A colonização do Piauí Como já sabemos, os portugueses chegaram ao Brasil em 1500, último ano do século XV.

Durante o século XVI eles exploraram o litoral do Nordeste. E no século XVII se espalharam pelo sertão nordestino criando gado. O governo português não considerava os índios donos das terras. Por isso apoiavam os fazendeiros no combate às tribos e na ocupação das terras. Foi deste modo que os portugueses donos de fazendas na Bahia chegaram ao sertão piauiense. O início de seu povoamento ocorreu somente em 1697 com a criação de uma capela, que serviria de freguesia de Nossa Senhora da Vitória, fundada pelo Pe. Miguel Carvalho, as margens do riacho da Mocha. Elevada a categoria de Vila em 1717, essa freguesia recebeu a designação de Vila da Mocha, onde se situa a cidade de Oeiras, antiga capital do Estado. A igreja Nossa Senhora da Vitória, de uma forma geral, definiu a vida e desenvolvimento da Vila do Mocha. O início do povoamento do Piauí processou-se uma toda desorganização sócio-político-administrativa, sendo este o contexto em que foi elevado a capitania de São José do Piauí em 1718. À distância, o isolamento e o total abandono fizeram com que o Piauí se integrasse muito tarde com os demais estados que já dispunha de infra-estrutura. Esta situação privou o Piauí de participar, mais efetivamente, dos grandes acontecimentos históricos, provocando um sensível atraso em todo o seu desenvolvimento. A colonização do Piauí, fruto de iniciativa privada, processou de maneira espontânea e desordenada por fazendeiros e aventureiros, que não recebiam estímulo e proteção dos poderes públicos, estando as autoridades coloniais voltadas para as fabulosas riquezas de Minas Gerais. Convém registrar o abandono do Piauí, nos quase dois séculos após o descobrimento do Brasil. O europeu dava preferência ao litoral, pela fácil comunicação com a terra natal. Assim os estados circunvizinhos como Maranhão, Ceará e o Rio Grande do Norte, paulatinamente iam sendo colonizados. O processo de desbravamento do território piauiense deu-se de maneira específica, do interior para o litoral, quando já estava praticamente assentado o contorno geográfico das demais províncias limítrofes. A posse deu-se antes da propriedade, que foi demarcada, depois da distribuição das Sesmarias. Coube ao bandeirante Domingos Jorge Velho iniciar os primeiros núcleos de povoamento, criando currais, criando gado e domesticando o gentio.

ligados aos grandes proprietários de terras – quando não eram os próprios – que tinham como função principal. muitas delas importantes no Piauí desde a época da colônia. Esta distribuição aleatória injusta de terras no Piauí resultou em conflitos entre sesmeiros e posseiros. Aquela Escola Normal hoje é o Instituto de Educação Antonino Freire. “profetizou” a proclamação da república brasileira no centenário da Revolução Francesa. Mas a criação da chamada Escola normal no Piauí se dá na década de 10 do século passado. A confirmação de sua “teoria” chega a Teresina um dia após a proclamação. Dominavam também esse contexto determinadas famílias. pois o isolamento e a falta de recursos matéria e humano faziam com que estes não desse grande importância à causa. o Reino começou a doar Sesmarias de forma intensa e abusiva para aristocratas baianos e pernambucanos. Não havia controle social. os colonizadores não se interessavam em divulgar as riquezas da terra. 19/11/2006 República Velha Em 1870. localizado na zona norte da cidade. na gestão de Antonino Freire. que circulou em 1 de Fevereiro de 1873. Ao tomar conhecimento do desbravamento do Piauí. através da influência federal em 1910. Os verdadeiros desbravadores ficavam. em começar em sua nova terra a criação de gado. os litígios eram decididos pelas forças das armas. onde vários de seus membros também figuravam como coronéis e/ou políticos de sucesso. verifica-se. Com efeito. posteriormente transferida para Teresina. As primeiras escolas a funcionarem no Piauí iniciaram seus trabalhos aproximadamente em 1815. o processo de povoamento do Piauí foi lento e demorado. com a valiosa colaboração da professora Firmina Sobreira. e em sua primeira edição. em 1889. fundando o jornal OITENTA E NOVE. partiu Domingos Afonso Mafrense que também disseminou currais em terras piauienses. em 1835 é criada a Escola de ajudantes artífices em Oeiras. ocorrida no Rio de Janeiro. eram considerados como usurpadores de terras. e nem todo coronel era abastado financeiramente. o jornalista piauiense David Moreira Caldas inicia ardorosa campanha abolicionista pela imprensa. No Piauí durante a República velha. Cada um defendia-se de acordo com a sua maior ou menor capacidade de resistência. A importância e o prestígio do coronel eram diretamente proporcionais à quantidade de arregimentação de votos para seus aliados políticos. Esses sesmeiros. o que veio a ser a protocélula do atual CEFET – PI.Do estado da Bahia. isto é. através de ‘favores’ prestados à comunidade local – principalmente destinados às camadas mais humildes – conquistar os votos necessários aos seus candidatos. criando um grande embaraço para o governante da província. então reduzidos à condição de posseiros e arrendatários. transferindo-se dentro de pouco tempo em ricos fazendeiros com o monopólio de toda a criação de gado da região. Os primeiros habitantes do Piauí preocuparam-se inicialmente. a preponderância dos “coronéis”. por intermédio de procuradores. Os fazendeiros muitas vezes. É importante observar que o prestígio e importância dos referidos coronéis não implicavam necessariamente em busca de poder econômico. como no resto do país. subdividiam suas terras e arrendavam-nas para quem tivesse condições de manter o arrendamento. O governo não tinha condição de acabar com essa desavença. .

sendo os mais . ainda no período imperial. a obra ‘Mulheres Plurais’ de Pedro Vilarinho é uma valiosa fonte de compreensão e de pesquisa. ocorre a seca de 1877. verifica-se uma certa emancipação feminina. o Piauí é violentamente atingido por uma estiagem que deixa um enorme saldo de prejuízos humanos e materiais. como a maioria dos jovens formados na época. sendo Amélia Bevilácqua uma das idealizadoras e fundadoras da Academia Piauiense de Letras. que se deslocou para diversas cidades do interior quando a coluna chegou a Teresina. Juarez Távora. com o desenvolvimento de algumas praças de comércio. organizaram-se no Piauí grupos interessados na idéia da independência política. o Piauí passa por um incremento em sua base econômica. seus remanescentes serão incorporados à UFPI. produtos de base extrativista. Em 1931 é criada a Faculdade de Direito do Piauí. a última seca citada é o pano de fundo da obra ‘Trinta e dois’ do piauiense Fontes Ibiapina. trazendo milhares de retirantes famintos do interior. Posteriormente. utilizada. e durou até o dia 4 de janeiro. utilizado para a elaboração de explosivos até a época da Primeira Guerra Mundial) e maniçoba. Amarante. ano de uma das piores secas ocorridas no país. fonte de ácido pícrico. Em território piauiense deu-se a prisão de um de seus mais destacados líderes. como no próprio caso de Teresina. A Coluna Prestes foi um movimento de caráter tenentista. provocando urbanização em algumas vilas e cidades tributárias do Parnaíba. em grande escala. Na república velha são muitas presentes as discussões entre grupos anticlericais e católicos. acompanhando a euforia da nascente indústria automobilística. dá-se a criação da Faculdade de Filosofia do Piauí. pano de fundo para o romance ‘O quinze’ de Rachel de Queiroz. Teresina. Sobre o papel feminino na primeira república. mesmo em que alguns casos não seja diretamente afetado. Havia grande quantidade de firmas de exportação especializadas na negociação desses produtos. No Piauí. O cerco iniciou-se em 23 de dezembro de 1925.A partir da segunda metade do século XIX. inclusive. passando a produzir. babaçu. como se pode notar na obra ‘As ciladas do Inimigo’ de Áurea Pinheiro. sua passagem coincidiu com o governo de Matias Olímpio de Melo (1924-1928) causando enorme pânico em grande parcela da população da capital. fruto das convulsões sociais enfrentadas pela República Velha e um dos sinais de seu enfraquecimento e posterior dissolução. aproximadamente. carnaúba (produto com uma enorme gama de aplicações. Anticlerical e maçom. na zona sul de Teresina. tanto no que se refere a simples trabalho fabril – a Cia de Fiação. Na República Velha. com destaque para a borracha de maniçoba. amplamente valorizados no mercado até 1930. mas principalmente cearenses. para a cidade de Teresina. impulsionadas pelas modificações existentes nos grandes centros. A situação se repete em 1915. na ‘Praça do Fripisa’. atual biblioteca Cronwell de Carvalho. de onde saem vultos de nossa cultura como Higino Cunha. em 30 de Dezembro de 1917. dentre outras maneiras. na indústria de pneumáticos. como Barras. sem a mínima estrutura para absorver aquele inchaço populacional repentino. Essa nova economia deu novo fôlego ao Estado. sofre intensamente seus efeitos. Quase na mesma época. Miguel Alves e outros. por exemplo. Em 1932. que foi preso onde se localiza atualmente a localidade Areias. Escrito por Elton Larry às 16h50 [(6) Vários Comentários] [envie esta mensagem] 09/11/2006 O Piauí no Período Imperial Por conta da Independência proclamada por Dom Pedro I em 1822. O flagelo da seca se faz presente no nordeste e o Piauí. A intelectualidade piauiense de fins do século XIX e início do XX é formada principalmente na célebre Faculdade de Direito de Recife. empregava principalmente mão de obra feminina – mas também à esfera da intelectualidade.

sendo remetido para o Rio de Janeiro de lá para Lisboa. Após a Balaiada. as forças de Leonardo das Dores Castelo Branco organizavam-se e no dia 23 de janeiro de 1823 proclamavam a independência em Piracuruca. No dia seguinte. porém os políticos de Oeiras mostram-se irredutíveis. Liderados por Luís Rodrigues Chaves. que passa a ser conhecida como Vila Nova do Poti e após isso Teresina. Após isso. como importante fornecedor de carne e corredor de imigração era imprescindível. as tropas independentes enfrentaram os homens de Fidié no leito seco do riacho jenipapo. a manutenção do Piauí. O Barão foi o mais ferrenho defensor da “ordem” no Piauí durante o conflito. aproveitando-se da ausência de Fidié. a lei dos prefeitos e o recrutamento forçado. Saraiva então inicia grande campanha de convencimento das vantagens que seriam alcançadas com a mudança de capital.importantes politicamente os de Parnaíba(Simplício Dias da Silva. onde foi definitivamente derrotado por maranhenses. Composto por membros da elite e também por populares. Enquanto isso. Manuel de Sousa Martins dirigiu com mão de ferro os destinos da província por cerca de 20 anos. Os rebeldes tinham planos de ocupar Oeiras. seus líderes estavam refugiados em Granja(Ceará). mas falharam em seu objetivo. além de buscar-se desenvolver uma agricultura nas terras férteis da região. proclamando a “independência do Piauí e sua união com Portugal”. mas quem colheu as benesses da vitória foram outros grupos. tendo de enfrentar o poderoso movimento que ficou conhecido como Balaiada. mas no meio do caminho é obrigado a enfrentar as forças formadas por piauienses e cearenses em Campo Maior: era a Batalha do Jenipapo(13 de março de 1823). porém com uma conotação claramente política. que preferia a região da barra do Poti. que também atingiu as terras do Piauí entre 1838 e 1841. Durante os séculos XVIII e XIX falou-se na barra do Poti. o que impossibilita o militar português de continuar a combater os independentes. o grande acontecimento de destaque na província foram as discussões que culminaram com a mudança da capital de Oeiras para Teresina. que segundo historiadores piauienses. O povo teve participação decisiva na Batalha do Jenipapo. primeira capital planejada do país. a Chapada do Corisco. No calor da batalha a bagagem de guerra de Fidié é extraviada pelos cearenses. na atual localidade de Amarante. A revolução de Parnaguá foi um fato ocorrido dentro do contexto da Balaiada. Essa idéia não partiu do Conselheiro Saraiva e vinha ainda do século XVIII. já que os Aguiar de Parnaguá eram inimigos políticos do Barão da Parnaíba. indo se refugiar na região do Estanhado(atual União) e de lá seguiu para Caxias. João da Maia da Gama. piauienses e cearenses. futuro Barão da Parnaíba) que tiveram que burlar a vigilância do Major português João José da Cunha Fidié. sendo que para isso. na cidade de Parnaíba e na confluência do Mulato com o Parnaíba. a Balaiada piauense era contrária à continuação do governo do Barão da Parnaíba. visando aproveitar o potencial de navegação do Rio Parnaíba. numa luta ininterrupta de cerca de 5 horas. tomar da cidade de Caxias(MA) a hegemonia do comércio na região. proposta pelo governador do Maranhão. que nascia voltada para o Rio Parnaíba e nascia sob o signo do progresso. Em 19 de outubro de 1822 Parnaíba é a primeira localidade piauiense a apoiar a idéia de independência do Brasil. Manuel de Sousa Martins e seus homens tomaram a Casa da Pólvora em Oeiras e proclamaram sua adesão à independência. instalar a capital . governador das armas do Piauí. foi enviado por Dom João VI para garantir a Portugal a posse da parte setentrional do Brasil. Alegando a insalubridade da região da Vila do Poti – atual Poti Velho – Saraiva muda a sede da futura capital para uma região distante a uma légua desta. João Cândido de Deus e Silva) e o de Oeiras(liderado por Manuel de Sousa Martins. Trabalha então. Ao saber do ocorrido Fidié parte para Oeiras. Quando Fidié e seus homens chegam á vila para sufocar o movimento. para eleger uma maioria governista nas eleições provinciais e consegue a aprovação da lei que permitia a mudança da capital para a região do Poti. que ainda voltava de Parnaíba.

que depõe o presidente em exercício.em uma localidade menos isolada do que Oeiras etc. Gregório Taumaturgo de Azevedo (militar) é o primeiro governador piauiense em sua história republicana. durante a presidência de Firmino de Sousa Martins. Escrito por Elton Larry às 17h05 [(0) Comente] [envie esta mensagem] . além do Alferes João de Deus Moreira de Carvalho. É patrono da cadeira número 4 da Academia Piauense de Letras. Lourenço Valente de Figueiredo. Luzilândia e outras que a Cia julgasse conveniente. Teresina. envolvendo do lado piauiense as localidades de Príncipe Imperial (atual Crateús) e Independência e Amarração (atual Luís Correia) pelo lado cearense. Ao todo. A notícia da República chega ao Piauí no dia seguinte à sua proclamação no Rio de Janeiro. Transportava produtos primários para a Europa e trazia produtos industrializados. sendo enviados rapidamente 1160 homens da Guarda Nacional para o palco de guerra. O governo piauiense buscava aumentar seu litoral. sendo que diversos piauienses foram citados por atos de bravura e participaram de todas as batalhas principais do conflito. fundador dos jornais “ O Amigo do Povo” que ao completar 89 números foi rebatizado de “Oitenta e Nove”. Em 1859 é criada a Companhia de Navegação do Rio Parnaíba. Era ferrenho defensor da república e morreu sem ver seu sonho realizado. Luís Correia e Jaicós. o anticlericalismo já possuía certa influência no meio intelectual piauiense. Em Fevereiro de 1865 chega à capital a notícia de que o Brasil se batia em guerra contra o Paraguai desde o último dezembro. formado praticamente inteiro na Faculdade de Direito de Recife. principal defensor do republicanismo no Piauí. Franklin Dória. cearense que morava na Vila de Jaicós. que ficara pronto no mesmo ano e custara 48:000$000. desde aquela época já se cogitava a construção do sonhado Porto de Luís Correia. Essa navegação compreenderia a capital e Parnaíba. que seriam redistribuídos a partir de Teresina. Dentro daquele contexto. publicou ainda “O Ferro em Brasa” em papel vermelho. tornando-a o maior pólo de comércio da região. sendo que já em 1884 não havia mais escravos nesta última localidade. construído sob solicitação do presidente João José de Oliveira Junqueira. que se dirige ao Rio de Janeiro disfarçada de homem com o objetivo de combater no Paraguai. sendo que o episódio do Coronel Cunha Matos ligava diretamente o Piauí às questões militares que retiraram o apoio dos militares ao Império. David Caldas(1836-1878) que ficou conhecido no Piauí como o “Profeta da República” era um dissidente do Partido Liberal. sendo cedido a ela o vapor Uruçuí. o quarto naquele ano.6 km atuais. futuro Barão de Loreto. o Piauí chegou a mandar aproximadamente 4mil homens ao Paraguai. surgiu Jovita Alves Feitosa. por determinação de figuras influentes da política piauiense.Em 1880. houve a permuta de territórios entre o Piauí e o Ceará. de aproximadamente 24 para os 66. Pouco tempo após. além desses. suicidou-se naquela cidade. sepultado do lado de fora dos muros do Cemitério São José. e a campanha abolicionista viu surgir aqui sociedades abolicionistas como a de Barras. O esforço de guerra na província ficou a cargo de seu presidente à época. tocando as localidades de União. nessa mesma noite é formado um governo provisório composto pelos capitães Reginaldo Nemésio de Sá e Nelson Pereira do Nascimento.Os movimentos republicano e abolicionista caminharam juntos no Brasil do século XIX. além dos “voluntários da pátria”. É descoberta e impedida de embarcar.

entre os posseiros(agregados que trabalhavam nas terras e deviam tributos aos sesmeiros) e os sesmeiros(donos oficiais das terras. trazido pelos homens da Casa da Torre. O apoio da Igreja na catequização e no trabalho nos aldeamentos foi indispensável para a vitória dos colonos sobre os silvícolas do Piauí. estando a pecuária para o Piauí assim como o café para São Paulo ou o açúcar para Pernambuco. O último deles é visto por muitos historiadores como o primeiro colonizador do Piauí. tabajaras(2) e pimenteiras(1 tribo). Teria ficado no Piauí pelo espaço de 24/25 anos. Foi o primeiro proprietário de terras na região da barra do Poti. O território piauiense já foi subordinado administrativamente ao Maranhão. timbiras(11).Do início da colonização até os primeiros governos A colonização do Piauí tem raízes comuns com a atividade pecuarista. de onde saiu. Canindé e Parnaíba e ao falecer em 1711. jaicós(4). Ao iniciar-se a colonização do Piauí. Considerando-se uma população média de 2000 indivíduos em cada tribo. que passaram ao controle da coroa e mais tarde com a independência. que por sua vez era subordinado ao Grão Pará. houve em um primeiro momento. o bandeirante paulista Domingos Jorge Velho divide as opiniões a respeito de quem teria sido o primeiro colonizador da terra piauense. Piauí. divididos em 7(sete) nações indígenas que se subdividiam em centenas de tribos foram violentamente combatidos e quase que completamente dizimados na guerra de extermínio. por força de cartas de doação sesmariais). grupo de estradistas baianos interessados em encontrar melhores pastos para o seu gado. Além de Mafrense. acompanhado de índios tabajaras e cupinharões para o cerco ao Quilombo de Palmares. A criação de gado vacum e cavalar abre caminho para uma ocupação efetiva do elemento branco na segunda metade do século XVII. gueguezes(16). Deve-se entender que o povoamento do branco no Piauí é um despovoamento do nativo. somavam-se aproximadamente 316 mil nativos em nosso território. As nações indígenas no Piauí eram os acroás(divididos em 64 tribos). Acredita-se que por volta de 1662/63 tenha chegado à bacia do Poti. Porém. onde esses grupos. judicialmente à Bahia e episcopalmente a Pernambuco. no povoado catinguinha (atual Valença). que . tornaram-se Fazendas Nacionais. tremembés(60). a excessiva violência contra os nativos impulsionou o movimento liderado por Mandu Ladino. Grande parte do gado piauiense era proveniente das margens do São Francisco. Mafrense deixou uma espetacular herança aos jesuítas no Piauí: 29(vinte e nove) fazendas de gado. Os homens da Casa da Torre receberam sesmarias nas regiões dos rios Gurguéia. Domingos Rodrigues de Carvalho e Domingos Afonso Mafrense(também conhecido como Domingos Afonso Sertão). os conflitos entre colonizadores e nativos pela posse de terras e num segundo momento. Seus principais membros eram Francisco Dias D´avila.

já que as juntas de governo eram continuamente renovadas. no Piauí. o que contribuiu para a falta de continuidade das ações governamentais necessárias ao seu desenvolvimento. imortalizado no poema “El Matador” era um preador rude e feroz. Governou até 1768. impedindo qualquer articulação visando resultados a médio e longo prazo. As disputas entre posseiros e sesmeiros pela posse efetiva das terras destinadas às fazendas e sítios do Piauí duraram cerca de um século segundo alguns pesquisadores. que chega à Vila da Mocha no dia 20 de setembro. HOME: REVISTA: Ciência Março/2011 Em busca do passado perdido São Raimundo Nonato é uma das portas de entrada para o Parque Nacional Serra da Capivara. que passa a denominar-se Oeiras e ser a capital da capitania. como a secretaria de governo. ao final os posseiros foram beneficiados com o arbítrio do governador do Grão-Pará. sendo representado por João do Rego Castello Branco. Além disso. fez um recenseamento da população e cumpriu a ordem vinda da metrópole de expulsar os jesuítas do território piauiense. um museu arqueológico a céu aberto onde as pinturas rupestres revelam como viveram os primeiros homens que habitaram a América. Valença. a arqueóloga Niéde Guidon . mas se notabiliza pela elevação de certos povoados à condição de Vila (Parnaíba. sendo substituído por Gonçalo Botelho. que decidiu que as terras deveriam pertencer a quem efetivamente as havia povoado. O Piauí foi governado por uma grande quantidade de juntas governativas durante o período colonial. Aqui. A colonização ia se desenvolvendo contando praticamente com a ação de particulares até que em 1759 se dá a chegada de João Pereira Caldas. Campo Maior. Piauí e Ceará. Cria órgãos fundamentais para a administração. Promoveu um intenso ataque ao gentio. Jerumenha e Parnaguá) além da Mocha. que ficou conhecido como um governador de uma só obra. Marvão. primeiro governador piauiense. principalmente aos pimenteiras.reuniu sob seu comando membros de diversos grupos e que durante alguns anos(17121718) aterrorizavam fazendeiros nos territórios do Maranhão. um serviço mensal de correio que ligava a capital às vilas da capitania.

56 metro de altura. assim como várias das espécies que ali vivem.encontrou vestígios de uma controversa fogueira feita na pré-história. Graças à enérgica guerreira de 1. São Raimundo é o portão de entrada de uma jornada arqueológica singular. a história terá d POR FABÍOLA MUSARA / FOTOS: ANDRÉ PESSOA Se São Raimundo Nonato tivesse de ser rebatizada. nasceu o Parque Nacional Serra da Capivara. situada a 525 quilômetros de Teresina. cavernas e grutas ainda é desconhecida pelos cientistas. Grande parte de seus sítios arqueológicos. a paulista nascida em Jaú é a responsável praticamente por tudo o que acontece na cidade. Se essa data for comprovada. a capital do Piauí. há quase 100 mil anos. . teria de se chamar Niéde Guidon. O Parque Nacional Serra das Confusões (foto) é outra das únicas unidades de conservação do Brasil destinadas à preservação da caatinga. Aos 77 anos. o maior conjunto de arte rupestre da América Latina e Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

O primeiro foi quando um dos mais ferrenhos críticos de seu trabalho. a pesquisadora abalou o meio científico. datada na época em 48. Traduzindo: os vestígios seriam. a era geológica anterior a 10 mil anos. um dos mais bonitos sítios do parque. após ser informado sobre vestígios ainda não comprovados de 33 mil anos no Chile. na realidade. Embora para calcular a idade dos vestígios da fogueira tenha sido empregado o carbono 14. produtos da ação de forças naturais. Afinal. se a sua hipótese fosse confirmada. As datações mais antigas da presença do homem na América do Sul. na verdade. A polêmica ainda não terminou. as evidências arqueológicas descobertas em São Raimundo Nonato como artefatos humanos seriam. são de no máximo 12 mil anos. Para eles. encontrou "restos" do que teria sido uma fogueira feita por um brasileiro da Idade da Pedra. comprovaria que o homem já habitava o continente americano muito antes do fim do Pleistoceno. . o professor Thomas Dillehay. em Paris. da Universidade de Kentucky (EUA). alguns pesquisadores norte-americanos não aceitaram a teoria de Niéde. Nos últimos anos Niéde venceu três rounds dela. a arqueóloga formada pela Universidade de Sorbonne. à qual se segue o atual período. geofatos. Quando divulgou a descoberta em 1988. carvão produzido por queimadas naturais e não por fogueiras feitas pelo homem.Há quase quatro décadas.500 anos. método tido como seguro. aceitas pelo consenso arqueológico. No Boqueirão da Pedra Furada. desembarcou na cidade e começou a procurar na região vestígios da existência do homem préhistórico na América. o Holoceno. iniciado com o fim da última era glacial.

outra revolução entre os cientistas. Só por isso.500 anos foi novamente submetido a testes. Niéde segue tomando conta dos tesouros do Parque Nacional Serra da Capivara: mais de 700 sítios arqueológicos com pinturas rupestres de até 12 mil anos. Já o terceiro aconteceu em 2009. Mas caminhar pelas trilhas do seu interior é como passear em um museu arqueológico a céu aberto. por meio da técnica da termoluminescência. Criado em 1979. A Serra da Capivara tem 214 quilômetros de perímetro repleto de vegetação. que constata a veracidade da datação dos artefatos encontrados pela pesquisadora brasileira. o local já merece ser conhecido. que tem 502 mil hectares. quando o carvão datado de 48. O outro único parque que também preserva a caatinga é o vizinho Parque Nacional Serra das Confusões. O segundo round aconteceu em 1993. São milhares de pinturas rupestres que retratam cenas da vida cotidiana dos homens que habitaram a região na pré-história. palavra indígena que significa floresta branca. estabelecendo-se a sua idade em 100 mil anos . flora e fauna típicas. Tesouro nacional Enquanto os cientistas não chegam a um acordo quanto às evidências arqueológicas que mudam a história da chegada do homem ao continente americano.escreveu um artigo na revista Science admitindo que a datação de mais de 40 mil anos poderia ser verdadeira. o parque hoje é uma das poucas unidades de conservação do Brasil destinada à preservação da caatinga. com a publicação da tese de doutorado do arqueólogo italiano Fábio Parenti. . Esse importante bioma abriga uma rica biodiversidade e corre o risco de extinção.

da qual Niéde é a presidente. como enterravam os mortos e como eram a fauna e a flora da região naquela época. Em 1973. quando a arqueóloga chegou à região. administrado por um convênio entre o poder público e a Fumdham. do japonês e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Mas a conservação do parque. Desafetos e travessuras Em São Raimundo Nonato há outras iniciativas que promovem o desenvolvimento econômico da região. ao vivo e em cores. gerando empregos para parte da população de 35 mil pessoas. idealizado por Niéde e mantido com verbas do governo francês. Conhecer as imensas rochas desenhadas é como ir ao encontro de nossos ancestrais e assistir a uma aula de história. de animais da extinta megafauna.Há cenas de caça. eram comuns as brigas com caçadores de animais silvestres na Serra ou com gente que retirava cal dos sítios pré-históricos. onde moravam. o que faziam. de rituais. já foi muito combatida por coronéis do sertão. entre outras instituições. . sobre como viviam. Parte do material recolhido faz parte do acervo da Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham). de sexo e de dança.

Não foi a primeira vez . ela não teve dúvida: demitiu os homens. para entrar no parque o visitante tem de passar por uma das quatro guaritas que dão acesso ao santuário arqueológico . realizado no anfiteatro da Pedra Furada. Cansada de ver banheiros sujos e de ouvir a mão de obra masculina alegar que limpeza era tarefa de mulher. Em todas as guaritas trabalham apenas mulheres da região. na Pedra Furada. o cartão-postal do parque tem mais de 60 metros de altura. O número de visitantes é limitado.duas em São Raimundo Nonato e outras duas no vizinho município de Coronel José Dias. outra das travessuras de Niéde. O Festival de Cultura Acordais foi realizado na Toca do Boqueirão. nada mais justo que elas fossem contratadas.que a arqueóloga bateu de frente com os costumes do sertão.e certamente não será a última . Os turistas somente podem conhecer o local se estiverem acompanhados por um guia. em novembro.Atualmente. o ingresso é limitado a mil pessoas. . Com abertura de 15 metros de diâmetro. Afinal. Para os grandes eventos. se manter o lugar limpo era coisa de mulher. como o Festival de Cultura Acordais.

depois de tantos anos (leia-se desavenças e desafetos). onde vivem diferentes espécies (muitas delas endêmicas) de répteis. Mesmo quando a pesquisadora manda prender os caçadores ou ameaça de morte quem invade as terras para danificar o patrimônio do parque. São Raimundo Nonato sai ganhando. no povoado de Barreirinho. moringas e dezenas de outros objetos produzidos artesanalmente. aves e mamíferos. A arqueóloga agora já tem uma nova ideia: quer exportar os exóticos cactos que brotam abundantemente na caatinga. Mas já há quem seja contra. A oficina emprega os moradores do entorno do parque e as peças são exportadas para outros Estados e para o Exterior "A Itália é um dos maiores consumidores de nossas peças". A associação aperfeiçoou as técnicas dos artesãos locais e criou a cerâmica com motivos inspirados nos desenhos pré-históricos existentes nas rochas do parque. resultado de um projeto social desenvolvido pela Fumdham em 1992. Perto da reserva. Apelidos e . funciona a Cerâmica Serra da Capivara (www. As pinturas surgem nos vasos. canecas. orgulha-se Girleide Maria Alves de Oliveira. Se tiver alguma dúvida quanto ao desfecho dessa história. como a chamavam quando chegou na região.com). converse com algum ex-caçador regenerado.Quer ver ela virar fera? Atreva-se a colocar em risco o Parque Nacional Serra da Capivara e os sítios arqueológicos. Não chega a ser novidade para "a mulher de Guidon" ou "mulher do 'Ibamba'". Afinal. nas xícaras. além de uma infinidade de plantas. A fauna é tema de inspiração para as peças de cerâmica produzidas na cidade. administradora da indústria. hoje a maioria da população está conscientizada sobre a importância da preservação do parque e sobre o seu tesouro histórico e ecológico. gerando mais empregos e desenvolvimento econômico para a cidade.ceramicacapivara.

Site: www. Ousada.br. Km 0. E-mail: hotelserradacapivara@firme. . Seu restaurante . pegue a PI-236 até Oeiras e siga pela PI-143 em direção a Simplício Mendes. tem estacionamento. Por último.br. bairro de Santa Luzia. (89) 3582-1389.com. Fica na Rodovia Piauí 140. (89) 3582-1495/1691.realhotelsrn. prossiga pela Rodovia BR-020 até São Raimundo Nonato.voegol.desamores à parte. SERVIÇO Como chegar . De lá. internet e piscina. O trajeto a ser percorrido é em torno de 550 quilômetros. Lagoa do Barro e São João do Piauí. De Petrolina .com.oferece refeições no sistema de self-service.hotel@yahoo.o Real Sabor .br. tel. Hotel Real .Siga em direção à cidade pernambucana de Afrânio.a do planeta. centro. Até chegar a São Raimundo Nonato são cerca de 400 quilômetros. frigobar e arcondicionado.br. ou por Petrolina (PE): Gol Linhas Aéreas Inteligentes.com. tels. segue redesenhando a história de São Raimundo Nonato e . site: www.Hotel Serra da Capivara . 704. De Teresina .Siga na direção sul pela Rodovia BR-316 até a cidade de Regeneração. Email: real. Onde ficar . Largo Manoel Agostinho de Castro. Seus 44 apartamentos são equipados com tevê 20 polegadas.se a sua teoria arqueológica for comprovada .com. passando pelas cidades piauienses de Queimada Nova.Fica bem no centro de São Raimundo Nonato.Localizado em um bosque a um quilômetro do centro de São Raimundo Nonato. Niéde Guidon já nem se importa.Via Teresina (PI). Entre à esquerda.

