V FORUM BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 3 A 6 DE NOVEMBRO DE 2004 GOIÂNIA/GO GT AGENDA 21 Coordenação: Cíntia Barenho – Coordenadora do Projeto “Construindo a Agenda

21 de Pelotas”, Centro de Estudos Ambientais(CEA), ONG Ambientalista de Pelotas/RS, membro do FBOMS e CPDS. O GT Agenda 21, coordenado por Cíntia Barenho, realizou-se nos dias 4 e 5 de novembro de 2004. Tal GT trabalhou com conceitos e metodologias, que o Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Socias(FBOMS) vem discutindo e trabalhando desde o processo preparatório da ECO-92. A discussão também foi ampliada por meio de materiais produzidos pelo MMA, experiências locais e com o testemunho dos participantes. Dentre os objetivos do GT destacam-se:  Divulgação de conceitos e práticas: apresentação de alguns conceitos de Agenda 21, bem como sua situação Nacional;  Troca de experiências; locais. Durante os trabalhos do GT foram apresentados questionamentos, para que o debate fosse melhor conduzido: 1. locais? 2. Quais os principais aspectos que Agenda 21 local colaborou e fortaleceu?Como que se sustenta frente a mudanças político-institucionais ocorridas ou que podem ocorrer durante o processo? Quais suas vias de continuidade? Como começa o processo de Agenda 21 local? Quais  Tecer considerações e estratégias para o fortalecimento de ações

potencialidade e fragilidades no processo de construção das Agendas 21

Atividades do dia 4/11 Após uma breve apresentação de como seria conduzido o GT, fez-se apresentações individuais e dentre os 21 presentes, 12 afirmaram ter experiência práticas sobre o tema.

Foi apresentada por Cíntia Barenho a experiência de Agenda 21 que está sendo construída na cidade de Pelotas/RS. Num primeiro momento um breve diagnóstico do processo no Brasil: 554 cidades com processos de Agenda 21. E num segundo momento o processo na cidade de Pelotas/RS. PELOTAS-RS Na cidade de Pelotas/RS o processo começou em 2001 através das discussões acumuladas pelas entidades componentes do Conselho Municipal de Proteção Ambiental (COMPAM) assim criou-se uma comissão especial para definição dos conceitos e metodologias para construção do processo, caracterizando assim a Fase 1 do processo-2001/2002. Foram delimitados 5 eixos-temáticos: geo-ambiental, social, econômico,político institucional e de acesso à informação; e a partir destes um questionário foi criado para obtenção de um diagnóstico, onde as diversas realidades presentes na cidade seriam amostradas. Através de uma Conferencia Municipal os dados levantados, com os questionários, foram debatidos e discutidos, o que culminou na Agenda de prioridades e ações para a cidade de Pelotas: a Agenda 21 de Pelotas. Entrando numa fase 3 o FNMA e a Prefeitura Municipal de Pelotas firmam o Projeto “Construindo a Agenda 21 de Pelotas” e por meio de financiamento o trabalho ganha outra dinâmica. Desde Maio de 2004, 180 pessoas estão sendo capacitadas em 6 regiões da cidade de pelotas, por meio de ONG locais. A capacitação encerra-se com a implementação de 6 Núcleos de Educação Ambiental(NEA) em escolas municipais onde esses agentes ambientais colocaram a Agenda 21 em prática por meio de projetos. A falta de equipamentos áudio-visual e da infra-estrutura oferecida pelo GT prejudicou essa primeira parte dos trabalhos. O trabalho do GT seguiu por meio de breves relatos de outras experiências locais: VILA MARIANA-SP Por meio do Instituto Phisis 20 a 30 pessoas envolveram-se no processo de discussão e capacitação. Tal instituto procurou a Prefeitura local, porem o apoio necessário não foi dado e o processo permanece parado. ITAJAÍ-SC Iniciou-se o processo em 2001 com a parceria de ONG local e UNIVALI. O processo alavancou-se em 2003 com o cadastro das entidades envolvidas e por um breve diagnóstico participativo. No final de 2003 o projeto foi contemplado com o financiamento do FNMA, porem estão ainda não está disponível. O projeto Agenda 21 local esta sendo construído com a preocupação ética de legitimação das ações. Foi realizado Fórum de debates com os candidatos à Prefeitura de Itajaí. O Fórum permanente da Agenda 21 conduziu de maneira imparcial as discussões e firmou um tratado de compromisso com os candidatos a prefeito. Este Fórum permanente é composto por 18 entidades e em seu regimento interno as entidades são distinguidas por permanentes e não permanentes. Criou-se também sub-fóruns para descentralizar, mobilizar popularizar as discussões nas diversas localidades. Existem também GT temáticos para a garantia de inserção em segmentos específicos. PASSO FUNDO-RS O Trabalho existente se faz, por meio dos cinco Comitês de Bacias Hidrográficas existentes na região. O fórum local é itinerante Uma das ações foi a criação de um programa de rádio envolvendo e mobilizando atores locais..Também existem contas em diversos bancos para doações espontâneas e se prosseguiu com a campanha de sensibilização empresarial. Através

da criação de um regimento interno os as doações possuem cotas, em valores percentuais, para 12 prioridades. Devido às problemáticas evidentes e vigentes, o programa de rádio continua, agora com a participação das escolas locais. O grupo ainda trabalha com hortas comunitárias -Fome Zero-. O Fórum local promoveu encontro entre os prefeitos vigentes e eleitos, com representantes da Agenda 21 Nacional/MMA. O prefeito eleito se comprometeu em criar um pasta de Agenda 21 na Secretaria Municipal de Meio Ambiente. EMBÚ-SP Por iniciativa de grupo de ambientalistas, o processo começou com Evento temático onde se definiram os eixos temáticos para o trabalho: água, resíduos sólidos, geração de renda, etc. O processo tem 3 meses e estão sendo criados grupos temáticos para encaminharem-se propostas. O grupo promoveu evento para firmar uma plataforma Ambiental com o futuro prefeitos, vereador@s e secretári@s municipais. SUZANO-SP Agenda 21 de caráter escolar, com a finalidade de expor as propostas aos outros segmentos da sociedade. Firmaram garantias com a nova gestão administrativa para a continuidade dos trabalhos. DIAMANTINA-MG Agenda 21 de caráter escolar por meio de Educação Ambiental para ambiente participativo. O processo foi fomentado por grupo de voluntários, e já se estendem para outras entidades da sociedade local. Poucas iniciativas, para integração socioambiental, foram realizadas. Possuem uma rede de atores locais e de rádios comunitárias. A pretensão do grupo é o de levar o debate da Agenda 21 escolar para âmbito municipal, e assim construir a Agenda 21 do município. Dentre os relatos apresentados um breve diagnostico pode ser percebido:  O GT encerrou-se por volta das 19:30h, encaminhando-se para o próximo encontro uma projeção de estratégias de continuidade, maior articulação via MMA para a criação de Rede de Agendas 21 locais, bem como um maior esclarecimento acerca do FNMA, por meio da presença de algum de seus representantes.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful