MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL SISTEMA BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS

(SIBEA) RESULTADO DA 1A REUNIÃO DO GRUPO DE GESTÃO DO SIBEA (GGSIBEA), DIA 27/8/2002, NO CENTRO DE TREINAMENTO DO IBAMA, EM BRASÍLIA Participaram da reunião César Campos, da EA do IBAMA Emerson Cordeiro, do Sibea/MMA Isabel Carvalho, da ANPPAS* Magnólia, da EA do IBAMA Mara Rodrigues, do Sibea/MMA Patrícia Mendonça, da Coea/MEC Patrícia Mousinho, da REBEA Vivianne Amaral, da REBEA Resultados 1) A revisão das funções do GGSibea foi acordada com o seguinte texto Funções do GGSibea de definir: Informações prioritárias para a educação ambiental; Abrangência e amplitude das áreas de atuação, uma vez que a educação ambiental permeia todas as atividades ligadas à questão ambiental; Critérios, políticas e padrões de alimentação do Sibea; Regras de validação das informações; Mecanismos de monitoramento e avaliação do Sibea

2) A revisão dos textos das máscaras dos bancos de dados. Foi iniciada a revisão com a máscara especialista/pesquisador. A divisão do trabalho ficou

1

decidida, conforme abaixo. Todos os textos passarão pelo GGSibea para aprovação: Instituição: a Rebea/Vivianne e Guerra Programa, Projeto, Curso: Rebea/Vivianne e Guerra Prática Sustentável: Rebea/Vivianne e Guerra Especialista/Pesquisador-Educador Ambiental: aquele que

possui especialização em nível de pós-graduação lato ou strito senso e/ou tem publicação e/ou desenvolve pesquisa na área. Educador Ambiental: aquele que desenvolve ação de EA. Nesta reunião este texto de Especialista/Pesquisador foi revisto. Na máscara serão incluídos dois botões um de especialista/pesquisador e outro de educador ambiental; Bibliografia: Rebea/Isabel e Patrícia Mousinho Tese: Rebea/Isabel e Patrícia Mousinho. Neste caso o Emerson enviará a máscara para revisão à Patrícia e Isabel. Periódico: Sibea/Mara Notícia: Sibea/Mara e Rebea/Vivianne Evento: Ibama/Magnólia e César Vídeo/CD: Ibama/Magnólia e César Legislação: Comissões: Mudar o título da máscara, para Instituição Mista. A revisão fica com Sibea/Mara e Rebea/Vivianne OBS: Para padronizar, todos os títulos das máscaras devem estar no singular. 3) Todos os membros do GGSibea receberam ontem, senha para a inclusão/alteração de informação. Todos os membros do GGSibea são CoGestores, portanto deverão receber em breve as senhas completas, ou seja, de validação e de administração.

2

4) Todos listados abaixo, receberão senha para inclusão/alteração e validação. Rebea Rede Sul Rede Pantanal Rede Paulista Rede do Acre MEC/COEA (Centro de Informações Bibliográficas em Educação – CIBEC, http://inep.gov.br/cibec/ com sistema de busca. Parâmetros em ação, para escolas/professores, estão em banco de dados. O Emerson deverá falar com Maurício do Mec, conforme sugerido por Patrícia Mendonça, para verificar a necessidade de compatibilização da dados entre bancos, ou se resolveria incluindo os Parâmetros no Sibea na máscara, por exemplo, de programas). IBAMA/EA (a EA deve iniciar a inclusão dos NEAs, cerca de 600 pessoas capacitadas com o curso de EA no processo de gestão, e os projetos/subprojetos aprovados no âmbito dos NEAs) 5) Todas as seções do site de EA/MMA serão alimentadas futuramente, a partir dos respectivos bancos de dados listados no item 2 acima. Quando estiver integrado banco x site: a) Notícias – Sibea/Mec/Ibama/Rebea irão alimentar a página de notícias, a partir das noticias do governo/EA e das redes de EA, especialmente, a partir do boletim eletrônico do AmbienteBrasil, com as notícias específicas de EA. A escolha do boletim eletrônico AmbienteBrasil será alterada, se for o caso, de três em três meses, com o acordo dos membros do GGSibea. b) Eventos – futuramente poderá ser testado o autocadastramento para captação de eventos de EA. A validação ficaria com a Magnólia e César do Ibama. c) Todos os demais bancos – se considerarmos as funções do GGSibea, informações prioritárias e sua abrangência para a EA, poderemos, em breve, propor um plano de coleta,

3

tratamento e inclusão de informações como um guia para todos. 6) A implantação do WinSibea - a versão monousuário do Sibea estará em breve disponível a todos os Co-Gestores do GGSibea, assim como aos proponentes e parceiros das Redes de EA, aprovados pelo Fundo Nacional de Meio Ambiente. Esta versão WinSibea será implantada primeiro, no piloto da Fundação Universidade do Rio Grande (FURG). GGSibea, 28/08/2002

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL SISTEMA BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS (SIBEA)

