Taekwon-Do, Arte e Vida

Academia Shaolin – Louveira – SP
Rua Armando Steck, 294 – sala 2 – telefone: (19) 3878 0871 ou (11) 9905 7750

KWAN: OS INSTRUTORES DE “KARATÊ COREANO” E AS ORIGENS DO TAEKWON-DO
Boosabum

Diego Falcade (1º. Dan)

17 de dezembro de 2011

KWAN: OS INSTRUTORES DE “KARATÊ COREANO” E AS ORIGENS DO TAEKWON-DO

autor: Boosabum Digo Falcade (1º. Dan Ch’ang Hon Ryu Taekwon-Do)

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE:

Este trabalho foi baseado num capítulo do livro Taekwondo Tradicional: Técnica Essenciais, História e Filosofia, de autoria de Doug Cook, Faixa Preta praticante do estilo Kukkiwon, cujas competições de luta esportiva são gerenciadas pela World Taekwondo Federation (WTF):

Na primeira metade do século XX muitos lutadores coreanos imigraram para a China ou Japão, já que na Coreia era proibido praticar artes marciais. Lá trabalhavam ou lutavam contra o seu próprio país. Na China e no Japão, os coreanos podiam usar ou praticar artes marciais. É difícil descrever o período que o Taekwon-Do se encontrava em formação, já que ocorrências importantes raramente eram escritas em papéis e, quando era, a maioria dos registros foi destruída. Depois do domínio do Japão, pelo menos cinco ou seis kwans foram criados entre 1940 a 1950. Um dos primeiros a estabelecer um ambiente estável de treino foi Won Kuk Lee, nascido em 13 de abril de 1907. Lee começou a treinar no Japão e aprendeu na China as artes marciais proibidas na Coreia. Ele se tornou um estudante de Shotokan Karate-Do. Após voltar a Coreia, em 1944, Lee pediu permissão duas vezes para ensinar a seus conterrâneos as artes marciais. Só foi possível porque o Japão retirou a proibição de treino de artes marciais em 1943. Então, ele começou a dar aulas na escola Young Shin. Nessa época, as ruas estavam cheias de

gangues e grupos políticos recorrendo às artes marciais para acabar com os conflitos. Kuk Lee continuou a ensinar até fundar a academia de artes marciais com o nome de Do Kwan, ou ‘O Instituto Onze Azul’. Do mesmo jeito Hwlang Kee, nascido em 9 de novembro de 1914, criou o Soo Bahk Do Moo Duk kwan e também acúmulou estilos. Com 7 anos ele ficou fascinado pela arte marcial, após ver um homem sozinho acabar com um grupo de pessoas usando chutes e socos. Em 1936, Hwlang foi pego treinando escondido e isso lhe custou a sentença de morte, mas ele fugiu para a China. Em 1945, fundou a Moo Duk Kwan ou ‘Instituto Da Virtude Marcial’. Foi ali que começou a ensinar Soo Bahk. Em setembro de 1946 o grão mestre Byung Im Joon fundou a escola de taekkyon e em 1940 ele entrou para a faculdade Nihon em Tóquio onde conheceu o Kankem Toyana, fundador do Shudokan Karate-Do. Eles compartilharam seus conhecimentos de artes marciais e Yoon foi promovido 4°grau da Faixa Preta. Yoon fundou a Chang Moo Kwan , “Instituto de Treino de Espírito Marcial”. Após a guerra da Coréia, Byung desapareceu e, então, a Chang Moo Kwan, com nova direção prosperou e virou a Doyang em Seul, para autodefesa. Já em 1965, Lee retirou sua organização da associação coreana de Taekwon-Do e criou a associação mundial de Taekwon-Do , Chang Moo Kwan. Suh Cong Kang criou em 1949, a Kuk Moo Kwan ou ‘”Instituto Nacional de Artes Marciais”. Kang foi um, dentre um seleto grupo de estudantes que treinava em segredo com Wom Kuk Lee. Após 11 anos servindo seu país, Kang se tornou Instrutor Chefe do departamento de polícia de Incheu enquanto ensinava seu estilo de artes marciais em instalações militares. Byung Jik Ro criou em 11 de março de 1944 a Sang Moo Kwan ou “Instituto Eternamente Jovem de Artes Marciais”. Em maio de 1946 ele foi forçado a fechar a escola, mas não desistiu e a reabriu em 1953. Sang Sup Chun criou em 13 de maio de 1946, a Ji Do Kwang ou “Instituto do Caminho da Sabedoria”. No ano de 1950, durante a guerra da Coreia, Chum foi seqüestrado e morto.

Depois disso, a Yum Moo Kwan fechou as portas mais ressurgiu como a Je Do Kwan sob a direção de Kwe Bryung Yoom e Chong Woo Lee.

General Cho Hong Hi O General Choi Hong Hi começou a treinar em 1930 com Hong II Dong. Hong não só ensinou caligrafia mais também taekkyon. Em Kyoto, ele conheceu um instrutor coreano, e pegou faixa preta em 1°grau de karatê. Ele foi pego treinando escondido e sua sentença original era de sete anos de 1 prisão, mas acabou condenado a morte . Três dias antes de ele ser morto, o Japão se rendeu e ele se vê livre. Em 1953, após a criação da 29ª. Divisão de Infantaria do Exército Coreano, o General decidiu que todos os soldados sob o seu comando deveriam aprender artes marciais, em particular, o estilo de Taekwon-Do que vinha desenvolvendo a partir do Karatê. O general Choi também criou a academia de treino dentro das forças armadas, chamada Oh Do Kwan ou “Instituto de meu caminho”. Em 1946, houve tentativas de unificar as artes marciais. A data conhecida como o nascimento do Taekwon-Do é 11 de abril de 1955. Nesse dia um grupo de influentes homens entraram em conferência com o propósito de arranjar um nome para esse novo esporte, nomeTaekwon-Do. Choi escolheu o nome por ter ligação com os chutes e socos. No começo acharam muito parecido com “taekkyon” mas, depois concordaram. Em 1959, Choi convocou uma outra reunião com os líderes dos Kwan, para recomeçar uma união. Em 1965 Choi voltou para a Coréia após ter sido nomeado Embaixador da Malásia. Percebeu então, que o Tae Soo Do era a mesma arte marcial que ele tinha criado com outro nome, por isso sugeriu que o nome voltasse a ser Taekwon-Do e assim ocorreu. sendo proposto o

1

Esta versão da condenação de Choi, Hong Hi está em desacordo com uma vasta literatura, bem

documentada, que apresenta o futuro General Choi como um dos participantes de uma tentativa de um levante de jovens coreanos – obrigados ao serviço militar do Japão Imperial – com o objetivo de fugirem do quartel e seguirem para as montanhas para se aliarem à guerrilha contra as forças japonesas.

Em 22 de março de 1966, o Taekwon-Do atingiu o seu lugar como arte marcial global, após a criação da Intenational Taekwon-Do Federation.

BIBLIOGRAFIA

COOK, Doug. Taekwondo Tradicional: Técnicas Essenciais, História e Filosofia; tradução, Marcos Malvezzi. São Paulo: Madras, 2011

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful