Você está na página 1de 54
CEPRN- CENTRO DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE DO RN
CEPRN- CENTRO DE ENSINO
PROFISSIONALIZANTE DO RN
ANATOMIA ANIMAL FLÁVIO MESQUITA
ANATOMIA ANIMAL
FLÁVIO MESQUITA
CEPRN- CENTRO DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE DO RN ANATOMIA ANIMAL FLÁVIO MESQUITA NATAL 2012
NATAL 2012
NATAL
2012
HISTÓRIA DA ANATOMIA Ao contrário do que muitos pensam, a Anatomia  não é uma
HISTÓRIA DA ANATOMIA Ao contrário do que muitos pensam, a Anatomia  não é uma
HISTÓRIA DA ANATOMIA
HISTÓRIA DA ANATOMIA

Ao contrário do que muitos pensam, a Anatomia



não é uma ciência morta, muito menos de

apenas cadáveres.

Os

estudaram sempre às

escondidas pois era proibido o uso da dissecação. Considerava-se abuso a violação

de um cadáver, de forma especial, o humano.

Anatomistas

Começou nos primórdios da história humana. O homem pré-histórico já observava à sua volta a existência de seres diferentes de seu corpo, os animais.

 Com isso, passou a gravar nas paredes das cavernas e fazer esculturas das formas
 Com isso, passou a gravar nas paredes das cavernas e fazer esculturas das formas

Com isso, passou a gravar nas paredes das cavernas e fazer esculturas das formas que via. Com isso passou a notar detalhes, que hoje nos

que via. Com isso passou a notar detalhes, que hoje nos permite identificar as espécies animais

permite identificar as espécies animais descritas.

Na verdade, torna-se impossível distinguir a história da Anatomia Humana, Anatomia

Veterinária, Medicina e Medicina Veterinária, visto

que estas áreas cresceram se se desenvolveram

em "parceria" durante séculos.

 Então vemos neste exemplo, que Anatomia, além de não ser uma ciência morta, é
 Então vemos neste exemplo, que Anatomia, além de não ser uma ciência morta, é
 Então vemos neste exemplo, que Anatomia, além de não ser uma ciência morta, é

Então vemos neste exemplo, que Anatomia, além de não ser uma ciência morta, é essencial para o conhecimento médico, seja ele humano ou

veterinário.

Porém, foi na Grécia antiga que a anatomia,

inicialmente,

ciência.

ganhou

maior

aceitação

como

CONCEITO:
CONCEITO:
CONCEITO: Anatomia é o ramo da ciência que trata da forma e estrutura dos organismos. Etimologicamente,

Anatomia é o ramo da ciência que trata da

forma e estrutura dos organismos. Etimologicamente, significa cortar separando ou

dissociando as partes do corpo.

POSIÇÃO ANATÔMICA:
POSIÇÃO ANATÔMICA:

a

posição

padrão

 É
 É

adotada

para o corpo

humano ou animal no espaço, para que se possa

descrever as estruturas que o compõem.

Para

evitar

divergências

nessa

descrição,

estabelece-se uma oposição

descrição anatômica para os quadrúpedes:

fundamental

de

 O animal está de pé, com os quatro membros estendidos em firmemente apoiados no
 O animal está de pé, com os quatro membros estendidos em firmemente apoiados no

O animal está de pé, com os quatro membros estendidos em firmemente apoiados no solo,

pescoço encurvado para cima, formando um

o
o

ângulo de 145º com o dorso, a cabeça se

mantém mais ou menos ereta num plano horizontal de modo que as narinas estejam

voltadas para a frente e os olhos voltados para

o horizonte.

PLANOS E EIXOS DO CORPO ANIMAL  São delimitados no espaço, na descrição anatômica do
PLANOS E EIXOS DO CORPO ANIMAL  São delimitados no espaço, na descrição anatômica do
PLANOS E EIXOS DO CORPO ANIMAL
PLANOS E EIXOS DO CORPO ANIMAL
PLANOS E EIXOS DO CORPO ANIMAL  São delimitados no espaço, na descrição anatômica do corpo

São delimitados no espaço, na descrição anatômica do corpo do animal, são classificados em:

CRANIAL E CAUDAL: Indica a direção ou a maior aproximação da cabeça ou cauda;

DORSAL E VENTRAL: Indica a direção próxima ao dorso ou ventre;

 LATERAL E MEDIAL: Estrutura distante ou afastada do plano mediano;  ROSTRAL: Na direção
 LATERAL E MEDIAL: Estrutura distante ou afastada do plano mediano;  ROSTRAL: Na direção
 LATERAL E MEDIAL: Estrutura distante ou afastada do plano mediano;  ROSTRAL: Na direção

LATERAL E MEDIAL: Estrutura distante ou afastada do plano mediano;

ROSTRAL: Na direção próxima ao focinho,

usado somente na cabeça;

PROXIMAL E DISTAL: Próximo a raiz ou

origem principal, utilizado em membros;

INTERNO

EXTERNO,

PROFUNDO: Tem o significado do termo.

