CONTRIBUIÇÃO DA PSICOLOGIA PARA A PRÁTICA EDUCATIVA

Maria Alice Guedes Porto1 Rogério de Almeida Neves2 Regina Alonso Gonzalez Pimenta3

RESUMO
O objetivo deste trabalho é analisar a contribuição da Psicologia para a prática educativa, à luz das teorias desenvolvidas por Vygotsky e Piaget. O estudo aborda as convergências e as divergências entre a teoria sócio-interacionista de Vygotsky, fortemente influenciada pelo materialismo histórico-dialético de Marx e Engels, e a teoria construtivista de Piaget, influenciada por sua formação como biólogo, bem como pela filosofia, que associa sujeito e conhecimento. A presente pesquisa demonstra, através do referencial teórico, a importância da Psicologia para a compreensão da ciência social, de modo a permitir uma análise crítica por parte do leitor, acerca da prática educativa na atualidade, favorecendo a interação entre educador e educando, na relação ensino-aprendizagem. A opção metodológica foi a pesquisa bibliográfica, de natureza exploratória em que se buscou evidenciar conceitos e idéias, por meio das diversas publicações científicas: livros, periódicos, artigos científicos, e outros. Constata-se que, embora as teorias de Vygotsky e Piaget tivessem sido elaboradas em determinada época e contexto histórico, estão relacionadas entre si, e são consideradas atuais, por facilitarem o processo ensino-aprendizagem. Apesar da Psicologia não ter sido criada com o intuito de responder às questões formuladas no terreno da educação, compreende-se, que foi nesse campo que esta, mais efetivamente encontrou as bases para seu desenvolvimento e, ao mesmo tempo, que foi na Psicologia que mais o campo da Educação fundamentou suas teorias e práticas. A Psicologia, enfim, constitui-se em uma ciência que tem o poder de transformar o processo de ensino-aprendizagem. Palavras Chave: Psicologia. Educação. Vygotsky. Piaget.

1

Mestre em Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social (Fundação Visconde de Cairu FVC/CEPPEV); Especialista em Docência do Ensino Superior (Associação Baiana de Cursos – ABEC); Especialista em Contabilidade (Universidade Federal da Bahia - UFBA); Bacharel em Ciências Contábeis e Ciências Econômicas (UFBA); Coordenadora do Curso de Ciências Contábeis e Docente da Faculdade São Tomaz de Aquino; Docente da FTCEAD; Docente da Unime. 2 Especialista em Docência do Ensino Superior (Associação Baiana de Cursos – ABEC); Especialista em Direito Constitucional (JusPODIVM); Especialista em Direito Administrativo (JusPODIVM; Bacharel em Direito (Universidade Federal da Bahia - UFBA; Servidor da Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Agente de Tributos Estaduais) - Corregedoria. 3 Mestre em Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social da Fundação Visconde de Cairu (FVC) – 2005. Especialista em Administração de Recursos Humanos – FVC/CEPPEV; Especialista em Gestão da Qualidade – UFBA/CETEAD; Graduada em Psicologia – UFBA; Profa. da Faculdade Metropolitana de Camaçari (FAMEC) e da Associação Baiana de Educação e Cultura (ABEC). Possui larga experiência em Gestão de Pessoas e Desenvolvimento Humano, Psicologia Organizacional e Relações Interpessoais.

prematuramente. ensinou psicologia. 2. considerados expoentes da Psicologia da Educação. com sua teoria do construtivismo. Piaget. influenciada pela sua formação como biólogo e da filosofia. prosseguindo seus estudos de teoria literária e psicologia da arte. demonstrando as suas importâncias para a compreensão da ciência social. até morrer.2 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho pretende apresentar uma análise da contribuição da Psicologia para a prática educativa à luz das teorias desenvolvidas por Vygotsky e Piaget enfocando as suas concepções de educação a partir dos seus pressupostos. aos 37 anos de tuberculose. favorecendo a interação entre educador e educando na relação ensino-aprendizagem. Filosofia e História em Moscou. em função do meio em que vivia. criando sua teoria histórico-cultural dos fenômenos psicológicos. . 2 TEORIAS DA PSICOLOGIA EDUCACIONAL A seguir apresentaremos as teorias de Lev Vygotsky e Jean Piaget. baseada no marxismo permeia pelo materialismo dialético e considera que o indivíduo constrói seu conhecimento pela interação social. de modo a associar a prática educacional no contexto da contemporaneidade. em 17 de novembro de 1896 e viveu na Rússia. com a sua teoria sócio-interacionista. cursando Direito. Vygotsky. onde promove uma reconstrução da psicologia. Do mesmo modo. A partir de 1924 passou a ser colaborador do Instituto de Psicologia. dedicando-se à educação. de modo a permitir uma análise crítica por parte do leitor acerca da prática educativa na atualidade.1 TEORIA PSICOLÓGICA DE LEV SEMEONOVICH VYGOTSKY Lev Semeonovich Vygotsky nasceu na Bielorrússia. este trabalho apresenta um pequeno estudo acerca da Psicologia e da Educação. insere o sujeito como centro relacionando a aprendizagem diretamente à sua maturidade psicológica. Outrossim. o trabalho aborda as convergências e as divergências entre a teoria sócio-interacionista de Vygotsky fortemente influenciada pelo materialismo históricodialético de Marx e Engels e a teoria construtivista de Piaget.

de Karl Marx e Friedrich Engels. todavia. Vygotsky compreendeu que a mediação ocorre quando o indivíduo enquanto sujeito de conhecimento. sendo que o sujeito transforma e é ao mesmo tempo transformado nas relações produzidas em uma determinada cultura. considerando que a sua estrutura e funcionamento passam por mudanças ao longo do desenvolvimento do indivíduo.1. sem necessidade de transformação. Vygotsky atribuiu uma grande importância ao cérebro. considerada como sistema simbólico principal de todos os grupos humanos. a compreensão do indivíduo dependia da internalização das formas culturalmente dadas de funcionamento psicológico. devido à interação deste o meio físico e social. a origem de seu pensamento e a construção do conhecimento. da necessidade de novos instrumentos de trabalho e de pensamento.3 2. investiga o surgimento de novas estruturas cognitivas a partir da demanda social. elegeu um papel de importância à linguagem. baseada nos princípios teóricos do materialismo histórico-dialético. Conforme Rego (1995). . Vygotsky postula que é nas interações entre o ser humano e a natureza que as funções psíquicas se desenvolvem.1 Abordagem Sócio-Interacionista Vygotsky percebeu que poderia haver uma nova maneira de compreender o comportamento humano e desenvolvimento do cérebro humano. Deste modo. considerando-o como um sistema flexível que servia a novas e diferentes funções. pois acreditava na não imutabilidade da essência humana. este acesso se dá de forma mediada por recorte do real pelo trabalho e o uso de instrumentos ao uso de signos. de modo a proporcionar contribuições consideráveis para a prática educativa (REGO. conquistando avanços na caracterização do desenvolvimento do psiquismo humano. Considerou o desenvolvimento da complexidade da estrutura humana através de suas interações sociais. sua relação com os demais indivíduos. Para Vygotsky. Assim surgiu a psicologia histórico-cultural. não possui acesso direto aos objetos. Assim. passando a pesquisar o desenvolvimento do sujeito na sua interação com o mundo. 1995). elaborando uma teoria para a psicologia comportamental de modo diferenciado das demais correntes vigentes até então. Interessava a Vygotsky compreender a relação entre o pensamento e a linguagem e suas implicações no processo de desenvolvimento intelectual. Deste modo.

o acesso à escola não é garantia da construção do conhecimento já este processo é dependente da qualidade do ensino oferecido. oferecendo reflexões acerca da formação das características psicológicas humanas. Ao desenvolver. Vygotsky contribuiu para fomentar uma avaliação mais criteriosa do papel da escola. a escola ao proporcionar conteúdos e desenvolver modalidades de pensamento próprio. Desta maneira. possibilitando análise psicológica de questões referentes ao ensino. os postulados de Vygotsky provocaram uma ruptura nos padrões vigentes nas pesquisas sobre fenômenos psíquicos e da caracterização do ser humano. Deste modo.conhecimentos já adquiridos e outros.1. pois detém um modo elaborado de analisar o pensamento conceitual. possui um papel único para o desenvolvimento do ser humano. A sua teoria indica a necessidade de condições adequadas na . de modo a induzir reavaliação neste campo. Assim. entretanto. estimulando processos internos que se efetivarão e constituirão a base de novas aprendizagens. ressaltando a linguagem e a aprendizagem no seu desenvolvimento sócio-histórico.4 Sob a influência Marxista. a partir da sua interação com o meio. não delibera soluções de ordem prática nem metodologias para a prática educativa cotidiana. dependem da participação de elementos mais capazes para se efetivarem-. gerando questionamentos e transformações na prática educativa.2 Contribuições de Vygotsky para a Educação As contribuições da teoria de Vygotsky são extremamente importantes para a educação. aprendizagem e desenvolvimento (REGO. 2. Vygotsky traz elementos essenciais para o entendimento da integração entre ensino. que para serem adquiridos. o conceito de zona de desenvolvimento proximal . A teoria Vygotskiana. a escola desempenhará bem seu papel se partindo daquilo que o aluno já sabe for capaz de ampliar e desafiar a construção de novos conhecimentos. todavia. 1995). ou na teoria Vygotskiana. Vygotsky contextualiza o indivíduo histórica e socialmente. De acordo com Zacharias (2007). incidir na zona de desenvolvimento proximal dos alunos. Para Vygotsky.

já que este não considera a forma mecânica e tradicional de aprendizagem. de forma ativa. apenas a atividade individual da criança não é o bastante para que se dê a construção dos conhecimentos já há muito acumulados pelo homem. Desta forma. experiências. confere importância ao papel do professor. o sujeito passa a ser sujeito ativo e também interativo quanto ao seu processo de conhecimento. construindo o desenvolvimento potencial. a partir de uma nova visão da heterogeneidade. para Vygotsky. Neste contexto. 1995).5 escola. devido ao desenvolvimento das funções superiores. em que trata as crianças como seres capaz de imitar qualquer coisa. transformando-o em desenvolvimento real. em que esta é valorizada e não mais repudiada na sala de aula. Vygotsky suscita uma nova forma de valorizar as interações sociais entre o aluno e o professor. imitando apenas. Porém. de modo a ampliar as capacidades individuais (REGO. modos de agir e pensar de seu grupo social. valores e níveis de conhecimentos de cada criança. Vygotsky considera a imitação como uma maneira pela qual a criança consolida funções que estão em processo de amadurecimento. o papel da imitação no aprendizado possui grande valor para a teoria de Vygotsky. Assim. valores. a passagem do processo interpessoal (processo social) para o intrapessoal (processo individual). auxilia no desenvolvimento individual da criança. no sentido de que se permita aos alunos acesso às informações e experiências que os levem à construção do conhecimento. contextos familiares. passam a conferir a troca de repertórios. Assim. pela imitação. nos diferentes contextos culturais e históricos. bem como do professor. Vygotsky aponta para a necessidade da internalização para que haja a construção do conhecimento. Conforme Fartes (2007). sendo responsável pela criação da zona de desenvolvimento proximal. que passam a orientar o seu próprio comportamento e desenvolvimento cognitivo. ajuda mútua. Os postulados de Vygotsky ressaltam as qualidades do indivíduo nas transformações. que. ou seja. o que está potencialmente pronto para aprender e construir. Internalização é a reconstrução interna de uma operação externa. a criança internaliza regras de conduta. confrontos. de visão de mundo. Assim. munido de experiência e conhecimento acumulado. os diversos comportamentos. . pois se constitui como base para as experiências compartilhadas.

como guia e mediador do processo de desenvolvimento. porém. o indivíduo ao nascer traz consigo estruturas que tendem para o desenvolvimento do conhecimento. constituindo este estudo de grande importância para a Educação. O conhecimento é entendido como elemento fundamental na compreensão do ser humano. Assim. de forma a intensificar as relações entre o indivíduo e o meio. já que o conhecimento se refere a uma estruturação do vivido por cada indivíduo. Desta maneira. Piaget estudou de que modo o desenvolvimento da inteligência do indivíduo sofre influências da sua interação social. como responsáveis pelo desenvolvimento do indivíduo. sendo que os progressos realizados na epistemologia o conduziram a considerar. que ao se relacionarem com o mundo. o professor possui grande importância e papel ativo no processo ensino-aprendizagem ao promover as interações entre os alunos e os objetos de conhecimento. Piaget pretendia responder uma questão que considerava de fundamental importância: como o Homem conhece? Fez isto utilizando a Biologia genética. que deverá abstrair a concepção de um mero agente exclusivo de informação e formação dos alunos. Piaget evidencia a importância da estimulação do meio. após um estudo sobre a epistemologia da biologia como ciência. um trabalho sobre a teoria do conhecimento em geral. pois as trocas entre o organismo e o meio é que serão responsáveis pelo desenvolvimento do sujeito. 2. acabam por se modificar. o conhecimento é decorrente de um conhecimento anteriormente já possuído pelo indivíduo. já que as interações entre as crianças são possuidoras de considerável papel no favorecimento aos avanços no desenvolvimento social. a necessidade na redefinição do papel do professor. Entretanto. cabendo ao o mundo o . o que chama de estrutura.2 TEORIA DA PSICOLOGIA GENÉTICA DE JEAN PIAGET Piaget estudou epistemologia – Teoria do Conhecimento – ao mesmo tempo em que continuava seus estudos na biologia. em que destaca a importância das trocas entre o organismo e o meio ambiente. Conforme Cano (2002). ao tratar de como o homem conhece.6 Rego (1995) destaca em Vygotsky. Assim. para Piaget. vista pelo ângulo da biologia.

