Você está na página 1de 4
Fortaleza – Setembro 2012

Fortaleza Setembro

2012

“Instituição Social”

“É um mecanismo de proteção da sociedade, é o conjunto de regras e procedimentos

padronizados socialmente, reconhecidos, aceitos e sancionados pela sociedade, cuja importância estratégica é manter a organização do grupo e satisfazer as necessidades dos

indivíduos.” (Durkheim)

“Praticas reconhecidas e estabelecidas que governam as relações entre os indivíduos ou os grupos.” (Morri Ginsberg)

“Conjunto organizado de crenças e praticas que os indivíduos adaptam com a finalidade de alcançar um determinado objetivo socialmente importante.”

(Mª da Luz Oliveira)

“Conjunto de atos ou de idéias instituído que os indivíduos encontram diante de si e que a eles se impõe.” (Marcel Mauss)

A Família

A família é a primeira e mais importante instituição social à qual o indivíduo faz parte, e de suma influência na sua formação. No seio da família o indivíduo é orientado, recebendo a educação, os valores e principalmente a ética, princípios indispensáveis para que o mesmo seja capaz de se desenvolver com solidez de caráter e honestidade na sociedade e em outras instituições, como a escola, que depois da família é o segundo meio social mais determinante na formação cívica das pessoas.

Conscientes da grande importância da família na vida de um indivíduo, podemos afirmar que se o meio familiar não for um âmbito saudável e acolhedor, favorece a formação de pessoas insociais, incapazes de se relacionarem com o meio externo, promover transformação, e pior, essa pessoa sem uma base de caráter bem consolidada corre risco de seguir pelos caminhos mais tortuosos da vida, como a violência, a criminalidade e a corrupção, já que é pobre de princípios, valores e principalmente de ética.

Para sanarmos os problemas do nosso cotidiano, principalmente a violência, deve-se investir na família, erradicar a cultura do ódio e propiciar um ambiente decente que favoreça a cultura dos valores, e nenhuma instituição consegue fazer-se mais eficiente do que a família que é o pilar forte que sustenta o caráter de todos nós.

Daí, enxergamos o que há de tão fundamental na conjuntura familiar, que deve oferecer condições para que os indivíduos se desenvolvam com dignidade e solidez de caráter, na criação de uma sociedade mais justa e igual. Além disso, a família é de grande importância reprodutiva e econômica.

A Escola

A escola é uma instituição social com objetivo principal o desenvolvimento das potencialidades físicas, cognitivas e afetivas dos alunos, por meio da aprendizagem dos conteúdos (conhecimentos, habilidades, procedimentos, atitudes, e valores) que, aliás, deve acontecer de maneira contextualizada desenvolvendo nos discentes a capacidade de tornarem-se cidadãos participativos na sociedade em que vivem. A escola deve oferecer situações que favoreçam o aprendizado, onde haja sede em aprender e também razão, entendimento da importância desse aprendizado no futuro do aluno. Se ele compreender que, muito mais importante do que possuir bens materiais, é ter uma fonte de segurança que garanta seu espaço no mercado competitivo, ele buscará conhecer e aprender sempre mais.

A escola deve garantir o acesso aos saberes elaborado socialmente, para o desenvolvimento, a socialização e o exercício da cidadania.

A Religião

Diz respeito às relações que os humanos estabelecem com o domínio meta-empírica (o intangível, o sobrenatural) da realidade, ou seja, com o que está para além da possibilidade de observação. A religião é uma instituição social que estabelece concepções, princípios éticos, normas de modo geral, formas de interpretar a realidade.

As crenças e os valores religiosos, são fatores muito poderosos de formação de atitudes. A religião, por esse motivo, é um dos mais fortes componentes do caráter, do modo de ser de qualquer povo.

  • Todas as sociedades conheceram ou conhecem alguma forma de religião. Na verdade, as crenças religiosas são um fato social universal, porque ocorrem em toda parte, desde os tempos mais remotos. A crença em algum tipo de divindade e o sentimento religioso são fenômenos comuns a todas as épocas e lugares do planeta.

  • A forma de expressa o sentimento religioso varia muito, de pessoa para pessoa, de grupo para grupo , de época para época. Cada sociedade tem aspectos diferentes em suas manifestações religiosas.

  • A religião envolve a crença em poderes sobrenaturais ou misteriosos.

  • A Igreja católica, evangélica, islâmica, ortodoxa, hebraica, umbandista, etc. Continua sendo uma das principais instituições a influenciar o comportamento humano em todas as sociedades do mundo contemporâneo.

O Estado

O Estado é uma forte instituição social, à qual exige de nós deveres a ser cumpridos em troca de direitos que nos são outorgados, e também

monopoliza a chamada “força legítima”, sendo de imenso poder de coerção

[sobre todo e qualquer] indivíduo que tenha burlado algo legítimo, em seu território

“O estado moderno do ponto de vista sociológico, é uma “empresa”, do

mesmo modo que uma fábrica: precisamente esta é sua qualidade

historicamente específica.” (Weber,2004, P.530)

FUNÇÕES DO ESTADO

  • Promover condições de existência para outras instituições, tais como as econômicas, familiares, sociais etc

..

Através da promoção de proteção, regulação e organização

da vida política.

  • Garantir a Soberania, manter a Ordem e promover o bem - estar social ( Wellfare States)

As Instituições Econômicas

As atividades econômicas são institucionalizadas à medida que são explicadas por crenças, legitimadas por valores e reguladas por normas. Assim, em todas as sociedades, para a produção, a circulação, a distribuição e a troca de bens, existem crenças, valores, normas e papeis determinados. (Ex: Capitalismo; Feudalismo e Esclavagismo)

Alguns autores tratam a instituição econômica, como a instituição do mercado, onde a economia é regra ligada ao processo de produção, distribuição e consumo das riquezas, utilizando os recursos de uma sociedade. Assim, todas as sociedades criam seus valores e normas econômicas para assim, regulamentar as relações de produção e consumo presentes na vida de todos os indivíduos.