Você está na página 1de 18
Emissor: Departamento Operacional Crédito Consignado Classificação: Pública   Versão:

Emissor:

Departamento

Operacional

Crédito

Consignado

Classificação:

Pública

 

Versão:

36

Data de Vigência:

17.04.2012

Código

Código PC: OCC-13

PC: OCC-13

Código PC: OCC-13

POLÍTICA DE CRÉDITO

PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS DO INSS

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

SUMÁRIO

1 APRESENTAÇÃO

3

1.1

Vigência e Aprovação

3

2 OBJETIVO

3

3 DIRETRIZES

3

3.1 Regras Gerais

3

3.2 Regras Operacionais

3

3.2.1 Público Alvo

3

3.2.2 Documentação

4

3.2.3 Cálculo de Parcela Máxima

5

3.2.4 Limites Operacionais

7

3.2.5 Prazos, Taxas e Comissões das Operações

7

3.2.6 Quantidade Operações

7

3.2.7 Formas de Liberação

8

3.2.8 Refinanciamentos

8

3.2.9 Compra de Dívidas

9

3.2.10 Análise de Propostas pelo Banco Original

11

3.2.11 Formalização da Operação

12

4 NATUREZA DAS ALTERAÇÕES

12

5 ANEXOS

15

ANEXO 1 – Benefícios Emitidos Segundo as Espécies

15

ANEXO 2 – Tabela de Rubricas INSS

18

Versão 36

Abril/2012

Página 2 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

1 APRESENTAÇÃO

1.1 Vigência e Aprovação

Passa a vigorar a partir de sua aprovação e é revisada sempre que fatos supervenientes estabeleçam novas condicionantes para a obtenção dos resultados a que se destina.

2 OBJETIVO

Disciplinar e padronizar o processo de concessão de empréstimos por meio da Conveniada INSS.

As orientações aqui contempladas devem ser cumpridas, a fim de que o processo de formalização e pagamento das operações ocorra de maneira ágil e segura, tanto para os Clientes quanto para o Banco Original.

3 DIRETRIZES

3.1Regras Gerais

3.1.1 As regras contempladas nesta Política Crédito tem como base a Política

Geral para Concessão de Crédito Consignado vigente.

3.1.2 Deve ser consultado no portal da Dataprev o “Extrato de Pagamentos”

para consulta de margens e verificação da espécie do benefício:

http://www010.dataprev.gov.br/cws/contexto/hiscre/index.html;

3.1.3 Neste convênio não é permitido empréstimo por procuração;

3.1.4 Sendo o Cliente analfabeto, portanto, não podendo assinar o Contrato,

ele mesmo deve ser informado de todas as condições do empréstimo e registrar a sua digital do polegar direito em todas as vias dos documentos no campo de assinatura do Cliente. É obrigatória a assinatura de uma testemunha a rogo em todos os documentos.

NOTA: A testemunha não deve ser Colaborador, Estagiário ou Terceirizado do Banco Matone, da Matone Promotora ou da Bem-vindo Promotora. Deve ser anexada uma cópia do documento de identificação da testemunha “a rogo” ao processo.

3.2 Regras Operacionais

3.2.1 Público Alvo

3.2.1.1 O convênio destina-se aos titulares de benefícios de aposentadoria / pensão do Regime Geral de Previdência Social do INSS;

Versão 36

Abril/2012

Página 3 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

3.2.1.2 As espécies de benefícios permitidos e não permitidos para contratação

de empréstimos estão descritos em “Tabela de Benefícios INSS”, conforme Anexo 1 desta Política;

3.2.1.3 Além das espécies não permitidas descritas na tabela em anexo, não

são concedidos empréstimos a Clientes que possuem os seguintes benefícios:

Concedidos nas regras de acordos internacionais para segurados residentes no exterior;

Pagos por intermédio de Empresa Convenente;

Benefícios recebidos por meio de representante legal, dependente, tutelado ou curatelado do aposentado/pensionista.

3.2.1.4 As Pensões por Morte podem conter algumas faixas etárias de pensionistas com caráter temporário. As espécies de benefícios pagos a título de pensão por morte estão descritas na Tabela de Espécies permitidas e não permitidas no Anexo 1. Desta maneira, para as espécies de pensões por morte que sejam permitidos empréstimos, devem ser cumpridas as seguintes regras:

Pensionistas a partir de 18 (dezoito) anos e menor que 21 (vinte e um) anos:

O Contrato de empréstimo deve terminar 2 (dois) meses antes de o Cliente completar 21 (vinte e um) anos;

Pensionistas a partir de 21 (vinte e um) anos:

Conforme Política de Limites Operacionais.

3.2.2

Documentação

3.2.2.1

2 (duas) vias da CCB (Cédula de Crédito Bancário – Mútuo Mediante

Consignação em Folha de Pagamento e Autorização para Desconto INSS) devidamente assinada pelo Cliente;

3.2.2.2 Carteira de Identidade Civil (RG) ou Carteira Nacional de Habilitação (CNH) - modelo novo constando RG, CPF e assinatura;

NOTA: Conforme determinação do INSS, não pode ser aceita a Carteira de Trabalho (CTPS) como documento de identidade;

NOTA: Se o documento tiver a assinatura ilegível ou divergente da constante no Contrato, deverá apresentar outro documento, onde possa validar a autenticidade.

Versão 36

Abril/2012

Página 4 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

3.2.2.3 CPF (cópia) – O próprio documento, devidamente assinado (dispensado se constar registrado na Carteira de Identidade ou de Habilitação), ou Declaração do Imposto de Renda ou Protocolo da Receita Federal;

3.2.2.4 Comprovante de residência com prazo de validade de até 90 (noventa) dias (a contar da data de emissão), no nome do servidor, podendo ser:

Contas de água, luz, telefone, IPTU;

Extrato bancário ou de cartão de crédito;

Contrato de locação residencial;

Contracheque (se for enviado para a residência, que pode ser identificado pelo carimbo / Contrato dos Correios);

Declaração de Delegacia local (bairro / distrito);

Comprovante com o nome dos pais (inclusive Contrato de locação residencial) ou do cônjuge (neste caso, apresentar Certidão de Casamento).

NOTA: Caso o Cliente não possua nenhum dos documentos para comprovação, pode assinar o Formulário “Declaração de Residência”, disponibilizado pelo Matone na pasta “Formulários”, no portal do Correspondente, acessado pelo site www.lojabemvindo.com.br, informando o seu endereço residencial.

3.2.3 Cálculo de Parcela Máxima

3.2.3.1 Cliente com Cartão de Crédito Consignado

Multiplicar o valor disponível por 20% (vinte por cento) e deduzir possíveis descontos já existentes de empréstimos, financiamentos, operações de arrendamento.

3.2.3.2 Cliente não possui Cartão de Crédito Consignado

Multiplicar o valor disponível por 30% (trinta por cento) e deduzir possíveis descontos já existentes de empréstimos, financiamentos, operações de arrendamento.

NOTA: Em caso de dúvida sobre a existência ou não do Cartão de Crédito – RMC é aconselhável a realização de duas operações, devendo ser digitada uma com cálculo a partir de 20% (vinte por cento) do valor disponível, deduzindo-se possíveis descontos de empréstimos, financiamentos ou operações de arrendamento e outra com cálculo de 10% (dez por cento) do valor disponível.

Versão 36

Abril/2012

Página 5 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

O valor da margem consignável encontrada após o cálculo das opções destacadas nos itens acima devem ser retirados a quantia de R$ 1,00 (hum real) como “Margem de Segurança”. O resultado final corresponde ao valor máximo de parcela possível.

Metodologia de Cálculo:

Somar todas as Verbas a Crédito, exceto as seguintes verbas:

Pagamento Alternativo de Benefício –PAB;

Décimo Terceiro Salário;

Complemento Positivo –CP.

Diminuir as seguintes Rubricas de Débito:

(-)

Pagamento de benefícios além do devido

(-)

Imposto de renda

(-)

Pensão alimentícia judicial

(-)

Mensalidades de associações e demais entidades de aposentados legalmente reconhecidas

(-)

Decisão judicial

(=) Valor Disponível do Benefício

(x)

30% (trinta por cento), caso o Cliente não possua RMC

ou

(x)

20% (vinte por cento), caso o Cliente possua RMC

(=) Resultado

(-) Empréstimos, financiamentos, ou operações de arrendamento

(=) Margem Consignável

(-) R$ 1,00 (hum real), margem de segurança

(=) Valor Máximo da Prestação

Obs: Todas as Rubricas de Crédito e Débito estão descritas em “Tabela de Rubricas INSS”, conforme Anexo 2 desta política.

Exemplo 1: - Contrato Novo com RMC

Créditos:

Valor Disponível do Benefício:

R$

622,00

 

Débitos:

Consig. Emprest.

R$

14,00

Consig. Emprest. Total Descontos Facultativos

 

R$

48,00

R$

62,00

Versão 36

Abril/2012

Página 6 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Cálculo:

R$ 622,00 x 20% = R$ 124,40 (Margem Consignável) R$ 124,40 (-) 14,00 (-) 48,00 = R$ 62,40

R$ 62,40 (-) R$ 1,00 = R$ 61,40 (Valor Máximo da Parcela) NOTA: No caso de dúvidas sobre a existência ou não do RMC, pode-se fazer outra proposta no valor de R$ 61,20 (R$ 622,00 x 10% (-) R$ 1,00).

Exemplo 2: - Contrato Novo sem RMC

Créditos:

Valor Disponível do Benefício:

R$

622,00

 

Débitos:

Consig. Emprest.

R$

14,00

Consig. Emprest. Total Descontos Facultativos

 

R$

48,00

R$

62,00

Cálculo:

R$ 622,00 x 30% = R$ 186,60 (Margem Consignável)

R$ 186,60 (-) 14,00 (-) 48,00 = R$ 124,60

R$ 124,60 (-) R$ 1,00 = R$ 123,60 (Valor Máximo da Parcela)

3.2.4 Limites Operacionais

3.2.4.1 Os valores permitidos devem obedecer às regras contempladas na Política vigente de Limites Operacionais.

3.2.5 Prazos, Taxas e Comissões das Operações

3.2.5.1 As tabelas são enviadas por meio de comunicados e postadas no portal www.lojabemvindo.com.br.

3.2.6 Quantidade Operações

3.2.6.1 Neste convênio o servidor pode ter até 6 (seis) contratos ativos por MATRÍCULA, independente da Entidade Consignatária, desde que o cliente não possua inadimplência vinculada ao CPF.

NOTA: Caso o Cliente ainda possua margem disponível no contracheque, para que contrate um novo empréstimo, terá que, obrigatoriamente, excluir (liquidar) um dos empréstimos existentes, respeitando o limite máximo de Contratos ativos.

Versão 36

Abril/2012

Página 7 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

3.2.7 Formas de Liberação

3.2.7.1 Caso o Cliente receba sua Aposentadoria ou Pensão por meio de conta

corrente ou poupança o crédito do empréstimo deve ocorrer nesta conta.

3.2.7.2 Para os Clientes que recebem por meio de cartão magnético, o crédito

do empréstimo deve ocorrer preferencialmente em conta corrente ou poupança de sua titularidade.

3.2.7.3 A conveniada permite liberações de operações por OP (Ordem de

Pagamento), desde que exista esta condição junto ao Agente Financiador. A liberação nesta modalidade é permitida somente se houver Comunicado específico neste sentido, quando então são informados os detalhes da liberação como Banco pagador e o prazo de recebimento.

NOTA: Atualmente o Banco Original disponibiliza Ordem de Pagamento por meio do Banco do Brasil S/A com prazo máximo de permanência para saque de 15 (quinze) dias corridos. A Ordem de Pagamento só pode ser sacada na agência informada na proposta e a mesma é de preenchimento obrigatório. O Banco deve ser escolhido pelo Cliente no momento da contratação. A liberação por OP só é permitida se o valor mínimo liberado para o Cliente for de 500,00 (quinhentos reais), até o máximo de R$ 6.000,00 (seis mil reais) por CPF.

3.2.7.4 Não é permitido realizar Ordem de Pagamento para Clientes não

alfabetizados.

3.2.7.5 O valor solicitado é liberado em até D+2 e está condicionado ao retorno

das averbações por parte da Dataprev – INSS.

NOTA: Leia-se D = data da aprovação da proposta + 2 (dois) dias úteis para o retorno da Dataprev. Mensalmente a Dataprev faz o processamento da folha de pagamento (normalmente durante 5 dias). Neste período, a liberação do crédito poderá ocorrer em até D+5.

3.2.8 Refinanciamentos

3.2.8.1

Somente é possível refinanciar 1 (um) Contrato por vez;

3.2.8.2

O novo valor de parcela a ser refinanciada deve considerar o seguinte

cálculo:

A nova parcela a ser contratada no refinanciamento deve ser igual ou inferior à parcela que esta sendo refinanciada, desde que o total de descontos facultativos no benefício do Cliente (excluindo o RMC) esteja enquadrado em no máximo 20% (vinte por cento).

Versão 36

Abril/2012

Página 8 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Exemplo 1: - Contrato de Refinanciamento

Contracheque com desconto Original e de outras Instituições Financeiras:

Valor Disponível do Benefício:

Créditos:

R$

622,00

Débitos:

Consig. Emprest.

R$

14,00 (Original)

Consig. Emprest.

R$

46,00 (Original)

Consig. Emprest.

R$

22,00 (Outra Inst. Financeira)

RMC

R$

46,00

Total Descontos Facultativos

R$

128,00

Valores Máximos de Refinanciamento:

Uma Operação com parcela máxima de R$ 14,00 e outra operação com parcela máxima de R$ 46,00 (mesmos valores das parcelas já consignadas em folha)

Cálculo de Margem Livre:

R$ 622,00 x 20% = R$ 124,40 (Margem Consignável)

R$ 124,40 (-) R$ 14,00 (-) R$ 46,00 (-) R$ 22,00 = R$ 42,40

R$ 42,40 (-) R$ 1,00 = R$ 41,40 (Valor Máximo para um Contrato Novo de Margem Livre)

Obs.: Como o total dos descontos está enquadrado no limite de 20% (vinte por cento), além das operações de refinanciamento, pode ser realizada uma nova operação com o valor máximo de parcela de R$

41,40.

Deve-se observar ainda que os Contratos de empréstimo podem ser refinanciados desde que tenham sido pagas no mínimo 3 (três) parcelas.

3.2.9 Compra de Dívidas

3.2.9.1 É permitida, desde que cumpridas as regras específicas para estes casos, disponíveis em Manual de Compra de Dívidas distribuído aos Lojistas autorizados. Os limites definidos para operacionalização nesta modalidade devem ser previamente tratados e definidos com o Gestor Comercial do Banco Original que atende o Lojista.

3.2.9.2 Não são permitidas contratações de Compra de Dívida e Refinanciamento na mesma proposta. Caso as duas opções sejam selecionadas, o sistema emitirá a mensagem “Proposta INSS com compra de dívida não pode ter Refin”. Neste caso deve ser digitada uma proposta para Refinanciamento e outra para Compra de Dívida.

Versão 36

Abril/2012

Página 9 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

3.2.9.3 Apenas é permitida a compra de 01 (uma) dívida por Contrato, exceto

se as dívidas a serem compradas forem da mesma Instituição / Banco. Neste caso, as parcelas podem ser somadas e digitadas em um único Contrato.

Exemplo 1: Para compra de duas dívidas, sendo uma do Banco X e outra do Banco Y, devem ser digitadas duas propostas diferentes no sistema: uma para cada dívida comprada.

Exemplo 2: Para compra de duas dívidas do Cliente, sendo as duas do mesmo Banco, pode ser digitada apenas uma proposta no sistema para as duas dívidas compradas.

3.2.9.4 O valor da parcela da nova operação formalizada pela compra de dívida

deve ser no máximo igual ao valor da parcela da operação comprada. Deve ser verificado se o total de descontos facultativos, incluindo a parcela da operação comprada, está enquadrado em 20% (vinte por cento) do Valor Disponível* do benefício / pensão, independentemente se o Cliente possui ou não Cartão de Crédito (RMC). Caso contrário, a parcela da nova operação formalizada deve ser reduzida de forma que o total de descontos facultativos se enquadre no limite de 20% (vinte por cento).

3.2.9.5 O valor solicitado no novo empréstimo deve ser superior ao valor do

saldo devedor da dívida a ser comprada.

a. Exemplo 1 – Cliente possui RMC – enquadrado dentro dos 20%

Valor Disponível do benefício:

Créditos:

R$

622,00

Débitos:

Consig. Emprest. Consig. Emprest. Consig. Emprest. RMC Total Descontos Facultativos

R$

14,00 (Original) 46,00 (Original) 22,00 (Outra Inst. Financeira)

R$

R$

R$

46,00

R$

128,00

A operação que está em análise para compra de dívida é a de R$ 22,00.

Cálculo de Margem para verificar possibilidade da Compra:

R$ 622,00 x 20% = R$ 124,40 (Margem Consignável)

R$ 124,40 (-) R$ 14,00 (-) R$ 46,00 (-) R$ 22,00 = R$ 42,40

Nesta operação, como a soma dos descontos facultativos, incluindo a compra de R$ 22,00 está enquadrada dentro dos 20%, a operação de “compra” pode ser realizada no valor máximo de parcela de R$ 22,00.

Versão 36

Abril/2012

Página 10 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Cálculo de Margem Livre:

R$ 42,40 (-) R$ 1,00 = R$ 41,40 (Valor Máximo para um Contrato Novo de Margem Livre)

Como o Cliente possui ainda uma margem livre de R$ 42,40, pode ser realizada uma nova operação no valor de R$ 41,40.

b. Exemplo 2 – Cliente possui RMC – não enquadrado dentro dos 20%

Valor Disponível do benefício:

Créditos:

R$

622,00

Débitos:

Consig. Emprest. Consig. Emprest. Consig. Emprest. RMC Total Descontos Facultativos

R$

14,00 (Original) 44,00 (Original) 67,40 (Outra Inst. Financeira)

R$

R$

R$

46,00

R$

139,00

A operação que está em análise para compra de dívida é a de R$ 67,40.

Cálculo de Margem para verificar possibilidade da Compra:

R$ 622,00 x 20% = R$ 124,40 (Margem Consignável)

R$ 124,40 (-) R$ 14,00 (-) R$ 44,00 (-) R$ 67,40 = - R$ 1,00

Como a soma dos descontos facultativos ultrapassa o limite de 20% (vinte por cento), deve ser feito o ajuste para enquadramento da parcela.

R$ 67,40 – R$ 1,00 = R$ 66,40 (Valor máximo de parcela para a operação de compra de dívida).

A parcela deverá ser enquadrada para R$ 66,40 de forma que o total descontado permaneça dentro do percentual de 20% (vinte por cento).

R$ 124,40 (-) R$ 14,00 (-) R$ 44,00 (-) R$ 66,40 = R$ 0,00

3.2.10 Análise de Propostas pelo Banco Original

3.2.10.1 As propostas digitadas são analisadas pela Mesa de Crédito do Banco Original, não sendo necessário anexar nenhum documento para análise, exceto se solicitado pela Mesa de Análise, pelo próprio sistema sicred (através de regras criticadas) ou para os casos de propostas de Compra de Dívidas, sendo que neste último caso os documentos mínimos se encontram descritos na rotina do Manual de Compra de Dívidas disponível no link “Manuais” do sistema Sicred Web. É válido salientar que as regras aqui citadas serão validadas e em caso de descumprimento as propostas serão imediatamente reprovadas.

Versão 36

Abril/2012

Página 11 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

NOTA: Os documentos devem ser anexados na proposta pelo Sistema Sicredweb utilizando o botão “Anexar Documentos”.

NOTA: Pode a mesa de crédito exigir a transmissão de eventuais documentos do Cliente, momento em que o Lojista deve anexá-los na mesma forma descrita neste item.

3.2.11 Formalização da Operação

3.2.11.1 Após aprovação da operação (Status: Proposta Efetivada ou Proposta Efetivada – Pagamento Pendente no sistema Sicred Web), o dossiê original completo da proposta deve ser enviado em até 5 (cinco) dias úteis contendo protocolo eletrônico impresso pelo sistema “ATP” e entregue na Loja Bem- vindo de relacionamento do Lojista.

3.2.11.2 As documentações são auditadas a partir das regras aqui mencionadas e em caso de descumprimento o Lojista pode ser penalizado.

4 NATUREZA DAS ALTERAÇÕES

Data

Versão

Seção

Página

 

Alteração

 

03.01.2008

1

   

Emissão inicial.

 

10.01.2008

2

3.2.3

5

Cálculo de parcela máxima.

 

10.01.2008

2

3.2.8

7

Refinanciamento.

 

03.03.2008

3

3.2.4

6

Limites Operacionais.

 

28.04.2008

4

3.2.4

6

Limites Operacionais.

 

12.05.2008

5

3.2.4

6

Limites Operacionais.

 

12.05.2008

5

3.2.8

7

Refinanciamento.

 

02.06.2008

6

3.2.1

3

Público Alvo.

 

02.06.2008

6

3.2.2

4

Documentação.

 

02.06.2008

6

3.2.6

6

Quantidade Operacional.

 

02.06.2008

6

3.2.7

6

Forma Liberação.

 

02.06.2008

6

3.2.8

7

Refinanciamentos.

 

22.07.2008

7

3.2.4

6

Limites Operacionais.

 

29.07.2008

8

   

Mudança do Logotipo.

 

12.08.2008

9

3.2.2

4

Documentação.

 

09.09.2008

10

3.2.6

6

Quantidade Operacional.

 

25.11.2008

11

3.2.4

5

Idade / Valor / Prazo.

 

25.11.2008

11

3.2.7.1

7

Forma de liberação.

 

25.11.2008

11

3.2.8.2

9

Refinanciamento.

 
       

Análise

de

Propostas

pelo

Banco

25.11.2008

11

3.2.10.1

9

Original.

19.12.2008

12

3.2.8.3

9

Refinanciamento – Nota.

 
       

Forma

de

Liberação

alterações

/

01.04.2009

13

3.2.7 7

renumeração.

 

01.04.2009

13

3.2.8 7

 

Refinanciamentos – Alterações.

