P. 1
Aula -Ética e moral

Aula -Ética e moral

|Views: 1.620|Likes:
Publicado porPaulowilma

More info:

Published by: Paulowilma on Jun 04, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2013

pdf

text

original

INTRODUÇÃO À

ÉTICA E À MORAL

Profa. Marcelle Formiga

PLANO DE AULA
Problemas prático-morais e teórico-éticos;  Conceituação de Ética e Moral;  Objeto da Ética  Relação entre Ética e Moral  Caráter histórico da Ética;  Caráter científico da Ética;  Relação da Ética com outras Ciências

.PROBLEMAS.  Devemos falar sempre a verdade ou existem ocasiões em que podemos mentir? o direito de atirar em uma pessoa porque receio que ela irá me agredir? cumprir a promessa ao meu amigo mesmo sabendo que poderei ser prejudicado? denunciar um amigo traidor ou devo calar em nome da amizade?  Tenho  Devo  Devo ..

comportamento resultante de uma ação refletida e não puramente “espontânea” ou natural é o que chamamos de comportamento moral ou prática-moral. Em situações como estas. normas estão internalizadas e são reconhecidas como obrigatórias: de acordo com elas entendemos que temos o dever de agir desta ou daquela maneira. nosso comportamento é respaldado por normas que julgamos mais apropriadas ou mais dignas de ser cumpridas.  As O .

vivida para a moral reflexa. Os homens não só agem moralmente como refletem sobre este comportamento prático e o tomam como objeto da sua reflexão e do seu pensamento. Prática-moral  Dá-se Teoria-moral a passagem da moral efetiva.  Esta passagem coincide com o início do pensamento filosófico e abrange o campo dos problemas teórico-morais ou éticos! .

. dos éticos.  Teórico-moral: são problemas teóricos. objetos de reflexão dos investigadores da moral. diz respeito ao que fazer em determinada situação real.  A investigação teórica tem repercussão direta nos problemas práticos pois acaba definindo parâmetros que norteiam e orientam a conduta nas mais diversas situações.PROBLEMAS PRÁTICO-MORAIS E TEÓRICO-ÉTICO Prático-moral: se apresenta nas situações concretas. ou seja.

responsabilidade moral. o que implica no pressuposto de que ele pôde fazer o que queria fazer. obrigatoriedade. . pôde escolher entre duas alternativas e agir de acordo com a decisão tomada. Essência consciente e responsável da moral!  Conceitos: liberdade. Só é possível falar em comportamento moral quando o indivíduo que se comporta de uma determinada maneira é responsável pelos seus atos. determinismo.

na própria prática moral. real. mas sim a teoria de um modo efetivo. o fato ao qual a teoria ética deve retornar constantemente para que não seja uma especulação estéril. isto é. “Os problemas teóricos e os problemas práticos. se diferenciam . por sua vez. 2008) .. de comportamento do homem”. (VÁZQUEZ. vivida. os problemas propostos pela moral prática. assim como as suas soluções. As soluções que se dão aos primeiros não deixam de influir na colocação e na solução dos segundos.. constituem a matéria de reflexão. no terreno moral. mas não estão separados por uma barreira intransponível.

 Supõe determinados princípios. ou sistema de normas. É o objeto de estudo da ética. pode ser explicitado cientificamente.MORAL E ÉTICA A moral corresponde ao comportamento humano consciente. código moral. contudo. . normas ou regras de comportamento. não é  Um ciência .

CONCEITO DE ÉTICA “A ética é a teoria ou ciência do comportamento moral dos homens em sociedade. e não no fato de prescrever ou recomendar ações concretas. diversidade e variedade.  . 2008).  O valor da ética enquanto teoria está naquilo que explica. é ciência de uma forma específica de comportamento humano” (VÁZQUEZ.  A ética é teoria.  Conjunto sistemático de conhecimentos racionais e objetivos a respeito do comportamento humano moral. investigação ou explicação de um tipo de experiência ou forma de comportamento humano – moral – considerado em sua totalidade. Ou seja.

.  A ética se propõe a explicar a razão de ser da pluralidade de comportamentos e da diversidade de morais no tempo. com ela. princípios e normas. Dessa forma a ética não tem a pretensão de formular princípios e normas universais. variam seus princípios e as suas normas. desconsiderando a experiência moral histórica – isto afastaria a teoria da realidade que deseja explicar. com seus respectivos valores.CARÁTER HISTÓRICO DA ÉTICA:  A realidade moral varia historicamente e.

