Você está na página 1de 15

FACULDADE ASSIS GURGACZ – FAG

ALEX JUNIOR DE ALMEIDA EDERSON JONER RAFAEL CREPALDI RENAN RAMOS BALIEIRO

ENERGIAS RENOVÁVEIS: TERMOELÉTRICAS

CASCAVEL

2012

FACULDADE ASSIS GURGACZ – FAG

ALEX JUNIOR DE ALMEIDA EDERSON JONER RAFAEL CREPALDI RENAN RAMOS BALIEIRO

ENERGIAS RENOVÁVEIS: TERMOELÉTRICAS

Trabalho acadêmico apresentado à disciplina de Metodologia Científica, do Curso de Engenharia Elétrica, da Faculdade Assis Gurgacz.

Professor Orientador: Marlise Ap. dos Santos.

CASCAVEL

2012

RESUMO

Este trabalho trada sobre os vários tipos de energias renováveis e geração de eletricidade a partir desses recursos. Fontes como vento, sol, chuva, mar, calor e que são denominados renováveis, pois são inesgotáveis. Neste caso, iremos tratar da geração de energia elétrica através da utilização da Biomassa, essa que utiliza como combustíveis resíduos de madeira, da produção agrícola e bagaço da cana de açúcar em usinas canavieiras, sendo estas consideradas energias limpas, pois a emissão dos gases na sua produção é abatida pela produção da planta. Métodos de geração de energia que utilizam esses recursos, bem como todos os estudos que são empregados para chegar a determinar a viabilidade de sua implementação, como e onde surgiu no mundo e no Brasil, suas dificuldades construtivas, seu impacto ambiental desde sua implantação até sua geração, comparativos dos custos de cada modalidade de geração elétrica, países que mais a utilizam, vida útil do sistema e os modelos de combustíveis e fontes geradoras de cada uma.

SUMÁRIO

  • 1 – ENERGIAS RENOVÁVEIS

6

  • 2 – TERMELÉTRICAS

7

  • 2.1 – HISTÓRIA

8

  • 3 – TERMOELÉTRICA A BIOMASSA: A ENERGIA DOS VEGETAIS

8

  • 3.1 – VANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DA BIOMASSA

10

  • 3.2 – DESVANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DA BIOMASSA

10

  • 4 – A BIOMASSA NO BRASIL

.........................................................................

10

  • 5 – COMPARATIVO ENTRE OS MEIOS DE GERAÇÃO ELÉTRICA

11

  • 6 – IMPACTOS AMBIENTAIS DAS TERMOELÉTRICAS

12

  • 7 – CONCLUSÃO

14

  • 8 – REFERENCIAS

15

INTRODUÇÃO

A importância da eletricidade em nosso dia a dia passa despercebida pela maioria das pessoas, desde a hora em que acordamos estamos dependentes desta maravilha que a ciência nos proporcionou. Quando nos deparamos com uma lâmpada queimada em casa, mesmo que de maneira muito rápida, percebe-se a falta que nos faria se nossa vida não pudesse mais contar com a eletricidade e o uso dos mais diversos meios que ela proporciona. Como a população não para de aumentar e seu consumo também aumenta a demanda por eletricidade, governos e entidades no mundo todo têm estudado maneiras de não só garantir o fornecimento de energia, mas, maneiras para fazer isto de forma a causar o menor impacto possível na natureza. Este problema não tem uma equação simples, pois existem muitas variáveis, como a topografia do terreno no caso de escolha por hidrelétrica, se existe potencial hidráulico, qual será a área alagada, essa área é agrícola ou é habitada? Se a opção for por termoelétricas, o maior problema esta na escolha do combustível que alimentara os geradores se for gás natural o problema diminui, mas assim mesmo existem as emissões de gases poluentes na atmosfera. Se optarmos por carvão mineral, elevaremos os índices de emissões para patamares desconfortáveis. Existem também as opções do sistema nuclear, que esbarra na falta de capacidade técnica dos países (poucos dominam esta tecnologia, e estes não a transferem), sem falar no seu custo e perigos em caso de comprometimento da integridade do sistema. Sistemas como a produção de energia através de placas solares ou eólica, quase não poluem, mas são caros e inconstantes, de fato, cada região tem seu potencial para instalação de parques geradores de eletricidade, e estes devem ser estudados para que se possa tirar o maior proveito das tecnologias existentes. Em muitos casos não é sempre que o sistema mais avançado, mais carro ou até mesmo o mais barato pode ser o melhor, um país com grandes extensões de terra e grandes rios com potencial hidráulico, deve explorar hidrelétricas, se dominar sua construção, já nações que são pequenas não podem se dar ao luxo de inundar áreas, pois existem opções para evitar isto. Quer seja durante a obra de construção, ou durante a vida da usina, o impacto ambiental que será gerado deve ser avaliado com muito critério e os estudos gerados devem ser obedecidos para que o parque gerador seja instalado de maneira saudável para a sociedade de modo que contribua para nosso amadurecimento e em sintonia com o meio ambiente.

1 – ENERGIAS RENOVÁVEIS

A Energia Renovável é a energia que vem de recursos naturais como sol, vento, chuva, marés e calor. São renováveis por que são naturalmente reabastecidos. Em 2008, cerca de 19% do consumo mundial de energia final veio de fontes renováveis, com 13% provenientes da tradicional Biomassa, que é usada principalmente para aquecimento, e 3,2% a partir da hidroeletricidade. Novas energias renováveis, que são pequenas Hidrelétricas, Biomassa, Eólica, Solar, Geotérmica e Biocombustíveis, representaram outros 2,7% e este percentual está crescendo muito rapidamente. A porcentagem das energias renováveis na geração de eletricidade é de cerca de 18%, com 15% da eletricidade global vindo de hidrelétricas e 3% de novas energias renováveis. Abaixo alguns exemplos de energias renováveis:

Energia Solar: É a designação dada a qualquer tipo de captação de

energia luminosa, e, em certo sentido, da energia térmica proveniente do sol, e posterior transformação dessa energia captada em alguma forma utilizável pelo homem, seja diretamente para aquecimento de água ou ainda como energia elétrica ou mecânica. Energia Eólica: É a energia que provém do vento. Na atualidade utiliza- se a energia eólica para mover aero geradores – grandes turbinas colocadas em lugares de muito vento. Essas turbinas têm a forma de um cata-vento ou um moinho. Esse movimento, através de um gerador, produz energia elétrica. Um método que está crescendo à taxa de 30% ao ano, e centrais fotovoltaicas são populares na Europa e Estados Unidos. O Brasil tem um dos maiores programas de energias renováveis utilizando este método.

Biocombustível ou Biomassa: É o combustível de origem biológica não fóssil. Na definição de biomassa para a geração de energia excluem-se os tradicionais combustíveis fósseis, embora estes também sejam derivados da vida vegetal (carvão mineral) ou animal (petróleo e gás natural), mas são resultado de várias transformações que requerem milhões de anos para acontecerem.

Energia Azul: é a energia obtida da diferença de concentração de sal entre a água do mar e a do rio com o uso de Eletrodiálise reversa (EDR) (ou osmose) com membranas específicas para cada tipo de íons. O resíduo deste processo é água salobra. A tecnologia de EDR foi confirmada em condições laboratoriais. Energia Geotérmica: É a energia obtida a partir do calor proveniente da Terra, mais precisamente do seu interior. Devido a necessidade de se obter energia elétrica de uma maneira mais limpa e em quantidades cada vez maiores, foi desenvolvido um modo de aproveitar esse calor para a geração de eletricidade.

Energia Hidráulica ou Hídrica: É a energia obtida a partir da energia

potencial de uma massa de agua. A forma na qual ela se manifesta na natureza é nos fluxos de agua como rios e lagos e pode ser aproveitada através do desnível de agua. É o método mais eficiente e amplamente utilizado no Brasil devido ao grande potencial hídrico de suas bacias. Energia Maremotriz: É o modo de geração de eletricidade através da utilização da energia contida nas massas de agua devido às marés.

Analisando estes modelos de geração de energia, tomamos por base na decisão da escolha, a elaboração sobre Termelétricas que utilizam a Biomassa, esse recurso que a cada dia vem ganhando mais espaço no mundo devido a encontra-se grande variedade de recursos para seu emprego na geração de energia limpa.

2 – TERMELÉTRICAS

A energia termoelétrica é uma maneira de transformar a energia encontrada em um combustível em uma forma de energia elétrica. Nela são utilizados diversos tipos de combustíveis para movimentar as turbinas que proporciona a produção de energia elétrica. Os combustíveis que são utilizados na produção de energia são armazenados em grandes caldeiras que e queimados para que gere a energia elétrica. O combustível utilizado para a obtenção do calor necessário para o processo apresenta-se de diversas formas, sendo renováveis e não renováveis.

Gás natural;

Derivados de petróleo;

Carvão mineral e vegetal;

Xisto betuminoso;

Resíduos de madeira e da produção agrícola;

Bagaço de cana de açúcar;

Lixo doméstico;

Urânio;

Entre outros,

Podem-se diferenciar as usinas termoelétricas pelo tipo de combustível que usam, os principais combustíveis são: Gás natural, biomassa, carvão mineral, óleo diesel e nuclear. Vamos então diferencia-las:

As usinas que fazem uso do gás natural precisam de um gasoduto para alimenta-las, grandes distancias entre o local de exploração do gás e a usina termoelétrica acarreta em altos custos da infraestrutura deste combustível, e se o mesmo estiver disponível, pode haver ganhos quando se pensa na quantidade de poluição que a usina despejara na atmosfera. O carvão mineral é um combustível não renovável, que agride severamente o meio ambiente desde o momento em que é minerado. Como combustível de usinas termoelétricas, esta no topo da lista do ranking de combustíveis poluentes, é muito utilizada em países subdesenvolvidos e emergentes, pois é um meio barato de gerar calor e não necessita de alta tecnologia para ser empregado. O óleo diesel é usado geralmente como um meio paliativo, para manter as usinas funcionando quando algum problema ocorre com o sistema principal, seu uso gera uma enorme emissão de gases poluentes, principalmente o CO2 (Dióxido de carbono), mas seu uso fica mais restrito devido mesmo ao seu preço, pois, comparado ao valor do combustível principal da usina, ele excede muito os custos.

Tem-se também como combustível de usinas térmicas o uso do calor gerado por sistemas nucleares, tais usinas são normalmente chamadas de nucleares, mas na realidade são termoelétricas, usando a reação nuclear apenas para gerar calor e assim o sistema gera vapor e o ciclo térmico elétrico tem inicio. Neste caso, iremos tratar da geração de energia elétrica através da utilização dos recursos renováveis, como os resíduos de madeira, da produção agrícola e bagaço da cana de açúcar em usinas canavieiras, sendo estas consideradas energias limpas, pois a emissão dos gases na sua produção é abatida pela produção da planta.

2.1 – HISTÓRIA

Motores a vapor alternativos têm sido utilizados para fontes de energia mecânica desde o século 18, com notáveis melhorias. As primeiras centrais de geração de energia elétrica a partir do vapor começaram em Nova York. O desenvolvimento da turbina de vapor permitida maiores e mais eficientes estações geradoras a serem construídas. As primeiras unidades geradoras de grande porte começaram depois de 1905 como uma alternativa aos métodos de geração da época, onde o maior exemplar de turbina geradora de uma termelétrica que se tem história foi construída no ano de 1901 para a Ferroviária Manhattan, cada uma das 17 unidades pesava cerca de 500 toneladas e foi classificada como uma unidade capaz de gerar 6.000kW, sendo que hoje uma turbina com essa mesma capacidade de geração pesa apenas 20% desse montante. Em 1883 a primeira unidade produtora de energia termelétrica é inaugurada no Brasil, a usina termelétrica fica instalada na cidade de Campos, estado do Rio de janeiro, com a potência de geração de 52 kW.

3 – TERMOELÉTRICA A BIOMASSA: A ENERGIA DOS VEGETAIS

Bioenergia é a energia gerada a partir de material vegetal (biomassa). A Biomassa pode ser transformada em energia através de combustão, gaseificação, fermentação, ou produção de substâncias líquidas. Para essa transformação de energia pode-se usar:

Biomassa arborícola;

Sobra de madeira da indústria (serragem, por exemplo);

Vegetais e frutas;

Resíduos agrícolas,

Bagaço da cana;

Certos tipos de esgotos industriais e residenciais;

Lixo de natureza biológica.

Abaixo esquema que mostra todo o processo de geração de energia elétrica a partir de uma usina termelétrica, que utiliza em seu processo a biomassa, na figura mostra desde a obtenção da matéria prima do combustível até a distribuição da mesma.

Figura 01 – Esquema da produção de energia elétrica a partir da biomassa. A energia advinda

Figura 01 – Esquema da produção de energia elétrica a partir da biomassa.

A energia advinda da biomassa é considerada durável a partir do momento que em que pode-se através do manejo correto garantir seu ciclo, por exemplo garantindo o reflorestamento ou replantio. E é renovável no sentido de que toda a energia obtida da biomassa veio de processos biológicos que aproveitaram a energia solar, essa energia se não aproveitada pelos humanos acaba retornando ao ambiente através da digestão e da putrefação das plantas. A energia da biomassa é importante, pois garante a disponibilidade de energia nos próximos séculos; pode contribuir para a redução do CO2 na atmosfera e consequentemente a redução do efeito estufa; Do ponto de vista econômico, a bioenergia se revela mais interessante do que outras fontes renováveis de energia; A bioenergia pode se tornar prática muito rapidamente por poder gerar combustíveis tanto sólidos quanto líquidos, e por poder usar parte da tecnologia criada para os combustíveis fósseis; Reduz da importação de energia já que a biomassa geralmente é local. Dependendo da técnica de conversão, a bioenergia pode ser transformada nos seguintes produtos: eletricidade, calor e combustíveis. As técnicas são as seguintes:

Combustão - Queima de material vegetal, assim libera calor que pode gerar eletricidade. Combustão é a técnica mais desenvolvida, a biomassa já é co-consumida em muitas usinas de carvão no EUA, onde as usinas de calor também estão partindo para a biomassa. Gaseificação - Conversão da biomassa em combustível gasoso. Os principais produtos são hidrogênio e monóxido de carbono. São usados tanto na geração de energia quanto na indústria química. A maioria das técnicas ainda está em estágio de desenvolvimento. Queima do material vegetal que é convertido em eletricidade.

Fermentação - Desintegração da biomassa por uma bactéria anaeróbica para formar uma mistura de metano e dióxido de carbono. Esse biogás é usado para a geração de eletricidade. A fermentação é muito útil em indústrias, elas aplicam esse processo no seu lixo e esgoto para purifica- lo. Pode se conseguir que esse gás atinja a qualidade do gás natural, podendo então ser usado numa infinidade de outras coisas.

3.1

– VANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DA BIOMASSA

A utilização da Biomassa é considerada vantajosa por muitos motivos, É uma fonte de energia renovável e limpa, que pode melhorar a qualidade do ambiente. Pode contribuir também positivamente para a economia, na medida em que há menos desperdício de matéria, e porque fornece ao mesmo tempo vários postos de trabalho. É uma energia segura e com grande potencial. Abaixo algumas vantagens da utilização da Biomassa:

É uma energia renovável;

É pouco poluente, não emitindo dióxido de carbono;

É altamente fiável e a resposta às variações de procura é elevada;

A biomassa sólida é extremamente barata, sendo as suas cinzas menos

agressivas para o ambiente; Verifica-se uma menor corrosão dos equipamentos (caldeiras, fornos, etc).

  • 3.2 – DESVANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DA BIOMASSA

Deflorestação de florestas, além da destruição de habitats;

 

Possui um menor poder calorífico quando

comparado

com outros

combustíveis; Os biocombustíveis líquidos contribuem para a formação de chuvas

ácidas; Dificuldades no transporte e no armazenamento de biomassa sólida.

4 – A BIOMASSA NO BRASIL

No Brasil, quando se fala em biomassa, entenda-se por bagaço de cana, lenha, carvão vegetal, álcool e outras fontes primárias de energia. Estas são as mais usadas e difundidas. Temos como uma forma da utilização dos recursos da biomassa oriunda da cana de açúcar, onde é aproveitado o bagaço como combustível para geração da energia. A Usina Açucareira da Serra S.A. produz álcool e açúcar e com o subproduto de sua operação (bagaço da cana) gera 2400 kW de energia elétrica Mesmo com esses benefícios, os investimentos em pesquisas por fontes alternativas de energia resultaram em um processo de cogeração de energia elétrica no qual a Usina, além de se tornar autossuficiente, vende do excedente. Esta unidade situa-se na região central do estado de São Paulo, possuindo diversos aspectos positivos; como seu terreno é altamente fértil, com relevo topográfico propício à colheita mecanizada, e ao lado de importantes malhas rodoviárias. Em 2004, a unidade comercializou cerca de 27.000 MW/h, gerando uma nova fonte de receita para a empresa.

5 – COMPARATIVO ENTRE OS MEIOS DE GERAÇÃO ELÉTRICA

Os diversos sistemas para geração de energia existentes são escolhidos através de estudos detalhados, pois envolvem por exemplo: Quem será o consumidor, qual a potencia necessária, qual a distancia que a usina ficara do local de consumo e assim por diante. Independente da tecnologia usado haverá sempre a questão do impacto ambiental, este merece um estudo a parte que deve ser apresentado e analisado pelo órgão responsável, geralmente são departamentos dos próprios governos, que podem aprovar ou não a obra, podem indicar mudanças no projeto e até impedir ou paralisar a construção de empreendimentos desta natureza. O sistema mais utilizado no Brasil é o hidráulico, devido as obvias características continentais do país e principalmente por possuir rios com bons e até ótimos potenciais hidráulicos, (O potencial hidráulico é caracterizado por rios que tenham desníveis em seu trajeto, isso faz com que a água adquira potencial gravitacional que devidamente utilizado pode ser usado para movimentar turbinas de geradores). Como já emprega esta tecnologia a muito tempo, seu domínio é conhecido e praticamente todos os rios tem seu estudo hidráulico realizado. Hidrelétricas são consideradas usinas limpas, por usarem um tipo de combustível renovável, praticamente não emitirem poluentes e não geram muito ruído, seu grande problema esta no local onde a obra é executada, pois grandes áreas são alagadas, o curso do rio sofre mudanças significativas, o que implica em todo o eco sistema de uma ampla região. Pelo lado financeiro administrativo, tem uma localização geralmente distante das cidades, o que acarreta em longas linhas de transmissão, que elevam o custo final de geração da energia. Quando a região a ser alagada pelo lago da usina é muito grande, certamente envolve desapropriações de terras ribeirinhas, isso também estimula os custos deste meio de geração de energia. Fazendo uso de combustíveis renováveis estão também às usinas eólicas, solar e mais recentemente os biodigestores ou sistemas de biomassa. Grandes indústrias como as usinas canavieiras, que geram uma enorme quantidade de resíduos proveniente do bagaço da cana-de-açúcar, começaram a fazer uso destes dejetos para alimentar pequenas termoelétricas que em alguns casos, conseguem suprir a própria indústria e até vender o excedente para as companhias de distribuição de energia elétrica local. Propriedades rurais começaram a coletar os gases expelidos por dejetos de animais como os suínos, para alimentar geradores elétricos, estas iniciativas são de muita valia, pois aumentam a disponibilidade de energia elétrica no sistema, consomem uma fonte sustentável de energia (verde), e servem de exemplo, pois mostram que nem sempre a solução esta em obras faraônicas em lugares longínquos. No Brasil, ainda é muito raro unidades de captação de luz solar para fins de distribuição de energia, em quantidades significativas, pois este é um dos métodos que tem seu custo muito alto. Tem-se ainda o inconveniente da variação da intensidade de luminosidade, o que provoca instabilidade na rede elétrica, esses motivos, somados ao fato de que esta tecnologia ainda não nos é totalmente conhecida, elevam ainda mais seus custos, mas este meio de geração promete ser ecologicamente correto.

Um sistema de geração de energia, que faz uso de meios renováveis e que tem muito a ver com o potencial brasileiro, mas não condiz com o atual parque instalado é o sistema eólico de geração de energia. Um país que tem mais de 8.000 (oito mil) quilômetros de litoral e quase não usa o potencial que esta a disposição, esta deixando escapar uma oportunidade fantástica, enquanto países gastam fortunas para instalar sistemas em alto mar, haja vista, que seu território é pequeno, o Brasil possui usinas eólicas muito a quem do que deveria possuir. Principalmente no sul e nordeste, é onde se podem encontrar parques eólicos no Brasil, mesmo com o litoral que tem, pouco se explora desta notável fonte de energia, que não inunda áreas, não desmata, pouco gera ruído. Muito pelo contrario, no nordeste brasileiro, nos locais onde estão instalados os parques geradores, os donos de terras recebem leasing pelo uso do local para instalação dos sistemas e ainda podem continuar a utilizar suas terras para plantio ou criação de animais, há casos, de lugares que se tornaram pontos turísticos, por causa dos enormes “cata ventos”. Muito comentada nos últimos anos, esta um tipo especial de termoelétricas, um tipo de geração que deixa muitas “duvidas no ar” quando surge possibilidades de implantações novas e até mesmo quando fala em se desativar alguma destas usinas, são as usinas que fazem uso de energia nuclear para gerar energia elétrica. Muito compactas silenciosas e perto dos centros consumidores, as usinas nucleares são uma realidade há muitos anos, mesmo que a palavra nuclear soe como uma bomba, muitos países, principalmente na Europa e os Estados Unidos fazem uso muito grande deste tipo de geração de energia. No Brasil, existe um complexo de geração de energia nuclear, localizado no estado do Rio de Janeiro, as usinas de Angra I e Angra II, são a experiência brasileira, (com equipamentos alemães), neste tipo de tecnologia para geração de energia. Caracteriza-se por usar um tipo não renovável de combustível, que alias, depois de usada precisa ser armazenado por milhares de anos, com risco de contaminações se não manipulado de maneira adequada. Tem também o risco de um vazamento nuclear, caso a usina seja seriamente danificada, quer seja por mal funcionamento, por fenômenos naturais ou até mesmo atentados terroristas, não é por acaso que estas usinas, são muito bem policiadas no mundo todo.

6 – IMPACTOS AMBIENTAIS DAS TERMOELÉTRICAS

O maior impacto ambiental produzido pelas termoelétricas são os gases, muitos deles de efeito estufa. São produzidos óxidos e dióxidos de enxofre, óxidos de nitrogênio, monóxido e dióxido de carbono, outros gases e particulados. Também existe a geração de hidrocarbonetos. Os óxidos de nitrogênio são formadores de ozônio de baixa altitude, prejudiciais à saúde. A poluição causa problemas respiratórios, como infecções dos brônquios e doenças pulmonares. Os gases produzidos são vários, muitos deles com emissão amplamente combatida atualmente como o dióxido de carbono e o gás carbônico. A queima do carvão produz também o monóxido de carbono e carbono puro, que são

lançados na atmosfera, contribuindo para o aumento do efeito-estufa e piorando a qualidade do ar. O gás natural produz menos impacto no ar e pode ser usado como matéria-prima para gerar calor, eletricidade e força motriz, nas indústrias siderúrgica, química, petroquímica e de fertilizantes, com a vantagem de ser menos poluente do que os combustíveis derivados do petróleo e o carvão. De todos os combustíveis utilizados em termelétricas, o gás natural é o menos poluente, mas o Brasil ainda não é autossuficiente na produção de gás, e todos acompanham os noticiários sobre os problemas de depender do fornecimento de países instáveis como a Bolívia.

7 – CONCLUSÃO

O Brasil esta muito bem quanto a existência de meios naturais para geração de energia elétrica com recursos renováveis, sua localização e dimensões favorecem a instalação principalmente de usinas hidroelétricas, que hoje representam a maior parte de seu parque gerador. O fato de que o país pouco investiu em outras opções como a energia eólica, por exemplo, impedem que se alcancem índices ainda melhores. Com o surgimento de novas tecnologias e a diversificação de fabricantes de equipamentos, hoje, é muito mais acessível para o Brasil fazer uso das condições invejáveis que tem de luz solar e ventos em boa parte do seu território, durante todo o ano. Seu litoral gigantesco que alcança na região do Equador, é muito pouco usado para fins energéticos, por isso, a muito a ser feito e muito proveito pode ser tirado com todas as novas opções que surgiram nos últimos tempos. Inundar grandes extensões de terras, ou emitir toneladas de dióxido de carbono (Co2) todos os dias são atitudes que devem ser esquecidas, para dar lugar a geração de “energia limpa”, quer seja através da luz solar, dos ventos, da biomassa ou até mesmo da força geotérmica. Necessidade de energia elétrica é um fato, garantir sua geração de maneira consciente é obrigação de governos e questão de sobrevivência para o homem e do mundo como o conhecemos.

8 – REFERENCIAS

Troffoli,Leopoldo. Usinas termoelétricas. Sitio Info escola. Disponível em:<http://www.infoescola.com/fisica/usina-termoeletrica/> Acessado em:

27/06/2012.

Autor desconhecido. Termoelétricas. Sitio Wikipédia. Disponível em:

<http://en.wikipedia.org/wiki/Thermal_power_station> (adaptado do inglês para o português). Acessado em: 27/09/2012.

Autor desconhecido. Vantagens e desvantagens da bio-massa. Sitio Portal energia.com. Disponível em:<http://www.portal-energia.com/vantagens- e-desvantagens-da-energia-biomassa/> Acessado em: 27/09/2012.

Amanda Cristina e Amanda Karina. A energia dos vegetais. Sitio energia

inteligente.

Disponível

em:<http://energia-

inteligente.blogspot.com.br/2010/11/energia-dos-vegetais.html> Acessado em:

27/09/2012

http://www.infoescola.com/fisica/usina-termoeletrica/

http://en.wikipedia.org/wiki/Thermal_power_station (adaptado do ingles para o português)

http://www.portal-energia.com/vantagens-e-desvantagens-da-energia-

biomassa/

http://energia-inteligente.blogspot.com.br/2010/11/energia-dos-vegetais.html