Você está na página 1de 114

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

Alfredo Steinbruch

Professor de Matemática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (de 1953 a 1980) e da Pontifícia Universidade Cat6lica do Rio Grande do Sul (de 1969 a 1978)

McGraw-Hill São Paulo Rua Tabapuã, 1.105, Itaim-Bibi

CEP04533

(011) 881-8604 e (011) 881-8528

Rio de Janeiro e Lisboa e Porto e Bogotá e Buenos Aires e Guatema14 e Madrid e Mhk:o e New York e Panamá e San Juan e Santiago

Auckland e Hamburg e Kuala Lumpur e London e Milan e Montreal e New Delhi e Paris e Singapore e Sydney e Tokyo e Toronto

SUMÁRIO

SUMÁRIO

PREFÁCIO

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

IX

Capítulo 1 -

MATRIZES

Matriz de ordem m por

1

Diagonal principal e diagonal

zero.

.

.

.

.

.

• .

.

• • • • .

.

.

.

.

.

• .

.

.

2

Matriz diagonal e matriz

• .

• . •

.

.

.

.

 

2

Matriz Matriz oposta de uma

.

.

.

.

.

• • . •

.

.

3

3

Matriz triangular superior e matriz triangular

 

4

Igualdade de matrizes.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

• .

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

4

. Produto de uma matriz por um

Adição de

matrizes

.

• .

.

.

.

.

Matriz

Matriz

transposta.

• • • .

.

• • • .

• .

• •

.

• .

.

.

.

.

.

.

• • • .

.

• .

.

.

.

• .

.

.

.

• •

.

.

• .

.

• • .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

4

5

Produto de uma matriz por

• • •

Matriz anti-simétrica • .

. .

• • • . .

. • • • .

. • • . • .

.

.

• .

.

• •

.

• .

.

• • .

. • • • • • . .

.

• .

.

. . • • .

.

.

• • .

.

.

.

.

.

6

11

12

13

Problema.s

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

14

Capítulo 2 -

DETERMINANTES

 

.

 

Classe de uma permutação. •

26

 

27

 

Termo principal e termo Determinante de uma

• • Preliminares para o cálculo dos determinantes de 2! e de 3! ordem •

Cálculo do determinante de 2! ordem. •

 

27

28

29

VIII

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

Capítulo 3 -

Capítulo 4 -

Cálculo do determinante de 3!! ordem •

Desenvolvimento de um determinante de ordem n por uma

••••.••

:

.

• • .

linha ou por uma coluna.

.

.

• .

• • .

.

• .

.

Propriedades

dos

determinantes

Cálculo de um determinante de qualquer

Problemas

.

.

.

.

.

.

.

• .

• .

INVERSÃO DE MATRIZES

Matriz inversa de uma

Matriz

Matriz

não-singular

.

.

.

Propriedades da matriz

Operações

'valA

encla

.

d

e matrizes

.

.

• .

.

.

. • . • . • •

.

.

.

.

.

• • • • • • .

• .

.

.

• •

• .

.

.

.

.

.

.

.

.

• .

.

.

   

• .

• .

.

.

• • . .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

• .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

 

• . • • .

• • • .

.

.

. . • • . • • • • .

.

.

.

.

• .

• .

.

.

• •

.

.

.

• .

• •

.

.

.

.

.

• . • • . . .' • . • . •. • • .

• .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

• .

.

.

.

.

Eq UI

Inversão de uma matriz por meio de operações elementares ••.•••

29

32

35

42

45

50

51

51

52

53

54

57

Matriz

ortogonal.

.

.

.

.

.

.

• .

• .

.

.

.

.

• .

• .

.

• .

• .

.

.

.

.

.

.

• .

.

.

.

.

61

Problemas .•

 

••

••

 

61

SISTEMAS DE EQUAÇÕES LINEARES

Equação linear.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

• .

.

.

.

.

.

70

Sistemas de equações lineares. • . • •

Sistemas equivalentes

•.•.••.

. • . • ~• • .

• • •

. • • • . • • • .

.

.

.

• .

.

• .

.

• .

• .

71

73

Estudo e solução dos sistemas de equações lineares. • • •

 

73

Problemas

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

94

PREFÁCIO

PREFÁCIO

Este livro foi escrito com um objetivo: proporcionar a estudantes os conhecimentos mínimos de matrizes, detenninantes e sistemas de equações lineares, conhecimentos que são indispensáveis para estudar e compreender os conteúdos de várias disciplinas dos Cursos de Engenharia, Administração, Economia, Matemática, Física, Computação etc.