Deve fornecer a compreensão racional de um  aspecto real. . não se identifica com nenhuma moral em particular. do comportamento humano. Juntamente com a explicação das mudanças e diferenças. efetivo. deve investigar e elucidar o(s) princípio (s) que permite compreendê-las no seu movimento e no seu desenvolvimento histórico. Como teoria.

no limite do possível.  Se ocupa de um objeto próprio: o setor da realidade humana que chamamos de moral.  . metódicos e. comprováveis. parte dos fatos e dados empíricos para investigar e compreender os princípios gerais.  Enquanto conhecimento científico deve aspirar à racionalidade e objetividade. revelando conhecimentos sistemáticos.CARÁTER CIENTÍFICO DA ÉTICA: Implica em uma abordagem científica dos problemas morais.  Como ciência. constituído por fatos e atos humanos.

estudam as relações e o comportamento dos homens em sociedade e proporcionam dados e conclusões que contribuem para esclarecer o tipo peculiar que comportamento humano que é o moral. sob diversos ângulos. .ÉTICA E OUTRAS CIÊNCIAS:  Por meio do seu objeto – uma forma específica do comportamento humano – a ética se relaciona com outras ciências que.

absolutos e apriorísticos.  Com o desenvolvimento do saber. a ética. desprendeu-se do tronco comum da Filosofia. como outros importantes ramos do conhecimento.  No processo de aquisição do caráter científico.  .ÉTICA E FILOSOFIA: As questões éticas constituem uma parte do pensamento filosófico. foi definindo e avançando em seus objetos de estudo e. desta forma. a ética rompeu com as chamadas filosofias especulativas que pretendiam sujeitá-la aos princípios filosóficos universais.

Ética Científica X Ética Filosófica  A ética pode ser apresentada como parte de uma filosofia especulativa.  A ética científica deve se apoiar em uma filosofia estritamente relacionada com as ciências e divorciada da filosofia que pretende deduzir de princípios absolutos a solução dos problemas éticos.  Esta ética filosófica preocupa-se mais em buscar a concordância com princípios filosóficos universais do que com a realidade moral no seu desenvolvimento histórico e real. o dever e os valores morais.  . constituída sem levar em conta a ciência e a vida real. o que resulta no caráter absoluto e apriorístico das suas afirmações sobre o bom.

que faz da natureza um mundo a sua medida e que. isto é. a ética não pode deixar de ter como fundamento a concepção filosófica do homem. social e prático. como um ser que transforma conscientemente o mundo que o rodeia. histórico e criador.dessa maneira.  . transforma a sua própria natureza. como teoria de uma forma específica do comportamento humano. a ética não pode deixar de partir de determinada concepção filosófica do homem. que fornece uma visão total deste como um ser social.  O comportamento moral é próprio do homem como ser histórico.Por outro lado.  Se a moral é inseparável da atividade prática do homem.

necessidade. Além disso. consciência. valor. temos ainda importantes conceitos filosóficos que constituem focos de reflexão da ética científica: liberdade. . sociabilidade etc.

atos voluntários. gênese da consciência moral e dos juízos morais. as condições internas e subjetivas dos atos morais. assim como quando nos mostra a estrutura do caráter e da personalidade.  Examina  Esclarece .ÉTICA E PSICOLOGIA A Psicologia vem ao encontro da ética quando esclarece as leis que regem as motivações internas do comportamento do indivíduo. formação doa hábitos.

(Vázquez. mas também como psicologia profunda. entendida não somente no sentido tradicional de ciência do psiquismo consciente. a ética não pode prescindir da ajuda da psicologia. “Na medida em que os atos o morais são atos de indivíduos concretos. 2008. p. ou dos fatos subconscientes que escapam ao controle da consciência e que não deixam de influenciar o comportamento dos indivíduos”. por estes vividos ou interiorizados de acordo com sua constituição psíquica.30) .

até o ponto de transformá-lo em chave da explicação do comportamento moral. na tendência a reduzir o moral ao psíquico. a função dos fatores psíquicos e se tende a negligenciar o aspecto objetivo e social do comportamento. 2008) . isto é. a ética não se reduz à psicologia. e a considerar a ética como um simples capítulo da psicologia. embora os atos morais tenham seu aspecto psíquico. (Vázquez. Contudo. quando se superestima o aspecto subjetivo do comportamento humano. isto é. Em contrapartida. cai-se no psicologismo ético.

ÉTICA E CIÊNCIAS SOCIAIS  Sociologia e Antropologia Social  Focos  de estudo: As leis que regem a estrutura e o desenvolvimento das sociedades. .  O comportamento do homem como ser social.  As formas de organização e de relação dos indivíduos na estrutura social.

 . e sim social (Vázquez. parte de determinada estrutura social e inserido numa rede de ralações sociais. 2008). sendo um ser social e. independentemente do grau de consciência que tenha disto. O sujeito do comportamento moral é o indivíduo concreto. mas. Sociologismo ético: tendência a transformar a ética em um capítulo da sociologia. o seu modo de se comportar moralmente não pode ter um caráter puramente individual.

disponha da necessária margem individual para poder decidir e agir: somente com esta condição poderemos dizer que se comporta moralmente”.. porque somente assim poderemos responsabilizá-lo por sua decisão e por sua ação.. passem pela sua consciência ou sejam interiorizados. (Vázquez. “. 2008) . é preciso que os fatores sociais que nele influem e o condicionam sejam vividos pessoalmente. não se reduzem à sua forma social. sem deixar de ser condicionado socialmente. coletiva e impessoal. Para que se possa falar propriamente do comportamento moral de um indivíduo. embora os atos morais sejam condicionados socialmente. Exige-se efetivamente que o indivíduo.

.ÉTICA E DIREITO  Ambas estudam o comportamento do homem como comportamento normativo.

A. . Rio de Janeiro:Civilização Brasileira.S. 2008.REFERÊNCIAS:  VÀZQUEZ. Ética.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->