Você está na página 1de 32
E.E.K - Curso de Fundações Capítulo 7 – Escolha do Tipo de Fundação Engº. Sérgio

E.E.K - Curso de Fundações

Capítulo 7 Escolha do Tipo de Fundação

Fundações Capítulo 7 – Escolha do Tipo de Fundação Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo -

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

Capítulo 7 Escolha do Tipo de Fundação Índice 1) Procedimento geral a ser adotado na

Capítulo 7 Escolha do Tipo de Fundação

Índice

1) Procedimento geral a ser adotado na escolha

2) Fatores a serem observados na escolha

3) Fundações a serem estudadas

4) Casos de obras: Escolha da melhor fundação

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

1) Procedimento geral a ser adotado na escolha

A escolha da fundação para uma determinada edificação só deve ser realizada após a constatação que a mesma satisfaz as condições técnicas e econômicas da obra em apreço.

Para tal, devem ser conhecidos os seguintes elementos:

Natureza e característica do subsolo no local da obra (prospecção geotécnica);

Grandeza das cargas a serem transmitidas às fundações;

Proximidade das edificações limítrofes, bem como seu tipo de fundação e estado da mesma;

Limitações dos tipos de fundações existentes no mercado.

O problema é resolvido por eliminação, escolhendo-se os tipos de fundações que satisfaçam tecnicamente ao caso em estudo.

Em seguida é realizado um estudo comparativo de custos dos diversos tipos selecionados visando escolher o mais econômico.

Em alguns casos o critério custo é colocado em segundo plano, priorizando-se o prazo de

execução das fundações. Infelizmente é comum a adoção desse critério, também, em comparação a questões de ordem técnica!

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

2) Fatores a serem observados na escolha e elaboração de projeto de fundação

Conforme visto anteriormente, a escolha de uma fundação e posterior elaboração do projeto de fundações, só deve ser feita após constatar que a mesma satisfaz as condições técnicas e econômicas da obra em apreço, sendo que o projeto de fundação deve sempre levar em consideração:

a) Topografia do terreno

Levantamento plani-altimétrico (curvas de nível, cortes, etc.).

Local com obstrução na altura.

Dados sobre taludes e encostas no terreno (ou que possam atingir o mesmo).

Dados sobre erosões (ou evoluções preocupantes na geomorfologia).

b) Dados geológico-geotécnicos

Investigações do subsolo (resultados de sondagens, etc.).

Natureza e características do subsolo no local da obra.

Ocorrência de argilas muito moles, matacões, aterros recentes, solos muito resistentes (compactos ou com pedregulhos), nível do lençol d’água elevado, artesianismo, etc

Outros dados geológicos e geotécnicos (mapas, fotos aéreas, artigos, etc).

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

2) Fatores a serem observados na escolha e elaboração de projeto de fundação

c) Dados e informações da estrutura a construir:

Tipo e uso que terá a nova base

Grandeza das cargas a serem transmitidas à fundação

Ocorrência de esforços de tração, flexão, cargas dinâmicas, etc.

d) Dados sobre as construções vizinhas

Proximidades dos edifícios limítrofes

Tipos e condições da estrutura

Tipos das fundações

Danos já existentes na estrutura e ou nas fundações

Existência de subsolo

Possíveis conseqüências de escavações e vibrações provocadas pela obra

Limitações dos tipos de fundações existentes no mercado

2) Fatores a serem observados na escolha e elaboração de projeto de fundação

Algumas características da obra podem impor um certo tipo de fundação. Este é o caso por exemplo de uma obra cujo subsolo é constituído por argila mole até uma profundidade considerável. Nesse caso uma solução em estacas é fundamental. Quanto ao tipo de estaca deverão ser examinadas outras questões que serão avaliadas em breve.

Outras obras podem permitir uma variedade de soluções. Nesse caso é interessante proceder-se a um estudo de alternativas e fazer a escolha com base em:

Menor custo;

Menor prazo de execução.

Neste estudo de alternativas, pode-se incluir mais de um tipo de fundação superficial ou mais de um nível de implantação, além de mais de um tipo de fundação profunda.