Para cumprir com a sua finalidade, o livro "MATRIZES, DETERMINANTES e SISTEMAS DE EQUAÇÕES LINEARES" tem três características principais:

1) unidade de tratamento na solução de problemas diferentes. Assim, sem descuidar de casos particulares, o cálculo de determinantes de qualquer ordem, a inversão de matrizes e a solução de m equações lineares com n variáveis, quaisquer que sejam m e n, são feitos utilizando processos análogos;

2) linguagem simples, didática (sacrificando, muitas vezes, o rigorismo em benefício da clareza) e acessível a estudantes de qualquer Curso de nível

superior;

3) ênfase na parte prática, contendo 168 problemas resolvidos e propostos, estes com respostas ou roteiros para a solução.

X

Matrizes, Detenninant~s e Sistemas de Equações Lineares

o autor ficará compensado do seu trabalho se este livro contribuir para facilitar

matrizes,

determinantes e sistemas de equações lineares como pré-requisito.

Críticas, sugestões para a melhoria deste livro, assim como informações sobre eventuais erros, serão bem recebidas no endereço do autor*.

a

estudantes

a

compreensão

das

disciplinas

do

seu

Curso

que

tenham

Alfredo Steinbruch

* Rua Vieira de Castro, 275/601- Fone (0512) 31-3288

90.040 - Porto Alegre -

RS - BR

I

CAPITULO 1 MATRIZES

I CAPITULO 1 MATRIZES

1.1

-

MATRIZ DE ORDEM m POR n

Chama-se rIUltriz de ordem m por n a mo quadro de m x n elementos (em geral, números reais) dispostos em m linhas e n colunas.

A =

a ll

a:H

.

alZ

a 22

al n

~n

linhas e n colunas. A = a l l a:H . alZ a 2 2 al

• A matriz na qual m 'i' n é retangular, se representa por A(m,n) e se diz de or- dem m por n ou m x n.

• A matriz na qual m = n é quadrada, se representa por An(ou A(n, n»' e se diz

de ordem n.

• Cada elemento de uma matriz A está afetado de dois índices: ~j. O primeiro índice indica a linha e o segundo a coluna a que o elemento pertence.

 

A matriz A pode ser representada abreviadamente por A = [~j]'i variando de

1 a m (i

=

1, 2,

•••,

m) e j

variando de

1 a

n (j

=

1, 2, •••, n). Assim, se a matriz tem 2

2

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

linhas(m = 2) e 3 colunas (n = 3), ao fixar para i o valor 1 e fazendo j obtém-se:

variar de 1 a 3,

Fixando, a seguir, para i o valor 2 e fazendo j variar de 1 a 3, obtém-se:

isto é:

A(2 3) =

,

A

=

rall

L a

21

~1

~2

~3

• A matriz de ordem m por 1 é uma matriz-eoluna ou vetor-eoluna e a matriz . de ordem 1 por n é uma matriz-linha ou vetor-linha. Exemplos:

1.2 -

n é uma matriz-linha ou vetor-linha. Exemplos: 1.2 - DIAGONAL PRINCIPAL E DIAGONAL SECUNDÁRIA • Numa

DIAGONAL PRINCIPAL E DIAGONAL SECUNDÁRIA

• Numa matriz quadrada A = [a ij ], de ordem n, os elementos ~j' em que i = j,

constituem a diagonal principal. Assim, a diagonal formada pelos elementos alI' a22' é a diagonal principal.

• Numa matriz quadrada A = [~j]' de ordem n, os elementos ~j' em que

i + j = n + 1, constituem a diagonal secwuiária. Assim, a diagonal formada pelos

elementos a 1n , ~ n-1' diagonal secundária.

= n + 1) é a

, ~

~ n-2'

••• 8n1

(1

+ n = 2 + n-l

= 3 + n-2 =

1.3 -

MATRIZ DIAGONAL E MATRIZ UNIDADE

• A matriz quadrada A = [~j] que tem os elementos ~j = O quando i >F j é uma

matriz diagonal:

Matrizes

3

 

all

O

O

O

az2

O

A =

.

O

O

8nn

• A matriz diagonal que tem os elementos ~j = 1 para i = j é uma matriz unida- de. Indica-se a matriz unidade por ~ ou simplesmente por I:

Indica-se a matriz unidade por ~ ou simplesmente por I: 1.4 - MATRIZ ZERO O 1

1.4 -

MATRIZ ZERO

unidade por ~ ou simplesmente por I: 1.4 - MATRIZ ZERO O 1 O ~] Uma

O

1

O

~]

Uma matriz zero é a matriz cujos elementos são todos nulos. Indica-se a matriz zero por O.

1.5 -

O=~

O

O

todos nulos. Indica-se a matriz zero por O. 1.5 - O=~ O O O O O

O

O

O

~]

MATRIZ OPOSTA DE UMA MATRIZ

Matriz oposta de uma matriz A = [~j] é a matriz B = [bij] tal que b ij Indica-se a matriz oposta de A por -A. Exemplo:

é a matriz B = [bij] tal que b i j Indica-se a matriz oposta de

-A =

-7

[

3

=:J

= -~j.

4

Matrizes. Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

1.6 -

MATRIZ TRIANGULAR SUPERIORE MATRIZ TRIANGULAR INFERIOR

j é uma ma-

triz triangular superior e a matriz quadrada B = [bijl que tem os elementos b jj = O para i < j é uma matriz triangular inferior. Exemplos:

A matriz quadrada A = [aijl que tem os elementos 8;j = O para i>

A = [aijl que tem os elementos 8;j = O para i> 3 5 O B

3

5

O

A = [aijl que tem os elementos 8;j = O para i> 3 5 O B

B =[; -3

O

7

9

os elementos 8;j = O para i> 3 5 O B =[; - 3 O 7

1.7 -

IGUALDADE DE MATRIZES

Duas matrizes A = [8; j l e B = [bijl, de mesma ordem, são iguais se, e somente se, 8;j = b ij • Exemplo:

[~

3

1

3

1

~J

~J

1.8 -

ADiÇÃO DE MATRIZES

A soma de duas matrizes A = [8; j l e B = [bijl, de mesma ordem, é uma matriz

B.

C

Exemplos:

=

[cijl

tal que cij

= 8;j

+ bij" Indica-se a soma de duas matrizes A e B por A +

1) [a ll

2)

a 12

a21 a22

al~J+ [~1 b 12 b13J = [all+b ll

a23

a 21 +b 21

a 12 +b 12

a22+ b 22

a 13 +b 13]

a23+ b 23

b 21

1

2

2

O

b 22

b 23

1 [~

2

+

O

4

-3

-2

1

O

-1

-1

3

2

-1

-~

~

~

~

-

Matrizes

5

1.8.1 -

Diferença de duas matrizes

A diferença A-B de duas matrizes, de mesma ordem, é defmida por A + (-B).

Exemplo:

r5 ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ - ~ ~
r5
~
~
~
~
~
~
~
~
~
~
~
-
~
~
=
~
~
+
~
~
=
~
~

1.8.2

-

Propriedades da adição de matrizes

 

Para as matrizes A, B e C, de mesma ordem, tem-se:

I) A

+

(B

+

C)

=

(A + B) +

C

Il)A+B=B+A

 

III)

A +

O =

O + A

IV)

A

+

(-A) == -A +

A

=

O

1.9 -

PRODUTO DE UMA MATRIZ POR UM ESCALAR

Se À é um escalar, o produto de uma matriz A =

[ajjl por esse escalar é uma

matriz B = [bjjl tal que b jj = À~j. Indica-se o produto da matriz A por À por ÀA. Exemplo:

1.9.1 -

5 x~

-2

-5

lJ=[5X4

O

5

x 3

5

5

x (-2)

x (-5)

5x lJ = [20

5 x O

15

Propriedades da multiplicação de uma matriz por um escalar

-10

-25

~J

Para Àe /.I. escalares quaisquer e A e B matrizes de mesma ordem, tem-se:

I) (À/.I.) A::;:: À{/.I.A) II) (À+/.I.) A = ÀA +

/.I.A

ID) (À-/.I.) A = ÀA-/.I.A

6

Matrizes, Detemánantes e Sistemas de Equações Lineares

1.10 -

IV) À (A + B) = À A + ill

V) IA = A

PRODUTO DE UMA MATRIZ POR OUTRA

Sejam as matrizes

AO ,4)

e

B(4,O

A

= [4

3

2

5]

e

B ~m

 

o

produto AB

é, por defmição,

uma matriz C O ,l)

tal que:

C H

= 4

x 6 + 3 x 4 + 2 x 5+

5

x

3 = 24 + 12 + 10 + 15 = 61

isto é, c H é a soma dos produtos, na ordem em que estão dispostos, dos elementos da ma- .triz-linha A pelos elementos da matriz-coluna B. A matriz Co,o = [61] é o produto da matriz ~1,4) pela matriz B(4,2) O dispositivo abaixo facilita, visualmente, entender a definição do produto da matriz ~1,4)pela matriz B(4,O:

.

