Trabalho Direito e Globalização

O mundo globalizado:política, sociedade economia. Alexandre de Freitas Barbosa

I Parte.

*Fichamento.

Universidade Paulista – UNIP Curso de Direito Disciplina: Direito e Globalização Professora: Camila Barreto Aluno: Washington Airton Soares – RA A08693-5 Turma: 06/DR6R40 Data: 01.09.2011 BARBOSA, Alexandre de Freitas. O Mundo Globalizado: política, sociedade e economia. 2. ed. São Paulo: contexto, 2003.

O Mundo Globalizado: política, sociedade e economia. O que é Globalização? CARACTERÍSTICAS da Globalização. “Podemos saber mais rapidamente sobre o que se passa com nossos contemporâneos em várias partes do mundo do que em qualquer outra época histórica.” (p. 9, § 2°).

“Percebemos também, ao final do século XX e no inicio do XXI, um processo crescente de fusões e aquisições, envolvendo empresas de várias partes do mundo, as quais procuram conquistar um mercado internacional cada vez mais amplo.” (p. 10, §4°).

“Vale lembrar que essas empresas gigantes possuem uma riqueza maior que a de muitos países” (p.10, § 4°).

“Até a alta cultura se globaliza, tornando-se acessível às elites de todos os países”. (p. 11, §2°).

“[...] os produtos culturais adquirem uma exposição global, comprometendo muitas vezes os padrões estéticos e a identidade de grupos sociais e sociedades nacionais [...]” (p.12, §1°).

“Assim, a globalização não significa apenas um processo de expansão dos mercados e de aceleração dos fluxos econômicos entre as fronteiras nacionais. [...] surge uma consciência de que valores morais e sociais fundamentais devem ser estendidos para todos os povos.” (p. 12,§ 4°).

DEFININDO a Globalização “A globalização caracteriza-se portanto pela expansão dos fluxos de informações [...] e pela crescente difusão de valores políticos e morais em escala universal.” (p. 13, § 4°).

“Isso quer dizer que a globalização não está somente nas notícias difundidas internacionalmente [...]” (p. 13, § 3°).

“A globalização, no entanto, não afeta todos os países da mesma forma, nem se manifesta com a mesma velocidade nas várias dimensões da vida coletiva. A globalização econômica avança de forma mais rápida integrando empresas e conectando mercados. As divisões entre países tecnologicamente avançados [...], países subdesenvolvidos com potencial industrial [...] e países desprovidos de uma estrutura econômica básica [...] são mantidas e até mesmo, ampliadas. Globalização, portanto, não quer dizer uniformidade ou homogeneização das condições econômicas.” (p. 14, § 4°).

“No plano político, contudo, a globalização avança a passos mais lentos.” (p. 15, § 1°).

“No plano cultural, pode-se dizer que existe sim um indústria cultural de caráter global [...]” (p. 15, § 4°).

“[...] a consolidação de uma arena de interação global que transcende os vários países não elimina a diversidade dos sistemas políticos e culturais existentes nem a natureza particular da pobreza e do desemprego [...]” (p. 15, § 5°).

“GLOBALIZADORES” e “globalizados” “Os países que conseguem assimilar as novas tecnologias possuem as multinacionais mais avançadas, dispondo de uma vantagem comercial adicional em relação aos demais e de maior autonomia para realizar as suas políticas. Esses são os “globalizadores”.” (p. 16, § 3°).

a globalização não pode ser rotulada como necessariamente boa ou má. “Desse modo. § 3°). pois geralmente importam mais do que exportam.. “Séculos de história criaram identidades culturais.]” (p. “Cabe lembrar ainda que a globalização está longe de integrar toda população mundial. nexos econômicos internos e sistemas políticos dotados de particularidades nos espaços nacionais. 19.” (p.“Já os países “globalizados” são os mais vulneráveis e... segurança.. 18. mais não atingiu toda a superfície terrestre [. 16...]” (p.]” (p. § 4°). “Portanto. § 2°). 18.. mais expostos aos impactos negativos da globalização... Isso porque um número significativo de pessoas não dispõe de acesso a informações e bens de consumo nem da facilidade de se transferir de um país a outro. habitação. 19. 17. de cerca de 6 bilhões de pessoas no inicio do século XXI..]” (p.” (p. .. telefonia e saneamento básico. “[. portanto. já que alguns países possuem maior capacidade de intervenção no cenário do que outros. § 3°). Essas são as elites da globalização [.]” (p. mas não por igual.. § 3°). § 4°).. LIMITES da globalização “[. produtos menos elaborados e são praticamente obrigados a adquirir no exterior as tecnologias mais caras [. ou então exporta. tronando inviável a sua substituição por uma nova ordem global [.” (p. encontramos em todos os países uma parte da sociedade integrada ao mundo global e outra parte desprovida dos serviços básicos de educação. sendo antes o resultado de um conjunto complexo de fatores econômicos.] devemos tomar cuidado quando tentamos imaginar que num futuro próximo o mundo será totalmente integrado e unificado [. saúde.] prestando serviços altamente especializados e trabalhando para as indústrias modernas. 18. § 1°).] a globalização se expandiu de forma fantástica nas últimas duas décadas.. 19.. políticos e sociais que afetam o mundo inteiro. § 5°). “[..

. § 4°)..” (p.“[..” (p.. § 2°).. 19. até mesmo a palavra que caracteriza a realidade atual se globaliza [. ..] ‘Não estive em nenhum país recentemente em que a globalização não fosse objeto de intensos debates...” (p. § 2°). mas que vem se desenvolvendo de forma lenta e progressiva [... “[. § 5°). 20. “Seguindo tal raciocínio e utilizando um termo contemporâneo para qualificar uma realidade do passado..” (p. “Nos anos 1990. 21.” (p.. 21.” (p. uma ruptura com relação ao passado. “[. Antecedentes históricos da globalização SERÁ A GLOBALIZAÇÃO uma novidade? “Alguns autores tendem a vê-la como um fenômeno revolucionário.. § 4°). podemos dizer que o Brasil se ‘globalizou’ com o açúcar. 20. enquanto outros a encaram como uma continuação da história de expansão dos mercados.] proferiu a seguinte declaração [.] Anthony Giddens. sociólogo inglês [. Esses são os excluídos da globalização. as caravelas cumpriram nos séculos XV e XVI o mesmo papel que as empresas de internet e os modernos meios de transporte dos dias de hoje.]” (p.] desconectados das novas tecnologias e sem a instrução exigida para ascender socialmente e ter acesso aos novos padrões de consumo.] aqui vamos compreender a globalização como um processo revolucionário.. 22. § 1°).] Guardadas as devidas proporções. DESDE o século XVI “Não seria exagerado dizer que a criação de um sistema econômico mundial começa e se desenhar a partir da última década do século XV com o descobrimento da América e a chegada dos portugueses ao Oriente por via marítima. 22. § 2°).

ter acesso direto às fontes de produção e matérias-primas para comprá-los baratos.. apesar das guerras de flagradas entre os países. § 4°). § 2°). e não mais de quem unia regiões isoladas vendendo mais caro do que comprara.] Foi esse o papel que cumpriu a Revolução Industrial!” (p.. sempre se situar nos centros onde se acumula a riqueza. “Uma nova etapa da internacionalização da economia somente se tornaria possível se houvesse um aumento significativo da produtividade [. foram preservadas as condições para manutenção dos interesses capitalistas comerciais. § 5°). 24. Por sua vez. § 1°). “[. 24. E o controle do comércio internacional passou para as mãos de quem produzia mais produtos e ao menor preço. impulsionada pelas novas tecnologias aplicadas à indústria e pela expansão do comércio. Aqui já estavam presentes a noção de fluxos econômicos.}” (p.“Havia. 25. § 6°). .” (p. REVOLUÇÃO industrial: Avanço “Entre o fim do século XVIII e o início do século XX. ontem como hoje. “Por sua vez.. portanto.” (p. 23. “O desenvolvimento econômico nessa época dependia da expansão geográfica do comércio. 25..] O mundo estava conectado a partir dos fluxos comerciais {. “[.” (p.. de informações e de idéias ultrapassando as fronteiras.] com a Revolução Industrial.” (p. 24. “[..] Por meio do Tratado de Vestfália... o trabalho. § 5°). § 3°).. novos mercados foram criados. verifica-se uma nova onda de internacionalização da economia. 24. os comerciantes procuram. 23. e controlar os mercados de destino para cobrar preços maiores.” (p. uma cadeia comercial em movimento. que permitia aos grandes mercadores colocar em contato regiões isoladas..” (p. § 2°). as terras e o dinheiro ficaram disponíveis para as necessidades da grande produção industrial.

[. § 5°). ao passo que os telégrafos e os cabos submarinos se espalharam pelo mundo afora permitindo a transmissão quase imediata de informações e notícias.. no setor externo. padronizando os estilos de consumo e de vida. as estradas de ferro da mesma tecnologia e também da metalúrgica do ferro.” (p... já que dependia desses mercados para as exportações bem como dos seus investimentos e capitais. os quais buscaram o ‘rumo de casa’. “De 1850 a 1880 o número de quilômetros cobertos por vias férreas passa de 38 mil para 367 mil do mundo inteiro [. 29. Dessa forma. estendeu-se por todos os lados. § 4°). § 1°). enquanto na primeira a urbanização estava associada à expansão de trabalhadores assalariados e à redução do analfabetismo. analfabetos e ex-escravos nos campos e cidades.” (p. “Novos produtos e tecnologias iriam percorrer o planeta. § 2°). 26. na segunda região.” (p. . acarretando uma transformação completa das estruturas da sociedade. 29. “Nessa época também já se percebia que a internacionalização dos mercados envolve agentes dinâmicos e receptores.]” (p. o desenvolvimento da eletricidade.] A periferia do mundo capitalista literalmente ‘quebrou’. que se iniciou com a quebra da Bolsa de Nova York. 29. § 3°). esgotado o potencial de expansão da indústria têxtil. § 2°). tornando as fronteiras geográficas rigidamente delimitadas. “Para complicar esse cenário. 27. 30. 29. Essa foi a Segunda Revolução Industrial. a crise de 1929.“Os navios aproveitaram-se da energia a vapor. § 1 °). a integração ao sistema capitalista se dava de forma ainda superficial. enquanto proliferavam massas de trabalhadores subnutridos. 30.. “Essa onda de internacionalização teve ainda outro alento no final do século XIX com as novas tecnologias que permitiriam a produção de aço e de novas matérias químicas.” (p. § 3°).” (p. outras indústrias surgiriam para abrir mercados e desbaratar fronteiras.] a guerra ocasionara uma restrição de fluxos de comércio e de capitais. PERÍODO Entre-Guerras: Recuo “[. “Porém. do motor à combustão interna – relacionado à invenção do automóvel – e dos telefones..” (p..” (p.

33.” (p. 31. “[.” (p.” (p. “No pós-guerra. GLOBALIZAÇÃO: o que há de novo? “É difícil demarcar com precisão uma data que simbolize o início da nova onda de internacionalização dos mercados. § 2°).” (p. 32. o sistema monetário internacional tornou-se mais instável [.“Era o ápice de uma economia comandada pela política e pela desconfiança para com o mundo exterior. DEPOIS DA SEGUNDA Guerra Mundial: novo avanço “Em primeiro lugar. 33. § 1°). 30. contam agora com a produção e o consumo de massa.” (p.] A onda de internacionalização econômica parecia estar às vésperas de novo refluxo. “As estratégias de marketing e publicidade foram acionadas para que esses produtos fossem constantemente substituídos por modelos mais novos e de ‘melhor qualidade’. § 1°)... 32.” (p. § 2°). dificultando a generalização de um sistema econômico mundialmente integrado.. “O período entre-guerras significou um interlúdio entre duas ondas de internacionalização dos mercados.] com a desvinculação do dólar em relação ao ouro. . “O bloco socialista constituía um subsistema político e econômico relativamente apartado do bloco capitalista. as tecnologias da Segunda Revolução Industrial.] O desafio agora era produzir bens de consumo padronizados para um número cada vez maior de pessoas. mantendo assim a ritmo elevado de aumento de produção...” (p. 32.” (p.]... 31.. § 4°). § 5°). § 1°). [. § 3°). a industrialização chegaria também aos países ‘da periferia’ [.

” (p. AS IDÉIAS também se globalizam . § 5°). 34. 36. § 1°).. de investimentos.] a globalização surgir a partir da ampliação do espaço de conexão entre os fluxos financeiros... § 2°). (p. “[. “Não existe. portanto. os quais muitas vezes se chocam.. 35. “[. informações e de valores políticos e morais [. § 5°). que possuem ritmos e velocidades diferentes.“Um aspecto que diferencia a globalização das fases pretéritas de internacionalização é o fato de que praticamente todos os países do mundo estão nela inseridos [..” (p. não havendo uma entidade coordenadora global.. FENÔNEMO complexo ao caótico? “A globalização caracteriza-se por ser um fenômeno de natureza complexa.. 34.]” (p. 33. § 3°). comércio. 37. § 1°). ideologias.]” (p. “A economia global não está imune a crises recorrentes.” (p. “A globalização vem ainda acompanhada de uma nova ideologia política. o neoliberalismo”. 36. uma teoria da globalização pronta e acabada [. afetando preferencialmente os países mais pobres e indefesos..]” (p. 35.] a globalização consiste num conjunto de processos. “As dimensões da globalização seguem ritmos diferenciados e até opostos entre si. § 3°). § 1°)...” (p.

]” (p... 40. 40..“[.]” (p.” (p. a economia mundial ingressou num novo patamar de internacionalização.] na atual globalização as dimensões internacional e transnacional têm assumido uma importância maior do que a dimensão nacional.] a partir dos anos 1980 e em mais evidência na década de 1990. § 3°). § 3°). A GLOBALIZAÇÃO Comercial Falando de Medidas “Uma boa medida da globalização comercial – o coeficiente de abertura – pode ser calculado a partir da participação do comércio exterior (exportação mais importação) [.]” (p. As quatros esferas da globalização econômica “[.. mas entre os cidadãos do mundo inteiro. ao menos daqueles com acesso a livros.” (p. § 1°). § 2°). 39... trouxe consigo um conjunto de valores e idéias que influenciaram vários movimentos sociais e políticos no restante do mundo [... § 2°)..] as idéias possuem um papel fundamental. . “[...] as idéias geradas em alguns lugares também ‘viajam’ e influenciam a realidade de outros povos. 41. 38. § 4°)..] a Revolução Francesa.. “[.” (p. “[. § 1°)...” (p.. “[. 37. uma vez que são compartilhadas não só entre os governos..] existem regulamentações diferenciadas nos sistemas financeiros de vários países além de barreiras tarifárias e não-tarifárias [. 37. do final do século XVIII.. conectados à internet ou a outros meios de comunicação.

. “[.] é verdade que existe uma nova divisão internacional do trabalho com a transferência da produção de peças e componentes ou de produtos industriais finais de baixo preço para os países periféricos.... União Européia e Japão. 43. “[.]” (p.. que contava com dois grandes grupos de países: os centrais. já que as etapas de produção mais nobres e que exigem maior conteúdo tecnológico continuam sendo executadas nos países da ‘tríade” – Estados Unidos. que consumiam bens industriais e de luxo pagos com a exportação de produtos primários. § 1°). a economia mundial não está caminhando para a unificação.” (p.” (p. § 1°). e os periféricos.A abertura depois dos anos 1970 “A novidade é que agora existe um progressivo deslocamento entre os vários mercados internos e o cada vez mais extenso mercado externo. Trata-se de . § 5°). § 2°)..] seria exagerado dizer que o mercado interno – ou seja.” (p. 44. a produção voltada para o consumo no próprio país – perdeu relevância. § 2°). A nova (mais nem tanto) divisão internacional do trabalho “[.] não seria incorreto dizer que a globalização comercial afetou de forma diferenciada países desenvolvidos e subdesenvolvidos. 47. mas para uma ainda maior polarização entre regiões pobres e ricas [. 49. os primeiros como fornecedores dos produtos de ponta e os segundos como consumidores desses produtos. “Em síntese.. a antiga divisão internacional do trabalho não desapareceu.” (p. 43.” (p. § 2°). 48.. A formação dos blocos regionais “[.] a criação de um mercado regional procura estabelecer melhores condições para que um conjunto de países ingresse de forma mais favorável no contexto de globalização. “O mundo do inicio do século XXI não é tão simples como do século XIX. industrializados...

” (p. “A entrada de multinacional pode transformar a economia de uma cidade ou região [. Quando falamos de blocos comerciais. .]” (p. as filiais das 100 maiores empresas multinacionais respondem por um terço do total de exportações mundiais [.] uma empresa multinacional é aquela que possui ao menos uma filial fora de seu país de origem. 54. 55. para depois se lançarem ao exterior [. § 3°). § 4°).. § 2°). § 1°).assegurar acesso recíproco a outros mercados.” (p...” (p. 56. “[. sendo que cada filial perfaz um rol de atividades ou desenvolve uma linha específica de produtos. 56. a economia atual é regida por uma variável ainda mais forte: a expansão rápida da produção comandada por empresas que realizam suas atividades fora do seu país de origem...” (p. 56. § 4)... As multinacionais ontem e hoje “As empresas multinacionais desenvolveram-se inicialmente em seus próprios países como empresas industriais nacionais. estamos nos referindo à política da globalização. 55. “Essas empresas atuam em grupo. 56.]” (p.. “Somente para termos uma idéia do poder econômico de alguns grupos gigantes. § 2°).]” (p. A GLOBALIZAÇÃO produtiva “Quem” são as multinacionais “[. § 1°)..] por trás da expansão do comércio..

