Você está na página 1de 4

[CONTRATOS DE TRABALHO]

September 27, 2012

Celebração Do Contrato De Trabalho

Quando contrata um trabalhador, a PTA-Águas, Lda. está a celebrar um contrato de

trabalho. Existem vários elementos a ter em conta e vários tipos de contratos que

podem ser utilizados.

Através de um contrato de trabalho, o trabalhador obriga-se a prestar uma actividade intelectual ou manual, sob a autoridade e direcção da entidade empregada, e em troca recebe uma retribuição 1 .

Esta actividade é definida entre o trabalhador e a PTA-Águas, Lda. podendo ser efectuada por remissão para a categoria prevista em instrumento de regulamentação colectiva de trabalho aplicável ao trabalhador a contratar ou no nosso respectivo regulamento interno. Há outras hipóteses para defenir esta actividade, nomeadamente através de uma descrição expressa das funções do trabalhador.

Algumas das actividades que o trabalhador se obriga a prestar poderão exigir autonomia técnica, como por exemplo, actividades no âmbito da engenharia ou da medicina. Nestes casos, a autoridade e direcção da entidade empregadora não deve impedir a autonomia técnica, desde que esta resulte de preceitos deontológicos da actividade exercida pelo trabalhador por lei.

Actualmente é permitido o contrato de trabalho com pluralidade de empregadores. Desta forma, vários empregadores, em função da sua natureza societária ou da existência de uma extrutura organizativa comum, podem efectuar um contrato de trabalhor. Neste caso, todas as entidades que agem como empregador ficam responsabilizados solidariamente pelo pagamento da retribuição a este trabalhador.

O contrato de trabalho não necessita de ser elaborado po escrito. No entanto, há determinados tipos de contratos de trabalho que, em função das suas especificidades, têm obrigatoriamente de ter a forma escrita:

Contrato de trabalho a termo;

Contrato de trabalho de muito pouca duração, desde que superior a uma semana;

Contrato de trabalho com trabalhador estrangeiro não comunitário ou apátrida;

Contrato de trabalho a tempo parcial;

Contrato de trabalho com pluralidade de empregadores;

Contrato de trabalho intermitente;

Contrato de trabalho em comissão de serviço;

Contrato promessa de trabalho;

Contrato para a prestação subordinada de teletrabalho;

Contrato de trabalho por tempo indeterminado para cedência temporária;

Contrato de pré-reforma;

Contrato de cedência ocasional de trabalhadores.

1 Art. 1051.º Cc

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico 1

1

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico 1

[CONTRATOS DE TRABALHO]

September 27, 2012

Idade mínima dos trabalhadores

A empresa pode contratar trabalhadores menores desde que estes disponham de capacidade física e psíquica adequada ao posto de trabalho. No entanto, há outras condicionantes na sua contratação, tais como a idade mínima exigida por lei, a sua formação profissional ou ainda os trabalhos que lhe são proibidos.

Em relação aos menores com 16 ou mais anos e com a esolaridade mínima obrigatória, e desde que não haja oposição escrita por parte dos seus representantes legais, a empresapode contratá-los para fazerem parte da sua força laboral, desde que não efectuem trabalhos que a lei considere proibidos.

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico 2

2

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico 2
Período Experimental do Contrato de trabalho
Período Experimental do Contrato de trabalho

[CONTRATOS DE TRABALHO]

September 27, 2012

Este período existe na fase inicial da relação laboral, e corresponde ao tempo durante o qual o trabalhador e a empresa estão «à experiência» ou «à prova».

Este período serve essencialmente para a empresa testar as aptidões do trabalhador, bem como para este último verificar as condições do trabalho que lhe são oferecidas.

Mediante acordo escrito ou no própria contrato de trabalho, as partes podem prever a não existência de período experimental ou a sua redução.

A duração do período experimental nos contratos de trabalho por tempo indeterminado é de:

- 90 dias para a generalidade dos trabalhadores;

- 180 dias para os trabalhadores que exerçam cargos de complexidade técnica, elevado grau de responsabilidade, ou que pressuponham uma especial qualificação ou desempenhem funções de extrema confiança;

- 240 dias para pessoal de direcção e quadros superiores.

Nos contratos a termo o período experimental tem a seguinte duração:

- 30 dias nos contratos de duração igual ou superior a seis meses;

- 15 dias nos contratos a termo certo de duração inferior a seis meses e nos contratos a termo incerto cuja duração se preveja não vir a ser superior a este limite.

A contagem do período experimental efectua-se a partir do momento em que o trabalhador inicia a sua prestação de trabalho. Desde que não exceda metade do período experimental, o tempo de formação ministrado ou determinado pela entidade empregadora é englobado na contagem deste período. Os dias de faltas (inclusive as justificadas), de dispensas, as licenças bem como o tempo de suspensão do contrato não são contabilizados para contagem deste período experimental.

Se o trabalhador já trabalhou para a empresa através de um contrato a termo para a mesma actividade, ou trabalho temporário executado no mesmo posto de trabalho, ou um contrato de prestação de serviços para o mesmo objecto, é descontado esse período ao prazo previsto para o período experimental.

Se alguma das partes não estiver satisfeita com a prestação da outra durante o período experimental, pode terminar o contrato de trabalho sem que seja necessário invocar qualquer razão e sem aviso prévio.

No entanto, se o período experimental tiver durado mais de 60 dias, a empresa terá de avisar

o trabalhador com sete dias de antecedência. Se a sua duração tiver sido superior a 120 dias,

a empresa terá de efectuar aviso prévio com 15 dias de antecedência.

Quer o trabalhador, quer a empresa não ficam obrigados a pagar qualquer indemnização por cessarem o contrato de trabalho, excepto se este previr essa indemnização.

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico 3

3

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico 3

[CONTRATOS DE TRABALHO]

September 27, 2012

Contrato promessa de trabalho
Contrato promessa de trabalho

A empresa e o potencial trabalhador podem comprometer-se a celebrar posteriormente um

determinado contrato de trabalho, através de um contrato.

Para ser válido, este contrato ter de ser redigido e conter a declaração de vontade do promitente ou promitentes se obrigarem a celebrar o contrato definitivo, a actividade laboral

a prestar. A respectiva retribuição, bem como a identificação, assinaturas, domicílios e sede das partes.

Este tipo de contrato-promessa não é um contrato de trabalho. O incumprimento daquele contrato, ou seja, a não celebração do contrato de trabalho prometido, apenas obriga a parte que incumprir a indemnizar a outra, e não obriga a celebrar o contrato prometido. Exemplos serão os contratos promessas estabelecidos com trabalhadores estrangeiros, onde para a obtenção de visto de trabalho, à ser emitido pelo SME, no qual obriga a celebração de um contrato-promessa.

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico 4

4

PTA-Águas, Lda. | Elaborado por: Carlos E. Soeiro, Director Rec. Humanos & Jurídico 4