Você está na página 1de 3

Guerra no Líbano: Conflito envolveu cristãos e muçulmanos do Líbano

A guerra civil no Líbano foi resultado das tensões e conflitos entre árabes e israelenses pela posse do território da Palestina. Até 1943, o Líbano era colônia francesa e estava anexado à Síria. A conquista da independência, porém, não significou o surgimento do Estado nacional libanês, já que, além da Síria não reconhecer a emancipação do país, divisões religiosas internas inviabilizaram o exercício de um poder centralizado.

Divisões internas no Líbano Os libaneses dividiam-se em uma minoria de cristãos maronitas, herdeiros da tradição dascruzadas que haviam conquistado Jerusalém na Idade Média, que controlavam a economia e eram aliados do Ocidente, e muçulmanos, ligados à Síria. Cada região era governada por um grupo, cristão ou islâmico, que organizava a defesa, cobrava tributos e exercia a justiça de acordo com seus interesses. Antagonismos entre os grupos sempre houve, todavia as sucessivas guerras entre árabes e israelenses na região criaram um cenário propício à eclosão de uma guerra civil. A ocupação israelense sobre a quase totalidade do território palestino obrigou um imenso contingente populacional a buscar refúgio nos países vizinhos. Milhares de palestinos migraram para o sul do Líbano, onde passaram a viver em situação precária e, o que é pior, de onde grupos radicais islâmicos iniciaram ataques militares contra o norte de Israel. Os grupos populares muçulmanos do Líbano começaram então a enfrentar os cristãos, ocasionando uma devastadora guerra civil que se estendeu por quase dez anos (1975 1985). Em 1982, tropas israelenses foram enviadas para o sul do Líbano pelo ministro da DefesaAriel Sharon, numa operação denominada "Paz na Galileia", com o objetivo de neutralizar as forças palestinas instaladas no sul do país. Os combates se estenderam até meados dos anos 1980, quando foi organizado um governo de maioria cristã e pró-Síria.

Líbia – Demografia
Fareed Zakaria, disse em 2011 que "A única coisa incomum sobre a Líbia é que é um país muito grande, com uma população muito pequena, mas a população é realmente muito estreitamente concentrada ao longo da costa." Densidade populacional é de cerca de 50 pessoas por km nas duas regiões do norte da Tripolitânia e Cirenaica, mas cai para menos de uma pessoa por km em outros lugares. Noventa por cento da população vive em menos de 10% da área, principalmente ao longo da costa. Sobre 88% da população é urbana, a maioria concentrada nos três maiores cidades, Tripoli, Benghazi e Misrata. A Líbia tem uma população de cerca de 6,5 milhões, cerca de metade dos quais têm menos de 15 anos. Em

que têm agora estabeleceu-se em várias cidades e vilas. publicado pelo Comitê dos EUA para Refugiados e Imigrantes. Um número desconhecido de pequenos líbios ainda vivem no deserto como suas famílias têm feito por séculos. Existem cerca de 140 tribos e clãs na Líbia. Além disso.000 pessoas eram da antiga Palestina.200 do Sudão. De acordo com a Pesquisa Mundial de Refugiados de 2008. falar Tamahaq Tuaregs. os maiores grupos são cidadãos de outras nações Africano. Alto-falantes Berber vivem sobretudo na região de Jebel Nafusa. com modos precisos de habitação em função da sua renda e riqueza. e uma pequena porcentagem é na agricultura. por vezes falada nas grandes cidades. também Toubou é falado em alguns bolsões de Qatroun aldeia e cidade Koffra. uma das maiores taxas do mundo. Italiano e Inglês são. a única linguagem conhecida Tamasheq do Norte. com uma pequena minoria de Berber de língua grupos tribais e pequenos grupos de negros Africano como Tuareg e Tebu. 30 mil chineses e 30 mil filipinos na Líbia. as línguas berbere falado por 5%. que são nômades ou seminômades. A população total de 1984 foi um aumento de 1. da Somália e 2500 1100 do Iraque.000 em 2007. havia também um número estimado de 60 mil bengaleses.54 milhões o relatado em 1964. Embora os árabes da Líbia tradicionalmente viviam estilos de vida nômade em tendas. e os oásis da cidade de Ghadames. Líbios nativas são principalmente árabe ou uma mistura de etnias árabes e berberes. a maioria dos que vivem em blocos de apartamentos e outras unidades de alojamento independentes. A língua mais falada é o árabe na Líbia em 95% dos líbios e árabe moderno padrão é também a língua oficial. Devido a isso. . 3.6 milhões e foi crescendo em cerca de 4% ao ano. são falados por berberes e tuaregues na parte sul do país ao lado de língua árabe. Entre os estrangeiros. sem lhes dar a oportunidade de requerer asilo. a Líbia acolheu uma população de refugiados e requerentes de asilo que somam aproximadamente 16. mas deixou muitos após a independência em 1947 e muitos mais à esquerda. a cidade de Zuwarah na costa. cerca de 9. A maioria da população tem ocupações na indústria e serviços. Deste grupo.1984 a população atingiu 3. Ghat e Awjila. Refugiados enfrentaram discriminação das autoridades líbias quando se deslocam no país e procura de emprego. em 1970. Anteriormente. A vida familiar é importante para as famílias da Líbia. havia uma presença visível de colonos italianos. apesar de alto-falantes italianos são principalmente entre a geração mais velha. A Líbia é o lar de uma grande população ilegal que chega a mais de um milhão. A Líbia tem uma pequena minoria italiana. em sua maioria egípcios e africanos subsarianos. os velhos caminhos da vida são gradualmente desaparecendo. Em 2011. incluindo o norte-africanos e africanos subsarianos. Líbia supostamente deportou milhares de imigrantes ilegais em 2007. após a adesão de Muammar Gaddafi. que não têm estatuto oficial.