Na avaliação de custos e prazos é importante considerar escavações e re-aterros.

Por exemplo, podem ser estudadas duas soluções em fundações superficiais; sendo que uma apresenta cota de implantação mais “profunda”, necessitando de um volume menor de concreto armado devido a adoção de tensão admissível maior, entretanto, necessita de um volume maior de escavação e caso a cota seja inferior ao lençol freático, vai necessitar de rebaixamento de N.A.

A alternativa em estacas pode apresentar menor custo global se considerarmos o menor volume dos blocos de coroamento e o menor movimento de terra.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

2) Fatores a serem observados na escolha e elaboração de projeto de fundação

No caso das fundações superficiais:

As sapatas e os blocos são elementos de fundação mais simples e quando possível a sua adoção, os mais econômicos.

Os blocos são mais econômicos que as sapatas para cargas reduzidas, quando o maior consumo de concreto justifica a eliminação da armação. Não há porém nenhuma restrição ao uso de blocos para cargas elevadas.

As sapatas podem ser associadas quando duas ou mais sapatas encontram-se muito próximas ou quando se deseja uniformizar os recalques.

Quando se desejar uniformizar os recalques em toda a área de implantação da fundação ou quando a área

total da fundação ultrapassa 50% da área da obra é recomendada a adoção do radier.

No caso das fundações profundas

Atualmente existe uma grande variedade de estacas para fundações. Com uma certa freqüência é introduzido um novo tipo de estaca no mercado e as técnicas de execução das estacas estão em constante evolução.

A execução de estacas é uma atividade especializada da Engenharia e o projetista deve conhecer as firmas

executoras e seus serviços para projetar fundações dentro das linhas de trabalho dessas empresas.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

2) Fatores a serem observados na escolha e elaboração de projeto de fundação

Na escolha do tipo de estaca é preciso levar em conta os seguintes aspectos:

Esforços nas fundações, procurando distinguir:

Nível das cargas nos pilares;

Ocorrência de outros esforços além dos de compressão (tração e flexão).

Características do subsolo, em particular quanto a ocorrência de:

Argilas muito moles, dificultando a execução de estacas de concreto moldadas “in loco”;

Solos muito resistentes (compactos ou com pedregulhos) que devem ser atravessados, dificultando ou até impedindo a cravação de estacas pré-moldadas de concreto.

Solos com matacões, dificultando ou impedindo o emprego de estacas cravadas de qualquer tipo.

Nível do lençol de água elevado, dificultando ou impedindo a execução de estacas de concreto moldadas “in loco” sem revestimento ou com uso de lama.

Aterros recentes (em processo de adensamento) sobre camadas moles, indicando a possibilidade de atrito negativo. Nesse caso, estacas mais lisas ou com tratamento betuminoso são mais indicadas.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

2) Fatores a serem observados na escolha e elaboração de projeto de fundação

Características do local da obra, em particular:

Terrenos acidentados, dificultando o acesso de equipamentos pesados (bate estacas, etc.).

Local com obstrução na altura, como telhados e lajes, dificultando o acesso de equipamentos altos.

Obra muito distante de um grande centro, encarecendo o transporte de equipamento pesado.

Características das construções vizinhas, em particular quanto a:

Tipo e profundidade das fundações.

Existência de subsolos.

Sensibilidade à vibrações.

Danos já existentes.

Esses são alguns aspectos a considerar, entretanto, não há regras para a escolha do tipo de estaca, valendo muito nesse caso, a experiência local.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

3) Fundações a serem estudadas

A seguir serão apresentadas algumas das principais fundações a serem estudadas para a definição de um projeto. Os principais tipos relacionados a seguir são os mais comuns em termos de obras prediais.

A) Fundação rasa:

Deve ser o primeiro tipo de fundação a ser verificada a possibilidade de execução.

A ordem de grandeza da taxa admissível do solo é obtida pela tensão de pré-adensamento

do solo na cota de apoio (sendo rara a obtenção desse dado devido a não execução de ensaios de compressibilidade) ou dividindo-se a média dos valores de SPT correspondentes ao bulbo de tensões da sapata por 5 (obtenção da tensão admissível em kg/cm²).

Em princípio esse tipo de fundação só é vantajoso quando a área ocupada pela fundação

abranger no máximo de 50% a 70% da área disponível.

Não deve ser adotada nos seguintes casos:

Aterros não compactados;

Argilas moles ou areias fofas;

Existência de água onde o rebaixamento do lençol freático não se justifica economicamente.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

3) Fundações a serem estudadas

B)

Estacas brocas:

Essas estacas são aceitáveis para pequenas cargas (5 tf a 10 tf) e acima do lençol freático.

Apresentam diâmetros de 15 a 25 cm e comprimento em torno de 3,0 metros.

Nos dias atuais evoluíram devido ao avanço das técnicas mecanizadas de escavação apresentando capacidade de escavação em diâmetros e profundidades bem superiores,

sendo chamadas de estacas escavadas não suportadas (estacas trado mecanizado).

São limitadas à presença de matacões e nível de água.

C)

Estaca tipo Strauss:

Abrangem faixa de carga de 20 tf a 85 tf (Ø 250 mm a Ø 520 mm).

Não geram vibrações para as estruturas vizinhas, podendo ser executadas muito próximas às divisas mesmo essas apresentando estado precário.

É comum a adoção de estacas justapostas na divisa, sendo essas estacas totalmente armadas e utilizadas como contenções.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

3) Fundações a serem estudadas

Não é recomendada sua utilização em solos arenosos em presença de água, tendo em vista a provável dificuldade de “secagem” da água dentro dos tubos de revestimento, impedindo a concretagem da estaca que deve ser realizada a seco.

Não se deve executá-las em espessas camadas de argilas moles saturadas devido ao risco

de “estrangulamento” (seccionamento) do fuste durante a fase da concretagem.

D) Estacas pré-moldadas de concreto:

Abrangem faixas de carga de 20 tf a 330 tf.

Normalmente não são indicadas nos seguintes casos:

Terrenos com presença de matacões ou camadas de pedregulhos;

Terrenos em que a previsão da cota de cravação seja muito variável, de modo que não seja possível

selecionar regiões com comprimentos aproximados (constantes).

Em que as construções vizinhas se encontram em estado precário, ou no caso das vibrações geradas na cravação das estacas possam gerar problemas nas edificações vizinhas.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

3) Fundações a serem estudadas

E) Estacas tipo Franki

Abrangem faixas de carga de 55 tf a 190 tf, porém seu processo executivo (cravação de tubo com ponteira fechada e execução de base alargada) causa muita vibração.

Não se recomenda essas estacas nos seguintes casos:

Terrenos com matacões;

Caso em que as construções vizinhas estejam em estado precário;

Terrenos com camadas de argila mole saturada (problema de estrangulamento de fuste semelhante ao gerado nas estacas Strauss).

Ao contrário das estacas prémoldadas essas estacas são recomendadas para o caso de a camada resistente encontra-se a profundidades variáveis.

No caso de terrenos com pedregulhos e pequenos matacões relativamente dispersos pode- se utilizar esse tipo de estaca.

É um tipo de fundação com execução muito lenta sendo que praticamente 60% a 70% do tempo do equipamento no canteiro é gasto na locomoção do mesmo.

3) Fundações a serem estudadas

E) Estacas metálicas

São constituídas de perfis metálicos simples ou compostos, tubos ou trilhos.

Sua faixa de variação de carga varia de 25 tf a 400 tf.

Há pouco tempo atrás era considerada uma das fundações mais caras, entretanto, devido ao investimento dos fabricantes de perfis, essas estacas vem se tornando bastante

competitivas com várias outras técnicas de fundações.

Apresentam-se muito vantajosas nos seguintes casos:

Quando não se deseja vibração no processo de cravação (principalmente no caso de perfis simples);

Na execução de fundações de divisa e também na execução de cortinas de estacas com objetivo de contenções.

Quando da ocorrência e necessidade de atravessar camadas resistentes ou de pedregulhos durante a cravação;

Apresentam grande capacidade de carga por elemento estrutural (estaca).

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

3) Fundações a serem estudadas

F)

Estacas escavadas com uso de fluido estabilizante

São executadas geralmente com uso de lama bentonítica ou; devido a restrições ambientais,

vem sendo escavadas com a utilização de polímeros.

São adotadas usualmente para cargas elevadas, acima de 150 tf, competindo em custo com os tubulões a ar comprimido;

Não causam vibrações durante a sua execução;

Necessitam de área relativamente grande para a instalação dos equipamentos necessários a

sua execução.

G)

Tubulões a céu aberto

Os tubulões a céu aberto são usados acima do lençol freático, ou abaixo, se o solo for predominantemente argiloso de tal modo que possibilite esgotar a água com auxílio de bomba, sem haver perigo de desmoronamento.

São usados praticamente para qualquer faixa de carga.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

3) Fundações a serem estudadas

Durante sua execução não causam vibrações.

Seu limite de carga geralmente é condicionado pelo diâmetro da base.

É importante salientar que para grandes cargas, o volume de dois tubulões (bloco de tubulões) é menor do que o de apenas um tubulão para a mesma carga. Daí às vezes, parecer ilusório que o uso de um tubulão com base muito grande seja melhor que dois tubulões com base menor, principalmente se o pilar, em planta, tiver um comprimento muito

grande (por exemplo pilares de escada, poço de elevador, etc.).

H) Tubulões a ar comprimido:

São executados abaixo do nível de água (no máximo, 30 metros de coluna de água), quando não é possível esgotar a mesma.

São geralmente usados para cargas elevadas (acima de 300 tf).

Atualmente tem sido utilizados mais em obras de pontes e viadutos.

Devido a necessidade de trabalho sobre pressão essa técnica de fundação está associada a diversos problemas de saúde nos operários.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique

o

tipo

de

fundação

mais

adequado

considerando-se:

- Terreno plano e na cota de execução da fundação;

- Cargas de 30 tf a 235 tf;

- Vizinhança em estado precário de fundações.

a 235 tf; - Vizinhança em estado precário de fundações. Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique

o

tipo

de

fundação

mais

adequado

considerando-se:

- Será construído antes da

execução das fundações um

aterro de 2,0 metros;

- Cargas de 90 tf a 400 tf;

- Vizinhança afastada e com fundações em bom estado (profundas);

- Aterro

com

terrapleno

horizontal;

(profundas); - Aterro com terrapleno horizontal; Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais adequado considerando-se:

- Cota de execução das fundações é a atual indicada nas sondagens;

- Cargas de 50 tf a 800 tf;

- Vizinhança

associadas a fundações.

apresentando

patologias

* Considere um caso particular onde esse terreno fosse inclinado.

Engº. Sérgio P M de Araujo - M.Sc em Geotecnia

* Considere um caso particular onde esse terreno fosse inclinado. Engº. Sérgio P M de Araujo

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais adequado considerando-se:

- Será construído na presente cota

um galpão com grande extensão;

Cargas

de

-15

-

momentos de 34 tf.m;

tf

a

40

tf

e

- Área afastada sem influência de vizinhança;

- Terreno plano.

Engº. Sérgio P M de Araujo - M.Sc em Geotecnia

40 tf e - Área afastada sem influência de vizinhança; - Terreno plano. Engº. Sérgio P

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais adequado considerando- se:

- Obra predial com cargas de 30 tf a 220 tf;

- Vizinhança afastada e com fundações em bom estado (profundas);

- Terreno plano.

Engº. Sérgio Araujo - MSc em Geotecnia

afastada e com fundações em bom estado (profundas); - Terreno plano. Engº. Sérgio Araujo - MSc

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique

o

tipo

de

fundação

mais

adequado

considerando-se:

- Fundações para pilares de cabeceira de uma ponte sobre o Rio Once Caldas;

-

Cargas verticais de 90 tf

a

160

tf,

esforços

horizontais

e

momentos

significativos

atuando

nas

fundações;

* Considere um caso particular em que existe também a necessidade de execução de fundação no

leito do rio.

a necessidade de execução de fundação no leito do rio. Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais

adequado

considerando-se:

- Fundações para uma base de torre de

linha de transmissão;

- Acentuados esforços de tração atuando nas fundações;

- Acentuados esforços de tração atuando nas fundações; Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais adequado considerando- se:

- Obra predial com cargas de 50 tf a 320 tf;

- Vizinhança afastada e com fundações em bom estado (profundas);

afastada e com fundações em bom estado (profundas); Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais adequado considerando-se:

- Obra predial com cargas de 25 tf a

410 tf;

- Vizinhança com fundações em bom estado (profundas);

- Terreno com topografia plana.

Engº. Sérgio P M de Araujo - M.Sc em Geotecnia

fundações em bom estado (profundas); - Terreno com topografia plana. Engº. Sérgio P M de Araujo

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais adequado considerando-se:

- Obra predial com cargas de 180 tf

a 2.200 tf;

- Vizinhança afastada e com fundações em estado precário de conservação nas proximidades do centro histórico local;

- Canteiro de obras de grandes dimensões e praticamente plano.

Engº. Sérgio Araujo - M.Sc em Geotecnia

local; - Canteiro de obras de grandes dimensões e praticamente plano. Engº. Sérgio Araujo - M.Sc

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de contenção e fundação mais adequados considerando-se:

- Obra predial com três níveis de subsolo e cargas nas fundações de 45 tf a 820 tf;

- Vizinhança afastada e com fundações em bom estado;

Engº. Sérgio Araujo - M.Sc em Geotecnia

de 45 tf a 820 tf; - Vizinhança afastada e com fundações em bom estado; Engº.

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais adequado considerando-se:

- Obra predial com cargas de 15 tf a 280 tf;

- Vizinhança com diferentes padrões

de construção, inclusive algumas mais antigas já apresentam trincas

inclinadas a 45º;

Engº. Sérgio Araujo - M.Sc em Geotecnia

inclusive algumas mais antigas já apresentam trincas inclinadas a 45º; Engº. Sérgio Araujo - M.Sc em

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais adequado considerando-se:

- Obra predial com cargas de 25 tf a

300 tf;

- Vizinhança com fundações em bom estado (profundas);

- Terreno

com

topografia

bastante

inclinada.

- Terreno com topografia bastante inclinada. Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

Especifique o tipo de fundação mais adequado considerando- se:

- Obra predial com cargas de

35 tf a 360 tf;

- Não há informações sobre a vizinhança;

a)

Terreno

com

topografia

bastante inclinada.

b)

Terreno

com

topografia

plana.

inclinada. b) Terreno com topografia plana. Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação Furo de sondagem correto. Furo de sondagem incorreto!!!!

Furo de sondagem correto.

obra: Escolha da melhor fundação Furo de sondagem correto. Furo de sondagem incorreto!!!! As sondagens indicadas

Furo de sondagem incorreto!!!!

As sondagens indicadas representam casos reais de erros de sondagens.

Especifique o tipo de fundação mais adequado para cada caso e avalie o problema de maneira geral, considerando-se que se trata de uma obra

residencial com cargas variando de 10 tf a 90 tf.

Engº. Sérgio Paulino Mourthé de Araujo - M.Sc em Geotecnia

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação

4) Casos de obra: Escolha da melhor fundação Furo de sondagem correto. As sondagens indicadas representam

Furo de sondagem correto.

As sondagens indicadas representam casos reais de erros de sondagens. Especifique o tipo de fundação mais

adequado para cada caso e avalie o problema de

maneira geral, considerando-se que se trata de uma obra

predial com cargas variando de 20 tf a 180 tf.

considerando-se que se trata de uma obra predial com cargas variando de 20 tf a 180

Furo de sondagem incorreto!!!!