Você está na página 1de 3

CRIMES ELEITORAIS E CONDUTAS VEDADAS NA ELEIÇÃO 2012

  • 1. - Usar alto-falantes e amplificadores de som ou a promoção de comício,

carreata, passeata ou assemelhados. (Artigo(s) 39, §5º, da Lei 9.504/97

  • 2. – Promover a arregimentação de eleitor e a propaganda de boca de urna.

(Artigo(s) 39, §5º, da Lei 9.504/97

  • 3. – Divulgar qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus

candidatos, a exemplo de cartazes padronizados, bonés padronizados, camisas padronizadas e bandeiras padronizadas que possam caracterizar a manifestação coletiva, ou que os referidos instrumentos tenham sido distribuídos por partidos e candidatos, ou ainda com as bandeiras utilizadas para o fim da propaganda ocorrida no período em que foi permitido, seja com ou sem utilização de veículos. (Artigo(s) 39, §5º, III, §6º; 39-A, §1º, todos da Lei 9.504/97)

  • 4. – Realizar transporte de eleitores, em qualquer tipo de veículo, inclusive

embarcação, desde o dia anterior até o dia posterior ao dia da eleição, salvo se a serviço da Justiça Eleitoral, ou se regularmente utilizado como de linha regular e credenciada, bem assim usado com regularidade para frete ou aluguel (exemp. táxi), nos termos da Lei 6.091/74. (Artigo(s) 302, do Código Eleitoral e artigo(s) 5º, 10 e 11, III, da Lei 6.091/74)

  • 5. – Promover atos de desordem que prejudiquem os trabalhos eleitorais.

(Artigo(s) 296 do Código Eleitoral)

  • 6. – Promover a concentração de eleitores sob qualquer forma. (Artigo(s) 302 do

Código Eleitoral; art. 39-A, §1º, da Lei 9.504/97)

  • 7. – Tentar votar mais de uma vez, bem como votar em lugar de outrem. (Artigo(s)

309, 297 e 347 do Código Eleitoral)

  • 8. – Violar de qualquer modo o sigilo do voto, inclusive com filmagem, fotografia

ou gravação sonora (até por celulares) do processo regular de votação, ficando, portanto, proibida a entrada na seção eleitoral com aparelho celular. (Artigo(s) 312, 297 e 347 do Código Eleitoral)

9. – Captação de Sufrágio (compra e venda de voto) - É crime eleitoral, desde o registro da candidatura até o dia da eleição:

I – O candidato, ou qualquer outra pessoa, oferecer, dar, prometer, solicitar ou receber, dinheiro ou qualquer outra vantagem, inclusive produzir violência

contra o eleitor, para obter ou dar voto, para conseguir ou prometer abstenção, ainda que a oferta não seja aceita pelo eleitor. (Artigo(s) 297 e 299 do Código Eleitoral; artigo(s) 41-A da Lei 9.504/97 e artigo(s) 56 e 66 da Resolução/TSE 22.718).

  • 10. Intervir autoridade estranha à mesa receptora, salvo o juiz eleitoral, no seu

funcionamento sob qualquer pretexto (Artigo 305 do Código Eleitoral)

11. – Reter título eleitoral contra a vontade do eleitor (Artigo(s) 295 do Código Eleitoral)

12 – Impedir ou embaraçar o exercício do sufrágio Eleitoral);

(Artigo(s) 297 do Código

13 – “LEI SECA” - Recusar alguém cumprimento ou obediência a diligências, ordens ou instruções da Justiça Eleitoral ou opor embaraços à sua execução

(Artigo(s) 347 do Código Eleitoral)