P. 1
Dimensionamento_UASB

Dimensionamento_UASB

|Views: 61|Likes:

More info:

Published by: Diego Paganelli Bailão on Jun 26, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/26/2012

pdf

text

original

Dimensionamento de um reator UASB nas condições do sudeste brasileiro

Muitas Unidades UASB existentes no Brasil Quase não há unidades compartimentadas. Sistema compacto com baixa demanda de área Os compartimentados, por serem, em geral, horizontais, tendem a demandar mais área que o UASB Baixo custo de implantação e de operação

Baixa produção de lodo
Baixo consumo de energia

Satisfatória eficiência de remoção de DBO e DQO
Possibilidade de início rápido, mesmo após longas paralisações, embora a partida de um UASB seja um pouco mais lenta que o compartimentado, por causa de ter uma câmara apenas para a digestão da matérial orgânica Elevada concentração do lodo excedente Boa desidratabilidade do lodo

Ambos possuem algumas desvantagens:
- Possibilidade de maus odores - Baixa capacidade de tolerar cargas tóxicas

- Elevado intervalo de tempo para partida (sem inóculo). Com inóculo, a partida é relativamente rápida
- Necessidade de um pré-tratamento

Partida: inoculação e alimentação em baixa taxa, de modo ascendente para o UASB e ascendente/ descendente para o compartimentado A taxa de alimentação deve ser aumentada, de acordo com a resposta do sistema. Após alguns meses, lodo bem aclimatado, bem concentrado (4 a 10% - 40.000 a 100.000 mgST/L) : Lodo denso, com excelentes características de sedimentação (leito de lodo).

Formação de grânulo (1 a 5 mm) : depende da semeadura, das características das águas residuárias e das condições operacionais do reator.
Acima do leito de lodo, no reator UASB, tem uma zona de crescimento microbiano denominado “manta de lodo”. No compartimentado, por ter velocidades de fluxo maiores e por ter fluxos ascendentes e descendentes, a massa microbiana mais instável pode ser arrastada para fora do sistema

Os sólidos na manta de lodo possuem uma velocidade de sedimentação mais baixa do que os do leito de lodo
Concentração de lodo nessa faixa: entre 1,5 a 3%

Mistura: movimento ascendente do gás e fluxo do Líquido Remoção do substrato ocorre pela passagem pelo leito e pela manta

Sistema trifásico : retenção e retorno do lodo, para o UASB. Para o compartimentado, o gás pode ser captado acima da altura do líquido Câmaras de sedimentação: células leves são excluídas; e as pesadas retornam ao sistema Elevados tempos de residência celular (TRC), muito maiores que os tempos de residência hidráulicos (TRH). Lodos já estabilizados

Critérios de projeto: - Habilidade para desenvolver e manter um lodo de elevada concentração, sedimentação e atividade. Carga orgânica volumétrica (COV) COV = Q . S / V Em geral, o COV de algumas indústrias situa-se na faixa entre 15 Kg DBO / m3 . h . Para esgoto doméstico: 2,5 a 3Kg DQO.m3 . h

TDH = V / Q
CHV = Q / V (m3 / m3 . L) ou CHV = 1 / TDH Carga hidráulica volumétrica Se CHV < 5 m3 / m3 . d, TDH > 4,8 horas - Perda de biomassa (wash-out) - Redução do TRC - Diminuição do grau de estabilidade do sistema Dependendo da temperatura do esgoto, a faixa de TDH a ser adotada vai ter diferentes valores

Carga de lodo (Carga Biológica): quantidade de matéria orgânica aplicada diariamente no reator CB = Q . S / M
CB iniciais: 0,05 – 0,15 kg DQO / kg SVT . D Em regime permanente, a CB pode alcançar valores de até 2 kg DQO / Kg SVT . D

Velocidade superficial de fluxo v = Q / A = Q . H / V = H / TDH v depende do tipo de lodo e da carga aplicada
p/ lodo floculento e CO de 5 a 6 kg DQO/ m3 . D, v = 0,5 a 0,7 m / h Lodo granular, v = 10 m / h Esgoto doméstico, v = 1,0 m / h TDH = 6 a 10 h H=3a6m

Relação entre TDH e v Sistema de distribuição de lodo uniforme nos pontos inferiores (sem curto-circuitos) Um problema : Produção de biogás muito baixa para permitir mistura adequada

Outros problemas: altura pequena do leito de lodo Pequeno número de distribuidores Lodos muito concentrados

Compartimento de distribuição: diminuição de zonas mortas Cada caixa alimenta um tubo de distribuição: - Distribuição homogênea - Visualização de perdas de carga Tubos de distribuição : velocidades descendentes menores de 0,2 m/s (permite eliminar possíveis bolhas de ar, pois: - Altamente prejudicial à metanogênese - Mistura potencialmente explosiva com o biogás) Tubos com 75 mm para esgotos de baixa carga

O diâmetro deve ser grande para evitar entupimento de possíveis sólidos (75 a 100 mm) Redução na parte inferior para aumentar a velocidade e propiciar maior distribuição (40 a 50 mm) com v > 0,4 m / s (evitar deposição de areia)

Número de distribuidores: Nd = A / Ad A = área da seção transversal Ad = Área de influência de cada distribuidor

Separador gases, líquidos e sólidos depende da: - Característica da água residuária - Tipo de lodo - Carga orgânica - Produção de biogás - Dimensões do reator

Taxa de liberação deve ser alta para evitar possível impedimento pela escuma 1 m3 gás / m2 . H < Tgas < 3
Tgas = Q gas / Ai (Ai = área de interface L/G)

Avaliação da produção de biogás : Carga de DQO convertida a metano DQOt = DQOCH4 + DQOx + DQOnc + DQOnc perdida
Nc = DQO não convertida que permanece no lodo DQOremovida = Q (So – S) Plodo = DQOX + DQOret ou Plodo = Yobs . DQOapl DQOapl = carga de DQO aplicada ao sistema por dia Yobs = 0,1 a 0,2 kg SST / kg DQOapl DQOX estabelecida em 1,42kg DQO / kg SST 70% SSV = ST

Yobs = 1,14 kg DQOlodo / kg SST . 0,1 a 0,2 kg SST / kg DQO apl = 0,11 a 0,22 kg DQOlodo / DQOapl DQOCH4 = Q(So – S) – Y . Q . S QCH4 = DQOCH4 / k

k = P . K / R(273 + t)
Teores de metano no biogás = 70 a 80%

Separação do lodo - Instalação de defletores (espaçamento de 10 a 15 cm) - Inclinação superior a 50º - H decantação = 1,5 a 2,0 m - Adotar TAS e TDH dentro dos padrões
Velocidades nas aberturas para o decantador (vazão média = 2,0 – 2,3 m/h; Vazão máxima = 4,0 – 4,2 m/h) TDH no decantador (entre 1 e 2 horas)

Altura do reator : Depende da carga orgânica aplicada e das velocidades superficiais - Decantação entre 1,5 a 2,0m - Digestão entre 2,5 a 3,0 m Sistema de coleta de efluente - Na parte superior, vertedouros triangulares (nivelamento e sistema retentor de Escumas) ou tubos perfurados submersos (manutenção de vazões uniformes, não há turbulência nem liberação de gases e odores), não necessita de retentores de escumas - Manutenção constante para evitar entupimentos e inclinação 1%

Sistemas de gases : Taxas de liberação inferiores a 1,0 m3/m2 .h, dificulta liberação de gases e favorece a formação de camada solidificada de escuma) Gas na atmosfera: mau odor e combustão. Assim: coleta, medida e queima

Sistema de amostragem e descarte de lodo Serie de registros instalados em diferentes alturas - Crescimento e qualidade (quantidade e atividade metanogênica) Estratégias de descarte: - Espaçamento = 50cm - Registro esfera - Diametro do tubo em 100mm

Sistema de descarte: - Lodo em excesso - Descarte de inertes

Produção e tratamento de lodo - Desidratação do lodo em leito de secagem (pequenas produções e altas concentrações)
Elaboração de leitos de secagem: - Massa de lodo a ser descartada (Plodo) - Produtividade do leito (kg SST / m2 . d) - Área do leito (produção de lodo / produtividade Do leito (com 50% de segurança)) - Frequência de descarte e número de leitos

Produção de lodo Y = 0,10 a 0,20 kg SST / kg DQOapl Lodo com elevado grau de estabilização (elevada concentração (3 a 5%) : menores volumes) - Facilidade de desidratação - Uso como fertilizante na agricultura (cuidado com patógenos) Plodo = Y . DQOapl Vlodo = Plodo / d . C (d = densidade; c = concentração) (d = 1020 a 1040 kg / m3)

Necessidade de pré-tratamento (gradeamento, caixa de areia, caixa de gordura, decantador) Eficiência 40 a 75% remoção de DQO Eficiência 40 a 80% remoção de DBO Condições operacionais de cinco reatores EDQO = 100 (1 – 0,68 . THD (-0,35)) EDBO = 100 (1 – 0,78 . THD (-0,50))

Estimativa de DQO e de DBO no efluente final S =So – E . So / 100

Estimativa da concentração de SS no efluente final depende de: - Concentração e característica de sedimentação do lodo - frequência de descarte e da altura do leito - Velocidade de abertura para o digestor - Retentores de escuma no decantador - Eficiência no separador trifásico - Taxas de aplicação e TDH

Experiência de quatro reatores: SS = (250/TDH) +10 Custos de instalação = (US$ 10 a 40) / habitante Custos de manutenção =(US$ 0.50 a 2.00 / hab . Ano)

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->