linguagem. 1. exercitação (funcionamento dos esquemas e órgãos que implica na formação de hábitos). tais como: maturação (crescimento biológico dos órgãos). ARAÚJO. Para Piaget. constituindo-se no desenvolvimento cognitivo. Conforme Zacharias (2007). quando o indivíduo não consegue apreender novos conhecimentos aparecem os desequilíbrios. assimilação: integração de conjunto de experiências que o indivíduo possui anteriormente. fazendo com que as estruturas mentais passem funcionar. a idéia de construtivismo seqüencial e os fatores que interferem no desenvolvimento. a partir do ajuste da estrutura a uma nova situação particular. a partir do que já conhece. No processo de construção do conhecimento. operando ativamente com objetos e pessoas. Piaget chamou de assimilação e acomodação. Piaget entende que processo de desenvolvimento tem influência de fatores. Assim a interação organismo-meio se dá por dois processos simultâneos: a organização interna e a adaptação ao meio.7 papel de um estimulador para que o processo de construção do conhecimento ocorra. (2000 apud CORREA. Piaget considera o desenvolvimento como uma teoria de etapas. através de processos dinâmicos. Conforme os autores. sendo determinada pelo objeto. funções exercidas pelo organismo ao longo da vida. considerando o conhecimento como elemento fundamental para a compreensão do individuo. em que pressupõe que o indivíduo passa por uma série de mudanças ordenadas e previsíveis. que permitem uma melhor adaptação deste ao meio. A estes processos. fazendo-o recorrer à equilibração. a equilibração é o . De acordo com Salvador. 2001). a criança é concebida como um ser dinâmico. acomodação: processo de criação de novas formas do indivíduo se relacionar. para que consiga adaptar-se ao meio. interagindo constantemente com a realidade. Piaget afirma que o ser humano irá acrescentar algo. aprendizagem social (aquisição de valores. que são os conflitos cognitivos. costumes e padrões culturais e sociais) e equilibração (processo de auto regulação interna do organismo. e cols. O pressuposto básico da sua teoria é o interacionismo. que se constitui na busca sucessiva de reequilíbrio após cada desequilíbrio sofrido). 2. LIMA. sendo determinada por este.

8 âmago do desenvolvimento cognitivo. para Piaget. o último é a fase humana. o ser humano passa na construção do conhecimento. para Piaget a associação entre o sujeito e o conhecimento. a ação do indivíduo está diretamente relacionada ao estágio de desenvolvimento em que se encontra. pois como biólogo. conforma as respostas do sujeito a estímulos. indo de aproximadamente dois até os sete anos de idade. que se forma aproximadamente a partir dos doze anos em diante. portanto. sendo o conhecimento produto da interação de uma inteligência sensório-motora com o ambiente. e vai até aproximadamente um ano e meio de idade. passa a ser conhecida como construtivismo. a construção do processo de cognição. tem-sde o período operacional concreto. em seguida. Assim. na sua Psicologia Cognitiva o sujeito do conhecimento. Sujeito este que é ao mesmo tempo ativo e interativo. não se pode firmar que Piaget não deu atenção ao social. o social torna-se presente pela representação biológica. Embora Piaget trate o social como subjacente ao cognitivo. diferentemente de Vygotsky. O postulado de construção do conhecimento formulado por Piaget trata da interação com o meio pelo qual o indivíduo encontra situações diversas que o conduz à elaboração de hipóteses. com o social. O início dos estágios se dá pelo processo nas ações sensório-motoras. com o objetivo de explicar os fenômenos que se sucedem no seu próprio meio. operatório-formal. A equilibração entre a assimilação e a acomodação produz a adaptação e a organização do pensamento. pelos processos de assimilação e acomodação. aproximadamente dos sete aos onze ou doze anos de idade. transportando-os para uma abordagem psicológica. . ao tratar da interação entre organismo e meio ambiente. depois. para o período seguinte.o pré-operatório. Desta maneira. passando. . permitindo assim. retirou seus conceitos teóricos da Biologia. é o sujeito epistêmico. a aprendizagem se constitui de um processo adaptativo que se desenvolve através do tempo. pela teoria dos estágios. acredita-se que no construtivismo de Piaget. a teoria piagetiana contempla o desenvolvimento psíquico como resultado do desenvolvimento das relações do indivíduo com o seu meio. Apesar de Piaget ressaltar a importância da estimulação do meio como responsável pelo desenvolvimento do ser humano. em que a interação social é fundamental para o desenvolvimento cognitivo. Assim. que. Assim. Desta maneira. bem como da psicologia.

o interesse da educação escolar é de natureza pedagógica. As teorias principalmente no que se refere ao desenvolvimento humano. sendo que a concepção educacional de desenvolvimento prevê a intervenção planejada e sistematizada em situação de ensino. piagetianas repercutem bastante na esfera educacional. f) a aprendizagem é um processo de reorganização cognitiva. permitindo o desenvolvimento amplo e dinâmico desde o período sensório.2. uma relação entre sujeito (aluno) e meio (professor).1 Contribuições de Piaget para a Educação Em Zacharias (2007). encontramos as implicações do pensamento piagetiano para a aprendizagem: a) os objetivos pedagógicos necessitam estar centrados no aluno. . 2007). que se constitui no desenvolvimento do ser humano pela relação entre o sujeito e o objeto. Este é o processo do interaciocismo de Piaget. a construção do conhecimento pelo construtivismo é realizada pelos estímulos que o professor provoca nos alunos. a cooperação e intercâmbio de pontos de vista na busca conjunta do conhecimento. c) primazia de um método que leve ao descobrimento por parte do aluno ao invés de receber passivamente através do professor. e) a aprendizagem depende do nível de desenvolvimento do sujeito. g) os conflitos cognitivos são importantes para o desenvolvimento da aprendizagem. Piaget entende o desenvolvimento do conhecimento pelas trocas entre sujeito e objeto. h) a interação social favorece a aprendizagem. sendo o sujeito psicológico ou individual que interessa à educação (CHAKUR. i) as experiências de aprendizagem necessitam estruturar-se de modo a privilegiarem a colaboração.9 Na sala de aula. Assim. d) a aprendizagem é um processo construído internamente. partir das atividades do aluno. Conforme as respostas aos estímulos vai se dando a construção do conhecimento. 2.motor até o operatório abstrato. social e prática de forma a possibilitar o desenvolvimento do sujeito para toda a vida. mas como instrumentos que servem ao desenvolvimento evolutivo natural. com a garantia da continuidade e a valorização dos bens transmitidos. b) os conteúdos não são concebidos como fins em si mesmos.

O conhecimento é resultado da interação entre sujeito e objeto. Piaget. em seu postulado construtivista. Todavia. linguagem. desenvolveu o construtivismo na tentativa de descobrir como o Homem conhece. Apesar de cada um perceber o social de modo diferente. sendo que os processos psicológicos superiores. insere o indivíduo como centro. ao seu turno. então se internalizarem. permitindo compreender como o indivíduo aprende. Vygotsky. para depois.10 Deste modo. em sua teoria considera o meio social essencialmente importante para o indivíduo na construção do conhecimento. na abordagem interacionista. tais como comunicação. utilizado o conceito da biologia. como epistemologista. Piaget legou uma teoria sólida. concebendo este indivíduo como social. e considerando o desenvolvimento cognitivo como um sistema dinâmico e como uma construção sempre contínua.. 2. em que o interacionismo é baseado no social e no contexto histórico em que vivia.3 CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIAS ENTRE VYGOTSKY E PIAGET Acredita-se que existem vários pontos de convergência entre Vygotsky e Piaget. já que seus postulados possuem esta abordagem em comum. Muitos dos seus postulados são aplicados na Educação tanto no Brasil quanto em várias partes do mundo devido às suas grandiosas contribuições para a prática educativa. Percebe-se convergências entre os dois teóricos. raciocínio. expoentes da Psicologia da Educação. . ambos são interacionistas e enfatizam a relação entre o sujeito e o meio na construção do conhecimento. cognitivista e construtivista. partindo do pressuposto de que o conhecimento sempre parte de uma estrutura que o individuo já possui. Piaget. relacionando a aprendizagem diretamente à sua maturidade psicológica. primeiramente são alcançados socialmente. ao contrário. em que o instrumento inicial do conhecimento seria a ação. sendo que a sua relação com o mundo se dá na medida em que se expande seu conhecimento prévio. de acordo com as fases do desenvolvimento intelectual voltada para o sujeito epistêmico. etc. apesar de Vygotsky evidenciar a construção do conhecimento a partir da teoria marxista.

• projetiva ou tecnológica: tem por objetivo contribuir no planejamento de situações ou atividades educativas capazes de induzir ou provocar determinados processos e tipos de mudança nas pessoas que dessas participam. o construtivismo é fundamentado no modelo biológico da interação entre organismo e meio ambiente. 2.. isto é. a Psicologia da Educação estuda os processos educativos e tem por finalidade contribuir para: elaboração de uma teoria explicativa dos processos educativos. etc. 2. características afetivas. Palácios e Marchesi (1996). 3. nível de desenvolvimento evolutivo.4 CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA PARA A PRÁTICA EDUCATIVA São várias e importantes contribuições da Psicologia para a prática educativa.11 Para Piaget. Conforme Coll. a Psicologia da Educação é compreendida por dois grandes conjuntos de conteúdos: 1) relativos ao processo de mudança comportamental: fatores interpessoais ou internos do aluno: mais importantes: maturidade física e psicomotora. aquele que se situa no âmbito daquilo que a criança não consegue fazer sozinha. dimensão: • teórica ou explicativa: procura a elaboração de modelos interpretativos dos processos de mudança estudados. Vygotsky atribui grande importância ao trabalho da zona de desenvolvimento proximal. mas o consegue aprendendo com o adulto. elaborar modelos e programas de intervenção destinados a atuar sobre eles com uma finalidade determinada. mecanismos de aprendizagem. • prática ou aplicada: orientada à intervenção e à resolução de problemas concretos. Ainda conforme os autores. que surgem na preparação e no desenvolvimento de atividades educativas. características relacionadas às aptidões. estudar os processos educativos em uma tríplice . nível de estrutura de conhecimentos prévios.

Portanto. proporciona uma melhor compreensão dos processos educativos. gerando um pensamento reflexivo e contribuindo para uma melhor compreensão do professor em relação ao aluno (LAROCCA. as condições materiais (recursos didáticos e meios de ensino em geral) e as intervenções pedagógicas (métodos de ensino). a Psicologia da Educação atua no processo de desenvolvimento do indivíduo. quanto fora da sala de aula. tendo como base os pressupostos psicológicos educativos. pelas suas concepções. intervindo. a Psicologia insere a questão da pluralidade. de capacidade grupo e pedagógica. com a intenção de modificação comportamental tanto na teoria quanto prática. transformando e contribuindo para a construção do conhecimento ligado à educação. gerado a partir das suas vivências tanto dentro.12 2) relativos aos fatores ou variáveis das situações educativas. O desenvolvimento desta visão reflexiva por parte do professor o sensibiliza para o entendimento do comportamento do aluno. 2000). Corroborando. os da disciplina. (relações características fatores sociais interpessoais). direta ou indiretamente responsáveis pelos mesmos: fatores ambientais ou próprios da situação ensino-aprendizagem: característica do professor (capacidade intelectual. conhecimento afetivas). No campo da formação de professor profissional. bem como da interação entre a teoria e a prática. A figura a seguir apresenta as subáreas da Psicologia que possuem papel de destaque na Educação: Psicometria Psicologia da Psicologia do Aprendizagem Desenvolvimento Figura 1 -Subáreas da Psicologia que possuem papel de destaque na Educação Deste modo percebemos que a Psicologia da Educação. etc. visando à dissolução de problemas ligados à prática educativa. bem como na sua socialização. Ausubel alerta para a .

Assim. também. de modo a favorecer a construção do aprendizado para a vida. propôs a transposição desta teoria da esfera sociológica para a esfera psicológica. Assim. Ao agir deste modo. para atuar como fomentador de desenvolvimento de perspectiva crítica da realidade por parte do aluno. o professor compreenderá sua importância nas transformações sociais. que apesar de ter sido instituída em determinado contexto histórico . a partir da interação teoria-prática – vivência da realidade e interação com o seu meio. garantindo desta forma o aprendizado do aluno. por toda a sua vida. Assim sendo. fortemente influenciado pela teoria marxista. sendo que a subjetividade pessoal é construída a partir das experiências vivenciadas. e ainda que seus postulados apresentassem. motora e afetiva. Deste modo. entende-se que a Psicologia da Educação leva o professor a perceber o aluno como individuo integral e multidimensional. deve ter a sensibilidade para perceber que não existe um único método para a aprendizagem. acreditamos que o professor. tomando o aluno sempre como sujeito. A Psicologia da Educação tem se revelado extremamente construtiva para o ensino. na sala de aula. pois contribui significativamente para a aprendizagem escolar ao aplicar as leis do psiquismo humano nos processos educacionais. de modo que possa aplicar métodos e práticas educativas que proporcionem seu desenvolvimento global. A Psicologia da Educação aborda que o professor. Uma das principais contribuições da Psicologia para a educação está nos postulados de Vygotsky que. pois cada aluno tem sua individualidade e percepção de vida. . cognitiva. como ser único. eles atribuíam importância ao sentido individual do ser humano. de modo que este possa reconhecer seu papel na construção do seu próprio conhecimento. objetivando satisfazer o social. pois o aprender se constitui na construção intelectual. tem o papel de estimular a aprendizagem. se faz completamente atual na contemporaneidade. Isto vem a corroborar com Pimenta (2002). esta teoria respeita a individualidade de cada um. procurar conhecer seus desejos. suas dificuldades. quando fala da necessidade do professor proceder à identificação dos seus alunos. entendemos que Vygotsky é um dos expoentes para o processo ensino-apendizagem.13 necessidade de realização de pesquisa aplicada pela Psicologia da Educação nas questões que permeiam os processos educativos.revolução russa -. o sentido social como no marxismo. sendo que o conhecimento deverá ser construído pelo diálogo e interação aluno e professor.

idéias). pelo descobrimento de novos conhecimentos de modo complexo. . A internalização é constituída por uma atividade mental. percebe-se a natureza do indivíduo como sendo construída pelas diversas relações sociais dialéticas instituídas ao longo de sua vida. entende-se a natureza aplicada da Psicologia da Educação como promotora da aprendizagem de maneira relacional. este é capaz de ser sujeito de transformação deste meio e ao mesmo tempo ser transformado por ele (meio). entende-se que o processo de internalização é fundamental para o desenvolvimento psicológico do individuo. permitindo contradições e alterações constantes. interativo e histórico no processo de transformação da realidade. pela interação social do indivíduo com signos e materiais culturais (linguagem.14 A abordagem de Vygotsky que considera o desenvolvimento do conhecimento pela interação do individuo com o meio é pertinente para o processo educativo. de construção do conhecimento do sujeito não apenas de forma ativa. interações são necessárias à evolução natural. favorecendo o desenvolvimento dos processos cognitivos superiores. passa a ser interno. reorganizações. Vygotsky destacou a internalização como um processo que está presente no desenvolvimento das funções psicológicas complexas. o ser humano passa a contribuir como sujeito ativo. Desta maneira. pertencentes ao meio. formado a partir de relações intra e interpessoais. mas interativa. de modo a transformar o interpessoal em intrapessoal. Assim. que modificado. Conforme Bock (2002). pois ao promover a sua socialização com o meio. em que a interação entre individuo e meio é imprescindível para a construção do conhecimento. Neste processo ocorre a transposição do externo. quando aborda que a transformação é capaz de produzir o novo pela síntese dialética. Deste modo. em que as transformações. corroborando Vygotsky. conceitos. Assim.

