Você está na página 1de 30

Os Axiomas de Euclides

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:Os Axiomas de Euclides MA620 - Aula 19 – p. 1/6

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:
Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:
Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os Axiomas de Euclides

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Axioma I: Pode-se traçar uma única reta ligando quaisquer dois pontos.

por Euclides nos Elementos são os seguintes: Axioma I : Pode-se traçar uma única reta ligando
por Euclides nos Elementos são os seguintes: Axioma I : Pode-se traçar uma única reta ligando

Os Axiomas de Euclides

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Axioma I: Pode-se traçar uma única reta ligando quaisquer dois pontos. Axioma II: Pode-se continuar (de uma maneira única) qualquer reta finita continuamente em uma reta.

dois pontos. Axioma II : Pode-se continuar (de uma maneira única) qualquer reta finita continuamente em
dois pontos. Axioma II : Pode-se continuar (de uma maneira única) qualquer reta finita continuamente em

Os Axiomas de Euclides

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Axioma I: Pode-se traçar uma única reta ligando quaisquer dois pontos. Axioma II: Pode-se continuar (de uma maneira única) qualquer reta finita continuamente em uma reta. Axioma III: Pode-se traçar um círculo com qualquer centro e com qualquer raio.

reta finita continuamente em uma reta. Axioma III : Pode-se traçar um círculo com qualquer centro
reta finita continuamente em uma reta. Axioma III : Pode-se traçar um círculo com qualquer centro

Os Axiomas de Euclides

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Axioma I: Pode-se traçar uma única reta ligando quaisquer dois pontos. Axioma II: Pode-se continuar (de uma maneira única) qualquer reta finita continuamente em uma reta. Axioma III: Pode-se traçar um círculo com qualquer centro e com qualquer raio. Axioma IV: Todos os ângulos retos são iguais.

: Pode-se traçar um círculo com qualquer centro e com qualquer raio. Axioma IV : Todos
: Pode-se traçar um círculo com qualquer centro e com qualquer raio. Axioma IV : Todos

Os Axiomas de Euclides

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Os cinco postulados utilizados por Euclides nos Elementos são os seguintes:

Axioma I: Pode-se traçar uma única reta ligando quaisquer dois pontos. Axioma II: Pode-se continuar (de uma maneira única) qualquer reta finita continuamente em uma reta.

Axioma III: Pode-se traçar um círculo com qualquer centro

e

com qualquer raio.

Axioma IV: Todos os ângulos retos são iguais. Axioma V: Se uma reta, ao cortar outras duas, forma ângulos internos, no mesmo lado, cuja soma é menor do que dois ângulos retos, então estas duas retas encontrar-se-ão no lado onde estão os ângulos cuja soma

é menor do que dois ângulos retos.

é

menor do que dois ângulos retos.

é menor do que dois ângulos retos.

Equivalentes do 5 o postulado

Equivalentes do 5 o postulado (Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar

(Playfair): Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta dada.

: Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta

Equivalentes do 5 o postulado

(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela

(Playfair): Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta dada.

(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a

A soma dos ângulos internos de um triângulo é sempe igual a dois ângulos retos.(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a

uma única reta paralela a reta dada. A soma dos ângulos internos de um triângulo é
uma única reta paralela a reta dada. A soma dos ângulos internos de um triângulo é

Equivalentes do 5 o postulado

(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela

(Playfair): Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta dada.

(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a

A soma dos ângulos internos de um triângulo é sempe igual a dois ângulos retos.reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta dada. Dados quaisquer três pontos não colineares,

Dados quaisquer três pontos não colineares, existe um círculo passando por eles.uma única reta paralela a reta dada. A soma dos ângulos internos de um triângulo é

é sempe igual a dois ângulos retos. Dados quaisquer três pontos não colineares, existe um círculo
é sempe igual a dois ângulos retos. Dados quaisquer três pontos não colineares, existe um círculo

Equivalentes do 5 o postulado

(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela

(Playfair): Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta dada.

