Planejamento e Controle de Produção - PCP

PCP – Planejamento e Controle de Produção Tabelas Fases do PCP Projeto de Produção Planejamento da Produção Controle da Produção Plano Mestre Produção Previsão de Vendas Cadastros Movimentação Ordem de Produção Geração das Ordens de Produção Geração Automática pela Projeção de Estoques Aglutinação de Ordens de Produção Sacramentação de Ordem de Produção Cancelamento de Ordem de Produção Encerramento de OP Ajuste de Empenho Carga Máquina Carga Acumulativa Acompanhamento da Produção Movimentação de Materiais Requisições Devolução de Materiais Produção Produção PCP MOD. 1 Produção PCP MOD. 2 Cancelamento das Ordens de Produção Apontamento de Horas Improdutivas Apontamento de Perda Relatórios e Consultas Consultas Relatórios Dicas

Página 1 de 16

mas para tanto requer algumas premissas básicas que são: Funcionabilidade dos módulos de Estoques. ou se a produção será seriada (Projeção de Estoques ou Plano Mestre de Produção). quando deve ser feito e por quem deve ser feito). pois é somente com o sucesso na implantação dos módulos citados anteriormente que o PCP poderá funcionar na sua totalidade. definir os padrões a que a produção vai se submeter.Planejamento e Controle de Produção . O PCP tem como objetivo planejar (o que deve ser feito. identificar as exceções. e controlar (indicar e solucionar os erros ocorridos na produção. Tabelas utilizadas pelo módulo PCP Tabela 02 03 09 62 E1 E2 Descrição Identifica os tipos de materiais Identifica os grupos de produtos Lotes de Contabilidade Unidades de medida Motivos Status da ordem de produção Fases do PCP Projeto de Produção (Definir se a produção será sob encomenda (pedido de venda) . para poder controlar as mudanças e agir para melhorar o processo produtivo). aumentando assim a eficiência e a eficácia do processo produtivo da empresa.PCP PCP – Planejamento e Controle de Produção Conceitos e Definições O Módulo de PCP tem como objetivo um efetivo planejamento e controle da produção de uma empresa. Compras e Faturamento. Planejamento da Produção (Formulação do plano de produção e programação da produção) Controle da Produção (Relatórios e ações corretivas) Aspectos principais Encomenda Lotes Contínua Página 2 de 16 .

juntando informações sobre a tendência do mercado atual e registros das vendas históricas .aquelas ocorridas em períodos semelhantes no passado. enquanto o Plano Mestre de Produção gerará uma Ordens de Produção na data na qual se encontra tal dado. a partir do Plano Mestre de Produção. ou seja antes de se efetivar a Ordem de Produção o sistema irá consultar o Estoque naquele momento e mandará produzir apenas o necessário. Existe o conceito de os centro de custo podem ser definidos como centros de custo produtivos (aqueles em que o produto sofre alguma ação direta da mão de obra). Cadastros Centro de Custo O Centro de Custo pode ser definido como um setor ou departamento de uma empresa. Através da rotina de “MRP”. na quantidade exata expressa no plano. e centros de custo improdutivos (aqueles em que o produto Página 3 de 16 . e sim uma necessidade para a data da previsão. Este tipo de recurso viabiliza o MRP para empresas que tem vendas sazonais e produzem para estoque durante boa parte do ano. É feita pelo órgão comercial e visa conceder à empresa objetivos de vendas a serem alcançados num futuro próximo.PCP Produto Máquinas Mão de Obra Métodos de Trabalho Ritmo de Produção Sucesso do Processo Produtivo Um único produto de cada vez Variedade e pouca padronização Variada e especializada Mutáveis e genéricos Descontinuo e irregular Depende do supervisor Um lote de produtos de cada vez Agrupadas em baterias do mesmo tipo Compensa o desequilíbrio entre departamentos Mutáveis (lote) e rígidos na produção Contínuo no lote Depende do PCP no planejamento Sempre o Mesmo Alto grau de padronização Regularmente utilizada Fixos e rígidos Contínuo e regular Depende do PCP no planejamento Plano Mestre Produção O Plano Mestre de Produção tem por objetivo informar ao sistema quantidades líquidas a serem produzidas de Produtos Acabados e Intermediários. adotando critérios estatísticos na determinação. É um instrumento que ajuda a indústria a definir o total a ser produzido. para exemplo de curso o centro de custo será um setor e terá quatro caracteres em seu código (padrão estabelecido pelo parâmetro MV_MASCCUS do configurador). o sistema gera as Ordens de Produção para os produtos acabados e intermediários e determina as necessidades de matéria-prima e demais componentes daqueles produtos: A diferença básica entre o Plano Mestre de Produção e a Previsão de Vendas. é que esta venda não gera diretamente uma Ordens de Produção. dependendo da maneira em que a empresa desejar trabalhar.Planejamento e Controle de Produção . a partir daí quantificar as necessidades de material. Previsão de Vendas A rotina de previsão de vendas é utilizada por empresas que trabalham com estocagem de produtos (Make to Stock). mão-de-obra e equipamentos. Esta rotina tem como objetivo gerar as Ordens de Produção pelo MRP. A previsão de vendas permite ao PCP programar a quantidade de produto a ser fabricada num determinado espaço de tempo.

ou dos acertos de inventário). e para as empresas prestadoras de serviços e de características comerciais deve-se usar o mesmo procedimento utilizado para as indústrias.automática (apropriação pelo real) Página 4 de 16 . deve-se também lembrar que as mãos de obra utilizadas na fabricação dos produtos acabados e intermediários também devem constar na estrutura dos mesmos. e o centro de custo da expedição (improdutivo). O sistema trabalha com três códigos de uso automáticos: 010 . possibilitando assim que o sistema possa tratar de maneira automática as solicitações de compras e as requisições de materiais. 499 . todas as rotinas do módulo de estoque. Estruturas O cadastro de estruturas tem como finalidade organizar de maneira prática e objetiva à Árvore de componentes dos produtos acabados e intermediários. só que com o objetivo de se controlar a utilização da mão de obra.devolução automática (utilizada quando dos estornos.TM É de extrema importância para o sistema.manual (apropriação pelo real) 1 . ou como uma subdivisão de um centro de custo.requisição automática (utilizada quando dos informes de produção e dos acertos de inventário).PCP não sofre ação direta da mão de obra). • As movimentações de devolução são identificadas pelo prefixo “DE” seguido de uma numeração que define o seu tipo: 0 . controla a eficiência da mão de obra. Produtos O cadastro de produtos é necessário para que o usuário possa trabalhar de forma plena. pois o TES trata da movimentação externa dos produtos e o TM trata das movimentações internas de materiais. O padrão do sistema para o código da movimentação é : códigos menores que 500 . pois é através dos tipos de movimentação que o sistema trabalha com todas as requisições e devoluções automáticas. para as ordens de produção. também é pela estrutura que o sistema calcula o custo standard dos produtos acabados e intermediários. o centro de trabalho tem como finalidade organizar e classificar os setores produtivos de uma empresa. projeta a carga máquina em conjunto com o roteiro de operações e mede a variação entre o custo standard dos produtos e o custo real dos mesmos. códigos maiores que 500 são requisições. deve ser dado a este cadastro a mesma importância dada ao TES . Centros de Trabalho Os Centros de Trabalho podem ser considerados como Células produtivas de uma produção.Planejamento e Controle de Produção . citamos como exemplo o centro de custo da montagem (produtivo). Tipos de Movimentação .produção automática (utilizado para o informe de produção da mão de obra).produções ou devoluções. 999 .

manual de materiais com apropriação pelo standard (almox.PCP 2 .manual de materiais com apropriação pelo standard (almoxarifado -> processo) 4 . se.integração SIGAEIC Advanced • Calendários O calendário é importante para definir os horários de disponibilidade semanal de um Recurso. neste mesmo período. o objetivo principal é a alocação da carga máquina. e não cadastrando-se ferramentas alternativas.F. Ferramentas Este cadastro tem como objetivo possibilitar ao usuário o controle das ferramentas utilizadas nos recursos (máquinas). 6 .transferência 5 .F. para que o sistema saiba de todas as mudanças de calendário previstas para o ano (feriados.manual de materiais (valorizada) As movimentações de requisição são identificadas nos movimentos pelo prefixo "RE" seguido de uma numeração que define seu tipo : 0 . Página 5 de 16 .transferência 5 . respeitando o padrão do sistema que é de quinze em quinze minutos.automática na N. compensações e jornada reduzida). A alocação somente será efetuada em um Recurso.automática de materiais com apropriação pelo standard (processo -> O.P. Ferramenta é um elemento complementar ao Recurso utilizado.manual de materiais (valorizada) 7 . Exceções ao Calendário Se faz necessário o cadastro das exceções ao calendário. durante o processo produtivo. Bloqueio de Ferramentas O bloqueio de ferramentas é utilizado.desmontagens 8 . de entrada direto para O. o usuário deve tomar o cuidado de completar todos os espaços a serem trabalhados com X.P. Diferentemente aos Recursos.) 3 . de entrada direto para O.automática (apropriação pelo real) 2 . houver ferramentas disponíveis. o cadastramento de várias ferramentas iguais se faz mencionando o número de ferramentas disponíveis.P.P.automática de materiais com apropriação pelo standard (processo -> O. o sistema depende dos bloqueios (ferramentas e recursos) para poder alocar corretamente a carga máquina.Planejamento e Controle de Produção . 6 . quando da necessidade prevista de troca de ferramentas.manual (apropriação pelo real) 1 .automática na N. em um determinado período. de um Centro de Custo ou de toda a fábrica. Ou paradas de manutenção de recursos (máquinas).) 3 . -> processo) 4 . Ao marcar os horários de trabalho.

deve-se alterar o parâmetro "MV_GERAOPI". Movimentação Ordem de Produção A Ordem de Produção é um documento que acompanha todas as fases de fabricação do produto.Ordem de Produção Firme . que são: . conjunto de máquina e operador. Tempo de Preparação (Setup).Ordem de Produção Prevista .Planejamento e Controle de Produção . Página 6 de 16 . Na medição da produtividade fica difícil envolver todos os recursos simultaneamente. É no cadastro de recursos.Gera automaticamente as OPs intermediárias (Default). O sistema trata Ordem de Produção para produtos intermediários. A operação é definida pelo Recurso onde é executada. pois é através das operações (ficha de processo). Operações É o elemento do roteiro (da Ficha de Processo) de cada produto. que o usuário implantará todas as fases produtivas dos seus produtos. Geração das Ordens de Produção Neste momento iremos estudar quais possibilidades o sistema nos oferece para gerarmos a nossa necessidade de produção (ordens de produção) e de compras (solicitações de compra). no Módulo do Configurador. Tempo de Operação para um certo Lote. levando em consideração as paradas previstas para manutenção ou troca de equipamentos e turnos de trabalho. para que o sistema possa planejar corretamente a carga máquina.São as Ordens de Produção que geram empenhos e projeção de estoque. . que servirão de controle para produção. Após efetuar o cadastro dos recursos.PCP Recursos Recurso é uma máquina. em um calendário previsto. alternativos e secundários. e por tanto é extremamente importante o cadastramento correto dos recursos existentes em uma empresa. a nível de carga máquina. Melhor é medir cada um isoladamente. F . os recursos (máquinas ou operadores do sistema). Tempo de Sobreposição e Tempo de Desdobramento. desde que sejam informados na estrutura do produto. operador. O SIGAPCP tem um tratamento especial para Ordens de Produção. relacionando todos os componentes e suas etapas de fabricação. visando dar suporte ao cálculo de custo dos produtos produzidos e gerar requisições dos materiais. que o sistema consegue alocar a necessidade de produção. O cadastro de operações é o cadastro mais importante do PCP. Tipo de Operação. que exercem uma determinada tarefa produtiva. pois são apenas para planejamento da Empresa. funciona como um instrumento de controle da produção. mas permitem mudanças. Além disso.Não gera as OPs intermediárias. tomando o cuidado de separar os códigos dos recursos em principais. Bloqueio de Recursos Se faz necessário o bloqueio de recursos. onde: T .São as Ordens de Produção efetivas. o usuário deve incluir os recursos alternativos e secundários para o recurso principal já cadastrado. Para gerar as Ordem de Produção intermediárias automaticamente a partir de uma Ordem de Produção.

para que sejam geradas as ordens de produção e as solicitações de compras o usuário deve teclar Gerar OP/SC. Após a confirmação. • Previsão de vendas : O usuário faz a digitação das previsões de venda para um determinado período. É mais indicado nos casos de produção por Previsão de Venda e Plano Mestre de Produção. se necessário for. quando se está trabalhando com OP por venda e ou Itens em Ponto de Pedido. e então basta confirmar a aglutinação. Após a confirmação o sistema apresenta ainda mais um parâmetro: Projeção de Estoques : Calcular (o sistema fará o calculo das necessidades de produção e de compras) ou Visualizar (o sistema fará apenas a visualização das necessidades de produção e de compras). com relação ao histórico do processo produtivo.Planejamento e Controle de Produção . e levar em consideração os prós e contras de termos uma única OP aglutinando uma série de outras. Teclando F10 (DOS) e F12 (WINDOWS). e o sistema fará uma projeção de estoques para as quantidades pedidas na previsão. para que o sistema gere as ordens de produção e as solicitações de compras. • Geração Automática pela Projeção de Estoques Para que o sistema possa fazer a geração automática das ordens de produção se faz necessário que o usuário faça primeiro uma previsão de vendas. tem de ser analisado caso a caso. o sistema fará a projeção de estoques conforme a necessidade de vendas (previsão de vendas). com a SC original. o sistema trará uma tela com as ordens de produção passíveis de serem aglutinadas. levando em consideração o lote econômico do produto. Após a confirmação do calculo. facilitando assim o seu controle e uso. Em seguida o usuário deve fazer a projeção de estoques e em seguida teclar F10 (DOS) ou F12 (WINDOWS).PCP Manual : O sistema aceitará quaisquer quantidades digitadas na ordem de produção e solicitações de compra. perdendo a referência que algumas fábricas precisam de Ter. levando em consideração o lote econômico do produto. isto deve ser feito com o auxílio do responsável pelo PCP. para configuração dos parâmetros. nos quais é importante a SC e OP origjnal. Quando da geração das ordens de produção o sistema fará o empenho (reserva) dos produtos seguindo as quantidades informadas no cadastro de estruturas de produtos. o usuário pode selecionar as ordens de produção teclando <ENTER> sobre a ordem de produção desejada (serão aglutinadas as ordens de produção que estiverem marcadas com X). • Ponto Pedido : O sistema levará em consideração a quantidade constante no campo ponto pedido do cadastro de produtos (o sistema gera o valor do ponto pedido automaticamente). Quando da aglutinação das Ordens de Produção tem o inconveniente de se perder o elo. • Pedido de Venda : O usuário fará a digitação do pedido de venda (confirmação de uma venda) e então o sistema fará a geração automática das ordens de produção automáticas e das solicitações de compra. Aglutinação de Ordens de Produção A aglutinação das ordens de produção se faz necessária para que o usuário trabalhe com um número menor de ordens de produção. é possível a configuração dos parâmetros necessários do sistema. Página 7 de 16 .

e após esse passo foi executado o encerramento. pois o Siga apenas ajusta os empenhos no SD4. configuram-se com prazos de início e fim de produção imutáveis. O sistema zerou os empenhos e não executou a devolução dos materiais Página 8 de 16 . excluindo as Solicitações de Compra associadas à Ordem de Produção e as requisições empenhadas. que neste caso seria de 100 peças de todos os componentes do produto 1. Em seguida o sistema abre a janela de empenhos (SD4). exemplo produziu-se 95% de uma OP e esta quantidade atendeu as necessidades. o sistema requisitou automaticamente 95 peças do produto 6 e 95 do produto 7. para que produzir o restante da OP ? Então é possível encerrar a OP. é necessário que o responsável pelas requisições faça a devolução do material excedente. Como exemplo foi apontada a produção de 95 peças do produto 2 e o sistema automaticamente requisitou 95 peças do produto 4 e 95 do produto 5. isto é. e durante o processo de Carga Máquina não podem ser realocadas. repetindo a operação para o produto 3.Planejamento e Controle de Produção . zerando-os. É importante ressaltar que quando é feito o encerramento da OP o sistema não devolve automaticamente os produtos já requisitados ( que possivelmente estejam sobrando) para o almoxarifado. fazendo assim a eliminação dos empenhos. Exemplo: Estrutura (SG1) Prod1 (Qbase=1) Prod2 (Qbase=1) Prod4 (Qbase=1) Prod5 (Qbase=1) Prod3 (Qbase=1) Prod6 (Qbase=1) Prod7 (Qbase=1) Foi aberta uma ordem de produção do produto 1 de 100 peças. Em seguida foi feita uma requisição dos produtos 5 e 7 para ordem de produção correspondente. Cancelamento de Ordem de Produção Esta rotina permite cancelar todas as Ordens de Produção em aberto desde que não tenham sido inicializadas. onde faz o empenho relativo as quantidades necessárias a ordem de produção.PCP Sacramentação de Ordem de Produção Esta rotina permite que as Ordens de Produção sejam sacramentadas. Encerramento de OP Quando uma ordem de produção for realizada parcialmente e não vai mais ser necessário a efetivação do término.

Página 9 de 16 . tendo em relação as operações a serem efetuadas em cada produto.P’s : Emite uma relação de todas as ordens de produção não importando em qual situação a ordem de produção se encontre (encerrada. sendo necessário que seja feita a devolução dos materiais pelo usuário do PCP. pois após o encerramento da OP não é possível fazer requisições ou devoluções para uma OP encerrada. Carga Máquina A Carga Máquina é a alocação dos recursos disponíveis das operações dos itens a serem produzidos (CRP – Planejamento das Necessidades de Capacidade). suspensa ou sacramentada). • Movimentação de Materiais É pela movimentação de materiais que o sistema faz a apropriação de custos e dá a baixa dos materiais envolvidos no processo produtivo. qual as previsões de inicio e de término das ordens de produção. onde o usuário poderá visualizar quais as operações que precisam ser realocadas. ou em substituição de um componente por outro antes da produção. exibindo inclusive o custo. Ajuste de Empenho O Empenho consiste em uma reserva que será utilizado no processo de produção. Se torna necessário quando a quantidade de componentes de estrutura for diferente da quantidade a ser utilizada por uma Ordem de Produção. em aberto. : Emite uma relação de todas as movimentações feitas para cada ordem de produção. exibindo a alocação das operações e suas ordens de produção. São eles : Ordem de produção : Emite as ordens de produção desejadas.Planejamento e Controle de Produção . • Recuo e Avanço : Este relatório emite um mapa . quais operações estão envolvidas no processo e em qual centro de custo o produto vai ser trabalhado. é este relatório que constam as necessidades de produção. Acompanhamento da Produção O acompanhamento da produção é feito com relatórios. Carga Acumulativa O objetivo da carga acumulativa é o calculo das horas disponíveis dos centros de trabalho em relação com a capacidade dos mesmos.PCP para o almoxarifado. é neste relatório que são apontados os gargalos (dificuldades) na produção. • Acompanhamento das Operações : Emite um relatório de acompanhamento da produção . • Relação por O. • Relação das O.P.

Ao Página 10 de 16 . Há duas maneiras das requisições serem geradas: Automática : é dada quando do informe de produção (requisição). são requisitados de acordo com a quantidade standard definida na estrutura. Caso o usuário não queira que a conversão do empenho seja feita. As movimentações são feitas em duas opções diferentes no sistema. Pode-se dizer que mesmo os itens diretos. assim. não é possível gerar as requisições automáticas. • a empresa (em função do fluxo de informações) resolve digitar todas as requisições. Note que esta requisição não pode atualizar o empenho. com apropriação pelo real. portanto. não tem estrutura de produtos. uma das opções é utilizada somente para o informe de produção (baixa automática).Planejamento e Controle de Produção . Ocorre que estas podem e devem ter seu consumo ajustado pelas requisições/devoluções adicionais. basta colocar no TM da produção “N” para não atualizar o empenho. na forma de Requisições ou Devoluções. pois prefere digitar TODAS as requisições. portanto. O empenho é feito de acordo com a estrutura de um determinado produto a ser fabricado. Há dois tipos de requisições possíveis: • Requisições normais • Requisições para Ordens de Produção As requisições geradas automaticamente para os itens de apropriação pelo real tem sufixo “1” e as manuais. atualizando assim o saldo disponível do produto. No cadastramento da Ordem de Produção. utilizando. esta movimentação atualiza o empenho e dá a baixa real dos produtos do almoxarifado. feitas manualmente na tela de Movimentos Internos. A opção de Internos como movimentação possui uma segunda possibilidade. Requisições Rotina que gera requisições automáticas com o objetivo de reduzir esta digitação. ou seja. sufixo “0”. digita-se uma requisição adicional. que permite lançar vários itens num único documento. o sistema faz a explosão dos componentes e gera os empenho dos materiais diretos (apropriação pelo real) e indiretos (apropriação pelo standard) utilizados na sua produção. Para os itens de apropriação pelo standard é obrigatório fazer a requisição que leva o material do almoxarifado para o processo. As requisições manuais são efetuadas nos casos em que: • a empresa seja exclusivamente comercial ou só faz controle do material de consumo e. um tipo de movimentação (TM) apropriado. • houve um consumo a mais da quantidade prevista e requisitada pelo sistema. atualizando o empenho Manual : é dada quando da requisição ou devolução manual do produto. Movimentação Manual : É dada quando das requisições ou devoluções manuais de produtos. Para esta opção utilize a variável MV_REQAUT = A. atualizando diretamente o saldo disponível.PCP • Movimentação Automática : É dada quando do informe de produção (Requisições). como "modelo 2". e a outra opção é utilizada para as requisições e devoluções manuais. sendo um item para cada documento criado. Esta rotina é dividida em duas etapas: geração do empenho e conversão do empenho em requisição. Internos : Esta rotina tem a finalidade de lançamento das movimentações internas de materiais. que pode ser bastante volumosa. atualizando diretamente o saldo disponível do produto. Estes procedimentos atualizam os saldos físico e financeiro dos produtos. • • • Produção : Informe de produção (baixa automática de materiais). Desta forma. Esta requisição tem sufixo igual a “3” e não leva nenhum número de Ordem de Produção.

1. calculando o custo online. Apontamento de Horas Improdutivas Nesta transação são informadas as horas improdutivas de cada Operador/ Recurso. seus valores são somados para valorização do produto fabricado. sendo possível a classificação por Motivo. Esta produção é vinculada à Carga Máquina. é utilizada para que o sistema efetue a baixa de materiais. e faça uma seleção das ordens de produção já movimentadas para que o usuário possa selecionar quais ordens de produção serão encerradas. se determinado pelo tipo de movimentação (TM). para que o sistema considere as quantidades de materiais devolvidos nos custos e saldos. sendo vinculada somente ao Roteiro de Operações. É recomendável que as Devoluções de Materiais ao Almoxarifado seja efetuada antes da opção produção. pela opção Produção PCP. *Consultar tópico “Tipos de Movimentação” para verificar a numeração que define o tipo de Devolução. Automaticamente ao ser digitada. procedendo a atualização do saldo atual em estoque. Produção PCP MOD.Planejamento e Controle de Produção . 1 A Produção PCP consiste na atualização do movimento de Produção. Cancelamento das Ordens de Produção Esta rotina é utilizada para que o usuário cancele todas as ordens de produção que não foram movimentadas. 2 A Produção PCP Mod. e a baixa das operações efetuadas. horas. correspondente.PCP ser feita a produção é dada a baixa do processo com uma requisição cujo sufixo é “2” e que é apropriada na O. o consumo médio e os custos (determinado pelo tipo de movimentação). informando as datas. Devolução de Materiais A Devolução de Materiais consiste no retorno do material não utilizado pelo solicitante ao Almoxarifado. gerando registros de movimentos internos. porém é totalmente independente da Carga Máquina. *Consultar tópico “Tipos de Movimentação” para verificar a numeração que define o tipo de Requisição. Esta transação tem como finalidade atualizar as operações alocadas de cada Ordem de Produção. A Requisição de Materiais ao Almoxarifado deve ser efetuada antes da opção produção. a última operação da OP. Produção PCP MOD.P. Na transação de devolução relacionada a uma Ordem de Produção são verificados os custos para valorização do produto fabricado. Caso sejam destinadas às Ordens de Produção. Página 11 de 16 . Na informação de uma requisição é atualizado o saldo atual em estoque. 2 executa a produção da mesma forma que a Produção PCP Mod. quantidades boas produzidas e perdas. Esta informação pode ser manual ou gerada via coletor de dados.. para que o sistema considere as quantidades de materiais devolvidos nos custos e saldos. Produção A rotina de informe de produção. dando neste momento a baixa do empenho. o consumo médio e o custo. o sistema gera um movimento de produção (entrada do Produto Acabado no estoque) e o movimento de requisições automáticas dos materiais utilizados (baixa nos estoques).

Planejamento e Controle de Produção . com um código específico. Página 12 de 16 . por isso para efeito de curso iremos nos ater apenas aos relatórios mais importantes no modo geral. pode haver o caso de algumas empresas necessitarem de alguns relatórios que o sistema não possui. Sub-Lotes: verificação dos sub-lotes criados e atribuídos aos produtos. Relatórios O sistema possui uma quantidade muito grande de relatórios. Lotes: consulta aos lotes de produtos. Estrutura Simples : Exibe uma listagem das estruturas dos produtos. • Rastreabilidade Rastreamento: consulta aos dados de rastreabilidade atribuídos aos produtos. Relatórios e Consultas Dado ao grande número de cadastros e movimentações que o sistema possui seguem abaixo alguns relatórios e consultas. Produto: consulta de dados cadastrais dos produtos e suas movimentações.PCP Apontamento de Perda Esta rotina tem por objetivo fazer o tratamento de produtos que foram perdidos (e/ou danificados ao processo de produção). Acompanhamento da Produção: consulta o andamento da produção. Kardex por dia: consulta produtos no almoxarifado. podemos incluir em um almoxarifado determinado como sucata. dia a dia. que ajudarão bastante ao usuário controlar o suas rotinas de PCP pelo sistema da Microsiga (vale lembrar que. mas que podem ser feitos via gerador de relatórios ou RdMake) Consultas • Cadastro Genéricos: consulta de todos os arquivos relacionados ao módulo e suas rotinas. Histogramas: consulta a utilização dos recursos da empresa. Cadastros Produtos : Exibe uma listagem dos dados cadastrais dos produtos. • Localização Saldo Localização: consulta do saldo dos produtos por localização física onde foram cadastrados. Lote X Localização: consulta os produtos por lote amarrados à localização física. Através desta.

devoluções. quantidade empenhada.PCP Onde é Usado . suas entradas previstas e a sua classificação ABC. Analise de estoques : exibe uma listagem mostrando a situação de cada produto em relação ao seu saldo. listando também os recursos alternativos para as operações. que os Módulos de Estoque/Custos. Fornece uma relação dos materiais (insumos). *Verificar os outros relatórios citados no tópico “Acompanhamento da Produção” Específicos Requisições : Lista um relatório com todas as movimentações ocorridas na empresa em um determinado período (lista todas as requisições. Devido a flexibilidade do sistema. Cadastrar : Página 13 de 16 . produções e estornos). não é necessário que os cadastramentos sejam feitos em ordem sequencial.Planejamento e Controle de Produção . os cadastros podem ser atualizados simultaneamente. há uma sequência de inserção de dados e procedimento das movimentações a ser seguida. No SIGA Advanced. Projeção de Estoques : Emite a listagem da projeção de estoques. Relação de Operações : Exibe uma listagem com todas as operações cadastradas para os produtos. para implantação do Módulo PCP. levando em consideração a sua utilização (qual produto e onde é usado) Relação de recursos : Exibe uma listagem com todos os recursos cadastrados no sistema. Compras e Faturamento já estejam instalados e funcionando. DICAS Roteiro de Implantação É imprescindível.

