceria com camada de base por imersão. com resistência à tração superior a 1000 MPa devem ser submetidas a um tratamento térmico adequado imediatamente após o tratamento da superfície. A comprovação deve se realizar por meio de um teste de deformação segundo DIN 50969. Em vez de envernizamento a úmido de camada única pode ser exigido envernizamento de eletroimersão catódico. devem ser observados os seguintes tempos para cada uma das classes de durabilidade durante o teste de pulverização com névoa salina NSS. consulte a TL 235. Apropriado para elementos de ligação que são utilizados em construção bruta e para elementos de ligação com revestimentos colantes conforme a DIN 267-27. Espessura da camada ≥ 5μm. na classe de durabilidade 6 = DIN 50965-Fe//Sn20. para isto o aditivo “KTL” é acrescentado à abreviação. espessura de camada > 12 μm. Ofl-b110 6 horas sem corrosão do metal de base. b130 2 horas sem corrosão do metal de base. sem alterações da superfície (por exemplo em peças de zinco de fundição sob pressão. Predominantemente para veículos das forças armadas. Peças de aço. classe de durabilidade 3 = DIN 50965-Fe//Sn12. Após 120 h do teste de pulverização com névoa salina NSS conforme DIN EN ISO 9227. Para peças que devem ser envernizadas na própria empresa. Peças com rosca métrica ISO devem ser tratadas com agente de deslizamento segundo TL 52132. b101. Para peças com rosca é admissível apenas óleo ou emulsão de óleo. Caracterização da camada. sem alterações da superfície (por exemplo em peças de zinco de fundição sob pressão. Não é mais admissível para novas construções de elementos de ligação. Após 240 h de teste de pulverização com névoa salina NSS conforme DIN EN ISO 9227. OBSERVAÇÃO Ofl-b111 = Ofl-b100 + (2 até 4) μm de revestimento de lamelas de zinco. Requisitos de cor de acordo com o desenho. Espessura da camada > 20 μm. revestimentos que fixam com grampo conforme a DIN 267-28 e revestimentos de vedação conforme a TL 195. Adicionalmente às informações contidas na Tabela 2. apenas para elementos de ligação do LT2. para evitar fraturas por fragilização induzidas por hidrogênio (DIN EN 12476). Não para novas construções. Requisitos na classe de durabilidade 1 = DIN 50965-Fe//Sn4.VW 137 50. sem corrosão do zinco). Tratado com agente de deslizamento azul. Ofl-b111 48 horas sem corrosão do metal de base. as peças de aço com resistência à tração superior a 1200 MPa devem eventualmente ser submetidas a um tratamento térmico adequado até no máx. de modo a evitar fraturas por fragilização induzida por hidrogênio. restante: Zn. caso contrário preto. Contém PTFE. conforme a DIN EN ISO 9227: Ofl-b100. não adequado para adesões. substituto Ofl-b140. k110 Espessura de camada (3+3) μm. edição Junho de 2008 . Componentes eletroliticamente zincados com passivação isenta de Cr(VI) não devem ter aspecto amarelo para que as peças possam ser diferenciadas da cromatização amarela contendo Cr(VI) utilizada previamente por várias vezes. sujeitas a esforços de tração. Para peças de aço em conjunto com magnésio para evitar a corrosão por contato. Sem corrosão do metal de base após 360 horas do teste de pulverização com névoa salina NSS conforme DIN EN ISO 9227. 5) 6) 7) 8) 9) 10) 11) 12) 13) 14) 15) 16) 17) 18) 19) 20) 21) 22) 23) 24) 25) 26) 27) . 200oC. Requisitos Pós-tratamento e Aspecto Abreviação para classe de durabilidade 3 6 1 médio elevado leve 1) 2) 3) 4) Nenhuma corrosão de metal básico após 4 ciclos na atmosfera de ensaio CH conforme a DIN EN ISO 62702. Preferencialmente para peças de aço em conjunto com magnésio para evitar a corrosão por contato. espessura de camada > 20μm. Sn: (70 ± 12) %. porém somente quando a condutibilidade elétrica é requerida. k310 Espessura de camada (12+4) μm. Após a fosfatação. sem corrosão do zinco).Página 11 de 16 Tabela 2 (continuação) Letra de Caracterização Tipo de proteção Processo de revestimento Execução/Sistema. Peças com rosca métrica ISO devem ser tratadas com agente de deslizamento segundo TL 52165. Tipos de proteção preferenciais para parafusos para chapas e para plásticos termoplásticos. espessura da camada > 4 μm.