(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a

A soma dos ângulos internos de um triângulo é sempe igual a dois ângulos retos.reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta dada. Dados quaisquer três pontos não colineares,

Dados quaisquer três pontos não colineares, existe um círculo passando por eles.de um triângulo é sempe igual a dois ângulos retos. (Pitágoras) : Em qualquer triângulo retângulo,

(Pitágoras): Em qualquer triângulo retângulo, o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados : Em qualquer triângulo retângulo, o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos catetos.

(Pitágoras) : Em qualquer triângulo retângulo, o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados
(Pitágoras) : Em qualquer triângulo retângulo, o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados

Equivalentes do 5 o postulado

(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela

(Playfair): Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta dada.

(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a

A soma dos ângulos internos de um triângulo é sempe igual a dois ângulos retos.reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta dada. Dados quaisquer três pontos não colineares,

Dados quaisquer três pontos não colineares, existe um círculo passando por eles.de um triângulo é sempe igual a dois ângulos retos. (Pitágoras) : Em qualquer triângulo retângulo,

(Pitágoras): Em qualquer triângulo retângulo, o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados : Em qualquer triângulo retângulo, o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos catetos.

Todo ângulo inscrito em um semicírculo é reto.(Pitágoras) : Em qualquer triângulo retângulo, o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados

o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos catetos. Todo ângulo inscrito em
o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos catetos. Todo ângulo inscrito em

Equivalentes do 5 o postulado

(Playfair): Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a reta dada.

(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a
(Playfair) : Por um ponto fora de uma reta pode-se traçar uma única reta paralela a
A soma dos ângulos internos de um triângulo é sempe igual a dois ângulos retos.

A soma dos ângulos internos de um triângulo é sempe igual a dois ângulos retos.

Dados quaisquer três pontos não colineares, existe um círculo passando por eles.

Dados quaisquer três pontos não colineares, existe um círculo passando por eles.

(Pitágoras) : Em qualquer triângulo retângulo, o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos

(Pitágoras): Em qualquer triângulo retângulo, o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos catetos.

Todo ângulo inscrito em um semicírculo é reto.

Todo ângulo inscrito em um semicírculo é reto.

Quaisquer duas retas paralelas possuem uma perpendicular em comum. o quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos catetos. Todo ângulo inscrito em

Quaisquer duas retas paralelas possuem uma perpendicular em comum.
Quaisquer duas retas paralelas possuem uma perpendicular em comum.

Axiomas de incidência

Os axiomas de incidência da geometria euclideana são os seguintes:Axiomas de incidência MA620 - Aula 19 – p. 3/6

Os axiomas de incidência da geometria euclideana são os seguintes:
Os axiomas de incidência da geometria euclideana são os seguintes:
Os axiomas de incidência da geometria euclideana são os seguintes:

Axiomas de incidência

Os axiomas de incidência da geometria euclideana são os seguintes:Axiomas de incidência Axioma I : Dois pontos distintos determinam uma única reta. MA620 - Aula

de incidência da geometria euclideana são os seguintes: Axioma I : Dois pontos distintos determinam uma

Axioma I: Dois pontos distintos determinam uma única reta.

euclideana são os seguintes: Axioma I : Dois pontos distintos determinam uma única reta. MA620 -

Axiomas de incidência

Os axiomas de incidência da geometria euclideana são os seguintes:Axiomas de incidência Axioma I : Dois pontos distintos determinam uma única reta. Axioma II :

de incidência da geometria euclideana são os seguintes: Axioma I : Dois pontos distintos determinam uma

Axioma I: Dois pontos distintos determinam uma única reta.

Axioma II: Toda reta possui pelo menos dois pontos.

distintos determinam uma única reta. Axioma II : Toda reta possui pelo menos dois pontos. MA620

Axiomas de incidência

Os axiomas de incidência da geometria euclideana são os seguintes:Axiomas de incidência Axioma I : Dois pontos distintos determinam uma única reta. Axioma II :

de incidência da geometria euclideana são os seguintes: Axioma I : Dois pontos distintos determinam uma

Axioma I: Dois pontos distintos determinam uma única reta.

Axioma II: Toda reta possui pelo menos dois pontos.

Axioma III: Existem três pontos que não pertencem a mesma reta.

pelo menos dois pontos. Axioma III : Existem três pontos que não pertencem a mesma reta.

Axiomas de incidência

Os axiomas de incidência da geometria euclideana são os seguintes:Axiomas de incidência Axioma I : Dois pontos distintos determinam uma única reta. Axioma II :

de incidência da geometria euclideana são os seguintes: Axioma I : Dois pontos distintos determinam uma

Axioma I: Dois pontos distintos determinam uma única reta.

Axioma II: Toda reta possui pelo menos dois pontos.

Axioma III: Existem três pontos que não pertencem a mesma reta.

Axioma IV: (Playfair) Dado um ponto A não incidente a uma reta r, existe no máximo uma reta s que é incidente a A e não intersecta r.

Definição: Duas retas são ditas paralelas se a sua interseção for vazia.Definição

r . Definição : Duas retas são ditas paralelas se a sua interseção for vazia. MA620

Geometrias não-euclideanas

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:Geometrias não-euclideanas MA620 - Aula 19 – p. 4/6

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:
A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:
A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

Geometrias não-euclideanas

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

Não existem retas paralelas!

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades: Não existem retas paralelas!
A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades: Não existem retas paralelas!

Geometrias não-euclideanas

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

Não existem retas paralelas!

=

Geometria Projetiva, Geometria Elíptica.

Axioma IV. Existem duas possibilidades: Não existem retas paralelas! = ⇒ Geometria Projetiva, Geometria Elíptica.
Axioma IV. Existem duas possibilidades: Não existem retas paralelas! = ⇒ Geometria Projetiva, Geometria Elíptica.

Geometrias não-euclideanas

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

Não existem retas paralelas!

=

Geometria Projetiva, Geometria Elíptica.

Dado um ponto A não incidente a uma reta r, existem pelo menos duas retas incidentes a aA e paralelas a r!

 
um ponto A não incidente a uma reta r , existem pelo menos duas retas incidentes
um ponto A não incidente a uma reta r , existem pelo menos duas retas incidentes

Geometrias não-euclideanas

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

A geometria não-euclideana surge pela negação do Axioma IV. Existem duas possibilidades:

Não existem retas paralelas!

=

Geometria Projetiva, Geometria Elíptica.

Dado um ponto A não incidente a uma reta r, existem pelo menos duas retas incidentes a aA e paralelas a r!

 

=

Geometria Hiperbólica!

reta r , existem pelo menos duas retas incidentes a a A e paralelas a r
reta r , existem pelo menos duas retas incidentes a a A e paralelas a r

História geometria hiperbólica

G. Saccheri (1733)
G. Saccheri (1733)

G. Saccheri (1733)

G. Saccheri (1733)
G. Saccheri (1733)
G. Saccheri (1733)

História geometria hiperbólica

Saccheri (1733) G.

Saccheri (1733)G.

G.

Saccheri (1733) G.

F. Gauss (1777-1855)K.

K.

Saccheri (1733) G. F. Gauss (1777-1855) K.
Saccheri (1733) G. F. Gauss (1777-1855) K.

História geometria hiperbólica

Saccheri (1733) G.

Saccheri (1733)G.

G.

Saccheri (1733) G.

F. Gauss (1777-1855)K.

K.

J. Bolyai (1832)Saccheri (1733) G. F. Gauss (1777-1855) K.

Saccheri (1733) G. F. Gauss (1777-1855) K. J. Bolyai (1832)
Saccheri (1733) G. F. Gauss (1777-1855) K. J. Bolyai (1832)

História geometria hiperbólica

G. Saccheri (1733)
G. Saccheri (1733)

G.

Saccheri (1733)

G. Saccheri (1733)
K. F. Gauss (1777-1855)

K.

F. Gauss (1777-1855)

J. Bolyai (1832)  

J. Bolyai (1832)

 
N. I. Lobatchevsky (1829)

N.

I. Lobatchevsky (1829)

G. Saccheri (1733) K. F. Gauss (1777-1855) J. Bolyai (1832)   N. I. Lobatchevsky (1829)
G. Saccheri (1733) K. F. Gauss (1777-1855) J. Bolyai (1832)   N. I. Lobatchevsky (1829)

História geometria hiperbólica

G. Saccheri (1733)
G. Saccheri (1733)

G.

Saccheri (1733)

G. Saccheri (1733)
K. F. Gauss (1777-1855)

K.

F. Gauss (1777-1855)

J. Bolyai (1832)  

J. Bolyai (1832)

 
N. I. Lobatchevsky (1829)

N.

I. Lobatchevsky (1829)

E. Beltrami (1868)  

E. Beltrami (1868)

 
(1733) K. F. Gauss (1777-1855) J. Bolyai (1832)   N. I. Lobatchevsky (1829) E. Beltrami (1868)
(1733) K. F. Gauss (1777-1855) J. Bolyai (1832)   N. I. Lobatchevsky (1829) E. Beltrami (1868)

História geometria hiperbólica

Saccheri (1733) G.

Saccheri (1733)G.

G.

Saccheri (1733) G.

F. Gauss (1777-1855)K.

K.

J. Bolyai (1832)Saccheri (1733) G. F. Gauss (1777-1855) K. I. Lobatchevsky (1829) N. Beltrami (1868) E. Riemann (1854)

I. Lobatchevsky (1829)N.

N.

Beltrami (1868)E.

E.

Riemann (1854)B.

B.

G. F. Gauss (1777-1855) K. J. Bolyai (1832) I. Lobatchevsky (1829) N. Beltrami (1868) E. Riemann
G. F. Gauss (1777-1855) K. J. Bolyai (1832) I. Lobatchevsky (1829) N. Beltrami (1868) E. Riemann

História geometria hiperbólica

Saccheri (1733) G.

Saccheri (1733)G.

G.

Saccheri (1733) G.

F. Gauss (1777-1855)K.

K.

J. Bolyai (1832)Saccheri (1733) G. F. Gauss (1777-1855) K. I. Lobatchevsky (1829) N. Beltrami (1868) E. Riemann (1854)

I. Lobatchevsky (1829)N.

N.

Beltrami (1868)E.

E.

Riemann (1854)B.

B.

Einstein (1915)A.

A.

K. J. Bolyai (1832) I. Lobatchevsky (1829) N. Beltrami (1868) E. Riemann (1854) B. Einstein (1915)
K. J. Bolyai (1832) I. Lobatchevsky (1829) N. Beltrami (1868) E. Riemann (1854) B. Einstein (1915)

Modelos

Modelo de Klein

Modelo de KleinModelo de Poincaré no disco Modelo de Poincaré no semi-plano Modelo de Lorentz (hiperbolóide)

Modelo de Klein

Modelo de Poincaré no discoModelo de Klein Modelo de Poincaré no semi-plano Modelo de Lorentz (hiperbolóide)

Modelo de Poincaré no semi-planoModelo de Klein Modelo de Poincaré no disco Modelo de Lorentz (hiperbolóide)

Modelo de Lorentz (hiperbolóide)Modelo de Klein Modelo de Poincaré no disco Modelo de Poincaré no semi-plano

Modelo de Klein Modelo de Poincaré no disco Modelo de Poincaré no semi-plano Modelo de Lorentz
Modelo de Klein Modelo de Poincaré no disco Modelo de Poincaré no semi-plano Modelo de Lorentz