E

SUPERFICIAL

E

 PALMAR E PLANTAR: Termos utilizados para as partes dos membros voltados para o solo
 PALMAR E PLANTAR: Termos utilizados para as partes dos membros voltados para o solo

PALMAR E PLANTAR: Termos utilizados para as partes dos membros voltados para o solo respectivos aos torácicos e pelvino.

PLANOS DE CORTE QUE DELIMITAM O CORPO ANIMAL
PLANOS DE CORTE QUE DELIMITAM O CORPO
ANIMAL
PLANOS DE CORTE QUE DELIMITAM O CORPO ANIMAL  São linhas imaginárias que tangência o corpo

São linhas imaginárias que tangência o corpo do animal. Os planos são responsáveis pela

divisão do corpo do animal auxiliando a

localização de órgãos e estruturas. Sendo classificados em:

SAGITAL MEDIANO: Plano que divide o corpo do

animal em metades ou antímeros direito e

divide o corpo do animal em metades ou antímeros direito e esquerdo;  PLANO TRANSVERSAL: Plano

esquerdo;

PLANO TRANSVERSAL: Plano que divide o corpo do animal em metades cranial e caudal;

PLANO FRONTAL: Plano que divide o corpo do animal em metades ventral e dorsal;

PRINCÍPIOS GERAIS DE CONSTRUÇÃO CORPÓREA NOS VERTEBRADOS: que
PRINCÍPIOS GERAIS DE CONSTRUÇÃO CORPÓREA
NOS VERTEBRADOS:
que
GERAIS DE CONSTRUÇÃO CORPÓREA NOS VERTEBRADOS: que  ESTRATIFICAÇÃO: São as camadas sucessivas

ESTRATIFICAÇÃO: São as camadas sucessivas

constituem o corpo dos animais. Exemplo:

Pele, músculos, órgãos etc.

ANTIMERIA: O Plano mediano divide o corpo do indivíduo em duas metades, direita e esquerda, estas metades são denominadas ANTÍMEROS e

são semelhantes morfológica e funcionalmente

podendo dizer-se que os vertebrados são constituídos segundo o princípio da Simetria Bilateral. Na realidade, não há Simetria perfeita,

porque não existe correspondência exata de todo

os órgãos.

OSTEOLOGIA
OSTEOLOGIA
OSTEOLOGIA  Conceito: É a parte da anatomia que estuda os ossos e suas relações entre

Conceito: É a parte da anatomia que estuda os ossos e suas relações entre si.

É importante pela ação dos ossos e esqueleto, na proteção das partes moles do corpo, conformação e sustentação do corpo, como sistema de

alavanca, na produção de células sanguíneas e por

ser depósito de íons Ca e P.

 Ossos:
 Ossos:
 Ossos:  São órgãos rígidos, esbranquiçados, constituídos por tecido conjuntivo mineralizado que reunidos
 Ossos:  São órgãos rígidos, esbranquiçados, constituídos por tecido conjuntivo mineralizado que reunidos

São

órgãos

rígidos,

esbranquiçados,

constituídos por tecido conjuntivo mineralizado

que reunidos entre si participam na formação do

vasos

esqueleto. Possuem

sangüíneos.

nervos

e

 Esqueleto:
 Esqueleto:
 Esqueleto:  É um conjunto de ossos e tecido cartilaginoso unido entre si para dar
 Esqueleto:  É um conjunto de ossos e tecido cartilaginoso unido entre si para dar

É um conjunto de ossos e tecido cartilaginoso unido entre si para dar conformação ao

corpo, proteção e sustentação de partes

moles. Parte da Anatomia que estuda o Esqueleto. O esqueleto é constituído por ossos e cartilagens, conferindo assim várias

funções, das quais destacamos:

Fixação

e alavanca para a musculatura

esquelética (o que confere a rigidez que serve de suporte ao corpo humano);

que confere a rigidez que serve de suporte ao corpo humano);  Alojamento caixa craniana aloja

