Você está na página 1de 9

CLASSIFICAÇÃO DOS ESFORÇOS SOLICITANTES

Os esforços solicitantes são classificados em:

Força Normal (N) Força Normal é a componente da força que age perpendicular à seção transversal. Se for dirigida para fora do corpo, provocando alongamento no sentido da aplicação da força, produz esforços de tração. Se for dirigida para dentro do corpo, provocando encurtamento no sentido

de aplicação da força, produz esforços de compressão.

As forças normais são equilibradas por esforços internos resistentes e se manifestam sob a forma de tensões normais (força por unidade de área), representadas pela letra grega σ (Sigma), que serão de tração ou de compressão segundo a força normal N seja de tração ou compressão.

Força Cortante (V) Força Cortante é componente da força, contida no plano da seção transversal que tende a deslizar uma porção do corpo em relação à outra, provocando corte (deslizamento da seção em seu plano). As tensões desenvolvidas internamente que opõem resistência às forças cortantes são denominadas tensões de cisalhamento ou tensões tangenciais (força por unidade de área), representadas pela letra grega τ (Thau).

Momento Fletor (M) Um corpo é submetido a esforços de flexão, quando solicitado por forças que tendem a dobrá-

lo, fleti-lo ou mudar sua curvatura. O momento fletor age no plano contém o eixo longitudinal,

ou seja, perpendicular à seção transversal.

Momento de Torção (T)

A componente do binário de forças que tende a girar a seção transversal em torno de eixo

longitudinal é chamado Momento de Torção.

CONVENÇÃO DE SINAIS

Obtidos os valores de N, V, M e T, podem-se traçar, em escala conveniente, os diagramas de cada esforço solicitante, também denominados linhas de estado.

Força normal (N)

• tração (+)

• compressão (-)

Força cortante (V)

(N) • tração (+) • compressão (-) Força cortante (V) Força P tendendo girar a barra

Força P tendendo girar a barra no sentido horário em relação à seção S: positivo (+)

Força P tendendo girar a barra no sentido anti-horário em relação à seção S: negativo (-)

Momentos fletores (M) Momento Fletor: o momento fletor é considerado positivo, quando as cargas atuantes na peça tracionam suas fibras inferiores e, negativo, quando as cargas atuantes na peça tracionam suas fibras superiores.

OBS: não confundir Momento Fletor com Momento aplicado aos corpos rígidos, cuja convenção de sinais é • tende a girar no sentido horário ( – ) • tende a girar no sentido anti-horário ( + )

Momentos de Torção(T) Momento de Torção é considerado positivo quando tende a girar a seção transversal em torno de seu eixo longitudinal no sentido anti-horário e, negativo, quando tende a gira no sentido horário.

REGRAS PARA O TRAÇADO DOS DIAGRAMAS DE ESFORÇOS SOLICITANTES

1. Nos pontos da barra em que a força é paralela ao eixo longitudinal, o diagrama de esforços

normais apresenta um ressalto de mesma intensidade da força.

2. Nos pontos da viga onde há força concentrada perpendicular ao eixo longitudinal, o

diagrama de esforços cortantes apresenta um ressalto de mesma intensidade da força concentrada.

3. Nos pontos da viga onde atua um momento externo, o diagrama de momento fletor apresenta

um ressalto de mesma intensidade do momento externo.

4. Nos pontos do diagrama onde o esforço cortante é nulo, o diagrama de momento fletor

apresenta um ponto de máximo.

5. Nos pontos da barra onde há força concentrada perpendicular ao eixo longitudinal, o

diagrama de momento fletor apresenta um ponto anguloso.

6. As funções carregamento, esforço cortante e momento fletor, como se verá mais adiante,

estão relacionadas por meio de uma equação diferencial de segunda ordem, em outras palavras,

a área da figura do diagrama de força cortante é o valor da do momento fletor.

EXERCÍCIOS

1. Montar os diagramas de esforços solicitantes da viga em balanço abaixo:

a. Cálculo das reações

F

H

F

V

=

=

0

0

HA

RA

P=6 kN MA HA A S x L=3 m RA = 0 − = 6
P=6 kN
MA
HA
A
S
x
L=3 m
RA
=
0
− =
6
0
RA
=
6 kN

B

b. Cálculo dos esforços solicitantes

Força cortante:

A força P tende a cortar a viga na seção S no sentido horário (+)

Seção S

V = +P = 6kN

Notar que a força cortante V é constante, portanto, não depende de x.

Momento fletor

M =−P x

Seção S

Diagrama de esforços solicitantes

O momento fletor é negativo porque traciona a face superior da viga.

Notar que a equação que define o

momento fletor é linear e depende de x.

x M 0 0 3 − 18 P=6 kN A S x L=3 m RA=6
x
M
0
0
3
− 18
P=6 kN
A
S
x
L=3 m
RA=6 kN
6
+
0
-18
_
0

B

V (kN)

M (kN.m

2. Montar os diagramas de esforços solicitantes da viga em balanço abaixo:

MA carga equivalente R=4 x 2=8 kN q=4 kN/m HA A S B x L=2
MA
carga equivalente
R=4 x 2=8 kN
q=4 kN/m
HA
A
S
B
x
L=2 m
RA

a. Cálculo das reações

F

H

F

V

=

0

HA

=

0

=

0

RA

4

− ×

2

=

8 kN

b. Cálculo dos esforços solicitantes

Força cortante:

Seção S

A força P tende a cortar a viga na seção S no sentido horário (+)

V = +qx

Notar que a força cortante V é uma função linear que depende de x.

Momento fletor

M

2

x

Seção S

2

=− ⋅ x ⋅ =− 2

2

x

O momento fletor é negativo porque traciona a face superior da viga.

Notar que a equação que define o momento fletor é do segundo grau.

Diagrama de esforços solicitantes

q=4 kN/m A S x L=2 m RA=6 kN 8 + 0 -8 _ 0
q=4 kN/m
A
S
x
L=2 m
RA=6 kN
8
+
0
-8
_
0

B

V (kN)

M (kN.m

3. Dado a viga abaixo, calcular as reações, os esforços solicitantes e trocar os diagramas de

força cortante e momento fletor.

NOTA:

Quando

a

força

cortante

é

mínima, o momento fletor é máximo.

Como

dM =

dx

V , ou seja, a integral da

força

então,

cortante

a

área

é

o

do

momento

diagrama

corresponde a M .

fletor,

de

V

8 × 3 = 24 e 12 × 2 = 24 kN m

P=20 kN S 1 S 2 A C B HB 3m 2m 5m RA=8 kN
P=20 kN
S 1
S 2
A
C
B
HB
3m
2m
5m
RA=8 kN
RB=12 kN
8
+
0
V
(kN)
20
_
-12
M
(kN.m)
24

a) cálculo das reações

F

H

F

V

M

A

=

=

0

0

=

0

HB

RA

+

=

+

RB

0

RB

× 5

P

20

=

0

× 3 =

0

RA

+

RB

=

20

kN

5

RB

=

60

RB

=

12

kN

+

RA +

RA

RB

= 20

12

=

20

RA

=

8

kN

Pb

=

20

×

2

=

8 kN

RA

=

Pa

=

20

×

3

L

5

 

L

5

 

Pelas fórmulas deduzidas:

=

RA

=

12 kN

b) cálculo dos esforços solicitantes

Convenção de sinais para força cortante: - S P P +
Convenção de sinais para força cortante:
-
S
P
P
+

S

tende girar a viga no sentido horário em

relação à seção S

tende girar a viga no sentido anti-horário em

relação à seção S

Força cortante Seção S 1

A S 1 RA=8 kN X
A
S 1
RA=8 kN
X

V

1

V

1

=+

=+

RA

8

kN

A reação RA tende a cortar a viga na seção S 1 no sentido horário (+)

Seção S 2 P=20 kN S 2 A 3m (x-3) RA=8 kN X
Seção S 2
P=20 kN
S 2
A
3m
(x-3)
RA=8 kN
X

V

2

V

2

RA

=+ −

P

= − =−

8

20

12

kN

Notar que V 1 e V 2 não dependem de x. Portanto, V 1 e V 2 serão constantes no diagrama

de força cortante.

Momento fletor Seção S 1 x M M = + ( ) RA ⋅ x
Momento fletor
Seção S 1
x
M
M
= +
(
)
RA
x
1
1
0
0
M
1 = 8 ⋅
x
3
24
• Momento fletor (+) por tracionar a face inferior.
Seção S 2
M
2 =+
RA
x
P
(
x
− 3
)
x
M
2
M
= ⋅
8
x
20
(
x
3
)
3
24
2
M
= ⋅
8
x
20
x
+
60
5
0
2
M
2 =−
12
x
+
60

Notar que as equações que definem o momento fletor dependem de x e são lineares.

4. Calcular os esforços, trocar os diagramas de V e M e dimensionar a viga abaixo.

carga equivalente 2,5 m 10 x 5 = 50 kN L / 2 A B
carga equivalente
2,5 m
10 x 5 = 50 kN
L / 2
A
B
q = 10 kN / m
S
HB = 0
L = 5 m
RA = 25 kN
RBRB == 2525 kNkN
2525 ++
VV (kN)(kN)
---- 25252525
2,52,52,52,5 mmmm
LLLL //// 2222
MM (kN(kN
m)m)
++
31,25

a) Cálculo das reações

F

H

F

V

M

A

=

0

BH

=

0

=

0

RA

+

RB

(

10

5

)

=

0

 

RA

+

RB

= 50

kN

 

=

0

+

RB

5

(

10

5

2,5

)

=

0

 

5

RB =

125

 
 

RB

=

25

kN

 

RA

=

25

kN

Pelas fórmulas deduzidas:

RA

=

RB

a) Cálculo dos esforços solicitantes

x / 2 carga equivalente q . x S A x RA = 25 kN
x / 2
carga equivalente
q . x
S
A
x
RA = 25 kN

q

=

q

L

10

×

5

=

2

2

=

25 kN

Força Cortante

V

=+

RA

q

x

V

= 25 10

x

A reação RA tende a cortar a viga na seção S no sentido horário (+) e a força (q . x),

carga equivalente, tende a cortar a viga na seção S no sentido anti-horário (-);

No caso de carregamento distribuído, a equação da força cortante depende de x, portanto , trata-se de uma função linear;

Sabe-se que, quando a força cortante é mínima, o momento fletor é máximo, portanto, necessita-se saber a que distância do apoio A, V = 0. Então, 0 = 25 – 10x.

10x = 25

Diagrama de Força Cortante

2525

2,52,5 mm ++ --
2,52,5 mm
++
--

função linear

L x = 2,5 m , ou seja, 2 x V 2 25 2,5 0
L
x = 2,5 m , ou seja,
2
x
V
2
25
2,5
0
VV (kN)(kN)
5
-25

2525

Obs.: A área da figura resultante do diagrama de força cortante é o momento fletor.

• Do lado esquerdo • Do lado direito: 2,5 × 25 2,5 × 25 =
• Do lado esquerdo
Do lado direito:
2,5 × 25
2,5 × 25
=
31,25
kN ⋅ m
=
31,25
kN ⋅ m
2
2
Momento fletor
x / 2
carga equivalente
q . x
S
x
M
=+
RA
x
q
x
q
2
A
2
x
M
=+
25
x
10
x
2
2
M
=+
25
x
5
x
RA

Notar que a reação RA gera um momento fletor na seção S que traciona a face inferior (+) e a força equivalente (q . x). Gera um momento que traciona a fibra superior (-);

• No caso de carregamento distribuído, a equação do momento fletor depende de (x 2
• No caso de carregamento distribuído, a equação do momento fletor depende de (x 2 ),
portanto, trata-se de uma função quadrática que resulta numa parábola do 2º grau.
2
Diagrama de Momento Fletor
M = 25 ⋅ x − 5 ⋅ x
2,52,52,52,5 mmmm
x
M
0
0
MM (kN(kN
m)m)
2,5
31,25
5
0
++
31,25
2
2
q
L
10 × 5
Pelas fórmulas deduzidas:
=
=
31,25 kN
m
M máx
8
8