 

Versão 36

Abril/2012

Página 12 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

02.04.2009

14

3.2.3.2

 

5

Metodologia de Cálculo.

 

02.04.2009

14

3.2.8

 

7

Refinanciamento.

 

08.05.2009

15

5

11

Anexos:

Inclusão

Códigos

espécies

benefícios.

08.05.2009

15

3.2.9

 

9

Compra de Dívida.

 

08.07.2009

16

3.2.9

 

9

Compra de Dívida.

 

24.07.2009

17

3.2.8

 

7

Refinanciamentos.

 

24.07.2009

17

3.2.8

 

8

Refinanciamentos – Exemplo 01.

 

24.07.2009

17

3.2.8

 

8

Refinanciamentos – Exemplo 02.

 

24.07.2009

17

3.2.9

10

Compra de Dívida – Exemplo 02.

 

24.07.2009

17

3.2.9

11

Compra de Dívida – Exemplo 03.

 

13.08.2009

18

3.2.3

 

5

Cálculo de Parcela Máxima.

 

13.08.2009

18

3.2.8

 

8

Refinanciamentos.

 

13.08.2009

18

3.2.9

 

9

Compra de Dívidas.

 

13.08.2009

18

3.2.11

12

Formalização da Operação.

 

21.08.2009

19

3.2.2

 

4

Documentação.

 

21.08.2009

19

3.2.3.2

 

6

Cálculo de Parcela Máxima.

 

21.08.2009

19

5

14

Anexos 1

21.08.2009

19

5

17

Anexos 2.

26.10.2009

20

3.2.2

 

4

Documentação.

 

02.02.2010

21

3.2.4

 

7

Limites Operacionais.

 

02.02.2010

21

3.2.11.1

12

Formalização da Operação.

 

15.04.2010

22

3.2

 

3

Regras Operacionais.

 

06.07.2010

23

3.2.4.1

 

7

Valores da Operação – Mínimo.

 

06.07.2010

23

3.2.7.3

8

e 9

Formas de Liberação – NOTA.

 

04.11.2010

24

3.2.3

 

6

Cálculo de Parcela Máxima.

 

03.12.2010

25

3.2.7.4

 

9

Formas de Liberação.

 

04.01.2011

26

3.2.7.3

 

8

Formas de Liberação – NOTA.

 

04.04.2011

27

3.2.2

 

5

Documentação – Item 3.2.2.2 e a Exclusão do item 3.2.2.5.

31.05.2011

28

5

18

Anexo 2.

08.06.2011

29

5

18

Anexo 2.

15.08.2011

30

3.1.1

 

3

Regras Gerais.

 

15.08.2011

30

3.2.4

 

7

Limites Operacionais.

 

15.08.2011

30

3.2.7

8

e 9

Formas de Liberação / NOTA.

 

15.08.2011

30

3.2.8

10

Refinanciamentos.

 

01.09.2011

31

3.2.4

 

7

Limites Operacionais.

 

01.09.2011

31

3.2.8

10

Refinanciamentos – NOTA.

 

26.09.2011

32

3.2.1.3

 

4

Público Alvo.

 

18.10.2011

33

3.2.7

 

8

Formas de Liberação / NOTA.

 

Versão 36

Abril/2012

Página 13 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

29.11.2011

34

3.2.1.4

4

Público Alvo – Pensionistas.

 

29.11.2011

34

3.2.4.1

7

Limites Operacionais.

 

29.11.2011

34

3.2.8

9

Refinanciamentos – NOTA.

 
       

Cliente não possui Cartão de Crédito

03.02.2012

35

3.2.3.2

6 e 7

Consignado - Exemplo 01: - Contrato Novo com RMC

       

Cliente não possui Cartão de Crédito

03.02.2012

35

3.2.3.2

7

Consignado - Exemplo 02: - Contrato Novo sem RMC

03.02.2012

35

3.2.7.4

8

Formas de Liberação

 

03.02.2012

35

3.2.8.2

9

Refinanciamentos - Exemplo 01: - Contrato de Refinanciamento

       

Compra de Dívidas – Exemplo 01 –

03.02.2012

35

3.2.9

10 e

11

Cliente possui RMC – enquadrado dentro dos 20%.

       

Compra de Dívidas - Exemplo 02 –

03.02.2012

35

3.2.9

11

Cliente possui RMC – não enquadrado dentro dos 20%.

03.02.2012

35

3.2.10.1

11

Análise

de

Propostas

pelo

Banco

Original.

17.04.2012

36

3.2.2.4

5

Documentação – NOTA.

 

17.04.2012

36

3.2.5.1

7

Prazos,

Taxas

e

Comissões

das

Operações.

 

17.04.2012

36

3.2.6.1

7

Quantidade Operações.

 

17.04.2012

36

3.2.7.3

8

Formas de Liberação – NOTA.

 

17.04.2012

36

3.2.10.1

11

Análise

de

Propostas

pelo

Banco

Original.

Versão 36

Abril/2012

Página 14 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

5 ANEXOS

ANEXO 1 – Benefícios Emitidos Segundo as Espécies

ATENÇÃO: Os benefícios grifados, NÃO podem ser contemplados para a

ATENÇÃO: Os benefícios grifados, NÃO podem ser contemplados para a

concessão da consignação.

ATENÇÃO: Os benefícios grifados, NÃO podem ser contemplados para a concessão da consignação.
 

BENEFÍCIOS DO GRPS

 
 

ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS

 
 

APOSENTADORIAS POR IDADE

 

Aposentadoria por idade do trabalhador rural

 

7

Aposentadoria por idade do empregador rural

 

8

Aposentadoria por idade (LOPS)

 

41

Aposentadoria por idade (Extinto Plano Básico)

 

52

Aposentadoria por idade do ex-combatente marítimo (Lei nº 1.756/52)

78

Aposentadoria por idade compulsória (Ex-SASSE)

 

81

 

APOSENTADORIAS POR INVALIDEZ

 

Aposentadoria por invalidez do trabalhador rural

 

4

Aposentadoria por invalidez do empregador rural

 

6

Aposentadoria por invalidez previdenciária (LOPS)

 

32

Aposentadoria por invalidez da aeronáutica

 

33

Apos. por invalidez do ex-combatente marítimo (Lei nº 1.756/52)

 

34

Aposentadoria por invalidez (Extinto Plano Básico)

 

51

Aposentadoria por invalidez (Ex-SASSE)

 

83

 

APOSENTADORIAS POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

 

Aposentadoria por tempo de contribuição previdenciária (LOPS)

 

42

Apos. por tempo contribuição ex-combatente

 

43

Aposentadoria por tempo de contribuição de aeronauta

 

44

Aposentadoria por tempo de contribuição do jornalista profissional

45

Aposentadoria por tempo de contribuição especial

 

46

Aposentadoria por tempo de contribuição ordinária

 

49

Apos. por tempo de contribuição do prof. (Emenda Const. 18/81)

 

57

Apos. por tempo contribuição ex-combatente marítimo (Lei nº 1.756/52)

72

Aposentadoria por tempo de contribuição (Ex-SASSE)

 

82

 

PENSÃO POR MORTE

 

Pensão por morte do trabalhador rural

 

01

Pensão por morte do empregador rural

 

03

Pensão por morte previdenciária (LOPS)

 

21

Pensão por morte do ex-combatente

 

23

Pensão por morte de serv. Publico fed. Com dupla aposentadoria

27

Pensão por morte do Regime Geral (Decreto nº 20.465/31)

 

28

Pensão por morte do ex-combatente marítimo (Lei nº 1.756/52)

 

29

Pensão por morte (Extinto Plano Básico)

 

55

Pensão por morte (Ex-SASSE)

 

84

 

AUXÍLIOS

Auxílio doença do trabalhador rural

 

13

Auxílio-reclusão do trabalhador rural

 

15

Auxílio-reclusão (LOPS)

 

25

Auxílio doença previdenciário (LOPS)

 

31

Auxílio Acidente

 

36

Versão 36

   

Abril/2012

Página 15 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Auxílio doença (Extinto Plano Básico 50 Auxílio doença do Ex- Combatente 35 Auxílio reclusão extinto
Auxílio doença (Extinto Plano Básico
50
Auxílio doença do Ex- Combatente
35
Auxílio reclusão extinto plano básico
53
Auxilio Natalidade
61
Auxílio Funeral
62
Auxílio-Funeral Trabalhador Rural
63
Auxílio-Funeral Empregador Rural
64
BENEFÍCIOS ACIDENTÁRIOS
Pensão por morte por acidente do trabalho do trabalhador rural
02
Aposentadoria por invalidez por acidente do trabalho do trab. Rural
05
Complemento Acidente Trabalho P/Trab. (Rural)
09
Auxílio doença por acidente do trabalho do trabalhador rural
10
Auxílio doença por acidente do trabalho
91
Aposentadoria por invalidez por acidente do trabalho
92
Pensão por morte por acidente do trabalho
93
Auxílio Acidente por acidente do trabalho
94
Auxílio Suplementar por acidente do trabalho
95
Afastamento de 15 dias acidente de trabalho
99
ESPÉCIES DIVERSAS
Abono de permanência em serviço 25%
47
Abono de permanência em serviço 20%
48
Abono de serviço aposentado pela autarquia empr. (Lei 1.756/52)
79
Abono Anual de Acidente de Trabalho
98
Salário maternidade
80
BENEFÍCIOS ASSITENCIAIS
ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS
Renda mensal vitalícia por invalidez do trab. Rural (Lei nº 6.179/74)
11
Renda mensal vitalícia por idade do trab. Rural (Lei nº 6.179/74)
12
Renda mensal vitalícia por invalidez (Lei nº 6.179/74)
30
Renda mensal vitalícia por idade (Lei nº 6.179/74)
40
Pecúlio Especial servidor autarquico
65
Pec. Esp. Servidor Autarquico
66
Pecúlio Obrigatório Ex-IPASE
67
Pecúlio Especial de Aposentados
68
Pecúlio de Estudantes
69
Restituição Contrib. P/ Seg. S/ Carência
70
Complemento de Pensão a Conta da União
74
Complemento de Aposentadoria a Conta da União
75
Pensão mensal vitalícia do seringueiro (Lei nº 7.986/89)
85
Pensão mensal vitalícia do dep. do seringueiro (Lei nº 7.986/89)
86
Amparo assistencial ao portador de deficiência (LOAS)
87
Amparo assistencial ao idoso (LOAS)
88
Simples Assist. Medica P/ acidente Trabalho
90
Pecúlio por morte Acidente do Trabalho
97
ENCARGOS PREVIDENCIÁRIOS DA UNIÃO – EPU
ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS
Pensão por morte estatutária
22
Versão 36
Abril/2012
Página 16 de 18
Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Pensão Especial (Lei 593/48)

 

26

Aposentadoria de extranumerário da União

 

37

Aposentadoria da extinta CAPIN

 

38

Pensão Especial Vitalícia (Lei nº 9.793/99)

 

54

Pensão mensal vitalícia por síndrome de talidomida (Lei nº 7.070/82)

56

Aposentadoria excepcional do anistiado (Lei nº 6.683/79)

 

58

Pensão por morte excepcional do anistiado (Lei nº 6.683/79)

 

59

Salário Família estatutário da RFFSA (Decreto lei nº 956/69)

 

76

Salário Família Previdenciário

 

71

Salário Família Estatutário

 

73

Salário Família Estatutário servidores SINPAS

 

77

Pensão esp. Aos dep. de vitimas fatais p/ contam. Na hemodiálise

89

Pensão Especial portador de SIDA

 

60

Pensão Especial para vítimas atingidas pela Hanseníase

 

96

ESPÉCIES ANTIGAS, NÃO MAIS CONCEDIDAS, MAS QUE PODEM AINDA EXISTIR NO CADASTRO VINCULADAS A UM BENEFÍCIO TAMBÉM ANTIGO E AINDA ATIVO

ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS

Pensão de estudante (Lei 7.004/82)

19

Pensão por morte de ex-diplomata

20

Pensão especial (ato institucional)

24

Versão 36

Abril/2012

Página 17 de 18

Classificação: Pública Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

Classificação: Pública

Política de Crédito para Concessão de Empréstimos Aposentados e Pensionistas do INSS

ANEXO 2 – Tabela de Rubricas INSS

Rubricas de crédito que são consideradas para o cálculo da margem

Mens. Reajustada

Compl. da M.R.

Salario familia

Grat. ex-Comb.

RFFSA nao trib.

Compl. acompan.

Outras Vantagens

Plansfer RFFSA

Dupla Atividade

Grat.Produt. ECT

Adic. Talidomida

OBS: As demais rubricas de crédito NÃO são consideradas no cálculo da margem (ou seja, devem ser ignoradas):

Rubricas de débito que devem ser descontadas antes do cálculo da margem consignável do empréstimo pessoal

I.R. ret. Fonte

Deb. pens. alim.

Consignacao

I.R. no exterior

Debito dif. I.R.

Desconto INSS

Contrib. COBAP

Contrib. CONTAG

Contrib. STFERJ

Contrib. ASTRE

Contrib. FORCA SIND

Contrib. CUT

Contrib. UNIDAS

Contrib. CGT

Contrib. SINDAPB

Contrib. ASBAPI

OBS: As demais rubricas de débito NÃO são descontadas no cálculo da margem consignável, devendo ser ignoradas.

Versão 36

Abril/2012

Página 18 de 18