60. em 2001. “[. § 3°). 58. . “[. sem preocupação efetiva com a sua gestão.. “Cabe também ressaltar que as atividades mais nobres são executadas nos países desenvolvidos.] as multinacionais podem comprar um montante limitado de ações de uma empresa de outro país. Os investimentos diretos externos: vamos aos números “Os investimentos diretos externos (ou IDES) representam o montante pelas multinacionais fora de seus país de origem. § 2°).” (p. § 1°). § 2°).” (p..] as empresas multinacionais têm-se concentrado cada vez mais no desenvolvimento de novas tecnologias e na prestação de serviços de assistência técnica e de consultoria.. § 1°).] basta dizer que as multinacionais respondem. § 5°). interessadas apenas no aumento do valor de mercado. 61. “Em outras palavras... elas acabam vendendo know-how para empresas menores. 58/59.” (p. “[. 61. § 2°). participando da sua gestão e dos seus lucros. 59.” (p.” (p. “Uma outra forma de investimento direto externo é a implantação de novas filiais dessas empresas fora do seu país de origem..] uma boa idéia medida da expansão recente da globalização produtiva.. uma parcela crescente do comércio e da produção mundiais passa a ser controlada pelas empresas multinacionais.“As empresas multinacionais apresentam hoje uma gama variada de produtos e marcas. ficando as tarefas de montagem para os países subdesenvolvidos.” (p. 61..” (p.” (p. por 14% do total dos investimentos realizados na economia mundial [. 60. § 3 °). Ou seja.

63. § 4°).” (p. “São vários os motivos por trás dessa onda de fusões e aquisições [. comprar empresas já existentes ou então negociar a distribuição do mercado com suas concorrentes.]” (p. “Há também as vantagens de financiamento..” (p.] as multinacionais líderes costumam ser empresas de origem norte-americana.] as multinacionais têm preferido. § 2°).” (p.. § 5°)..“[. já que as fusões e aquisições são intermediadas por agentes financeiros e empresas de consultoria que querem lucrar com os novos empreendimentos. 62. de inovação.. § 3°).. Por que tantas fusões e aquisições? “[. . as suas decisões de investimento são tomadas levando em conta a existência de blocos comerciais. § 4°). “[. 62. § 2°)..” (p. “Isso aponta para o fato de que a globalização tem reforçado o poderio da economia norteamericana perante os demais países do mundo.. 61.” (p.] a aquisição de uma grande empresa pode ser a porta de entrada de uma empresa multinacional num dado país.] as grandes empresas passam a se fundir.. manifesta-se uma crescente concentração de capital [..] algumas empresas tornam-se maiores apenas para impedir que sejam compradas pelas suas rivais [. § 3°). “[..] se é verdade que as empresas multinacionais têm uma atuação global.. criando verdadeiras potências produtivas. reduzindo os custos de marketing... 63. “[. em vez de fazer novos investimentos. 62. além de obter mais rapidamente uma fatia de mercado do seu concorrente. 63.” (p.. 63.. § 1°).] junto com a expansão das multinacionais.” (p.. pesquisa e lançamento de novos produtos.

“Se a concorrência vem se tornando global. no entanto.” (p.. § 1°).” (p. “A partir de então. 64.Pode-se controlar o poder das multinacionais? “[. 65. 66. não faz sentido manter agências de defesa da concorrência ou organismos antitruste – que supervisionam e punem a formação de cartel – simplesmente como entidades nacionais.. § 1°). 64. § 4°).” (p. por conseqüência. A GLOBALIZAÇÃO financeira A reviravolta dos anos 1970 “O capital de longo prazo internacional era fornecido pelo Banco Mundial. § 3°)..” (p. de lucros. no espaço nacional.] no espaço regional. no máximo [. As taxas de juros deveriam ser baixas e reguladas pelos Bancos Centrais nacionais. ou. 65.” (p. 66. § 2°). “Isso começa a mudar em 1971 com o fim do padrão dólar-ouro. . “As agências de regulação da concorrência continuam funcionando. em vez de concorrerem entre si. § 1°). regras e leis são alteradas com o objetivo de facilitar a transferências de capital de um país para outro. A eliminação da concorrência prejudica consumidores e fornecedores dessas empresas no mundo inteiro. com o objetivo de elevar o nível de emprego e de renda.” (p..] o controle do mercado global por algumas poucas empresas que. elevando os níveis de preços e. decidem formar cartéis.

sem passar pela tarefa incerta de se produzir mercadorias concretas e tentar vendê-las.] podemos dizer que os economistas dos Bancos Centrais.“A globalização financeira destaca-se das demais porque de inicia de forma repentina nos anos 1970. A integração entra os mercados financeiros “Um dia aplica-se no mercado acionário de Seul. 67.]” (p. § 4°). Com a expansão das comunicações. As crises financeiras internacionais “De um lado. § 1°).. enquanto no outro as aplicações em dólar são predominantes [.. nas viagens internacionais de negócios e de turismo.” (p.” (p. § 4°). O objetivo dos ‘jogadores’ é sempre o mesmo: ganhar dinheiro. As novidades financeiras “Alguns fundos de pensão e seguradoras dispõem de um capital de tal magnitude que causa inveja a alguns grandes bancos. § 1°). § 3°). que eram pagos com a contração de novos empréstimos.. O dinheiro global “O dinheiro também se globaliza. pode-se adquirir facilmente as moedas de vários países.. A mídia internacional contribuía . quando as esferas produtiva e comercial já se encontravam em processo de expansão. no seguinte em títulos da dívida pública britânica. 67.” (p. nas casas de câmbio que proliferam rapidamente. esses países se expuseram demais. 66. Ministérios da Fazenda e grandes bancos se tornaram verdadeiros crupiês desse imenso cassino que envolve os mercados financeiros da maioria dos países. recebendo empréstimos de curto prazo. 69. “[. 68.” (p. bem como acompanhar as suas respectivas cotações.

gerando instabilidade. a esfera financeira tende a se expandir ainda mais. A GLOBALIZAÇÃO tecnológica “A internet e a telefonia celular possibilitaram contatos antes impensáveis.” (p. 70/71..divulgando informações parciais otimistas sobre as economias desses países.” (p. “Mas esses empréstimos não resolviam a situação econômica dos países. Agora seria a vez da informática. 72. econômica e cultural. “[.” (p. § 6°). 72. § 1°). “A tecnologia não é um fim em si mesma. 74. “Essas novas tecnologias evoluíram do seu caráter inicial de meras invenções técnicas até assumirem a sua atual dimensão de instrumentos de uma transformação social.” (p. 73. já que os capitais em fuga desabalada ansiavam por um porto seguro para suas aplicações. A biotecnologia e o mapeamento genético abriram perspectivas para que no futuro sejam curadas várias doenças.] enquanto não existir uma autoridade global encarregada de implementá-la e as crises não afetarem os países mais poderosos. 73. . § 2°). 73.” (p.. § 2 °). jogando milhões de pessoas no desemprego e na miséria. “Fala-se mesmo de uma Terceira Revolução Industrial.73.” (p.” (p. § 1°). abstraindo as distancias geográficas. mas um meio para se obter algo. § 3°). a Segunda a eletricidade. pois os planos de ajuste exigiam que os gastos sociais e os investimentos públicos fossem reduzidos e as taxas de juros elevadas. das telecomunicações e da biotecnologia.” (p. § 5°). Pode-se regular a esfera financeira? “Os países desenvolvidos foram inicialmente beneficiados. As suas Bolsas de Ações inchavam com aplicações provenientes dos países desenvolvidos. § 1°). A Primeira trouxe consigo a máquina a vapor.

“Com a introdução de satélites e de cabos de fibra ópticas.” (p.” (p.” (p.] a informação é a nova fonte de energia do sistema econômico capitalista. uma enorme concentração na distribuição do acesso a informações. § 8°).. “Com o uso da tecnologia digital – no caso do telefone. da produção de máquinas. “ (p. “[. 76.” (p. “[. ao facilitar o conhecimento das necessidades dos mercados e dos gostos dos consumidores. A esfera dinamizadora “[.]os produtos que consumimos têm sido crescentemente alterados geneticamente.” (p. 77. § 3°). 77. a partir da geração de sementes modificadas em laboratório – mais resistentes a doenças e pragas.” (p... 74. da indústria gráfica. 76/77.. 77. automóveis etc. § 4°). que assume crescentemente uma dimensão global. 75. adapta-se a suas peculiaridades com suas campanhas de marketing. – ganha-se em capacidade de precisão e controle.. “É a esfera tecnológica que.] a informação é estratégica para todos os domínios da visa humana.. § 4°). economias e sociedades. Como exemplo. Concentração tecnológica e exclusão digital “A ‘exclusão digital’ significa. § 2°).] muitos analistas consideram a esfera tecnológicas como a dinamizadora da globalização. portanto. “[. a capacidade do sistema internacional de telecomunicações aumentou de forma fantástica.. § 7°). a sua transformação incessante acaba por impactar de forma drástica as culturas. § 6°). basta dizer que há mais telefones na região metropolitana de ..

] a velha economia – composta de produtos alimentícios. “[.” (p. acesso a empréstimos. ‘terra’ e ‘capital’.. § 5°). o ‘conhecimento’ teria-se transformado num novo fator de produção. nações desenvolvidas e subdesenvolvidas. § 1°).” (p. pode desintegrar regiões onde não existe uma infra-estrutura [. . do que no continente africano com uma população de 749 milhões. Pose-se falar de uma nova economia? “Tal como ‘trabalho’.” (p.. 80. serviços básicos.. “[. 80..” (p. 78. comércio varejista.. têxteis. 4°).. Continua. infra-estrutura adequada além de incentivos fiscais atraentes. aço. com 27milhões de pessoas. 78. § 7°).]” (p. § 5°).Tóquio. ao mesmo tempo que integra. “As empresas de alta tecnologia exigem mão-de-obra qualificada.” (p.. 80. instituições de pesquisa de primeira linha. as economias continuam sendo divididas basicamente entre empresários e trabalhadores.79.] apesar das novas pressões por aumento de competitividade..] a globalização. “[. produtos químicos – é a alavanca para o crescimento da nova. § 1°).

. *Fichamento. Alexandre de Freitas Barbosa II Parte. sociedade economia.Trabalho Direito e Globalização O mundo globalizado:política.

“Se a Guerra Fria trouxe a política internacional para dentro de todas as nações. ao seu término. 2003. Alexandre de Freitas. com o fim da ameaça comunista. Se as em presas multinacionais montam filiais em todo o mundo e os fundos de pensão e bancos privados diversificam as suas aplicações. que acabaram por reproduzir o clima internacional gerado pela Guerra Fria. São Paulo: contexto. O FIM DA Guerra Fria “Apesar da ameaça sempre presente de uma guerra nuclear. sociedade e economia..2011 BARBOSA. O Mundo Globalizado: política. O Mundo Globalizado: política. § 4°). sociedade e economia.. § 4°).. buscando países e regiões que lhes assegurem alta rentabilidade. 81.. “[. não exixte nada parecido com um governo global. 81.” (p. “[. esse período de Guerra Fria trouxe uma estabilidade política considerável. 82.09.] houve uma alteração radical das políticas internas dos países. As duas potências em disputa raramente penetravam nas respectivas áreas de influencia do seu adversário.] se existe uma diversidade crescente entre as economias nacionais. 82. ed. 2.” (p. § 1°). Os obstáculos à globalização política “A política é o ramo da vida coletiva menos globalizado.Universidade Paulista – UNIP Curso de Direito Disciplina: Direito e Globalização Professora: Camila Barreto Aluno: Washington Airton Soares – RA A08693-5 Turma: 06/DR6R40 Data: 01. os Estados Unidos passaram a adotar uma postura .” (p. § 3°).” (p. no âmbito da geopolítica essa complexidade é ainda maior.

como no caso da Guerra de Kossovo.. § 1°).” (p. “Ou seja. foi a difusão global de imagens a partir das novas tecnologias de comunicações. § 4°).. “As intervenções armadas dos Estados Unidos não se dão mais por alegados motivos ideológicos anticomunistas.” (p. 84.” (p.] apesar da moderada abertura democrática . . que intervenha em beneficio da paz ou do estabelecimento da ordem jurídica.. “[. 87. as eleições locais vêm se tornando importantes. “Outro fator que contribuiu para o renascimento de valores democráticos. principalmente porque são os prefeitos que têm de lidar diretamente comas carências sociais dos cidadãos. colocando pessoas sob regimes autoritários em contato com sociedades onde impera a liberdade de expressão e de organização política.. como na Guerra do Golfo: ou estratégicos. § 1°).” (p. 86.] em vários países. § 2°). A DEFESA dos valores democráticos “Com o fim da Guerra Fria e a dissolução do regime soviético. “[. § 3°).” (p. “Sangrentas guerras locais entre ‘etnias’ ocorrem pelo mundo afora sem que haja um sistema político internacional. § 5°).. 84. 84. na sua ausência algumas regiões do mundo ficaram alijadas do mapa da política internacional. se o comunismo antes era considerado uma ameaça ao poderio norte-americano. o Irã continua sendo em grande medida governado pelo seu chefe religioso contrario aos valores democráticos. 83. 84.” (p.. 87. um numero crescente de países tem escolhido seus representantes a partir do voto direto. § 3°).de maior distanciamento em relação às ditaduras do mundo subdesenvolvido [.” (p. “[. 85. § 1°).. com poderes efetivos. § 2°). mas tão-somente quando há em questão interesses econômicos.] economia de mercado não necessariamente caminha junto com democracia.]” (p.” (p..

§ 4°). havendo inclusive tortura de presos políticos.] os representantes eleitos são teoricamente mais capazes de aprimorar a qualidade de vida nas cidades. devendo contar como apoio da população. e ao exigir a abertura das economias nacionais. ao defender a redução das atribuições do Estado. numa espécie de darwinismo social. 88.] o neoliberalismo. novos modelos e espaços de cooperação internacional. a corrupção segue elevada.. Entretanto. GLOBALIZAÇÂO versus Estados Nacionais . enquanto a sociedade continua muito distante das decisões tomadas pelos governantes..” (p.” (p. “[.] a democracia não se instaura de uma hora para outra. § 4°).. § 7°).” (p.” (p. “Os neoliberais encaram a desigualdade como algo positivo – a concorrência deve selecionar os melhores e os mais capazes deixando para trás os ‘incapazes’. § 3°).. devendo o poder publico se voltar para um conjunto limitado de tarefas. § 1°). 89. tais como a defesa nacional. geralmente as aplicações financeiras predominam sobre os investimentos produtivos.. os candidatos vitoriosos financiados pelo poder econômico e os direitos humanos desrespeitados. “[. “As políticas neoliberais com certeza conseguiram propiciar o aumento dos lucros do setor privado nos países onde foram aplicadas e reduzir as taxas de inflação.” (p. § 2°). da forças políticas. § 2°). Basta lembrar que. 90. e estar consolidada sob a forma de instituições – Executivo.” (p.” (p.. 89/90. “Os países e grupos sociais prejudicados devem propor alternativas nacionais.] cabe ressaltar que os regimes democráticos existentes são muito distintos entre si. 88. o desemprego aumenta e as políticas sociais são questionadas.“[. as eleições são fraudadas. a regulação jurídica da propriedade e a execução de algumas políticas sociais. 90. 87. em muitos países onde há eleições diretas. torna-as mais indefesas em momentos de crises externas. Legislativo e Judiciário – controladas pela sociedade civil.. 87. O QUE É neoliberalismo “Tais valores defendem a menor intromissão do Estado na dinâmica do mercado. Nesses casos.” (p. “[.. § 2).

por exemplo.” (p. 94. estimular os seus sistemas produtivos.. qualificação profissional. 91. não havendo mais autonomia para decidir sobre impostos. Na nova realidade. a noção de soberania ou de controle do espaço nacional torna-se mais restrita. que contribuem com a maior parte dos recursos financeiros. barreiras protecionistas e políticas de juros e crédito. 91. 93. aumentando a competitividade do conjunto do país. além de erradicar os bolsões da miséria.. § 5°). 5°). “O FMI procurava impedir que os países fossem forçados a desvalorizar suas moedas em tempos difíceis. .]” (p. § 4°).” (p. ainda que tenham maior parte de suas políticas voltadas par os países subdesenvolvidos. é possível às empresas saírem de um país ou então os capitais ‘fugirem’ rapidamente da Bolsa. deixando um rastro de desempregados e endividados. § 1°).“O poder econômico das multinacionais. Além disso. Já o Banco Mundial fornecia recursos de longo prazo para as economias devastadas pela guerra. sobrepondo-se ao poder dos Estados Nacionais. ou seja. 93. §§ 2° e 3°).” (p. 92. em vez de globais.” (p. OS NOVOS PAPÉIS do Banco Mundial e do FMI “Essas duas instituições multilaterais foram criadas em 1944 [.. não existe um poder autônomo global que dite regras.. o FMI. 93.” (p. § 2°). “Com a expansão dos fluxos econômicos entre as fronteiras. o Banco Mundial e a OMC. “Essas duas instituições são controladas pelos países desenvolvidos. agem de acordo com os interesses dos países desenvolvidos.” (p. a abertura dos mercados e a integração dos mercados financeiros deixaria os governos nacionais de mãos atadas. A CRESCENTE importância dos organismos multilaterais “Quando chamamos esses organismos de multilaterais ou internacionais. queremos dizer que são fóruns nos quais os vários países encaminham as suas demandas e propõem políticas. § 2°).] os Estados Unidos devem investir em ciência e tecnologia. “[.

os quais necessitam ser corrigidos. § 5°). e as políticas de desenvolvimento dos países mais pobres que ainda precisam desenvolver no interior de sua economia alguns segmentos e setores de tecnologia mais avançada. é considerado um país com desajustes econômicos.] pressionada pelas empresas multinacionais.“Um país que necessita de recursos externos . impedindo que esses se fechassem nos seus blocos regionais. § 2°). no intuito de que estas não agravem a situação social da população mais pobre dos países que recebem seus recursos.” (p. 97. seja para prevenção de uma crise. § 1°).” (p. ou que fizessem uso de políticas internas que beneficiassem os produtos locais em detrimento dos fabricados em outros países.” (p. § 4°). 94. inclusive comprometendo a globalização. seja para realização de investimentos em infra-estrutura. a OMC estabelece regras que defendem os interesses desses grandes grupos. 96. 96.. A OMC E OS INTERESSES dos países ricos e das multinacionais “O objetivo principal da OMC é liberalizar o comércio mundial reduzindo barreiras tarifárias (impostos de importação) e restringindo o uso das chamadas barreiras não-tarifárias – práticas de restrição às importações usadas por um determinado país. 97.. § 3°).” (p. exigindo-se maior transparência nas suas decisões. 96. cedo ou tarde esse países podem optar por modelos de desenvolvimento mais fechados. “Se não forem criadas novas leis e mecanismos que permitam mais autonomia e maior participação no crescimento do comércio para os países subdesenvolvidos.. 95.. a OMC ‘esquece’ da diferença entre as políticas protecionistas dos pises desenvolvidos. § 5°).” (p. com base industrial mais diversificada e avançada. “[. como no caso das cotas de barreiras técnicas ou sanitárias. § 3°). “A OMC surgiu no intuito de funcionar como tribunal das trocas comerciais entre os países.] há um intenso debate em torno da revisão do papel dessas duas organizações multilaterais.” (p. “[.” (p. “Ao tratar de forma igual países desiguais. .

“[.] alianças internacionais podem tornar o combate à exclusão social e ao trabalho infantil mais efetivo. “A ONU foi criada em 1945 [.]” (p. “Um dos principais órgãos da ONU é o Conselho de Segurança.]” (p. § 2°).” (p. 98. § 3°). saúde... além do combate ao trabalho infantil.A ONU e as suas agências “Não podemos esquecer. “[..] a intensa atividade da ONU não vem acompanhada de uma transformação das relações entre ricos e pobres.. no entanto.” (p... § 4°). cujo papel é manter a paz mundial.” (p. já que é comandada basicamente pelos interesses de alguns governos nacionais poderosos. 103. humanitárias e para resolução de conflitos mundiais. § 2°). 98. § 2°). ao turismo sexual e à AIDS [. Esses organismos estão geralmente sob a estrutura da Organização das Nações Unidas (ONU).] a ONU também ainda não se constitui numa organização global. percebe-se uma crise de legitimidade em relação às suas ações. “[. 99. § 4°). .” (p. da existência de tantos outros organismos multilaterais voltados para questões sociais.” (p. “[. alimentação e das condições de trabalho. 100.” (p.... 98. As sociedade nacionais e a emergência da sociedade global “[. § 4°).. se alguns valores humanistas universais forem defendidos em todos os países..] uma parte expressiva do trabalho das Nações Unidas está relacionada à promoção de melhores condições de vida nos países em desenvolvimento. por meio de ações voltadas para a melhoria dos níveis de educação... tratando cada um de temas específicos. ou entre globalizadores e globalizados.] também no caso dessa organização. 99. § 1°).. 98.

106. fazendo com que os países mais pobres consigam ampliar o acesso aos mercados externos. uma parte significativa dos pobres. “[. § 2°).. 107.] devem ser modificadas as regras da economia global. § 3°). A POBREZA no mundo “Em quase todos os países... “[.. o processo de abertura de mercados. 104.. portanto. § 1°). § 3°). ampliado os contrates e as desigualdades. 103. vai se criando uma sociedade civil global com valores morais distintos dos valores econômicos das organizações multilaterais [..” (p. desempregados e trabalhadores informais.” (p.“Aos poucos.] a globalização traz consigo também maior concentração da população das cidades.. § 2°). 104...] a globalização não conseguiu um padrão de consumo básico para todos os habitantes do planeta. § 3°). a pobreza ampliou-se de forma significativa nos anos 1990.” (p.” (p. assumindo também a sua tarefa de expandir as políticas sociais bem como o nível de emprego. com propósito e ideologias diferenciados.” (p..] a pobreza significa um alto nível de desperdício de potencial humano e econômico [. “O mundo globalizado tem. especialmente nas grandes e inchadas metrópoles dos países subdesenvolvidos. § 2°). 107. ampliando a distância entre ricos e pobres e gerando um contingente de trabalhadores desempregados e excluídos dos serviços sociais. § 3°).” (p. .]” (p. como a reação de movimentos locais e nacionais à invasão estrangeira. 104. 106. § 1°).. de incentivo ao investimento financeiro e de redução do papel do Estado – ainda que essas tendências possuam ritmos e resultados distintos dependendo dos países – têm levado ao aumento da desigualdade. “Mesmo nos países ricos..] a globalização propicia tanto a expansão de alianças sociais internacionais. quando se acelerou o processo de globalização econômica.. “[.” (p. onde se acumula.]” (p. 105.. “[. “[.

110. “Especialmente nos países subdesenvolvidos. “Se no antigo setor industrial. 108.. “[.” (p.. com salários e benefícios sociais menores.” (p.. § 2°). § 2°). “A maioria esmagadora dos trabalhadores segue. a informalidade é a regra e não mais a exceção. é comum encontrarmos uma parte significativa da população vivendo de biscates ou de empregos de ocasião [.. § 3°). “[.” (p. presentes em todas as grandes metrópoles..” (p.” (p. “[. “A imigração só não é maior pelas barreiras a que os trabalhadores pobres dos países subdesenvolvidos estão sujeitos na busca por melhores condições de vida.. 111.A EXPANSÃO do desemprego e do emprego informal “O aumento da desigualdade entre países ricos e pobres e o crescimento da pobresza tanto nos países desenvolvidos como nos subdesenvolvidos esteve relacionado à abertura dos mercados e ao crescimento desordenado da esfera financeira [. turismo sexual. no caso de os sindicatos locais não se conformarem com níveis salariais inferiores.]” (p. 112.] as empresas multinacionais passam a subcontratar serviços de trabalhadores na periferia do mundo. § 1°). § 4°). trabalho forçado e trabalho infantil . as empresas usam com freqüência a ameaça de que podem mudar as suas fábricas para países mais pobres.] ainda que não haja um mercado de trabalho global.” (p. § 3°). 112. havendo diferenças salariais gritantes entre as várias economias.. 107... entretanto. CRIME GLOBAL. § 2°).. 109.] foi nos países em desenvolvimento que o desemprego e a informalidade mais cresceram nos últimos vinte anos do século XX. presa às condições locais e nacionais do mercado de trabalho. os salários eram mais ou menos nivelados e a legislação trabalhista respeitada. § 2°). 109. no novo grande setor de serviços urbanos.]” (p.

§ 2°). contrabando de imigrantes ilegais e tráfico de mulheres e crianças. surgem novas formas de escravidão.” (p. as chamadas organizações não-governamentais (ONGs) emergiram com força cada vez maior. 112. saúde. de educação.” (p. 116.” (p. também não se encaixam no setor privado. 113. já que não visam ao lucro. AS ONGs e os valores sociais e morais “Durante as décadas de 1980 e 1990. juntamente com a ausência de regulações nacionais e internacionais. permitem o crescimento pronunciado de muitas atividades ilícitas e desumanas. “[. “O crime organizado global gira em torno de algumas atividades básicas: tráfico de drogas e de armas. 116. comprometendo o seu futuro. “Outra tragédia amplificada no mundo globalizado é a do trabalho infantil. no passado. como a economia do crime internacional. § 4°). 115.” (p. desempenham tarefas que. “Esses exemplos de desagregação social revelam que as possibilidades de se ganhar ‘dinheiro sujo’ no mundo globalizado são as mais variadas. 115.” (p.“A expansão do mercado global. eram prerrogativa exclusiva do poder público. 115. § 3°). assistência social e defesa dos direitos humanos. 115. . o ressurgimento da escravidão e o trabalho infantil. Por outro lado. “Essas entidades encontram-se a meio caminho entre o Estado e o setor privado.” (p.] o trabalho infantil também tem-se espalhado nos países desenvolvidos.” (p. § 4°). § 2°). “É nesse contexto que os excluídos se reinserem na globalização. Concentradas nas atividades culturais. a sua saúde e os seus valores morais.. “Com a piora significativa das condições sociais. § 5°). § 4°).” (p. o turismo sexual. contando muitas vezes com benefícios fiscais.. § 1°). § 1°).” (p. 114.

. Tal como no caso da ecologia.” (p.. 118.” (p. 119. apesar das varias tendências. que estariam destruindo o ecossistema.“Mais recentemente. contudo. CULTURA GLOBALIZADA versus culturas nacionais e locais “Seria impossível compreender a nova dinâmica social do mundo globalizado sem uma análise sobre a dimensão cultural. mas dos valores morais. 117. 119. § 1°). “[. ainda proíbem o direito da mulher à herança e educação. 118.] não se pode deixar de ressaltar a importância do movimento feminista. § 3°).” (p. “Existe. § 3°).. as industrias culturais do cinema. um ponto é central: a luta contra todas as formas de discriminação das mulheres. 117.” (p. “[. § 2°). “A cultura constitui assim a identidade primária que estabelece. 119. que ganhou força mundial especialmente a partir dos anos 1970. as ONGs ambientalistas vêm realizando uma intensa campanha contra os alimentos transgênicos ou geneticamente modificados. não do mercado. São eles o outro lado da globalização. da imprensa e dos grandes espectáculos (shows de rock. “Todos esses movimentos contam com um grande poder de mobilização e conscientização. uma distinção clara entre o ‘nós’ e o ‘eles’. § 2°). do livro. Fórmula 1 . “Um ponto unifica todos esses movimentos: a critica ao capitalismo desenfreado e ao consumismo.. em todos os povos.] o mundo globalizado convive ao mesmo tempo com a unificação das lutas sociais e a fragmentação das metas defendidas. uma cultura globalizada? Sim. além de limitarem a sua liberdade reprodutiva.” (p. § 2°).” (p. § 1°).” (p.. 119.” (p. § 2°). “Vários países. 118. então. § 4°). fonográfica.” (p. Copa do Mundo e Olimpíadas) domina a espaço global com os seus bens e mercadorias culturais.

119...” (p.” (p.” (p.” (p. surgindo assim os profetas e os críticos da globalização. trabalhadores. ricos da noite para o dia. as fórmulas contidas nas experiências desses países-modelo [.” (p. camponeses.” (p. à tortilla mexicana e à pasta italiana. mas na sua capacidade de vender.] o atual mundo globalizado tem-se mostrado incapaz de promover com eficácia os valores universais. segundo os seus relatórios econômicos.. 120. “A globalização é também celebrada com a realização de seminários internacionais nos quais se apresentam as virtudes do capitalismo global.. de ocupar mercados. § 1°). 123.. § 3°). Conclusão “[. § 4°). contudo..] as limitações econômicas e sociais restringem o acesso à cultura globalizada em boa parte do mundo. deixando também um espaço para os valores culturais não-incorporados pelo grande mercado. Entretanto. “O objetivo central não está no valor cultural.” (p. “[. imaginar a cultura globalizada como geradora de uma uniformização completa de estética em todos as partes. “[. fechando-se ao restante do mundo. a globalização pode ser louvada ou criticada. Seria quase ridículo imaginar que o fast-food poria fim à feijoada brasileira. na autenticidade da expressão artística ou na divulgação da notícia. “Seria ingênuo. outros optam pela segregação.] países que souberam aproveitar das vantagens de uma economia crescentemente global e ficaram. guerrilhas e movimentos separatistas desgarrados do mundo globalizado. § 1°).] não são facilmente aplicáveis no . 123. § 1).. “No lugar da utopia da aldeia global. 122.“A indústria cultural mescla-se portanto às demais indústrias. “[. Enquanto segmentos importantes da economia e da cultura se globalizam. 122. § 3°).” (p.. funcionários públicos e classes médias – e dos países onde esses se encontram. § 1°).. § 4°).] dependendo do grupo social – empresários. há o risco de proliferação de várias aldeias. Ela assimila e transforma uma parte das culturas locais. 122. 121..

” (p.] a globalização que permite a integração dos mercados também abre espaço para a manifestação de idéias contrárias.” (p.. com o objetivo de impedir uma escolha entre dois mundos igualmente insatisfatórios para os destinos da humanidade. “[. 125. 124.” (p.mundo inteiro. nacional e internacionalmente. estabelecer metas e compromissos de longo prazo. 127. “Caberá à sociedade civil organizada. § 3°). § 5°). e organismos multilaterais. “[. 126.” (p. § 1°).” (p.. podendo encontrar adeptos no mundo inteiro. § 1°). o imperialismo. § 5°).. bem como aos governos de países desenvolvidos e subidos. 126. 124.” (p. . além de geralmente não enfatizarem seus problemas sociais e políticos. “[.. Na verdade. “Os críticos da globalização ressaltam ainda que a liberalização do movimento de mercadorias e capitais não veio acompanhada da liberdade no fluxo de mão-de-obra.] para os seus profetas. a própria liberdade de locomoção é desigualmente distribuída.] a globalização seria apenas o novo nome de um fenômeno antigo. a globalização refere-se a uma nova condição humana. § 2°)...

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful