PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

^ ^ TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N°

ACÓRDÃO

i MUI uni uni um um mil iiiii uni iiii iii

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Embargos de Declaração n° 994.07.116786-8/50000, da Comarca de São Paulo, em que é embargante COOPERATIVA HABITACIONAL DOS BANCÁRIOS DE SÃO PAULO BANCOOP sendo embargado MAURÍCIO ALVES LOPES. ACORDAM, em 4 a Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: acórdão. O julgamento teve a participação dos "REJEITARAM OS EMBARGOS. V. U.", de conformidade com o voto do Relator, que integra este

Desembargadores TEIXEIRA LEITE (Presidente sem voto), NATAN ZELINSCHI DE ARRUDA E FRANCISCO LOUREIRO. São Paulo,27 de maio de 2010.

^'UÊvJ^**'
FÁBIO QUADROS RELATOR

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Voto n° 10203 Embargos de Declaração n°: 994.07.116786-8/50000 Comarca: São Paulo Embargante: Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo - Bancoop Embargado: Maurício Alves Lopes

Embargos

declaratóríos

-

Omissão, Vícios não

obscuridade e contradição -

caracterizados - Desnecessidade de serem perfilados textualmente no acórdão todos os pontos mencionados - Nítida pretensão de dar aos embargos caráter infringente - Embargos rejeitados.

Cuida-se de embargos de declaração (fls. 265/278) apresentados pela COOPERATIVA

HABITACIONAL DOS BANCÁRIOS DE SÃO PAULO BANCOOP, contra v. acórdão de fls. 253/258, que à unanimidade deu parcial provimento ao recurso interposto pela ora embargante. Irresignada maneja a cooperativa ré o presente recurso, referindo que o julgado padece de obscuridade, omissão e contradição, porquanto o v. acórdão resultou na violação do

Embargos de Declaração n.°: 994.07.116786-8 - Sao Paulo - Voto n.° 102Q3

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Estatuto, Regimento Interno e Termo de Adesão que regem a relação jurídica entre as partes, bem como a Lei Federal n° 5.764/71. Ademais, informa a cooperativa embargante sobre a ocorrência de fato novo, ou seja, a aprovação de todas as contas da cooperativa referentes aos anos de 2005, 2006, 2007 e 2008, bem como aventando que com a aprovação de tais contas e a r. sentença homologatória de acordo é possível a reversão do julgado. E o relatório. Os cooperativa embargante absolutamente improcedentes. Pretende o embargante a manifestação explícita acerca dos pontos indicados em suas razões, entendendo que o julgado recorrido é omisso, obscuro e contraditório em seus termos, entendendo ser caso de acolhida dos presentes embargos para o fim proposto. Contudo, não se vislumbra a existência dos propalados vícios, de forma a justificar o interposto recurso, a não ser o fim de prequestionamento e abertura das vias recursais nos Tribunais Superiores. É evidente, pelo simples cotejo do julgado, que tudo está a mostrar que houve a necessária análise da questão de fundo e o fato da decisão hostilizada não ter examinado, minuciosamente, ponto por ponto, ou sob o enfoque dos preceptivos
Embargos de Declaração n.°: 994.07.116786-8 - Sâb Paulo - Voto n.° 10203

embargos

declaratórios

da

não estão a merecer guarida, eis que,

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

indicados, não significa tenha remanescido alguma lacuna que deva merecer manifestação específica, consoante busca exigir o recorrente pelo manejado recurso, não sendo, ademais, caso de perfilar todos os pontos articulados nas razões dos embargos, quando um se mostra suficiente solucionar a demanda. Nessa quadra é importante salientar que não há exigir do Juiz "que rastreie e acompanhe pontualmente toda a argumentação dos pleiteantes, mormente se um motivo fundamental é poderoso a apagar todos os aspectos da controvérsia" (RT 413/325). No mesmo sentido o julgado RJTJESP 179/221, entre muitos outros. Nota-se, que o recorrente ao externar seu inconformismo diante do resultado do julgado ora combatido, busca o reexame do que ficou decidido, querendo, por conseguinte, a modificação da decisão, a fim de que nova e eventual manifestação jurisdicional venha dar amparo à sua pretensão, sendo imperioso concluir que, com o presente recurso e da forma como se posiciona, pretende agora dá-lo efeito infringente, o que não é possível, aliás, com base em firme jurisprudência, consoante v. acórdão: "Os embargos de declaração não devem se revestir de caráter infringente. A maior elasticidade que se lhes reconhece, excepcionalmente, em casos de erro material evidente ou de manifesta nulidade do acórdão (RTJ 89/548, 94/1167, 103/1210 e 114/351), não justifica, sob pena de grave disfunção jurídico-processual dessa modalidade de recurso, a sua inadequada utilização com o propósito de questionar a correção do julgado e obter, em conseqüência, a desconstituição do ato decisório" (RTJ 158/264,158/689,158/993 e 159/638).

Embargos de DeclaraçSo n.°: 994.07.116786-8 - São Paulo - Voto n.° 10203

w

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

Assim, não vislumbrada os vícios elencados no "decisum", de rigor a rejeição dos embargos da cooperativa, ora embargante. Por todo o exposto, rejeito os embargos declaratórios. FÁBIO QUADROS Relator

Embargos de Declaração n.°: 994.07.116786-8 - São Paulo - Voto n.° 10203 VCA

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful