Você está na página 1de 2

Correntes de Convecção e Tectónica de Placas

A convecção é o fluxo de calor causado por um movimento macroscópico,


transportando porções da substância envolvida de uma região que se encontra
mais quente para outra menos quente. (IF, s/d)
Quando há uma região de matéria que aquece as moléculas, estas
expandem-se tornando-a menos densos que o meio envolvente que recebeu
menor quantidade de calor. Sendo menos denso, este ascenderá (o que se
denomina de transferência de calor por convecção). (IF, s/d)
Em 1929, Arthur Holmes debruçou-se numa das várias hipóteses de
Wegener para a deriva continental de que o manto está sobre o efeito de
convecção térmica (UCMP, entrada Plaque Tectonics: History of an idea, s/d).
Esta é baseada no facto de
que quando uma substância é
aquecida a sua densidade
diminui e ascende até que é
arrefecida e submerge de novo
aproximadamente como água
numa panela quando aquecida
até ferver.
A água quente, tal como o
magma, ascende e movimenta- Ilustração 1 - Mecanismo das correntes de convecção
se transversalmente até
arrefecer, momento esse em que descende para o fundo da panela onde
reaquece e torna a ascender. Este ciclo repete-se, formando aquilo que se
denomina por células convectivas ou correntes de convecção. Enquanto isto
pode ser observado facilmente numa panela com água a ferver, a ocorrência
desta teoria no interior da Terra já era menos facilmente credível (UCMP,
entrada Plaque Tectonics: history of an idea, s/d; USGS, 1999).
Contudo, estes aquecimentos e arrefecimentos resultam numa corrente que
pode ser suficiente para deslocar continentes (UCMP, entrada Plaque
tectonics: History of an idea, s/d; USGS, 1999).
Arthur Holmes sugeriu que esta convecção térmica seria como uma faixa
condutora e que a pressão ascendente poderia fender um continente e forçar
este a deslocar-se em direcções opostas. (UCMP, entrada Plaque Tectonics:
history of an idea, s/d)
Toda esta teoria não poderia ocorrer sem existir uma fonte de calor. No
interior da Terra existem duas fontes de calor primárias: a desintegração
radioactiva e o calor residual. A explicação de como e porquê da ocorrência
destas fontes de calor estarem concentradas em certas regiões onde formam
células convectivas, ainda não está explicada (USGS, 1999).
Actualmente, os cientistas estão a favor de uma teoria onde as forças
associadas à subducção são mais importantes do que a expansão oceânica. O
Professor Seiya Uyeda (da Universidade de Tokai, no Japão), um especialista
na matéria, concluiu que a subducção tem um papel mais fundamental do que
a expansão oceânica na tectónica de placas e a dar forma às estruturas da
Terra. (USGS, 1999)
Sabe-se que há forças no interior da Terra que transportam as placas mas
ainda não conhecemos os seus detalhes. Como estas forças estão tão
profundas, nenhum mecanismo as pode testar directamente. (USGS, 1999)

Sítiografia consultada:

→ Instituto de Física (Universidade Federação do Rio Janeiro), s/d


http://www.if.ufrgs.br/mpef/mef008/mef008_02/Beatriz/conveccao.htm

→ University of Califórnia Museum of Paleontology, entrada Plate


Tectonics: history of an idea, s/d
http://www.ucmp.berkeley.edu/geology/techist.html

→ USGS (United States Geological Survey), entrada Some Unanswered


Questions, 1999
http://pubs.usgs.gov/gip/dynamic/unanswered.html

Imagem:

Ilustração 1 - http://pubs.usgs.gov/gip/dynamic/graphics/Fig32.gif