ALENTEJO – uma SEARA VOCABULAR – 03

‘A LINGUAGEM POPULAR DO BAIXO ALENTEJO E O DIALECTO BARRANQUENHO’ ‘ESTUDO ETNOFILOLÓGICO’, de Manuel Joaquim Delgado, 2ª ed. Assembleia Distrital de Beja, 1983 – (1ª ed. 1951) José Rabaça Gaspar – 2012 11

03 Delgado

Ex. de outras obras de MJD www.joraga.net 2012 11

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

2

Nota a abrir de JRG: A LINGUAGEM POPULAR DO BAIXO ALENTEJO E O DIALECTO BARRANQUENHO, de Manuel Joaquim Delgado, (2ª ed. 1983 – 1951). Esta obra é um imenso celeiro – uma almástica – inesgotável, que possibilita uma investigação interminável para muitas e imensas seras vocabulares… Aviso que este levantamento vocabular, baseado na obra do professor Manuel Joaquim Delgado, é um atrevimento, que alguns podem considerar indesculpável… É tentar meter numa simples tabela, um trabalho de 400 densas páginas que revelam anos e anos de trabalho, de pacientes recolhas e muitas e longas horas de trabalho incansável. Lembro-me de, nos anos oitenta (1980…), ter tentado encontrar alguns documentos que me pudessem apoiar na minha messão de ensinar a aprender a língua portuguesa aos alunos do ensino secundário, ali em Beja. Numa livraria, ‘A Estudantina’ um senhor informou-me de que havia umas obras importantes de um senhor estudioso, mas que estavam esgotadas… Mas em 1983 apareceram em

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

segunda edição, pela mão da Assembleia Municipal… Afinal, havia quem as considerasse importantes. A meio de uma tarde de Outono, aproveitando o sol que ainda aquecia o jardim público de Beja, alguém me disse que aquele senhor de respeitável idade que passeava por ali, era o Professor Delgado… Sei que conversámos, mas não me lembro de quê… da importância de conhecer profundamente a nossa língua e as nossas raízes, para ser possível um sustentado desenvolvimento… Depois, na mesma livraria, explicaram-me que, de vez em quando, muito de vez em quando, o Senhor Professor passava por lá para saber se tinha havido vendas… Poucas, sempre muito poucas… eram temas que pouco diziam aos que estavam absorvidos com problemas muito básicos e imediatos, para se pensarem nos profundos fundamentos do desenvolvimento que se impunha… Mas, ao menos, ficava a obra… É o que espero, agora, deste meu atrevimento. Permitir que este trabalho, mesmo só em tópicos, se torne acessível aos novos meios que a tecnologia nos proporciona… e, daqui a uns anos… alguém lhe possa dar o devido valor… não a este meu, mas ao do Professor Delgado e mergulhe naquela SEARA VOCABULAR, muito, muito rica, em investigação, estudo, com citações, ilustrações, pistas de recolhas e investigações comparadas e confrontadas… um contributo precioso para criar uma IMENSA SEARA VOCABULAR a servir de lastro a todas as outras… Aqui fica uma tabela como convite a estudar a obra de Delgado. José Rabaça Gaspar Corroios, 26 de Novembro de 2012

3

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

4

SEARA VOCABULAR - GLOSSÁRIO ALENTEJANO Baseada na obra ‘A LINGUAGEM POPULAR DO BAIXO ALENTEJO E O DIALECTO BARRANQUENHO – ESTUDO ETNOFILOLÓGICO’, de Manuel Joaquim Delgado, 2ª ed. Assembleia Distrital de Beja, 1983 – (1ª ed. 1951)
Notaaos que quiserem colaborar e desenvolver este estudo: esta tabela, como é fácil de ver pode ser subdividida, abrindo linhas para as variáveis inseridas na mesma célula… e, pelas investigações, notas e citações do professor… há uma imensa SEARA vocabular a desenvolver. Há quem opine que é um trabalho inútil e errado registar as palavras mal prununciadas e consideradas incorrectas… aqui fica a Modesta – Respeitável – Discutível (a MRD) opinião. TERMO / expressão origem provável CITAÇÃO/INFORMAÇÃO /Significado OBRA p.

a escape à reveria abafadura aberão
à revelia abafo

à pressa… ‘abalou a escape…’

Delgado Delgado

52 95 25 27

calor abafadiço

Delgado

chapéu alentejano, grande, de abas Delgado largas…

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

abesprero abocanhar abondar avondar àbondo / àvondo açafões aceifões ceifões cefões safões açafroado açafroar-se acagular acogular cagular cogular açanar açano

vespas boca lat. Abundu vt. Avondo

Vespeiro abarcar com a boca abundante; e assaz, suficientemente… avonde e tem qu’avonde

Delgado Delgado Delgado

27 29 30

5

ár. As-saifan’

Guarnições de pele para proteger as pernas

Delgado

38

Zangar-se… alvoroçar-se… irritar-se

Delgado

30

cagular

encher demasiado… a vasar…

Delgado

30 141

acenar aceno

gesto com a cabeça, mãos

Delgado

30 31

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

6

acarditar acraditar aquerditar creditar acarear acartadêra àcasião àcuasião encasião acêfa assêfa aceiro arrife sesmo acelga catacuz acerejado

acreditar

Delgado

31

proteger «…acareias toda a gente…» mulher que carrega ou acarreta qualquer coisa… ocasião

Delgado Delgado Delgado

34 35

ceifa

Ceifa…

Delgado

37

Desbaste de árvores para abrir ruas Delgado ou aceiros ou sesmos… na floresta…

102

Planta herbácea, comestível…

Delgado

39

acerejar

Amadurado… da cor da cereja…

Delgado

40

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

ache achegas avenças

Pequeno ferimento, furúnculo… dói- Delgado dói… Acréscimos… pagamentos em géneros… Ver: adições, propinas, aquidades, fornas… Incitar os cães a morder… atacar… Delgado

43 43

7

açodar açular acolmar açorda acordação acostadouro agostadouro agostadoiro açougueiros acovardado acuàso
açougue acobardado acaso acordo

Delgado

43

acogular… cogular… migas de pão, azeite e alho…

Delgado Delgado Delgado

44 46 47 47

Pastagem de restolhice…

Delgado

…as vacas e bois velhos…

Delgado Delgado Delgado

48 48 48

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

8

acuàtelar açúcare açucre acude adiafa àdiência adiente adonde aonde adondi? adregar adrêgo adregue ãfalcoado afazendado

acautelar açucar

Precaver, prevenir, precaver, segurar…

Delgado Delgado

49 49

acudir

acode onde?

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

50

audiência adiante

sessão de tribunal… Na frente… para a frente…em primeiro lugar…

51 51 51 100

calhar, acontecer… “por adregue” por acaso

Delgado Mflorencio

51 99

afalcoar fazenda propriedade

estar sem dinheiro… esgotado… Possuidor de fazendas… propriedades…

Delgado Delgado

52 52

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

afeção feção afrajalado afrajalar-se afuzilar agarrafa agastura agora cá agora, logo água de pedra aguadeiro

afeição

Afecto, amizade, amor…

Delgado

53

9

recostar-se

Delgado

53

fuzilar garrafa

relampejar

Delgado Delgado 54 54 54 55 55 55

Zanga, irritação, enfado, náusea, angústia… Pode lá ser… Nem penses nisso… já, imediatamente, neste instante… água água Granizo ou saraiva Vendedor d água… O que leva água aos trabalhadores do campo… Feixe de linho em rama para meter na água… Formiga grande e preta com asas… que se usa como isco

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

agude agúdia agúida

Delgado

55

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

10

agúidão ajuda al será alabão alavão alacrara alagar alagoa alândea lândea boleta bolêta alar-se-em alarveirão alarveirona
alacrau lacrau lagar lagoa bolotas (corruptela bolota da azinheira ou chaparro, de) para distinguir de (a)lândea a bolota do sobreiro, mais pequena e amarga... asa alarve Atirar-se… lançar-se… será ajudante de almocreve, pastor, hortelão… Expressão de dúvida…- ‘Vens amanhã? – Alserá!’ Rebanho de ordenha… Delgado Delgado Delgado 57 69 58

escorpião Onde se fabrica o azeite…

Delgado Delgado Delgado Delgado MFlorencio Comeres_AFAl ves Delgado Delgado

57 57 58 129 102

60 58

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

alcabraz alcacêr Alcácere do Sal alcachofrar alcagoita Alcanja alcantarilha alcaravão algrèvão alcornoque aldefa aloendro eloendro aldemenos
loendreiro Arcângela Alcácer do Sal alcachofa

Pequeno peixe das penedias costeiras… (no Minho diz-se ‘brêta’… Sementeira de aveia ou cevada para alimento dos animais…

Delgado

59

11

Delgado Delgado

59 59 60 60 60 60 62

irritar-se… ouriçar-se… amendoim - mancarra na guiné… gonguba em Angola…

Delgado Delgado Delgado

Muro de vedação… cerca nos olivais… ave peralta de arribação

Delgado Delgado

Sobreiro ou azinheira caduca…

Delgado Delgado

61 61

ao menos… de modo nenhum…

Delgado

62

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

12

alembrar alemiar alevantar alfaça alfeirão alfeire alfeiro alfôres algeroz algibe algibeira algoradear algorandeando algoz

lembrar alumiar levantar alface Porco de engorda chiqueiro de porcos… gado que não cria… de mais ou menos um ano… alforges ár. Al-zarub ár. Al-jubb ár. Al-jibairã canal de água cisterna, poço Pequeno saco de couro usado pelos cavaleiros árabes coscovilhar coscovilhando… calaceando… ár. Al-gozz de uma tribo onde se recrutavam os carrascos

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

61 63 63 64 64 62

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

64

62

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

algum dia de algum dia alifante aligria alimal alimpadura alimpar Aljustréli almareado almarear almário almairo almáteca almástega almástiga almazém almeirante
armazém almirante elefante alegria animal limpar

outrora… em tempos idos… antigamente…

Delgado

210

13

Delgado Delgado Delgado Delgado

64 65 65 65

Aljustrel mar Enjoar… ficar estonteado… sentir vertigens…

Delgado Delgado

65 66

armário

Delgado

66

Alfobre… viveiro de plantas para depois transplantar…

Delgado

66

mercearia… depósito de matérias…

Delgado Delgado

66 67

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

14

almento enlemento almiara almocreve azemel almofeira almorróidas alporcas escrófula alqueirão alqueva alquevado alquéve alterávle altevidade àltomóvel

alimento

Delgado

67

meda de trigo

Delgado

67 67

Homem que conduz as bestas… que Delgado guia a parelha d animais… albufeira hemorróidas scrofula doença de tumores nas veias do ânus… tumor… que pode ulcerar… Delgado Delgado Delgado

68 68 235

alqueire alqueive

Medida de madeira paracereias… de Delgado 13,33 litros… Poisio… tereno cavado mas não semeado para descanso… Delgado

68 68

alterável altivez

Que se pode alterar… mudar…

Delgado Delgado Delgado

69 70 112

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

àtemóvei àtomóvle alturão altaruz mazarulho alvêtar alvêtairo alvitano alvorear alvoreado alvoredo alzebêra Alzíria Amãidinho Amâido amaleatra
altura Tumor, elevação, eminência… Delgado 70

15

alveitar

Curandeiro de doenças de animais…ferrador… veterinário não diplomado… Pião que se compra na feira do Alvito (pelos Santos…) desequilibrado, sem juízo, leviano, estroina…

Delgado

71

Alvito alvor

Delgado Delgado

71 71

arvoredo algibeira Alzira diminutivo de Amândio malata malata – ovelha de um ano – é o acto de atar as patas dianteiras…

Delgado Delgado Delgado Delgado

71 71 72 72

Delgado

72

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

16

amalhofado amalhofar amandar àmanhão àmanhen àmanhein amáre amára amarranado amastes ambora imbora ambos os dois embos os dois Ambróiso amendoinhas
mandar amanhã

Dissimular, esconder… guardado..

Delgado

72

atirar

Delgado Delgado

72 72

amar

Delgado

283

marrana

corcova… o que tem uma corcova nas costas… corcovado… marreca… amarrecado…

Delgado

74

amaste (2ª p.sing) embora

Delgado Delgado

74 75

ambos

os dois… um e outro…

Delgado

76

Ambrósio Bolotas de sobremesa… doces…

Delgado Delgado

79 79

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

como ‘a dos malteses’… ‘a do pé caiado’…

17
Delgado 79 79 80 215 80 81 82 82 Delgado Delgado Delgado Delgado

àmentar amentolia amesear ametade amezade amom amontar amontado amôre amori amôra amoreira amori

aumentar almotolia vasilha de folha, e forma cónica, para o azeite… Denunciar em tribunal… metade amizade amar montar amam…

Delgado Delgado

amor

Delgado

33 83 283 83

pilha de lenha em forma cónica que Delgado se queimam para limpar e adubar a terra com a cinza… amor Delgado

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

18

anaco ancarnado andar à unha andarilhas ande andègora onègora andês endês andi anéle anéla anéle anéla angraçado ângulas

ano naco encarnado

Cabrito de um ano… bocado de pão

Delgado Delgado

84 84

andar em desavença, desentendido andas onde ainda + agora pernas de pau… com apoio…

Delgado Delgado Delgado Delgado 88 88

O ovo que se coloca no ninho, para a galinha continuar a postura… andei anel

Delgado

89

Delgado Delgado 283

anel

Delgado

283

engraçado

que tem graça, chistoso, divertido… Delgado fase do’ jogo do eixo’, em que, ao Delgado

89 89

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

saltar, os rapazes ficam às cavalitas uns dos outros…

19
Delgado 89

anoitar noitar Anriques anteados antégora antes que entes que anti-parras

noite

Passar a noite, pernoitar…

Henriques enteados pedaços de pão que ficam na mesa depois das refeições… sobejos de pão que se não comeu… ainda Há pouco… sem que… ainda que

Delgado Delgado

90 90

anteagora antes que

Delgado Delgado

90 90

Polainas de couro ou pano grosseiro Delgado usado pelos cavadores para proteger as calças e evitar a entrada dos torrões nas botas… António (metátese) Ver variantes como. Tóino, Tonico, Toninho, Entóino… (não confundir com os hiporísticos, como Tói, Toíca, Lulú, Lela, Belita.. Impecilho, paspalhão, mono… Delgado

90

Antóino

91

antôno

Delgado

91

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

20

antontem ontontem antrar antre antri aonde adonde apardalado aparênça aparêinça aparrado aperreado aparvoeirado esparvoeirado apeiro chavelha aplanca

anteontem

Delgado

91

entrar entre entrei

Delgado

92

Delgado

estar neio adormecido, com sono, estremunhado… aparência aspecto exterior… ilusão…

Delgado Delgado

94 94

aparrado

apertado, cingido ao corpo…

Delgado

94

aparvalhado

Delgado

94

pedaço de madeira usado no arado Delgado onde se engata o tamoeiro ou apeiro… também se chama chaneca apalanca apalancar – cavar a terra para Delgado

169

94

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

aplancar apoisar apousar apresto arame

apalancar poisar pousar aprestar

destruir a ervas daninhas, como a grama e a junça… Delgado 94

21

Preparativos: cabretos, guizalhas, arreatas, rédeas de coiro, chicotes, molins… destinados ao gado muar… o vasilhame: tachos, panelas, cântaros… de cobre ou… que se expõe nas cantareiras das cozinhas alentejanas…

Delgado

95

arame

Delgado

95

àrção armas

acção as peças com que se arma uma gadanha… Coleira de picos para defesa dos cães… provida de jarguncos muito agudos Ernesto Aurora pernada de árvore para atapetaro chão ou colocar à frente da cabana

Delgado Delgado

95 96

Arnesto Àróra arquiz

Delgado Delgado Delgado

96 96 97

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

22
arrã arrabaça arrabaceiro rabaceiro arrabicha rabicha arrabolar arraiol arramada Arraúl arrebentar arrebulho arrecear arreceio
recear receio Raúl rebentar rã rabaça rabaça

para pendurar objectos… pequena cabana para arrecadação… Delgado planta umbelífera que gosta muito de fruta… que come fruta verde… Delgado Delgado 97 97 97

rabiça

Delgado

98

rebolar berlinde, belindre… casa onde dorme o gado…

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado embrulho Delgado Delgado

98 98 98 98 98 98 99

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

arreceber arrecolher arrecusar arrelhada arremelgado arrencar arretalhar arretinas arribana arrodeo artemage artemanha àrve àrven àsença

receber recolher recusar Raspadeira de ferro para limpar o arado escancarado, muito aberto… arrancar retalhar varicela choupana rodeio Arte de magia… manigância… objecto de grandes proporções… árvore

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

98 99 99 100 102 102 102 102 102 102 102 103 103

23

ausência

Delgado

103

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

24

àsência àsente asmeira assabão sebão assaganhar assantar santar assaria asseletrar assento de lavoura assinatura assombra assossegar assuada

ausente asma sabão Delgado Delgado 104 104

assanhar sentar

enfurecer, irritar…

Delgado Delgado

105 105

Romã grande e de boa qualidade, com bagos grossos… soletrar Não só o sítio mas tudo o que se relaciona com os trabalhadores e utensílios da lavoura… consentimento, concordância… sombra sossegar Arruaça, vozearia, apaupada

Delgado Delgado Delgado

105 105 106

Delgado Delgado Delgado Delgado

106 107 107 108

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

assuíce assubir astrever-se atabúa atanaz àtanção atarracar atégora atéi atêmar atenchão tanchão atanchar atenchar
até agora até Teimar (prótese) insistir, porfiar tenaz atenção Preparar a ferradura e o cravo batendo com o martelo para apertar… embutir… subir atrever-se ousar, afoitar… Planta da ribeira de caule comprido… usada para empalahra cadeiras… Delgado Delgado Delgado 107 108 108

25

Delgado Delgado Delgado

110 109 110

Delgado Delgado Delgado

110 110 111 111

Pau geralmente biforcado que se Delgado espeta no solo, para armar os currais ou bardos, onde se prende a rede… Espetar no solo…

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

26

tanchar atumbar avaluação avaluar avantal avelada
avaliação avaliar avental avelã bolota velha com aspecto enrugado… mulher evlha e magra com muitas rugas… … a ficar velha… provisão de alimentos, abastecimento… voar aborrecer auxiliar azeitona Espalhar… fazer ecoar… lembrar… Delgado Delgado 112 112

Delgado Delgado

112 113

avelada avio avoar avorrecer àxuliar azêtona zêtona azomboeirado

avelã

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

113 113 114 114 114 114

Indivíduo corpulento, desajeitado…

Delgado

114

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

azomboêrado azougada azougue babuja babuzita bacalhéu bacarona bacoreira bacorice bacina bagaja baia balamedes
bacalhau bácoro porco sujidade baba Rapariga muito viva, ladina, irrequieta… mercúrio íman – que tem propriedades magnéticas… babugem Delgado Delgado 115 115

27

Delgado Delgado Delgado Delgado

115 115 115 116

vacina bagagem Barrote ou tábua para separar as cavalgaduras utensílios de lavoura, de feitio grosseiro…

Delgado Delgado Delgado Delgado

116 117 117 118

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

28

balça balde

alcofa para levar o almoço ou merenda…

Delgado

118 118

grande forquilha – forquilhão - para Delgado ‘baldar’ a palha para as almenaras ou carros… - um copázio de vinho… Planta hortense da faília das potaláceas… Pequena vassoura de palha, de giesta para varrer as eiras ao de leve e juntar o grão desempalhagado… bailar baile bailar ‘está o balho aramado…’ Delgado

baldroegas beldroegas baleio

118

Delgado

119

balhar balho bàlháre bàlhara barbantão barbanto barbiano barcal

Delgado

119

Delgado

283

barbanto

Rústico, burgesso, alarve…

Delgado

120

pequeno estrado de madeira, em que o servente de pedreiro leva a argamassa…

Delgado

120

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

barqueiro barqueirada barquêrada barranhão barrenhão barranhoa barreleira barrelinho barrenha barros
barril barro

pedra grande pedrada… levas uma barquêrada…

Delgado

120

29

Tigela de loiça grossera, usado nos montes para servir os ganhões… para a açorda… banca de madeira para fabrico do queijo… queijaria Vasilha pequena… bilha de barro, bojuda, de gargalo estreito e com duas asas… Mulher da região dos barros… as regiões onde abundam os terrenos argilosos… barros vermelhos… barros de Beja… de Portel…

Delgado

120

Delgado

120

Delgado

120

Delgado Delgado

122 122

basar basaréu bassoira

vasar

deitar ou derramar um líquido para uma vasilha… pequeno vaso ou bacio…

Delgado Delgado Delgado

122 122 122

vassoira

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

30

bassoura bassôra bati-cova baúl bautizar boutizar baxa baxo belga Bértelameu bescoço béspera bespeta lembisca penisca bestigo

vassoura

Cova em terreno baixo… baú batizar

Delgado Delgado Delgado

123

123

baixa baixo

uma depressão de terreno…

Delgado

124

jeira, courela… pedaço de terreno cultivado separado de outras… mentira, patranha… Bartolomeu pescoço véspera Pessoa alegre… viva… divertida…

Delgado

125

Delgado Delgado Delgado Delgado

125 126 126 335

postigo

Delgado

126

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

vestigo bibra bicharraco bicheza bicosa bigote bisconde biscondessa Bítor bizorga blancia blencia bobedêra boer
melancia bigode visconde viscondessa Vítor Palerma, alarva, esparvante bicho víbora para designar qualquer coisa de que não queremos dizer o nome… valentia… inveja grande quantidade de bichos… bicharia… que tem má boca… esquisita no comer… Delgado Delgado 126 126

31

Delgado Delgado Delgado Delgado

127 126 127 127

Delgado Delgado Delgado

127 127 127

Bebedeira beber

Delgado

128

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

32

buer buber Bocais bolego boleta bolêta bolinhol brinhol boneca bordalho bordanada borondenga
bordalo borda bordoada bordão Bocage ‘os sonetos do Bocais’ seixo rolado bolotas (corruptela bolota da azinheira ou chaparro, de) para distinguir de (a)lândea a bolota do sobreiro, mais pequena e amarga... Pequeno bolo da amassadura do pão, que se frita em azeite e se polvilha com com açucar e canela… (ver brendêro e merendeiro…) Saliência no fundo da lareira, que é uma estilização da figura humana… no algarve. ‘sempre-noiva’. “espécie de peixe do rio muito apreciado”. (Barrancos) paulada… pancada com bordão… Bugiganga, ninharia… Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado MFlorencio Comeres_AFAl ves Delgado 129 129 129 102

129

129

130 130 130

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

borracho bóxa bóxudo brabasco brabeza brabio brabo brêço brendêro brinhol briol Bríssemo brunheiro brunho buano
Veríssimo abrunheiro abrunho braveza bavio bravo berço merendeiro

frito de masa de forma circular… os pombos novos… barriga barrigudo bravo, rústico, bravio…

Delgado Delgado

130 132

33

Delgado Delgado 132

133 Pequeno pão que se faz das sobras da amassadura… e se come à merenda… no fim da fornada… Delgado 133

bolinhol vinho

Delgado Delgado Delgado (aférese) Delgado

133 133 133 133

adubo preparado com restos de

Delgado

134

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

34

guano burda burnil burricalho burricalhinho burranquinho burro buzaranha cá cã cabaço cabedar cabedulho cabeceira çabola
cebola caber que a porque do que burro

matérias orgânicas… ovelha muito guedelhuda com muita lã…(Barrancos) palerma burro novo e pequeno… Delgado Delgado Delgado 134 134 134

Cavalete com dois ou três paus, apoio para cortar lenha… grande ventania, vendaval… ‘é mais baixo ca rapariga…’ ‘cas saudades que me tens…’ ‘sou mais alto ca ti… recusa de namoro… Calhar em sorte… Faixa ou banda de terreno, que limita um farragial… extremidade de uma leira de terra

Delgado Delgado Delgado

134 135 135

Delgado Delgado Delgado

136 136 137

Delgado

137

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

cação cachafundão cachola caderno cafêlo cagaita cagaiteira cagaiteiro cagulo cogulo caiado caiandeira caiadeira cais
cagular cagaita

estar em cação – ficar nu… um fundão perigoso num poço… fígado de um animal… Pachorra, paciência…

Delgado Delgado Delgado

138 138 138 140 140 140 140 141 141

35

Uma variedade de trigo (Barrancos) Delgado reboco… primeira argamassa ou caliça da parede… excrementos agarrados à lã do rabo… placa de anho seco… Que tem ou expela cagaitas… a tripa do rabo de qualquer animal… Que tem cagaitas… porcalhão, sujo… O que vai além da medida… Alturão, montão alto… Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

caiar

Serviço de caiar Delgado Mulher que faz o trabalho de caiar… Também se diz lavandeira e lavadeira… «um caje nada…» Delgado

141

quase

143

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

36

cáje cal calado do sol calafito calatrava calatravice calatróia chalaborda vinagrada gaspacho calcaburrada calcadoiro calcadouro Calecear
calcar calcar calatrava qual ‘cal é coisa, cal é ela…’ o melão com manchas que se atribuem ao calor… que tem caleira… Erva seca do campo para fazer um chá, bom para as insínias… Pessoa falsa, enganadora, vigarista… o acto do calatrva… engano, ludríbio, vigarice… comida mal feita e desenxabida… o mesmo que chalaborda… sopa fria de azeite, vinagre e alho… Delgado Delgado 143 144

Delgado Delgado Delgado Delgado

144 145 145 145 166

em conjunto… amalgamado… ‘foi tudo de calcaburrada…’ eira para debulha dos cereais…

Delgado Delgado

145 145

Mandriar, preguiçar… viver à custa

Delgado

144

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

calaceiro caleira melas calhabuz calma calmaria camalhão camalho galgueira cambói cambóio cumboio cambra municipal
comboio calma camalho calor?

dos outros… Doença que ataca meloais e melanciais… As melas são as manchas negras que aparecem nestes frutos… Moço pequeno, rapazala, garoto, catraio… (depreciativo) Calor (no Alentejo) grande calor… camalho grande… porção de terra entre dois regos… talhão… perguiceira… cama que se faz no chão para dormir a sesta… Delgado 146

37

Delgado Delgado Delgado Delgado

146 147 148 148

Delgado

148

Delgado

149

câmara

câmara municipal

Delgado

149

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

38

cameirão camila camilha caminheiras campanemente campaniça campeira campar campado campeira campaniça canabória canavoira canavoura

camelão

indivíduo desajeitado de corpo, mal feito… mesa redonda com uma saia e estrado para braseira… montão de raízes, folhedo e chamiços, que se juntam para serem queimados… que aconteceu bem… ‘o trabalho correu campanamente… do campo

Delgado Delgado

149 149

Delgado

149

Delgado Delgado 149 150 150

lograr, gozar, satisfazer-se, sentirse bem, comodamente, triunfar… lucar… ufanar-se… do campo

Delgado

Delgado

150

cebola albarrã (Barrancos) caule ou pé oco da fava pessoa alta e muito magra…

Delgado Delgado

150 151

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

cancelão canzelão candeio cando condo cangalhas canorça cancelão canseira cantáre cantára cante canto conto cantro

can

cão velho cheiod e mazelas… Estafermo, coirão, pessoa magra… flor da oliveira… ir à caça com cadeio…

Delgado

151

39

Delgado Delgado

151 151

quando

armação, geralmente em madeira, em que se sustenta a carga das bestas… can cancelão… cão ou besta velha sem préstimo… trabalheira cantar

Delgado

154

Delgado

151 154

Delgado Delgado 283

canto alentejano quanto canto- conto - quanto custa isto?

Delgado Delgado

154 155 155

cãntaro

Delgado

155

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

40

caquêro caqueirada carabulo carcachada carcavão cárcele cardal carepa careto careza carnagão carreteira

caco

vaso tosco de barro… os restos que se deitam fora com o caqueiro, como fezes… maçaroca do milho… rir às gargalhadas… Grande barranco cavado pelas águas

Delgado Mflorencio Delgado Delgado Delgado Delgado

156 104 157 157 157 157 157 158 158 158 159 161

carolo

carcere ir para o cardal… ser levado para o cemitério… caspa (cabelo) carepa de alhos – casca de alhos espécie de cachimbo… carestia carne

Delgado Delgado Delgado Delgado

Carnicão ou carnigão… a parte mais Delgado dura d certos tumores… Caminho provisório em terra de poisio ou restolhice para encurtar o caminho dos carros para a eira… Delgado

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

carro toldado carro da pipa casante casão cascabulho casqueiro casquelho catacuz catracego catrefa caterva catrimpácio Catrina
catacego caterva casca causa

Carros de parelha de bestas para Delgado transporte de pessoas… o carro que leva a água para a debulha… ou vinho para as festas… Que ou aquele que causa… armazém Delgado Delgado

159

41

161

cobertura da bolota… (depreciativo) Delgado rapazola… catraio… Pequeno pão de farinha de trigo… pedaços de tekha velha planta herbácea que se usa como os espinafres… nas spas de grão… feijão com bacalhau e arroz… que tem pouca vista… de vistas curtas… multidão… corpo de tropas… esquadrão… batalhaõ… lLivro grande antigo… calhamaço… alfarrábio… Delgado Delgado Delgado

161 161 161 161

Delgado Delgado

162 162

cartapácio Catarina

Delgado Delgado

162 162

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

42

cavalharice cavalhota cavandela cavilosa cêfa cêfar cegonha cenrada encenrada chafranada chalaborda calatróia vinagrada gaspacho chalaborda

cavalo cambalhota

cavalariça… cocheiro

Delgado Delgado

163 163 163 163 166

Queda… engano…logro… embuste… Delgado só me faltava mais esta cavandela… Ruim… malvada… ceifa ceifar ave pernalta… Engenho tosco para tirar água dos poços… Barrela com cinza em água a ferver para tirar nódoas… Azáfama… estrafuna… lufa-lufa comida mal feita e desenxabida… o mesmo que chalaborda… sopa fria de azeite, vinagre e alho… Delgado Delgado

Delgado

164

Delgado

166

Delgado Delgado

166 145 166

comida mal feita e desenxabida… o mesmo que calatróia…

Delgado

166

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

calatróia chamiceiro chamiço chana chaneca chavelha chapada chara xara charaval charaz xaraz charaviscadela charaviscar charaviscais herdades malatecas
o que vende chamiços… chamiça, esteva, xara… lenha para aquecr os fornos… Esquadra da polícia… cadeia Delgado 168

43

Delgado

168 169

Pedaço de madeira usado no arado Delgado onde se engata o tamoeiro ou apeiro… também se chama chaneca Terreno numa encosta ououteiro… bofetada… orelhada esteva

168 168

Campo onde abundam as estevas

Delgado

168

busca… mexericadela mexericar… revolver…

Delgado

169

pequenas herdades… terreno estéril Delgado e improdutivo onde abunda a xara (esteva) depreciativo… v. Mflorencio

295 109

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

44

charaviscais

charifa charoqueira charoquento charraguaço charroco xarroco xarouco chavelha chavelho chêa cheringa chibi-chibi
cheia sargaço

Vagina de certas fêmeas: burra, vaca, mula, cadela… ventania fria e cortante do sueste o que tem ou anda com charoco… friorento… siroco ou vento do Sueste… ter ou estar com maus aspecto… Peixe do rio de beiços grossos

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

169 169

169 169

Pedaço de madeira usado no arado Delgado onde se engata o tamoeiro ou apeiro… também se chama chaneca chifre de corno de boi… Cabeça… toutiço… Delgado Delgado Pessoa muito económica… avarento… jogo de esconde esconde… Delgado Delgado

169

170 170 170 170

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

(Barrancos)

chigar chuvisnar chuveniscar cilindra cincho citula clina cobra cocharro coxarro cocharrada côcho coxo cocharro coxarro
crina Grupo de animais que se prendem com a corda (cobra) pra debyulhar os cereias… fazer o trilho… copo ou vasilha feita de cortiça… Acaso… raridade… chuva chuvisacar Planta ornamental que dá uma flor branca em cruz…

Delgado Delgado

170 171

45

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

171 171 172

172

Delgado

172

malga feita de cortiça… utensílio…vasilha..

Delgado

221

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

46

colar colhostres calhostros com que ele coma comedias comenda comprimentos comtemplação concertar-se conduto confique cónhar
cumprimentos como comer colostro

Saltar…passar o colo… saltar a parede…

Delgado

173 147

o primeiro leite após o parto… Delgado leite aguado e purgativo de animais logo após o parto… Com que então… pelos vistos… Como tu… como a ti… Levar as comedias ao pastor… Monte ou herdade junto da raia… que era dado a um nobre pqara dfesa… Delgado Delgado Delgado Delgado

174 174 62 174

Delgado admiração… ter comtemplação por alguém… ou não ter por niguem… ajustar-se combinar… assoldadarse.. o que se come com o pão… desconfiar… Varrer a eira com vassoura de Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

178 180 179 179 179 188

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

cuanhar conrespondêiça contia contivar conto contrária convidado convinde cõprir comprir corage corchão corenta coresma
quarente quaresma convidar cumprir correspondência quantia cultivar quanto

lentiscos… Delgado Delgado Delgado quanto a rival no namoro… Gratificação, oferta, presente, lembrança, gorjeta banquete ou acto de convidar para… Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado 179 180 180 180 181 182 182 178

47

coragem

Firmeza… energia diante do perigo… Delgado intrepidez… Lenço de seda que as camponesas usam ao pescoço… Delgado Delgado Delgado

183 183 183 183

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

48

corgo corna corredoira corriol corto corunchoso costas cramear a lã craridade creditar creminar crenço criação
claridade acreditar criminar cortado corno

regueiro ou sulco de água Recipiente feito de corno cortado nas pontas… trabalhado pelos pastores… mercado ou feita de animais… Planta herbácea… verdeselha

Delgado Delgado

183 183

correr

Delgado Delgado Delgado

184 185 185 185 185 186 185 186 187 186 187

Hortejo vedado com canas Bolo de farinha de trigo, açúcar e ovos… pela Páscoa…

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

atribuir um crime… acusar…

Delgado Delgado

aquele tem uma boa criação… educação…

Delgado

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

crianço crioso cuása cuátela cuáletro çucena (a) cudar cumbres cunca çupreste cepreste Custóida dálida dálido daquênada
cipreste cautela cauteleiro açucena cuidar curioso

criação de abelhas… (em Barrancos) Amador… criador… curioso… amigo de criar alguma coisa… inventivo… por causa de… cuidado… precaução…

Delgado Delgado Delgado Delgado

187 187 188 188

49

lírio branco imaginar, supor, julgarsuspeitar, ter cuidado… cerro, outeiro… Queijo pequeno… s. fem. Duas ceprestes num val…

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

49 188 189 189 189

Custódia dália planta e flor semelhante à flor da dália em breve… não tarda

Delgado Delgado

189 189

daqui a nada

Delgado

190

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

50

dar cabaço dar créto dar de corpo de drêto de em par de de nação de sorte de supo defina deixar a pão e laranjas delir dem pé
crédito

recusar… dar o não… recusa por parte da moça ao pedido de namoro… dar crédito… acreditar… Defecar… obrar… expelir matérias fecais… (abaxar-se… agaxar-se) de justiça… de razão… a par de… ao lado de… à beira de… de nascença… de nascimento… Creio nisso… certamente

Delgado

191

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

191 192 196 196 198 206

guisado feito com sangue de porco, fígado, bofe e moleja… deixar sem conserto… castigo exemplar… Apodrecer… desfazer-se por apodrecimento… de pé… em pé

Delgado Delgado

196 197

Delgado Delgado

198 198

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

demasia dês que desafiuzado desalumeia desalvorar desbrugar esbrugar desbulha desbrulhar descampado descampar escampar desconchavado esconchavado descrição
desarvorar debulhar desde que

Troco… aquilo que sobra…

Delgado Delgado

198 207 200

51

desenganado… que age sem confiança… sem esperança… sem fé… cegar… estontear… abalar à pressa… desordenadamente… pelar… tirara a casca…

Delgado

Delgado Delgado Delgado

200 200 200

debulhar

Delgado

200

deserto… abandonado…

Delgado

201 201

Serenar o tempo… deixar de chover Delgado

Que está muito aberto… deformado… indiscrição… não tem descriçaõ por

Delgado

235

Delgado

202

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

52

coisa nenhuma…

desempalhagado

baleio desenfeliz deserto desfêta desframilar desluzido desmaginar desmancho amanhar desnoca desnocar despampanante
infeliz

Pequena vassoura de palha, de giesta para varrer as eiras ao de leve e juntar o grão desempalhagado…

Delgado

119

Delgado Ter mau aspecto… mal encarado… Desconsideração… ofensa moral… injúria… ultraje… desfiar (tecido)… Que não tem brilho… que não abonda… que não chega a nada… Desiludir… desenganar…dissuadir… afastar ou tirar da imaginação… Distenção muscular… aborto… Amanhar a coluna ou ossos desalinhados… desbaste… corte… Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

204 204 204 205 205 205 205

Delgado

206

extravagante… desconcertante…

Delgado

206

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

mirambulante…

desplicar desque dessestão dezestão destronchar devertir adevertir divertimento advertimento devina devinal dezer didal dòctore doctôra dôje

explicar dizer Dizem que… diz-se

Delgado Delgado Delgado

206 208

53

podar, limpar as árvores… divertir

Delgado Delgado

244 209

divina divinal dizer dedal doutor

Delgado

209

Delgado

210 211

Delgado

283

dois

Delgado

212

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

54

dôs dous drento dreta drêto drête drêto dromir drome duraiza Êcalitro acalitro ecalitral ecalitro calitro calitral eirinhos
eucalipto dentro (metátese) direita (metátese) Direita direito Delgado Delgado MFlorencio 212

106

direito Dormir (metátese)

recto, plano, aprumado, íntregro… conforme a lei… dorme

Delgado Delgado

198

Frutos de casca dura… nozes…

Delgado Delgado MFlorencio

213 213 106

miolos; sentidos

Delgado

213

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

em companha embelgar embelgador embelicar embicar embigo embrechar embrechado embrulho emmendar empéiro emperador empestor emportante

em companhia Dividir um terreno em regos paralelos… correr a direito… aquele que sabe embelgar, lavrando regos paralelos…

Delgado Delgado

215 214

55

Delgado Delgado Delgado arranjar grande sarilho.. coisa complicada… engano… ‘ir no embrulho’… = ser ludibriado… emendar império imperador impostor importante Delgado

215 215 215 215

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

215 225 217 217 217 217

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

56

empreita emprender empresso Enácia enavoado encabeçar encabreima encabrunhar encanto enconto ençarrado encenso enchapota encharnicar-se encharnicado
enquanto impresso Inácia enevoado cabeça

Tira de esparto para fazer esteiras… Delgado capchos… alcofas… Reconsiderar… meditar… Delgado Delgado Delgado Delgado calcular quantos porcos se podem engordar num montado… passar uma corda da cabeça à pata para prender o gado… Delgado Delgado

217 217 217 225 225 220 220

Delgado

220

encerrado incenso lenha seca… restos da poda… Irritar-se… enervar-se…

Delgado Delgado Delgado Delgado

220 220 221 221

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

encocharrar endorinha enfecelhar enfiel enga engar-se em enga engalinhada engalinhar-se engonhar engraecer engratidão engreija egreija
v. gradar e engradecer ingratidão igreja infiel andorinha

Tomar a forma de um cocharro (cocharro)

Delgado Delgado

221 221 221 222 222

57

Enfecelhar os olhos… cerrar… fechar… desleal, traiçoeiro… andar à enga… andar à pesca de cravar alguma coisa… um jantar… apegar-se… apropriar-se… Ver. Ficar d’enga… abrir umprecedente… inovar Enregelada… tolhida de frio… (ter as mãos entinhas… geladas…) trabalho demorado… Formar grão, formar semente maior, mais grada…

Delgado Delgado Delgado

Delgado Delgado

256 222

Delgado Delgado Delgado Delgado

223

223 223

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

58

ingreja engrolar enjacas enjarócado enjoelhar enjôjo enlangariçar enlemento enlucar enlucado enlusão Ennácio ennemigo ennocente
ilusão Inácio inimigo inocente enjarócar ajoelhar mal ajeitada… deselegante… mal feita… sujar com gordura…engordurar… alimento… função Sujar de fezes… ludribiar, enganar… alforge que se usa de través no dorso das cavalgaduras… mal feito… sem jeito… Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado 224 224 224 224 224 224 224 225

Delgado Delgado Delgado Delgado

225 262 226 226

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

Enrene enrengar a enricar ensampado ensestão insestão enteiramente entenguido enterior enternidade enterno entes entes que entiga entigamente

Irene rego rico começar a… enriquecer

Delgado Delgado Delgado Lobato MFlorencio Delgado Delgado

227 226 227 106 227 227

59

estupefacto, admirado, pasmado... indigestão

inteiro

inteiramente Tolhido com frio… inteiriçado…

Delgado Delgado Delgado Delgado

228 228 228 228

interior eternidade eterno antes antes que antiga antigamente de preferência, pelo contrário…

Delgado Delgado Delgado Delgado

229 229 229 228

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

60

entigo intigo entoiçadinho entoiçar entoiçadinho entrecama entregues entretenga entroviscar-se envaída envaimento envair enveja enverdecer envicionado

antigo antigo a recuperar de enfezado… agora gordinho e de boas cores… a engordar… recuperar… Delgado Delgado M MFlorencio Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado 229 106 229 320 392 230 230 230

guarda-cama, rodapé da cama… … tipo de trabalhadores de uma herdade… (v. ócharia / ucharia) entreter trovão entretimento… entretenimento… discutir em altas vozes… fazer trovões… Seduzida, enganada… Sedução, engano… Seduzir, emganar, embair… inveja verde tornar-se verde.. rejuvenescer… viciado, muito interessado em…

Delgado Delgado Delgado

231 231 232

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

enxerto enxógar enxogado enzame enzaminar enzemplo enzol izol ersipla escagaitar-se a rir escaleras escaleto escalfa escalhavarda
escadas esqueleto enxaguar

Apanhar um enxerto… apanhar uma Delgado sova.. foi malhado… “foi exogado”levou pancada… Delgado Mflorencio Delgado

232 232 106 232

61

exame examinar exemplo anzol

Delgado Delgado

232 233

Doença que deixa marcas avermelhas nas crianças… Rir muito… escangalhar-se a rir…a bandeiras despregadas…

Delgado Delgado

233 233

Delgado Delgado cansaço, estalfa… estouvada, bricalhona… Delgado Delgado

233 233 233 233

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

62

escalmorrado escanefechado escaraoantar-se escarcéu escarchar escarepantar-se escarapentar-se escarravanchar esconchavado desconchavado esconderelos escorrilho escotinho escrófula alporcas
scrofula

encalmado… com muito calor… justo ao corpo… «vestido escanefechado…» alvoroçar-se… barulho, estardalhaço, banzé abrir demasiado… muito irritar-se, alvoroçar-se, zangar-se…

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

233 234

234 234 234

montar com as pernas, uma de cada lado… Que está muito aberto… deformado… Bricar aos esconderelos = bricar às escondidas… (jogo infantil)

Delgado Delgado

234 235

Delgado

133 235 235 235

Almece aguacento… o que escorre… Delgado Borda do pão tumor… que pode ulcerar… Delgado Delgado

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

esframilar-se esfrunhar esgambeirado esgrouviado esgruvinhado esgruvinhado esgrouviado esmangaritar esparrela esparvoeirado espengarda esperecer esperecida espernegar os

scrofula esfulinhar

desfiar-se, rasagar, desfazer aos bocados varrer, vasculhar… limpar teias e lixo antes de caiar Torto, (d)esconchavado

Delgado Delgado Delgado

235 235 235 235

63

grou

desgrenhado, despenteado… magro Delgado e alto como um grou… desgrenhado, despenteado… magro Delgado e alto como um grou… estragar, destruir… armadilha para pássaros… cilada, logro, engano esparvoado Delgado Delgado Delgado Delgado Enfraquecer, definhar, emagrecer, debilitar… estar sem alento… debilitada… abrir muito, escancarar os olhos Delgado Delgado Delgado

grou

235

235 236 236 236 236 236 236

espingarda

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

64

olhos espernicão pernicão espiche estâmago estâmego estambo estambo estâmago estâmego estâmego estâmago estambo estanheira
espernicar pernicar beliscão na perna… Delgado 236

pernicar estômago

pontapé na nádega de outrem…

Delgado Delgado

237 237

estômago

Delgado

237

estômago

Delgado

237

estanho

Prateleira ou poial, nas cozinhas do Alentejo, onde se arrumam os objectos de ‘arame’, cobre, zinco, estanho… estar cheia, repleta, completa… Estar em conflito, discussão…

Delgado

237

estar atunhada estar de laneiro

Delgado Delgado

239 240

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

estarolado Esmiolado desmiolado estilo estio estornejada estraçoar estrafegar estrafegar estraçoar estrafuna estrafuna estralar estrampolida strampolida estramporte

tarola

Que não tem tarola… não tem juízo certo… esmiolado, tresloucado…

Delgado

242

65

… à moda de… estilo d moda: ‘meu lírio roxo…’ ‘estar de estio’ = estra vazio, que nada comeu ou bebu… com fome… emborcada, caída por terra… retalhar, estraçoar, cortar em pedaços… retalhar, estraçoar, cortar em pedaços… Azáfama… estrafuna… lufa-lufa Trabalho, afã, tarefa, actividade… estalar dar est(r)alos… ‘estrala a bomba…

Delgado Delgado Delgado

243 243 243 243

Delgado

243

Delgado Delgado Delgado

166 243 243 243

que faz estrondo, barulho, estrépito Delgado

transporte

Delgado

244

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

66

estravanguilho estrefegão Estremores estrequêra estrequêra estrochar estrovo estruído estruir esturreira fácie faice fager faia faianca
fazer estrovo destruído destruir Estremoz esterqueira

puxo da charrua Arrepelão, apalpão, refelão, empuxão.. cidade de esterco, estrume estrumeira podar, limpar as árvores… Embaraço, obstáculo, impedimento

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

244 244 244 244 244 244 244 244 245

Ao calor do sol…

Delgado Delgado 245

Delgado Delgado Delgado

249 245 245

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

faláre falsedade familha fanchona faneca fanega fantesia fantesia farfalheira farragial cabedulho cabeceira farrapão farrejo

falar falsidade família … descendência… linhagem… vaidosa – “A Anica vem toda fanchona!” medida de 60 litros de trigo (Barrancos)

Delgado Delgado Delgado MFlorencio Delgado Delgado

283 246 246 107 246 246

67

Delgado fantasia Delgado Delgado Faixa ou banda de terreno, que limita um farragial… extremidade de uma leira de terra farrapo maltaprilho, indíviduo coberto de farrapos… cevada que se ceifa verde para dar ao gado… Delgado 247 246 137

Delgado Delgado

246 247

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

68

farrobêra farroupete fartanga fávrica fazenda felor felorido feneza fermosura fermoso fremosura fremoso ferroba fertuna feturar fiturar

alfarrobeira porco novo que ainda não tem seis meses fartança fábrica propriedade rústica flor florido fineza formosura formoso Fartura, abundância

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

247 247 247 248 248 253 253 253 255

alfarroba fortuna futurar

Delgado Delgado Delgado

247 255 255

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

fezes ficar testa firir firida flaita frauta flaitada folha de uma herdade fona fonção fôre forfe forfo forras

ideias… crença… problemas… – “É só fezes… Tenho cá… A massa do pão que ficou dura

Delgado MFlorencio Delgado Delgado

255 107 257 257

69

ferir derida flauta

Gaita ou harmónio de biços

Delgado

257

Delgado Terreno plano Delgado

257 257

Delgado função for fósforo “boda, casamento” Delgado Delgado Delgado

258 258 283 258

o gado diferente que o pastor guarda com a manada do patrão…

Delgado

258

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

70

forroupo fraguelheteiro francelho franhera frasca frascal frega da calma rechina da calma fruita fuge fundalhos fundilhos fuzilêra
fruta foge fundo fundo fuzil

porco novo que ainda não tem seis meses bricalhão, jovial, alegre peneireiro, gavião farinheira bolo caseiro para casamento… (Calvos) meda de cereal para ser debulhada “hora do maior calor…” v. “rechina da calma”

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado MFlorencio Delgado

247 258 258 258 258 259 107 259

Delgado imp. de fugir restos que ficam no fundo Remendo nas calças bolsa de pano para a espingarda… Delgado Delgado Delgado Delgado MFlorencio

259 259 259 260 260 107

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

gádeia

(andar à)

Andar na brincadeira… planta de caule tenro de flor arrocheada… pequena ferida… farpão pequeno galo na cabeça…

Delgado Delgado Delgado Delgado

85 261 261 261 261 261 261 261 262

gaimão gaiva galaroiço galgueira galhofa galhofento galioso galo

71

cama de esteira de buinho… para se Delgado esperguiçar… motejo, gracejo, risada… o que faz galhofa bonito, airoso, jeitoso, formoso, belo… galo – ave pequeno inhaço na cabeça galo de laranja galo de romã galo de melancia Delgado Delgado Delgado Delgado

gamboa gancha ganfar

Delgado Delgado Delgado

262 262 262

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

72

gangão ganhão garfas gargalejo garganhol garrano garrocho garupa gaspacho gaspacho calatróia chalaborda vinagrada gavanço
gabanço v. vinagrada e caspacho gargarejo pequeno enxame de abelhas gorgolejo Pescoço… garganta… cavalo novo… poldo ou potro…

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

262 262 264 264 264 264 264 264 264

arrocho… pau curvo para apertar as Delgado cargas das bestas… Pele de bode… para enfeitar as bestas… iguaria com 72ão, água fria, azeite, vinagre, legumes… comida mal feita e desenxabida… o mesmo que chalaborda… sopa fria de azeite, vinagre e alho… Delgado Delgado

Delgado

145 166

gabar

Delgado

264

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

gavar-se gavazola gabazola gazil gazito gazopo Girolmo goro gorpelha gorpelhada gramozilhos grevata grisa griséu grulha Gudiana (a)

gabar-se gabarola

Delgado Delgado

264 264

73

esperto, vivo… brilhante… piolho cão de rebanho… rafeiro novo… Jerónimo gorar golpelha Golpelha cheia gambuzinos… gravata fome Ervilha grada O que não é leal no jogo guadina a ribeira - a Guadiana ovo goro – o que não deu pinto

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

265 265 265 266 266 266

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

267 268 268 268 268 56

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

74

o rio – o Guadiana

gulipona guloseira gulosice gurnir herejia hôis hôis home homi hortalã impida incerrar Incesso encesso

glutona guloseima gulodice grunhir heresia hoje hoje homem

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado MFlorencio Delgado de impedir Delgado Delgado Desmando, violência… redundância… Delgado

268 268 268 268 272 358 282 272 108 272 273 273 273

hortelã impeça encerrar excesso

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

infundiçar infundiça infundice Ingriça interado jaleco jama jâncaro jângaro jangada jaqueta jaronda jeronda jarondice Jasuino
jaronda Jesuino gema Engrácia inteirado

Fazer barrela de urina para roupa suja… Barrela de urina em que se põe a roupa de molho para de pois se lavar com mais facilidade…

Delgado

273

75

Delgado Saber o que se passa Casaco curto semelhante à jaqueta Delgado Delgado Delgado Pequeno seixo de pedra lisa… Delgado

273

278 278 278

Arado com varais para uma besta… para embelgar…

Delgado Delgado

278 280 278

porca criadeira; bácora… porca mulher enxovalhada… de porte duvidoso Imundice, sujidão, sujidade

Delgado

Delgado Delgado

279 279

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

76

jasuita jazido jentar Jerólmo jogáre jogára Jóquim Jórzina Josei Zei jum labaça lambaça labarito labastro lagartear

jesuíta jazigo jantar Jerónimo jogar jazida de minério

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

279 279 279 279 283

Joaquim Jórgina José

Delgado Delgado Delgado

280 280 280

jejum lábia, paleio

Delgado Delgado

280 281

labarinto… tumulto, alarido alabastro movimentar-se… arrastar.se

Delgado Delgado Delgado

281 281 281

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

lambança labaça lambarêra lambeirão lançol lândea alândea boleta bolêta larada larica larida Lárita larói Lárua laruça
Laura Laurita lambareira

lábia, paleio

Delgado

281

77

tagareleira. Alcoviteira Delgado dar ao lambeirão – tagarelar… dar à tarmela Delgado Delgado MFlorencio Comeres_AFAl ves Delgado Delgado Delgado Delgado Fadista, rufia, mariola, rambóia (metátese) Cabeleira crescida e mal cuidada Delgado Delgado Delgado

281

lençol bolotas (corruptela bolota da azinheira ou chaparro, de) para distinguir de (a)lândea a bolota do sobreiro, mais pequena e amarga... porção de fezes aguada fome barulho, algazarra, sarrabulhoa

282 129 102

282 282 282 282 282 282 282

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

78

Latério lavajar-se lavara lavadêra lavareda Leanor lecença lember lembisca penisca bespeta lendroal lendroeiro lête libardade libradade

Eleutério lavar-se lavar Lavar-se ao de leve…

Delgado Delgado Delgado

282 282 282

labareda Leonor licença lamber

Língua de fogo…

Delgado Delgado Delgado MFlorencio Delgado

284 284 284 108 286 335

Pessoa alegre… viva… divertida…

Delgado

loendral loendreiro loendro leite liberdade

Arbusto de cheiro intenso

Delgado

286

Delgado Delgado

285 287

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

lidar lidação liorna lismos listrado lõis lojeiro machacoco maioral moiral
limos listas longe

Conviver bem com alguém…

Delgado

287

79

Fora do lugar… desordem, confusão… lodo

Delgado Delgado Delgado Delgado

288 288 288 288 289

lojista, empregado de loja alarve (Amareleja) pastor chefe… “Maioral” era o primeiro pastor de cada rebanho. Havia tantos maiorais quantos os rebanhos. “Ajuda” era o segundo pastor do rebanho.» de pouca monta mal feito Modo vago de dizer que alguém tem doeça que se desconhece…

Delgado Delgado Delgado Hernâni Matos*

mais somenos mal enjarocado mal parvo

Delgado Delgado Delgado

294 295 296

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

80

malatéca malatecas charaviscais malhada maliar man canha canhota managite mandado Manel mangação mangas aguilhões mangrosso manhêm
manhã Manuel pop. mão esquerda

pequenas herdades… depreciativo… v. charaviscais

Delgado MFlorencio

295 109

cabana do pastor - não as ter na malhada… com ideias dispersas… abortar

Delgado

295 Delgado 296

meningite recado… tarefa…

Delgado Delgado Delgado Caçoado, zombaria, escárnio, troça, Delgado mofa. Faixas de terreno longas entre vizinhos… raquítico, corcunda, enfezado Delgado

295 296 296

296

Delgado Delgado

296

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

maniar mánica maniento mão furada marafado maravalho maré margaça margens maroiço marrafa marrão

mania máquina vaidoso demónio… ver fradinho da mão furda… raivoso, danado feitio… “… sem talho nem maravalho…” – sem forma nem feitio… ocasião, oportunidade… planta forraginosa, diferente da marcela… Regos mais fundos na lavra… para escoamento… monte de pedras… na lavra… Certo penteado porco desmamado

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado MFlorencio Delgado

297 297

81

297 297 109

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

299

299 299 299 299

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

82

marteleiro martíiro martle martilizado martuço martunho martunheira más màs massarulho masseirão mastro mastrola matador matinada
matar masseira martírio mártir

ruim caçador…

Delgado Delgado Delgado

299 299 300

mastruço

baga do mastruço… arbusto que dá martunhos ou mmartuços…

Delgado

300

mais

Delgado MFlorencio durão, inchaço, tumefacção… m. grande poste alto para as festas… (tradições dos Santos Populares S. João, S. Pedro…) engano… matrafice Delgado Delgado Delgado

300 109 300 300 301

Delgado

301 300 301

Colchete que as senhoras usam nas Delgado blusas ou saias… canto de matinas… madrugada… Delgado

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

ruído…

matrafice matrafícios mazarulho mê filho meda medura melata melato melhadura molhadura melharuco
abelharuco or. obscura or. obscura

artimanahas… bruxarias

Delgado

301

83

inchaço meu filho Montão de molhos de cereal… medida: mil quilos de azeitona carneiro (v. malata e malato) carneiro (v. malata e malato) Gorjeta, gratificação, espórtula

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

301

301 302

302

abelheiro… pássaro que se alimenta Delgado de abelhas ter melharucos na cabeça… ideias parvas… preguiça Delgado

302

melura amarela menancolia

mole

302

melancolia

Delgado

302

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

84

merencoria menza mênza mercar metêssi metetes migalheiro Miguéle Miguéla Miguéle Miguéla mijar mijo mijaneira mijaloso milhano milhor
melhor urinar urina vontade de mijar que mija muito Milhafre, ave de rapina, peneireiro Miguel mesa Delgado MFlorencio comprar no mercado ou… metesse carantonhas… “fazer m.” mealheiro Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado 283 304 302 109 303

Delgado

283

Delgado

304

Delgado Delgado

304 304

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

mimóira minino missão mitra moceira mocho moenda moenga moer o sentido móis moleja molhelha molim malim

memória menino missa demorada coelho velho Porcaria, sujidade… Banco sem pernas… de um tronco… v. moenga v. moenda

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

305 305

85

305 305 305 306 305

conjunto de peças que servem para Delgado moer…trabalho aborrecido… Conjunto de peças que servem para Delgado moer… “Tal ‘tá a moenga hein!” (Mas que maçada… sarilho!) cansar, fatigar a memória Delgado Delgado guisado feito com sangue de porco, fígado, bofe e moleja… casta de uva branca almofada em que assenta a canga (molhelha, no algarve) Delgado Delgado

306 306 196 307

moles

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

86

molim malim monda mondar mondadeira montado nas leis monte alentejano montraste montrasto monturo moral moreia morengos (andar ós)
mentastre mentastro

casta de uva branca almofada em que assenta a canga (molhelha, no algarve) limpar um terreno das ervas daninhas

Delgado

307

Delgado

307

bem apoiado nas leis

Delgado

308

casa da herdade

Delgado

308

espécie de hortelã… “entre silvas e montrastes…” monte de estrume ter jeito ou ter arte…

Delgado

308

Delgado Delgado

309 308 310 85

monte de lenha e terra para fazer o Delgado carvão andar à sorte Delgado

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

morzelo mucharro munta murde-fuga morte-fuga murraça murta murtado nã na ai na dá a mão na diz coisa com coisa na paras em ramo verde
multa multado muita morder

triste… adoentado carapau médio

Delgado Delgdo Delgado

310 310 310 311

87

pequeno insecto que pica e faz muita comichão… que foge da morte… lixo

Delgado

Delgado Delgado

311 311

não não há não liga ao que lhe dizem não sabe o que diz

Delgado Delgado Delgado Delgado

313 316 313 316 313 316 313 316 313 316

não está sossegado – não consegues estar parado

Delgado

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

88

na paras na canastra nã paras quedo na quer as sopas nação nasção nacedio naifa nalgas não estar com grandes à-decores não me faz conta narcença
nascença nascimento

não está sossegado – não consegues estar parado não está sossegado – não consegues estar parado não consegue

Delgado

313 316 313 316 313 316 312

Delgado Delgado

“…este dote é de nação!”

Delgado

nascedio knife (ing.) nádegas

nascente faca, navalha

Delgado Delgado Delgado

312 312 313 314

Não estar com grandes considerações…

Delgado

não me interessa…

Delgado

314

Delgado

312

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

nasção nação nêncio nenguém nenhum nenguém neque tá nhor – nhora nomi noute nubrado nuve o covér ócharia ucharia

nascer

Delgado

312

89

néscio ninguém nenhum ninguém

Ignorante, parvajola, demente…

Delgado Delgado Delgado

317

319

onde está senhor senhora nome noite nublado nuvem o que houver conjunto de trabalhadores de uma herdade: ganhões, almocreves, maiorais… pastores… ajudas de porcos, gado lanígero, muar,

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado 320 319 320 320 319

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

90
ôdre oficiente Ofrásia ogano hogano ógar Ógénia olha olhamento oliva onteágóra ontredia esseontrodia opinioso
opinião oliveira Eufrásia hoc anno útero

cavalar, bovino; ajudas, entregues, hortelões, rabadão para designar o órgão onde se gera o feto… suficiente… Delgado Delgado Delgado este ano (Barrancos) Delgado 320 320 321 321

augar Eugénia

salpicar com água

Delgado Delgado

321 278 321 321 32

sopas de toucinho oferta, gorjeta, lembrança…

Delgado Delgado Delgado

há pouco tempo outro dia

Delgado Delgado 321

que dá um parecer…

Delgado

321

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

oração da oliveira orear òrégos orelhada os mais osservar otro ovelhas de ventre óvera óvintes pacato pachorra pachôvada
paciência outro arear orégãos

Porção de terreno junto ao pé da Delgado oliveira que a charrua não consegue lavrar… é depois cavado com a sachola… enxugar… tornar seco… Delgado Delgado bofetada na cara… os outros… a maioria… fazer as pazes… reconciliar-se Delgado Delgado Delgado Delgado as que estão destinadas a criar… Delgado

183

91

322 322 322 322 322 323

havia ouvintes sossegado

Delgado Delgado Delgado Delgado 323 323 324

palavrão, asneira

Delgado

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

92

pagar as favas pago paiola paiolo palaio palaiote palhuçada panal pan-degalinha pães-de-galinha pandelero pandilha pandorga panzoeiro panedrada
pão paneleiro paio

Atribuir as culpas a… mercado… “ir ó pago…” (Mina de S. Domingos… quando se recebia, parte ficava logo no mercado…) parvajola, aparvalhado

Delgado Delgado

324 324

Delgado

324

Enchido… paio pequeno

Delgado

324

palhuço pano

monte de palhuço toalha branca que cobre o tabuleiro do pão que vai ao forno Espécie de verme mole…

Delgado Delgado Delgado

324 324 324

maricas tratante, mariola, patife… barrigudo, palerma, alarve o que come muito pão

Delgado Delgado Delgado 324 325

pedrada

Delgado

324

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

paneira paneiro panito pantaralha panzoeiro pandorga pão papaloisa papalousa papéle papéla papéles papôlha pempolha
papel pão pano

Tabuleiro de madeira para lavar a roupa vendedor de panos pão pequeno pano pequeno fantasma, 93ergu-homem (Barrancos) barrigudo, palerma, alarve

Delgado Delgado Delgado Delagdo Delgado

325 325

93

325 325

seara de trigo… molhos… A seara; os molhos que vão para a eira; o trigo. borboleta, mariposa…

Delgado Comeres_AFAl ves Delgado

325

325

Delgado

283

papéis papoila papoula

Delgado Delgado

325 326

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

94

pimpolha parcer parecer parihuela paviola parvidade parvoeira passado pássaro bisnau pastanas pastor
pestanas Guardador de gado Zagal Pegureiro Pároco… ver jogo da pata… com pedaço de pau afiado nas duas pontas bolsa para o tabaco, tabaqueira dar-lhe ou ter… doença súbita… parecer aspecto… “bom ou mau parcer…” Delgado 326

padiola

Delgado

parvo parvoíce

parvoíce

Delgado Delgado

328 328

estar passado da cabeça… pénis

Delgado Delgado Delgado Delgado 329 330

pata pataca pataleta

Delgado Delgado Delgado

330 330 330

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

patameiro pau de ar paviola parihuela peganhoso pégo pegureiro pastor pei peis péje pela frega da calma pelada pelar-se por
pé pés

lamaçal chifre de boi… “os pastores faziam colheres de pau de ar…” padiola

Delgado Delgado Delgado

330 330 330

95

provocante, metediço A parte mais funda de um poço… Guardador de gado Zagal Pegureiro Pároco…

Delgado Delgado Delgado 333 330

Delgado

333

pela hora de mais calor

Delgado

334

doença que faz cair o cabelo… gostar… empenhar-se…

Delgado Delgado

334 334

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

96

peléira pelengrino pelgasona peligroso pelona penceleta pendência penicada penisca bespeta lembisca penuja peoga per
por penugem penico bacio perigoso peregrino

graça… piada…

Delgado Delgado

335 335 335

Rapariga estouvada, valdevina, brincalhona… Delgado doce qie se davam nos casamentos à saída da igreja… (Barrancos) pincel tendência… inclinação… Porção de urina e fezes que se deitam fora… Pessoa alegre… viva… divertida… Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

335 335

335 335 335

Delgado peão de dois bicos… mulher ou rapariga pequena… Delgado Delgado

336 336 336

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

pera perjuízo perla pernicão espernicão pernicar pernicão pertelinho pespegar-se pêto pevolhal pêxe piadade pial pianha piarça

para prejuízo pérola pernicar espernicar beliscão na perna…

Delgado Delgado Delgado Delgado

336 337 337 236

97

beliscar a perna

Delgado

337

perto prantar-se… instalar-se… peito Restolho, pasto peixe piedade poial banco ou pedra para apoiar… suporte, pianha “…correia que aperta no molim da

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado 338 338 338 338 338 337

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

98

besta…”

picos pidir… pido… pilheta pilheta pindérico pindérico pinico pinote piparralha pimparralha pipôrro piqueno piquinina
pequeno pequenina pedir

Estar em picos – estar em cuidados…

Delgado Delgado

339 339 339 339 339 339

pia pequena ou tanque… pequena pia ou tanque… pelintra, velaco… Pelintra, tratante, biltre, velhaco… bacio, penico, vaso de noite salto caule tenro que se morde para tocar… pequeno barril com dupla abertura para água e ar… para manter a água fresca…

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

339

Delgado

339

Delgado

340 339

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

pirigo pirú 99ergu pirúm pitança pitrol pitróli poco podengo podrura poial dos cântaros poldra poldras poldro

perigo

risco, raio… peru, perua (bebedeira)

Delgado Delgado

340 340

99

extras que o senhorio permitia ao rendeiro… um ou outra cabeça de gado… lenha… petróleo

Delgado

340

Delgado

340

pouco cão de caça podre podridão cantareira

Delgado Delgado Delgado Delgado

340 341 341 154

égua nova: pernada ou ramo; polvo Delgado quando novo v. alpondras lat. Pulletrupedras de passagem num rio Potro, cavalo pequeno; polvo Delgado Delgado

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

100

polho polos jêtos polvarinho pompo pontilhada por esta leva por môr de pôr o lenço à pantoleia por via de porca xara porco de alfeire (alfeirão) …varrasco …engorda
polvorinho pólvora

Pinto, frango… (Barrancos) Pelos vistos recipiente de pólvora feito de corno… e por vezes trabalhado com arte pelos pastores… Rebento novo de uma planta Marrada, cornada por este andar por amor de… por causa de… Mal posto…

Delgado Delgado Delgado

341 342 342

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

343 343 344 344 344

por causa de… bicho de conta

Delgado Delgado Delgado

346 343 343

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

pôre pôra porrêro portada portado pose-o poucachinho povilhal Pra mond’ quêi? pra riba de prantar pregar … uma peça … um cão … olho prègunta

pôr

Delgado

283

101

porreiro

belo, famoso, valente… degrau da porta de entrada

Delgado Delgado

346 346

pô-lo

… pose-o em riba da mesa… poucochinho gado do pastor ou rabadão que é pastoreado com o gado do patrão… Para quê? por causa de quê? Para cima de… para além de… Pôr, colocar, plantar… Pratica uma maldade uma dívida … não pregar olho… não dormir…

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

346 347 347 347 348 348 350

pergunta

Delgado

348

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

102

102ergunta prugunta prencípio presonção priivido proibido proivido priivido pruguntar puchos pucro puji puge pupia pepia purdjicado puxo
prejudicar puxo da charrua - estravanguilho púcaro pus de pôr princípio presunção proibir proibido vaidade, basófia… Delgado Delgado Delgado Delgado 350 350 350 346

perguntar doença com diarreia e sangue

Delgado Delgado Delgado Delgado

350 350 350 350

bolo em forma de argola…

Delgado

350

Delgado Delgado

351 244

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

qibradura quadrar quartinho cruzado que se desunha quebradura quibradura quecóque quêdo queimada querena querêna queser… quibrar quina
querer quebrar queimar quebra Quarto 1/4

Quebradura… hérnia… Vir a propósito… calhar… um quartinho = 12 tostões (um cruzado = quatro tostões (40 cêntimos de um escudo) Trabalha que se desunha… hérnia

Delgado Delgado Delgado

355 351 351

103

Delgado Delgado

353 351

borda de pão… pedaço que se corta da borda quieto

Delgado Delgado Delgado

352 352 352 353

recusa… teima…

Delgado

quiser…

Delgado Delgado

353 355 355

esquina de uma casa

Delgado

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

104

quinchoso quinxoso quintas rabadão rabadoa rabanada de vento rabanho rabatismo rabetalhos rabiça rabicha rabinho de fevre rabisco
rabo reumatismo

hortejo de pequenas dimensões

Delgado

355

canções nas inspecções militares… (Barrancos) Maioral de pastores…

Delgado Delgado

355 355

golpe de vento… furacão…

Delgado

355

porção de gado… lanígero…

Delgado Delgado

355 355 355 356

restos inúteis Rabiça… rabo do arado… do carro

Delagdo Delgado

febre ligeira… os restos da fruta depois da apanha… “Andar ò rabisco das uvas… figos… A azeitona que, depois da apanha, fica abandonada nos olivais. Restos

Delgado Delgado Comeres_AFAl ves

356 359

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

que ao proprietário já não interessam.

105
Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado 356 356 356 356 357 357 357

rabo de raposa rabo de zorra raboliço rabujento raio ralação ramaço ramela rana arrã rancho rapa rapar
ralar ramo remela rã erva reboliço

nome de certas plantas Nome de ervas dados pelos pastores… barulho, gritaria… impertinente malvado, velhaco… apoquentação pequeno ramo de folhas e flores

cozido de grão jogo rapar frio… rapar fome…

Delgado Delgado Delgado 357 357

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

106

rapino real rebiteza recócão recoücão refastelar-se refelão regatão regatoa regatinhar regra regrão relójo remessa remoncar

raspelho

insecto hexápode Bonito, bom, belo… mostra vivacidade…

Delgado Delgado Delgado Delgado

357 358 358 358

cova

buraco no solo…

acomodar-se arrepelão regatear apalpão violento… arrepelão pessoa que compra aos produtores e vai vender a outro preço… discutir o preço… uma linha escrita num papel ou numa ardósia… lápis de ardósia, ponteiro… relógio remeter resmungar grande quantidade… falar entre dentes… com azedume

Delgado Delgado Delgado

358 358 358

regatear

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

358 358 359 359 359 359

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

rentar-se em… repairar repeso requeza rescunho resgalha revenecer enverdecer revolvo rexinol rezão riete ritimio robiata rodilha
rês reverdecer riqueza reparar

desprezar reparar… ver… peso a mais…

Delgado Delgado Delgado Delgado

359 359 360 360 360 360 361

107

nojo, enjoo, repugnância criança de pouca idade; cordeirinho…

Delgado Delgado Delgado

revólver rouxinol razão variedade de trigo… ritmo formiga de rabo no ar… guardanapo

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

361 361 361 362

362

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

108

rondana rôpa rouparia roupeiro rouparia roupeiro rudo saca não desenlaca sacrifiço saibo salamanquesa salamim

roldana roupa Lugar onde se fabricam os queijos, devido à quantidade de panos que se utilizam… “queijaria” pelos panos usados… normal – muita roupa; casa onde se guardam ou vendem roupas… O fabricante de queijos… rude Finalmente… e por fim…

Delgado Delgado Delgado

362

121

Delgado

362

Delgado Delgado Delgado

362 362 363

sacrifício sei salamandra (Barrancos)

Delgado Delgado Delgado

363 363 363 363

medida de madeira de um litro para Delgado medir a ração para o gado… (Medidas antigas: canada, quartilho, polgada, alqueire,

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

alqueirão, balaça romana de braços,

109
Delgado 363 363 Delgado

saluçar samarra samarro sambomba samear samos semos sarei sarás sanmexuga samexuga sanrada santanário

soluçar v. çamarro O m.q. samarra. Aparece como antiga vestimenta rústica, feita de pele de ovelha ou de carneiro enquanto conserva a lã. instrumento musical (Barrancos)… panela de barro com pele… e pau… vara… semear somos (ser)

Delgado

363

Delgado Delgado

363 369

sanguessuga

Delgado

364

Mflorencio religioso Delgado

113 364

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

110

santar-se assantar-se sapelguear sapelgueando sarabanda sarapintado sardinha sarrabulho larida sarrabulho v. rechina

sentar assentar saltitar

Delgado

364

Delgado

365

reprimenda Salpicado… com pintas…

Delgado Delgado

365 365 365 282

lepisma, insecto “bichinho de prata” Delgado barulho, algazarra, sarrabulhoa Delgado

Sangue coagulado de porco. Iguaria Delgado feita com esse sangue, pedaços de carne ou torresmos e miúdos de porco… grande barulho, algazarra… serrar vozearia… barulho irritante… satisfação satisfeito saciado, farto… Delgado Delgado Delgado

366

sarrar sarrazina sastefação sastefêto

366 366 366

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

satrampolida sau se calhar seija sêja selada selca semos samos som eu sempatia senhôre senhôra sentido ser completo ser perdido por…
seja (conj. Ser)

estrondo, barulho… Salgueiro, chorão… (Barrancos) Se adregar… se acontecer…

Delgado Delgado Delgado Delgado

376 366 366 367

111

salada acelga somos smos sou eu simpatia senhor planta erbácea

Delgado Delgado Delgado

367 367 370

Delgado Delgado

367 283

ideia… fantasia… juízo… Ser justo… gostar muito…

Delgado Delgado Delgado

368 370 371

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

112

ser testo servir o rei si assi sipultura sô sobrado sobredoirado soedade soidade sofases solada de boletas soldado a pé sólia soltura
saudade sim assim sepultura

ser persistente serviço militar

Delgado Delgado Delgado

372 372 372

Delgado sou – senhor andar de uma moradia… sótão que tem a cor do oiro solidão Delgado Delgado Delgado Delgado

372

374 374 375

sofás Chão coberto de bolotas debaixo das azinheiras ou chaparros… soldado de infantaria puxo da charrua - estravanguilho diarreia

Delgado Delgado 375

Delgado Delgado Delgado

375 244 375

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

sonsa sontordia sontredia soutrodia st’outro dia sorna sornar ressonar stander strampolida estrampolida stramportar stramporte strapolida sua senhora mãe suàlhar
sòlhar? transportar transporte ressonar

fingida outro dia, há pouco…

Delgado Delgado

375 375

113

manhoso

Delgado Delgado

376 361

stand

Delgado 243

que faz estrondo, barulho, estrépito Delgado

Delgado Delgado Estrondo, barulho Tratamento cerimonioso… Delgado Delgado

244

376 376

Fazer sol?

Delgado

373

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

114

sualhêra sube sube - soube subrenfusa subrenfusa sucapa sugo sulapupos (aos) sumir supônhamos supremo surrabura surraburra

soalheira (saber) (subir) saber soube sopas de toicinho… sopas de toucinho à sucapa… às escondidas… suco o sugo das flores… aos saltos desparecer “um suponhamos” opinião, hipótese…

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

372 376 376 376 376 376 377 94 377 377 377

submissão, sujeição, obediência… Delgado “estes garotos não tem supremo de ninguém…” (ver defina e moleja… guisado…) guisado feito com sangue de porco, fígado, bofe e moleja… Delgado Delgado

196

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

surrafar-se surrafar-se sustância tábua de horta tabuão tabulacho taçalho de pão talêgo talégo talócada tamêi(n) tamén tamêm tamoeiro chavelha

raspar

tocar ao de leve… Tocar ao de leve… roçar…

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

377 377 377 378 378 378

115

substância

força horta, quintal, pedaço de terra… inchaço, durão…

pequeno tabuleiro de madeira para Delgado o servente levar a argamassa ao pedreiro… (barquilho em Barrancos) bocado de pão - fatia, naco taleigo Saco pequeno e comprido… Delgado Delgado

378

taloca

pancada dada com taloca, caule de cana ou de couve… também

Delgado Delgado

378 378

Pedaço de madeira usado no arado Delgado onde se engata o tamoeiro ou apeiro… também se chama chaneca

169

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

116

tanganhada tanganho tapino tardi tarefa tarongo tarouco tramouco tarraço tarrafice tarro tás a mangar tás fazendo ronha tás feito mariola
sarro Barrancos

pau, pauzinho, galho para acender o lume… cumprimento, aperto de mão

Delgado

379

tampa pequena, rolha… (Barrancos) Delgado tarde, boa tarde Trabalho a fazer… pequeno bolo da amassadura idiota, parvo, apatetado… Delgado Delgado Delgado Delgado

379

379 379 389

objecto, qualquer utensílio maldade marmita de cortiça, vaso para onde se ordenha o leite não estás a falar a sério a perder tempo.. cera

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

379 379 380

brincalhão

Delgado

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

tasquinhar tassalho tassalhão tassalhona távendo taverna távua tejala tijala temperar tem-se em dezer tenção ter tará - tarás tarei teve e tevestes
dizer taberna tábua tigela

o mastigar dos porcos… pedaço grande… “Um tassalho de pão com linguiça para o caminho…” moça grande - avantajada está a ver

Delgado Delgado

380 380

117

Delgado Delgado Delgado 380 380 380

malga

Delgado

suavizar costuma dizer-se… dizem…

Delgado Delgado

381 381

intenção Ter (verbo) Formas deturpadas do verbo TER

Delgado Delgado

382 383 384

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

118

– tevesse e tevesses ter mais olhos que barriga terminar terrêrinho (armar um) teslina teslinice tiborna tinaga tingarrinha tino tirar nabos da púcara
determinar comer demais… sevir-se a mais… Delgado 385

“terminou de ir a…” resolver armar uma barafunda, confusão…

Delgado

385 96

Esquisita, cabra… “rapariga muito teslina…” bocado de pão a sair do forno com azeite e sumo de laranja… bêbado crónico… “Aquele é um tinaga…”

Delgado

385

Delgado Delgado

385 385 386 386 386

cardo tenro que se usa no cozido de Delgado grão ou “rancho” Juízo… ver trambelho investigar… Delgado Delgado

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

Tóino Tónho Antóino tomar talento tomára que Deus tomára já tomo (ô) topar topar em tosquia tótuço toupino trabelho trambelho trabesseiro

António

Delgado

91

119

ter juízo… Prouvera Deus Quem me dera…

Delgado Delgado

387 387

Com ‘o’ fechado… ver encalhar… corte da lã das ovelhas, feita antes da ordenha… toutiço toupeira Cimo da cabeça… levas no… (Barrancos) juízo, acerto… “Aquele rapaz não tem trambelho!…” travesseiro

Delgado Delgado

388 388

Delgado Delgado Delgado Delgado

388 388 388 389

Delgado

388

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

120

trabuzana de água traje tramela tramontana tramouco tarouco tramouquice tarouqice trancar trango-mango tranquitana trasfegar trasfego
v. tresfegar trajo

“grande bátega de água”

Delgado

389

Vestuário habitual… destrajar – vestir diferente… carnaval… ia destrajado de…

Delgado

389

dar ao lambeirão – tagarelar… dar à Delgado tarmela Perder a… - perder o juízo… Idiota, parvo, apatetado… (ver – destrambelhado) Estupidez, pervoíce… Delgado Delgado

281 389 389

Delgado

389

Fechar com tranca doença súbita e indefinida… bugiganga Passar de uma vasilha para a outra… Ant. Lidar. lida movimento

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

389 390 390

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

traste e trastes travadeira travessura travisco travisqueira travoada trazer (trager) tremer que nem vars verdes tremera trempe trilho trombola trugia turgia
torombola? trovisco

velhaco… e móveis velhos… Corda para travar um carrada de cereal… Maldade, diabrura arbusto… planta venenosa

Delgado Delgado Delgado Delgado

390 390 390 390

121

trovoada Ver tragemos… trouvera… Tremer muito

Delgado Delgado Delgado

391 391 391

nervoso apoio de ferro para as panelas na lareira utensílio de lavoura para debulhar cereais… ave de caça… Trastes… roupa velha

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado 391 392 392

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

122

tudo um ucharia ula Um Algarve de figueiras uma ursa (erva) uvar vabla vacúa vaia vais (pl. de vale)
válvula

Um tudo nada tudo o que é preciso para a lavoura e o gado desde os mantimentos, alfaias, ao pessoal À ula-ula – à pressa, em desordem… Um figueiral

Delgado Delgado

392 392

Delgado Delgado

392 392

À uma – de acordo… em coro erva que se usa em vez dos orégãos, na conserva das azeitonas…

Delgado Delgado

392 392

MFlorencio Delgado MFlorencio Apupo, zombaria Delgado Delgado

115

115 392 393

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

val vanhas vás Varejeiras varejas vargem vária varjador varrão varrasco vás vasculhar vasculho vê lá bem em que mato fazes a lenha Vecença
Vicência varejador venhas (vir)

em vez de vale “nã vanhas tarde… nã vás por’í… adonde vás?” Moscas pretas e grandes…

Delgado Delgado

393 394

123

Delgado

394

Delgado Tonta, inconstante… Delgado Delgado porco de cobrição… Delgado

394 394 394 395

Onde vás? Vassourar… vassoura de cabo comprido… Vê bem com quem metes…

Delgado Delgado

395 396

Delgado

396

Delgado

396

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

124

vendaval vendima veneta ventarola verdemã verdeselha verdoso Ver-se em calças pardas ver-se grego verter águas vesitar véstia vetóira
vitória visitar vindima

trovoada…

Delgado Delgado

396 396 396 396 396 185 396 397

Dar-lhe (n)a veneta… zangar-se… Brinquedo de papel… papagaio Pequeno peixe da ribeira de corpo alongado planta herbácea – verdeselha – ver corriol… sverdeado… em dificuldades… em apuro

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

em dificuldades… em apuro urinar

Delgado Delgado Delgado

397 397 397

casaco curto… jaqueta, jaleco…

Delgado Delgado 398

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

veve vez a miúdo vezinho vinagrada calatróia chalaborda gaspacho vir à colécção vir de copa virada virás visível vossemecê vreda xamiço xara xaraval

vive frequentwmente vizinho comida mal feita e desenxabida… o mesmo que chalaborda… sopa fria de azeite, vinagre e alho…

Delgado Delgado Delgado Delgado

397 397 398 145 166

125

Vir a propósito… em boa hora… Vir de regresso com a roupa às costas verás visível Tratamento de respeito… vereda Lenha de esteva esteva - lenha de esteva terreno estéril, onde abunda a “virás meus olhos tristes…”

Delgado Delgado

398 398

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

398

398

398 398

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

126

xaravascal xaraviscal xaravisvar xarroco xarouco charroco xáti zagal pastor zagarro zambujo zangarilhas zaragata zipada de água
mq. zambujeiro chat

esteva ou xara..

mexericar Peixe do rio de beiços grossos

Delgado Delgado

398 169

(modernices da técnica) Guardador de gado Zagal Pegureiro Pároco… manhoso, espertalhão… Espécie de oliveira brava... cacete feito dessa árvore. cangalhas para carregar água nos burros desordem bátega de água

Delgado Delgado 330

Delgado Delgado Delgado Delgado

399

399

399

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

zóquinha zorra zoupeira zurrada zurreira

peão pequenino raposa… mulher de má porte mulher velhaca (ver zorra) Soprar do vento fumaça

Delgado Delgado Delgado Delgado Delgado

399 399 399 399 399

127

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

128
Alentejo_searavocavular_SIGLAS usadas nos diversos documentos desta IMENSA SEARA VOCABULAR. Siglas usadas nas tabelas: AFAlves Os Comeres dos Ganhões – Memórias de Aníbal Falcato Campo das Letras outros Sabores Alves Editores, S. A. Porto, Maio de 1994 BCamacho Memórias e Narrativas Alentejanas Brito Camacho - Guimarães Editores, 1988 CFicalho O ELEMENTO ÁRABE NA LINGUAGEM Conde de Ficalho Tradiçao de Serpa, DOS PASTORES ALENTEJANOS, Francisco Manuel 1899 publicado in em A TRADIÇÃO de Serpa, de Melo Breyner Notas Históricas a partir do ANNO I - N° 6, Junho de Serpa, 27 de acerca de Serpa, 1979 1899, p. 81, ver 97, 113 e 129 Julho de 1837 – e in NOTAS HISTÓRICAS ACERCA DE Lisboa, 19 de SERPA e O ELEMENTO ÁRABE NA Abril de 1903), foi LINGUAGEM DOS PASTORES um botânico ALENTEJANOS, que nessa obra vai da português e o 4º página 141 a 173, Lisboa 1979 conde de Ficalho. Delgado A Linguagem Popular do Baixo Alentejo e Manuel Joaquim 2ª ed. Ed. Assembleia o Dialecto Barranquenho, Delgado Distrital de Beja, 1983 FMRamos Alcunhas Alentejanas Francisco Martins Monsaraz, 1990 Ramos JPulga Alentejanando – Estórias e Sabores Joaquim Pulga Editor, Casa do Sul 2006 Lobato Amareleja Rumo à sua História Padre Gráfica Eborense, JoãoRodrigues 1961

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

Loendrero Machado MFlorencio MJSilva MRitaSerpa

Memórias de Manuel Loendrêro Humor à Alentejana Monografia de Vila Verde de Ficalho Dialecto Alentejano RIQUEZA DOS FALARES REGIONAIS Cancioneiro de Serpa

Lobato Luís Santa Maria Francisco Valente Machado Manuela Florêncio Manuel João da Silva Maria Rita Ortigão Pinto cortez, Pedro Jardim Professor Joaquim Roque Vítor Fernando Barros Lourivaldo Martins Guerreiro Falares de Cuba Hernâni Matos J. M. Monarca

Chiado Editora, 2011 07 Ed. Da Biblioteca – Museu de Vila Verde de Ficalho, 1980 Ed. Colibri, 2001 Ed. Câmara Municipal de Santiago do Cacém e Sines – 1985 Edição da Câmara Municipal de Serpa, 1994 Chiado editora, 2011 Ed. CM Ferreira do Alentejo - 2ª ed. 1990 Ed. Campo das Letras – 2005

129

PJardim Roque VFBarros+

Crónicas do Avô Chico Nostalgia da minha Infância no Alentejo Alentejo CEM por Cento Dicionário de Falares do Alentejo

xCuba xHMatos xjTC, n° 0

Alunos da EBI Fialho de Almeida- Cuba dotempodaoutrasenhora Jornal Terras do Cante, Nº 0, FEV. 94

Internet PDF blog.net http://www.terrasdent

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

130

Fev.94 xOlivenca xxBarrancos1

Pinheiro… José Luís Valiña Reguera A Linguagem Popular do Baixo Alentejo e o Dialecto Barranquenho – (Estudo etnofilológico) – Filologia Barranquenha SEARA VOCABULAR – colecção feita na máxima parte pela Excelentíssima Senhora D. Cesária de Figueiredo e aumentada um pouco, e aqui e além anotada por J. L. de V. Manuel Joaquim Delgado

ro.pt/Edicoes/ 2ª edição - Ed. da Assembleia Distrital de Beja – 1983 Fac-simile de 1955 Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1981 – Outubro

xxBarrancos2

José Leite de Vasconcelos

Alentejo – seara vocabular 03 – Manuel Joaquim Delgado – LPBA – DB 1951 - 1983

131 trabalho realizado por @ JORAGA Vale de Milhaços, Corroios, Seixal 2012

JORAGA JORAGA

recolha e proposta de estudo de joraga.net 2012 11

132

03 - Delgado

Corroios - www.joraga.net – 2012

Interesses relacionados