Em relação aos postulados de Vygotsky.. em que as possibilidades cognitivas do aluno não se encerram no que sabem fazer. Transpondo para a sala de aula. sendo de fundamental importância para a educação. bem como se fazem totalmente presentes no momento atual. a partir de sua própria experiência interna. desenvolvido por Vygotsky. embora cada uma delas tivesse sido elaborada em determinada época e contexto histórico. mas pelo que podem aprender a fazer a partir de conhecimentos adquiridos através de outras pessoas que já possuem um nível de conhecimento maior. pois é nesta interação que o sujeito é transformado pelo meio e o transforma também. o sujeito. Do mesmo modo. dá-se o processo de aprendizagem – uma troca constante entre indivíduo e meio. para a promoção da aprendizagem. uma síntese dialética. Deste modo. Pode-se afirmar que. o conhecimento é resultado da interação entre sujeito e objeto. sendo que ambas são de fundamental importância no contexto escolar. Para o construtivismo. As experiências vividas por cada um deles.15 CONSIDERAÇÕES FINAIS Neste trabalho resgatamos as teorias de Vygotsky e Piaget e as suas contribuições para a prática educativa. constrói seu conhecimento. . resultando em um novo produto. Verificamos da mesma forma. analisamos os pontos de convergência e de divergência entre esses teóricos a partir de suas visões e contexto histórico que cada uma dessas teorias foram elaboradas. constituem-se verdadeira fonte de saber a ser repartida entre todos. afirmamos que a sua ênfase à interação social é extremamente importante na construção do conhecimento. esta teoria se aplica quando há a interação entre os alunos e estes com os professores. nos diversos campos. fruto dessa interação. profissional. ambas se relacionam entre si. Assim. sendo o sujeito como aquele que detém as estruturas internas e objeto como detentor de caracteres preexistentes. afetivo etc. como pessoal. que a teoria construtivista postulada por Piaget se faz presente na atualidade. como forma de desenvolvimento cognitivo. Percebemos a importância da aplicação prática do conceito de zona de desenvolvimento proximal.

2002. como a cognitiva.16 Em ambas as teorias não existe a figura do professor como aquele que apenas expõe o assunto de maneira expositiva. a partir de suas teorias.php?script=sci_arttext&pid=S010173302002000200013&lng=en&nrm=iso>. Tradução de Angélica Mello Alves. REFERÊNCIAS BOCK. Disponível em: <http://www. Brasília. Acesso em: 09. Fev. PIMENTA. 2007. Edna M. Contribuições da pesquisa psicogenética para a educação escolar. Fev. e Pesq. Priscila. LAROCCA. Teresa Cristina. 2. PALÁCIOS. São Paulo: Cortez. 23. César. MARCHESI. Porto Alegre: Artes Médicas. Assim. 2005. Cilene Ribeiro de Sá Leite. n. Educ. 2007. pelo próprio aluno como sujeito ativo no processo. 21. 2002.: Teor. Trabalhando e aprendendo: adquirindo qualificação em uma indústria de refino de petróleo. v. 60 a 65. levando em consideração o que o aluno já possui de conhecimento. Soc. p. uma introdução ao estudo da psicologia. Tatiana Monreal. Docência no ensino superior. Desenvolvimento psicológico e educação: Psicologia da Educação... Selma Garrido. vol. 2000. Deste modo. Este trabalho não tem pretensões de esgotar o assunto e entende-se que sempre haverá espaço para a discussão acerca da psicologia e a educação. FARTES.br/scielo. Peters. CHAKUR. In: KAHHALE. ANASTASIOU. nº 2. Disponível em: <http://www. São Paulo: Saraiva. Léa das Graças Camargos.php?script=sci_arttext&pid=S010237722005000300005&lng=en&nrm=iso>.São Paulo: Cortez. Campinas. mas sim um professor que estimula o desenvolvimento do conhecimento pela interação na sala de aula. v. Brasília. 1995. . compreende-se que a Psicologia se constitui em uma ciência que tem o poder de transformar o processo de ensino-aprendizagem. ano 20. CANO. 3. por exemplo. Álvaro (Org). n.scielo. COLL. A diversidade da psicologia: uma construção teórica. Ana Mercedes et. Embasamentos epistemológicos e conceitos da psicologia genética. Vera Lúcia Bueno. 1996. Acesso em: 09.scielo. Petrópolis: Vozes. Psicologia ciência e profissão. Psic. 78. 2002 REGO. Vygotsky:uma perspectiva histórico-cultural da educação. Jesus.br/scielo.al. que representa a construção do conhecimento pelo sujeito ativo e transformador da realidade. Psicologias. 2002. entende-se que a interação entre os alunos e entre estes e o professor faz com que o processo ensino-aprendizagem seja permeado pela elaboração do conhecimento para toda a vida.

com.html. Vera Lúcia Camara F.17 ZACHARIAS. Piaget. Acesso em: 05 Fev 2007.br/piaget. . Disponível em: http://www.centrorefeducacional.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful