P. 1
PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA

PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA

|Views: 105|Likes:
Publicado porgkbsantos1313

More info:

Published by: gkbsantos1313 on Jul 10, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/29/2012

pdf

text

original

TREINAMENTO: PREVENÇÃO DAS PNEUMONIAS ASSOCIADAS A VENTILAÇÃO

Serviço de Controle de Infecções Hospitalares

PNEUMONIA ASSOCIADA A VENTILAÇÃO PAV

O QUE É ?
 Infecção

do pulmão causada por bactérias, fungos ou vírus a pacientes em Ventilação Mecânica por mais de 48 horas em intubação endotraqueal;

CRITÉRIOS DE DIAGNÓSTICO PARA PAV

PNEUMONIA ASSOCIADA A VENTILAÇÃO PAV

FATORES QUE CONTRIBUEM PARA A PAV:
 Origem

aspirativa, sendo a principal fonte, as secreções da vias áreas superiores,  Inoculação exógena de material contaminado  Refluxo do trato gastrintestinal;  Microbiota do ambiente;  Condições gerais do paciente.

REVERTENDO ESSA SITUAÇÃO ADOÇÃO DE MEDIDAS GERAIS: .

. (Lavagem das mãos com água e solução degermante )  Fricção anti-séptica (Frição das mãos com álcool gel a 70%). (Lavagem das mãos com água e Sabão)  Higienização anti-séptica.  Anti-sepsia cirúrgica das mãos (Degermação das mãos para procedimentos Invasivos com solução degermante).HIGIENE DAS MÃOS  Higienização simples.

oleosidade. pêlos.  Remoção da microbiota da pele.  Prevenção e redução das infecções causadas pelas transmissões cruzadas. células descamativas. .HIGIENE DAS MÃOS  Objetivos da Higienização das Mãos:  Remoção de sujidade. suor. interrompendo a transmissão de infecções veiculadas ao contato.

 que atuam na manipulação de medicamentos. alimentos  CME  acompanhantes e visitantes .Quem deve Higienizar as Mãos?  Todos os profissionais que trabalham em serviços de saúde:  mantém contato direto ou indireto com os pacientes.

 Esquecimento de algumas etapas. Não observação das superfícies das mãos a serem friccionadas.. Não utilização de sabonete.   .As Dificuldades..

.

.PROFILAXIA ÚLCERA DE ESTRESSE E TVP  APLICAR PROTOCOLO MÉDICO DE PROFILAXIA MEDICAMENTOSA PARA ULCERA DE ESTRESSE E TVP AOS PACIENTES DA UTI (COM INDICAÇÃO).

REVERTENDO ESSA SITUAÇÃO 2ª PARTE ADOÇÃO DE MEDIDAS ESPECÍFICAS: .

MEDIDAS ESPECÍFICAS  DIRETAMENTE LIGADAS À ASSISTÊNCIA PRESTADA. AS ROTINAS E OS CUIDADOS ESPECÍFICOS SERÃO PRIMORDIAIS PARA A PREVENÇÃO DA PNEUMONIA.  .

Nivelar o dorso da cama conforme nível afixado na cabeceira.  . salvo as contra-indicações médicas.MANTER CABECEIRA ELEVADA ENTRE 30 E 45⁰C  Manter cabeceira elevada de TODOS os pacientes que se encontrem em Ventilação Mecânica.

.

ATENÇÃO: Nivelar pela altura da cama e NÃO pela cabeça do paciente ou do colchão! .

.

.

MANTER CABECEIRA ELEVADA ENTRE 30 E 45⁰C  Nivelar Cabeceira conforme gabarito nos horários pré-estabelecidos. 11H  17H  23H  05H   Nivelar Cabeceira após manipulação do paciente. Registrar o nível da cabeceira em PRONTUÁRIO!  .

Avaliar a prontidão neurológica extubação.DESPERTAR DIÁRIO   Avaliação diária da sedação. tais como maior monitorização e vigilância.  OBSERVAÇÃO: para incluir precauções para evitar a extubação acidental. . avaliação diária multidisciplinar e implementação de uma escala a fim de evitar aumento da sedação.

. Esta secreção acumulada torna-se colonizada pela microbiota da cavidade oral.ASPIRAÇÃO SUBGLÓTICA   O acúmulo de secreção no espaço subglótico associa-se ao maior risco de desenvolvimento de pneumonia associada à ventilação mecânica.

 . (Trackcare).ASPIRAÇÃO FECHADA  Aspiração fechada bons resultados. REDUZ O RISCO DE CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL.

HIGIENE ORAL 4X/DIA  Evita a colonização da traquéia microorganismos da cavidade oral. Ficar a tento para alergias. por  Evita a formação de placas bacterianas e tártaro. irritações na gengiva e escurecimento transitório dos dentes • .

12% a 0. (6h/6h):   1x pela Manhã  1x à Tarde  2 x à Noite .2%).HIGIENE ORAL 4X/DIA Proceder com higiene oral com 4x/dia clorexidine veículo oral (0.

do palato e da região auricular.FIXAÇÃO DO TUBO ENDOTRAQUEAL  Troca da fixação diária e sempre que necessário (descolada ou em caso de sujidade)  FIXAÇÃO IDEAL: Centralizada para evitar ulceração da rima. .

.

FIXAÇÃO IDEAL CENTRALIZADA .

Ulceração de palato por uso de TOT .

Ulceração da região posterior Auricular .

MARCAR A ALTURA DO TUBO  Marcar a altura do TOT antes da fixação:  Monitorizar a progressão do tubo.  Evitar intubação seletiva. REGISTRAR NO PRONTUÁRIO DIARIAMENTE A ALTURA DO TUBO! .  Evitar tracionamento do TOT e consequentemente exturbação acidental.

MARCAR A ALTURA DO TUBO: MENSURAR PELA COMISSURA LABIAL .

CONTROLE DA PRESSÃO DO CUFF (BALONETE)  Um dos mais importantes riscos da intubação traqueal prolongada é pneumonia por microaspiração: SE O BALONETE ESTIVER DESINSUFLADO HAVERÁ MICROASPIRAÇÃO DO CONTEÚDO SUBGLÓTICO. .

.CONTROLE DA PRESSÃO DO CUFF (BALONETE)  Um dos mais importantes riscos da intubação traqueal prolongada é a lesão da laringe e da traquéia.  O balonete super-insuflado pode acarretar necrose da mesma ou ainda fístula traqueoesofágica.

.

.

registrar no prontuário.. Após realizar a medição..CONTROLE DA PRESSÃO DO CUFF (BALONETE)  Monitorização diária da pressão do cuff (20 a 25mmH2O) a cada 12h. ATENÇÃO! Não insuflar o balonete sem realizar a medição por deduzir escape. Sempre recorrer a calibração pela FISIOTERAPIA!   .

Desprezar sonda (aberta) A CADA USO. Desprezar sonda fechada a CADA 48H ou se apresentar sujidade visível. .SISTEMA DE ASPIRAÇÃO    Sistema de aspiração: preferir sistema de aspiração fechado. porém na ausência deste desenvolver a aspiração aberta com técnica adequada.

.

VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA  Utilização da VMNI sempre QUE POSSÍVEL .

ATENÇÃO AOS CASOS DE DESMAME:  Caso  o paciente sustente-se fora da VM por mais de 48h.Circuito do Ventilador  Troca do circuito do ventilador somente se apresentar sujidade visível ou entre pacientes. enviar o circuito do ventilador para o CME .

.CUIDADOS NA EXTURBAÇÃO  Antes de exturbação programada: É RECOMENDADA a aspiração subglótica (caso o mesmo não esteja em aspiração contínua ou intermitente).

HORA E ASSINAR.   . CASO O FILTRO APRESENTE SUJIDADE ANTES DO TEMPO DE TROCA (48H) ELE PODERÁ SER DESPRESADO JUSTIFICANDO O PROCEDIMENTO NO PRONTUÁRIO. REGISTRAR EM PRONTUÁRIO A HORA DA TROCA.TROCA DO FILTRO DE BARREIRA  IDENTIFICAR FILTRO COM DATA.

PROTEGER O TUBO T E O FILTRO DE BARREIRA COM EMBALAGENS PROPRIAS DO CME. SACOS PLÁSTICOS NEM DEIXAR FILTRO E CONEXÕES EXPOSTOS!  NÃO .FILTRO DE BARREIRA  OBSERVAÇÃO:  AO INTERROMPER A VENTILAÇÃO MECÂNICA. UTILIZAR LUVAS.

.

NEBULIZADORES  Trocar a cada 48h a cada uso  REANIMADORES (AMBÚ)  Trocar .DISPOSITIVOS DA ASSISTÊNCIA RESPIRATÓRIA  UMIDIFICADORES:  Utilizar água estéril e trocar a cada 24h   MÁSCARA DE VENTURI: Trocar a cada 48h após o Banho.

FIXAÇÃO ADEQUADA DA SONDA COM TROCA DIÁRIA.   .CUIDADOS COM PACIENTES EM USO DE SNE  CABECEIRA ELEVADA.   REGISTRO DO NÍVEL DA SONDA. PAUSA DA DIETA AO MANIPULAR O PACIENTE OU REALIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS INVASIVOS MONITORIZAÇÃO DO RESÍDUO GÁSTRICO E DISTENSÃO ABDOMINAL.

Fazemos todos parte desta corrente pelo cuidado seguro! .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->