no município de Coronel José Dias. Cada guia pode conduzir um grupo de no máximo dez pessoas. No lugar também são oferecidas refeições caseiras. mochileiros e para quem gosta de estar em contato mais direto com a natureza. o parque abriga galerias de vários andares decoradas com pinturas rupestres. até hoje já foram catalogados 976 sítios. . Guias . Camping Pedra Furada . zona rural. Tel. A taxa pelo passeio é de R$ 75. o passeio no parque. Seus filiados agendam visitas diariamente das 6 horas às 18 horas. a 25 quilômetros de São Raimundo Nonato.Opção econômica ideal para estudantes.As diferentes trilhas e roteiros da Serra da Capivara só podem ser desvendadas ao lado de um guia credenciado pela Fumdham. Nele. basta se informar na recepção dos hotéis da cidade sobre o telefone dos profissionais da Associação dos Condutores de Visitantes da Serra da Capivara (Acovesc). não fica por menos de R$ 130. s/ nº. Abaixo.Com excelente infraestrutura. (89) 3582-2845. Para contratar o serviço de um deles. 654 deles com pinturas rupestres. É importante lembrar que não existem locadoras de veículos em São Raimundo Nonato. O camping fica no povoado Sítio do Mocó. E-mail: luceliaabs@hotmail.com. a Serra das Confusões. sem a taxa do guia e de entrada na reserva (R$ 10). Se desejar alugar um táxi na cidade.

Diariamente. você pode conferir o resultado de quase 40 anos de pesquisas realizadas no Parque Nacional Serra da Capivara. fósseis e outras peças datadas de diferentes períodos históricos descrevem a origem e a evolução dos povos primitivos que ali viveram. todo acervo do museu é autoexplicativo: painéis. ladainhas e também preces silenciosas ao padroeiro. utensílios. tel. a imensidão do cânion sendo tingido pelos raios multicoloridos do pôr do sol.Todos os anos os devotos de São Raimundo Nonato têm um encontro marcado: durante o período de 22 a 31 de agosto comemoram a data dedicada ao santo.Não deixe de ir ao Museu do Homem Americano e ao Centro Cultural Sérgio Motta. Além desse inesquecível espetáculo. Logo no dia 22. Diante do altar. das 9h às 17h. Imperdível também é o Baixão das Andorinhas. ferramentas. Logo em sua entrada. de modo precário e sem horário definido. o cânion com 90 metros de profundidade recebe bandos de andorinhões que se abrigam em suas fendas. É a abertura da festa religiosa.www. Largo Capitão Tomaizinho. fazem novenas. um dos roteiros do parque. a sua dispersão e o povoamento do continente americano. Para saber mais . De terça-feira a domingo. a paisagem que se testemunha lá de cima. O único telefone disponível é o da prefeitura: (89) 3582-1054. artefatos. é simplesmente indescritível. sempre às 19 horas. centro. um gigantesco telão exibe um filme que discorre sobre as origens da espécie humana. No local. que é o padroeiro da cidade.br Festa do padroeiro . por volta das 17 horas.org. (89) 3582-1612. Campestre.fumdham. Ingressos: R$ 8 (inteira) e R$ 4 (estudantes). uma construção de 1876. Fumdham .Imperdível . .Funciona de segunda a sexta-feira. Fica no Centro Cultural Sérgio Motta s/nº. Assim como o filme. os fiéis rumam à Igreja Matriz.Centro de Informações Turísticas da Prefeitura de São Raimundo Nonato .

o pagode! No último dia da festa. a imagem de São Raimundo Nonato é levada pelos devotos. Em seguida.mais recentemente . às 17 horas. percorre as principais ruas da cidade. a música baiana e . gente humilde que tem na fé a sua única arma para lutar contra as condições adversas do clima da caatinga. será dali que o santo ouvirá os pedidos de seus fiéis. . Toda ela regada a muita música.Depois. desde a pescaria e outras brincadeiras comuns em quermesses até o carrossel e a roda-gigante especialmente montados para a festividade. Em romaria. Até o mês de agosto do próximo ano. a procissão retorna à matriz e a imagem é devolvida ao altar. numa tradicional festa nordestina não podem faltar o forró. a Avenida dos Estudantes é palco de uma comemoração profana: dezenas de barraquinhas de comidas típicas e bebidas se espalham ao longo de toda a sua extensão. Ali há diversão garantida para todas as idades. Afinal.