[4

.'

.: .

.

2

x

5

=

.

.

 

5

x

3

=

3

2

5]··················

10

15

-

61

'(=J

.

.

5

3

·.··· [61]

A condição para multiplicar a matriz A O .4) pela matriz B(4.0' de acordo com a definição, é que o número de linhas de B (no caso, 4) seja igual ao número de colunas de A (no caso, também 4). Por outro lado, a ordem da matriz-produto C é dada pelo número de linhas de A (no caso, 1) e pelo número de colunas de B (no caso, também 1), isto é,

Matrizes

7

C O ,l). Se se escrever em seqüência a ordem da matriz A e a ordem da matriz B:

f

i

(1,4)

(4,1)

4

O 2 2 e 3 2 números, sendo iguais, indicam que a multiplicação é possível, e o 1 2 e 4 2 números indicam a ordem da matriz-produto c:

A.

• \1,4)

,

e

'

X

B

'

(4,1)

---fi

Suponha-se que se deseja multiplicar uma matriz A o ,4) por uma matriz B(4,2):

t

• A. \1,4)

x

B t

(4,2)

Tendo em vista que o 2 2 e o 3 2 número são iguais, a multiplicação é possível, e a ordem da matriz-produto C será dada pelo 1 2 e 4 2 números:

~1,4)

x

B(4,2)

=

C O ,2)

Sejam as matrizes:

A ~

[4

3

2

5]

e

B ~

[~

~]

Para efetuar o produto da matriz-linha A O ,4) (daqui por diante chamada sim- plesinente linha) pela matriz B(4,2)' considera-se cada coluna de B como uma matriz-coluna (daqui por diante chamada simplesmente coluna) e efetua-se o produto da linha A pela I! coluna de B, obtendo-se o 1 2 elemento de C; a seguir, efetua-se o produto da linha A pela 2! coluna de B, obtendo-se o 2 2 elemento de C. O dispositivo a seguir facilita o entendi- mento do processo:

·

·

:

:

·

. .

· .

@ 3

:

:

.

·

·

:

~. ·1· ::: . ii

j

.

i

.

 

.

: •••••••• • -5- • ~. ·3 . ~ . is

x

=

2

5

10

5

3· 4-

7

.

. .

2

.

.

5}···

61·

.

.

.

· [§i ~J

-5 -. ~. ·4· .~ . iô·

=

2

x

7

14

.

44

8

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

A matriz C(l,Z) = [61 44] é o produto das matrizes A(l,4) e B(4,Z).

Suponha-se, agora que se deseja multiplicar uma matriz ~Z,3) por uma matriz

A(Z,3)

x

t

B(3,4)

Tendo em vista que A é de ordem (2,3) e que B é de ordem (3,4), o produto existe e é uma matriz C(Z,4):

A(Z,3)

x

B(3,4)

Sejam as matrizes

A

=

~

2

5

:]

e

C(Z,4)

B ~~

2 4

3

2

7

1

~]

Para efetuar O produto das matrizes A e B, considera-se cada linha da matriz A como uma matriz-linha (chamada linha) e cada coluna de B como uma matriz-coluna

(chamada coluna). A seguir, multiplica-se

pela 3~ e pela 4~ colunas de B, obtendo a primeira linha da matriz C. Em continuação,

pela 2~, pela 3~ e'pela 4~ colu-

multiplica-se a 2~ linha de A sucessivamente pela 1 ~ linha, nas de B, obtendo-se a 2~ linha da matriz-produto C:

a

1~ linha de A sucessivamente pela 1~, pela 2~,

2

2

 

x

3

5

2

4

1

7

[30

26

60

25

34

:]

=

C(Z,4)

Conforme foi explicado antes, o elemento C Z4 = 20, por exemplo, foi obtido multiplicando a 2~ linha de A pela 4~ coluna de B:

C Z4 =

2(1) + 5(0) + 3(6) =

2 + O +

18 =

20

e os demais elementos de C, de modo análogo.

De acordo com o que foi visto até agora, pode-se dizer, por exemplo, que:

A(3,5) X B(5,6) = C(3,6)

A(Z,7) x B(7,4) = C(Z,4)

A(5,4) x B(4,8) = C(5,8)' etc.

Matrizes

9

1.10.1 -

Cálculo de um elemento qualquer de uma matriz-produto

Sejam as matrizes:

elemento qualquer de uma matriz-produto Sejam as matrizes: Tendo em vista que A é de ordem

Tendo em vista que A é de ordem (2,3) e que B é de ordem (3,3), o produto é uma matriz C, de ordem (2,3):

(3,3), o produto é uma matriz C, de ordem (2,3): C13J c~3 o elemento c 2

C13J

c~3

o elemento c 23 ' por exemplo, obtém-se multiplicando a 2! linha de A pela 3! colunadeB:

multiplicando a 2! linha de A pela 3! colunadeB: Assinalando la, eles são iguais: o 2

Assinalando la, eles são iguais:

o 2 2 índice

de "a" e o 1 2 índice de "b", vê-se que, em cada parce- .

o 1 2 índice de "b", vê-se que, em cada parce- . Essa expressão pode ser

Essa expressão pode ser escrita do seguinte modo:

k=3

I

k=l

Essa expressão pode ser escrita do seguinte modo: k=3 I k=l isto é, C 2 3

isto é, C 23 é o somatório dos produtos ~k ~3' k variando de 1 a 3. Um elemento qualquer c ij da matriz C será calculado do seguinte modo:

c ij

k=3

I

k=l

aik ~j

Essa expressão é que, na verdade, defme o produto C(2,3) = A(2,3) x B(3,3). Ge- neralizando, se A(m,n) = [~j]e se B(n,p) = [b ij ], o produto AB é uma matriz C(m,p) tal que:

10

Matrizes, Determinmltes e Sistemas de Equações Lineares

c ij

-1.10.2 -

k=n

I

k=l

anc l>tj

Não comutatividade da multiplicação de duas matrizes

Em geral, a existência do produto AB não implica a existência do produto BA.

Exemplo:

AB não implica a existência do produto BA. Exemplo: Entretanto, o produto B(5,6) x A(3,5) não

Entretanto, o produto B(5,6) x A(3,5) não existe porque 6 # 3, isto é, o número de colunas da I!! matriz não coincide com o número de linhas da 2!! matriz.

Mesmo quando as multiplicações A x B e B x A são possíveis, os dois produtos são, em geral, diferentes:

A(4,3) x B(3,4) = C(4,4) B(3,4) x ~4,3) = D(3,3)

Ainda que A e B fossem matrizes quadradas de ordem n, os produtos AB e BA seriam também matrizes quadradas de ordem n e, ainda assim, difeririam. Sejam por exemplo as matrizes:

A=

AB

BA

=

[~

~

~

~]

~J

~]

e

x

x

B

~

~

~

~

~

=

=

~J

7

G

39

30

~6

53

2~

:]

Os produtos AB e BA são diferentes, o que significa que a multiplicação de duas matrizes não é comutativa. Existem, entretanto, matrizes A e Btais que AB = BA, porém essa não é a regra. Há dois casos que interessam particularmente e um deles é o seguinte: AI = IA = A. Exemplo:

Matrizes

11

~2

f6 -31 7J x

fi

01 lJ =

fi

\Q

01

lJ

f6

x ~2

-31

II =

f6

~2

-31

7J

o outro caso será visto no item 3.1, Capítulo 3.

1.10.3 -

Propriedades da multiplicação de uma matriz por outra

Admitindo que as ordens das matrizes possibilitem as operações, tem-se:

I) (AB) C = A (BC)

II) (A + B) C = AC + BC III) C (A + B) = CA + CB

IV) (a A) B

= A (a B) = a

(AB), a

E R

V) AB ;4 BA, em geral VI) Se AB = O, não é necessário que A = O ou B = O. Ex~plo:

O, não é necessário que A = O ou B = O. Ex~plo: Mas, se AB

Mas, se AB = O, qualquer que seja B, então A =. O; do mesmo modo, se AB = O, qualquer que seja A, então B = O.

1.11 -

MATRIZ TRANSPOSTA

A matriz transposta da matriz A, de ordem m por n, é a matriz N, de ordem n por m, que se obtém escrevendo ordenadamente as linhas de A como colunas. Exemplos:

ordenadamente as linhas de A como colunas. Exemplos: 1.11.1 - Propriedades da matriz transposta ~J Para
ordenadamente as linhas de A como colunas. Exemplos: 1.11.1 - Propriedades da matriz transposta ~J Para
ordenadamente as linhas de A como colunas. Exemplos: 1.11.1 - Propriedades da matriz transposta ~J Para

1.11.1 -

Propriedades da matriz transposta

~J

Para ). um escalar qualquer e para A e B matrizes de mesma ordem, tem-se:

12

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

I)

(A

+ BBi = A t + Bt

m(XAi = XAt"-

III)

(A t ) t=

A

IV) (-Ai = _A t

V) (AB)t = BtA t

As propriedades de I a são imediatas. A propriedade V será verificada por meio do seguinte exemplo:

a)

A(3~)~[~

AD ~[~

b)

A (2,3)=

t

~}

~]

U O

3

2

[~

B(2,2) =

2

4

J

_

-

[~

[10

6

14

2J

4

e

B(2,2) =

t

~J

I:l. (AD)' ~ÚO

20

e :]

2

14

2J 4 e B(2,2) = t ~J I: l. (AD)' ~ ÚO 20 e :] 2

O

2

2] = [10

4

14

6

8

141

20J

6

8

~~] (1)

(2)

Comparando (1) e (2), verifica-se que (ABi = Bt A~

1.12 -

MATRIZ SIMÉTRICA

Uma matriz quadrada S = [~j] é simétrica se st = S. Exemplo:

Matrizes

13

Matrizes 13 • O produto de uma matriz quadrada A pela sua transposta A t é

• O produto de uma matriz quadrada A pela sua transposta A t é uma simétrica. Exemplo:

matriz

A~[j

4

3

1

-~]

At~[:

2

3

-5

1J.

AA t =

~6

-1

19

-1

-12

-44

-44 =

19~

86

S = st

• A soma de uma matriz quadrada A com a sua transposta Até uma matriz simétrica. Exemplo:

A~t~

.5

4

-1

7

1.12.1 -

~] A' ~[:

1

,

2

-3

-1

9

5]

7

1

,

A+A t =

l2

1

7

Propriedade da matriz simétrica

1 1~]~S~S'

-2

16

Uma matriz quadrada A = [~j] é simétrica se, e somente se, os elementos dispostos simetricamente em relação à diagonal principal são iguais.

1.13 -

MATRIZ ANTI-SIMÉTRICA

Uma matriz quadrada A é anti-~trica se A t = -A. Exemplo:

quadrada A é anti-~trica se A t = -A. Exemplo: 3 O 6 -3 O -6

3

O

6

A é anti-~trica se A t = -A. Exemplo: 3 O 6 -3 O -6 •

-3

O

-6

é anti-~trica se A t = -A. Exemplo: 3 O 6 -3 O -6 • A

• A düerença B = A - A t entre uma matriz quadrada A e a sua transposta A t é uma matriz anti-simétrica. Exemplo:

14

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

b 6

A=r~ ~

1.13.1 -

;] At=r~ :

9,

b 1

~] .B=A_At=[~ -~ -~J Bt=r_~ ~ -5 0 2 ]

9,

-2

5

O,

L2 -5

=-B

Propriedade da matriz anti-simétrica

Uma matriz quadrada A = [~j] é anti-simétrica ·se, e somente se, ~j = - ~i' isto é, se os elementos dispostos simetricamente em relação à diagoDal principal são opostos e os elementos da diagonal principal são nulos.

1.14 -

PROBLEMAS RESOLVI DOS

1) Dadas as matrizes

A = [Y + 4 2] e B= ~192 2J

9

X 2 + 4

53

,

calcular y e x de modo que A seja igual a B, isto é:

Solução:

."

[Y;

4 x 2 ~4] = [1~ 5~],

Pela definição de i~dade de matrizes, deve-se ter:

Y + 4 = 12 :. Y = 8

x 2 + 4

= 53

.~x2= 49

x=±7

Matrizes

15

Os problemas de 2 a 4 se referem às matrizes:

,15 Os problemas de 2 a 4 se referem às matrizes: 2) Calcular A + B

2) Calcular A + B

[-3 7 1]

B=-425

O

9

4 e C~~

Solução:

3 8] [-3 -4 9 -6 + 2 7 4 -1 O 9
3
8]
[-3 -4
9
-6
+
2 7
4
-1
O
9

3) Calcular C - A

5 1]

4

=

[_1 -9

7

-6 + 2 7 4 -1 O 9 3) Calcular C - A 5 1] 4

10 11

13

-1 9

J

3

Solução:

C-A =

~

7

4

9

-8

-3

-5

d L7 4

~l_

L~

~

4) Calcular 3A - 2B + 4C

~1 -;J

=

[~

2

~~~ -~l

-9

~J

Solução:

Fazendo D = 3A - 2B + 4C, vem:

D

= 3

2 3 8]

[

-5

7

9

4

-6

-1

-

2

[-3

-4

O

2 71]. 5

9

4

+

4

[7-83]

-3

-5

4

9

2

1

D =

[

6

-15

21

D=r~ G7

9

27

12

-37

11

-26

-~J+ [:

-3

O

_~l

-;J

-14

-4

-18

_2J

-10

-8

+

[28. -32

-12

-20

16

36

12J

8

4

16

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

5) Calcular (A + B) C

Solução:

(A + B) foi calculado no problema 2. Logo:

(A

+ B) C

=

[ -1 10

-9

7

11

13

9J

-1

3

~

-8

4-3

9-5

3]

2

1

=

[114

-28

128

-67 26J -110 45 50 -6

Este problema poderia ser resolvido calculando AB e AC e, após, determinando Ab + AC. (Exercício a cargo do leitor).

6) Calcular o produto das matrizes:

Solução:

A

_r-8

L2

(2,4) -

4 -6 lJ

-5

7

3

_r~-~l

B(4,2) -

~

-~J

_r-8 L 2 (2,4) - 4 -6 lJ -5 7 3 • _r~-~l B(4,2) - ~

11 [~

3J

1

3

-~J

-5

8

7) Calcular o produto das matrizes:

A

=

e

X = [;]

 

7

-2

z

= [5 -21

6

7J

Matrizes

17

Solução:

A(3,3) x

~3,l) = C(3,l) =

2

·3

4

[

5 3

7

4]

-4

-2

[x] Y

Z

=

[2X + 3y + - 4Z

4z

3x + 5y

4x + 7y

-

J

2z

É interessante assinalar que a matriz C tem 3 linhas e uma coluna:

• o elemento da I!! linha é: 2x + 3y + 4z;

4z;

• o elemento da 3!! linha é: 4x + 7y - 2z.

• o elemento da 2!! linha é: 3x + 5y -

O fato de que a matriz C tem 3 linhas e uma s6 coluna permite escrever, sob a forma matricial, o seguinte sistema de equações, por exemplo:

! 2x

+ 3y + 4z = -4

3x + 5y-4z = 25

4x + 7y-2z = 24

De fato, fazendo:

A=r~ ~ ~l x=[;Je B=[2~1

l~

7

-~,

z

24j,

pode-se escrever que AX = B, ou:

B=[2~1 l~ 7 -~, z 24j, pode-se escrever que AX = B, ou: ou, ainda: ~

ou, ainda:

~

x+ 3y + 4

3x + 5y -

4x + 7y-2z

4z

J

=

25

~-4~

24

18

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

e, de acordo com a definição de igualdade de matrizes:

\

2X + 3y + 4z =

-4

3x + 5y -4z =25 -

4x + 7y

2z =

24

-Os problemas de 8 a 12 se referem às matrizes:

A =

4 _5]

3

[

-2

-7

4,

8 a 12 se referem às matrizes: A = 4 _5] 3 [ -2 -7 4,

Solução:

A t = [4 -5

9) Determinar Bt

Solução:

B = f-4

3

-7

~3

6

5

-31

sJ,

C = f4 -3J e 11 2
C = f4 -3J e
11
2

Bt

=

[

-4

6

-3

5

8

-3~

10) Calcular (AB)t

Solução:

Em 1.11.1, propriedade VI, viu-se que:

-31 sJ, C = f4 -3J e 11 2 Bt = [ -4 6 -3 5

Matrizes

19

mas Bt e A t foram determinados nos problemas 9 e 8, respectivamente. Logo:

t

(AB)

=

t

t

B (3,2) A (2,3) =

-4 -3] [

[ 6

.

-3

5

8

4

-5

3

-7

J [ -1 9-4~

-2

4

=

.

-1

-17

8

.

-52

-65

38

Este problema poderia ser resolvido calculando, em primeiro lugar, AB = E e, após, determinando E t :

primeiro lugar, AB = E e, após, determinando E t : (ABi = E t =

(ABi = E t =

-1

-1

[ -52

11) Calcular Bt C

Solução:

9

-17

-65

t = -1 -1 [ -52 11) Calcular Bt C Solução: 9 -17 -65 -1 -17

-1

-17

8

-52~ -65

38

A matriz Bt foi determinada no problema 9. Logo:

6 5 38 A matriz Bt foi determinada no problema 9. Logo: 12) Calcular (AB)t D

12) Calcular (AB)t D

Solução:

(AB)t foi calculado no problema 10. Logo:

(AB)t n = .

-1

-1

-52

~

9

-17

-65

~l

3~J G 1 ~J

r~

-~

~l

=

r -~

~14

1

13

298

-34

-130

13~

20

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

13) Dada a matriz

A

= fi o

L

7

-251

-toJ,

calcular A x A = A 2

Solução:

A = fi o L 7 -251 -toJ, calcular A x A = A 2 Solução:

A

matriz

A2

é

chamada

potência 2 da matriz A.

A2 = A, A é chamada de matriz nihilpotente.

14) Dada a matriz

A=[~

calcular A 2

Solução:

A 2

=

[_~

-4

-~

4

-~

4

_~l

-;J,

_~l

[_~

-;J -4

-~

4

_~l

-;J

=

[~

-4

-~

4

-;J

_~l

Neste problema, como

Tendo em vista que A2 = A, A é chamada de matriz idempotente

Matrizes

21

1.15 -

PROBLEMAS PROPOSTOS

Nos problemas 1 a 3, calcular os valores de m e fi para que as matrizes A e B sejam iguais.

1)

2)

A _[

8

12 +m

A=

[m 2 -40

6

150J

3

e

0 2 + j

3

e

B

=

~8

6

B =

3

7~J

rI 1~]

6

3)

4)

5)

6)

A =[:

:2J e

B = [:

lOx~25J

OS problemas 4 a 12 se referem às matrizes:

A=r

4 -1

3

Calcular A + B Calcular B + C

Calcular A + C

-6, 8J

B = ~

041 e

-7

-9]

C = [o

1 4 :]

9

7)

Calcular A -

B

C

8)

Calcular A -

9)

Calcular B - C

 

10)

Calcular X = 4A -

3B + 5C

11)

12)

= Calcular X = 4C + 2A - 6B

Calcular X

2B -

3A -

6C

Nos problemas 13 aIS, efetuar a multiplicação das matrizes A e X.

13)

4C + 2A - 6B Calcular X 2B - 3A - 6C Nos problemas 13 aIS,

22

Matrizes, Determinantes e Sistemas de Equações Lineares

14)

15)

Determinantes e Sistemas de Equações Lineares 14) 15) A = -2 l~ -7 9-9-86 4 ~

A =

-2

l~

-7

9-9-86

4

~

5

~

~]

e X = [:~J

x3

x4

Os problemas 16 a 21 se referem às matrizes:

A

=[7~

5

--4~J

9,

B

=

[~

~

~:

-;],

C = ~~

:J

e

1

D = -:

7

-~

[

5 3

3 -1

-~

2

-~

-3

16)

Calcular AB

17)

Calcular (AB)D

18)

Calcular A(BD)

19)

Calcular BA

20)

Calcular (BA)C

21)

Calcular B(AC)

22)

Determinar a matriz At transposta da matriz

A

=

1

4

-7

3

O

-2

 

8

-9

6

-4

Os problemas 23 a 27 se referem às matrizés

A=

5

-8

-2

~

1

O

O

2

-1

-2   8 -9 6 -4 Os problemas 23 a 27 se referem às matrizés A

-3

8

6

-2

5

3

-2   8 -9 6 -4 Os problemas 23 a 27 se referem às matrizés A

Matrizes

23

Matrizes 23 23) Calcular (AB)t 24) Calcular (AB)D t A(BD t ) 25) 26) Calcular Bt

23) Calcular (AB)t

24) Calcular (AB)D t

A(BD t )

25)

26) Calcular Bt C

27)

Calcular