requisitos da proteção das superfícies Revestimentos de zinco. requisitos da proteção das superfícies Revestimentos galvânicos Ni-Cr. requisitos da proteção das superfícies Camadas de óxido em peças de alumínio. montagem e segurança do processo TL 153 TL 182 TL 184 TL 194 TL 195 TL 196 TL 203 TL 212 TL 214 TL 217 TL 218 TL 227 TL 233 TL 235 TL 240 TL 243 TL 244 TL 245 TL 256 TL 260 TL 52132 TL 52165 VW 01129 VW 01058 VW 01110-1 . óleos para limpeza de peças em bruto. edição Junho de 2008 . requisitos do material Revestimentos de lamelas de zinco aplicados de forma não-eletrolítica. revestimentos de Zn ou revestimentos de liga Zn/Ni mais KTL. requisitos da proteção das superfícies Revestimento de verniz em pó sobre superfícies metálicas. requisitos Fosfatação com zinco de camada fina. requisitos da proteção das superfícies Envernizamento de superfícies metálicas. requisitos Envernizamento de superfícies metálicas galvanizadas. construção. requisitos de qualidade Revestimentos de zinco de baixa liga. requisitos Elementos de ligação mecânicos. parafusos métricos e aço com revestimento de vedação Sistemas de revestimento duplex para peças produzidas em grande escala. QP A001 Pré-lubrificantes. requisitos do material Agente de deslizamento (esverdeado) para elementos de aparafusamento. requisitos do material Valores-limite dos coeficientes de fricção. óleos de estiramento e compostos de estiramento.Página 12 de 16 4. requisitos da proteção das superfícies Revestimento de elementos de ligação em contato com magnésio. com camada de cobertura. óleos de proteção contra corrosão (em geral). cromados de preto. requisitos da proteção das superfícies Superfícies fosfatadas com manganês. requisitos da proteção das superfícies Envernizamento multicamadas na cor do veículo em peças metálicas externas da carroceria. inscrições Uniões com parafusos. requisitos da proteção das superfícies Camada de proteção inorgânica de peças de alumínio. requisitos da proteção das superfícies Revestimentos de liga zinco/níquel.VW 137 50. requisitos da proteção das superfícies Revestimento com tinta de pó de zinco. requisitos de proteção da superfície Camadas termodifusoras de zinco (camadas Zn-ThD). Documentos válidos Os documentos a seguir citados na norma são necessários para a aplicação dessa norma. proteção das superfícies Agente de deslizamento para peças com rosca galvanizadas eletroliticamente. requisitos da proteção das superfícies Revestimentos de lamelas de zinco aplicados de forma não-eletrolítica. elementos de ligação mecânicos com roscas métricas ISO Desenhos. requisitos da proteção das superfícies Revestimentos de liga Al e Al/Mg segregados eletroliticamente.

prevenção contra poluentes Tipos de proteção de superfícies isentos de Cr(VI) para elementos de ligação com rosca métrica Comportamento do aparafusamento.Página 13 de 16 VW 11610 VW 11611 VW 11614 VW 11615 VW 11624 VW 11625 VW 11627 Roscas métricas ISO. limites dimensionais para o campo de tolerância 6G/6f Roscas métricas ISO. parte 2: procedimento para sujeição de amostras em climatização com água condensada. redução das peças. limites dimensionais para o campo de tolerância 7G/8f Limites dimensionais de roscas para a classe de tolerância de roscas externas 6e. condições técnicas de fornecimento Parafuso combinado sextavado para plásticos termoplásticos Parafusos para plásticos termoplásticos. limites dimensionais para a classe de tolerância média. determinação da resistência contra umidade. comprovação por meio de teste de deformação e medidas preventivas Elementos de ligação. dimensões. parte 28: parafuso de aço com revestimento que fixam com grampo Brunimento de componentes de materiais ferrosos. requisitos e procedimentos de teste Revestimentos galvânicos. parte 27: parafuso de aço com revestimento colante Elementos de ligação mecânicos. procedimentos para o estabelecimento dos requisitos DIN ISO 8992 DIN EN 12476 DIN EN ISO 4042 Elementos de ligação. ensaios de pulverização com névoa salina . limites dimensionais com camada de proteção para a classe de tolerância média (6g/6H) Roscas métricas ISO. revestimentos galvânicos DIN EN ISO 6270-2 Materiais de revestimento. diretrizes gerais Norma ambiental relativa a veículo. ensaio prático e orientado para a montagem Elementos de ligação mecânicos. peças automotivas. limites dimensionais para a classe de tolerância grosseira. materiais.VW 137 50. roscas internas 6H Roscas métricas ISO. DIN EN ISO 9227 Ensaios de corrosão em atmosferas artificiais. coeficientes de fricção. limites dimensionais com camada de proteção para a classe de tolerância grosseira (8g/7H) Roscas métricas ISO. edição Junho de 2008 . roscas métricas ISO VW 13750 suplemento 1 Proteção da superfície para peças metálicas. requisitos gerais para parafusos e porcas Revestimentos fosfatados sobre metais. interna 7H Roscas métricas ISO. não-válido para designações Ofl VW 60250 VW 60277 VW 60358 VW 60361 VW 91101 VDA 235-104 VDA 235-203 VDA 267-27 VDA 267-28 DIN 50938 DIN 50965 DIN 50969 Parafusos de alta resistência e peças com rosca similares. requisitos. combustíveis. externa 8g. roscas externas 6g. ensaio Elementos de ligação mecânicos. revestimentos de estanho sobre materiais de ferro e de cobre Resistência dos componentes de aço de alta resistência contra a fratura por fragilização induzida por hidrogênio.

Página 14 de 16 Anexo A (informativo) A. (zona de temperatura limitada) para peças com rosca métrica ISO. (ou Ofl-r302. Ofl-t647 1) Ofl-t345 Ofl-t647 2) Ofl-t600 Ofl-t602. para peças com rosca métrica ISO Ofl-t647 1) Notas de rodapé.1 Comparação “não para nova construção”/ “para nova construção” Consulte a Tabela A. (ou Ofl-r302. Tipos de proteção que contêm Cr (VI) estão entre parênteses. quando o aspecto do componente tiver que ser preto).1. edição Junho de 2008 . para peças com rosca não-métrica Ofl-r643. quando o aspecto do componente tiver que ser preto).VW 137 50. (ou Ofl-r302. consulte a página 16 . para peças com rosca métrica ISO. verde-oliva Ofl-c696 (para componentes em contato com Mg) Ofl-c697 (para elementos de ligação em contato com Mg) Ofl-c697 (para elementos de ligação em contato com Mg) Ofl-k110 Ofl-r672 Ofl-r677 Ofl-r301. para elementos de ligação Ofl-r672 Ofl-r640 Ofl-r643 (para peças com revestimento colante ou que fixa com grampos Ofl-r642) Ofl-r650 Ofl-r642 Ofl-r660 Ofl-r642 Ofl-r665 Ofl-r645 Ofl-r670 Ofl-r673 (para peças com revestimento colante ou que fixa com grampos Ofl-r672) Ofl-r675 Ofl-r677 Ofl-t300 Ofl-t601. quando o aspecto do componente tiver que ser preto). para elementos de ligação Ofl-r673 Ofl-r620 Ofl-r301. para peças com rosca métrica ISO Ofl-t647 1) Ofl-t310 Ofl-t610. Tabela A.1 Tipo de proteção substituto prescrito para novas construções Tipo de proteção não permitido para novas construções Ofl-b130 Ofl-c350 Ofl-c650 Ofl-c351 Ofl-c651 Ofl-c355 Ofl-c360 e Ofl-c660 Ofl-c683 Ofl-c385 Ofl-c685 Ofl-k310 Ofl-r600 Ofl-r605 Ofl-r610 Ofl-b140 Ofl-c342 (para elementos de ligação designados à solda Ofl-c340) Ofl-c642 (para elementos de ligação designados à solda Ofl-c340) Ofl-c343 Ofl-c643 Ofl-c347 (para porcas e parafusos de solda Ofl-c340) Ofl-t630. para elementos de ligação Ofl-r673 Ofl-r630 Ofl-r301. Ofl-t6471) Ofl-t320 Ofl-t611 (zona de temperatura limitada).

