P. 1
Esquemas Escolas Literarias Brasileiras

Esquemas Escolas Literarias Brasileiras

|Views: 1.068|Likes:
Publicado porsabrinedenardi

More info:

Published by: sabrinedenardi on Jun 25, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/12/2013

pdf

text

original

Literatura – Prof.

Wagner Lemos
ESQUEMA DA LITERATURA DA CONQUISTA
A LITERATURA NO BRASIL: SÉCÚLO: XVI
cartas relatórios documentos mapas, etc.

30

sobre o Brasil, para europeus Literatura informativa (predominante) (a carta de Pero Vaz, por exemplo)

informativa geral Literatura jesuítica Anchieta e seu teatro

mistura de elementos europeus com a realidade O Teatro de Anchieta Indígena, para efeitos de deculturação do nativo

ESQUEMA DO BARROCO
Arte da Contra-Reforma crise do Renascimento destruição da harmonia social aristocrática valorização do teocentrismo

BARROCO
vida, prazeres terrenos gozo mundano, pecado

- corpo Conflito entre o corpo e a alma

- alma

morte, salvação eterna graça

- antítteses - inversões Forma Conturbada - paradoxos - metáforas - ausência de clareza

tradução dos conflitos interiores

Tema: o fluir do tempo

viver a vida ou preparar-se para a morte

Vigência histórica

- início: meados do século XVI - apogeu: século XVII - decadência: século XVIII

BARROCO BRASILEIRO

- início: jesuítas, especificamente Anchieta - apogeu: século XVII na literatura (na arquitetura e escultura ele sê estende por mais dois séculos)

- decadência: 1ª metade do século XVIII - localização: Bahia (literatura), pela predominância da produção açucareira.

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos

31

HISTÓRICO
GREGÓRIO DE MATOS Poesia religiosa o homem ajoelhado diante de Deus

Poesia amorosa (Boca do Inferno)

Ora “graciosa”, ora erótica, ligada à passagem do tempo, à brevidade da vida ironiza todos os aspectos da vida colonial, principalmente os portugueses - combate aos índios - defesa dos índios - sonho com o “Grande Império” - linguagem conceptista

Poesia satírica

PADRE VIEIRA

Os Sermões

ESQUEMA DO ARCADISMO
Arte ligada ao Iluminismo Racionalismo Busca da Simplicidade Imitação dos clássicos Retorno à natureza Bucolismo Pastoralismo Amor galante Ausência de subjetividade Ressurgimento de academias

ARCADISMO (século XVIII)

Recusa do Sistema barroco

ARCADISMO BRASILEIRO

Decorrência da atividade mineradora Relação com a Inconfidência Mineira Instituição em caráter regular e Permanente do conjunto: AUTOR – OBRA - PÚBLICO

AUTORES Os líricos:
CLÁUDIO MANUEL DA COSTA OBRAS PÓETICAS (poemas líricos) VILA RICA (poemeto épico) Poeta de transição entre o Barroco e o Arcadismo, cujo tema principal é o sofrimento

MARÍLIA DE DIRCEU (lírico) TOMÁS ANTONIO GONZAGA CARTAS CHILENAS (crítico)

Poeta tipicamente Árcade, preso aos esquemas bucólicos pastoris e galantes

SILVA ALVARENGA

GLAURA

Celebração da pastora Glaura, ora num tom galante, ora melancólico

Os épicos:
BASÍLIO DA GAMA O URUGUAI A tomada das Missões por tropas lusoespanholas

Sepé Cacambo Lindóia Baleta Padre Balda Gomes Freire de Andrade

SANTA RITA DURÃO

CARAMURU

A glorificação do colonizador branco

Diogo Álvares Correia Paraguaçu Moema

O INDIANISMO DE BASÍLIO DA GAMA E SANTA RITA DURÃO
BASÍLO DA GAMA SANTA RITA DURÃO

Glorificação do homem Natural que enfrenta os

INDIANISMO
Glorificação do índio

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
Representantes da civilização européia que se converte à religião do dominador luso e o auxilia na conquista da terra

32

ESQUEMA DO ROMANTISMO
ASCENÇÃO DA BURGUESIA REVOLUÇÃO FRANCESA IMPLEMENTAÇÃO DEFINITIVA DO CAPITALISMO

• livre concorrência • vitória do capital industrial

• liberalismo jurídico,
filosófico, social política

• democratização da vida

• criação de escolas • alfabetização geral • desenvolvimento da imprensa

NOVO PÚBLICO LEITOR

ROMANTISMO (Arte da burguesia em ascensão)

CARACTERÍSTICAS
• • • Individualismo e subjetivismo Sentimentalismo (paixão, tristeza, angústia, etc.) Culto à natureza

Valorização do passado

Histórico: medievalismo Individual: infância

• •

Sonho, fantasia, imaginação, idealização Escapismo desobediência às regras clássicas mistura de gêneros surgimento do drama afirmação do romance

Liberdade artística

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos

33

ESQUEMA DA POESIA ROMÂNTICA

1 g e r a ç ã o

a

GONÇALVES DE MAGALHÃES

Suspiros poéticos e saudades

Livro que introduz o Romantismo no país, em 1836 Fracassada experiência indianista

A confederação dos tamoios

GONÇALVES DIAS

Primeiros cantos Segundos cantos Últimos cantos

valorização do índio: I – Juca Pirama saudade da pátria: Canção do exílio amor impossível natureza – religiosidade

Sextilhas de frei Antão Os timbiras

Tentativa de poesia como linguagem e estilo arcaicos Epopéia indianista inacabada

ÁVARES DE AZEVÊDO

Noite na taverna

Contos devassos e cínicos, influenciados por Byron

Lira dos vinte anos 2 g e r a ç ã o
a

medo do amor presságio da morte: Se eu morresse amanhã dúvida tédio conflito entre o sonho e a realidade: Idéias íntimas

CASSIMIRO ABREU

DE Primaveras

Inquietações amorosas da adolescência, amor negaceado Saudade da infância – Meus oito anos Saudade da pátria – Canções do exílio

FAGUNDES VARELA

Anchieta ou Evangelho nas ausência de originalidade (epigonismo) sentido panteísta selvas o sofrimento pela morte do filho: Cântico do calvário

JUNQUEIRA FREIRE

Inspirações do claustro

A inadaptação de um jovem na vida Monástica e a presença contínua da morte

3 g e r a ç ã o

a

CASTRO ALVES

Espumas flutuantes

poesia humanitária, condoreira defesa dos escravos: Navio Negreiro Vozes d’ África amor erótico, realizado

Os escravos

A cachoeira de Paulo Afonso

Poema lírico-social, com belas descrições da natureza tropical

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos

34

ESQUEMA DO ROMANCE ROMÂNTICO
JOAQUIM MANOEL DE MACEDO A Moreninha O moço Importância da obra: Despertar no público o gosto pelo romance ambientado no Brasil Características da obra: • Narrativas urbanas • Estrutura de folhetim • Cenários identificáveis pelos leitores • Visão superficial de certos hábitos da classe média carioca JOSÉ DE ALENCAR Romances urbanos: Senhora – Lucíola – Diva – A pata da gazela Romances regionalistas: O gaúcho – O sertanejo – O tronco do Ipê Romances históricos e indianistas: O guarani – Ubrajara – As minas de prata – Iracema Importância da Obra Na concretização de arremetidas pela liberação e autonomia da literatura brasileira, abre caminho para que outros autores possam expressar melhor a nossa realidade. Características da obra: • • • • • Projeto nacionalista: revelar o Brasil horizontalmente (em termos geográficos) e verticalmente (em termos históricos) Estrutura romântica, influenciada por Walter Scott, Chateaubriant e Fenimore Cooper Idealização permanente da realidade e valorização da natureza Estilo que tendo ao “poético” Tentativa de criar uma língua brasileira relato sentimental da ligação entre dois jovens, presos a uma promessa infantil

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
BERNARDO GUIMARÃES O seminarista – O garimpeiro – A escrava Isaura Características da obra: • • • • • FRANKLIN TÁVORA O cabeleira – o matuto – Lourenço Características da obra: • • • • VISCONDE DE TAUNAI Inocência – A retirada da Laguna Características da obra: • • • Precisão de detalhes e da paisagem Estrutura romântica e acessórios realistas Integração na vertente “sertanista” ESQUEMA DO TEATRO ROMÂNTICO Valorização do regional Projeto de uma “literatura do Norte” Oscilacão entre romantismo e realismo Análise justa do cangaço (O cabeleira) Inserida no regionalismo romântico iniciado por Alencar Estrutura de folhetim Valorização do pitoresco Utilização de uma linguagem oral, por vezes Tentativa abolicionista (A escrava Isaura)

35

MARTINS PENA

O juiz de paz na roça O Judas em sábado de aleluia Quem casa quer casa O noviço Os dois ou o inglês maquinista • • • Análise cômica dos costumes rurais e urbanos Inicia verdadeiramente o teatro brasileiro Linguagem coloquial

ESQUEMA DO ROMANCE DE CONSTUMES
MANUEL ANTÔNIO DE ALMEIDA Memórias de um sargento de milícias NARRATIVA DE COSTUMES • os hábitos, a moda, o folclore, a religiosidade das classes populares no início do século XIX desmascaramento moral da sociedade

• DESTRUIÇÃO DO ROMANTISMO • • • • • • •

ironia direta aos cacoetes românticos Crise da idealização: os personagens são quase marginais crítica social personagens caricaturizados acontecimentos que desmentem as aparências das pessoas situações cômicas ausência de tragédia humana

PREDOMÍNIO DO HUMOR SOBRE O DRAMÁTICO (ROMANCE PICARESCO)

PRECUSSOR DO REALISMO • • PERSONAGENS • Leonardo, Leonardo Pataca, Major Vidigal, Compradre, Luisinha, Vidinha, Comadre. objetividade descrença nos valores sociais

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
ESQUEMA DO REAL – NATURALISMO

36

REALISMO

Arte da sociedade burguesa em expansão • Objetivismo e impessoalialidade análise psicológica • racionalismo análise social • • • • verossimilhança (observação e participação) contemporaneidade pessimismo busca da perfeição formal

NATURALISMO

Arte vinculada à II Revolução Industrial e suas nov as teorias “científicas”, tais como o Evolucionismo e o Positivismo. • • • todas as características do Realismo, menos a análise psicológica romance experimental cientificismo (sociológico e biológico) determinismo do meio determinismo da hereditariedade determinismo da raça e dos instintos personagens patológicas nivelamento entre descrição e narração VIGÊNCIA HISTÓRICA DO REAL-NATURALISMO – 2 metade do século XIX
o

• •

O REAL-NATURALISMO NO BRASIL
primeiras dissenções na ideologia dominantes surgimento dos intelectuais “’ilustrados”nas classes médias urbanas o pensamento “cientificista” da escola do Recife, onde despontam Tobias Barreto e Sílvio Romero a crise da oligarquia imperial REALISTA: Memórias póstumas de Brás Cubas (1881) NATURALISTA: O mulato (1881)

• • • • Primeiras Obras

O ROMANCE NATURALISTA
ALUÍSIO AZEVÊDO • • • O mulato Casa de pensão O cortiço (obra máxima do Naturalismo brasileiro) • revelação da miséria urbana • enfoque nas classes marginais • determinismo do meio (tese dominante) • domínio do coletivo sobre o individual • desagregação dos instintos • principais personagens: João Romão, Bertoleza, Miranda, Jerônimo, Rita Baiana, Pombinha.

OUTROS NATURALISTAS ADOLFO CAMINA • A normalista • Bom-crioulo INGLÊS DE SOUZA • O missionário MANUEL DE OLIVEIRA PAIVA • Dona Guidinha do Poço DOMINGOS OLÍMPIO • Luzia-homem

MACHADO DE ASSIS E O ROMANCE REALISTA

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
1 FASE – (tendências românticas) Obras: • Ressurreição • A mão e a luva • Helena • Iaiá Garcia 2 FASE – (tendências realistas) Obras: • Memórias póstumas de Brás Cubas • Quincas Borbas • • • Dom Casmurro Esaú e Jacó Memorial de Aires
o o

37

Características gerais - crença nos valores da época - estrutura de folhetim - esquematismo psicológico.

Características gerais - análise psicológica (os seres vistos em sua complexidade psíquica) - análise dos valores sociais (os valores que a sociedade cria para própria existência) pessimismo (descrença nos indivíduos e na organização social) ironia (o chamado “sense of humor”, inspirado nos ingleses Sterne e Swift) refinamento da linguagem narrativa.

Principais personagens: Brás Cubas, Virgília, Quincas Borba – (Memórias póstumas de Brás Cubas) Betinho, Capitu, José Dias, Escobar – (Dom Casmurro) Quincas Borba, o cão e o filósofo, Rubião, Sofia e Palha – (Quincas Borbas)

O ATHENU Raul Pompéia

IMPRESSIONISMO

Personagens: Sérgio, Aristarco, Ema Corrupção do ambiente Crítica ao sistema de ensino Crítica à sociedade que o internato representa Mundo dominado pelo sexo, dinheiro e ânsia de poder Destruição psicológica e moral do menino Sérgio Presença emotiva do narrador – Narrativa em primeira pessoa – tom caricatural As impressões do passado revividas Inclusão do romance no realismo (por alguns críticos) Inclusão do romance na estética impressionista (por outros críticos) Linguagem trabalhada (“’prosa artística”) Captação imediata, momentânea, e não racionalizada da realidade • Interação direta entre os artistas e o mundo • domínio da impressão sobre a análise • sensorialismo

CRONOLOGIA DO REAL-NATURALISMO

História Ocidental • inicia-se o II Império Francês (Napoleão III) (1852) 1850 a 1860

1860 a 1870

• Guerra Civil nos EUA (1861 – 1865) • Libertação dos servos na Rússia (1861) • Marx inicia a publicação de O Capital (1867) • Alberto o Canal de Suez (1869) • Completa-se a Unificação

História do Brasil Arte Ocidental • Extinção do Tráfico Flores do mal, de Baudelaire, início de uma poesia antiNegreiro (1850) rom6antica (1857) Madame Bovary, de Faubert, começo oficial da estratégia realista (1857) Tristão e Isolda, de Wagner, ápice do Romantismo e Início da música moderna (1859) • Guerra do Paraguai Pais e filhos, de Turgueniev (1862) (1865-1870) A questão Coimbrã inicia o Realismo em Portugal (1865) Guerra e paz, de Tolstoi (18651869) Crime e castigo, de Dostoievski (1866) Tereza Raquin, de Emile Zola

Arte no Brasil Lira dos anos, de Álvares de Azevêdo (1853) Memórias de um sargento de milícias, de Manuel A. de Almeida (1853) O guarani, de José de Alencar (1857) Primaveras, de Cassimiro de Abreu (1859) Espumas flutuantes, de Castro Alves (1870) O Guarani, Ópera de Carlos Gomes baseada em Alencar (1870)

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
Italiana (1870) • Unificação da Alemanha (1870) • Comuna de Paris (1870) • Início do apogeu da II Revolução Industrial 1870 a 1880 (1868)

38

1880 a 1890

• Apogeu da “Bele Époque” • A Europa domina de forma imperialista boa parte do planeta.

• As velhas oligarquias Os Demônios, de Dostoievski imperiais cedem lugar aos (1873) Ana Karênina, de Tolstoi (1875) cafeicultores paulistas O crime do padre Amaro, de Eça de Queiroz (1875) Exposição impressionista (1874) Casa de bonecas, de Ibsen (1879) Os irmãos Karamazov, de Dostoievski (1880) • O Positivismo ganha Germinal, de Zola (1885) adeptos no exército e entre as elites jovens do RS • Prosseguem os fluxos imigratórios para o sul do país • Abolição da Escravatura (1888) • Golpe Republicano (1889)

Ressurreição, de Machado de Assis (1872) Senhora, de José de Alencar (1875)

1 Obra Realista: M. p. de Brás Cubas, de Machado de A Assis (1881) 1 OBRA Naturalista: O mulato, de Aluízio de Azevedo (1881) Casa de pensão, de A. de Azevedo (1884) O Atheneu, de Raul Pompéia (1889) O Cortiço, de Aluísio de Azevedo (1890)

a

ESQUEMA DO PARNASIANISMO
Procura corresponder, em poesia, ao realismo na prosa Surge na França como reação à poesia romântica Características: Objetividade e impessoalidade do poeta Culto à Forma. Entendida como métrica, rima e versificação Utilização de fórmulas poéticas fixas como o soneto “Arte pela arte”: a arte s’’o tem um compromisso com ela mesma tema principal: a mitologia greco-latina

PARNASIANISMO

PARNASIANISMO NO BRASIL

-

literatura descompromissada das elites formação da tríade parnasiana uma das causas da Semana da Arte Moderna

Temas:

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
OLAVO BILAC Obras: Poesias Tarde Principais poemas “In extremis”’ “O caçador de esperalda”’ “Via-Lactea” “’ Profissional de fé” “’ Sarças de fogo” a mitologia e a história greco-romana a natureza o amor sensual a pátria

39

ALBERTO DE OLIVERIA VIEIRA

-

Temas: a natureza objetivos em geral É o poeta mais ligado aos padrões do movimento

RAIMUNDO CORREIA

-

Temas: A melancolia da existência A natureza Principais poemas: “As pombas “Mal secreto”.

LEITURA SUPLEMENTAR BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 1981. SODRÉ, Nelson Werneck. História da literatura brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, v. d.

ESQUEMA DO SIMBOLISMO
SAIMBOLISMO Surgimento: França, 1880 reação Ao descritivismo parnasiano subjetivismo sugestão através de símbolos e metáforas originais sugestões através da musicalidade da linguagem mistério, espiritualismo e misticismo descoberta das camadas profundas da vida psíquica abandono das fórmulas poéticas rígidas e uso de uma nova linguagem domínio do vago, do obscuro, do nebuloso, do inefável.

O SIMBOLISMO NO BRASIL CRUZ E SOUSA • • • • Missal Broqueis Faróis Últimos sonetos - sofrimento da condição humana - morte - esperitualização - religiosidade do conformismo - sublimação - obsessão pela cor branca

ALPHONSUS DE GUIMARÃES • • • Dona mística Kyriale Cämera ardente - morte da noiva - morte - paisagem fantasmagórica das cidades mineiras misticismo religioso

EDUARDO GUIMARÃES A divina Quimera poesia crepuscular, decadentista penumbrismo, vaguidade infância de Dante

PEDRO KILKERY Poesia fragmentária Inovações de linguagens

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
LEITURA SUPLEMENTAR MOISÉS, Massaud. O Simbolismo. São Paulo: Cultrix, 1967. MURICY, Andrade. Introdução ao panorama do movimento simbolista brasileiro. Rio de Janeiro, INL, 1952.

40

ESQUEMA DO PRÉ-MODERNISMO
PRÉ-MODERNISMO (1990-1922) EUCLIDES DA CUNHA • Os sertões - relato sobre a guerra de Canudos - denúncia do esquecimento do sertão brasileiro - dividido em três partes: A terra – O homem - A luta - estilo pomposo, difícil - mistura de sociologia, documento e panfleto GRAÇA ARANHA • Canaã - romance de tese, romance-ensaio - justificativa da imigração - a integração cósmica do indivíduo com a realidade brasileira - linguagem retórica, com acentos impressionistas LIMA BARRETO • Triste fim de Policarpo Quaresma • Recordações do escrivão Isaías Caminha - romances com personagens populares - valorização da vida suburbana - crítica às instituições - caricatura dos poderosos - escritura infanto-juvenil MONTEIRO LOBATO • Urupês • Cidades mortas • Negrinha - temática renovadora: o mundo rural de São Paulo - linguagem conservadora - literatura infanto-juvenil SIMÕES LOPES NETO • Contos gauchescos • Lendas do Sul - Regionalismo no assunto e na linguagem - Descrença relativa nos valores da oligarquia - Predominância total de relatos curtos AUGUSTO DOS ANJOS • Eu - Poesia “cientificista” - O grotesco - A reprodução “popular” da ideologia dominante LEITURA SUPLEMENTAR BARBOSA, Francisco de Assis. A vida de Lima Barreto. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1964. BOSI, Alfredo. Pré-Modernismo. São Paulo: Cultrix, 1966. CHAVES, Flávio Loureiro. Simões Lopes Neto: regionalismo e literatura. 2. ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1982. COUTINHO, Carlos Nelson. “Õ significado de Lima Barreto na Literatura Brasileira”. In: Realismo na Literatura Brasileira. Rio de Janeiro>: Civilização Brasileira, 1974. CSVECENKO, Nicolau. A literatura como missão. São Paulo: Brasiliense, 1983. LINS, Osman. Lima Barreto e o espaço romanesco. São Paulo: Ática, 1976. ZILBERMAN, Regina. A literatura no Rio de Grande do Sul. Porto Alegre: Mercado Alberto, 1980. grupo passadista (parnasianos e simbolistas) versus grupo renovador (artistas dispostos a reexaminar o país de uma perspectiva crítica)

AS REVOLTAS MODERNISTAS

Situação Histórica

- Início do século XX - I Guerra Mundial - Crise de todos os valores europeus

Movimentos de vanguarda: Futurismo – Dadaísmo

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
Características gerais da literatura modernista Anticonvencionalismo dos temas e da linguagem - valorização do cotidiano - liberdade de expressão - ambigüidade - destruição dos nexos - verso livre - enumeração caótica - fluxo de consciência - paródia

41

ESQUEMA DA GERAÇÃO DE 22
FASE DE DESTRUIÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO (22-30) - pesquisa estética adaptação aos valores das vantagens européias.