4

1º REUNIÃO DO GRUPO DE GESTÃO DO SIBEA (GGSIBEA), Dia e Local: 27/8/2002, no Centro de Treinamento do Ibama, em Brasília Participantes EA/MMA: Ana Lúcia Leite, Emerson Cordeiro, Mara Rodrigues EA/IBAMA: César Campos, Magnólia EA/MEC: Patrícia Mendonça Associação Nacional de Pós-Graduação de Pesquisa em Ambiente e Sociedade: Isabel Carvalho REBEA: Patrícia Mousinho, Vivianne Amaral Pauta 1. Revisão das funções do GGSibea 2. Revisão das máscaras de cadastramento de dados 3. Alimentação do sistema, validação e gestão 4. Implantação da versão WinSibea 5. Site de EA mais Amigável Reafirmada a intenção de descentralização do SIBEA pela Mara e de seu funcionamento em mão dupla, discutimos a questão da validação dos dados cadastrados. Concluiu-se ser importante um sistema de validação para manter a segurança e credibilidade do sistema, ficando afastada a possibilidade de cadastramento de dados sem um sistema de validação. Isabel colocou a importância de estabelecimento dos critérios para validação. Vivianne sugeriu que a alimentação seja realizada apenas por pessoas credenciadas pelos responsáveis pelos núcleos de alimentação, só entram dados que atendam a critérios definidos. A validação final será feita pelas instituições/núcleo. Como núcleos de alimentação iniciaríamos com as 5 redes que tiveram projetos aprovados pelo FNMA, a área de EA do IBAMA, a Coordenadoria de

5

EA do MEC, as Comissões Estaduais de EA (RN, MG, SC, TO,PE), os membros do GGS e o Piloto, além do próprio SIBEA/MMA. Na discussão foi colocada a necessidade de se fazer distinção entre informações permanentes e informações de curta duração. Isabel chamou a atenção para a importância de considerarmos no gerenciamento do sistema a heterogeneidade existente: diferentes tipos de usuários, diferentes tipos de informações. Na verdade a concepção do sistema prevê esta heterogeneidade. Outro ponto importante é a necessidade de formação para facilitadores de redes (Vivianne) e um sistema de aprendizado para as pessoas que não estão habituadas a usar a Internet (Patrícia/MEC) para desenvolver uma cultura e hábitos que facilitem o aproveitamento do SIBEA e o desenvolvimento das redes. 1. Revisão das funções do GGSibea - Informações prioritárias para a educação ambiental; - Abrangência e amplitude das áreas de atuação, uma vez que a educação ambiental permeia todas as atividades ligadas à questão ambiental; - Critérios, políticas e padrões de alimentação do Sibea; - Regras de validação das informações; - Mecanismos de monitoramento e avaliação do Sibea 2. Revisão das máscaras de cadastramento de dados A divisão do trabalho está definida abaixo. Todas as revisões passarão pelo GGSibea para aprovação, finalizando o processo de aprovação no máximo até 10/10/02. A revisão define: i) o que é cada máscara, ou seja, qual é o conteúdo informacional previsto; e ii) os itens das máscaras, que precisam ser alterados para ficarem mais claros, eliminando alguns, se for o caso. Devemos evitar mudanças radicais, como conteúdo do item, para não atrasar ou interromper o processo. No caso das duas máscaras de programa/projeto/curso e de prática sustentável deve-se abrir uma exceção, porque elas servirão aos diagnósticos* das redes, por isso precisam mudar.

6

Programa, Projeto, Curso: Vivianne e Guerra Prática Sustentável: Vivianne e Guerra Instituição: Vivianne e Guerra Especialista/Pesquisador-Educador Ambiental: aquele que possui especialização em nível de pós-graduação lato ou strito senso e/ou tem publicação e/ou desenvolve pesquisa na área. Educador Ambiental: aquele que desenvolve ação de EA. Nesta reunião este texto de Especialista/Pesquisador foi revisto. Na máscara serão incluídos dois botões um de especialista/pesquisador e outro de educador ambiental, falta a revisão dos itens da máscara (Vivianne e Guerra); Bibliografia: Isabel e Patrícia Mousinho Tese: Isabel e Patrícia Mousinho. Neste caso o Emerson enviará a máscara Periódico: Sibea/Mara Notícia: Vivianne Evento: Magnólia e César Vídeo/CD: Magnólia e César Legislação: Mara Comissões: Mara 3. Alimentação do sistema, validação e gestão Alimentação - A alimentação do Sibea é feita por todas as pessoas/instituições que têm senha para incluir/alterar. A rigor não há como fazer a divisão da alimentação, uma vez que as pessoas com senha são livres para incluir o que achar conveniente. O rigor deve estar em dar as senhas, por isso elas hoje se restringem ao pessoal da EA/MMA, Emerson e duas estagiárias, e recentemente o GGSibea e em breve os coordenadores das Redes de EA e os coordenadores das Comissões Estaduais de EA (iniciando com o RN,

7

MG, SC, TO e PE). A proposta de trabalho acordada na reunião, para alimentação, é um modo de iniciar o trabalho conjunto, por intermédio dos co-gestores: - REBEA: bibliografia, notícias (após o início do projeto, a partir de outubro?) - Redes do projeto FNMA: Diagnóstico* a partir das informações incluídas no Sibea sobre instituições; especialistas; programas, projetos e cursos; e práticas sustentáveis. - COEA/MEC - (Centro de Informações Bibliográficas em Educação - CIBEC, http://inep.gov.br/cibec/ Parâmetros em ação, para escolas/professores, estão em banco de dados. O Emerson deverá falar com Maurício do Mec, conforme sugerido por Patrícia Mendonça, para verificar a necessidade ou não de compatibilização da dados. - Piloto RS - banco de teses. - IBAMA - (incluir os NEAs; as 600 pessoas capacitadas, e os projetos e subprojetos aprovados no âmbito dos NEAs) - MMA/Sibea, continuará o trabalho, já incluiu e validou cerca de 3 mil registros - Comissões de EA (iniciaria com a legislação estadual se houver), já estão no Sibea todos os Programas de EA / Secretarias Estaduais de Meio Ambiente. É natural e desejável a parceria entre Comissões e Redes de EA, na divisão dos trabalhos. Considerações Associadas à Alimentação Notícias - A Rebea, irá garimpar as notícias de EA do boletim eletrônico do AmbienteBrasil. A escolha do boletim eletrônico AmbienteBrasil será alterada, se for o caso, de três em três meses, com o acordo dos membros do GGSibea. O Sibea/Mec/Ibama/ irão alimentar a página de notícias, a partir das notícias do governo/EA. Eventos - futuramente poderá ser testado o auto-cadastramento para captação de eventos de EA. A validação ficaria com a Magnólia e César do Ibama. Todos os demais bancos - se considerarmos as funções do GGSibea poderemos, em breve, propor um plano de coleta, tratamento e inclusão de informações como um guia mais completo, para todos.

8

Validação - O GGSibea terá senhas para validar, assim como, todos os coordenadores das Redes de EA e de Comissões Estaduais de EA As 5 redes aprovadas pelo FNMA a. Rebea (falta senha de validação para Vivianne/Patrícia/Isabel) b. Rede Sul (o coordenador tem as duas senhas) c. Rede Pantanal d. Rede Paulista e. Rede do Acre IBAMA/EA (falta senha de validação) MEC/COEA (falta senha de validação) Comissões Estaduais de EA, iniciando com as do RN, MG, SC, TO, PE. Estes receberão senha para validação, embora precisem ser capacitados para a entrada de dados e validação. No momento não há recursos para capacitação, por isso a Mara e o Emerson devem preparar um passo a passo de entrada de dados e validação. Co-Gestão - Os membros do GGSibea receberam dia 27/08/02, senha para a inclusão/alteração, para conhecerem os mecanismos do Sibea. Como os membros do GGSibea são Co-Gestores, receberão em breve as senhas completas até de administrador. 4. Implantação da versão WinSibea A versão monousuário do Sibea estará em breve disponível a todos os Co-Gestores do GGSibea, assim como aos proponentes e parceiros das Redes de EA, aprovados pelo Fundo Nacional de Meio Ambiente. Esta versão WinSibea será implantada primeiro, no piloto da Fundação Universidade do Rio Grande (FURG) e em seguida nas instituições coordenadoras das redes de EA: UNIVALI, ECOAR, ECOA, 5 Elementos, Universidade do ACRE. 5. Site de EA mais Amigável

9

Para tornar o site de EA mais amigável, foi reformulado o desenho. Todas as seções do site de EA/MMA serão alimentadas a partir dos bancos de dados do sistema. O desenho e texto será enviado aos membros do GGSibea para saber se de fato melhorou. * Diagnóstico - para dar início ao trabalho do diagnóstico, a Rebea e a REASul devem rever o que está previsto para encontrar alternativas capazes de resolver o impasse: os dois projetos aprovados pelo FNMA têm tempos diferentes de execução, a REASul já está em execução desde julho, e a Rebea deverá começar a execução em outubro. Os formulários ou máscaras do Sibea que servirão ao diagnóstico precisam ser únicas, para a aplicação de todas as redes. Para isto é preciso trabalhar já nas máscaras afins, chegar a um acordo, enviar ao Sibea para o Emerson adequá-las e desembaraçar o Guerra para deslanchar o projeto da REASul. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL SISTEMA BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS (SIBEA) GGSibea, 29/08/2002

REDE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Reunião da REBEA dias 25-26 de fevereiro de 2002

10

Organização: REBEA Apoio: MMA Local: Brasília Objetivo Consolidar os projetos a serem apresentados ao FNMA para Reestruturação de Redes de EA Participantes Facilitadores das redes: Vivianne Amaral; Patricia Mousinho ; Michèle Sato ; IrineuTamaio; Heitor Queiroz ; Larissa Costa ; Antonio Fernando S. Guerra ; Aurora Costa ; Maria do Carmo, Aluisio Cardoso de Oliveira. MMA: Mara Rodrigues, Emerson Cordeiro, Jaime Robredo Pauta da reunião a) aspectos operacionais da parceria com o SIBEA - rotinas, métodos de trabalho, produtos, pessoal envolvido b) diagnósticos de educação ambiental que deverão ser um dos produtos dos projetos: regiões geográficas, temas, itens do diagnóstico que cada rede vai fazer. c) parcerias institucionais para a apresentação dos projetos - termo de parceria, divisão do trabalho, responsabilidades d) projetos - Situação atual dos projetos e)interfaces entre os projetos das redes

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL GT - EA/MMA - Reunião sobre Gestão Participativa do SIBEA*

11

Dias 6 e 7 de dezembro/01 Local: SAS Quadra 5 Bloco H Lote 6, Edifício CNPQ/IBICT/UNESCO, 9o andar, Brasília - DF Reservas para os convidados que não vivem em Brasília: Hotel Bittar - SHN Quadra 2 Bloco M, Brasília tel (61) 328.7077 Participantes: * Mestrado de Educação Ambiental - Fundação Universidade Federal do Rio Grande, RS Coordenador do Curso de Mestrado: Arion de Castro Kurtz dos Santos dfsarion@super.furg.br (0xx53) 233.6615 9112.2666 * Rede de EA da Paraíba Facilitadora: Aurora Maria Figueirêdo Coêlho Costa acosta@prac.ufpb.br tel: 83-246.3087, 9985.7493 e 9988.3988 fax: 83-216.7331 * Rede Brasileira de Educação Ambiental (REBEA) Facilitadora: Vivianne Lucas do Amaral - e-mail: bioconex@uol.com.br telefones: trabalho 13-3386.4309, 3383.1660, 3355.7224 * Listas de Discussão Facilitadora: Patricia Mousinho 21-9122.0351, 2552.6393 pangea@domain.com.br * Equipe da EA do MMA Ana Lúcia, diretora; Nana, consultora; Mara, coordenadora; Jaime Robredo e Emerson, consultores. * Prováveis participantes de outras áreas do MMA Divina, CID Ambiental; Virginia CNIA/IBAMA;

12

Rita Caribe, articulação institucional Pauta da Reunião Dia 6 de Manhã - facilitação (Mara) 9:00 - 9:30 Apresentação individual dos participantes: nome, especialidade, experiência profissional e expectativa que tem da reunião 9:30 - 9:40 Objetivo da reunião, desdobramentos da última reunião e expectativas desta (Mara) 9:40 - 10:20 Apresentação do SIBEA - consultores (Jaime e Emerson) 10:20 - 10:30 Intervalo 10:30 - 10:45 Apresentação da REBEA (Viviane) e Listas de Discussão (Patrícia) 10:45 - 11:00 Apresentação do acervo da FURB (Arion) 11:00 - 11:15 Apresentação do acervo da Rede de EA Paraíba (Aurora) 11:15 - 11:30 Apresentação do CID Ambiental (Divina) 11:30 - 12:00 Apresentação do CNIA - IBAMA (Virgínia) Dia 6 à Tarde - 14:30 às 18:30 horas (dois grupos de trabalho) * Estabelecer critérios para a seleção de entidades (aquelas que possuem sobre decisões ou oferecerem conhecimentos específicos ou acervos notáveis), que fariam parte da gestão participativa e seriam chamadas a opinarem sugestões para Ministerial). * Quais as atividades a serem desenvolvidas na * Deliberar sobre as formas de gestão * Propor parcerias para gerenciar determinados tipos educação ambiental, como informação; ii) às instituições, informacional de entidades que fizeram a coleta, segmento(s) do SIBEA, como por exemplo: concentrar aquele tipo de informação, de informação sobre por exemplo: i) validar e disseminar o conteúdo inserção e tratamento da gestão participativa, p.ex: nomeadas, provavelmente, mediante Portaria aprimorar a gestão do SIBEA. (Estas seriam

responsabilizar-se inteiramente por determinado(s) informações sobre EA relativas especialistas, bibliografia, projetos, vídeos etc de modo a descentralizando a gestão do SIBEA;

Dia 7 de Manhã - 9 às 12:30 (dois grupos de trabalho)

13

* Propor entidades parceiras/colaboradoras no tratamento, validação ambiental; * Discutir os dois Termos de Cooperação Técnica com os respectivos interlocutores; Dia 7 à Tarde - 14:30 às 18:30 * Preparação do Documento Final

processo de coleta, inserção,

e disseminação das informações sobre educação para os Pilotos onde serão Paraíba

instaladas réplicas do SIBEA, nos estados do Rio Grande do Sul e da

*Sistema Brasileiro de Informação sobre Educação Ambiental e Práticas Sustentáveis é um dos Projetos que compõe o Programa Nacional de Educação Ambiental que vem cumprir a Política Nacional de Educação Ambiental instituída pela Lei 9795/99. Contato: Mara Lepesqueur Botelho Rodrigues Coordenadora tel: 61-317.1470 e-mail: mara.rodrigues@mma.gov.br Outras informações poderão ser acessadas pela home page http://www.mma.gov.br - educação ambiental - SIBEA.

SISTEMA BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS – SIBEA FORMAS DE INTERAÇÃO DAS ENTIDADES E USUÁRIOS.