E. o sistema traz o conteúdo "18". Por default. o sistema traz o conteúdo "EPSON". Página 14 de 16 . (default) Caso contrario não exclui e limpa da AE o numero da Ordem de Produção. • MV_PORT : Número da porta da impressora. o sistema traz o conteúdo "1". • MV_NORM : Caracter ASCII para descompactar a impressora. • MV_DRIVER : Driver padrão da impressora. Por default. Disponível para versões : x.07 (devera ser criado o parâmetro) Parâmetros a serem configurados para impressão de relatório  • MV_COMP : Caracter ASCII para compactação da impressora.Planejamento e Controle de Produção . Por default. Por default.PCP Centro de Custos Unidades de Medida Grupos de Opcionais Produtos Estruturas Grupos de Seletividade Composição Previsão de Vendas Plano Mestre de Produção Centros de Trabalho Calendários Exceções ao Calendário Ferramentas Bloqueio de Ferramentas Recursos Bloqueio de Recursos Operações Ordem de Produção Manual Geração de Ordem de Produção Automática Geração de Solicitação de Compras Automática Cálculo do MRP Carga Máquina Histograma Controle da Produção Carga Máquina Acumulativa Apontamentos Produção PCP Requisições Adicionais (Internas) Transferências -  Exclusão de Ordem de Produção para Autorização de Entrega Criado tratamento para o parâmetro "MV_DELEAE" que tratara a exclusão de autorização de Fornecimento de Entrega (Contrato de Parceria) da seguinte forma quando da exclusão da Ordem de Produção: Se conteúdo igual a "S" -> Exclui a A. o sistema traz o conteúdo "15".

Só roda visualmente em dos.ALTERNATIVOS SECUNDÁRIOS 3o Cadastrar ferramentas 4o Operações: OPERAÇÃO / RECURSOS / FERRAMENTAS.  Configurações para funcionar Carga Máquina OBS:. Por default. TIPO DE SOBREPOSIÇÃO = PERCENTUAL TEMPO DE SOBREPOSIÇÃO = 10% (exemplo) Página 15 de 16 . o sistema traz o conteúdo "36".Planejamento e Controle de Produção .RECURSO SEMPRE DISPONÍVEL. 3 – ILIMITADO . LOTE PADRÃO 1000 P/ HORA TEMPO PADRÃO 1 H TIPO DE OPERAÇÃO 1 – NORMAL – PROPORCIONAL 2 – TEMPO FIXO – Seja qual for o tamanho do lote o tempo é o mesmo. Cadastro de operações (baseado na estrutura de produtos) Estrutura exemplo: PA1 MP1 MP2 PI1 MP3 PI2 MP4 PI3 MP5 1o Cadastrar calendários 2o Cadastrar recursos (máquinas) ex: homens C. na versão windows roda. porém obtem-se o resultado apenas em relatório.CUSTO CALENDÁRIO RECURSOS ALTERNATIVOS .PCP • MV_PRINT : Direciona a saída do relatório para impressora ou disco.

2 TEMPO TEMPO DE DESDOBRAMENTO = PROPORCIONALIDADE ENTRE O RECURSO 01 E 02.PCP TIPO DE DESDOBRAMENTO = 1 QUANTIDADE (usa o recurso alternativo.Planejamento e Controle de Produção . CARGA MÁQUINA = ALOCAR VISUALIZAR OLHAR = MV_RASTRO B1_RASTRO B1_LOCALIZ Página 16 de 16 . para ganhar tempo). CENTRO DE TRABALHO = CADASTRAR CENTRO DE TRABALHO E ALOCAR OS RECURSOS E CENTROS DE TRABALHO.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful