UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA CIVIL

CÁLCULO DE INCERTEZAS E HISTOGRAMAS

VICTOR MAGALHÃES SILVA (201210108)

ILHÉUS – BAHIA 2012
1

Turma P01. Professora: José Rafael León Fernández ILHÉUS – BAHIA 2012 2 .VICTOR MAGALHÃES SILVA (201210108) CÁLCULO DE INCERTEZAS E HISTOGRAMAS Relatório apresentado como parte dos critérios de avaliação da disciplina CET788 – FÍSICA EXPERIMENTAL I. Dia da execução do experimento: 02/04/2012.

...................................................... 4 3 ............................... 6 6 ....................OBJETIVOS..RESUMO . 5 4 ..................1 Materiais .................................. 5 5 – APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS ........................................................................................................................................................................................ 5 4......................................................................................................... 4 2 – INTRODUÇÃO ..........................................................MATERIAIS E MÉTODOS .......................................................18 3 ....................2 Métodos .REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ..................18 7...........................................................................................................................................................CONCLUSÃO...........................Sumário 1.............................................. 5 4................................................................................................................................................................................

RESUMO As medidas envolvem incertezas que dependem da técnica utilizada. para encontrar o intervalo que contém o real valor da grandeza medida. Após os cálculos necessários e a repetição dos mesmos com diferentes quantidades. desvio padrão. A média aritmética é um valor obtido da divisão das somas dos números observados pela quantidade deles. desvio padrão correspondente aos erros sistemáticos. levando em consideração a incerteza do instrumento e as repetições das medidas. desvio padrão médio e incerteza da média são cálculos realizados. o resultado poderia ser expresso com mais segurança. tais como a média. 2 – INTRODUÇÃO Média. Tendo uma série de n valores de uma variável y. Já se utilizarmos um micrômetro. a qual é chamada incerteza da média. 2 4 . Toda repetição de uma medição também possui uma incerteza. já se o medidor for analógico. dispositivo capaz de medir distancias de até 0. Ao medirmos o tamanho de um lápis com uma régua comum. veremos a importância de um histograma e das medidas estatísticas na distribuição de dados . usaremos as formulas de desvio padrão da medida.05 mm. Com isso. visto que a menor distância que podemos medir com tal material é 1 mm.1. As medidas sempre envolvem incertezas. desvio padrão correspondente aos erros estatísticos. desvio padrão correspondente aos erros sistemáticos. desvio padrão correspondente aos erros estatísticos. calculamos a mesma. a incerteza é a menor medida obtida. dentre outras. a média será determinada pela equação abaixo: ̅ ∑ Eq. que são dadas por: √ ∑ ̅ Eq. torna-se necessário o conhecimento a respeito de algumas medidas estatísticas que auxiliam no cálculo dessa incerteza. Para descobrirmos o valor da incerteza da média. 1 Onde: ̅ é a média aritmética (valor médio). os desvios. a partir de objetos mensurados. é no uso da medida do diâmetro de palitos de madeira através de um micrômetro. Um exemplo de aplicação. dividida por 2. jamais poderíamos ter certeza do resultado obtido. A incerteza instrumental de um medidor digital é a menor medida obtida por ele. A incerteza ou erro no valor da grandeza depende da técnica usada na medida.

média e desvio padrão.1 Materiais   50 Palitos de Dente Micrômetro 4. para calcular a incerteza da média fazemos: Eq.2 Métodos 5 . D= ̅± 3 . também conhecido como desvio correspondente aos erros sistemáticos. fazendo uso de histogramas para estudar a distribuição de dados. Eq. No caso da distribuição gaussiana: . Onde: Tendo os resultados acima. o que irá auxiliar no tratamento estatístico do conjunto de medidas. 4 Onde é a incerteza instrumental. 6 Por fim. 4 .MATERIAIS E MÉTODOS 4. Eq. 5 Eq. sendo L o limite de erro sistemático.OBJETIVOS O objetivo de tal experimento é aprender a trabalhar com a teoria dos erros. chegaremos ao valor correto da medida do diâmetro ( D ). 3 é o desvio padrão correspondente aos erros estatísticos.Onde: √ é o desvio padrão.

15 2.83 x 10-3 m e 2. Figura 1 . onde N é o número do palito medido e d é o diâmetro do respectivo palito: PALITOS DE MADEIRA N 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º d x 10-3 m 1.01 mm e 0.1) para mensurar os diâmetros dos palitos de dentes.91 2.96 1.O estudo foi realizado no laboratório de Física.94 1. como mostra a Tabela 1.93 1. o diâmetro dos palitos variaram entre 1.99 1.001mm. 5 – APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS De acordo com as medidas do micrômetro. Utilizamos a medida externa de um micrômetro (Fig.22 x 10-3 m.Instrumento de medição de medidas lineares utilizado quando a medição requer uma precisão acima da possibilitada. tendo como base a análise de 50 palitos.Micrômetro .11 6 .91 1. com um paquímetro e é fabricado com resolução entre 0.

95 2.97 2.02 1.11 7 .00 2.00 2.10 2.02 1.86 2.16 2.92 1.90 2.83 2.86 2.02 1.87 2.97 1.92 1.85 2.89 1.15 2.00 1.06 1.9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º 21º 22º 23º 24º 25º 26º 27º 28º 29º 30º 31º 32º 33º 34º 35º 1.01 1.06 1.87 1.16 2.

04 Tabela 1 – Representa os valores encontrados durante a aferição dos palitos de madeira.86 99. dividimos esse valor pelo número total de palitos (50 palitos).22 1.97 1.92 1. com os resultados obtidos e computados.98 1.03 2.95 2. Agora.96 1.04 x : 50 = 1. de acordo com a Eq.95 1.98 1.01 1. de acordo com a Eq. 2: 8 . temos que descobrir qual o valor médio. podemos buscar a incerteza da média.88 1.9808 x 1.36º 37º 38º 39º 40º 41º 42º 43º 44º 45º 46º 47º 48º 49º 50º TOTAL 1. Para começarmos.99 1. iremos calcular o desvio padrão. 1: ̅ ∑ Visto que o valor da soma dos diâmetros dos palitos foi igual a 99.04 x .98 x Agora.97 1. Então encontraremos como resultado: ̅ = 99.94 2.

Então: . encontraremos o desvio correspondente aos erros sistemáticos. Agora. utilizando a Eq. torna-se possível encontrar o desvio padrão do conjunto de dados.00025 √ 9 . encontraremos como resultado: = 0. através da Eq.4: 0. 5: . onde L = = = 0.015 mm.01.106 mm. torna-se possível encontrar o desvio correspondente aos erros estatísticos. 3: √ = √ 0.106589 mm 0.√ ∑ ̅ √ ∑ Após fazer o cálculo para cada . através da Eq. Desta forma. A partir daí.015² + 0.

onde o eixo y representa a frequência e o eixo x representa o diâmetro dos palitos. 6. dividindo m em 10 partes iguais.83 = 0.0158 mm. para facilitar a observação da frequência com que cada diâmetro aparece.0. através da Eq. Se somarmos os valores da frequência de cada um. corretamente será: D= ̅± D = 1. apareceram. o valor da medida. torna-se possível a criação de um histograma. Histograma 12 10 Freqüência 8 6 4 2 0 Freqüência Bloco Figura 2 . que corresponde ao intervalo.039mm.98 ± 0. é possível notar que foi dada através do histograma. a frequência em que os dados presentes em um determinado intervalo. Para isso foi necessário calcular: O valor de m = Vmáx – Vmín = 2. Observando o gráfico. perceberemos que o resultado encontrado será igual ao número de palitos (50 ao todo). Com os dados obtidos e tendo a frequência absoluta de cada medida.Histograma utilizado para mostrar a frequência das medidas do diâmetro de cada um dos palitos. Com isso. portanto foram utilizadas apenas as medidas entre essas para criar o histograma. onde D é o diâmetro. As medidas encontradas na medição variaram de 1.22mm. 10 .83mm a 2.22-1.0158 mm. o valor de ∆y. Posteriormente. ∆y = = = 0.39mm.

Repetindo os passos com os 35 primeiros palitos: De acordo com as medidas do micrômetro.91 1.83 x 10-3 m e 2.95 2.15 2. onde N é o número do palito medido e d é o diâmetro do respectivo palito: PALITOS DE MADEIRA N 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º d x 10-3 m 1.00 2.15 2.06 11 .93 1.16 x 10-3 m. tendo como base a análise dos 35 primeiros palitos.02 1. o diâmetro dos palitos variaram entre 1.96 1.87 1.16 2. como mostra a Tabela 2.94 1.99 1.02 1.86 2.11 1.91 2.16 2.97 2.

92 1.20º 21º 22º 23º 24º 25º 26º 27º 28º 29º 30º 31º 32º 33º 34º 35º Total 1.06 1.86 2.87 2.01 1. de acordo com a Eq.97 1.89 1. 1: ̅ ∑ Visto que o valor da soma dos diâmetros dos palitos foi igual a 99.92 1.11 69.02 1. dividimos esse valor pelo número total de palitos (50 palitos).90 2.04 x .43 Tabela 2 – Representa os valores encontrados durante a aferição dos palitos de madeira.98 x Agora. temos que descobrir qual o valor médio. Calculando a incerteza da média: novamente.9837 x 1. 2: 12 . de acordo com a Eq.10 2.43 x : 35 = 1. iremos calcular o desvio padrão.85 2.00 2. para começarmos.83 2. Então encontraremos como resultado: ̅ = 69.00 1.

000049 √ 13 .298 mm.050² + 0.297835 mm 0. 5: . torna-se possível encontrar o desvio correspondente aos erros estatísticos. Agora.√ ∑ ̅ √ ∑ Após fazer o cálculo para cada .0025 + 0. encontraremos como resultado: = 0. torna-se possível encontrar o desvio padrão do conjunto de dados. encontraremos o desvio correspondente aos erros sistemáticos. 3: √ = √ 0. onde L = = 0.0143. A partir daí. através da Eq.4: 0.050 mm. Então: . utilizando a Eq. Desta forma. através da Eq.

33mm. 6.0505 mm. Segue então o histograma com as frequências dos 35 primeiros palitos: Histograma 8 6 Freqüência 4 2 0 Freqüência Bloco Figura 3 .Histograma utilizado para mostrar a frequência das medidas do diâmetro de cada um dos palitos. onde o eixo y representa a frequência e o eixo x representa o diâmetro dos palitos. é possível notar que foi dada através do histograma.98 ± 0.0505 mm. Com isso. o valor da medida. Para isso foi necessário calcular: O valor de m = Vmáx – Vmín = 2.16-1.83 = 0.033mm. apareceram. ∆y = = = 0.0. a frequência em que os dados presentes em um determinado intervalo. corretamente será: D= ̅± D = 1. que corresponde ao intervalo. onde D é o diâmetro. através da Eq. Observando o gráfico. o valor de ∆y. Posteriormente. 14 . dividindo m em 10 partes iguais.

15 2.92 Tabela 3 – Representa os valores encontrados durante a aferição dos palitos de madeira.94 1. como mostra a Tabela 3.02 1.95 2.06 1.96 1. 15 .16 2.Repetindo os passos com os 20 primeiros palitos: De acordo com as medidas do micrômetro. onde N é o número do palito medido e d é o diâmetro do respectivo palito: PALITOS DE MADEIRA N 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º 9º 10º 11º 12º 13º 14º 15º 16º 17º 18º 19º 20º d x 10-3 m 1.86 2.86 x 10-3 m e 2.16 2.93 1.91 2.15 2.00 2.16 x 10-3 m.02 1.97 2.99 1.11 1. o diâmetro dos palitos variaram entre 1.87 1. tendo como base a análise dos 20 primeiros palitos.91 1.

A partir daí.Calculando a incerteza da média: mais uma vez. de acordo com a Eq. 2: √ ∑ ̅ √ ∑ Após fazer o cálculo para cada . temos que descobrir qual o valor médio.096518 mm 0. Então encontraremos como resultado: ̅ = 40. encontraremos o desvio correspondente aos erros sistemáticos.096 mm. Agora. 3: √ = √ 0. 1: ̅ ∑ Visto que o valor da soma dos diâmetros dos palitos foi igual a 99.025. encontraremos como resultado: = 0. para começarmos.002 x 2. de acordo com a Eq. através da Eq.0215 mm. 5: .04 x .00 x Agora. onde L = = 0. através da Eq. torna-se possível encontrar o desvio correspondente aos erros estatísticos. Então: 16 . iremos calcular o desvio padrão. dividimos esse valor pelo número total de palitos (50 palitos).04 x : 20 = 2.

onde o eixo y representa a frequência e o eixo x representa o diâmetro dos palitos.025 mm. onde D é o diâmetro.Histograma utilizado para mostrar a frequência das medidas do diâmetro de cada um dos palitos.4: 0.00015625 √ 0. 17 . Com isso.00046225 + 0. 6.025 mm. através da Eq.00 ± 0.. Segue abaixo o histograma gerado com base na observação dos 20 primeiros palitos: Histograma 4 3 Freqüência 2 Freqüência 1 0 Bloco Figura 4 .0215² + 0. o valor da medida. Desta forma. corretamente será: D= ̅± D = 2. utilizando a Eq. torna-se possível encontrar o desvio padrão do conjunto de dados.

que corresponde ao intervalo. Posteriormente. W.. M.C. visto que todos os medidores têm certo grau de incerteza e que quanto menor for esse grau. 7. 6. o valor de ∆y. é possível notar que foi dada através do histograma. a frequência em que os dados presentes em um determinado intervalo. Rio de Janeiro: LTC. pode-se concluir que a variação ( ̅ ± ) nos mostra que a incerteza média faz com que o valor da média dos palitos de madeira varie.03mm. YOUNG. H. FREEDMAN.Observando o gráfico. percebemos que a incerteza é um valor pequeno e inevitável existente em qualquer medição. as fórmulas deixam claro que quanto mais palitos forem utilizados. HOLTZAPPLE. T. 463p. Introdução à engenharia. 220p. R. e diante da proposta estabelecida e realizada e da análise dos cálculos feitos.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS MONTGOMERY..CONCLUSÃO Sendo assim. mais confiável é o medidor. mais próximo do valor médio será o resultado. Física I: mecânica. 18 . Para isso foi necessário calcular: O valor de m = Vmáx – Vmín = 2. D. ∆y = = = 0. apareceram.16 . C. dividindo m em 10 partes iguais.D. 2006. Além disso. D.86 = 0. 424p.30mm. 12ª Edição. G. 2008.. RUNGER. 2003. 2ª Edição. Estatística Aplicada e Probabilidade para Engenheiros. Rio de Janeiro: LTC. São Paulo: Prentice Hall. REECE.1. A.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful