Você está na página 1de 5

Como elaborar uma resenha?

Considerando a contribuição de Souza, Fialho e Otani (2007), a resenha é um texto acadêmico que examina e apresenta o conteúdo de obras prontas, podendo ser caracterizado como uma pesquisa exploratória sobre uma determinada obra literária, filosófica ou científica. A resenha pode ser classificada em descritiva (sem julgamento nem apreciação avaliativa) ou crítica (com apreciações e juízo crítico de quem a elaborou). Ambas, portanto, jamais podem resultar num texto completo ou exaustivo. Cabe a competência do resenhador saber selecionar os aspectos pertinentes do objeto, bem como desenvolver um estilo próprio e funcional para prender a atenção do leitor. Severino (2007, p. 204-205) expõe que resenha é
[...] uma síntese ou um comentário dos livros publicados feito em revistas especializadas das várias áreas a ciência, das artes e da filosofia. As resenhas têm papel importante na vida científica de qualquer estudante e dos especialistas, pois é através delas que se toma conhecimento prévio do conteúdo e do valor de um livro que acaba de ser publicado, fundando-se nesta informação a decisão de se ler o livro ou não, seja para o estudo seja para um trabalho em particular.

Para a elaboração da resenha, usualmente consideram-se as seguintes partes: a) cabeçalho (referência da obra resenhada); b) credenciais do autor (em um parágrafo, informações como nacionalidade, formação, livros publicados, enfim, tudo que possa mostrar quem é o autor); c) resumo (ideias e partes principais da obra, em um parágrafo, inclusive descrevendo quantos e quais são os capítulos; d) comentário e julgamento do resenhista (somente para a resenha crítica; momento em que são apresentadas considerações de diversos autores da comunidade científica no assunto em questão; também pode ser escrita concomitante ao resumo, ou seja, conforme se apresentam as ideias, tecemse os comentários);

............................................ Professor: Fulano de tal.....ACADÊMICO (A) TÍTULO DA RESENHA Resenha apresentada à disciplina ............... do Curso de . da Faculdade ..... CIDADE ANO .....................

GEWANDSZNAJDER. mestre em Educação. bacharel em Psicologia. Neste sentido diz-se que há um método cientifico. bem como as críticas aos positivistas. Muitos concordam que há um método para testar criticamente e selecionar as melhores hipóteses e teorias. a coleta dos dados e as experiências são feitas conforme interesses. mestre em Educação. segundo o qual o conhecimento factual ou empírico deve ser obtido a partir da observação. em abordagens que se complementam. A partir das críticas à indução. Pioneira.a) REFERÊNCIA/CABEÇALHO ALVES-MAZZOTTI. dizendo . 2. hipotéticas e provisórias da realidade. sua visão do método cientifico e do conhecimento em geral. expectativas ou idéias preconcebidas. doutora em Psicologia da Educação. mestre em Filosofia e doutor em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. professora titular de Psicologia da Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e leciona a disciplina de Metodologia da Pesquisa em cursos de graduação e pós-graduação desde 1975. em quatro capítulos.1994) construiu o racionalismo crítico. b) CREDENCIAIS DO AUTOR Alda Judith Alves Mazzotti é bacharel licenciada em Pedagogia. São formuladas teorias que devem ser encaradas como explicações parciais. cujo objetivo central era justificar ou legitimar o conhecimento científico. cada uma delas sob a responsabilidade de um autor. apresentando conceitos básicos como o da lei. o filósofo Karl Popper (1902. Fernando. estabelecendo seus fundamentos lógicos e empíricos. Na primeira parte. O segundo capítulo trata dos pressupostos filosóficos do método científico. 1999. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. 203 p. c) RESUMO O livro é constituído de duas partes. destacando as características do positivismo lógico. traduzindo sua experiência e fundamentação sobre o método científico. ed. São Paulo. GEWANDSZNAJDER discute. em que a observação. Psicóloga. o método nas ciências naturais. pelo método indutivo. e não com neutralidade.. teoria e teste controlado. Fernando Gewandsznajder é licenciado em Biologia. Alda J. No capitulo inicial há uma visão geral do método nas ciências naturais e um alerta sobre a não concordância completa entre filósofos da ciência sobre as características do método científico.

relacionando autores e bibliografia específicas. uma vez que as conclusões emergem a partir de esclarecimentos e posições de diversos estudiosos da ciência e suas aplicações e posturas quanto ao método científico.) d) APRECIAÇÃO CRÍTICA A obra fornece subsídios à nossa pesquisa científica.. Os exemplos citados amplamente nos auxiliam na compreensão da atividade científica e nos possibilitam analisar e confrontar várias posições. Com estilo claro o objetivo. podemos amadurecer mais. que passa a ser um instrumento de crítica. Com sólidos conhecimentos acerca do desenrolar histórico. exemplificando. Com isso auxiliam sobremaneira a elaboração do nosso plano de pesquisa. sendo que a tentativa de refutação conta com o apoio da lógica dedutiva. autores e contextos apresentados. decidindo-nos por uma linha de pesquisa. levandonos a compreender as ideias básicas das várias linhas filosóficas contemporâneas. (. Finalmente.. os autores dão esclarecimentos sobre o método cientifico nas ciências naturais e sociais. reportando-se a esclarecimentos mais distantes sempre que necessário. impulsionando reflexão crítica e discussão teórica sobre fundamentos filosóficos. os autores empenham-se em apresentar clara e detalhadamente as circunstâncias e características da pesquisa cientifica. Mostram-nos a imensa possibilidade de trabalhos que existe no campo da ciência. com o estudo dessa obra. além de diversas releituras e pesquisas quanto a conceitos. estudado.que ambos progridem através de conjecturas e refutações. que em muito pode enriquecer nosso trabalho. à medida que trata dos principais autores/protagonistas da discussão/construção do método cientifico na história mais recente. a fim de chegarmos à nossa própria fundamentação teórica. além de nos encaminhar para exposições mais detalhadas a respeito de determinados tópicos abordados. É uma leitura que exige conhecimentos prévios para ser entendida. bem como a descobrir uma nova maneira de ver o que já havia sido visto. inclusive para aceitar e até solicitar crítica rigorosa. .

FORMATAÇÃO: • • • • • • Papel: A4 Fonte: Times New Roman Tamanho: 12 Espacamento: 1.inferior e direita 2 cm.5 linhas Número de páginas: facultativo Margens: .superior e esquerda 3 cm e . .