rodas de disco de aço Proteção de superfície. coberturas de cabeçote de cilindro Envernizamento em molas helicoidais Peças do chassi que formam espaços vazios. Para estes se aplicam as condições técnicas de fornecimento descritas na Tabela A. rodas de liga leve Fosfatação em camada grossa Revestimento orgânico contendo flúor Revestimentos Al eletroliticamente segregados Envernizamento. edição Junho de 2008 . nitrocarburado Revestimentos de lamelas metálicas para discos de freio Revestimentos galvânicos de cromo e de níquel-cromo em hastes de pistão Proteção contra corrosão em eixo cardã Revestimentos galvânicos de cromo e de níquel-cromo em pistões de freio Revestimentos de proteção contra corrosão em tubos de freio Superfícies fosfatadas com manganês Revestimentos níquel-fósforo Proteção de superfície. proteção contra corrosão Revestimentos duplex para condutores de tubos Revestimentos de imersão fundidos Al e Zn-Al para condutores de tubos da direção hidráulica .2 Tipos de proteção de superfícies sem abreviação Além dos tipos de proteção de superfícies citados na VW 137 50 existem outros tipos que não possuem abreviação.1 (continuação) Tipo de proteção não permitido para novas construções Ofl-t620 Tipo de proteção substituto prescrito para novas construções Ofl-t611 (zona de temperatura limitada). quando as peças com rosca são utilizadas na construção bruta antes do envernizamento ou para peças com rosca com microencapsulamento ou revestimento fixado com grampo. Tabela A. para peças com rosca métrica ISO.VW 137 50. Ofl-t6471) (zona de temperatura limitada) (Ofl-t645) (Ofl-v110) Ofl-w660 Ofl-w670 Ofl-t647 2) Ofl-v111 Ofl-w610 Ofl-w640 1) ou Ofl-t610 ou Ofl-t601. 2) ou Ofl-t615 para porcas com parte autofrenante não-metálica A.2 – Tipos de proteção de superfícies sem abreviação TL Título 152 155 187 193 215 216 221 222 235 236 238 239 241 242 243 247 261 262 265 524 83 Revestimentos em pó em cárteres Camada ternária de produto composto para elementos de ligação de alta resistência Pino esférico.2.Página 15 de 16 Tabela A.

50 Ofl-t630 . sem atribuição direta possível Ofl-t610 Ofl-t647 VDA 235-104.Página 16 de 16 A. com camada de cobertura.20 Ofl-c347 VDA 235-104.VW 137 50.40 VDA 235-104. cores prateadas Revestimento de lamelas de zinco.25 VDA 235-104. Tabela A. Tipos de proteção de superfícies segundo Folha de Teste VDA 235-104 e VW 137 50 Na Tabela A.30 VDA 235-104. cores prateadas Revestimento de lamelas de zinco. preto Denominação segundo VDA 235-104 segundo VW 137 50 VDA 235-104. passivado preto Revestimento de lamelas de zinco. com camada de cobertura. passivado transparente Revestimento galvânico de liga de zinco. edição Junho de 2008 .10 Ofl-b140 VDA 235-104.3 Tipo de camada da proteção de superfícies Fosfatação de camada fina Revestimento galvânico de zinco.42 Ofl-r645 Ofl-r302 ou Ofl-r677.3.3 são confrontados os tipos de proteção isentos de Cr(VI) para elementos de ligação com rosca métrica ISO descritos na Folha de Teste VDA 235-104 com aqueles tipos de proteção comparáveis descritos na VW 137 50. passivado transparente Revestimento galvânico de liga de zinco.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->