- destruição da linguagem tradicional - nacionalismo (primitivismo) Pau-Brasil Antropofagia Verde-Amarelo Anta

principalmente pela paródia.

submovimentos

OSWALD DE ANDRADE

o grande agitador das idéias modernistas.

NARRATIVAS – Memórias sentimentais de João Miramar. - Serafim Ponte Grande - panfletos satíricos - paródias à linguagem convencional - desestruturação intencional - fragmentação, elipses, etc. POESIA –Pau-Brasil - vinculação com o primitivismo

MÁRIO DE ANDRADE

o principal líder teórico do Modernismo

FICÇÃO – Macunaíma rapsódia primitivista do “herói sem nenhum caráter” sátira à linguagem usual.
Amar, verbo intransitivo.

romance psicológico sobre a “educação sentimental” de um adolescente, realizada por uma governanta alemã. POESIA- Paulicéia desvairada – Lira paulistana

-

primeira obra com elementos modernizadores inovação estética valorização da realidade de São Paulo Lira paulistana - indagação social

Clã do Jabuti - nacionalismo

RAUL BOPP Cobra Norato – vinculação à Antropofagia poema baseado numa lenda amazônica

(poesia)

___________________________________________ CASSIANO RICARDO - “ O Brasil dos meninos, poetas e Martim Cererê (poesia) heróis” - poesia “ verde-amarela”

PLÍNIO SALGADO

O estrangeiro – romance ideológico de técnicas vanguardistas. Brás, Bexiga e Barra funda (contos)

ANTONIO DE ALCÂNTARA MACHADO realismo irônico e sentimental

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
valorização do imigrante italiano estilo modernista

42

ESQUEMA DA POESIA MODERNA
MANUEL BANDEIRA

Cinza das horas Obras Principais Libertinagem Ritmo dissoluto Carnaval Estrela da manhã

- tom confessional Temas e - valorização do cotidiano

Características - temática do desejo satisfeito - simplicidade expressiva

“Vou-me embora pra Pasárgada” Principais Poemas “Balada das três mulheres do sabonete de Araxá” “Irene” “Poema tirado de uma notícia de jornal”

CECÍLIA MEIRELES Viagem Obras Principais Vaga música Mar absoluto Romanceiro da Inconfidência (valorização do episódio histórico sob uma forma poética popular)

- a solidão e a perda amorosa - a passagem do tempo Temas e características - herança neo-simbolista: uso contínuo de imagens/ símbolos - poesia intimista, subjetiva

MARIO QUINTANA

Sapato florido Obras Principais O aprendiz de feiticeiro Do Caderno H

- a tristeza das coisas - a infância e a morte Temas e - o cotidiano

Características - poemas curtos em prosa - ironia

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
JORGE DE LIMA

43

Obras

- Invenção de Orfeu

Principais - Essa negra Fulo

- a vida nordestina Temas e Características - a cultura negra - a religiosidade

MURILO MENDES

Obras Principais

-Contemplação de Ouro Preto

Temas e Características

- o “brasileirismo” modernistas - a religiosidade metafísica

VINÍCIUS DE MORAES

Obra Principal

Cinco elegias

- o amor místico (1ª fase) Temas e Características - o amor sensual (2ª fase) - o cotidiano - a denúncia social

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE Obras principais:
Algumas poesia

Sentimento do mundo A rosa do povo Claro enigma Lição de coisas
Temas:

-

o passado o amor a solidão a fraternidade a interrogação sobre a existência

Poemas: “Poema das sete faces” “Confidência do itabirano” “No meio do caminho” “ Quadrilha” “José” Visão do mundo:

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

Literatura – Prof. Wagner Lemos
a idéia do “gauche” a idéia da “perda” a corrosão dos valores o humanismo o humor

44

AS REVOLTAS MODERNISTAS
Situação Histórica - Início do século XX - I Guerra Mundial - Crise de todos os valores europeus

Movimentos de vanguarda: Futurismo – Dadaísmo Características gerais da literatura modernista Anticonvencionalismo dos temas e da linguagem - valorização do cotidiano - liberdade de expressão - ambigüidade - destruição dos nexos - verso livre - enumeração caótica - fluxo de consciência - paródia

www.wagnerlemos.com.br
O SEU SITE DE LITERATURA Resumos, Entrevistas Poemas e Muito Mais...

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->