Alojamento

caixa

craniana aloja e protege encéfalo, a caixa

torácica protege coração e pulmões);

proteção

de

órgãos

(a

e

Sustentação de partes moles com a inserção de músculos;

Locomoção, constituindo-se em seu elemento passivo;

 Locomoção, constituindo-se em seu elemento passivo;  Hematopoiese, (o tecido esponjoso de alguns ossos com

Hematopoiese, (o tecido esponjoso de alguns ossos com medula vermelha produz células sanguíneas);

Armazenamento

de

sais minerais,

principalmente cálcio, fósforo, sódio e magnésio,

(podendo chegar a 60% do peso ósseo, com o cálcio correspondendo a 97%).

CLASSIFICAÇÕES DO ESQUELETO:  Esqueleto axial: ossos da cabeça e da coluna vertebral, esterno e
CLASSIFICAÇÕES DO ESQUELETO:  Esqueleto axial: ossos da cabeça e da coluna vertebral, esterno e
CLASSIFICAÇÕES DO ESQUELETO:
CLASSIFICAÇÕES DO ESQUELETO:
CLASSIFICAÇÕES DO ESQUELETO:

Esqueleto axial: ossos da cabeça e da coluna vertebral, esterno e costelas;

ossos da cabeça e da coluna vertebral, esterno e costelas;  Esqueleto apendicular superior: escápula, clavícula,
ossos da cabeça e da coluna vertebral, esterno e costelas;  Esqueleto apendicular superior: escápula, clavícula,
ossos da cabeça e da coluna vertebral, esterno e costelas;  Esqueleto apendicular superior: escápula, clavícula,

Esqueleto apendicular superior: escápula,

clavícula, úmero, rádio, ulna, carpos, metacarpos,

falanges e sesamóides;

rádio, ulna, carpos, metacarpos, falanges e sesamóides;  Esqueleto apendicular inferior: Pelve (ílio, ísquio

Esqueleto apendicular inferior: Pelve (ílio, ísquio e púbis), osso coxal (fêmur), tíbia, fíbula, ossos do tarso e metatarsos, falanges e

sesamóides.

CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:  De acordo com a morfologia classificados em: e função são 
CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:  De acordo com a morfologia classificados em: e função são 
CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:
CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:
CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:  De acordo com a morfologia classificados em: e função são  -
CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:  De acordo com a morfologia classificados em: e função são  -

De acordo com a morfologia classificados em:

e função são

acordo com a morfologia classificados em: e função são  - LONGO OU TUBULAR: Apresentam um

- LONGO OU TUBULAR: Apresentam um comprimento maior que a largura e a

espessura. Os ossos longos são tipicamente de

forma cilíndrica alongada com extremidades alargadas.

 Tem como função : servir de alavanca para a locomoção, elementos de sustentação. Exemplo:

Tem como função: servir de alavanca para a locomoção, elementos de sustentação.

de alavanca para a locomoção, elementos de sustentação. Exemplo: Fêmur, tíbia, fíbula, etc.  Um osso
de alavanca para a locomoção, elementos de sustentação. Exemplo: Fêmur, tíbia, fíbula, etc.  Um osso

Exemplo: Fêmur, tíbia, fíbula, etc.

Um osso longo apresenta duas extremidades denominadas epífises e um corpo, a diáfise.

Esta possui no seu interior uma cavidade o

canal medular que aloja a medula óssea.

 CHATOS OU PLANO:
 CHATOS
OU
PLANO:
 CHATOS OU PLANO: Apresenta o comprimento e a largura equivalentes e muito maiores que a

Apresenta

o

comprimento e a largura equivalentes e muito

maiores que a espessura. Os ossos planos são expandidos em duas direções.

Tem a função principal de proteção dos órgão que cobrem e de inserção dos músculos pela

grande área de superfície. Exemplo: Ossos do

crânio, etc.

 CURTO:
 CURTO:
 CURTO: Suas três dimensões são aproximadamente iguais, tanto no comprimento, largura e espessura. Exemplo: Ossos

Suas

três

dimensões

são

aproximadamente iguais, tanto no comprimento,

largura e espessura. Exemplo: Ossos do tarso,

carpo e sesamóides, etc.

Tem a função de aumentar a força de alavanca para os músculos e tendões.

 IRREGULARES: De conformações totalmente irregulares. Exemplo: Ossos como as vértebras ossos da base do
 IRREGULARES: De conformações totalmente irregulares. Exemplo: Ossos como as vértebras ossos da base do

IRREGULARES: De conformações totalmente irregulares. Exemplo: Ossos como as vértebras ossos da base do crânio.

Possuem varias funções, Área para fixação de músculos, Servir como reserva de minerais, etc.

 PNEUMÁTICOS: Apresenta uma ou mais cavidades de volume variável revestidas de mucosas e contendo

PNEUMÁTICOS: Apresenta uma ou mais cavidades de volume variável revestidas de mucosas e contendo ar, no seu interior. Exemplo:

de mucosas e contendo ar, no seu interior. Exemplo: Frontal, maxilar, temporal, etmóide, esfenóide e palatino.

Frontal, maxilar, temporal, etmóide, esfenóide e

palatino.

Possuem várias funções: Diminuir o peso da

cabeça, dar maior resistência aos ossos, sustentar

e proteger tecidos moles, etc.

ESTRUTURA DOS OSSOS:  O osso é uma substância viva com vasos sangüíneos, vasos linfáticos
ESTRUTURA DOS OSSOS:  O osso é uma substância viva com vasos sangüíneos, vasos linfáticos
ESTRUTURA DOS OSSOS:
ESTRUTURA DOS OSSOS:
ESTRUTURA DOS OSSOS:  O osso é uma substância viva com vasos sangüíneos, vasos linfáticos e
ESTRUTURA DOS OSSOS:  O osso é uma substância viva com vasos sangüíneos, vasos linfáticos e

O osso é uma substância viva com vasos

sangüíneos, vasos linfáticos e nervos. Ele

cresce e está sujeito à doença, e quando fraturado cicatriza.

Os ossos funcionam como armação do corpo e como alavanca e inserção dos

músculos, proporciona proteção para algumas vísceras (como coração, pulmões,

encéfalo e medula espinhal).

 Ele é considerado um órgão hematopoiético, pois ele é a fonte de eritrócitos, hemoglobina,
 Ele é considerado um órgão hematopoiético, pois ele é a fonte de eritrócitos, hemoglobina,

Ele é considerado um órgão hematopoiético,

pois ele é a fonte de eritrócitos, hemoglobina,

pois ele é a fonte de eritrócitos, hemoglobina, granulócitos e plaquetas.  Os ossos apresentam uma

granulócitos e plaquetas.

Os ossos apresentam uma substância compacta, que é densa, e dentro desta se encontra a substância esponjosa, menos

densa, logo após, tem-se a medula óssea.

Que ocupa os interstícios dos ossos esponjosos, e a cavidade medular dos ossos

longos. Quanto à função e estrutura há três

tipos de medula óssea:

 Nos animais jovens a medula se encarrega da produção de corpúsculos vermelhos do sangue
 Nos animais jovens a medula se encarrega da produção de corpúsculos vermelhos do sangue

Nos animais jovens a medula se encarrega da produção de corpúsculos vermelhos do

se encarrega da produção de corpúsculos vermelhos do sangue e células brancas (granulócitos) e por se

sangue e células brancas (granulócitos) e por

se apresentar avermelhada é denominada de medula óssea vermelha.

Nos animais adultos as células hemopoéticas

são substituídas por células adiposas e a medula passa a ser chamada de medula óssea

amarela.

Com o avançar da idade as células adiposas são alteradas tornando-se amarelo-róseo, com

aparência de gelatina e é chamada de medula

óssea gelatinosa.

DESENVOLVIMENTO E CRESCIMENTO DOS OSSOS:  O esqueleto é composto de cartilagem e tecido fibroso
DESENVOLVIMENTO E CRESCIMENTO DOS OSSOS:  O esqueleto é composto de cartilagem e tecido fibroso

DESENVOLVIMENTO E CRESCIMENTO DOS

OSSOS:

DESENVOLVIMENTO E CRESCIMENTO DOS OSSOS:  O esqueleto é composto de cartilagem e tecido fibroso nos
DESENVOLVIMENTO E CRESCIMENTO DOS OSSOS:  O esqueleto é composto de cartilagem e tecido fibroso nos

O esqueleto é composto de cartilagem e tecido fibroso nos quais se desenvolve os

de

sendo

células

chamadas

O

denomina

ossos.

processo

ou

se

ossificação

osteogêneses

ossos,

por

realizado essencialmente

produtoras

osteoblastos.

de

PERIÓSTEO E ENDÓSTEO:

PERIÓSTEO E ENDÓSTEO: que  O periósteo é uma membrana conjuntiva os ossos, exceto nas reveste
PERIÓSTEO E ENDÓSTEO: que  O periósteo é uma membrana conjuntiva os ossos, exceto nas reveste

que

O periósteo é uma membrana conjuntiva

os ossos, exceto nas

reveste

superfícies articulares.

O endósteo é uma membrana conjuntiva delgada que reveste a superfície interna da

substância compacta.

 RELAÇÃO DOS OSSOS: CRÂNIO: Divido o crânio em ossos crânicos: Frontal, parietal, temporal, occipital,
 RELAÇÃO DOS OSSOS: CRÂNIO: Divido o crânio em ossos crânicos: Frontal, parietal, temporal, occipital,

RELAÇÃO DOS OSSOS:
RELAÇÃO DOS OSSOS:
 RELAÇÃO DOS OSSOS: CRÂNIO: Divido o crânio em ossos crânicos: Frontal, parietal, temporal, occipital,

CRÂNIO: Divido o crânio em ossos crânicos: Frontal, parietal, temporal,

occipital, basiesfenóide, etc.

FACIAIS: Zigomático, lacrimal, nasal,

maxila, mandíbula, incisivo, vômer, palatino, etc.

 COLUNA VERTEBRAL: Assim as vértebras são denominadas – Cervicais, torácicas, lombares, sacrais, coccígeas,
 COLUNA VERTEBRAL: Assim as vértebras são denominadas – Cervicais, torácicas, lombares, sacrais, coccígeas,

COLUNA

VERTEBRAL:

Assim

as

 COLUNA VERTEBRAL: Assim as vértebras são denominadas – Cervicais, torácicas, lombares, sacrais, coccígeas,

vértebras são denominadas Cervicais,

torácicas, lombares, sacrais, coccígeas, costelas, cartilagens costais e esterno.

COLUNA CERVICAL-
COLUNA CERVICAL-
COLUNA TORÁCICA
COLUNA TORÁCICA
COLUNA TORÁCICA
COLUNA TORÁCICA
COLUNA TORÁCICA
COLUNA TORÁCICA
COLUNA LOMBAR
COLUNA LOMBAR
COLUNA SACRACOCÍGEA
COLUNA SACRACOCÍGEA
REGIÃO CAUDAL
REGIÃO CAUDAL
REGIÃO CAUDAL
REGIÃO CAUDAL
REGIÃO CAUDAL
REGIÃO CAUDAL
CINGULO ESCAPULAR:  Escápula, clavícula
CINGULO ESCAPULAR:  Escápula, clavícula
CINGULO ESCAPULAR:
CINGULO ESCAPULAR:
CINGULO ESCAPULAR:  Escápula, clavícula

Escápula, clavícula

CINGULO ESCAPULAR:  Escápula, clavícula
MEMBRO TORÁCICO OU ANTERIOR:  Úmero, rádio, ulna, do carpo, metacarpo, falanges proximais, média, distal,
MEMBRO TORÁCICO OU ANTERIOR:  Úmero, rádio, ulna, do carpo, metacarpo, falanges proximais, média, distal,
MEMBRO TORÁCICO OU ANTERIOR:  Úmero, rádio, ulna, do carpo, metacarpo, falanges proximais, média, distal,
MEMBRO TORÁCICO OU ANTERIOR:
MEMBRO TORÁCICO OU ANTERIOR:

Úmero,

rádio,

ulna,

do

carpo,

metacarpo, falanges proximais, média,

distal, ossos sesamóides.

ossos

CINTURA PÉLVICA:  Íleo, ísquio, pube, sacro.
CINTURA PÉLVICA:
 Íleo, ísquio, pube, sacro.
MEMBRO POSTERIOR OU PELVINO:  Fêmur, tíbia, fíbula, ossos do tarso, metatarso, falanges proximal, média
MEMBRO POSTERIOR OU PELVINO:  Fêmur, tíbia, fíbula, ossos do tarso, metatarso, falanges proximal, média
MEMBRO POSTERIOR OU PELVINO:  Fêmur, tíbia, fíbula, ossos do tarso, metatarso, falanges proximal, média
MEMBRO POSTERIOR OU PELVINO:
MEMBRO POSTERIOR OU PELVINO:

Fêmur, tíbia, fíbula, ossos do tarso, metatarso, falanges proximal, média distal, sesamóides (patela, etc.)