P. 1
Completa de Portugues

Completa de Portugues

|Views: 6.395|Likes:
Publicado porrosana_fuzetti

More info:

Published by: rosana_fuzetti on Jun 15, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/24/2013

pdf

text

original

É a palavra que acompanha ou
substitui o substantivo, indicando sua
posição em relação às pessoas do
discurso ou mesmo situando-o no
espaço e no tempo.

Os pronomes podem ser:

» substantivos: são aqueles
que tomam o lugar do substantivo.

Ela era a mais animada da

festa.

» adjetivos: são aqueles que

acompanham o adjetivo.

Minha bicicleta quebrou

Classificação dos pronomes

O pronome pode ser de seis

espécies:

» Pronome pessoal

» Pronome possessivo

» Pronome demonstrativo

» Pronome relativo

» Pronome indefinido

» Pronome interrogativo

Pronome pessoal

O pronome pessoal é aquele
que indica as pessoas do discurso.
Dividem-se em retos e oblíquos.

Os pronomes pessoais retos

são:

Os

pronomes

pessoais

oblíquos podem ser átonos ou tônicos

São pronomes oblíquos
átonos: me, te, o, a, lhe, se, nos, vos, os,
as, lhes.

São pronomes oblíquos
tônicos: mim, ti, ele, ela, si, nós, vós,
eles, elas.

Os

pronomes

pessoais
oblíquos tônicos são usados com
preposição e os átonos, com formas
verbais:

A mãe ansiosa esperava por

mim.

A mãe esperava-o ansiosa.

Emprego dos pronomes

pessoais

» Os pronomes pessoais retos
funcionam como sujeitos de frases:

Eu vou à loja, talvez ele

esteja lá.”

» Os pronomes pessoais retos
nunca aparecem depois de uma
preposição. Torna-se obrigatório o uso
dos pronomes oblíquos:

Entre mim e ti há uma

distância enorme.

50

» Os pronomes oblíquos
átonos o, a, os, as exercem a função de
objeto direto:

A enfermeira examinou-o.

» Os pronomes oblíquos
átonos lhe, lhes exercem a função de
objeto indireto.

O garçom oferece-lhe bebida.

» Antes de verbo no infinitivo
só usamos eu e tu, jamais mim e ti.

Fizeram de tudo para eu me

emocionar.

Fizeram de tudo para tu

comprares a casa.

Pronomes pessoais de tratamento

Os pronomes de tratamento
são aqueles que indicam um trato cortês
ou informal e sempre concordam com o
verbo na terceira pessoa.

Quando falamos diretamente
com a pessoa, usamos o pronome de
tratamento na forma Vossa.

Vossa

Alteza

precisa

descansar.

Quando falamos sobre a
pessoa, usamos o pronome de
tratamento na forma Sua.

Sua Alteza retornará em

breve.

Pronome possessivo

São aqueles que indicam a
posse de algo, estabelecendo uma
relação entre o possuidor e a coisa
possuída.

Minha casa está sendo

reformada.

Emprego dos pronomes

possessivos

Veja o exemplo:

“Meu carro estragou.”

Temos uma narração em
primeira pessoa, em que o eu
(personagem narrador) é o possuidor, o
amigo (terceira pessoa, de quem se fala)
é a coisa possuída.

» Há momentos em que os
pronomes possessivos não exprimem a
idéia de posse, mas indica respeito,
aproximação, intimidade.

Meu senhor permita-me

ajudá-lo.

Estamos orgulhosos por seus

cinqüenta anos.

Escutávamos emocionados

nosso Caetano Veloso.

» Antes de nomes que indicam
partes do corpo, peças de vestuário e
faculdades de espírito, não usamos o
pronome possessivo.

Quebrei o braço. ( e não –

Quebrei o meu braço.)

Pedro sujou a calça. ( e não –

Pedro sujou a calça dele.)

Perdi os sentidos. ( e não –

Perdi os meus sentidos.)

51

Pronomes demonstrativos

O pronome demonstrativo é
aquele que indica a posição de um ser
em relação às pessoas do discurso,
situando-o no tempo ou no espaço.

São os seguintes:

Os demonstrativos combinam-
se com as preposições de ou em, dando
as formas deste, desse, disso, naquele,
naquela, naquilo.

Emprego dos pronomes

demonstrativos

» Usamos os demonstrativos
esse, essa, isso em referência a coisa ou
seres que estejam perto da segunda
pessoa (o ouvinte).

Esse caderno que está na sua

mesa é meu.

» Também empregamos esse,
essa, isso para mencionar algo já dito no
discurso.

Todos achavam que ele não
havia se arrependido. Achavam isso
porque ele não agia como tal.

» Usamos este, esta, isto em
referência a coisas ou seres que se
encontram perto da primeira pessoa (o
falante).

Sempre que vejo esta carta

lembro-me de você.

» Também empregamos este,
esta, isto no discurso para mencionar
coisas que ainda não foram ditas.

Só posso dizer isto: odeio

você.

» Aquele, aquela, aquilo são
usados quando as coisas ou seres estão
longe do falante e do ouvinte.

Aquela obra não apresenta

boa segurança.

Pronomes relativos

Pronomes relativos são
aqueles que se referem a um termo
anterior.

Veja o exemplo:

O perdão de todos, o qual
agradeço, é importante pra mim.

Os pronomes relativos são

variáveis ou invariáveis:

Pronomes indefinidos

Pronome indefinido é aquele
que se refere à terceira pessoa do

52

discurso de modo impreciso,
indeterminado, genérico:

Alguém bateu à porta.

Todos cumpriram suas

tarefas.

Os pronomes indefinidos
podem ser variáveis e invariáveis.

Algumas

frases

com

pronomes indefinidos:

Todas as pessoas assistiram o

filme.

Durante meia hora não vi
pessoa alguma te procurar.

Escolheu qualquer roupa.

Um gosta de filme, outro de

livros.

Há vários pais o procurando.

Em muitas situações temos
não um pronome indefinido, mas um
grupo de palavras com o valor de um
pronome indefinido. São as locuções
pronominais indefinidas
:

Quem quer que, cada qual,
todo aquele, seja quem for, qualquer
um, tal e qual, etc.

Pronomes interrogativos

São aqueles usados na
formulação de perguntas diretas ou
indiretas, referindo-se à 3° pessoa do
discurso.

Qual é seu nome?

Os principais pronomes

interrogativos são:

» invariáveis: quem, que

» variáveis: qual, quais,
quanto, quantos, quanta, quantas.

Pergunta direta:

A mãe perguntou: quem

fez isso?

Pergunta indireta:

A mãe perguntou quem havia

feito aquilo.

Nos dois casos o pronome
interrogativo quem desempenha o
mesmo papel.

Colocação Pronominal

O pronome pessoal é do caso reto
quando tem função de sujeito na frase.
O pronome pessoal é do caso oblíquo
quando desempenha função de
complemento.

Vamos

entender,
primeiramente, como o pronome
pessoal surge na frase e que função
exerce.

Observe

as

orações:

1. Eu não sei essa matéria, mas ele irá
me ajudar.

2. Maria foi embora para casa, pois
não sabia se devia lhe ajudar.

Na primeira oração os pronomes
pessoais “eu” e “ele” exercem função de
sujeito, logo, são pertencentes ao caso
reto. Já na segunda oração, observamos
o pronome “lhe” exercendo função de
complemento, e conseqüentemente é do
caso oblíquo.

Os pronomes pessoais indicam as
pessoas do discurso, o pronome oblíquo
“lhe” da segunda oração aponta para a
segunda pessoa do singular (tu/você):

Maria não sabia se devia ajudar....
Ajudar quem? Você
(lhe).

Importante: Em observação à segunda
oração o emprego do pronome oblíquo
"lhe" é justificado antes do verbo
intransitivo "ajudar" porque o pronome

53

oblíquo pode estar antes, depois ou
entre locução verbal, caso o verbo
principal (no caso "ajudar ") estiver no
infinitivo ou gerúndio. Exemplo:

Eu desejo lhe perguntar algo.
Eu estou perguntando-
lhe algo.

Os pronomes pessoais oblíquos
podem ser átonos ou tônicos: os
primeiros não são precedidos de
preposição,

diferentemente

dos
segundos que são sempre precedidos de
preposição.

Pronome oblíquo átono: Joana me
perguntou o que estava fazendo.
Pronome oblíquo tônico: Joana
perguntou para mim o que eu estou
fazendo.

De acordo com as autoras Rose
Jordão e Clenir Bellezi, a colocação
pronominal é a posição que os
pronomes pessoais oblíquos átonos
ocupam na frase em relação ao verbo
a que se referem
.

São pronomes oblíquos átonos:
me, te, se, o, os, a, as, lhe, lhes, nos e
vos.

O pronome oblíquo átono pode
assumir três posições na oração em
relação ao verbo:

1. próclise: pronome antes do verbo
2. ênclise: pronome depois do verbo
3. mesóclise: pronome no meio do
verbo

Próclise

A próclise é aplicada antes do verbo
quando temos:

• Palavras com sentido negativo:

Nada me faz querer sair dessa cama.
Ninguém me falou que tinha prova.

• Advérbios:

Nesta casa se fala alemão.
Naquele dia me falaram que a
professora não veio.

• Pronomes relativos:

A aluna que me mostrou a tarefa não
veio hoje.

Não vou deixar de estudar os
conteúdos que me falaram.

• Pronomes indefinidos:

Quem me disse isso?

Todos se comoveram durante o
discurso de despedida.

• Pronomes demonstrativos:

Isso me deixa muito feliz!

Aquilo me constrangeu a mudar de
atitude!

• Preposição seguida de gerúndio:

Em se tratando de qualidade, o Brasil
Escola é o site mais indicado à
pesquisa

escolar.

• Conjunção subordinativa:

Vamos estabelecer critérios, conforme
lhe avisaram.

Ênclise

A ênclise é empregada depois do verbo.
A norma culta não aceita orações
iniciadas com pronomes oblíquos
átonos. A ênclise vai acontecer quando:

• Verbo estiver no imperativo
afirmativo:

Amem-se

uns

aos

outros.
Sigam-
me e não terão derrotas.

• O verbo iniciar a oração:

Diga-lhe que está tudo bem.
Chamaram-
me para ser sócio.

54

• O verbo estiver no infinitivo:

Eu não quis vangloriar-me.
Gostaria de elogiar-
te hoje pelo bom
trabalho.

• O verbo estiver no gerúndio:

Não quis saber o que aconteceu,
fazendo-
se

de

despreocupada.
Despediu-se, beijando-
me a face.

• Houver vírgula ou pausa antes do
verbo:

Se passar no vestibular em outra
cidade, mudo-
me no mesmo instante.
Se não tiver outro jeito, alisto-
me nas
forças armadas.

Mesóclise

A mesóclise acontece quando o verbo
está flexionado no futuro do presente ou
no futuro do pretérito:

A prova realizar-se-á neste domingo
pela manhã.
Far-
lhe-ei uma proposta irrecusável.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->