JOVENS NA EPÍSTOLA DE JOÃO

A.H.Rule Christian Truth, November 1982

Em 1 João 2:13 aprendemos que os jovens são caracterizados como tendo vencido o maligno. Na segunda vez em que o apóstolo se dirige aos jovens, ele menciona o segredo de sua força e os alerta acerca do mundo (1 Jo 2:14-15). Amar o mundo e amar o Pai são duas coisas incompatíveis. Todos os elementos que fazem o mundo ser como ele é têm sua origem no próprio mundo, e não no Pai. Por isso o mundo e sua concupiscência passa, enquanto que aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. Vamos examinar estes diferentes pontos: 1. Os jovens venceram o maligno. O poder da vida divina está neles, e foram coroados com vitória nos conflitos que tiveram com o inimigo. Isto não quer dizer que terminou todo conflito e que passou o perigo, mas que eles, em meio ao conflito, se deram conta de possuir um poder que é superior ao do inimigo. Se, por um lado, eles têm um inimigo poderoso, por outro, conhecem e possuem um poder maior que o do inimigo, o qual podem usar e pôr o inimigo a correr. Eles são caracterizados pelo notável fato de terem vencido o maligno (1 Jo 2:13). Satanás, que governa as trevas deste mundo e é o grande inimigo do povo de Deus, não pode se manter diante desses jovens. Isto é algo maravilhoso, que pode muito bem nos encher de santa ousadia e coragem quando confrontados com esse incansável e implacável inimigo. 2. A vida divina, direcionada pela Palavra de Deus, é o segredo da força nos jovens. "Sois fortes, e a Palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno." (1 Jo 2:14). Em Efésios 6, quando se tratava de uma questão de conflito com os poderes espirituais da maldade, o apóstolo escreveu: "Fortalecei-vos no Senhor e na força do Seu poder" (Ef 6:1). É esta a fonte de toda a força para o conflito. Não temos força em nós mesmos, mas nEle somos fortes. Cristo é a vida do crente e esta é dirigida no crente pela Palavra de Deus. Contra ela Satanás não tem poder. Quando Satanás se depara com Cristo no crente, está encontrando Alguém que já o derrotou e destruiu o seu poder. Na morte (que expressa completa fraqueza), Cristo destruiu aquele que tinha o poder da morte, de modo que a fraqueza de Cristo é mais forte do que o poder de Satanás. Satanás usou tudo o que tinha de pior contra Cristo na cruz, mas Cristo ressuscitou de entre os mortos no poder de uma vida que Satanás não poderia tocar. Tendo sido a ressurreição proclamada como completa, a vitória eterna foi dada a Cristo. Satanás bem sabe que não passa de um inimigo derrotado e que, no tempo apropriado, Cristo o lançará no lago de fogo. Portanto, se, no poder de Cristo, nos deparamos com Satanás, este foge imediatamente. "Resisti ao diabo, e ele fugirá de vós." (Tg 4:7).

Não se trata apenas de Cristo ter pessoalmente conquistado vitória sobre Satanás, mas de ter Ele feito isso para nossa libertação. Ele participou da carne e do sangue, "para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo; e livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão" (Hb 2:14-15). Na morte de Cristo tudo aquilo que Satanás podia usar para aterrorizar a consciência, bem como tudo aquilo que poderia atrair o juízo de Deus, foi removido, e dessa forma o crente está livre da condição de escravidão e temor na qual havia sido precipitado pelo pecado e pelo poder de Satanás. Mas isso não é tudo. O crente é feito participante da vida divina. Ele possui a mesma vida em que a vitória de Cristo sobre Satanás foi manifestada - vida em ressurreição - vida como a que Cristo concedeu aos Seus discípulos quando soprou sobre eles após Sua ressurreição - vida no Espírito. Cristo foi vivificado pelo Espírito (ou no Espírito) (1 Pd 3:18); o crente vive no Espírito (Gálatas 5:25); e possui o "Espírito de vida em Cristo Jesus", como um poder libertador. (Rm 8:2). Trata-se da vida em Cristo, da qual o Espírito Santo é a fonte e o poder no crente. Satanás não pode tocar essa vida. "O que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca." (1 Jo 5:18). É nessa vida divina que está o segredo da força dos jovens. Eles têm a energia de Cristo neles, e a Palavra de Deus habitando neles. Esta dirige a vida divina em conformidade com tudo aquilo que Cristo é como objeto a preencher o coração e governar seus desejos. A Palavra de Deus expressa o que essa vida é em todas as suas muitas características, e se a Palavra permanece em nós, ela molda o coração enchendo-o com Cristo como seu objeto, reproduzindo Sua vida em nós. Paulo podia dizer: "Para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho" (Fp 1:21). E se for isto o que Satanás encontra em nós, o que poderá ele fazer? Satanás estará na presença dAquele que já o derrotou, e só lhe resta fugir. Quão precioso é, portanto, permanecermos nEle, como o apóstolo nos exorta em 1 João 2:28, e termos a Palavra de Deus em nós, como fala o versículo 14, para podermos estar sempre capacitados a vencer o iníquo. O poder de Satanás já foi rompido na cruz, mas ele tem muitos ardis, e é a isso que temos que resistir. "Porque não ignoramos os seus ardis" (2 Co 2:11), disse o apóstolo aos Coríntios, e precisamos vigiar "para que Satanás não alcance vantagem sobre nós" (2 Co 2:11 - Almeida, Versão Atualizada). Nossa segurança está em termos a Palavra de Deus habitando em nós. É isto o que molda o coração em conformidade com Cristo, e dirige os movimentos da vida divina na alma. Ela torna-se também a espada do Espírito para o guerreiro cristão, e o capacita a repelir todo ataque do iníquo. A Palavra de Deus é a "Palavra da Sua graça" (At 20:32), que é poderosa para nos edificar e nos dar herança entre todos os que são santificados, e é também a espada do Espírito. Possamos nós dar valor a ela, tanto por aquilo que nos dá, como por aquilo contra o que ela nos preserva.

A.H.Rule Christian Truth, November 1982

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful