Você está na página 1de 3

Falar do Planeta Terra (para um E.T.

A palavra “Terra” é uma designação polissémica, dado que pode designar um


planeta, assim como a denominação de solo.
Este planeta faz parte da galáxia denominada por Via Láctea, sendo o terceiro
do Sistema Solar, a contar do Sol, sendo o maior dos planetas telúricos desse Sistema
em diâmetro (sendo o seu raio médio 6,371.0 km, o Equatorial de 6,378.1 km e o Polar
de 6356,8 Km – apresentando, assim, um achatamento nos pólos), massa e
densidade (Wikipedia inglesa, entrada “Earth”, 2009).
Formou-se há aproximadamente 4,54 biliões de anos, mas a vida nesta estima-
se que só apareceu há cerca de um bilião de anos. O Planeta Azul possui uma
atmosfera, constituída maioritariamente por 78% de Azoto e 21% de Oxigénio, com
vestígios de árgon, vapor de água, dióxido de carbono e outras moléculas gasosas.
Esta foi sendo alterada devido à biosfera, sobretudo com a fotossíntese que evoluiu há
2,7 biliões de anos, formando a atmosfera primariamente de azoto e oxigénio que
existe actualmente (Wikipedia inglesa, entrada “Earth”, 2009; Wikipedia italiana,
entrada “Terra”, 2009).
Desde esse momento que a Biosfera desta alterou a atmosfera e outras
condições no planeta, que foram propícias à proliferação de organismos aérobios, bem
como a formação da camada de Ozono que, juntamente com o campo magnético da
Terra, bloqueia radiações prejudiciais, permitindo a vida. Esta atmosfera também
transporta vapor de água e outros gases, que causam a extinção de pequenos
meteoros, antes que estes atinjam a superfície do planeta, e a moderação da
temperatura – sendo este ultimo fenómeno conhecido como o efeito estufa, para o
qual o dióxido de carbono, o vapor de água, o metano e o ozono sã indispensáveis,
sem estes, a temperatura média à superfície seria de -18ºC (Wikipedia inglesa,
entrada “Earth”, 2009).
É esperado que este planeta continue a albergar formas de vida por outros 1,5
biliões de anos, após os quais se pensa que a elevação da luminosidade do Sol
elimine a Biosfera (Wikipedia inglesa, entrada “Earth”, 2009).
A superfície está dividida em vários segmentos rígidos, as placas tectónicas,
que se deslocam gradualmente ao longo de milhões de anos (Wikipedia inglesa,
entrada “Earth”, 2009).
Sensivelmente 71% da superfície desta é coberta por oceanos de água
salgada, sendo que o restante consiste em continentes e ilhas, para além de calotes
polares e cursos de água doce (mares interiores, lagos, rios e águas subterrâneas, até
à profundidade de 2000 metros), na superfície continental e das ilhas. A água doce,
necessária para as formas de vida, pensa-se ser exclusiva a este planeta. É devido à
cor azul que se verifica, do espaço, devido aos oceanos, que se pode denominar à
Terra de “Planeta Azul”. A zona submarina mais profunda é a Fossa das Marianas, no
Oceano Pacífico, com uma profundidade de 10911,4 metros, sendo que a média de
profundidade dos oceanos é de 3800 metros, sensivelmente mais do que quatro vezes
a média da altitude dos continentes (Wikipedia inglesa, entrada “Earth”, 2009).
Aproximadamente 97,5% da água existente no planeta é salgada e, dos
restantes 2,5% de água doce (água não salgada), 68,7% está sob a forma de gelo,
actualmente (Wikipedia inglesa, entrada “Earth”, 2009).
O interior da Terra também se mantém activo, possuindo, abaixo de uma
camada de um manto relativamente sólido, um núcleo externo que gera um campo
magnético, e um núcleo interno constituído por ferro (Wikipedia inglesa, entrada
“Earth”, 2009; Wikipedia italiana, entrada “Terra”, 2009).
Pode-se dividir as camadas interiores da Terra (camadas geológicas) de
acordo com duas características: as físicas e as químicas. Com a primeira, divide-se
em Litosfera (que compreende a crosta terrestre à parte superficial do manto superior,
sensivelmente até aos 60 Km de profundidade), Astenosfera (com profundidade entre
60 a 400 km da superfície terrestre, é composta por rochas fundidas dentro de uma
estrutura predominantemente sólida), Mesosfera (dos 400 km aos 2900 km de
profundidade) e os núcleos interno e externo (respectivamente, dos 2900 aos 5100, e
dos 5100 aos, sensivelmente, 6375 km de profundidade. De acordo com as
propriedades químicas, as camadas dividem-se em: Crosta (dos 0 aos 35 Km), Manto
(dos 35 aos 2900), Núcleo Externo (2900 a 5100 km de profundidade) e Núcleo
Interno (dos 5100 aos 6375 km) (Wikipedia inglesa, entrada “Earth”, 2009; Wikipedia
italiana, entrada “Terra”, 2009).
Este planeta possui um satélite natural – a Lua –, e interage com esta, para
além de outros objectos do espaço, como o Sol. Actualmente, a Terra efectua um
movimento de translacção envolta do Sol a cada, sensivelmente, 366,26 movimentos
de rotação em torno do seu próprio eixo. Este eixo encontra-se 23,4º desviado da
perpendicular do plano de órbita, produzindo estações do não (Wikipedia inglesa,
entrada “Earth”, 2009; Wikipedia italiana, entrada “Terra”, 2009).
Existem seres humanos distribuídos por quase todos os continentes
(exceptuando a Antártida) que estabelecem determinadas relações, sendo capazes de
trocar informações por todo o globo terrestre.
Sitiografia

Wikipedia Inglesa, entrada “Earth” – http://en.wikipedia.org/wiki/Earth


Wikipedia Italiana, entrada “Terra” – http://it.wikipedia.org/wiki/Terra