14

INTRODUÇÃO Na reunião de trabalho celebrada em Brasília, nos dias 29 a 31 de agosto último passado, com representantes de diversas redes de educação ambiental, com a participação de representantes do IBAMA, FNMA e MEC foi apresentado o SIBEA e discutido, entre outros aspectos, o mecanismo de interação mais apropriado de integração entre o PNEA e as redes, colocando a disposição das mesmas as funcionalidades oferecidas pelo SIBEA. Ficou claro que: os representantes das redes consideram de forma unânime que o SIBEA apresenta todas as características para se consolidar como um sistema cooperativo e integrado suscetível de oferecer o apoio às redes brasileiras de educação ambiental, em todos seus aspectos, para o desempenho de suas atividades, o SIBEA oferece os recursos informáticos e informacionais adequados para atender às necessidades básicas das redes de educação ambiental, no que diz respeito à captação, processamento, armazenagem, difusão e recuperação de informações de interesse comum; a alimentação decentralizada das bases de dados do SIBEA, incluindo informações fornecidas pelas diversas entidades ou redes cooperantes, é da maior importância e interesse para o fortalecimento do Sistema, enquanto sistema de referência de abrangência nacional; é necessário realizar imediatamente, nos próximos meses, um teste piloto de funcionamento do SIBEA, com duas instituições, às quais se associam algumas redes e organizações representativas da sociedade civil, para testar em escala real as funcionalidades do Sistema, introduzir os eventuais aprimoramentos que se fizerem necessários e implementar os procedimentos de gestão decentralizada; é necessário realizar uma avaliação e adequação da Matriz Temática, apresentada no protótipo do SIBEA, para facilitar a indexação dos registros que se incorporarão às bases de dados do Sistema, de forma a melhor representar o escopo da área de educação ambiental; é necessário estudar os mecanismos de cooperação e intercâmbio de dados e informações, que permitam aprimorar e acelerar a difusão de dados e notícias de interesse dos diversos setores envolvidos com educação ambiental em âmbito federal, estadual e municipal.

15

FORMAS DE INTERAÇÃO ENTRE O SIBEA E AS REDES E ENTIDADES ENQUANTO PARCEIRAS OU COLABORADORAS Levando em conta os posicionamentos e opiniões apresentados pelos representantes das redes, reflexo de suas necessidades e expectativas, e das funcionalidades e recursos operacionais que o SIBEA pode oferecer, é possível identificar alguns direcionamentos, para definir esquemas concretos de colaboração imediata entre o PNEA e as redes de educação ambiental. Esses direcionamentos são apresentados a seguir. 2.1 Interação com os usuários em geral Todo usuário com acesso à Internet poderá navegar nas páginas Web do site de Educação Ambiental no portal do Ministério do Meio Ambiente, e realizar pesquisas nas bases de dados do SIBEA. 2.2 Interação com os usuários de redes e entidades colaboradoras ou parceiras Os usuários de redes e entidades que possuam convênio, acordos de parceria ou projeto financiado por fundos como o FNMA, FUST etc com o PNEA poderão interagir com o SIBEA, mediante uma ou várias das opções seguintes. 2.2.1 Inserção de dados via Internet Os usuários de entidades parceiras, mediante senha fornecida pela gerência do SIBEA, poderão tanto inserir dados e informações nas páginas Web do site de Educação Ambiental, como alimentar com dados e informações as bases de dados do Sistema. 2.2.2 Inserção de dados off line Os usuários de entidades parceiras que, por qualquer razão, não disponham de acesso à Internet e sejam habilitadas para inserir dados e informações nas bases do SIBEA, podem solicitar ao PNEA a instalação, com o treinamento adequado, da versão mono-usuário do aplicativo CDS-Isis para Windows, e enviar os dados no formato ISO 2709 à gerência do Sistema, por intermédio de outra entidade que possua acesso à Internet. No caso extremo de entidades que desejem enviar dados e informações e que, por qualquer razão, não dispunham de microcomputador, estas poderão copiar as máscaras de entrada de dados nas bases do SIBEA, preenchendo manualmente as mesmas e solicitar de outra entidade a digitação e o envio dos dados ao Sistema via Internet.

16

2.2.3 Difusão de acervos de entidades e redes conveniadas no site de Educação Ambiental Entidades ou usuários parceiros ou colaboradores possuidores de acervo de interesse sobre educação ambiental, que não dispõem de site ou mecanismos de divulgação via Internet, podem incorporar os dados e informações às bases de dados do SIBEA de duas maneiras: i ) mediante a inclusão dos registros utilizando o módulo de entrada de dados do SIBEA, ou ii ) quando o acervo estiver gravado em meio magnético e o volume de dados justificar o esforço, mediante conversão ao formato ISO 2709, para incorporação aos bancos de dados do SIBEA. 2.2.4 Alocação de área própria nas páginas de Educação Ambiental Entidades ou redes conveniadas interessadas em inserir no SIBEA uma home-page, ou páginas Web com informações especificas da sua entidade ou de assuntos específicos, poderão ter a atribuição e os mecanismos necessários para fazerem as inclusões e alterações dos dados e informações sob a sua responsabilidade. Tais informações podem ser apenas um segmento de um acervo maior, existente em outro site, que estará sendo disponibilizado no SIBEA para garantir maior amplitude de acesso, ou, simplesmente, ser a única forma de torna-los acessíveis na Internet. 2.2.5 Introdução de um link próprio nas páginas de Educação Ambiental Entidades ou redes conveniadas interessadas em inserir no SIBEA referências de dados e informações de um acervo existente em outro site devem apurar junto à gerência do SIBEA as configurações e as formas de acesso aos dados e informações existentes no outro site, visando informar aos usuários que estejam consultando as bases de dados do SIBEA, sobre a existência desses acervos e sobre a forma de se reportar diretamente ao(s) registro(s) correspondentes ou ao(s) documento(s) completo(s). Assim o SIBEA, cumpre o seu objetivo de descentralizar o processo de acesso às informações, se consolidando como um centro de referência capaz de administrar os diversos links de ligação virtual com outros acervos. 2.2.6 Replicação da metodologia do SIBEA em redes e entidades parceiras ou colaboradoras Às redes e entidades parceiras ou colaboradoras interessadas em fazer uso

17

da metodologia do SIBEA para gerenciamento de sua própria informação (coleta, processamento, armazenamento, disseminação e recuperação) e divulgação por intermédio da Internet e/ou Intranet, será facilitada a instalação dos aplicativos CDS-ISIS e wwwISIS11 A licença de uso do gerenciador de bases de dados CDS-ISIS, pode ser obtida sem ônus junto à Unesco; a licença de uso do aplicativo wwwISIS, desenvolvido pela BIREME, pode ser obtida junto a esta entidade ao preço de US$ 150,00,, com as adaptações necessárias da configuração ao ambiente operacional do solicitante. 3. CONCLUSÃO

A modalidade de interação contemplada no item 2.2.1 deverá ser a mais utilizada em função do perfil dos usuários e dos próprios objetivos do sistema de democratizar as informações sem restrições, ressalvada a necessidade de identificação da origem das informações e de atribuição de senha. A modalidade de interação considerada no item 2.2.3 será utilizada mais significativamente no início do processo de implementação e consolidação do SIBEA em âmbito nacional, pois com a intensificação do uso da Internet, as entidades e usuários poderão dispor com maior facilidade de seu próprio site e servidor de Web. A modalidade a que se refere o item 2.2.4 deverá ser pouco utilizada, embora pareça indispensável para o cumprimento da meta de divulgação ampla e irrestrita das atividades das entidades atuantes em educação ambiental, inclusive servindo de apoio e estímulo inicial àqueles mais carentes, enquanto não puderem dispor de seus próprios sites. A modalidade considerada no item 2.2.5 deverá ser bastante significativa, uma vez que o SIBEA pretende ser um centro de referência, devendo armazenar apenas as referências dos registros informacionais, direcionando os usuários para acervos mais completos existentes em outros sites das entidades conveniadas, especializadas e/ou responsáveis por um determinado assunto, ou tipo de informação ou região. A plena implementação desta modalidade requer uma padronização adequada dos procedimentos de gerenciamento da informação, suporte informacional e administração dos processos, respeitando as peculiaridades de cada ambiente, com resultados favoráveis para todos.

18

Finalmente, a modalidade de interação a que se refere o item 2.2.6 deverá ser testada na experiência piloto a ser realizada nos próximos meses, norteando a generalização de sua aplicação a outras entidades. Assim, o SIBEA proporciona as funcionalidades necessárias a contemplar todo os tipos de usuários, considerando os aspectos relacionados com: i) o volume de dados e informações inerentes a cada entidade ou usuário, a serem disponibilizados para e por intermédio do SIBEA; ii) capacidade operacional para inserir dados e informações no SIBEA; iii) capacidade operacional para divulgar, por intermédio da Internet, dados e informações de seu acervo ou coletadas no âmbito da sua responsabilidade, área temática ou interesse; iv) capacidade de desenvolvimento de tecnologia própria de gerenciamento da informação compatível com os padrões internacionais de intercâmbio, ou de absorção e adaptação da tecnologia desenvolvida para o SIBEA. Deve-se salientar que as diferentes opções de uso do SIBEA foram consideradas apenas do ponto de vista do gerenciamento da informação e dos aspectos técnicos da informática, cabendo a outras instâncias a consideração dos aspectos relativos às formas de relacionamento das entidades com o gestor do SIBEA, no caso o Ministério do Meio Ambiente. Brasília, 10 de setembro de 2001. Jaime Robredo Emerson Cordeiro Atenciosamente, Mara Lepesqueur Botelho Rodrigues - Coordenadora do SIBEA Consultor em Sistemas de Informação Consultor em Informática

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMAÇÃO DA REUNIÃO DE TRABALHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

19

Data 29, 30 e 31 de Agosto de 2001 Local Centro de Treinamento do IBAMA, Setor de Autarquia Sul, Quadra 5, Edifício do IBAMA, 6o andar, Brasília – DF, telefone: 61-223.6155 Contato no MMA/DEA - Programação da reunião e ações preparatórias, Mara (61) 317.1470 mara.rodrigues@mma.gov.br - Passagem e Reservas de Hotel com a Aline e Miriam (61) 317.2222 ou 317.1207 educambiental@mma.gov.br Passagem/Diária/Hospedagem Será oferecida passagem de ida e volta e 3 diárias no valor de 140 reais cada. As passagens serão disponibilizadas mediante PTA. As diárias correspondentes serão depositadas na conta corrente indicada por cada participante. O hotel será pago, pessoalmente, por cada participante. Objetivos da Reunião - Apresentar os Programas de Educação Ambiental do MEC, IBAMA e MMA; - Ampliar as linhas de financiamento da educação ambiental para o Fundo Nacional de Meio Ambiente - FNMA; - Apresentar as Redes de Educação Ambiental (Nacional e Estaduais) e respectivo funcionamento; - Apresentar o Sistema Brasileiro de Informação sobre Educação Ambiental e Práticas Sustentáveis (SIBEA) e seu funcionamento; - Discutir as alternativas, mecanismos e estratégia de integração entre REDES e SIBEA, nos âmbitos federal e estadual (governamental e não governamental); Produtos Esperados i. Novas linhas de financiamento de educação ambiental a serem sugeridas ao FNMA; ii. Alternativas e mecanismos de integração entre as Redes de EA e o SIBEA e iii. Estratégia de implementação. Programação da Reunião 1o Dia – Demandas de Financiamento para EA – MMA/FNMA Manhã Tarde 8:10 – 8:30 h Abertura 12:00 – 14:00 h Almoço 8:30 – 8:50 h Apresentação do MEC 14:00 – 17:00 h GT Fechar Proposta de 8:50 – 9:10 h Apresentação do IBAMA Novas Linhas de Financiamento da EA ao 9:10 – 9:30 h Apresentação do FNMA FNMA. 9:30 – 9:50 h Apresentação do MMA 9:50 – 10:10 h Discussão 10:10 – 10:30 h Intervalo 10:30 – 12:00 h GT para discutir e propor novas linhas de financiamento da EA ao

20

FNMA 2o Dia – Redes de EA e SIBEA – Apresentação e Alternativas de Integração Manhã Tarde 8:00 – 10:00 h Apresentação das Redes 12:00 – 14 h Almoço 10:00 – 10:10 h Intervalo 14 – 17 GT Discutir os Temas Priorizados, 10:10 – 10:30 Apresentação e Alternativas e Mecanismos de Integração Disponibilização do SIBEA entre Redes e SIBEA. 10:30 – 12:00 GT Definir Prioridades 3º Dia – Redes de EA e SIBEA - Estratégia de Implementação Manhã Tarde 8 – 12 h GT Definir proposta de estratégia Tarde – Continuação da manhã ou livre de implementação entre Redes e SIBEA para retorno Ações Preparatórias e Respectivo Cronograma Cronograma Até 04/08 Até 18/08 Ações Preparatórias A programação do encontro será encaminhada aos participantes * As sínteses das apresentações e propostas preliminares das Redes e do SIBEA deverão ser encaminhadas à Diretoria de Educação Ambiental do MMA, por e-mail à mara.rodrigues@mma.gov.br Até 25/08 Estas sínteses e propostas preliminares estarão disponíveis no site www.mma.gov.br / educação ambiental e serão inseridas em pastas a serem distribuídas no local do evento. Até 29/08 Chegada do pessoal em Brasília 29, 30 e 31/08 Reunião no Centro de Treinamento do IBAMA Formato da reunião - Mesa onde estarão sentados todos os participantes e moderador que conduzirá as reuniões dos GTs, a partir da programação proposta. *Sobre as Sínteses das Apresentações A síntese das apresentações das redes devem ser feitas pelos representantes das redes de educação, ou seja: o que é a rede, sua composição, o que tem sido feito, quais são as principais demandas de seus usuários etc. Por parte da Rebea, a Vivianne Amaral; a Rede Matogrossense, o Heitor Medeiros; a Rede Mineira, o Aluísio Oliveira; a Rede da Paraíba, a Tânia Andrade; a Rede Nordeste, a Aurora Costa; a Rede São Carlos, a Haydée Oliveira; a Rede de Santa Catarina, o Antonio Guerra; a Rede Paulista, a Larissa Costa; a Rede Mata Atlântica, o Pedro Aranha; a Rede Cerrado, o Ricardo Mesquita; as listas de discussão: EALatina (Pedrini e Patricia), egroups (a Bere) e a da Rebea (a Michele); o SIBEA (Mara e Consultores).

21

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

22

REUNIÃO DE TRABALHO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Brasília – 29 a 31.08.2001 SUGESTÃO DE LINHAS DE FINANCIAMENTO 1 – Redes de Educação Ambiental – Aparelhamento, manutenção e capacitação à criação e gestão de redes de educadores ambientais. – Aparelhamento e capacitação para a moderação de listas eletrônicos de comunicação e discussão e outros recursos da comunicação eletrônica - Alimentação de bancos de dados do SIBEA ( coleta, catalogação, indexação, processamento, armazenamento e recuperação de informações) com padrões de intercâmbio e compartilhamento comuns. Produção e circulação de periódicos eletrônicos e textos impressos das redes de educadores ambientai - Realização de reuniões de trabalho e eventos presenciais de Redes de Educação Ambiental para favorecer a participação fora das capitais, para o intercâmbio.

2 - Pesquisa em Educação Ambiental 2.1 – Fundamentos teóricos e epistemológicos em diversos temas, inclusive na não ruptura entre a Educação Ambiental escolarizada e não formal. 2.2 – Metodologias participativas e desenvolvimento de novas estratégias para sensibilização da sociedade para com a questão ambiental. 2.3 – Avaliação: identificação de indicadores qualitativos que vão além de produtos ou resultados como fotos, relatórios, impresso, vídeos etc.

23

2.4 – Produção e difusão de resultados das pesquisas. 2.5 – Incentivo à criação de grupos de pesquisas e fortalecimento dos já existentes. 2.6 –Avaliação dos materiais já publicados e o que serão publicados, tais como: folder, guia, livros, etc. 3– Bolsas para projetos de Educação Ambiental sem limites de formação e de idade. 4 – Recursos Humanos 4.1 – Cursos para formação inicial e continuada de agentes em Educação Ambiental. 4.2 – Formação de jovens em situação de alto risco social para atuarem como agentes ambientais. 5 – Linha de fomento de pequenos projetos de pequenos grupos (escolas e comunidade, professores, jovens, comunidades tradicionais, terceira idade, manifestações culturais locais, saber popular, festas tradicionais – religiosas ou profanas ), pequenos projetos oriundos de processos de sensibilização e capacitação de recursos humanos em Educação Ambiental. 6 - Gerenciamento de resíduos com ênfase no combate ao consumo e desperdício. Desenvolvimento de alternativas para conciliar a demanda com a mudança dos padrões de consumo. 7 - EA e modelos de desenvolvimento: avaliação de processos de produção e de políticas de desenvolvimento envolvendo relações econômicas, sociais, ecológicas e culturais entre os países. Recomendações: 1- Incluir a Educação Ambiental transversalmente nas seguintes linhas de financiamento do FNMA: manejo e conservação de bacias hidrográficas,

24

manejo e conservação em áreas costeiras, problemática ambiental urbana, promoção de comunidades tradicionais (históricos), desenvolvimento de práticas sustentáveis. 2 - Instituir um formulário simplificado. 3 - Problemática ambiental urbana: modificar as representações de que a Educação Ambiental não é só natureza, mas também todas as manifestações culturais. 4- Promover avaliação PARTICIPATIVA, através do desenho coletivo de diversos critérios para análise. 5 - Garantia de que os projetos que se destinam a escola demonstrem compromisso com o fazer pedagógico, desde a fase de estruturação, operacionalização e incorporação das ações no processo educacional. 6 - Estabelecimento de critérios para fortalecimento de projetos que visem intercâmbio interinstitucionais para o desenvolvimento de ações de EA. 7 - Manutenção de linhas já existentes (FNMA) desde que os projetos contemplem alternativas de educação ambiental que visem repassar para a sociedade o resultado final daquele projeto. 8 - Apoio a projetos que sejam deflagrados por jovens motivados ao engajamento na questão ambiental. Linha de crédito para jovens gestores como apoio a formação de lideranças em EA. INTEGRAÇÃO SIBEA E REDES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL A proposta de parceria com o SIBEA foi considerada relevante e de grande interesse social por todos Comissões criadas para acompanhamento do processo: Elaboração do Edital do FNMA – Michèle Sato (REMTEA), Patrícia Mousinho (EALatina), Larissa Costa (REPEA), Aluísio Cardoso de Oliveira (RMEA) Gestão Participativa do SIBEA – Vivianne Amaral (REBEA), Sírio Lopes Velasco (FURG) , Patrícia Mousinho (EALatina), Aurora Costa (REA/PB)

25

Considerando a conjuntura política nos estados e a necessidade de integração SIBEA e redes de EA, recomenda-se a articulação com as Comissões Interinstitucionais (CIEAs) de EA, no sentido de: 1. 2. 3. 4. 5. Garantir ampla participação das Organizações governamentais, Garantir o caráter deliberativo das CIEAs, via decreto estadual; Elaborar o regimento interno das CIEAs democraticamente; Estabelecer um calendário anual de atividades com pauta Atas das reuniões das CIEAs sejam tornadas públicas e

ONGs, Universidades e redes de EA, quando existentes;

definida, quando possível, e amplamente divulgada; amplamente divulgadas; Os participantes assumem ainda o compromisso de realizar conversações no sentido da possibilidade de parceria MMA com a REBEA e redes de ONGs na organização da reunião conjunta da CNEA e do V Fórum de EA, e de eventos satélites que abordem temáticas como a Agenda 21, Carta da Terra e preparação para o RIO + 10 na Cidade do Cabo, África do Sul. RECOMENDAÇÕES DIVERSAS: Com relação a Redes de Formadores de EA mencionada pela representante da Coordenadoria de EA/MEC, recomenda-se disponibilizar os nomes dos educadores que a compõem para as Redes de EA existentes e informar sobre os módulos que orientam o trabalho dos Parâmetros Curriculares. Com relação à Lista de discussão EA Latina foi constatada a necessidade de:

Rever o papel da EA Latina, de modo a evitar a sobreposição e Avaliar as exigências técnicas para que seja efetuada a

estimular a cooperação com as demais listas existentes.

migração da EA Latina e de todos os endereços nela cadastrados para um servidor gratuito (por exemplo o yahoogroups ou grupos.com.br).

26

Avaliar a possibilidade de transformar a EA Latina num espaço

de articulação com os demais países latino-americanos e verificar a proposta de atuação de redes latino-americanas de educadores ambientais, cuja representante brasileira é Naná Mininni.

Identificar listas de EA que atuem nos outros países latino-

americanos, para dar início a contatos e articulações.

27

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful