Pré V Fórum no Estado do Rio de Janeiro Centro de Convenções do Hotel Glória – 17/09/2004.

GT Políticas Públicas Propostas dos participantes:
• •

• •

• • •

Que sejam identificados no FNMA recursos específicos para a Educação Ambiental (EA) Educação Ambiental Formal: deve fazer parte do Projeto Político Pedagógico (PPP) de cada escola, para que possa se transformar em ferramenta para desenvolver a EA nas escolas baseada na Agenda 21 e PCNs. (Foi dado o exemplo de Paty do Alferes, onde a Secretaria Municipal de Meio Ambiente envolveu as escolas com a Agenda 21 e o PPP absorveu a EA, repercutindo em todas as escolas.) Em virtude das dificuldades das Secretarias Municipais de Educação e Meio Ambiente não saberem como conduzir a EA, recomenda-se que devem buscar as Universidades ou Faculdades Locais para instituir parcerias para apoiar as ações de EA. Os PCNs e a Agenda 21 devem ser (retomados) e considerados enquanto referências para a EA. Promover a articulação da Secretaria de Estado de Educação e Secretarias Municipais de Educação para favorecer ações integradas em EA no âmbito municipal. Considerando que as ações no âmbito da EA promovidas pelas SMEs são desestruturadas, não implantam ações desta natureza, onde são confundidas campanhas com ação processual, recomenda-se que sejam envolvidas, em âmbito estadual, a ANDIME e ANAMA, de modo a propiciar uma ação estruturada entre as Secretarias Municipais de Educação e Meio Ambiente, facilitando a instituição da EA na perspectiva da transversalidade. As listas de discussão das Redes de EA precisam oferecer mias dados e experiências para a realidade das cidades do interior. Que sejam retomadas as ações de EA à Distância oferecidas pelo MMA. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano deve reunir as Secretarias Municipais de Meio Ambiente, para a organização de ações permanentes e de estímulo à EA, proporcionando uma orientação articulada. Incluir nas recomendações da REARJ as análises feitas pela professora Vânia Morissy, representante da OAB-RJ (Comissão de Meio Ambiente)no CONEMA sobre o PRONEA e a Lei Estadual de EA. (A professora foi ouvida pela Mônica Arruda).

Em relação à recomendações dos participantes da 68ª Reunião Ampliada do GIEA (08/09/04), os participantes foram divididos em 3 grupos para análise e contribuições com o objetivo de encaminhamento de propostas do Estado do Rio de Janeiro. As principais contribuições são: (atenção: reproduzo o material digitado e distribuído aos participantes do GT por Rondon e Carmem Moura)

Observação: os Princípios, página 25 deveriam estar colocados antes das diretrizes -–página 23

DIRETRIZES: • Página 23: itens do 1º parágrafo. • 3º Item: substituir todo o item, por “Implementar efetivamente as políticas de formação inicial e continuada, em caráter formal e não formal.” • 2º parágrafo: 4ª linha. Acrescentar: “... setores saúde e cultura ...” • Página 24 – 1º parágrafo 1ª linha: retirar elementos e substituir por instrumentos. • 4º parágrafo: retirar os nomes dos programas do Governo (como Fome Zero, Florestais) PRINCÍPIOS • Página 25: Os princípios 3, 7, 9, 10 E 12 que estão na relação são diretrizes (página 23). • Página 25: dos princípios que ficaram são sugeridas as correções: Do antigo 14, atual 9: retirar a expressão internas e externas. Do antigo 16, atual 11: acrescentar no início o termo honestidade MISSÃO • Página 27: substituir todo o texto por “Estimular a internalização, ampliação e aprofundamento da EA no país, englobando todas as esferas de Governo, sistemas de ensino formal e não formal e todos os setores da sociedade, contribuindo para a construção de territórios sustentáveis com pessoas conscientes e atuantes.” • Página 27: substituir o 5º objetivo por “Contribuir para a internalização da dimensão ambiental nos projetos de desenvolvimento e de melhoria da qualidade de vida, nas políticas e programas setoriais de todas as esferas de governo e, em todos os setores da sociedade.” • Incluir o 6º objetivo: “Promover a interação das diferentes matrizes do conhecimento (saberes tradicionais/populares e técnico-científicos.” • Página 29 – Públicos: N.º 2 – substituir manejadores por gestores e manejadores de ... N.º 3 – substituir por educadores ambientais N.º 5 – separar: Técnicos extensionistas (5) Agentes comunitários (novo – 6) Após a última (10ª antiga) acrescentar: “profissionais de educação (que será um novo, portanto 12º) • Página 29 – Linhas de Ação 1 – inverter a ordem: planejamento e gestão 2 – substituir o arroba de educadores e colocar a letra e 3 – substituir o termo por: “divulgação sobre educação ambiental” Acrescentar “6 – pesquisa em educação ambiental”

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful