Você está na página 1de 2

Exmo. Senhor Diretor-geral da Administrao Escolar Av.

24 de Julho, N 142 1399-024 LISBOA F, professor de grupo de recrutamento do Agrupamento de Escolas / Escola no Agrupada , tendo sido informado de que o seu nome foi includo na bolsa de avaliadores externos do CF, vem apresentar pedido de escusa da funo, ao abrigo do n. 4 do artigo 5 do despacho normativo 24/2012, alegando o seguinte: 1. Objeo de conscincia em relao a um modelo de avaliao que, na sua leitura, apenas se destina a:
a. exercer e exacerbar o controlo hierrquico das estruturas

de gesto, de topo e intermdia, sobre os professores avaliados; b. diminuir as margens de autonomia e criatividade dos avaliados, promovendo a normalizao do ensino;
c. induzir uma diviso artificial da carreira que, tendo sido

tentada com a criao da categoria de professor titular, agora retomada com a criao de uma elite de professores avaliadores externos. 2. Inutilidade dos procedimentos de avaliao que:
a. no produziro qualquer alterao no desenvolvimento da

carreira dos avaliados, enquanto as carreiras no forem descongeladas;


b. no preveem mecanismos que promovam a melhoria da

qualidade do desempenho do avaliado, garantindo a este e ao avaliador externo as condies de tempo e espao para a discusso e reflexo conjunta sobre as prticas letivas observadas, sem prejuzo dos respetivos tempos de repouso. 3. (ponto a incluir por quem resolveu mudar de vida e deixar de aturar a esquizofrenia vigente em muita sala de professores, em que se reclama contra a destruio da escola pblica e se pactua com todas as medidas dos Nunos Cratos desta vida) Ter o requerente dado incio ao processo de aposentao das funes docentes, o que lhe permite a iseno dos procedimentos de avaliao do seu

prprio trabalho, ao abrigo do n. 9 do artigo 27 do decreto regulamentar 26/2012, de 21 de fevereiro. Pede deferimento, ___ / ___ / 2012